Você está na página 1de 28

14 dicas avançadas de redes sociais

Descubra como otimizar suas ações no Facebook,


Instagram, LinkedIn e outras redes para gerar resultados
para sua empresa
Introdução
O Brasil é um dos países onde mais se passa tempo nas redes sociais. Mais do que servir
como um meio de interação social, as redes sociais também já são um canal eficiente
para os negócios, e cada vez mais empresas se dão conta disso.

Mas, para muitas delas, o simples fato de estar presente nas redes sociais já não é mais
suficiente; é preciso ir além e otimizar a presença de forma estratégica, utilizando o
máximo de recursos que elas oferecem ao seu favor.

Por isso, é preciso estar antenado às novidades que as redes sociais frequentemente
apresentam, já que muitas delas podem ajudar o seu negócio a ser cada vez mais certeiro
para encontrar seu público-alvo, gerar Leads, relacionar-se com eles e até mesmo gerar
vendas.

Por isso, reunimos neste eBook algumas dicas avançadas para quem quer melhorar seu
desempenho nas principais redes sociais. Entre elas, estão hacks para você melhorar a
velocidade de carregamento das suas postagens, gerar Leads com mais facilidade,
segmentar cada vez mais sua audiência e criar mais possibilidades de engajamento.

Boa leitura!
Sumário

Melhore seu desempenho nas redes sociais aplicando estas


dicas avançadas em sua estratégia!
1. Instale o Facebook Instant Articles para suas
postagens carregarem mais rapidamente dentro da
rede social
Se você já abriu algum post pelo aplicativo para dispositivos móveis
do Facebook, provavelmente já utilizou o formato Instant Articles.
A tradução literal é “artigos instantâneos”. De fato, o nome cumpre a promessa, pois são
links que abrem na hora em seu celular, como se você não tivesse saído do Facebook.

E é isso mesmo: você não sai do Facebook.

Um Instant Article é um documento HTML5 que é carregado rapidamente dentro do


próprio aplicativo, sem levar o usuário para o site da empresa.

Talvez aqui você se pergunte: mas isso não prejudica as minhas métricas? Calma, já
vamos chegar lá, mais abaixo falamos disso. 🙂

Com o Instant Articles, a página tem um formato pré-definido pelo Facebook, mas
exibe o mesmo conteúdo.

Um Instant Article é caracterizado com um pequeno símbolo de raio abaixo do título no


link. Na imagem abaixo há um exemplo:
No Brasil, os Instant Articles chegaram no final de 2015. Além da Resultados Digitais,
várias outras páginas usam os Instant Articles em suas publicações, como Buzzfeed,
BBC, Mashable, The Guardian, Exame e mais.

A maior vantagem de usar Instant Article em seu site é que ele é muito mais rápido para
carregar, e oferece uma experiência bem melhor para o usuário.

Faça um teste. Abra um artigo com e outro sem Instant Article e perceba a diferença na
velocidade. Por estar hospedado dentro do Facebook, não há como não ser mais rápido.
Isso por si só já é um grande benefício para seu site.

Colocando as vantagens em números, temos alguns dados do próprio Facebook,


mostrando que os Instant Articles possuem:

 Carregamento 10 vezes mais rápido;

 Média de leitura de textos aumenta em 20%;

 70% menos chances de o usuário abandonar o artigo;

 30% mais chances de o usuário compartilhar o artigo;


 Vídeos que tocam automaticamente (autoplay);

 Facilidade de dar zoom em imagens.

Uma dúvida muito comum de quem pensa em instalar o Instant Articles é a análise.
Consigo ter a mesma profundidade de análise do que os posts normais? Perco dados
pelo fato de que esse formato não leva os usuários para o meu site e sim os deixa no
Facebook?

Com a configuração correta do plugin citado acima, é possível analisar sim todo o
tráfego dos Instant Articles em seu site no Google Analytics.

Há uma forma bem simples de fazer isso.

Para saber quanto do seu tráfego tem origem nos Instant Articles, siga o caminho
Aquisição -> Todo o tráfego -> Origem/mídia. Preste atenção na origem “Instant
Article”.

Clique nessa origem e, na próxima tela, selecione a dimensão secundária “página de


destino”. O relatório vai ser desdobrado e mostrará os resultados por páginas de seu site.

E então? Vale a pena usar o Instant Articles?

A nossa experiência com os Instant Articles tem sido muito satisfatória, principalmente
porque esse formato de conteúdo foca, antes de mais nada, no usuário.

O que é muito falado é em relação às conversões. Algumas empresas acabam sofrendo


com isso e tendo menos conversões do que em suas páginas.

Isso porque o formato não permite o uso de banners, como muitos sites usam. Nesse
caso, o único meio de conversão é a criação de CTAs em texto.

Mas você pode também usar os CTAs nativos do Instant Articles.

Há 3 tipos:

 CTA para curtir a página


 CTA para baixar um aplicativo

 CTA para cadastro de email

No nosso caso, escolhemos o CTA para cadastro de email, que é o que mais faz sentido
para o nosso negócio.

Dessa forma, você pode continuar gerando conversões e melhorar ainda mais a
experiência do usuário em seu site.

Para aprender a instalar o Facebook Instant Articles, veja nosso tutorial.

2. Utilize o aplicativo Creator para produzir vídeos


para o Facebook com mais facilidade
Não é novidade que o Facebook tem apostado muito no formato de
vídeo. E os investimentos continuam.
Em novembro de 2017, a companhia lançou o Creator, um novo aplicativo para
produtores de vídeo melhorarem seus conteúdos com gráficos, ferramentas de interação
e informações úteis para análise.

Além disso, também colocou no ar o Facebook for Creators, um site com dicas para
ser bem-sucedido com o formato audiovisual no Facebook.

O Facebook diz entender que cada criador tem uma necessidade específica. “Estamos
comprometidos a ajudá-los em suas jornadas enquanto eles crescem e encontram suas
comunidades”, diz o comunicado, que é assinado pelo product manager Chris Hatfield.

Criadores ao redor do mundo estão compartilhando vídeos no Facebook para


construírem uma comunidade ao redor de suas paixões — seja comédia, esquetes,
receitas favoritas ou mesmo tricotar um suéter. No Facebook, esses criadores podem se
conectar com mais de dois bilhões de fãs em potencial e colaboradores, conhecer suas
comunidades, conversar diretamente com fãs ao vivo e monetizar produtos por meio de
branded content.

O aplicativo Creator ajuda na criação de vídeos, na transmissão ao vivo, dentre outras


funcionalidades.

Conheça algumas das possibilidades:

 Live Creative Kit

Permite acessar ferramentas que tornam mais fácil a criação de transmissões ao vivo.

Criadores podem adicionar aberturas e conclusões às suas transmissões, stickers


interativos e molduras gráficas.
A ideia é criar um visual mais consistente, que combine com a pessoa ou empresa que
produz o vídeo.

 Community Tab

É uma aba que serve para se conectar com fãs e colaboradores a partir de uma caixa de
entrada unificada, que centraliza comentários do Instagram e do Facebook, além de
mensagens do Messenger.

 Camera & Stories

Permite usar efeitos divertidos de câmera e molduras para outras plataformas. Também
é possível acessar o Facebook Stories para engajar com seus fãs.

 Insights

Dá acesso fácil a métricas para embasar a produção de conteúdo, incluindo números


sobre sua página, seus vídeos e seus fãs.

Como falamos acima, o Facebook lançou simultaneamente um novo site para criadores
de vídeo: o Facebook for Creators serve para encontrar dicas de como gravar bons
vídeos, conectar-se com fãs e crescer na rede social.

De acordo com a empresa, se você faz vídeos, com o Facebook poderá:

 Aprender habilidades e técnicas que vão fazer seu conteúdo brilhar;

 Encontrar respostas para questões comuns a criadores de vídeos;

 Participar da comunidade para ter acesso antecipado a novas ferramentas.

Para participar, é preciso inscrever-se com o login do Facebook aqui.


O Creator representa um grande investimento da empresa no formato de vídeo. Também
é uma forma de estimular o uso do Facebook Watch, a plataforma de vídeos lançada
pela companhia em agosto de 2017.

Por enquanto, o aplicativo está disponível somente para iOS. A ideia é lançá-lo para
usuários de Android também nos próximos meses. O Creator é aberto tanto para páginas
quanto perfis, e pode ser baixado na Apple App Store.

3. Use o Facebooks Lead Ads para gerar Leads sem


que o usuário saia da rede social
Lead Ads é uma funcionalidade do Facebook Ads para gerar Leads
com mídia paga sem que o usuário impactado pelo anúncio saia da
rede social, facilitando a sua conversão e a sua experiência do usuário.
Em uma campanha tradicional de geração de Leads, é criado um anúncio (seja ele
desktop ou mobile) e, ao ser impactado, o usuário clica no banner e é direcionado a uma
Landing Page fora do Facebook, na qual preenche informações em troca de algum
produto ou serviço.

Já no Lead Ads, quando o usuário clica no anúncio, aparece um formulário que vem
previamente preenchido com suas informações públicas do Facebook, como nome e
email, dentro da própria plataforma, para que o usuário converta em poucos cliques.

É uma funcionalidade que facilita muito as conversões mobile, já que, neste último
caso, a digitação é menos amigável que em desktop, melhorando muito a experiência do
Lead com sua empresa.

Podemos listar algumas vantagens e desvantagens do Lead Ads em relação às


campanhas de geração de Leads com Landing Pages.

Vantagens

 Números exatos nos relatórios do Facebook: em campanhas nas quais você escolhe
como objetivo Conversões no website, mesmo com os pixels bem instalados em sua
Landing Page e na sua página de agradecimento, o número na coluna de Resultados no
gerenciador de anúncios dificilmente bate com o número de emails coletados pela sua
Landing Page. No caso do Lead Ads, o número do Resultados será exatamente a
quantidade dos Leads que estão no banco de dados do Facebook.

 Melhor usabilidade do cliente: com o Lead Ads você permite a conversão dos potenciais
clientes de uma forma muito mais amigável, com menos cliques necessários e campos
previamente preenchidos, sem sair do contexto da rede social onde ele está navegando.

 Campos personalizados: assim como nas Landing Pages, você pode colocar até três
campos personalizados, além do nome e email. Já existem alguns campos diferenciados,
mas você pode criar campos da sua maneira.
 Integrações com outros softwares: por meio das APIs do Facebook, é possível criar
integrações com o RD Station, por exemplo.

Desvantagens

 Campos personalizados limitados: apesar de os campos personalizados serem uma


vantagem, por outro lado o limite é uma desvantagem. Em materiais mais fundo de funil, é
comum termos mais campos, e não é possível ter mais de três campos no Lead Ads.

 Limitação no design do anúncio: para contextualizar o usuário sobre seu anúncio existe
o Cartão de contexto, uma janela opcional anterior à do formulário para descrever a
oferta. Esse cartão possui pouca flexibilidade de design e composição visual.

 Apenas para feed de notícias: na escolha dos posicionamentos para a exibição dos
anúncios, a única possibilidade é em news feed em desktop e mobile. Não é possível fazer
na lateral direita.

 Edição de formulários salvos: uma das grandes reclamações de quem cria Lead Ads é a
impossibilidade de editar o formulário depois de salvo. Caso você queira alterá-lo, a única
maneira é duplicar e editar a duplicata.

Descubra aqui como criar uma campanha para Lead Ads.

4. Utilize a otimização dinâmica de idioma para


agilizar a produção de anúncios em diferentes idiomas
Anunciantes querem se comunicar com pessoas de outros países na
língua materna, mas isso pode ser difícil, pois uma campanha para
amantes de futebol nos Estados Unidos feita por uma empresa da
Espanha, por exemplo, precisaria ser feita duas vezes — em espanhol
e em inglês.
Antes, o anunciante precisaria criar duas versões por causa dos dois idiomas. Agora, por
meio da ferramenta de otimização de linguagem dinâmica, empresas podem configurar
uma única campanha para que apareça com textos diferentes.

O Facebook mostrará a versão correspondente para cada pessoa de acordo com o idioma
definido em seus perfis pessoais.
5. Crie “audiência similares para outros países” e
“público-alvo em diversas cidades” para expandir seu
alcance
Em 2016, o Facebook liberou a possibilidade de empresas definirem
uma audiência e encontrarem um público-alvo parecido. No entanto,
era preciso repetir o processo para cada país desejado.
Contudo, recentemente o Facebook eliminou a necessidade de fazer essa ação, que
podia ser bem entediante. Ela foi substituída pela possibilidade de criar audiências
similares de uma vez só para diversos países.
Quando se trata de fazer anúncios para outras cidades, muitas empresas não sabem
como especificar em quais querem anunciar; a única ideia que têm é o tamanho da
cidade.

Agora, por meio da ferramenta que chama de multicity targeting, o Facebook permite
especificar a população mínima e máxima das cidades que uma empresa quer atingir,
incluindo cidades que se encaixam nesse parâmetro automaticamente.
6. Use o localizador de audiência internacional para
saber qual é o potencial do seu negócio em outros
países
As ferramentas acima são boas para empresas que têm pelo menos
uma ideia da audiência internacional que procuram impactar. Mas
alguns negócios ainda não têm isso tão claro, por mais básico que seja.
A ideia do Facebook para solucionar o problema é o Cross Border Insights Finder,
uma ferramenta que serve para comparar dados de campanhas feitas em diferentes
países e explorar novas oportunidades. Por meio dele, é possível escolher um país em
que você já anuncia e determinar objetivos de campanha e segmento de negócio.

A ferramenta, então, mostra uma lista de países nos quais anunciantes similares
obtiveram sucesso. É possível comparar sua campanha com a deles em até 11 países
diferentes.
7. Use o Facebook Ads Manager for Excel para baixar
os dados de contas de anúncios para planilhas do Excel
de forma fácil
Anunciantes frequentemente utilizam o Excel para gerenciar seus
relatórios e avaliar a performance das campanhas. Mas exportar dados
de várias contas do Facebook Ads para uma planilha do Excel é uma
tarefa que demanda esforço e tempo.
Para tornar o processo mais fácil, o Facebook lançou uma extensão para o Excel que
permite simplificar a exportação de dados e os relatórios de campanhas.

O Facebook Ads Manager for Excel (que tem sido abreviado como FAME) permite
baixar os dados de contas de anúncios para planilhas do Excel com o clique de um
botão.

O que o FAME possibilita:

 baixar dados de performance de contas de anúncio diretamente no Excel;

 criar um relatório único para baixar dados de anúncios de várias contas;

 criar e salvar templates customizados ou usar um dos templates pré-definidos;

 atualizar os dados com rapidez.

A ferramenta está disponível gratuitamente para download na Microsoft Office Store.

Veja aqui um passo a passo de como utilizá-la.

8.Creative Hub: crie anúncios para celular


Desde 29 de novembro de 2016, o Creative Hub, ferramenta que
permite criar anúncios para celular, está disponível para toda a
comunidade de anunciantes e profissionais de marketing.
De acordo com o comunicado do Facebook, a ferramenta foi testada por mais de 30
agências de publicidade “para construir uma experiência revolucionária que agora está
pronta para toda a indústria”.

Segundo o Facebook, o celular ainda é um meio relativamente novo para anúncios, com
formatos e melhores práticas que estão evoluindo rapidamente.

“Também sabemos que as pessoas consomem conteúdo no celular de maneiras


fundamentalmente diferentes do que fazem em outras mídias. Dos 111 milhões de
brasileiros que acessam o Facebook, mais de 90% o fazem via dispositivos móveis”,
apontou a companhia no comunicado.

Essa seria a justificativa para o lançamento do Creative Hub, que, de acordo com o
Facebook, foi desenvolvido em resposta às necessidades da comunidade criativa, que
precisava de uma ferramenta para experimentar a criação de conteúdo no Facebook e no
Instagram.

Isso inclui a experimentação de novos formatos, visualização de ideias em telas móveis,


colaboração interna e compartilhamento de esboços com o cliente.

O Facebook destacou três possibilidades oferecidas pelo Creative Hub:

1. Procurar inspiração

No site, está disponível uma galeria de inspirações com exemplos de anúncios


apropriados para o Facebook e para o Instagram que foram criados por outras marcas e
agências utilizando os formatos criativos do Creative Hub.

As amostras incluem:

 Canvas;

 Vídeos;

 Vídeos 360;

 Apresentações Multimídia;

 Carrossel;
 Imagem.

2. Criar e testar

O anunciante pode ver quais formatos estão disponíveis para decidir o que funciona
melhor para sua campanha.

Já a ferramenta de pré-visualização permite criar anúncios em todos os formatos


disponíveis para Facebook e Instagram. Para acessar, é preciso ter uma conta de usuário
do Facebook.

Também é possível salvar mockups, retornando a eles mais tarde, ou, caso a agência
possua uma conta de gerenciador de negócios, criar projetos colaborativos
compartilhados com a equipe.

3. Ver o trabalho em ação

De acordo com o Facebook, é importante ver o anúncio no ambiente em que o público o


vê. Depois de criar os mockups, é possível pré-visualizar seu anúncio como se estivesse
em um feed de notícias do Facebook ou do Instagram.

O Creative Hub permite ainda a criação de uma URL para enviar os materiais para
outras pessoas do time ou clientes para que eles também possam ver o anúncio rodando
em um ambiente de feed para celular.

Instagram
9. Instagram for Business: mais possibilidades para seu
negócio
Há algum tempo empresas têm utilizado o Instagram como forma de
ganhar audiência e de se conectar com seu público, sem muito retorno
de como seu conteúdo performa. Mas, agora, poderão descobrir muito
além de métricas como curtidas e visualizações.
Em junho de 2017, o Instagram anunciou o lançamento de uma ferramenta voltada
para empresas. Batizada de Instagram for Business, a ferramenta inclui novos perfis de
negócios, métricas e a possibilidade de criar anúncios diretamente dentro do aplicativo.
A companhia, que foi comprada pelo Facebook em 2012, entrevistou centenas de
empresas para entender o que era preciso para melhorar a experiência delas no
Instagram. Depois dessa consulta, três elementos ficaram claros: primeiro, descobriu-se
que as empresas desejam se sobressair no Instagram; segundamente, que precisam de
mais informações sobre sua performance após a publicação; por fim, que querem atingir
mais pessoas.

Com essas três ideias em mente, o Instagram desenvolveu as seguintes ferramentas:

 Business profiles

Business profiles é uma ferramenta gratuita para empresas que desejam ser
reconhecidas como tal no Instagram.

Utilizando a ferramenta, as empresas podem escolher como querem que seus clientes
entrem em contato – por email, telefone ou mensagem – clicando no botão de contato,
que aparecerá ao lado do botão de seguir. Também é possível ver o endereço da
empresa. O Business profiles também desbloqueia acesso a métricas e a possibilidade
de promover posts.

Os perfis de empresa só serão abertos a quem já tem uma página de empresa no


Facebook. De acordo com o Instagram, isso permite utilizar as credenciais de
pagamento do Facebook, além de reaproveitar informações de endereço, número de
telefone e website.

 Insights

Insights no Instagram dão aos negócios informações sobre quem os segue e quais posts
performam melhor do que outros – tudo de dentro do aplicativo móvel. Ao aprender
sobre o comportamento e os dados demográficos da sua audiência, você pode criar
conteúdo mais relevante.

Nos insights, serão mostradas métricas como top posts, alcance, impressões e
engajamento, assim como mais dados sobre seus seguidores, como gênero, idade e
localização – mostrada até a cidade. Mostrará também o horário em que seus seguidores
mais utilizam o Instagram.

 Promoção
Essa ferramenta permite que você transforme posts que performaram bem em anúncios
diretamente de dentro do aplicativo. Escolha um post que você já publicou e adicione
um botão encorajando a audiência a interagir. Você pode selecionar um público alvo ou
deixar que o Instagram o faça. Depois disso, o post será promovido pelo período de
tempo que você definir.

O foco do Instagram for Business é para empresas e comércios locais. Sendo assim, a
empresa informou que blogueiros e youtubers não terão acesso à plataforma, pois
contatos pessoais seriam compartilhados com o público.

Portanto, para ter acesso à novidade, é preciso que sua empresa tenha uma fan page no
Facebook conectada a um perfil no Instagram com, ao menos, 100 seguidores.

Para solicitar a conta corporativa, basta ir ao menu de configurações no Instagram, tocar


no ícone referente ao perfil empresarial e preencher os formulários.

10. Crie stories para gerar mais engajamento e Leads


O Instagram Stories é uma ferramenta muito prática para manter a sua
marca em evidência. Da mesma forma que as pessoas mostram seu
cotidiano, você pode fazer o mesmo com a sua empresa. Apresente
novidades, mostre a rotina da sua equipe e interaja com os seguidores.
Caso o perfil seja verificado, é possível incluir links nos Stories. Dessa forma, você
pode oferecer informações complementares sobre a imagem em seu blog, por exemplo.
Pode ainda linkar diretamente para Landing Pages, facilitando a geração de Leads.

O formato ideal é de 1080×1920 pixels, um espaço suficiente para transmitir


informações e, ainda, convidar o seguidor a continuar a conversa no seu site. Lembre-se
de oferecer conteúdo, não focando apenas na conversão: o Instagram é uma rede social
de diversão e relaxamento, portanto pede leveza.
Para postar nos Stories, basta clicar no ícone de máquina fotográfica que aparece no
canto superior esquerdo na tela principal do Instagram. Depois de tirar uma foto ou
fazer o upload de uma imagem previamente salva, os links podem ser inseridos em um
ícone representando dois elos de corrente no topo da tela – caso a opção esteja
disponível.

Vale a pena deixar claro que é preciso arrastar a tela para ter acesso ao link, já que os
seus seguidores podem não estar habituados a fazê-lo. Os Stories continuam sendo
apagados após 24 horas, mas agora é possível mantê-los indefinidamente na tela
principal do seu perfil – basta clicar no botão “Destacar”, após a publicação.

LinkedIn
11. Amplie as opções de segmentação de anúncios com
o LinkedIn Matched Audiences
O Matched Audiences é uma solução que oferece opções de
segmentações similares às disponíveis no Facebook, Google, Twitter,
Pinterest e outras plataformas, que permitem que os profissionais de
marketing segmentem os anúncios com base em endereços de email
ou sites visitados (retargeting).
Para não dizer que é mais do mesmo, podemos ressaltar a diferença entre o LinkedIn e
as outras redes de anúncios. Como o LinkedIn é uma rede profissional, os anúncios
aparecem para pessoas que estão exclusivamente em busca de negócios, uma bela
alternativa principalmente para o mercado B2B.

Além disso, como o LinkedIn considera os endereços de email primários e secundários


anexados aos perfis das pessoas — um dos quais pode ser seu email pessoal e o outro
seu email de trabalho — há uma maior probabilidade de atingir o público-alvo.

Com essa solução, os anunciantes podem criar uma super segmentação, uma vez que o
Match Audience pode ser combinado com as segmentações tradicionais do LinkedIn,
como localização, cargo, gênero, idade e outras.

O Matched Audience possui 3 tipos de direcionamento:

 Website Retargeting: para mostrar conteúdo patrocinado para pessoas que visitaram
determinadas páginas de seu site;

 Contact Targeting: para alcançar pessoas com base em uma lista de emails que pode ser
importada;

 Account Targeting: para alcançar pessoas com base na empresa em que trabalham.
Para usar a ferramenta, clique no canto superior direito da plataforma de anúncios do
LinkedIn e selecione a opção Matched Audiences (em português está “Segmentos de
Site”).

Nessa aba, você pode criar um público para fazer retargeting ou fazer o upload de uma
lista de contatos.

Para saber um pouco mais, confira o manual de implementação do Matched


Audiences, divulgado pelo próprio LinkedIn.

12. Gere Leads sem formulário com o LinkedIn Lead


Gen Form
Recentemente, o LinkedIn lançou numa nova solução de marketing:
os formulários de geração de Leads.
De acordo com o comunicado no blog da rede social, o LinkedIn Lead Gen Forms,
como foi nomeado, torna mais fácil a coleta de informações dos 500 milhões de
profissionais, influenciadores e tomadores de decisão que utilizam a plataforma.

Como diz o LinkedIn, a mudança ajudará empresas a conseguirem mais Leads


qualificados para suas campanhas pagas porque removerá a principal barreira de
conversão em dispositivos móveis — que, segundo a empresa, é fazer alguém completar
um formulário em um smartphone.

Isso porque, quando usuários clicarem em um dos anúncios da empresa, o formulário


poderá ser preenchido automaticamente com as informações dos seus perfis na rede
social, sem a necessidade de digitá-los.

Segundo Divye Khilnan, product manager do LinkedIn, “para muitos profissionais de


marketing, coletar Leads é difícil. Nos dispositivos móveis, mais ainda. Isso porque a
maioria das pessoas não quer completar um formulário no site móvel de uma empresa
para acessar um conteúdo. Pense: quando foi a última vez que você ficou empolgado
para preencher um formulário no seu celular?”

Uma vez que o Lead envia o formulário preenchido, você pode ter acesso a informações
como nome, contato, nome da empresa, cargo, dentre outras.
Como a informação é proveniente das informações do usuário na rede social,
geralmente é mais precisa e completa do que aquela obtida em formulários tradicionais,
onde as pessoas podem fornecer dados falsos ou parciais.

Depois do formulário, você pode direcionar o usuário para uma Thank You Page que o
conecta com seu conteúdo ou o envia para seu site.

Leia também o post Como fazer anúncios no LinkedIn.

Possibilidades do LinkedIn Lead Gen Forms

Ultrapassar objetivos de geração de Leads

De acordo com o LinkedIn, 90% das 50 empresas que utilizaram um teste da ferramenta
de geração de Leads bateram suas metas de custo por Lead. Além disso, viram diminuir
o custo por Lead em comparação com o padrão de outras campanhas de mídia paga.

No entanto, segundo a companhia, é na qualidade dos Leads gerados que as empresas


veem mais valor. “A audiência profissional do LinkedIn e os dados acurados dos perfis
os ajuda a coletar Leads mais propensos a se tornarem em oportunidades de venda”, diz
o comunicado.

Medir o ROI

As ferramentas de report no gerenciador de campanhas do LinkedIn seguem métricas


como o já mencionado custo por Lead, taxa de preenchimento do formulário e outros
dados importantes para medir quanto retorno você obtém do seu investimento em
anúncios.

Em um futuro próximo, o LinkedIn pretende incluir relatórios demográficos, que


mostram qual o número exato de Leads vindos de determinados segmentos da
audiência.

Gerenciar Leads

Com a ferramenta também é possível baixar listas de Leads do gerenciador de


campanhas ou sincronizar Leads com a plataforma de automação de marketing ou
CRM de sua escolha, utilizando integrações com Zapier, Marketo dentre outros.

Para começar a utilizar os formulários de geração de Leads do LinkedIn, é preciso ir até


o Campaign Manager e criar uma nova campanha paga no LinkedIn.

Até o momento, a possibilidade de usá-los em campanhas de mídia paga só existe na


versão para dispositivos móveis, mas a companhia diz planejar expandi-la para o
desktop nos próximos meses.

Análise e otimização para redes sociais


13. Acompanhe as métricas certas para cada etapa do
funil de vendas nas redes sociais
Algumas empresas já vêm utilizando as redes sociais para gerar
negócios, porém muitas delas acabam definindo métricas que não
medem efetivamente a geração de oportunidades de negócios nesse
canal – são as chamadas métricas de vaidade.
É muito comum encontrar empresas focando no número de curtidas, compartilhamentos
e comentários das publicações e esquecendo que o engajamento de nada adianta se não
houver a geração de oportunidades de negócio.

Não estamos falando que essas métricas não devem ser acompanhadas. Sim, elas devem
ser monitoradas pois, indiretamente, ajudam no alcance que a sua publicação terá.

Publicações com mais curtidas, comentários e compartilhamentos são entendidas pelas


redes sociais como conteúdos de qualidade e por isso as redes sociais dão destaque para
elas.

Porém, o enfoque deve ser em métricas que podemos chamar de diretas, ou seja, que
mostram o interesse da audiência em continuar interagindo com a sua empresa.

Para isso, é importante ter em mente o que chamamos do Funil das Mídias Sociais.
Impressões

A primeira etapa do funil das mídias sociais representa o número de vezes que a sua
publicação foi vista. Impressão é diferente de alcance, pois este representa o número de
pessoas que viram sua publicação. Considerando que uma pessoa pode ver mais de uma
vez sua publicação, o número de impressões sempre vai ser igual ou maior que o
tamanho do alcance das suas publicações.

Sempre procure otimizar suas publicações para que elas sejam vistas cada vez mais
vezes pela sua audiência. Algumas variáveis controláveis podem aumentar as
impressões da sua página e, consequentemente, aumentar o topo do seu funil.

Uma dessas variáveis é o horário. Saber em quais horários o maior número de pessoas
da sua audiência está online é essencial para aumentar as impressões de uma publicação.

No Facebook, por exemplo, existe uma maneira bem fácil de saber os picos de
audiência da sua página.

Primeiramente, clique em Informações no topo da página inicial da sua empresa:


Depois, você deve clicar em Publicações na lateral esquerda da página:

Agora, você deverá ver um gráfico como este:


A partir desse gráfico, é possível relacionar os horários com os picos de audiência.
Utilize esse gráfico para definir os melhores horários para suas postagens.

Tipos de publicações diferentes também apresentam médias de impressões diferentes.


Para isso, é importante conhecer o comportamento da sua audiência. No ano de 2016,
começamos a diversificar nossas publicações e adotamos um tipo de publicação que
chamamos de fotos motivacionais.

Essas publicações foram bastante eficientes para a página da Resultados Digitais porque
tiveram uma média de impressões 3 vezes maior que os outros tipos de publicações.
Isso faz o Facebook entender que a página é relevante para as pessoas e começa a
mostrar as publicações em geral com mais frequência do que antes.

Em resumo, procure diversificar as suas publicações e entender qual delas é melhor


recebida pela sua audiência. Inclua em seu calendário de Mídias Sociais as publicações
com uma boa média de impressões, pois isso irá potencializar o resultado das demais.

Cliques

Essa é uma métrica muito importante para medir o desempenho das suas postagens,
afinal, o objetivo que compete somente à gestão de mídias sociais de uma empresa é
gerar tráfego para outros canais específicos de geração de oportunidades de negócio.
Em outras palavras, você deve otimizar ao máximo suas postagens para que sua
audiência clique cada vez mais nelas e, posteriormente, seja convertida em Leads.

Assim como nas impressões, existem variáveis controláveis que tornam suas
publicações mais atrativas e otimizadas para cliques.

Uma dessas variáveis é o tipo de foto utilizada. Na Resultados Digitais, temos 3 grandes
classificações: foto sem rosto, fotos com rosto e ilustrações. Para nossa realidade,
entendemos que as fotos com rosto podem despertar uma certa empatia e um apelo
emocional na audiência, enquanto que as ilustrações oferecem a possibilidade de
colocar Call-to-action. Despertar a atenção e curiosidade da audiência é fundamental
para que as pessoas cliquem no conteúdo.

Também nos atentamos ao tamanho da foto utilizada. No Facebook, por exemplo, é


possível postar fotos grandes e fotos pequenas (veja mais neste infográfico com os
tamanhos de imagens para as redes sociais). Na nossa página, as publicações com
imagens grandes têm, em média, 35% mais cliques do que publicações com imagens
pequenas.

No LinkedIn, o tamanho da imagem também influencia no número de cliques de uma


publicação. Porém, existe uma peculiaridade ao configurar o tamanho da foto de uma
publicação nessa rede social.

Quando você insere o link do conteúdo, a foto que será carregada será uma de tamanho
pequeno e terá o link embedado nela. Para carregar uma foto grande, você deve anexar
do seu próprio dispositivo.
Entretanto, essa foto não terá o link embedado nela. Em muitos casos vale a pena
utilizar uma foto grande (sem o link embedado) e colocar o link ao lado da descrição,
visto que a média de cliques é o dobro daquela de uma publicação com imagem
pequena.

Outra variável que impacta o número de cliques é a chamada da publicação. É com este
recurso que você conseguirá ou não despertar o interesse da audiência em ler o
conteúdo. De forma geral, algumas dicas que damos para você melhorar a chamada das
suas publicações são:

 Utilize perguntas como forma de induzir a audiência a procurar as respostas no conteúdo


publicado;

 Utilize uma linguagem pessoal para a audiência saber que quem está do outro lado não é
um robô e sim um outro ser humano. Para ajudar nisso, utilize o termo “você”, pois ele
passa a impressão de que você está falando diretamente com a pessoa.

Uma chamada também pode possuir ou não o link do conteúdo. Nesta questão, assim
como em todas as outras, é preciso entender e adaptar ao máximo de acordo com a rede
social. No Facebook, por exemplo, nossas publicações que possuem links têm uma
média de cliques 123% menor que a média de cliques em publicações sem o link nas
chamadas.

Conversões

O número de conversões de visitantes em oportunidades de negócio deve ser a sua


principal métrica a ser acompanhada neste processo. Apesar de a conversão não
depender única e exclusivamente do trabalho feito em mídias sociais, ela é uma métrica
que mostra a efetividade do canal, ou seja, a quantidade dos seus Leads que foram
gerados pela mídias sociais.

Hoje, na Resultados Digitais, boa parte de nossos Leads são gerados via mídias sociais.
Nosso processo de análise vem avançando bastante e hoje conseguimos medir
exatamente quantos Leads foram gerados em cada publicação. Para isso, utilizamos
parâmetros em todas as nossas publicações. Isso permite o rastreamento de cada
publicação no Google Analytics.

Apesar de não parecer, é possível otimizar suas publicações nas redes sociais para a
conversão. Trabalhar a chamada da publicação é a chave para isso. O grande segredo é
pensar cuidadosamente nesta variável da publicação para que ela mostre o real valor do
conteúdo. A sua audiência só irá clicar na publicação se ela entender que o conteúdo
pode resolver algum dos seus problemas.

14. Utilize o URL Builder para criar URLs rastreáveis


A maneira mais fácil de saber exatamente de onde veio seu tráfego é
usar as URLs rastreáveis. Elas são úteis para entender melhor o que
funciona e o que não está funcionando na sua estratégia nas redes
sociais. Para criá-las, você pode usar o Campaign URL Builder, do
Google Analytics.
Veja quais são os parâmetros em uma URL rastreável:

1. URL

No primeiro campo é inserido a URL original da página de destino. Ou seja, é a URL do


blogpost ou da landing page, por exemplo, para qual o usuário será levado.

2. Campaign Source (origem da campanha)

Aqui você vai identificar onde a sua campanha está sendo exibida. Coloque aqui a rede
social na qual será postado o link.

3. Campaign Medium (mídia da campanha)

Aqui é identificado que tipo de mídia você está usando para propagar o link. Basta
colocar “social”, para saber que a fonte é uma rede social.

4. Campaign Name (nome da campanha)

É o nome com que você irá encontrar a campanha no Google Analytics. Todos os outros
parâmetros estarão disponíveis dentro da campanha, cujo nome é dado aqui. Um
exemplo é o nome do produto ou campanha, como “BlackFriday”.

5. Campaign Term (termo da campanha)

É opcional e serve para o seu próprio controle. É usado para identificar qual o link que a
campanha está redirecionando, quando há mais de um. O ideal é você usar uma palavra-
chave que remeta ao redirecionamento.

6. Campaign Content (conteúdo da campanha)

Também é opcional e serve para seu próprio controle. É usado principalmente em testes
A/B, quando o mesmo conteúdo e link são apresentados de forma diferente.

Para que a URL não fique grande demais, cada um dos parâmetros deve ser o mais curto
possível. Se for necessário mais de uma palavra, use elementos como -, _ ou um +.

É no item 4, Campaign Name, que vale a pena ser mais específico. Os materiais ricos da
RD, por exemplo, são postados mais de uma vez, com intervalos mensais. Para saber
qual postagem rendeu mais acessos ou leads, vale usar termos que diferenciem cada
uma delas. Nesse caso, dá para incluir o nome do mês para acompanhar os dados no
Analytics. Basta depois procurar pelo termo escolhido.

Outros exemplos:

 Use termos para diferenciar acessos via Stories e Link na Bio do Instagram.
 Se a sua empresa tem uma comunidade no Facebook ou se você participa de algumas
delas no LinkedIn, coloque um termo específico para identificar o tráfego dessas fontes.

 Para testar novidades, defina um termo que mostre que aquele post foi diferente dos
outros. Quando você postou em vídeo, por exemplo, coloque essa informação na URL
rastreável para, posteriormente, saber se o formato tem bons resultados.

Veja abaixo como fica a URL com os parâmetros:

Conclusão
Depois de implementar ações básicas nas redes sociais, pensar em estratégias avançadas
é fundamental para desenvolver uma melhor performance nas redes sociais alcançar
resultados máximos.

Essas formas apenas algumas dicas avançadas para você implementar. Existem diversos
caminhos pelos quais você pode seguir com suas publicações e anúncios e que trarão
resultados nas redes sociais.

Por fim, lembre-se de que o importante é testar sempre e nunca deixar de analisar seus
resultados, para buscar otimização constante em suas estratégias. E não se esqueça de
que não existe fórmula mágica: todas as experiências e testes devem ser interpretados
com base no contexto do seu mercado e da sua empresa.

Bons resultados!