Você está na página 1de 4

1

Prática Experimental 10
Conversores D/A
Leonardo de O. Esperança e Márcio de O. Scárdua

Resumo—No máximo 150 palavras, incluir objetivo da prática conhecido como amplificador inversor. A equação (1) define
experimental. sua saı́da Vo . O nome de inversor se dá devido à o circuito de
realimentação e o circuito de entrada estarem conectados na
I. I NTRODUÇ ÃO entrada inversora do AmpOP.
Conversor Digital Analógico (do inglês DAC - Digital
Analog Converter) é um circuito eletrônico que possui a
capacidade de converter uma grandeza digital, por exemplo
código binário, em uma grandeza analógica, por exemplo
tensão ou corrente[1].
Os conversores D/A, assim como os conversores A/D,
são responsáveis pela interface entre os mundos analógico e
digital. Para um melhor entendimento dessa relação entre a
saı́da analógica e a entrada digital, deve-se analisar o gráfico
da Figura 1, que representa a saı́da de um conversor de 3 bits.
de acordo com a combinação dos bits de entrada A2 A1 A0 .
Figura 2. Amplificador inversor

R2
Vo = − Vi (1)
R1
Outra aplicação bastante usual de circuitos com AmpOp é
o amplificador somador, apresentado na Figura 3, que tem sua
saı́da definida por (2).
n
X Vi
Vo = −R (2)
i=1
Ri

No amplificador inversor, deve se lembrar que Ro = R, onde


R e Ro podem ser vistos abaixo.
Figura 1. Saı́da x entrada conversor D/A 3 bits

Se tratando da Figura 1, devido ao erro da tensão de


offset(uma não idealidade dos AmpOps), a conversão quando
todas as entradas digitais são 0 não é exata, e o intervalo de
0 a 7/8 pode não ser devidamente codificado devido ao erro
do ganho e por fim a diferença de tensão entre os patamares,
pode não mudar uniformemente. Na prática, a barra zero pode
não ser exatamente zero devido ao erro.
Quando se trata de conversores D/A, existem duas técnicas
que são bastante utilizadas, são as conversões utilizando o Figura 3. Amplificador somador
circuito conversor somador à AmpOp e o circuito conversor
escada R-2R à AmpOP. O conversor somador faz uso de Se tratando de conversores D/A um dos parâmetros mais im-
uma rede de resistores com peso binário, enquanto o R-2R portantes a ser estudado é o valor analógico do bit menos sig-
possui em sua montagem, uma espécie de ”escada”. Ambos nificativo da entrada, simbolizado por Alsb (Less Significant
os conversores são utilizados, de maneira mais conveniente, Bit). Considere A como sendo o valor digital da entrada (0 ou
quando se deseja obter uma tensão analógica na saı́da[1]. 1). Desta forma, obtém-se (3).
A Figura 2 apresenta um dos circuitos com AmpOp mais
comuns, que é multiplicador de ganho constante, também Vo = Alsb A (3)
2

Considere n como sendo o nı́mero de bits do conversor. Tabela II


Assim, pode-se obter Alsb utilizando (3). A equação é dada T ENS ÃO DE S A ÍDA PARA CADA CONFIGURAÇ ÃO DOS BITS DE ENTRADA .
P R ÁTICA CONVERSOR A MP O P SOMADOR
através de (4).
Valor Digital (A3 A2 A1 A0 ) Tensão de Saı́da (V)
0 0 0 0 0
Vomax 0 0 0 1 -0,66
Alsb = (4) 0 0 1 0 -1,25
2n − 1
0 0 1 1 -1,91
0 1 0 0 -2,56
0 1 0 1 -3,22
II. P ROCEDIMENTO E XPERIMENTAL 0 1 1 0 -3,81
0 1 1 1 -4,47
1 0 0 0 -5,13
A. Material Utilizado 1 0 0 1 -5,79
1 0 1 0 -6,38
1 0 1 1 -7,04
1 1 0 0 -7,7
• 2 fontes de tensão • 16 Resistores 150kΩ 1 1 0 1 -8,36
ajustáveis • Fios e cabos para co- 1 1 1 0 -8,94
• Matriz de contatos nexões 1 1 1 1 -9,6
• Multı́metro Digital • Software OrCad PSpice
• 1 CI LM741 para simulação Conversor D/A com Escada R-2R: Na Tabela IV são
apresentadas as tensões obtidas na saı́da do circuito para cada
combinação da entrada A3 A2 A1 A0 . A abstração dos nı́veis
lógicos se deu da mesma forma do experimento Conversor
B. Metodologia D/A com AmpOp somador.
Na montagem da escada R/2R foram utilizados os resistores
Para este experimento, foram propostos os circuitos apre- apresentado na tabela III.
sentados na Figura 4.
Tabela III
A SSOCIAÇ ÃO DOS RESISTORES CONVERSOR ESCADA R/2R

Resistor Valor Nominal (kΩ)


R 150
2R 300

(a) Conversor com AmpOp


somador
Tabela IV
T ENS ÃO DE S A ÍDA PARA CADA CONFIGURAÇ ÃO DOS BITS DE ENTRADA .
P R ÁTICA CONVERSOR ESCADA R/2R

Valor Digital (A3 A2 A1 A0 ) Tensão de Saı́da (V)


0 0 0 0 0
0 0 0 1 -0,31
(b) Conversor em Escada R-2R
0 0 1 0 -0,66
Figura 4. Circuitos conversores D/A propostos para o experimento. 0 0 1 1 -0,98
0 1 0 0 -1,32
0 1 0 1 -1,65
0 1 1 0 -1,99
1) Prática: 0 1 1 1 -2,31
Conversor D/A com AmpOp Somador: Na Tabela II são 1 0 0 0 -2,61
1 0 0 1 -2,94
apresentadas as tensões obtidas na saı́da para cada entrada 1 0 1 0 -3,27
A3 A2 A1 A0 . O nı́vel lógico 1 foi representado com 5V e o 1 0 1 1 -3,6
nı́vel lógico 0 utilizando 0V. O AmpOp foi alimentado com 1 1 0 0 -3,94
uma tensão simétrica de 15V. 1 1 0 1 -4,27
1 1 1 0 -4,61
Utilizou-se na construção do circuitos os resistores com 1 1 1 1 -4,93
resistências apresentadas na Tabela I.
2) Simulação: Simulou-se os dois circuitos, onde as en-
Tabela I tradas do circuito foram alternadas de maneira automática,
A SSOCIAÇ ÃO DOS RESISTORES CONVERSOR A MP O P S OMADOR podendo atingir todas as saı́das possı́veis com uma simulação.
Para simular as entradas com bits 0 e 1, utilizou-se fontes
Resistor Valor Nominal (kΩ) Valor Real (kΩ)
R 150 149
geradoras de onda quadrada com frequência casada, da forma
2R 300 303 que a frequência do bit menos significativo seja x e a do
4R 600 607 bit mais significativo seja x8 . A visualização dos 4 sinais de
8R 1200 1215 entrada estão presentes na Figura 5.
3

Figura 5. Ondas quadradas simulando todas as combinações de 4 bits da Figura 7. Tensão de saı́da do AmpOp Somador R-2R de 4 bits.
entrada dos conversores. Verde sinal de maior frequência (bit A0 ) e amarelo
sinal de menor frequência (bit A3 ).

Tabela VI
T ENS ÃO DE S A ÍDA PARA CADA CONFIGURAÇ ÃO DOS BITS DE ENTRADA .
Conversor D/A com AmpOp Somador: Simulou-se o con- S IMULAÇ ÃO CONVERSOR ESCADA R/2R
versor D/A somador, obtendo a saı́da como pode ser vista
Valor Digital (A3 A2 A1 A0 ) Tensão de Saı́da (V)
na Figura 6. Então, analisando as linhas constantes do sinal 0 0 0 0 12m
(patamares), obteve-se os valores presentes na Tabela V. 0 0 0 1 -223.28m
0 0 1 0 -576.22m
0 0 1 1 -811.51m
0 1 0 0 -1.22
0 1 0 1 -1.45
0 1 1 0 -1.81
0 1 1 1 -2.05
1 0 0 0 -2.48
1 0 0 1 -2.72
1 0 1 0 -3.07
1 0 1 1 -3.31
1 1 0 0 -3.72
1 1 0 1 -3.96
1 1 1 0 -4.31
1 1 1 1 -4.55

Figura 6. Tensão de saı́da do AmpOp somador de 4 bits.


III. A N ÁLISE DOS DADOS
A. Teórica
1) Somador: O diagrama esquemático do circuito que
Tabela V implementa o conversor D/A com AmpOp somador pode ser
T ENS ÃO DE S A ÍDA PARA CADA CONFIGURAÇ ÃO DOS BITS DE ENTRADA .
S IMULAÇ ÃO CONVERSOR A MP O P SOMADOR
visto em 4(a). Percebe-se, então, que a tensão na i-ésima
entrada é dado por (5).
Valor Digital (A3 A2 A1 A0 ) Tensão de Saı́da (V) Onde Vh é a tensão de nı́vel lógico 1 e Ai é o valor digital
0 0 0 0 12m da entrada.
0 0 0 1 -612.9m
0 0 1 0 -1.23
0 0 1 1 -1.86 Vi = Vh Ai (5)
0 1 0 0 -2.48
0 1 0 1 -3.11 Com objetivo de encontrar a resolução do amplificador,
0 1 1 0 -3.73 utilizando (3) e (5) chega-se em:
0 1 1 1 -4.36
1 0 0 0 -4.98
Ro Vh
1 0 0 1 -5.61 Vo = − A (6)
1 0 1 0 -6.23 2n−1 R
1 0 1 1 -6.86 Substituindo (3) em (6) obtém-se (7).
1 1 0 0 -7.48
1 1 0 1 -8.11
1 1 1 0 -8.73
Ro V h
Alsb = − (7)
1 1 1 1 -9.36 2n−1 R
A Tabela VII foi construı́da utilizando (6).
Com o intuito de exemplificar o processo para encontrar
Conversor D/A com Escada R-2R: Simulou-se o conversor Vo foi aplicado (7) para a palavra 1001. Segue-se da seguinte
D/A R-2R similarmente ao D/A somador, obtendo tensões de forma
saı́da que podem ser vistas na Figura 7. Então, analisando as
linhas constantes do sinal, novamente, obteve-se os valores Vo 150k × 5V
presentes na Tabela ??. = 4 = −5.625V
A 2 − 1 × (150k//(8 × 150k))
4

Tabela VIII
T ENS ÃO DE S A ÍDA PARA CADA CONFIGURAÇ ÃO DOS BITS DE ENTRADA .
T E ÓRICO CONVERSOR ESCADA R/2R

Valor Digital (A3 A2 A1 A0 ) Tensão de Saı́da (V)


0 0 0 0 0
0 0 0 1 -0.313
0 0 1 0 -0.625
0 0 1 1 -0.938
Tabela VII 0 1 0 0 -1.250
T ENS ÃO DE S A ÍDA PARA CADA CONFIGURAÇ ÃO DOS BITS DE ENTRADA . 0 1 0 1 -1.563
T E ÓRICO CONVERSOR A MP O P SOMADOR 0 1 1 0 -1.875
0 1 1 1 -2.188
Valor Digital (A3 A2 A1 A0 ) Tensão de Saı́da (V) 1 0 0 0 -2.500
0 0 0 0 0V 1 0 0 1 -2.813
0 0 0 1 -0.625 1 0 1 0 -3.125
0 0 1 0 -1.250 1 0 1 1 -3.438
0 0 1 1 -1.875 1 1 0 0 -3.750
0 1 0 0 -2.500 1 1 0 1 -4.063
0 1 0 1 -3.125 1 1 1 0 -4.375
0 1 1 0 -3.750 1 1 1 1 -4.688
0 1 1 1 -4.375
1 0 0 0 -5.000
1 0 0 1 -5.625 B. Prática
1 0 1 0 -6.250
1 0 1 1 -6.875 A resolução do experimento prático, dado por (4) é calcu-
1 1 0 0 -7.500 lada a seguir.
1 1 0 1 -8.125 1) Somador:
1 1 1 0 -8.750 9,60
1 1 1 1 -9.375 • Alsb = 24 −1 = 0.640
2) R-2R:
4.93
• Alsb = 24 −1 = 0.329
2) R-2R: O conversor D/A em escada R/2R baseado em
4(b) usou-se do principio da superposição para analisar as C. Simulação
malhas de resistência.
1) Somador:
É fácil perceber usando superposição que a resistência à 9.36
• Alsb = 24 −1 = 0.624
esquerda de cada rama de entrada valer 2R. Note que há apenas
2) R-2R:
um a exceção, que pode ser vista analisando o ramo de An−1 , 4.55
• Alsb = 24 −1 = 0.303
que enxerga uma impedância infinita à sua esquerda.
Com base nisso tem-se (8). IV. C ONCLUS ÃO
R EFER ÊNCIAS
n [1] N. S. W. Ronald J Tocci and G. L. Moss., Sistemas
Vh X digitais: princı́pios e aplicações. PPrentice Hall, 2003.
Vo = − Ai 2i (8)
2n i=0

Logo, pode-se verificar o comportamento do conversor D/A


em escada R/2R analisando a Tabela VIII.
Com o intuito de exemplificar o processo para encontrar Vo
foi aplicado (8) para a palavra 0100. Procede-se da seguinte
forma

5
Vo = − [(0 × 1) + (1 × 2) + (0 × 4) + (0 × 8)] = −0.625V
16

Para palavra 1010 tem-se

5
Vo = − [(1 × 1) + (0 × 2) + (1 × 4) + (0 × 8)] = −3.125V
16