Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CAMPUS FRUTAL

PROJETO DE PESQUISA

A cogeração de energia no setor sucroenergético

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO


TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO
EDITAL 08/2015 – UEMG/PAPq/UEMG
PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO – PROPPG
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS – UEMG

Frutal MG
2015
UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS
CAMPUS FRUTAL

PROJETO DE PESQUISA

A cogeração de energia no setor sucroenergético

Projeto de pesquisa apresentado a Pró-Reitoria de


Pesquisa e Pós-Graduação, Departamento de
Pesquisa e Extensão – Campus Frutal. Linha de
Pesquisa: Gestão e Planejamento Logístico.
Análise das Transformações Socioespaciais dos
Espaços Rural e Urbano.

Aluna:
Aline Franco Basso
Graduanda em Administração, UEMG Frutal MG.

Orientador:
Prof. Eng. Adriano Reis de Paula e Silva, Me
Docente, UEMG Frutal MG

Frutal MG
2015
RESUMO DA PROPOSTA

A cogeração de energia por meio da queima do bagaço de cana-de-açúcar, ou seja,


a produção simultânea de energia térmica e elétrica a partir de uma biomassa pode
ser considerada como estratégica para o setor sucroenergético
contemporaneamente. Assim, a preocupação e a repercussão da sociedade sobre
processos e manufaturas sustentáveis tem tornado esse tema relevante, além de
contribuir para a crise energética do Brasil - atuando como mais uma fonte
energética abundante. Com a vantagem de que o pico da safra da cana-de-açúcar é
em período de seca, que coincide com a época de baixa produção das
hidroelétricas. O objetivo desta pesquisa é avaliar a distribuição do abastecimento
de energia elétrica a partir da cogeração no setor sucroenergético, no Brasil e em
Minas Gerais. Talvez se possa concluir que esses projetos se mostram eficiente,
contudo para isso, o Brasil deve realizar melhorias nas matrizes industriais bem
como na infraestrutura de distribuição da energia elétrica.

Palavras-chave: Cogeração de Energia Elétrica; Logística Reversa; Sucroenergético.


3
SUMÁRIO

Resumo da proposta............................................................................................ 02
1 Introdução...................................................................................................... 04
2 Justificativa.................................................................................................... 04
3 Objetivos........................................................................................................ 05
3.1 Objetivo geral.......................................................................................... 06
3.2 Objetivos específicos.............................................................................. 06
4 Metodologia................................................................................................... 06
5 Cronograma de execução............................................................................. 07
6 Equipe executora........................................................................................... 08
7 Vínculo institucional do projeto...................................................................... 08
8 Fonte de financiamento (contrapartida da instituição)................................... 08
Referências.......................................................................................................... 09
Anexos................................................................................................................. 10
4
1. INTRODUÇÃO

O Brasil é o maior produtor mundial de cana-de-açúcar, de acordo com o CONAB


(2013), são produzido mais de 650 milhões de toneladas em 09 milhões de hectares
plantados na última safra (2013/2014). Cerca de 60% da produção do açúcar e do etanol
está localizada no estado de São Paulo, e as demais zonas produtoras estão no Paraná,
Triângulo Mineiro e Zona da Mata Nordestina.
Além de matéria prima para a produção desses produtos, os seus subprodutos e
resíduos vem sendo utilizados para cogeração de energia elétrica, fabricação de ração
animal e fertilizante para as lavouras (EMBRAPA, 2013).
Nesse contexto, o setor sucroenergético apresenta experiências bem sucedidas
na gestão de resíduos sólidos. Os exemplos da utilização da torta de filtro (resíduo
orgânico sólido) na adubação dos canaviais e do bagaço da cana na geração de energia
elétrica são práticas de logística reversar no setor.
Esse aproveitamento dos resíduos sólidos, além de evitar impactos negativos
causados pelo descarte inadequado no meio ambiente, bem como a emissão de gases
devido às queimadas, apresentam vantagens econômicas (IPEA, 2012).
Portanto, frente à crise hídrica que a região Sudeste está enfrentando
contemporaneamente, torna-se possível avaliar a segurança energética do país a partir
da complementaridade do setor sucroenergético. Atendendo esta região, sobretudo no
período em que os níveis de água dos reservatórios das hidrelétricas encontram-se
baixos. Contudo, o Brasil possui algumas barreiras que impendem o total
aproveitamento dessa fonte energética, como falta de rede de distribuição, pouco
incentivo governamental as essas fontes alternativas, entre outros.
Dessa forma, o problema central desta pesquisa será responder: Qual a
importância deste setor e as suas principais contribuições estratégicas no abastecimento
de energia elétrica em Minas Gerais? Tendo em vista esse cenário, aprofundar os
conhecimentos na cogeração de energia pode ser uma das alternativas eficaz no Brasil.

2. JUSTIFICATIVA

No Brasil, a preocupação no que se refere à questão da geração de energia


elétrica é iminente, esse fato acontece, pois a principal fonte de geração são as
5
hidrelétricas, que dependem da quantidade de chuvas, o que foi agravado devido o
período de estiagem enfrentada em 2014. Uma alternativa que se apresentou neste
momento foi a cogeração de energia elétrica oriundas das Usinas de Açúcar e Etanol
que são autossuficientes no consumo de energia e produzem um excedente para
comercializar com as distribuidoras de energia.
A evolução da logística e industrial, sobretudo a partir das últimas décadas do
Século XX no setor sucroalcooleiro, contribuiu para a coprodução de energia elétrica
advindo do bagaço da cana-de-açúcar. Neste sentido, justifica-se avaliar os aspectos
econômico e sustentável no setor, especificamente em Minas Gerais. Uma vez que se
pode considerar o processo de cogeração importante devido ao fato de possibilitar a
parcial substituição da queima de combustíveis fósseis pela queima de resíduo sólido,
combustível renovável como avalia Gonçalves-Dias e Teodósio (2011).
A importância desta pesquisa está relacionada com a atualidade do tema, bem
como da contribuição com o entendimento desse processo na administração da energia
elétrica no país. Deste modo, a proposta desta pesquisa tem impactos complacentes em
termos técnico-científicos, acadêmicos, e socioeconômicos.
Em termos acadêmicos, os resultados do projeto deverão ser aproveitados nas
disciplinas Cadeia de Suprimentos e Gestão de Inovação Tecnológica, ofertadas no
curso de Administração, por aspectos de gestão estratégica e problemas
socioambientais, bem como do gerenciamento logístico reverso. Enquanto que, com
relação à comunidade acadêmica externa, pretende-se a publicação dos resultados
obtidos.
Por termos socioeconômicos, a pesquisa poderá contribuir com subsídios ao
município de Frutal-MG, bem como para os municípios circunvizinhos, na compreensão
do papel do setor sucroenergético para esta microrregião. Incentivar ações da
municipalidade em conjunto com toda a sociedade. Possivelmente, este conceito será
aproveitado pelos demais alunos depois de graduados junto à indústria do setor, entre
outras.

3. OBJETIVOS

3.1 Objetivo geral


6
O objetivo principal deste trabalho será de avaliar a distribuição do
abastecimento de energia elétrica a partir da cogeração no setor sucroenergético,
bem como as contribuições estratégicas macroeconomicamente no Brasil e em
Minas Gerais.

3.2 Objetivos específicos

Identificar a gênese da produção sucroalcooleira no Brasil e em Minas Gerais.


Compreender o processo de cogeração de energia elétrica resultante do
bagaço e da palha da cana.
Verificar o favorecimento de cogeração de energia elétrica do setor
sucroalcooleiro para os benefícios no sistema elétrico e o meio ambiente, a fim de
compreender o papel dessa distribuição (contribuição) no período crítico de
estiagem na região Sudeste do Brasil, especificamente em Minas Gerais.

4. METODOLOGIA

Inicialmente será realizado um levantamento bibliográfico sobre o tema


cogeração de energia no setor sucroenergético. De maneira que este levantamento
ofereça suporte teórico para a análise da temática, podendo ser definidos com maior
precisão os instrumentos para o levantamento de dados.
Em um segundo momento, ocorrerá à exploração empírica, em especial de
dados secundários publicados por órgãos públicos e instituições privadas. Avaliação
da utilização dos resíduos sólidos nas usinas do setor existentes no município de
Frutal-MG.
A pesquisa tem a duração prevista de 12 meses, e é dividida em duas etapas.
A primeira proporcionará a discussão e a revisão dos procedimentos adotados, para
que assim, a segunda etapa possa ajustar os resultados confiáveis e relevantes.
Como resultados finais esperam-se compreender as características do
processo de cogeração de energia elétrica a partir da utilização dos resíduos da
cana-de-açúcar, bem como suas particularidades. Assim como relacionar estas
7
características a influencia do ambiente institucional, principalmente do governo, nas
práticas de inovação corporativa na gestão de resíduos sólidos.
Essas informações poderão são relevantes para a formulação e validação de
políticas públicas, e para definição de estratégias corporativas que contribuam com
os desafios da gestão estratégica da cogeração de energia no setor.

5. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO

O projeto será desenvolvido de acordo com o cronograma abaixo, por


distribuição das etapas e atividades.

DESENVOLVIMENTO DO PROJETO
MÊS / REFERÊNCIA – 2014 / 2015
ETAPAS / ATIVIDADES
AGO SET OUT NOV DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL

Revisão bibliográfica

Análise de documentos,
dados e informações
1ª ETAPA

relacionados ao tema
(pesquisa documental)
Redação do relatório parcial
da pesquisa

Análise e tabulação dos


dados coletados

Levantamento e confecção
de mapas, e tabelas

Coleta de informações
finais
2ª ETAPA

Análise das informações


coletadas e discussão

Redação do relatório final


da pesquisa

Elaboração de artigo

A pesquisa tem a duração prevista de 12 meses, e é dividida em duas etapas.


A primeira proporcionará a discussão e a revisão dos procedimentos adotados, para
que assim, a segunda etapa possa ajustar os resultados confiáveis e relevantes.
8
6. EQUIPE EXECUTORA

Prof. Eng. Adriano Reis de Paula e Silva, Me.


Docente, UEMG Frutal MG
Aline Franco Basso
Graduanda em Administração, UEMG Frutal MG.

O professor, pesquisador, nível IV, dedicará cinco horas da sua carga horária
semanal para a orientação deste projeto e cinco horas para a pesquisa de campo e
confecções de mapas e tabelas pertinentes. A pesquisa depende de aluno de
graduação bolsista de iniciação científica para sua realização, com carga horária de
vinte horas semanais.

7. VÍNCULO INSTITUCIONAL DO PROJETO

Este projeto se enquadra institucionalmente no curso de Administração da


UEMG, Campus Frutal, do Departamento de Ciências Sociais e Aplicadas. Linha de
Pesquisa: Gestão e Planejamento Logístico. Análise das Transformações
Socioespaciais dos Espaços Rural e Urbano.

8. FONTE DE FINANCIAMENTO (CONTRAPARTIDA DA INSTITUIÇÃO)

Para o desenvolvimento da pesquisa, a UEMG Campus Frutal disponibilizará


as instalações físicas, assessoria e suporte técnico ao desenvolvimento da
pesquisa. Será disponibilizado o acesso à Biblioteca, bem como se
responsabilizarão ainda, por meio do Departamento de Ciências Sociais e Aplicadas,
ao qual se filia este projeto, pelo suporte nos serviços de secretariado, telefone,
internet e computação.
9
REFERÊNCIAS

BRASIL. Lei 6.938 de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do


Meio Ambiente, seus fins e mecanismos e aplicação, e dá outras providências.
Ministério do Meio Ambiente, o Sistema Nacional do Meio Ambiente (SISNAMA).
Disponível em <http:// www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6938.htm>. Acesso em:
01 mai. 2015.
BRAGA, B. et al. Introdução à engenharia ambiental. 2. ed. São Paulo: Pearson
Prentice Hall, 2005.
CONAB. Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento de safra
brasileira: canade-açúcar, segundo levantamento, agosto/2013. Brasília, 2013.
Disponível em:
http://www.conab.gov.br/OlalaCMS/uploads/arquivos/13_08_08_09_39_29_boletim_
cana_p ortugues_-_abril_2013_1o_lev.pdf. Acesso em: 08 mai. 2015.
EMBRAPA. Agência Embrapa de Informação Tecnológica. Disponível em:
http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/cana-de-acucar/Abertura.html. Acesso
em: 08 mai. 2015.
GONÇALVES-DIAS, S. L. F.; TEODÓSIO, A. S. S. Perspectivas de análise do
ambientalismo empresarial para além de demonizações e santificações.
Revista de Gestão Social e Ambiental, v. 5, n. 2, 2011.
IPEA. Plano Nacional de Resíduos Sólidos: diagnóstico dos resíduos urbanos,
agrosilvopastoris e a questão dos catadores. N. 145. Disponível em:
http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/comunicado/120425_comunicadoi
pea014 5.pdf. Brasília, 2012.
SANTOS, M. Manual de geografia urbana. 2. ed. São Paulo Hucitec,1989.
______. Da totalidade ao lugar. São Paulo: EDUSP, 2008.
10

DECLARAÇÃO DE RECURSOS PRÓPRIOS

Eu, Adriano Reis de Paula e Silva, declaro para os devidos fins, que os
recursos envolvidos neste projeto serão de responsabilidade dos pesquisadores,
ficando a UEMG, ou qualquer outra agência de fomento, isentas de qualquer tipo de
financiamento para a realização desta pesquisa em questão, que não depende nada
além do acesso as instalações e o apoio citado como contrapartida da UEMG, e da
aprovação de uma bolsa iniciação científica para a aluna de graduação.

Frutal, 12 de Maio de 2015.

___________________________________
Prof. Eng. Adriano Reis de Paula e Silva, Me
MASP nº 881907-0