Você está na página 1de 16

LIÇÃO 3

A Pessoa de Deus
Como Ele revelou-se?

Acontece com relativa frequência a situação a seguir. Alguém passa bom período
de sua vida lendo sobre alguma personalidade. Conhece a história da vida desta pessoa
através de reportagens e textos biográficos, vindo a formar um quadro mental a
respeito de como é aquela pessoa. Chega, então, o dia em que este alguém tem a
oportunidade de conhecer pessoalmente o personagem que acompanhou à distância
por tanto tempo. Que experiência! Para alguns, porém, esse dia pode revelar-se uma
grande decepção, pois a imagem que se faz daqueles que se conhece de longe pode
estar muito além do que realmente é essa pessoa. Ao mesmo tempo, há quem sinta-se
privilegiado em conhecer, finalmente, alguém tão famoso, pois a realidade é ainda
muito mais agradável que os textos. Você já passou por essa experiência?

Algo semelhante costumava acontecer com Israel, que normalmente distorcia a


mensagem que recebia a respeito de Deus. Para evitar desvios de entendimento, Deus
apareceu pessoalmente a muitos dos grandes homens e mulheres do AT. Isso impedia
que os servos de Deus permanecessem com os quadros mentais imprecisos que eles
poderiam haver criado de Deus – o Senhor veio a eles face a face. Lembremo-nos que
no mundo antigo, os deuses eram inumeráveis; e em meio a tantas opções pagãs, Israel
precisava ter certeza de que servia ao único Deus vivo e verdadeiro. Apenas Ele tinha
a capacidade de encontrar-se pessoalmente com Seu povo, pois Ele, e somente Ele, é o
Deus vivo (Dt 5.26; Jz 3.10; 1Sm 17.26; 2Rs 19.4; Sl 42.2; 84.2; Jr 10.10).

Eram cinco as formas pelas quais Deus revelava-se no AT: pelo


antropomorfismo; pela teofania; pela nuvem da Sua Presença; pelo Anjo do Senhor; e
pelo Espírito do Senhor.
Antropomorfismo e Antropopatismo Esboço da Lição
Teofania
Nuvem da Presença de Deus
Anjo do Senhor
Espírito do Senhor

Ao término desta lição, o aluno deverá estar apto para: Objetivos da Lição

- diferenciar antropopatismo e antropomorfismo;


- expor a diferença entre antropomorfismo e teofania;
- descrever quatro modos de como a nuvem da presença de Deus ministrou ao povo de
Israel;
- evidenciar o caráter do Anjo do Senhor;
- sumariar evidências, a partir do AT, de que o Espírito Santo é uma personalidade única.

1. Leia atentamente esta lição. Atividades de


Aprendizagem
2. Faça todas as questões de estudo.
3. Separe, no mínimo, 3 horas diárias para estudar.
4. Faça o autoteste no final desta lição.
Desenvolvimento ANTROPOMORFISMO E ANTROPOPATISMO
da Lição

OBJETIVO 1 Antropomorfismo é uma palavra pouco comum fora dos meios acadêmicos, e
Diferenciar antropopatismo
de antropomorfismo.
significa em forma humana. Em determinadas ocasiões, Deus era descrito como que
possuindo características físicas, ou até emocionais, próprias da humanidade. Este era
um recurso para tornar Deus conhecido de Seu povo – na prática, é o emprego de
uma terminologia finita para expressão de características e natureza infindas, do Deus
infinito!

Ocorrências deste tipo estão presentes em muitas partes do AT. Moisés o fez
enquanto descrevia o poder de Deus para libertar Israel da escravidão no Egito
(Dn 5.4-6). No Êxodo, Deus é retratado como tendo face e costas (Ex 33.23). Há
outros exemplos de antropomorfismo em passagens que declaram que Deus tem
mãos (Is 66.2); pés (Gn 3.8; Sl 8.6); olhos (1Rs 8.29; 2Cr 16.9) e ouvidos (Ne 1.6;
Sl 34.15).

Em outras ocasiões, Moisés descreveu as emoções de Deus em termos humanos


– uma prática chamada antropopatismo. Deus pode zangar-se (Dt 4.21), ou pode
expressar ciúmes (Êx 20.5), até como um marido ciumento (Nm 5.15; Pv 6.34). O
livro do profeta Oséias é um excelente exemplo de antropopatismo e antropomorfismo.
Toda esta profecia pode ser tida como a expressão em meios humanos dos
sentimentos divinos. Oséias retratou Deus como um homem fiel à sua esposa, mas que
foi por ela abandonado e traído, sem que para isso houvesse qualquer justificativa.
Israel era essa mulher adúltera!

1. Antropomorfismo significa
a) descrição de Deus em termos espirituais.
b) características do Deus infinito.
c) descrição de Deus em forma humana.
d) Nenhuma das alternativas anteriores está correta.

2. Assinale todas as alternativas que possam ser classificadas como antropopatismo.


a) Deus pode zangar-se.
b) Deus possui uma face.
c) Deus libertou Israel do Egito com sua mão poderosa.
d) Deus pode expressar ciúme.
e) Deus pode ser comparado a um marido ciumento.

OBJETIVO 2 TEOFANIA
Expor a diferença entre
antropomorfismo e teofania.
No AT, Deus apareceu a muitas pessoas. Estas aparições tornam necessária a
diferenciação entre antropomorfismo e teofania, sendo aquele a descrição de Deus em
termos humanos físicos, e este o real aparecimento de Deus ou do Anjo do Senhor, em
forma humana.

42 | TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO


Começando pelo Éden, encontramos Deus passeando pelo Jardim e
conversando com Adão e Eva. Um extasiante período de comunhão! O ser humano
anseia retomar esta mesma intimidade com Deus. Porém, a partir de Gn 3.8, esse
estado de relacionamento se altera drasticamente. O Deus que conversava com Adão
e Eva é o mesmo, no entanto, agora Ele fala em termos de juízo por causa do pecado.
Não será esse um quadro muito mais preciso de como, hoje, muitos seres humanos
haverão de encontrar-se com Deus? Para muitos o encontro com o Senhor será de
comunhão e amor; para outros, será um momento de sentenças por conta de pecados
não confessados e arrependimentos não praticados.

As teofanias eram a forma mais comum de revelação durante o período dos


patriarcas. Em Gn 12.1, Deus falou com Abraão antes que ele saísse de Ur dos Caldeus;
porém, quando o pai da fé chegou à Terra Prometida, recebeu uma medida muito mais
densa da revelação de Deus. É possível ler em Gn 12.7: “E o Senhor apareceu a
Abraão.”. Foi na planície de Moré que Deus oferece uma demonstração do estágio
inicial do relacionamento que havia entre a humanidade e o Criador antes do pecado.
O mesmo Deus que falara a Adão e outros no passado, agora mostrava-se visível
outra vez. Desde o próprio início, a Terra Prometida estava associada à presença visível
de Deus – o Senhor que apareceu a Abraão (Gn 12.7; 15.7; 17.1; 18.1-8); e com
menor frequência a Isaque (Gn 28.12-20) e a Jacó (Gn 35.9; 48.3). A importância que
os patriarcas atribuíam a estes encontros era tamanha que erigiram altares nos lugares
em que ocorreram estes aparecimentos visíveis, teofanias. Era tanta a associação que se
fazia entre estas localidades e a presença de Deus que em algum momento os
patriarcas acabavam por retornar a estes marcos (Gn 13.4; 35.1-7).

3. Escreva A para antropomorfismo e T para teofania.


____ a) Deus andou no Jardim do Éden (Gn 3.8).
____ b) “O Senhor apareceu a Abrão” (Gn 12.7).
____ c) “Estendi as minhas mãos todo dia” (Is 65.2).
____ d) “Estejam, pois, atentos os teu ouvidos” (Ne 1.6).

A NUVEM DA PRESENÇA DE DEUS OBJETIVO 3


Descrever quatro modos de
como a nuvem da presença
Durante o período mosaico, uma nova forma de manifestação visível da de Deus ministrou ao povo
presença de Deus foi notada – lembrando que a teofania é uma manifestação em de Israel.

forma humana. No caso do período de Moisés, a presença do Senhor estava em uma


nuvem de glória. Assim, Deus estava na coluna de fogo e de nuvens que se colocava
entre Israel e o Egito (Êx 13.21; 14.19; estes versículos revelam uma estreita identidade
entre essa coluna e a presença do Senhor).

É possível afirmar que esta nuvem possui tanto origem milagrosa quanto caráter
sobrenatural. Por que? Porque Deus residia no interior da nuvem. Deus prometera a
Moisés que estaria adiante do povo, guiando e protegendo a novel nação de Israel até
à Terra Prometida. E o Senhor assim o fez, durante o dia com uma nuvem, e à noite,
com fogo. Esta manifestação única em todo o relato bíblico assinalava aos israelitas que
Deus estava com eles.

43 | LIÇÃO 3 : A PESSOA DE DEUS


A glória do Senhor continuou a manifestar-se durante todo o período mosaico,
através da nuvem. Vejamos as seguintes referências:
a) a nuvem da glória era a cobertura protetora que Deus oferecia à nação (Êx
13.21,22; 14.19);
b) a nuvem da glória era a origem do julgamento divino do pecado do seu
povo (Lv 10.2; Nm 16.35);
c) a nuvem da glória envolveu o Sinai com a Majestade da presença de Deus
(Êx 24.16);
d) a nuvem da glória envolveu o Santo dos Santos com a presença de Deus (Êx
25.22; 40.34-38).

A presença do Senhor, representada na nuvem da glória no Santo dos Santos,


permaneceu com Israel até os dias finais do Reino de Judá. Nesta ocasião, de cativeiro
iminente, Ezequiel viu em visão a dissipação da nuvem – o que em breve aconteceu
(Ez 10.18; 11.23; notemos o contraste destas passagens com a falta da nuvem
registrada em Ag 2.3. A nuvem da glória da presença de Deus estava ausente).

Virá o dia, porém, em que a glória do templo de Ageu ultrapassaria aquela do


templo de Salomão. A ausência de Deus do Seu templo era apenas temporária. Um
dia, o próprio Senhor entrará no Seu templo (Ez 44.4; Ml 3.1). Naquele dia, a
representação visível de Deus na nuvem da glória será ab-rogada, porque o próprio
Senhor será visto.

4. Enumere quatro maneiras pelas quais o Senhor ministrou a Israel através da


nuvem da Sua glória.
a) _______________________________________________________________
b) _______________________________________________________________
c) _______________________________________________________________
d) _______________________________________________________________

5. Quais das afirmações seguintes são certas concernentes ao templo construído por Ageu?
a) Era um templo muito maior que o de Salomão.
b) Faltou a presença da glória de Deus.
c) O templo de Ageu foi destruído pelos babilônios.
d) Um dia, o próprio Deus entrará no mesmo templo.

OBJETIVO 4 O ANJO DO SENHOR


Evidenciar o caráter celestial
do Anjo do Senhor.
Uma das verdades supremas do AT é que existe um só Deus. Essa verdade era
zelosamente protegida na revelação do AT. Por essa razão, não há nenhuma declaração
definitiva feita a respeito das três pessoas da trindade. Embora essa verdade fique apenas
latente no AT, há fatores que apontam nessa direção. Nos aparecimentos do Anjo do Senhor,
há quem veja indicações das características do Messias vindouro. Nosso estudo se
concentrará em definir a identidade do Anjo do Senhor
Senhor.

44 | TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO


Hagar e o Anjo do Senhor

Hagar foi a primeira pessoa nos registros bíblicos que recebeu uma visita do
Anjo do Senhor. Por causa dos ciúmes da sua senhora, Sara, ela fugiu na direção da
sua terra natal, o Egito (Gn 16.7-13), mas teve sua fuga interrompida pelo Anjo do
Senhor. A leitura atenta desta passagem faz notar a autoridade com que o Anjo falou,
além do propósito manifesto em Suas palavras. Disse Ele: “Multiplicarei sobremaneira
a tua semente” (v. 10). Tanto a autoridade quanto o propósito de Deus pertencem ao
Anjo do Senhor. Além disso, o Anjo também predisse o nascimento de seu filho,
(vv.11-12). Tais características são próprias de Deus.

Outro testemunho a favor do caráter divino do Anjo visto por Hagar foi a sua
reação: ela estava convicta de haver se encontrado com Deus, e atônita por ainda
permanecer viva! Ela sabia que estivera com Deus. Mediante estas evidências bíblicas,
alguns estudiosos afirmam que a identidade do Anjo do Senhor é a do próprio Deus.

6. Qual das seguintes frases possui características da aparição do Anjo do Senhor à


Hagar?
a) Ele falou com autoridade divina.
b) Ele era capaz de falar ainda de um evento futuro.
c) Hagar reconheceu a visita como sendo de Deus.
d) Todas as alternativas anteriores estão corretas.

Abraão e o Anjo do Senhor

É no capítulo 22 do livro de Gênesis que presenciamos uma experiência


flagrante. No v. 12 este anjo exalta a obediência de Abraão e o seu temor a Deus,
afinal o patriarca não negara ao Senhor o seu único filho. Adiante, este anjo
identifica-se como Deus, dizendo de forma evidente: “Por mim mesmo, jurei, diz o
Senhor [...]”.

7. Qual das alternativas a seguir melhor completa a sentença Em Gn 22, o Anjo do


Senhor...
a) exaltou Abraão porque ele não reteve seu filho.
b) disse que somente Deus era digno de sacrifício.
c) identificou-se com o Deus da aliança.
d) a) e c) estão corretas.

Jacó e o Anjo do Senhor

Depois de Hagar e Abraão, Jacó foi o próximo a ter um encontro com o Anjo
do Senhor. Sozinho em Peniel, obrigado a confrontar-se com seu irmão Esaú, este

45 | LIÇÃO 3 : A PESSOA DE DEUS


patriarca experimentou algo único: Jacó lutou com o Anjo do Senhor! A evidência
bíblica é de que Jacó lutou com Deus. Ao final deste encontro, ele teve o seu nome
mudado para Israel (aquele que luta com Deus). Jacó, agora Israel, foi abençoado por
aquele com quem contendera; e ele sabia que tivera um encontro com Deus, pois
nomenclou aquele lugar Peniel, a face de Deus!

O comentário que Oséias faz deste evento mais sustenta a interpretação de que
Jacó encontrou-se e lutou com Deus (Os 12.3-4). Reunindo a parte final do v. 3 e a
primeira parte do v. 4 nota-se que “pela sua força como príncipe se houve com Deus.
Como príncipe lutou com o Anjo, e prevaleceu”. Essa declaração parece claramente
identificar o Anjo como Deus.

8. As palavras Israel e Peniel significam respectivamente


a) Pai de muitos filhos e o lugar da bênção.
b) O filho da promessa e o lugar da promessa.
c) Alguém que luta com Deus e a face de Deus.
d) Nenhuma das alternativas anteriores.

A redenção através do Anjo do Senhor

Já no final de sua vida, Jacó tem outra revelação do Anjo do Senhor (Gn 48.16).
Em uma análise de sua existência, Jacó considerou tudo quanto o Anjo do Senhor fizera
por ele, dizendo “o anjo que me livrou [ou remiu] de todo o mal”. Esta é uma
passagem muito importante, pois trata-se da primeira ocorrência do verbo remir no
AT, e isto prova a estreita ligação entre o Anjo do Senhor e o ministério da redenção.
Apesar do cuidado necessário para não ressaltar a ideia da redenção além da própria
ênfase dada por Deus nesta fase do propósito redentor, trata-se de uma associação
extremamente relevante – é uma indicação quanto à identidade da segunda pessoa da
trindade e da provisão vindoura da redenção. A palavra usada por Jacó neste instante
foi o termo hebraico ga’al. A ênfase desse vocábulo recai na redenção como o privilégio
ou dever de um parente próximo (Rt 3.9; Jó 19.23).

A associação entre a libertação redentora e o Anjo do Senhor é mais esclarecida


ainda quando lemos que Moisés recebeu da parte do Anjo do Senhor sua comissão
para levar o povo de Israel para fora da escravidão no Egito (Êx 3.1-4). Mais uma
vez, note o relacionamento entre o Anjo do Senhor e Deus.

9. Em qual das alternativas a seguir se explica o que é ga’al, redenção?


a) Redenção é o privilégio ou obrigação de um parente próximo.
b) Redenção somente pode ser proporcionada através da oferta de um animal
sacrificado.
c) Redenção somente pode ser encontrada na nação de Israel.
d) Redenção somente pode ser encontrada em obediência à Lei.

46 | TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO


10. Assinale a alternativa incorreta..
a) Moisés foi a primeira pessoa a reconhecer o relacionamento entre o Anjo do
Senhor e a redenção.
b) O Anjo do Senhor comissionou Moisés a retirar Israel para fora do Egito.
c) Jacó denominou o Anjo do Senhor, como “O anjo que me livrou de todo o mal”.
d) O Anjo do Senhor na redenção, pode ser identificado com a segunda pessoa da
trindade e a provisão da redenção.

A deidade do Anjo do Senhor

A observação final da identidade do Anjo do Senhor nos escritos de Moisés é


importante (Êx 23.20-23). Veremos como estes versículos apresentam a deidade do
Anjo do Senhor. O estudo destes versículos envolve as três seguintes verdades: a
obediência ao Anjo é a mesma obediência ao Senhor; o nome e a voz de Deus são
idênticos ao do Anjo; e, finalmente, a presença do Senhor em Israel foi manifestada
através da presença do Anjo. Para alguns, isso representa que o Anjo do Senhor é o
Cristo. Para outros, indica que o Anjo do Senhor é um enviado especial, com
autoridade especial, para missões específicas.

Obediência ao Anjo

Em ambos os vv. 20 e 22 o Senhor manda Israel obedecer ao Anjo. Nestas


palavras, o povo de Israel recebera uma clara obrigação moral através do Anjo; tem
que se submeter à Sua autoridade. Sua palavra tinha que ser obedecida, caso contrário,
Ele não perdoaria seus pecados. Encontramos uma verdade paralela nas palavras de
Josué ao povo: “[...] porquanto o Deus santo, Deus zeloso que não perdoará a vossa
transgressão nem os vossos pecados” (Js 24.19). E os escribas reconheceram séculos
mais tarde: “quem pode perdoar pecados, senão um que é Deus?” (Mc 2.7). Desta
forma, pode-se que o Anjo do Senhor é o próprio Deus. Por outro lado, podemos
lembar que Israel comprometeu-se moralmente com a obediência a Moisés, mas isso
não fez do líder hebreu Deus.

11. Qual era a responsabilidade moral de Israel para com o Anjo do Senhor?
Responda em seu caderno.

O Anjo com o nome e a voz de Deus

Pela fala do Anjo “Pois nele está o meu nome” (Êx 23.21) é possível afirmar que
a autoridade de Deus está no Anjo do Senhor. O nome do Senhor é sinônimo do nome
do Anjo. O verso 22 deste mesmo capítulo registra uma identificação feita por Deus
entre a Sua voz e a voz do Anjo: “mas se diligentemente lhe ouvires a voz, e fizeres
tudo o que eu disse”. Claramente, obediência à voz de Deus e obediência à do Anjo eram
exatamente a mesma coisa. O Anjo representa Deus em embaixadas especiais.

47 | LIÇÃO 3 : A PESSOA DE DEUS


12. Dizer que o nome do Senhor estava no anjo do Senhor significava dizer que
a) o Anjo tinha uma mensagem Sua.
b) o Anjo submeteu-se à Sua autoridade.
c) o Anjo possuía uma natureza igual a Sua.
d) o Anjo identificou-se com o poder de Deus.

O Anjo da presença do Senhor

Ficou muito evidente até aqui que a presença do Anjo do Senhor era a presença
de Deus. Assim fica fácil compreender a consternação do povo quando ouviu o
julgamento de Deus a seu respeito, após a aberração idolátrica do bezerro de ouro (Êx
33.1-3). Esta passagem apresenta duas importâncias: (1) Deus enviara o povo à Terra
Prometida, e apesar dos pecados daquela geração, Ele não deixaria de cumprir a Sua
promessa. E (2) embora os viesse a conduzir, o Senhor não mais os acompanharia em
sua jornada. É este o ponto a ser compreendido a partir de agora.

Ao invés de acompanhar pessoalmente o povo, o Senhor enviaria um anjo (Êx


33.2). Eventualmente, Israel chegaria à Terra Prometida, conforme Deus garantiu;
contudo, por causa do pecado, o povo perdera o direito à sua nacionalidade – a presença
pessoal de Deus. Adiante, neste capítulo, Moisés faz uma oração pedindo ao Senhor que
continuasse com o povo escolhido. As palavras de Moisés foram tão significativas! Ele
não queria ir à terra prometida, se seu Senhor não fosse com eles. Note sua oração: “[...]
se tua presença não for conosco não nos faça subir deste lugar. Pois como se há de saber
que achamos graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Não é porventura em andares
conosco, de maneira que somos separados, eu e o teu povo, de todos os povos da terra?”
(vv. 15-16). Qual foi a resposta divina a esta oração? Deus respondeu de forma
favorável a Moisés, abandonando a intenção de não guiar pessoalmente Israel.

13. Qual das alternativas a seguir melhor completa a sentença: O Anjo do Senhor que
dirigiu Israel ao deserto era divino porque...
a) o povo adorou ao bezerro de ouro.
b) o povo reconheceu que se fosse dirigido por um anjo perderia a presença de Deus.
c) Isaías denominou o Anjo de O Anjo da sua presença.
d) Deus prometeu que iria com Seu povo.

O Anjo no julgamento e na libertação

Na época dos juízes, Gideão protagoniza uma bela experiência com o Anjo do
Senhor (Jz 6.12, 21 e 22). A libertação prometida dos invasores midianitas deu-se graças
a presença do Anjo do Senhor (v. 16). Gideão sabia haver se encontrado com Deus (v.
22). É preciso que examinemos outro aspecto muito importante do ministério do Anjo do
Senhor: durante o período dos reis, o juízo divino era colocado nas mãos do anjo. A
temeridade de Davi ao enumerar o povo, levou consigo um julgamento divino (2Sm

48 | TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO


24.10-25; 1Cr 21.12-20), executado pelo Anjo do Senhor (2Sm 24.16; 1Cr 21.16). Mas
durante este mesmo período, houve dois outros casos de proteção divina, ministrada pelo
Anjo. No reino de Acabe, o profeta Elias experimentou a proteção do anjo (1Rs 19.5,7).
Também o rei Ezequias clamou a Deus pedindo socorro, quando o exército da Assíria
estava acampado fora das muralhas da cidade indefesa de Jerusalém. Como resultado
direto do clamor de Ezequias “saiu o Anjo do Senhor, e feriu no arraial dos assírios a
cento e oitenta e cinco mil deles” (2Cr 32.21; 2Rs 19.35). A ideia da proteção pelo Anjo
do Senhor também foi mencionada pelo rei Davi nos Salmos 34.7 e 35.5 e 6.

14. Citar os nomes de dois homens que experimentaram o julgamento/libertação do


Anjo do Senhor. Responda em seu caderno.

15. Leia as seguintes referências e exponha como cada incidente relaciona-se tanto à
libertação como ao julgamento pelo Anjo do Senhor.
a) 1Sm 3.11-14: ___________________________________________________
b) 1Rs 19.5 e 7: ___________________________________________________
c) 1Cr 21.12-20: ___________________________________________________
d) Jz 6.16: ___________________________________________________

O Anjo do Senhor no livro de Zacarias

Agora, nos escritos proféticos de Zacarias, outra vez aparece o Anjo do Senhor.
A partir do que escreve este profeta menor, é possível coletar as seguintes informações:
a) há distinção entre o Senhor e o Anjo do Senhor (Zc 1.12);
b) o Anjo do Senhor tem autoridade sobre os demais anjos (Zc 1.11; 3.4);
c) o Anjo intercede diante de Deus em favor do Seu povo (Zc 1.12);
d) Ele assenta-se no lugar de Deus (Zc 3.1-2);
e) Ele compartilha do mesmo propósito de Deus (Zc 3.8-9);
f) a obediência ao Anjo é uma condição prévia para o recebimento da bênção
de Deus (Zc 3.6-7);
g) a defesa do povo de Deus por Jeová nos últimos dias é a mesma dada pelo
Anjo do Senhor no passado (Zc 12.8).

16. Qual das alternativas a seguir não é uma característica do Anjo do Senhor em Zacarias?
a) O Anjo do Senhor possui autoridade sobre todos os anjos.
b) Ele intercede em favor do povo de Deus.
c) Ele assenta-se no lugar de Deus.
d) Não há diferenças entre o Anjo do Senhor e Jeová.
e) Ele defenderá o povo de Deus nos últimos dias.

O exercício investigativo a respeito do Anjo do Senhor justifica-se pela


importância que o Anjo tem na sustentação conjunta de ambos os Testamentos.
Curiosamente, há argumentos para dizer que o Anjo do Senhor é divino. Mas há

49 | LIÇÃO 3 : A PESSOA DE DEUS


também como assever que é um mensageiro. Trata-se de um mistério da fé. E os
debates continuarão até o momento em que veremos o “Senhor do Anjo”.

17. Assinale as alternativas que indicam corretamente o Anjo do Senhor.


a) O Anjo do Senhor é a soma total da deidade.
b) Ele é Deus, o Pai, manifestando-se ao Seu povo do AT.
c) Ele é o Filho de Deus pré-encarnado.
d) Ele proporciona a libertação redentora e proteção ao povo de Deus.
e) Não há indicação de quaisquer distinções dentro da divindade.

OBJETIVO 5 O ESPÍRITO DO SENHOR


Sumariar evidências, a
partir do AT, de que o
Espírito Santo é uma Durante todo o AT, Deus revelou-se de forma a provar ser o Deus vivo. Israel
personalidade única. não estava, portanto, relacionando-se com um Deus ausente, e mesmo invisível (uma
das particularidades do relacionamento que os hebreus do AT tiveram com Deus foi o
caráter sensorial de seus contatos). Israel conhecia a presença continuada da Pessoa de
Deus. Finalmente, a forma última como Deus mostrou-se no AT foi pelo Espírito
Santo. A tendência da teologia contemporânea é de minimizar, e até de negar, a ação do
Espírito Santo no AT. Para os teólogos desta linha de entendimento, as ações que
reconhecemos ser do Espírito Santo não passam de manifestações impessoais do poder
de Deus, desprovidas, portanto, de personalidade. É preciso reconhecer que a Pessoa de
Deus é bastante evidenciada no AT, mas não significa ser Ela a única Pessoa da deidade
no AT. Há evidência suficiente para crermos na atuação no Espírito e em Sua
personalidade inigualável, já no AT.

O Espírito de Deus. O Senhor em ação

Vejamos o testemunho bíblico do poder de Deus sendo operado por intermédio


do Espírito Santo. Em hebraico, o termo para Espírito do Senhor no AT é ruach. Para
entender o que isso significa, comparemos esta palavra com outro termo hebraico
reshamah. Enquanto ruach significa uma respiração forte, reshamah representa uma
respiração normal, silenciosa. Ruach transmite a ideia de movimento, atividade. O
emprego desta palavra para descrever o Espírito Santo tem por finalidade fazer com
que os leitores da Bíblia O reconheçam como Deus em ação. E estas ações do Espírito
de Deus podem ser representadas de diversas formas.

O Espírito de Deus na criação

Em Gn 1.2 lê-se que o Espírito de Deus movia-se sobre as águas. Mover-se é


empregado, também, em Dt 32.11 para descrever a ação de uma águia protegendo
seus filhotes em um ninho. O sentido é que, assim como uma mamãe ave paira sobre
o ninho para produzir vida e ordem, também o Espírito de Deus pairava sobre a
criação, como a origem da vida e da ordem.

50 | TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO


L. Thomas Holdcroft colocou essa verdade nos seguintes termos: “Ele [o
Espírito de Deus] foi comissionado para levar todas as coisas à realização, e a
despertar para a atividade aquilo que estava latente e adormecido”. Leia os seguintes
versículos: Jó 26.13; 33.4; Sl 33.6; 104.30. Eliú também declarou que o Espírito de Deus
sustentou a criação (Jó 34.14-15). O Espírito de Deus é incomparável doador da vida
no universo. A vida humana, a vida dos animais, e mesmo a vida das plantas, devem
origem ao Espírito da Vida, e assim como Ele trouxe vida à existência na Criação,
assim também o Espírito de Deus manterá ativa aquela vida.

18. Qual das alternativas a seguir melhor descreve a atividade do Espírito Santo na criação?
a) O Espírito Santo pairou sobre a criação como fonte de vida e ordem.
b) O Espírito Santo moveu-se sobre as águas.
c) O Espírito Santo usou as palavras que fizeram a criação acontecer.
d) a) e b) estão corretas.

O Espírito de Deus orienta o Seu povo

Uma das atividades desempenhadas pela Espírito Santo é orientar o povo de


Deus. Conta Neemias que o Espírito Santo estava com Israel, enquanto este viajava
através do deserto até a terra prometida (Ne 3.20). No Salmo 143 lemos como Davi
orou para que o Senhor dirigisse seus caminhos (vv.8-10). No v. 10 lemos a seguinte
expressão: “teu bom Espírito”. Ao procurar a orientação de Deus, Davi reconhecia que
o Espírito de Deus seria a fonte da orientação interior.

19. Leia os seguintes versículos e fale como a atividade do Espírito Santo é


mencionada.
a) Ne 9.20: _________________________________________________________
b) Sl 143.10: ________________________________________________________

O Espírito Santo capacita o Povo de Deus

Além de orientar o povo, o Espírito Santo capacita-o para realizar as tarefas


para as quais ele foi convocado. Moisés e os 70 anciãos receberam a plenitude do
Espírito de Deus a fim de servirem como líderes e juízes de Israel (Nm 11.17 e 25).
Moisés conhecia o valor da unção do Espírito Santo! Quando foi-lhe contado a
respeito dessa unção sobre Eldade e Medade, exclamou: “Oxalá que todo o povo do
Senhor fosse profeta, que o Senhor lhe desse o seu espírito!” (v. 29). Os juízes de
Israel, durante os dias caóticos antes do estabelecimento da monarquia, receberam
poder do Espírito de Deus. Otoniel, Gideão, Jefté e Sansão, todos estes receberam
poder do Espírito do Senhor (Jz 3.10; 6.34; 11.29; 13.25).

Saul foi escolhido por Deus para ser o primeiro rei de Israel. Após haver sido
ungido com azeite pelo profeta Samuel, ele foi informado que seria revestido pelo

51 | LIÇÃO 3 : A PESSOA DE DEUS


poder do Espírito Santo (1Sm 10.6 e 10). Saul foi transformado depois dessa
experiência, conforme evidencia sua liderança na invasão dos amonitas. O novo rei,
tornou-se um líder inspirador para os guerreiros de Israel (1Sm 11.6). O que fez com
que a vida de Saul fosse mudada? A presença e o poder do Espírito do Senhor.

Davi também recebeu o poder do Espírito Santo, a fim de tornar-se um rei


eficaz de Israel (1Sm 16.13). No seu Salmo de arrependimento, Davi reconhecia que
tinha necessidade imperiosa do Espírito Santo e que não poderia agir, nem sequer
viver sem Ele (Sl 51.11).

20. Por que Moisés e os 70 anciãos foram ungidos com o Espírito Santo?

21. O que tornou Saul um líder eficiente do povo contra os invasores amonitas?

O Espírito de Deus e os profetas

A maior manifestação da obra do Espírito foi no ministério dos profetas de


Israel. Esses poucos homens selecionados foram ungidos pelo Espírito de Deus para
serem Seus mensageiros ao povo: “suas palavras inspiradas não foram frutos da sua
própria meditação a respeito da conjuntura, para então pronunciarem o seu veredicto.
São o produto de uma atividade divina. São o resultado da obra do Espírito Santo no
coração dos servos de Deus”.

De forma destacada, vejamos como o Espírito de Deus agia na vida e no


ministério de Ezequiel. Primeiro, o Espírito entrou no profeta (Ez 2.2; 3.24); a seguir,
colocou-o em pé (Ez 2.2; 3.24); este mesmo Espírito do Senhor caiu sobre ele (Ez
11.5). Igualmente, o Espírito Santo levantou-o (Ez 3.12,14) e, às vezes, até mesmo
levou-o (3.14) para diferentes lugares (8.3; 11.1. 24; 37.1; 43.5). Podemos acrescentar
à experiência de Ezequiel, a declaração de Miquéias, que atribuía a origem e o poder
da sua mensagem ao Espírito do Senhor (Mq 3.8).

Embora o ministério do Espírito Santo tenha tido amplo alcance no AT, eram
reconhecidas duas limitações distintas. A primeira relativa ao número de pessoas que
receberam o revestimento do poder do Espírito Santo e a outra quanto à duração
daquele revestimento em suas vidas e em seus ministérios. A unção do Espírito Santo
no AT era para pessoas específicas visando tarefas específicas. Era somente como
previsão do futuro que os profetas escreviam a respeito de um derramamento do
Espírito Santo em escala nacional, como, por exemplo, nos versículos familiares da
profecia de Joel (Jl 2.28-29).

52 | TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO


22. Associe as referências bíblicas (esquerda) com sua explicação (direita).
____ a) Mq 3.8 1. O Espírito entrou no profeta
____ b) Ez 2.2 2. O Espírito era a fonte de poder
____ c) Jl 2.28-29 das mensagens dos profetas
3. O Espírito descerá sobre toda
a carne

23. Associe a coluna (direita) com a palavra da coluna (esquerda) que melhor descreve
o trabalho correspondente ao Espírito Santo.
____ a) O Espírito pairava sobre as águas. 1. Orientando
____ b) Moisés e os setenta anciãos. 2. Ungindo
____ c) O Espírito nas jornadas do deserto. 3. Criando
____ d) O ministério dos profetas. 4. Capacitando

A Pessoa do Espírito Santo

Qualquer debate a respeito do Espírito Santo, principalmente no âmbito do AT,


deve incluir considerações a respeito de Sua personalidade – embora não haja no AT
referência alguma ao Espírito como sendo uma pessoa. Em quase todas as
referências do AT o Espírito Santo é retratado como Deus em ação, logo a ênfase
recai sobre Seu poder, e não sobre Sua personalidade. É necessário embasar nosso
entendimento acerca da personalidade do Espírito Santo no AT, na unidade de Deus.
À luz da ameaça constante do paganismo em Israel e dos numerosos surtos de
idolatria, o AT conservou a verdade da unidade de Deus, limitando a revelação dos
aspectos distintos dentro da trindade. Israel adorava um só Deus, e não três. Uma
compreensão da personalidade do Espírito Santo no AT pode ser obtida através dos
seguintes versículos, que mencionam qualidades da pessoa do Espírito Santo (Sua
natureza emotiva): Ele pode entristecer-se (Is 63.10), pois possui uma natureza
moral. Ou seja: o Espírito de Deus não é simplesmente um poder ou uma força, mas
Ele tem qualidades éticas da personalidade. Foi esta a experiência de Miquéias (Mq
3.8), também reconhecida por Davi (Sl 51.11) e por Isaías (Is 63.10,11). Neemias
reconheceu o Espírito de Deus como o ensinador de Israel (Ne 9.20). Noutras
palavras, a comunicação da verdade divina não era simplesmente um processo
mecânico, mas uma comunicação entre pessoas. Por exemplo, Ele orientou os setenta
anciãos de Israel na função de líderes da nação israelita (Nm 11.17).

24. Por que o AT enfatizou a unidade da divindade?

25. Dê três exemplos do Espírito Santo revelando atributos da Sua personalidade no AT.

53 | LIÇÃO 3 : A PESSOA DE DEUS


AUTOTESTE ASSOCIAÇÃO: Faça o que é pedido no grupo de questões.

1. Associe a coluna (esquerda), de acordo com a coluna (direita).


____ a) Antropomorfismo 1. Aquele que luta com Deus
____ b) Teofania 2. O Espírito de Deus
____ c) Israel 3. Redenção próxima a um
____ d) Antropopatismo parente
____ e) Ga’al 4. Aparição visível de Deus
____ f) Ruach 5. Descrições das emoções de
Deus
6. Deus descrito na forma
humana

MÚLTIPLA ESCOLHA: Faça o que é pedido em cada questão.


MÚLTIPLA

2. Assinale cada alternativa correta.


a) Deus caminhando no Jardim do Éden foi exemplo de um antropopatismo.
b) O templo de Ageu era considerado maior do que o templo de Salomão.
c) A nuvem da glória de Deus cobriu o Santo dos Santos com a presença de Deus.
d) Em Gn 12, o Anjo do Senhor identifica-se com o Deus da aliança.
e) Moisés denominou o Anjo do Senhor como o anjo que me redimiu de todo o mal.
f) No livro de Zacarias, o Anjo do Senhor é retratado como assentado no lugar de
Deus.

3. Assinale a única alternativa correta relativa à sentença: De acordo com os escritos


dos profetas, o Espírito Santo...
a) era a fonte e poder da mensagem do profeta.
b) deu aos profetas a oportunidade de expressarem suas próprias tribulações em
razão da condição de Israel.
c) sempre operará em um menor número de crentes.
d) Todas as alternativas anteriores estão incorretas.

4. Assinale a única alternativa correta relativa à sentença: O Espírito Santo é a Pessoa


que pode ser observada pela Sua posse dos seguintes atributos...
a) ele possui o poder de Deus.
b) Ele é um Espírito.
c) Ele possui uma natureza emocional como também uma personalidade ética.
d) Todas as alternativas anteriores estão corretas.

54 | TEOLOGIA DO ANTIGO TESTAMENTO


RESPOSTAS ÀS QUESTÕES DE ESTUDO

1. c) 18. d)

13. d) 7. d)

2. a), d) e e) 19. a) O bom Espírito, ensinador


b) O bom Espírito, orientador
14. a) Gideão
b) Davi 8. c)

3. a) T 20. para orientá-los e capacitá-los a fim de


b) T funcionarem como líderes e juízes de Israel.
c) A
d) A 9. a)

15. a) Julgamento da casa de Eli 21. A presença e o poder do Espírito de Deus.


b) Libertação de Elias, sua fuga de
Jezabel 10. a)
c) Julgamento e libertação da casa
de Israel após o senso de Davi 22. a) 2
d) Libertação de Israel dos b) 1
midianitas através de Gideão
c) 3

4. a) cobertura protetora que Deus


11. obedecê-lo
oferecia à nação.
b) origem do julgamento divino do
23. a) 3
pecado do seu povo.
c) envolvimento do Sinai com a b) 4
majestade da presença de Deus. c) 1
d) envolvimento do Santo dos d) 2
santos com a presença de Deus.
12. c)
16. d)
24. Por causa da ameaça constante do
5. d) paganismo em Israel.

17. c) e d) 25. a) ensinando


b) orientando
6. d) c) ungindo

55 | LIÇÃO 3 : A PESSOA DE DEUS

Interesses relacionados