Você está na página 1de 10

Trabalho de redes 2 – Servidor Web

Relatório do Servidor Web

Aluno: Peterson Rodrigues

Professor: Douglas Bouças

Disciplina Redes 2

Porto Seguro – BA

15/09/2018
Os servidores web são responsáveis por armazenar e trocar informações com
outras máquinas. Por causa disso, pelo menos dois participantes são
envolvidos em cada troca de informações: um cliente, que solicita informações,
e um servidor, que atende a esses pedidos na Internet. Conforme solicitado em
sala de aula, desenvolvemos os servidores no sistema operacional debian 9
stretch.

O primeiro passo após o processo de instalação do sistema utilizou-se o


terminal de execução do próprio sistema, através deles, usaremos os
comandos citados logo a baixo para a instalação do servidor Web.

O comando que permitirá executar o comando é o comando #su este comando


permitira que o usuário entre como administrador do sistema, ou “super
usuário” assim como a definição da sigla, acompanhado da senha do
administrador para acessar o root e começar o processo. Para atualizar o
sistema que provavelmente está defasado devido às atualizações diárias que
existem para o mesmo. Assim usamos os seguintes passos:

mv /etc/apt/sources.list /etc/apt/sources.list.bkp

Após, vamos criar uma nova sources.list, contendo os repositórios


oficiais do Debian Stretch, incluindo os componentes contrib e non-free.
Ainda no terminal, execute:

nano /etc/apt/sources.list

Executando a seguinte linha:

deb http://deb.debian.org/debian/ stable main contrib non-free

# deb-src http://deb.debian.org/debian/ stable main contrib non-free

deb http://deb.debian.org/debian/ stable-updates main contrib non-free

# deb-src http://deb.debian.org/debian/ stable-updates main contrib non-


free

deb http://deb.debian.org/debian-security stable/updates main contrib


non-free

# deb-src http://deb.debian.org/debian-security stable/updates main


contrib non-free

## Debian Stretch Backports

# deb http://ftp.debian.org/debian stretch-backports main contrib non-free


# deb-src http://ftp.debian.org/debian stretch-backports main contrib non-
free

Após salvar esta alteração, executamos no terminal a atualização do sistema


conforme citado logo no texto à cima, usando os seguintes comandos:

# apt-get update
#apt-get upgrade -y
#apt-get dist-upgrade

1 - Instalação do Apache, banco de dados (Mariadb), Php7.0 e


PHPMYADMIN.

#apt install mariadb-client mariadb-server


Após concluir a instalação acessamos o banco de dados usando o seguinte
passo a passo:
1 - Criou um banco de dados,
2 – Cria-se um usuário
3- Da às permissões de administrador para o usuário criado.

#mysql –u root –p
CREATE DATABASE EventosDB;
CREATE USER ‘Peterson’@localhost IDENTIFIED BY ‘1234’;
GRANT ALL privileges ON Eventosdb.* to ‘peterson’@’localhost;
FLUSH PRIVILEGES;
#quit

Instalando o PHP7.0
Para instalar o php basta usar o seguinte comando:
#apt install php7.0 php7.0-mysql

Instalando o PHPMyAdmin
#apt install phpmyadmin
Após seguir os passos de instalação o programa pedira uma será, foi inserida a
mesma senha que utilizou no banco de dados criado, como padrão.
Usuário:root
Senha:1234
Instalação e configuração Apache2

Instalando o Apache2:
Após acessar ao root como super usuário, inseriu-se o comando.
# apt-get install apache2 apache2-utils.

Configuração do Apache após instalação.


Para configurar usa-se o comando:
#nano /etc/apache2/sites-available/Portalif.net foram adicionados:
<VirtualHost *:80>
ServerName portalif.net
DocumentRoot /var/www/cliente
</VirtualHost>

Depois de inserido os dados, salvamos as alterações e reiniciando o apache2


# /etc/init.d/apache2 reload
Foi necessária a instalação do o pacote net-toll para a verificação de IP e
interface de rede.
#apt-get install net-tools

Para verificar se o apache2 foi corretamente instalado, utilizou-se o comando


#netstat –an para confirmar se a porta 80 está escutando.

Após a instalação e checagem do apache2

Após as instalações, o apache2 foi reiniciado.


#service apache2 restart

Confirmando se a instalação está correta:


No Browser, foi realizado acesso em localhost/phpmyadmin e
localhost/index.html, verificando a página inicial do phpmyadmin e do apache.
Configuração do IP fixo da rede

Para criar a área de IP usa-se o seguinte comando:

#ifconfig enp5s0:0 172.25.0.2/28 up

Após usar o comando à cima, vamos acessar a interface para criar deixar
configurada a interface de rede.

# nano /etc/network/interfaces
#configurando a interface enp5s0
auto enp5s0
iface enp5s0 inet static
address 172.25.0.2
network 172.25.0.2
netmask 255.255.255.240
broadcast 172.25.0.2
gateway 172.25.0.1

Após incluir os dados à cima, salvamos as informações, e usamos o seguinte


comando para reiniciar a conexão de rede:
# /etc/init.d/networking restart
Configurando o DNS
Definindo as zonas: # nano /etc/bind/named.conf.local

zone "portalif.net"{
type master;
file "/etc/bind/zonas/db.portalif.net";
};

Instalação do DNS
#apt install bind9 bind9-doc dnsutils

Configurando o DNS
Definindo as zonas:
# nano /etc/bind/named.conf.local

//
// Do any local configuration here
//
// Consider adding the 1918 zones here, if they are not used in your
// organization
//include "/etc/bind/zones.rfc1918";

//converter nomes em endereços


zone "portalif.net"{
type master;
file "/etc/bind/zonas/db.portalif.net";
};
No arquivo #nano / etc/bind/zonas/db.portalif.net
;
; BIND data file for local loopback interface
;
$TTL 604800
@ IN SOA debian9.portalif.net. root.portalif.net. (
3 ; Serial
604800 ; Refresh
86400 ; Retry
2419200 ; Expire
604800 ) ; Negative Cache TTL
;
@ IN NS debian9.portalif.net.
@ IN A 172.25.0.2
ServidorFtp IN A 172.25.0.2
peterson IN A 172.25.0.2
portalif.net IN A 172.25.0.2

Verificando erros
# named-checkzone portalif.net /etc/bind/zonas/db.portalif.net

Após isso vamos resolver o nome:


No arquivo # nano /etc/resolv.conf

# Generated by NetworkManager
domain portalif.net
search portalif.net
nameserver 172.25.0.2
nameserver 127.0.0.1

no arquivo # nano /etc/hosts


127.0.0.1 localhost
127.0.1.1 Peterson
172.25.0.2 portalif.net

# The following lines are desirable for IPv6 capable hosts


::1 localhost ip6-localhost ip6-loopback
ff02::1 ip6-allnodes
ff02::2 ip6-allrouters

Reiniciando o DNS e verificando seu status


root@debian: /etc/apache2/sites-available $ a2ensite portalif.net

root@debian: /etc/apache2/sites-available $ a2dissite portalif.net

root@debian: /etc/apache2/sites-available $ a2ensite portalif.net

root@debian: /etc/apache2/sites-available $ service apache2 reload

root@debian: /var/www /etec $ service bind9 reload

Instalando o FTP
Primeiro verificou-se se a porta 21 está em uso
#netstat –pln | grep 21

Instalação selecionada a opção standalone


#apt-get install proftpd

Configurando a atuação do ftp no servidor pelo editor de texto nano


#nano /etc/proftpd/proftpd.conf
Modificou-se as linhas “ #DefaultRoot ~”, removendo o caracter # tornando –a
executável;
Em IPv6 deixou-se como off
Em “#PassivePorts” removeu-se o caracter # e trocou os valores das portas
por “60000 60005” para deixar cada usuário preso a sua própria /home.
Permiteiu-se login anônimo ao retirar os caracteres ‘#’ do bloco
<Anonymous ~ftp> ... </Anonymous>
No final do arquivo foram inseridos:

RootLogin off
RequireValidShell off
<Limit LOGIN>
DenuGroup !userftp
</Limit>
<IfModule mod-facts.c>
FactsAdvertise off
</IfModule>
AllowForeignAddress on

Criando Grupo e Usuários para o FTP

#addgroup userftp
#adduser renan /bin/false –home /home/renan
# adduseer renan userftp

#adduser webmaster -d /var/www/html/PortalHospedagem -s/bin/false


definiu a senha 1234 pelo comando passwd webmaster
Defini que webmaster seria dono da pasta
# chwon webmaster -R /var/www/html/PortalHospedagem
Reiniciando o FTP
#service proftpd restart

Observações:

Para facilitar a utilização às senhas utilizadas foram todas por padrão 1234.
Aonde necessitava de um administrador para teste como no phpmyadmin
usamos o root como administrador por padrão. O banco de dados que ganhou
o nome por padrão Hospedagem, o usuário posto foi Peterson usando a senha
padrão 1234. No servidor FTP usamos o usuário padrão Renan (nome teste
que acabou ficando para fins acadêmicos).

Referências Bibliograficas

https://www.tecdicas.com. (11 de 06 de 2017). Acesso em 2018 de 10 de 30,


disponível em TecDicas: https://www.tecdicas.com/20/como-criar-um-servidor-
ftp-no-ubuntu-debian

Digital ocean. (1 de 10 de 2018). Acesso em 01 de 09 de 2018, disponível em


www.digitalocean.com: https://www.digitalocean.com/community/tutorials/como-
configurar-apache-virtual-hosts-no-ubuntu-14-04-lts-pt

Servidor Debian Org. (01 de 09 de 2018). Acesso em 2018 de 09 de 01, disponível em


Servidor Debian: https://servidordebian.org/pt/squeeze/config/network/static_ip

Servidor Web com Apache2 – Debian 9. (01 de 09 de 2018). Acesso em 01 de 09 de


2018, disponível em rafael elit wordpress:
https://rafaelit.wordpress.com/2018/01/16/servidor-web-com-apache2-debian-9/

Servidr Debian. (01 de 10 de 2018). Acesso em 2018 de 09 de 01, disponível em


servidordebian.org: https://servidordebian.org/pt/squeeze/intranet/dns/server

Tech Tudo. (01 de 09 de 2018). Acesso em 01 de 09 de 2018, disponível em Tectudo:


https://www.techtudo.com.br/dicas-e-tutoriais/noticia/2012/09/como-usar-o-
filezilla.html
Viva o Linxu. (01 de 09 de 2018). Acesso em 01 de 09 de 2018, disponível em Viva
linux: https://www.vivaolinux.com.br/dica/Servidor-Apache-2-no-Ubuntu-1404-
Erro-404-Resolvido/

vivaolinux.com.br. (01 de 03 de 2018). Acesso em 01 de 10 de 2018, disponível em


Viva o Linux: https://www.vivaolinux.com.br/artigo/Servidor-DNS-Debian9-
stretch

Vlog de ti. (2018 de 09 de 2018). Acesso em 01 de 09 de 2018, disponível em Vlog de


ti: http://www.vlogdeti.com/como-configurar-dns-no-debian-9-stretch/