Você está na página 1de 25

Os investimentos iniciais dividem-se em três tópicos importantes:

nome: Valquelene Kelly soares chaves

nome:Carlos Alberto miranda junior

nome:Aline Assuunção silva

nome:Caio da silva soares


nome: Eduardo josé Gonsalves

ramo: informatica
nome da empresa: conect informatica ltda
responsabrilidade: social : criar um local para ensinar as pessoa mais
carente da comunidade
slogan : excelentes resultado começa com conect
slogan: o mundo sempre esta conectando na vida

logotipo: conect
logomarca:
cargos da empresa

dono: Valquelene

dono: Carlos
gerente: Jaqueline
sub gerente: Caio
secretaria: Aline
presidente: Erica

tecnico: Eduardo

historia: somos dos socios com experiência de ate 15 na area de informatica

progresso: começamos com uma media empresa e hoje somos uma grande
empresa e hoje temos cinco filiais pelo o brasil com mais de cinco mil
colaboradores

missão: fabricar otimos computadores com o preço acessivel para todos os tipo
de classes sociais e com o maximo de tecnologia

missão: fabricar otimos computadores com o preço acessivel para todos os tipo
de classes sociais e com o maximo de tecnologia
Missão:Nossa missão é encantar e satisfazer nossos clientes, com
produtos e serviços da mais alta tecnologia, valorizando sempre a
transparência e a honestidade. Sabemos também, que as empresas
possuem suas particularidades, por isso trabalhamos também com
software´s abertos, ou seja; podemos modificar nossos software´s para se
adequar a particularidade de cada empresa.

visão:se transformar numa das maiores empresa da brasil em


cmputadores e ser reconhecido no mundo todos

Visão : se transformar numa das maiores empresa da brasil em


cmputadores e ser reconhecido no mundo todo

valores: se preocupa com o meio ambiente qualidade dos produtos o bem

Objetivo: Motivar e criar meios para capacitação e atualização contínua de


pessoal nas áreas de interesse da conect para atuação dentro do contexto
sócio econômico e cultural.
Metas : tornar-se líder de mercado” ou “fornecer alternativas de baixo custo
historico: foi fundada em 02 de setembro de 2010 com o objetivo de
atender a seus clientes

Quem somos ? Somos uma empresa especializada no desenvolvimento


de Software para os mais diversificados segmentos de mercado. Nosso
portfólio é composto por produtos da mais alta tecnologia, utilizamos como
auxilio no desenvolvimento dos nossos produtos, as mais sofisticadas
ferramentas de desenvolvimento de Software com reconhecimento
internacional. Nossos produtos possuem como diferencial a facilidade de
manuseio e velocidade de processamento entre computadores.

Contrato social

Carlos Alberto Miranda Junior, brasileiro, natural de São Paulo/SP, solteiro,

maior, empresario, portador da carteira de identidade n.º 5.745.873-4 SSP/SP e


CPF n.º 023.724.672-34, nascido em 25/12/1991, residente e domiciliado em
São Paulo/SP, à Rua Sargento Manuel Chagas, 459 casa¹ Bairro – Parque Novo
Mundo.

Valquelene Kelly soares chaves, brasileiro, natural de São Paulo/SP, solteira,


maior, empresaria, portador da carteira de identidade n.º 453.234 SSP/SP e CPF
n.º 623.823.532-55, nascido em 10/10/1966, residente e domiciliado em São
Paulo/SP, à Rua José Mendes, 863 – Parque Novo Mundo.

Resolvem por este instrumento constituir uma sociedade limitada, que regerá
pela legislação em vigor e pelas cláusulas a seguir indicadas:
DENOMINAÇÃO, SEDE, OBJETO SOCIAL E DURAÇÃO.

CLÁUSULA PRIMEIRA– A sociedade girará sob o nome empresarial “conect


informatica ltda”, com sede e domicílio em São Paulo/SP, à Rua Das promessa,
000 – Bairro São João, podendo a qualquer tempo, abrir ou fechar filial ou outra
dependência em todo o território nacional, mediante alteração contratual
assinada por todos os sócios;

CLÁUSULA SEGUNDA – A sociedade usará como título de estabelecimento “ ”

CLÁUSULA TERCEIRA – A sociedade terá como objeto social: instalação de


equipamentos eletrônicos, assistência técnica, treinamento e locação de
equipamentos, sistemas e produtos de software, licença de uso de software e
montagem mecânica e eletrônica de equipamentos de informática e automação;
CLÁUSULA QUARTA – O prazo de duração da sociedade será por tempo
indeterminado e iniciará suas atividades a partir 25 de maio de 2010;

DO CAPITAL SOCIAL

CLÁUSULA QUINTA – O capital social será de R$ 20.000,00 (vinte mil reais),


divididos em 9.999,00 (nove mil, novecentos e noventa e nove) quotas de valor
nominal de R$ 1,00 (um real) cada, totalmente integralizado neste ato, em
moeda corrente nacional e distribuído da seguinte forma:
Sócios Números Capital
de quotas
Carlos A M. Junior 10.000 R$ 10.000,00
Valquelene K. S. Chaves 10.000 R$ 10.000,00

Total 20.000 R$ 20.000,00

PARÁGRAFO PRIMEIRO – A responsabilidade de cada sócio é igualitária e


todos respondem solidariamente pela integralização do capital social;

PARÁGRAFO SEGUNDO – As quotas são indivisíveis e não poderão ser


cedidas ou transferidas a terceiros sem o consentimento de todos os sócios, a
quem fica assegurado, em igualdade de condições e preço direito de preferência
para a sua aquisição se postas à venda, formalizando, se realizada a cessão
delas, a alteração contratual pertinente;

DA ADMINISTRAÇÃO E REPRESENTAÇÃO

CLÁUSULA SEXTA – A administração e a representação da sociedade, será


exercida por ambos com os poderes e atribuições de administrar e representar a
sociedade ativa e passivamente, judicial e extrajudicialmente, sendo autorizado
o uso do nome empresarial, vedado no entanto, em atividades estranhas ao
interesse social ou assumir obrigações seja em favor de qualquer dos quotistas
ou de terceiros, bem como, onerar ou alienar bens imóveis da sociedade, sem
autorização dos outros sócios;
DA REMUNERAÇÃO DOS SÓCIOS

CLÁUSULA SÉTIMA – Os sócios poderão, de comum acordo, fixar uma retirada


mensal, a título de "Pró-labore", pelos serviços que prestarem a sociedade,
observadas as disposições regulamentares pertinentes em lei;

DAS PROIBIÇÕES

CLÁUSULA OITAVA – São expressamente vedados, os atos de qualquer sócio,


procurador ou funcionário que a envolverem em obrigações relativas a negócios
ou operações estranhas ao objeto social, tais como fianças, avais, endossos ou
quaisquer outras garantias em favor de terceiros, obrigando-se também os
sócios, a título pessoal, a não outorgar fianças ou avais;

DAS REUNIÕES DE QUOTISTAS E SUAS DELIBERAÇÕES SOCIAIS

CLÁUSULA NONA – As deliberações relativas à aprovação das contas dos


administradores, aumento ou redução do capital, designação ou destituição de
administradores, modo de remuneração, pedido de concordata, distribuição de
lucros, alteração contratual, fusão, cisão e incorporação, e outros assuntos
relevantes para a sociedade, serão definidas na reunião de sócios;
PARÁGRAFO PRIMEIRO – A reunião dos sócios será realizada em qualquer
época,
mediante convocação dos administradores ou sócio;
PARÁGRAFO SEGUNDO – As deliberações dos sócios serão tomadas em
reunião,
condicionadas à aprovação dos sócios representantes da maioria absoluta do
capital social;
PARÁGRAFO TERCEIRO – A reunião pode ser dispensada quando todos os
sócios
decidirem, por escrito, sobre a matéria que dela seria objeto.

CESSÃO DE QUOTAS E ADMISSÃO DE NOVOS SÓCIOS

CLÁUSULA DÉCIMA – Toda cessão ou transferência de quotas entre sócios ou


a terceiros estranhos à sociedade fica expressamente condicionada à aprovação
dos sócios representantes de no mínimo 50% (cinquenta por cento) do capital
social. Ocorrendo a hipótese, terá preferência para a aquisição de quotas o
sócio que possuir o maior número de quotas; não exercendo tal sócio seu direito
exclusivo de preferência, os demais sócios, na proporção das quotas possuídas
e em igualdade de condições, terão direito de preferência para a aquisição das
quotas do sócio retirante, cedente ou alienante;

DO EXERCÍCIO SOCIAL

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA– Ao término de cada exercício social, em 31 de


dezembro, o administrador e representante da sociedade, prestará contas
justificadas de sua administração, procedendo à elaboração do inventário, do
balanço patrimonial e do balanço de resultado econômico, o qual será submetido
à aprovação dos sócios. Cabe aos sócios, na proporção de suas quotas, os
lucros ou perdas apuradas;
PARÁGRAFO PRIMEIRO – As deliberações dos sócios de que trata o caput
desta
cláusula serão tomadas em reunião, em data fixada correspondente ao último
dia útil do
mês de março de cada ano, na sede da Sociedade, na primeira hora do início do
expediente;
PARÁGRAFO SEGUNDO – Havendo impedimento para realização da reunião
conforme
mencionado no parágrafo anterior, será convocada nova reunião, com até oito
dias de
antecedência, mediante notificação dos sócios, com local, data, hora e ordem do
dia;

DO FALECIMENTO DOS SÓCIOS

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA – A morte ou retirada de qualquer um dos


sócios, não acarretará na dissolução da sociedade, que continuará a existir com
outros sócios. Na hipótese de falecimento de qualquer um dos sócios, os
herdeiros do sócio falecido, de comum acordo, exercerão direito a quota.
Entretanto, não havendo interesse destes em participar da sociedade, o sócio
remanescente pagará aos herdeiros do sócio falecido a sua quota capital e as
partes dos lucros líquidos que deverão ser apurados em balanço social na data
do evento;

DA EXCLUSÃO DE SÓCIO

CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA – O sócio poderá ser excluído por justa causa,
assim terminada pela maioria dos sócios, representativa de mais da metade do
capital social;

A LIQUIDAÇÃO DAS COTAS

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA – O sócio retirante, excluído, falido e cônjuge


supérstite, herdeiros ou legatários de sócio falecido terão seus haveres
apurados com base em balanço especialmente levantado, e liquidados em 12
( doze) parcelas mensais, iguais e
sucessivas, vencendo a primeiro em 90 ( noventa) dias da data da resolução;

DAS DELIBERAÇÕES

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA – As deliberações dos sócios serão tomadas em


reunião, condicionadas à aprovação dos sócios representantes da maioria
absoluta do capital social;

DA LIQUIDAÇÃO

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA – Em caso de liquidação da sociedade será


liquidante o sócio escolhido por deliberação, conforme cláusula décima Quinta
acima. Nesta hipótese, os haveres da sociedade serão empregados na
liquidação de suas obrigações e o remanescente, se houver, será rateado entre
os quotistas na proporção do número de quotas que cada um possuir;

DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA – Fica eleito o fórum da cidade de São Paulo/SP,


para dirimir questões oriundas do presente contrato;
CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - Os Administradores declaram, sob as penas da
lei, de
que não estão impedidos de exercer a administração da sociedade, por lei
especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por se encontrarem sob os
efeitos dela, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos
públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão,
peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional,
contra normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, fé
pública,ou a propriedade. (art. 1.011, § 1º, CC/2002)
E, por estarem assim justos e contratados, assina o presente instrumento na
presença das
testemunhas abaixo.
São paulo/SP, 25 de maio de 2010.

Carlos Alberto Miranda Junior Valquelene Kelly soares chaves

ficha tecnica
razão social:
conect informatica ltda
nome: conect

endereço: Rua Das promessa, 000 – Bairro: Boa Esperança

Telefone: 2989-3910

E-mail
conect_informatica@yahoo.com.br

Site:

www.conectinformatica.com.br
CNPJ:
nº 45.198.245/0001-00

Serviço opicionais :
estacionamento para clientes e colaboradores

formas de pagamento:
dinheiro, cartão de quedito, mastercard, visa, debrito, credito e debrito

erviços e produtos:
Computador, mouse, impressora,caixa de som, tercador

Horário de funcionamento:

Trabalhamos: das 07:00 ate 19:00 de segunda a sexta


locais ocorridos
Rua: Das promessa, 000
CEP:03562-302 Bairro: Boa Esperança SSP/SP

CONTRATO DE LOCAÇÃO COMERCIAL COM FIADOR

IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

LOCADOR: Karolina Christina, Brasileira, empresaria , casada , Carteira de


Identidade 26531487-9, e C.P.F. nº 805436987-01, residente e domiciliado
na Rua Sargento Manuel Chagas, nº459 , bairro Parque Novo Mundo,
Cidade São Paulo, CEP: 02179040 , no Estado São Paulo, e seu marido
Jurandir Neto , Brasileiro, empresario, Carteira de Identidade nº 36254169-
8,C.P.F.nº031856943-08,ambo capazes;

LOCATÁRIA: conect informatica ltda, com sede em São Paulo, na Rua Das
promessa , nº000, bairro Boa Esperança, CEP 03562-302 , no Estado São
Paulo, inscrita no C.N.P.J. nº 45.198.245/0001-00, e no Cadastro Estadual
sob o nº157.254.963.9, neste ato representada pelo seu donor Carlos
Alberto Miranda Junior,Brasileiro, solteiro,presidente, Carteira de Identidade
nº , 5.745.873-4 C.P.F. nº 023.724.672-34 ,casa propria São Paulo/SP, Rua:
Sargento Manuel Chagas, 459 casa¹ Bairro – Parque Novo Mundo. (xxx),
nº459, Bairro: Parque Novo Mundo, CEP: 02179041, Cidade: São paulo,no
Estado SP/

FIADOR 1: Valter José tenório, Brasileiro, (Profissão), Carteira de


Identidade nº 39.785.257.1, C.P.F. Nº 785.342.487.11; e sua esposa Julia
da silva, Brasileiria,(Profissão) , Carteira de Identidade nº 99.315.751.8,
C.P.F. Nº 315.965.734.69, ambos capazes, residente São Paulo e
domiciliado casa na Rua: Boa vista, nº 852 , bairro:Vila ede, cidade: São
Paulo, CEP:02177010,no Estado:SP

A parte acima identificada têm, entre si, justo e acertado o presente


Contrato de Locação Comercial com Fiador, que se regerá pela cláusula
seguintes e pelas condições descrita no presente

Cláusula 1ª. O presente, tem como objetivo, o imóvel de propriedade do


LOCADOR, situado na Rua: Sargento Manuel Chagas , Bairro: Parque
Novo Mundo, Cidade: São Paulo, CEP: 805436987-01, no Estado São
Paulo; sob o Registro nº 336 do Cartório de 665 Registro de Imóveis, livre
de bônus ou quaisquer dívidas.

Cláusula 2ª. O imóvel entregue na data da assinatura deste contrato, pelo


LOCADOR à LOCATÁRIA, possui as características contidas no auto de
vistoria anexo, o qual as partes aceitam expressamente, acompanhado de
fotografias e seus respectivos negativos, apresentando-se em boas
condições de higiene, limpeza e conservação, como também todos os seus
acessórios.

DA UTILIZAÇÃO DO IMÓVEL

Cláusula 3ª. A presente Locação destina-se restritivamente ao uso do


imóvel para fins comerciais/industriais (especificar), restando proibido à
LOCATÁRIA, sublocá-lo ou usá-lo de forma diferente do previsto, sob pena
de rescisão contratual.

Estruturo Organizacional
Dono Dona
Carlos Valquelene

Gerente
Jaqueline

sub gerente
Caio

Tecnico
Secretaria
Aline Eduardo

Produtos e Serviços
. manutenção de micro
. vendemos computador
. mouse
. teclado
. caixa de som
. webcam
. impressora
principais fornecedores

. Positivo
. dell
. LG
. Philips
. Samsung
. Intel
. Sony

característica do consumidor
para todos os tipos de pessoas fisica ou juridica

Análise da concorrência
Para que sua pequena empresa seja bem-sucedida, você precisa saber sobre a
concorrência quase tanto quanto sobre sua própria empresa e clientes.
Infelizmente, muitos proprietários de pequenas empresas cometem o erro de
esperarem até que um concorrente tenha aberto um negócio do outro lado da
rua e esteja reduzindo os lucros para, então, descobrirem quem e o que eles
estão enfrentando.

Uma análise
Uma análise da concorrência permite a você identificar quem é e avaliar seus
respectivos pontos fortes e fracos. Conhecendo as açőes de seus concorrentes,
você terá um melhor entendimento sobre que produtos ou serviços deverá
oferecer; como poderá anunciá-los de maneira eficaz; e como poderá posicionar
sua empresa.
A análise da concorrência é um processo contínuo. Você deve sempre colher
informações sobre seus concorrentes. Olhar suas páginas da Internet. Ler a
literatura referente a produtos e as brochuras. Experimentar seus produtos.
Ver como se apresentam em eventos comerciais. Ler sobre eles nas
publicações comerciais de seu setor. Conversar com seus clientes para
saber como se sentem com relação a produz
e as brochuras. Experimentar seus produtos. Ver como se apresentam em
eventos comerciais. Ler sobre eles nas publicaçőes comerciais de seu setor.
Conversar com seus clientes para saber como se sentem com relação a
produtos ou serviços da concorrência.
Etapa 1: Identifique seu concorrente
Etapa 2: Analise os pontos fortes e fracos
Etapa 3: Conheça as oportunidades e ameaças
Etapa 4: Determine sua posição.

Etapa 1: Identifique seu concorrente

Todas as empresas têm concorrentes e você deve levar o tempo necessário


para discernir quem seus clientes poderão abordar para obterem um produto ou
serviço que satisfaça a mesma necessidade que os seus. Mesmo que seu
produto ou serviço seja realmente inovador, você precisa observar o que mais
seus clientes comprariam para completar esta tarefa. Por exemplo
você pode abrir uma página na Internet que oferece Bingo on-line.
Sua concorrência seria outra página de Bingo, outras páginas de jogos na Web,
o salão de Bingo na rua de baixo e todas as outras empresas que estejam
competindo pelos mesmos dólares nas atividades de lazer.
Comece observando seus principais concorrentes. Estes são os líderes de
mercado, as empresas que atualmente dominam o mercado. São
provavelmente aqueles nos quais você anda esbarrando em sua busca por
novos clientes. Se você for
floricultor, serão os outros floricultores de seu bairro. Se você for consultor em
informática, serão os outros consultores com a mesma especialidade.
Depois, procure seus concorrentes secundários e indiretos. Estes são as
empresas que podem não estar no mesmo nível que você, mas que almejam
o mesmo mercado geral. Retomando o exemplo do floricultor, poderia ser
uma pequena floricultura local que vende apenas rosas, um serviço nacional
de entrega de flores ou o departamento de flores/plantas de seu
supermercado ou loja de conveniência local.
Finalmente, observe os concorrentes potenciais – empresas que se preparam
para entrar no seu mercado e com as quais você precisa se preparar para
concorrer. Por exemplo, se você tiver uma barraca independente de sorvete
de iogurte; precisará se preparar para concorrer com franquias nacionais de
sorvete de iogurte, mesmo que elas ainda não tenham alcançado seu
mercado.
Etapa 2: Analise os pontos fortes e fracos

Depois de descobrir quem são seus concorrentes, determine seus pontos


fortes e descubra quais são os fracos. Por que os clientes compram deles. É
o preço? O valor? O atendimento? A comodidade? A reputação? Focalize os
pontos fortes e fracos "sentidos" tanto quanto os reais. Isto porque a
percepção do cliente pode ser realmente mais importante que a realidade

É uma boa ideia fazer esta análise de pontos fortes e fracos em forma de
tabela. Anote os nomes de cada um de seus concorrentes. Depois, disponha
as colunas listando todas as categorias importantes para seu ramo de
negócios (preço, valor, atendimento, localização, reputação, especialidade,
conveniência, quadro de funcionários
publicidade/propaganda ou o que mais seja apropriado ao seu tipo de
empresa). Uma vez que você tenha montado essa tabela, classifique seus
concorrentes e comente sobre a razão de tê-los classificado dessa forma.
Você também pode dispor os pontos fortes em vermelho e os fracos em azul,
de forma a poder distinguir num relance onde está cada concorrente.
Etapa 3: Veja as oportunidades e ameaças

Os pontos fortes e fracos frequentemente são fatores que estão sob o


controle de uma empresa. Mas quando você estiver observando seus
concorrentes, precisará também analisar o quanto estão bem preparados
para lidar com fatores fora de seu controle. Estes se chamam oportunidades
e ameaças.
Oportunidades e ameaças recaem em uma vasta gama de categorias.
Poderiam ser desenvolvimentos tecnológicos, ação legal ou regulamentar,
fatores econômicos ou até mesmo um possível concorrente novo. Por
exemplo
, uma loja de revelação de fotografias precisa saber o quanto seus
concorrentes estão preparados para lidar com a chegada da fotografia digital.
Ou uma empresa que vende pela Internet deve analisar o quanto seus
concorrentes estão preparados para lidar com questões de segurança em
rede.
Novamente, uma forma eficaz de fazer isto é criar uma tabela relacionando
seus concorrentes e os fatores externos que causarão impacto em sua
indústria. Você é capaz, então, de perceber como eles conseguem lidar com
oportunidades e ameaças.
Etapa 4. Determine sua posição

Assim que descobrir quais são os pontos fortes e fracos de seus


concorrentes , você deverá determinar onde posicionar sua empresa diante
da concorrência. Uma parte disto pode parecer óbvia a partir dos resultados
de sua análise, mas também vale a pena prestar muita atenção na forma
como sua empresa trabalha.
Uma das formas mais eficazes de fazer isto é criar uma análise de pontos
fortes/fracos oportunidades/ameaças de sua empresa. Classifique sua
empresa nas mesmas categorias que classificou seus concorrentes. Isto
proporcionará uma visão ainda mais nítida de onde sua empresa se encaixa
no ambiente competitivo. Também o ajudará a determinar em que áreas você
terá de melhorar e quais características de
O essencial: buscar formas de aperfeiçoar seus pontos fortes e de se
aproveitar dos pontos fracos de seus concorrentes.
o primeiro a cabou
plano de Marketing
• internet
• jornal
• pela televisão
• folhetos
produto / posicionamento
• manutenção de micro
• vendemos computado
• mouse
• teclado
• caixa de som
• webcam
• impressora

preços

• manutenção de micro R$ 60.00 reais


• computador R$ 1000.00 reais
• mouse R$ 20.00 reais
• teclado R$ 35.00 reais
• caixa de som R$ 30.00 reais
• webcam R$ 50.00 reais
• impressora R$ 150.00 reais

praça

cidade: Sâo Paulo


Bairro: Boa Esperança
Rua: Das promessa, 000
CEP: 03562-302
Promoçãos
computadores com desconto de ate 200 reais no cartão credito visa

diferencial competitivo
A conect Informática, na busca de maior competitividade nacional e internacional, está
participando do projeto MPS.BR (Melhoria de Processo do Software Brasileiro) -
iniciativa que envolve universidades, grupos de pesquisa e empresas, sob a coordenação
do Instituto do Software do Ceará (Insoft), que é agente da Sociedade para Promoção da
Excelência do Software Brasileiro (Softex).

Com esse intuito, conta com doutores em Engenharia de Software da empresa SW


Quality na prestação de consultoria para a implantação do modelo tecnológico. Segundo
o consultor da SW, Heron Vieira Aguiar, aderir a um padrão pré-definido e já testado,
fornece à empresa uma maior garantia de qualidade em seu produto final, através de um
programa que privilegia o aumento de maturidade corporativa, a partir de uma série de
etapas e uma crescente escala de exigências que devem ir sendo atendidas
progressivamente.

"Além da satisfação do cliente, a organização da companhia aumenta, através de um


ambiente que passa a contar com alto nível de gerenciamento. Atualmente, ainda existem
poucas empresas brasileiras de TI a investirem na obtenção de qualificações como a
CMMI (Capability Maturity Model Integration) e a MPS.BR", explica Heron Aguiar.

A opinião é compartilhada pela gerente do Grupo de Engenharia de Processo de Software


da Softium, Ligia Bessa Noronha, que desde outubro de 2004 estuda o modelo adequado
para a empresa. "O alto nivel de comprometimento da Softium com a qualidade só traz
beneficios, gerando uma maior respeitabilidade no mercado."

O modelo MPS.BR é compatível com os padrões de qualidade aceitos internacionalmente


pela comunidade de software, sendo e adequado ao perfil e cultura das empresas de
software no país. Segundo dados do Ministério da Ciência & Tecnologia (MCT), de
2003, o número de empresas desenvolvedoras de software no país a contarem com a
certificação ISO 9000 era de apenas 214, e com a avaliação oficial CMM (modelo de
negócios internacional cooperado entre várias empresas), era somente de 30 empresas.
Postado por Softium às 10:23

serviços para os clientes


• estacionamento

Politica de preços
Temos uma empresa que faz tratamento de barras aço e ferro para uso em
construção civil, automobilística e naval. Essa empresa é líder de mercado em
sua área geográfica de atuação. Essa liderança se dá tanto em maior volume de
negócios (toneladas processadas/ano), como em capacidade de produção
(capacidade de produção mensal), como também em qualidade técnica (é a
única que testa e certifica, cada encomenda, com padrões internacionais). A
IronTherm freqüentemente é solicitada a fazer serviços de urgência para clientes
que, seduzidos por preços menores, se sentem mal atendidos pelos
concorrentes e retornam.
A IronTherm é conhecida e reconhecida no mercado por cumprir prazos e pela
alta qualidade do seu serviços.

A CONCORRÊNCIA

A maior concorrente, que atua no mesmo mercado geográfico, é uma empresa


com condições mais modestas, mas que atua fortemente no preço baixo. Este é
o grande trunfo do concorrente, pois tem menor capacidade de produção mensal
e qualidade não testada, nem tampouco certificada. Este concorrente, para
pegar serviço, aceita encomendas maiores que sua capacidade de produção, o
que acarreta frequentemente não cumprimento dos prazos acordados
inicialmente.

Os outros três concorrentes, ainda menores, possuem características


semelhantes, e o preço é proporcional à capacidade de produção, quanto menor
a empresa, menor é o preço, e mais dúvida da qualidade do tratamento feito.

O MERCADO

O mercado, como quase todo o mercado, bate à porta da IronTherm, e quando


este se depara com os preços praticados faz com que alguns busquem os
concorrentes que praticam menores preços.

Muitos clientes novos (50%) migram para os concorrentes. Um terço destes


novos clientes volta pedindo para fazer parte do serviço porque ou não está
sendo atendido no prazo ou não tem padrão de qualidade.

Outros clientes espantam-se com o preço da IronTherm e não voltam mais.

A PRODUÇÃO

A produção do tratamento tem equipamentos que precisam de uma a duas horas


para iniciar a operação. A condição ideal seria ter um fluxo contínuo, com
funcionamento 24 horas por dia, 6 dias por semana. O dia de folga serve
também para manutenção preventiva dos equipamentos de tratamento.

A política de preços da IronTherm é feita pelo seu presidente (dono). Ele negocia
com cada cliente. Esse dono poderia dizer:
- "A política de preços sou eu!"

Este é o quadro geral.

O DESAFIO

Como estabelecer uma política de preços que capture o valor que há no


mercado na busca de tratamento de barras de ferro e aço?

A Construção da Política de Preços da conect

A política de preços da conect tem que se basear no que o mercado procura e


quer, e na quantidade das empresas que procuram estes diferenciais
procurados. Estas condições existem, a demanda existe, a conect já é líder de
mercado.

O preço tem que se basear nas características diferenciadas, que o mercado


busca e a conect tem, a saber:

1. qualidade garantida e medida por padrões internacionais;


2. alta capacidade de produção e
3. rapidez na entrega dos pedidos.

Portanto os clientes preferenciais da conect são aqueles que querem, pelo


menos, cada uma das seguintes acima mencionada, sob o ponto de vista do
cliente:

1. qualidade garantida e certificada.


2. grande volume de tratamento e
3. rapidez de entrega.

Então a política de preços deve estabelecer:

1. o preço da conect é maior do que o dos concorrentes por ser o único que
garante e certifica a qualidade do tratamento;

2. quanto maior o prazo entre a entrega do material à disposição para o


tratamento e a entrega, menor o preço/tonelada praticado;

3. quanto maior a quantidade de material a ser tratado, menor é o


preço/tonelada.

ETAPA 1 Quanto mais a IronTherm deve cobrar do que a


concorrência?

A opção foi fazer um preço maior, dada a qualidade percebida ser superior, mas
com uma estratégia defensiva. Esse preço estabelecido desestimula o
investimento, por parte dos concorrentes, que os capacite a ter o mesmo padrão
de qualidade e a mesma capacidade produtiva, pois o aumento de preço
possível, obtido com os novos equipamentos, não pagariam esse investimento
em 5 anos. Isto pode ser feito pois a IronTherm, praticando esses preços, tem
excelente lucro, pois já tem mais de 80% dos seus equipamentos depreciados.

O número que se chegou foi praticar um preço 4,5% maior do que o do


concorrente com preço mais próximo. Quando o concorrente cobra R$ 100,00, a
IronTherm cobra R$ 104,50, como preço mínimo.

Etapa 2:Tempo para tratamento:


intervalo entre recebimento e entrega do material

Nesta etapa coloca-se uma variável a mais, onde o intervalo de tempo entre o
recebimento do material a ser tratado e a data de entrega do material já tratado
é colocada na política de preços. Para tanto verificou-se que o pátio da conect
suporta perfeitamente até 5 meses de armazenagem de material.

O prazo para execução do tratamento foi assim considerado, em semanas:

Canais de Distribuição

Respeitam à seleção da melhor forma de fazer chegar o produto ao consumidor,


contudo, independentemente do canal escolhido, a empresa deve esforçar-se
por ter uma visão global de toda a cadeia de intermediários, desde o fabricante
até ao consumidor final.
Raramente os produtores vendem diretamente ao consumidor final, são
normalmente os intermediários que têm essa função. Por isso, em geral, na
estratégia de entrada das PME no mercado via exportação não se prevê um
esforço para os controlar.
A escolha do canal em cada mercado deve considerar dois aspectos: a
transferência da propriedade das mercadorias do exportador para o importador e
o movimento físico das mercadorias até ao destinatário final através de meios de
transporte e locais de armazenagem

Distribuidores

As alternativas para o exportador variam, desde a entrega a uma entidade


externa com responsabilidade pela distribuição até ao estabelecimento de um
sistema de distribuição próprio com agentes de venda e armazéns no exterior,
dependendo a escolha, da dimensão das exportações, da importância relativa
destas no conjunto das vendas globais, do grau de internacionalização da
empresa, da natureza dos produtos exportados e das características dos
mercados alvo.

Os agentes são meros representantes da empresa no mercado e não tomam


contacto com o produto, excepto através de amostras ou literatura de suporte
que utilizam para apresentações ao potencial comprador.

Os distribuidores ficam com a propriedade do produto, assumem os riscos de


crédito e encarregam-se de fazer chegar o produto aos potenciais
consumidores. Promovem, vendem, abrem créditos, efetuam recebimentos,
fazem stocks, prospectam o mercado, podem prestar serviços de apoio e dão
garantias aos compradores diretos. Efetivamente, fornecem mais serviços que
os agentes e a constituição de uma rede de distribuidores num mercado externo
é mais econômica do que a nomeação de agentes.

Assim, não obstante a tentação de organizar uma rede de agentes por a


percentagem de comissão cobrada ser menor, a empresa deve atender a que o
distribuidor fornece mais serviços e com ele, a empresa recebe mais cedo.

Em ambos os casos, os intermediários possuem um contrato com a empresa,


por um período de tempo determinado, o qual, deve ser escrito e ter uma
redação detalhada, definindo territórios, formas de remuneração, eventuais
ações de formação e outros detalhes.

Na utilização do termo “agente” deve atender-se ao facto de muitos do Brasil


tem “Leis de Agenciamento” que poder implicar uma relação de trabalho (tipo
contrato de trabalho) entre a empresa e o agente. Por isso, frequentemente, se
usa em alternativa o termo “representante” ou “nomeado” para a mesma
realidade.

De referir ainda que via de regra, o intermediário gosta de elevadas margens


unitárias de lucro e comprar a crédito, o que aumenta o custo e o risco do
fabricante.

projeção de vendas
- A necessidade e a procura do mercado consumidor; - os tipos de
mercadorias ou serviços a serem colocados no mercado;
- A disponibilidade de pessoal;
- A capacidade dos recursos materiais, como máquinas e instalações;
- A disponibilidade de recursos financeiros;
- A disponibilidade de matéria-prima, mercadorias, embalagens e outros
materiais necessários.

O Plano Financeiro

Ao iniciar um planejamento financeiro de um novo negócio, é importante


determinar inicialmente:

O montante de recursos necessários para que o negócio inicie bem suas


atividades e se mantenha nos primeiros tempos; podemos denominar este
montante de Investimentos Iniciais;

como será possível conseguir este montante.O primeiro interesse então é fixar a
atenção nos investimentos iniciais, ou seja, no dinheiro necessário para abrir o
negócio e mantê-lo funcionando por um determinado tempo, até que o mesmo
caminhe por seus próprios recursos.

Os investimentos iniciais dividem-se em três tópicos importantes:

As Despesas Pré-operacionais, ou seja quais são os gastos que você terá antes
de sua empresa entrar em operação.

Alguns exemplos:

Gastos com o registro da empresa; um contador pode ajudá-lo com este dado;

registro do capital social

O capital social da conect, subscrito e totalmente integralizado, é de


4.563.996.485 euros, encontrando-se dividido em 4.563.996.485 ações de um
euro de valor nominal cada uma delas.
Todas as ações em que o capital social da conect é dividido são ordinárias, de
uma única série, e estão representadas por anotações em conta e outorgam os
mesmos direitos e obrigações aos acionistas. As ações da conect o têm
obrigações acessórias anexadas. Da mesma forma, os Estatutos Sociais da
conect não contêm nenhuma previsão sobre privilégios, faculdades ou deveres
especiais emanantes da titularidade das ações. Do mesmo modo, não existe
nenhum preceito estatutário que implique numa restrição ou limitação à livre
transmissibilidade das ações da conect.

DETERMINAÇÃO DE INVESTIMENTO INICIAL

Vamos analisar alguns aspectos financeiros imprescindíveis para o


planejamento de
abertura e gerenciamento de um negócio!

Os investimentos iniciais englobam todos os itens necessários para abertura de


um negócio. Para isto, você deverá estimar o mais real possível a quantia de
capital exigira pra iniciar e manter seu empreendimento durante os primeiros
meses de atividades. Vale lembrar, que devemos considerar que demora um
certo tempo para que as entradas sejam maiores ou iguais as saídas.
Devamos fazer o seguinte levantamento: investimento físico e investimento
financeiro, e outros gastos.
Investimentos físicos:
- móveis
- utensílios
- imóvel
- veículos
- máquinas e equipamentos
- terrenos
Capital de giro (investimento financeiro):
- estoque inicial de matéria-prima (indústria) ou mercadorias (comércio)
- mão de obra
- despesas fixas
Outros gastos:
- Despesas com propaganda inicial
- Despesas com registro
– Outros
DETERMINAÇÃO DE INVESTIMENTO INICIAL
Reforçando:
Custo Fixo: são aqueles cuja variação não é afetada pelo volume total de
produção

ou de vendas da empresa. Isso significa que , não importa se aa empresa está


vendendo pouco ou muito, eles permanecem os mesmos. Custos fixos tendem a
manter-se constantes, não importa a variação sofrida pelas receitas da empresa.
Vale ressaltar também alguns componentes de custo fixo, que tem que ser
lembrados:
- Depreciação: parcela de custos destinadas à proteção do investimento físico
proveniente do envelhecimento e utilização dos bens no processo produtivo da
empresa.
- Manutenção: parcela de custos referente a manutenção preventiva (revisões,
troca de óleo, etc..)
- Seguros: parcela de custos destinada ao pagamento do seguro anual dos
bens.
- Mão de obra indireta: aquela que não atua diretamente na produção, mas na
administração da empresa. Lembrado dos encargos sociais, que totalizam
alguns benefícios concedidos aos empregados, devendo ser igualmente
contabilizados.
Custos Variáveis: são aqueles que variam com a venda de produtos e, por
consequência, com as receitas. Eles costumam ser representados pelos
seguintes itens:
- mão de obra direta (comissão)
- matéria-prima (industria)
- custo da mercadoria vendida (comércio)
- embalagens
- tributos (ICMS, ISS, PIS, COFINS)
- demais gastos que ocorrem mensalmente, cuja variação se dá em função do

ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO


Capital de giro são recursos que as empresas mantêm em caixa para atender
suas necessidades operacionais imediatas, como por exemplo, negociar preços
melhores com os fornecedores ou aproveitar uma oportunidade de negócio
vantajosa, pagar salários e tarifas publica. Fazem parte do capital de giro os
recursos em caixa, aplicações financeiras, estoques e duplicatas a receber.
O capital de giro precisa de acompanhamento permanente, pois está
continuamente sofrendo o impacto das diversas mudanças enfrentadas pela
empresa. Já o capital fixo não exige atenção constante, uma vez que os fatos
capazes de afetá-lo acontecem com uma frequência bem menor. Boa parte dos
esforços do administrador financeiro típico é canalizada para resolução de
problemas de capital de giro constituídos por formação e financiamento de
estoques, gerenciamento das contas a receber e administração de déficits de
caixa. Nesta luta para sobreviver, a empresa acaba sendo arrastada pelos
problemas de gestão do capital de giro e tende a sacrificar seus objetivos de
longo prazo. Os empresários conhecem bem este fenômeno. Boa parte de seu
tempo é consumido apagando incêndios, onde o foco mais perigoso reside no
capital de giro.
O capital de giro é extremamente importante para as empresas, haja vista que é com estes
recursos que a empresa mantem-se em funcionamento no curto prazo. Caso a empresa
não administre corretamente os itens que fazem parte do capital de giro, poderá levá-la a
uma situação de insolvência.
Como acontece no trato de muitos outros problemas, a ação preventiva tem um papel
importante para a solução dos problemas de capital de giro. A principal ação consiste na
formação de reserva financeira para enfrentar as mudanças inesperadas no quadro
financeiro da empresa. A determinação do volume dessa reserva financeira levará em
conta o grau de proteção que se deseja para o capital de giro. Uma análise do tipo o que
aconteceria ao capital de giro poderia ser bastante útil para se formular a
estimativa do volume da reserva financeira. À primeira vista, poderia soar
antieconômico a formação de uma reserva financeira, já que esta decisão tiraria
recursos financeiros que de outra forma deveriam ser aplicados no investimento
em ativos fixos de modo a permitir a expansão da empresa.
Frequentemente, os problemas de capital de giro surgem como consequência de
uma redução de vendas. Neste caso, o administrador financeiro se defronta com
questões como manter o capital de giro sob controle diante de um quadro de
redução das vendas e o que pode ser feito para evitar uma crise maior de capital
de giro.
O efeito tesoura é o crescimento e o decréscimo continuo do capital de giro de
uma empresa, uma má administração leva a esse efeito.
Uma empresa entra no efeito tesoura quando em uma série de exercícios
sociais seguidos o Investimento operacional em giro é maior do que o capital
permanente liquido, levando consequentemente a um saldo negativo de
tesouraria.
É de suma importância acompanhar a evolução do saldo de tesouraria, a fim de
evitar que permaneça constantemente negativo e crescente. Caso o
autofinanciamento (lucros) de uma empresa não seja suficiente para financiar o
aumento de sua necessidade de capital de giro, seus dirigentes serão forçados a
recorrer a fundos externos, que podem ser empréstimos de curto ou longo
prazos e/ou aumento de capital social em dinheiro. Caso esses fundos não
possam ser obtidos, essa empresa terá sua própria sobrevivência ameaçada
A necessidade de capital de giro é função do nível de atividade de uma
empresa. Seu aumento tanto pode ocorrer em períodos de rápido crescimento
como também em períodos de queda nas vendas. O saldo de tesouraria se
tornará cada vez mais negativo com o crescimento das vendas, caso a empresa
não consiga que seu autofinanciamento cresça nas mesmas proporções do seu
crescimento da necessidade de capital de giro. Esse crescimento negativo do
saldo de tesouraria é que denominado efeito tesoura.
O efeito tesoura ocorre quando a empresa financia a maior parte da
necessidade de capital de giro através de créditos de curto prazo. Nesse caso, o
saldo de tesouraria se apresenta negativo e crescendo, em valor absoluto,
proporcionalmente mais do que a necessidade de capital de giro. O
acompanhamento cuidadoso do Saldo de Tesouraria, observado sob o prisma
do grau de alavancagem operacional e financeira, dará ao empresário uma
medida adequada de como e quanto se endividar. Nem sempre o crescimento
das vendas é um movimento sadio, nem sempre a queda nas vendas é um
movimento pernicioso. Tudo depende da relação entre a variação da
necessidade de capital de giro sobre as vendas, bem como do
autofinanciamento sobre as vendas.
Despesas e Custos Fixos
Despesas ou Custos fixos são aqueles que não sofrem alteração de valor em
caso de aumento ou diminuição da produção. Independem portanto, do nível de
atividade, conhecidos também como custo de estrutura.
Exemplos:
Limpeza e Conservação
Aluguéis de Equipamentos e Instalações
Salários da Administração
Segurança e Vigilância
Possíveis variações na produção não irão afetar os gastos acima, que já estão
com seus valores fixados. Por isso chamamos de custos fixos.
Despesas e Custos Variáveis
Classificamos como custos ou despesas variáveis aqueles que variam
proporcionalmente de acordo com o nível de produção ou atividades. Seus
valores dependem diretamente do volume produzido ou volume de vendas
efetivado num determinado período.
Exemplos:
• Matérias Primas
• Comissões de Vendas
• Insumos produtivos (Água, Energia)
Apropriação dos Custos Fixos e Variáveis
No sistema de custo variável o custo final do produto (ou serviço) será a soma
do custo variável, dividido pela produção correspondente, sendo os custos fixos
considerados diretamente no resultado do exercício. Neste sistema a geração de
riqueza está na venda e não na produção.

Vale lembrar que este sistema de custos não é permitido pelo legislação fiscal, e
serve somente para fins gerenciais. O custo de absorção é o utilizado
legalmente conforme o Decreto 3.000/99. Neste método todos os gastos
relativos ao esforço de fabricação são distribuídos para todos os produtos feitos,
pouco importando se estes são fixos ou variáveis. Desta forma os produtos
acabam absorvendo os custos, o que gerou o nome deste método (custo por
absorção).
Vantagens do Custeio Variável
Mesmo não sendo aceito pela legislação fiscal, o custeio variável apresente
vantagens sobre as demais. Podemos destacar as seguintes:
- Apresenta o Resultado Operacional em função das vendas
- Não há necessidade de adotar critérios de rateio para apropriar custos fixos, já
que esses são deduzidos diretamente do resultado.
- Torna evidente a Margem de Contribuição de cada produto, muito utilizada no
processo decisório.