Você está na página 1de 11

O HOMEM ESPIRITUAL

I – Introdução

Estamos em uma guerra implacável, sórdida, dissimulada, invisível, mas muito


real. De um lado, Satanás e seus exércitos malignos. Do outro, Jesus Cristo
com os seus exércitos celestiais, a batalha se trava na vida de cada ser
humano.

Não sejamos levianos ao desconsiderar que existe uma verdadeira guerra


contra os santos do Altíssimo, pois Deus está chamando Seus filhos para
compor o grupo dos salvos, o grupo dos fiéis remanescentes.

O mundo há de se surpreender com os Homens de Deus, os Elias de Deus,


que revestidos pela Graça Salvadora de Cristo pisarão na cabeça da
serpente! Homens e mulheres que fundiram sua vontade com a vontade
Divina, tendo um caráter impoluto darão a última mensagem de
advertência ao mundo! O mundo não almeja ver nós, mas Cristo em nós! A
esperança da Glória!

II – O Homem Espiritual é Circuncidado por Cristo

a – Os patriarcas hebreus foram instruídos por Deus a se circuncidarem – “Esta


é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência: todo
macho entre vós será circuncidado. Circundareis a carne do vosso prepúcio,
será isso por sinal de aliança entre mim e vós” Gn 17:10,11 – No oitavo dia
todo macho era circuncidado como sinal que pertencia ao povo de Deus.

1
b – Na Nova Aliança não se exigiu dos gentios que se circuncidasse o prepúcio
da sua descendência, conforme decisão do Concílio de Jerusalém em Atos
15:1-29, mas Paulo chama os cristãos para participarem da Circuncisão de
Cristo.

c – A circuncisão de Cristo está baseada no príncipio de cortar algo da vida dos


cristãos, assim como se cortava o prepúcio, Cristo nos corta do despojamento
da corpo da carne. “Nele também fostes circuncidados, não por intermédio de
mãos, mas no despojamento do corpo da carne, que é a circuncisão de
Cristo” Col.2:11. "Necessitamos agora que a espada do Senhor corte a própria
alma e a medula das concupiscências, apetites e paixões carnais. Oxalá ela
penetre e divida em muito maior escala do que já o fez até aqui. Seja abatido
todo orgulho. Seja o que está seguro na carne arrancado do refúgio da mentira
com que tem procurado enganar o povo de Deus. Corte ela do egoísmo, e abra
os olhos aos cegos para que possam ver que não estão perfeitos a vista de
Deus" T.M. p. 414.2

d – Despojamento, I.e., desarmar (como um soldado vencedor fazia com seu


inimigo derrotado) Quando aceitamos a Jesus em nossa vida, Ele despoja o
homem do corpo da carne (corpo do pecado) Rm 6:6, retira do homem a forma
do corpo do pecado. A imagem da serpente é retirada de nós, o arum, i.e. a
imagem e forma da serpente. Ele imputa Sua Justiça em nós, o tselem demult,
i.e. a imagem e forma de Deus.

e – Somos desligados de viver pelas fraquezas da carne degenerada pela lei


do pecado e passamos a viver pelo espírito que dá vida em Cristo Jesus Rm
8:2. Antes estávamos vivendo a vida pela carne que herdamos de nossos pais,
agora viveremos a vida que Jesus nos outorga pelo novo nascimento. “Semeia-
se corpo natural, ressuscita corpo espiritual. Se há corpo natural, há também
corpo espiritual. Pois está escrito: O primeiro homem Adão, foi feito alma
vivente. O último Adão, porém, é espírito vivificante. Mas não é primeiro o
espiritual, e, sim, o natural; depois o espiritual. O primeiro homem, formado da
terra, é terreno; o segundo é do céu. Como foi o primeiro homem, o terreno,
tais são também os demais homens terrenos; e, como é o homem celestial, tais
também os celestiais. E, assim como trouxemos a imagem do que é terreno,
devemos trazer a imagem do celestial”. 1Co. 15: 44-49

2
f – A partir da queda de Adão nós terrenos estávamos desligados do Espírito
Vivificante, Cristo o segundo Adão viveu a vida através do Espírito, trouxe em
seu corpo as fraquezas de uma humanidade degenerada, trouxe a imagem do
terreno, mas foi a imagem do corpo celestial que prevaleceu em sua vida.
Todos nós podemos em Cristo, o Espírito Vivificante, receber uma nova vida e
ter um corpo celestial e ser um Homem Espiritual! Sermos de fato
circuncidados por Cristo! *Obs.- Quando falamos de Homem Espiritual,
expressamos de forma genérica.

III – O Homem Espiritual é liberto da escravidão da lei do pecado pela lei


do Espírito que dá Vida

a – Muitos cristãos tem espelhado suas dificuldades no dilema de Romanos


cap.7:1-23, este capítulo trata de um homem que deseja servir a Deus, mas
não foi libertado da lei do pecado, alguns normalizam suas experiências pelo
fracasso da sedução da serpente, que os instiga a servir a Cristo e ao mesmo
tempo são dominados pela lei do pecado.

b – Paulo neste capítulo expõe de um modo claro “…que a lei é espiritual; eu,
todavia, sou carnal, vendido à escravidão do pecado.” Rm 7:14. A lei é
espiritual = quente, a carne é vendida para o pecado = fria, se nós espelharmos
a nossa experiência em Romanos 7 seremos Mornos, a mistura da carne com
a lei produz cristãos mornos. Isto reflete perfeitamente a experiência de
Laodicéia. “Conheço as tuas obras, que nem é frio nem quente. Quem deras
fosses frio ou quente! Assim porque és morno, e nem és quente nem frio, estou
a ponto de vomitar-te da minha boca;”Ap. 3:15,16.

c – Os cristãos do advento se apegam na lei para sua justificação e o resultado


foi milhões de cristãos mornos, ou seja; uma massa de cristãos que não inspira
ninguém! Por isso a profecia, estou a ponto de vomitar-te da minha boca!

d – Os cristãos de um modo geral refletem a experiência de Rm 7, aceitam o


falso Cristo. Satanás imita o Espírito de Deus, este Jesus que eles adoram é
um espírito maligno, pois toda vez que um cristão diz que serve a Deus e
acaricia um pecado ou mais, por causa deste pecado acariciado o verdadeiro
Jesus não pode estar com ele e assim como a serpente enganou a Eva eles
são também por ela seduzidos.

3
“Mas receio que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia,
assim também sejam corrompidas as vossas mentes, e se apartem da
simplicidade e pureza devidas a Cristo” II Co 11:3.

e – Um pecado acariciado ou mais, estabelece no cristão uma ou mais bases


de operações malignas, os espíritos tem poder sobre este(s). Ele deseja servir
a Deus, mas não pode, pois é escravo da lei do pecado – Escravo não tem
direito de nada – Eles possuem uma mente carnal!

“Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o
que prefiro, e, sim, o que detesto. Ora, se faço o que não quero, consinto com
a lei que é boa. Neste caso, quem faz isto já não sou eu, mas o pecado que
habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é na minha carne, não habita
bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo”

Rm 7: 15-18

Ele quer fazer a vontade Divina, mas não pode, pois é escravo da lei do
pecado. Ele não compreende seu modo de agir, pois é um individuo passivo e
entregue aos espíritos malignos que escolhem por ele, decidem por ele e agem
por ele. Ele se anula, sua personalidade é fraca e se torna uma pessoa
perturbada. Sempre que ele é contrariado fica furioso, se amarga quando não
consegue obedecer a Deus ou quando sua religião é colocada em
desvantagem. Excluem e excomungam as pessoas que desmascaram a sua
religiosidade falsa e hipócrita e destituída de piedade. O teor de piedade destes
é nítido, as pessoas ao redor percebem algo incomum, e o pior é que eles não
compreendem seu modo de agir. Isto é que é pior, a sua insanidade espiritual –
“Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos para
que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a
imagem de Deus” II Co 4:4 . Transformaram-se em lobos vorazes, e as ovelhas
que se submeterem ao seu redil tornar-se-ão lobificados!

f – “Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço.
Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e, sim, o pecado
que habita em mim. Então, ao querer fazer o bem, encontro a lei de que o mal
reside em mim. Porque no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de
Deus; mas vejo nos meus membros outra lei que, guerreando contra a lei da
minha mente, me faz prisioneiro da lei do pecado que está nos meus

4
membros” Rm 7:19-23 – O cristão escravo da lei do pecado deseja fazer o
bem, a justiça de Cristo se torna para ele uma utopia, ele então aceita uma
justiça relativista e um Cristo relativista, que vai completar o que faltou na
parousia (2ª Vinda) – Um tipo de purgatório de um período chamado de piscar
de olhos, aquilo que ele não conseguiu vencer durante toda uma existência
vencerá em um piscar de olhos, esta é a esperança deles, se discordar,
lembre-se, eles se amargam e expulsam vocês do meio deles!.

g – “Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta


morte?” Rm 7:24 – Paulo ilustrou a desventura do crente fracassado, que
infelizmente é o modelo para grande parte do cristianismo, chamando a lei do
pecado de: corpo desta morte. Era comum castigar um homicida amarrando
junto ao seu corpo o corpo do moribundo, e na prisão o homicida clamava:
Quem me livrará do corpo desta morte? E o corpo do moribundo corrompia o
corpo do homicida levando-o para a morte! O quadro era desesperador, o
homicida ansiava pela sua libertação!

Esta experiência de liberdade do corpo desta morte, Paulo experimentou, e isto


encheu o seu coração de alegria, e ele louvou a Deus pela liberdade! Paulo
ficou livre da lei do pecado, do corpo desta morte!

O primeiro passo para a libertação da lei do pecado e das bases de operações


malignas é buscar o Cristo Libertador. “Se, pois, o Filho do homem vos libertar,
verdadeiramente sereis livres” Jo 8:36 .- “Conhecereis a verdade e a verdade
vos libertará” Jo 8:32. “…Todo o que comete pecado é escravo do pecado” Jo
8:34 – “Aquele que pratica o pecado procede do diabo, porque o diabo vive
pecando…” I Jo 3:8

A rota da queda foi primeiramente o engano

(cristãos que refletem a experiência de Rm 7:1-23); depois a passividade; em


seguida, o entrincheiramento; e por fim, mais engano e passividade. Por isso,
para se libertar, ele precisa inicialmente reconhecer o logro. Assim que este é
desfeito, a passividade, o entrincheiramento e os enganos posteriores se
desfarão. O engano abre a porta para os espíritos malignos. A passividade
prepara o terreno para eles permanecerem. O resultado disso é que eles se
entrincheiram na vida do crente. Para desapossá-los, é necessário pôr fim à
passividade. Para isso, é preciso que o crente tenha consciência do engano. Aí

5
entra o conhecimento da verdade. Portanto, conhecer a verdade, é o primeiro
passo em direção à libertação. Só a verdade liberta e a verdade é Jesus! “…Eu
sou o caminho a verdade e a vida…” Jo 14:6

h – Muitos cristãos foram enganados com o evangelho do falso cristo (Rm 7:1-
23) – Neste capítulo Paulo está mostrando o que ele era antes de sua
libertação, e os ministros do pecado que também foram enganados pela
serpente, nos mostram que este é o modelo de cristianismo: O bem que eu
quero fazer não consigo, o mal que não quero este eu faço. Reconhecer que
este não é o evangelho de Jesus Cristo é a verdade que te libertará, pois Cristo
nos transforma em novas criaturas e somos livres para dizer: O bem que eu
quero fazer este eu faço! Amém! Glória a Deus! Aleluia!

i – “Graças a Deus por Jesus Cristo, Nosso senhor. De maneira que eu, de
mim mesmo, com a mente sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne,
da lei do pecado” Rm 7:25 – O homem precisa de Jesus, Aquele que nos livra
de vivermos pela carne, de vivermos pela lei do pecado!

j – Romanos capítulo 8 é o modelo de cristianismo verdadeiro, pois o homem


não sofre nenhuma condenação Rm 8:1, Cristo esta com ele, e pelo Espírito
que dá vida o crente fica livre da lei do pecado “Porque a lei do Espírito da vida
em Cristo Jesus te livrou da lei do pecado e da morte” Rm 8:2 e
conseqüentemente do império das trevas, onde são destruídas as bases de
operações malignas – “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou
para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos
pecados” Col. 1:13,14 – “para lhes abrir os olhos e convertê-los das trevas para
a luz e da potestade de Satanás para Deus, a fim de que recebam eles
remissão de pecados e herança entre os que são santificados pela fé em
mim” At. 26:18 – “Pois outrora éreis trevas, porém agora sois luz no Senhor,
andai como filhos da luz” Ef.5:8

l – Cristo é o Espírito que dá vida e nos liberta do corpo desta morte – “Ele nos
deu vida, estando vós mortos em delitos e pecados, nos quais andastes
outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar,
do espírito que agora opera nos filhos da desobediência” Ef. 2:1,2. “…éramos
por natureza filhos da ira…” Ef. 2:3 – Hoje nos “…assentamos nos lugares
celestiais.” Ef.2:6 – “Vai alta a noite e vem chegando o dia. Deixemos, pois, as
obras das trevas, e revistamo-nos das armas da luz” Rm 13:12.

6
m – Os que seguem o caminho da serpente ensinam que Jesus veio com a
natureza do Adão antes da queda- O Pré-Lapsarianismo, estudemos Rm 8:3 –
Jesus veio na semelhança da carne do pecado e pelo pecado condenou o
pecado na carne. Cristo o Filho de Deus se fez carne (sarx) = natureza afetada
pelo pecado = caída, pecaminosa e habitou entre nós. A palavra semelhança
(Homoiama) do Grego Homós: Homogêneo- cujas partes todas são da mesma
natureza. – “Condenou Deus, na carne (sarx, caída, pecaminosa) condenou
por nunca ter posto a sua máquina de pecar em funcionamento. O epicentro da
mensagem é: Jesus, tendo uma natureza pecaminosa, venceu: então você e
eu também podemos vencer e assentar-se com Ele no seu trono. É isto o que
significa para ti e para mim – trasladação” AT Jones, BCG, 1893, 185.

n – Nós temos carne e Cristo tinha carne, Cristo é um espírito vivificante e nós
não nascemos com este Espírito vivificante, por isso é necessário nascermos
do Espírito e o homem que é nascido do Espírito vence a carne como Jesus
venceu a sua própria carne. Ao recebermos a Jesus, recebemos também o
Espírito Vivificante “Ora o Senhor é o Espírito, e onde está o Espírito do Senhor
aí há liberdade” II Co 3:17

“Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a
carne, mas segundo o Espírito.”

Rm 8:4. A justiça da lei só se cumpre quando o Espírito Vivificante está com o


crente, pois ele deixa de ter uma mente carnal para ter a mente de Cristo, uma
mente espiritual “…nós temos a mente de Cristo” I Co 2:16

A lei é espiritual e o crente ao se libertar da lei do pecado ele se torna um


homem espiritual e os mandamentos de Deus se tornam fáceis de se
cumprir “Este é o amor de Deus, que guardemos os seus mandamentos, e os
seu mandamentos não são pesados (penosos)” I Jo 5:3 – Para o homem carnal
a lei de Deus se torna pesada e impossível de se guardar, mas para o homem
espiritual a lei de Deus é seu prazer e deleite, foi habilitado por Cristo, o
Espírito Vivificante para cumprí-la – “Aqui está a paciência dos santos, os que
guardam os mandamentos de Deus e a fé de Jesus” Ap. 14:12 - Ao possuirmos
a fé de Jesus, somos capacitados a guardar a lei de Deus.

o – Quem vive pela carne, não tem o Espírito de Deus, e se alguém não tem o
Espírito de Cristo, esse tal não é dele, estude Rm 8: 5-9 –“Se , porém Cristo

7
está em vós, o corpo, na verdade, está morto por causa do pecado, mas o
espírito é vida por causa da justiça” Rm 8:10. Quando a pessoa recebe a Cristo
o corpo do pecado fica inerte, morto e os espíritos malignos não tem como
agir. O Espírito que dá vida está com este homem e o seu testemunho se torna
irrefutável! Ele se tornou em um homem de Deus, em um homem Espiritual! Ao
ponto do próprio Espírito de Deus testemunhar que somos filhos de Deus, ver
Rm 8:11-17.

IV – O Homem Espiritual é Livre e Inabalável

a – Existe um equilíbrio entre a possibilidade e a responsabilidade de vencer o


pecado. Uma pertence a Jesus e a outra a nós. A possibilidade está em Jesus ,
a responsabilidade em nós. Responsabilidade significa a habilidade moral de
dar a resposta a sua escolha. Quando escolhemos agir contra o pecado em
nossa vida, Jesus fornece sua poderosa graça. "...sem mim nada podeis fazer"
Jo 15:5 "Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece" Fl 4:13. A
diferença entre todas as coisas e nada está em unirmos a Cristo. Com o
objetivo de que a vontade humana realize seu santo propósito e forme o
caráter, deve ser submetida completamente a Deus e a Cristo (4 T, 215; LA,
213; MD, 62) – Cristo amalgama a vontade do homem com a vontade de Deus
sem violência nem compulsão. (MM, 1953, 675) – Assim a vontade de Deus
chega a converter-se em vontade do homem (KJ, 153, 154; I ME, 338; 7 BC,
909)“Colaborando a vontade do homem com a vontade de Deus, ela se torna
onipotente. Tudo que deve ser feito a Seu mando pode ser cumprido por Seu
poder. Todas as Suas ordens são promessas habilitadoras” PJ, 333 – Cristo
deve ter o governo total da vontade do homem (5T, 219) Elias não somente
disse que não iria chover, porém ordenou, assim também com o filho de Acabe,
Acazias, Elias disse: a cama que você subiu você não desce mais e
certamente morrerás! Elias ordenou a morte de Acazias e ele morreu (II Rs
1:16), a vontade de Deus se fundiu com a vontade de Elias.

b – Deus pede ao homem que lhe entregue a sua vontade (Pv 23:26, MJ,
m152,153) Esta entrega de nossa vontade a Deus é necessária (2 ME, 212) Ao
render a Cristo sua vontade, o homem se alia com o poder Divino (CB,
230,231)

c – Os homens de Deus são como os Montes de Sião, não se abalam com


nada! “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no

8
dia mau, e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis” Ef. 6:13 –
“Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual
sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor, porque o
nosso Deus é fogo consumidor” Hb 12:28,29.

“Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova dentro em mim um espírito


inabalável”Sl. 51:10

“O Salvador venceu para mostrar ao homem como o homem pode vencer.” “O


homem precisa trabalhar com seu poder humano, ajudado pelo poder divino de
Cristo, para resistir e conquistar a qualquer custo para si mesmo. Em suma, ele
deve vencer como Cristo venceu… O homem deve fazer sua parte; deve ser
vitorioso de sua própria conta, através da força e graça que Cristo lhe
dá.” Testimonies, vol. 4, pág. 32, 33.

Cristo prometeu tornar os homens vencedores; Ele “garantiu” isto. Não foi
tarefa fácil; mas a obra de expiação não foi terminada até e a não ser que
Jesus a fizesse. E assim Cristo perseverou até que Sua tarefa fosse feita. Da
última geração, na mais fraca das fracas, Cristo escolhe um grupo [os
Remanescentes] com o qual fazer a demonstração que o homem pode vencer
como Cristo venceu.

Nos 144.000 Cristo permanecerá justificado e glorificado. Eles provam que é


possível para o homem viver uma vida agradando a Deus sob todas as
condições, e que os homens podem finalmente ficar de pé “à vista de um Deus
santo sem um intercessor [é agora na luta de Jacó].” O Grande Conflito, pág.
614.

O testemunho é dado então a eles, “Eles são os escolhidos, co-herdeiros com


Cristo na grande firma do céu. Eles venceram, como Jesus venceu.” Mss.
28.11.1897. Para nós vem o convite, “Agora, enquanto nosso Sumo Sacerdote
está fazendo a expiação por nós, devemos buscar tornar-nos perfeitos em
Cristo.” O Grande Conflito, pág. 623.

V – Conclusão

a – “Pela fé , Enoque foi trasladado para não ver a morte” Hb 11:5 – “Indo eles
andando e falando, de repente um carro de fogo, com cavalos de fogo, os

9
separou um do outro, e Elias subiu ao céu num redemoinho” II Rs. 2:11. Deus
terá milhares de Enoques e Elias que serão trasladados sem ver a morte,
homens espirituais, “…uma igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa
semelhante, mas santa e irrepreensível” Ef. 5:27

b – Deus está nos chamando para vivermos pelo Espírito que dá vida, não
vivermos a vida bios, a vida da subsistência, a vida do psiquê
(natural/animada), mas a vida zoe (vida elevada, espiritual) a vida através do
Espírito, sermos homens livres e não escravos da lei do pecado, da
passividade, da mente carnal controlada pelos espíritos malignos.

c – Em Cristo somos mais que vencedores “…eles pois venceram, pois


lavaram e embranqueceram as suas vestes no sangue do Cordeiro” Ap. 7:14 –
“Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do testemunho; não
amaram as suas vidas até a morte”Ap. 12:11.

VI – Apelo:

a – Só somos cristãos se formos totalmente! “Nem todo o me diz Senhor,


Senhor, entrará no reino do Céu, mas aquele que faz a vontade de meu Pai
que está no Céu.” Mt. 7:21

b – A vontade humana é soberana, se você decide ir a Jesus e abandonar o


pecado, se você ama a verdade no íntimo, você será livre para servir a Cristo!
Se escolhermos a liberdade, vamos experimentá-la! “Eis que estou a porta e
bato. Se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com
ele cearei, e ele comigo” Ap. 3:20

c – “Eis que cedo venho! A minha recompensa está comigo, para dar a cada
um segundo a sua obra” Ap. 22:12 Em breve Jesus voltará e levará os santos
do Altíssimo para a eternidade, Cristo o esposo da noiva não se unirá com uma
mulher impura, não entrará em jugo desigual, mas fará as bodas com uma
igreja pura! – “Porque zelo por vós com zelo de Deus, visto que vos tenho
preparado para vos apresentar como virgem pura a um só esposo, que é
Cristo.” II Co 11:2.

Um forte abraço

Com carinho Pr. Osvair Munhoz – contatos: osvairmunhoz@gmail.com

10
11