Você está na página 1de 11

MEMORIAL DE CÁLCULO

E LISTA DE MATERIAIS

PROJETO DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA


AGÉLICA - MS

OBRA: Abastecimento de Água – ANGÉLICA - MS


PROF: Mauro Polizer

RESPONSÁVEL: Marcos Resende

Campo Grande, Novembro de 2010.


Dimensionamento

População de projeto
As informações referentes a população da cidade de Angelica, MS foram obtidas
através do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
A tabela abaixo demonstra a evolução populacional da cidade de Angélica, no período de
1991 a 2010.
ANO
ANO REF. POPULAÇÃO
1991 1 8834
1996 6 8183
2000 10 7356
2007 17 7253
2010 20 9170

A previsão da população para o ano futuro de dimensionamento que é 2040 foi feito
através de extrapolação dos dados fornecidos pelo IBGE fazendo uso de linhas de tendência
. Para fins de analise e por meio de equações obteve-se as curvar de tendência logarítmica
e polinomial, para a partir da comparação decidir qual curva de tendência futura se aproxima
da curva calculada com os dados fornecidos pelo IBGE, e consequentemente obter a
equação desta curva e assim calcular a população futura.

Curva Logaritmica comos dados


10000 do IBGE
9000
8000
7000
6000
5000
y =-231,32Ln(x) +8618,3
4000 2
R =0,1058
3000
2000
1000
0
0 5 10 15 20 25
Na analise observou que o resultado mais coerente é a curva de tendência logarítmica,
porem notou-se uma incorrespondencia de valores entre os resultados gráficos e a
população atual da região como pode-se observar no gráfico abaixo:

LOGARITIMICA
8.700,00
8.600,00
8.500,00
8.400,00
8.300,00
8.200,00
8.100,00
8.000,00
7.900,00
7.800,00
y =-231,32Ln(x) +8618,3
7.700,00
7.600,00
0 10 20 30 40 50 60

Para o ano de 2040 a população extrapolada seria de:


Pop . 2040 = −231,32 ⋅ ln ( x ) + 8618 ,3 = −231,32 ⋅ ln ( 40 ) + 8618 ,3 = 7.765 hab

Nota-se que a população de Angélica a principio possui um crescimento irregular


no enquanto ao passar do tempo esta população segundo o gráfico começa a diminuir . de
forma que a população final para 2040 possui um valor diferente do atual (9170hab) Portanto
define-se a população de projeto como 10% da população atual.
Pop . proj = 9.628 hab

Período do projeto

Adota-se o período de 20 anos para o projeto.


Inicio de plano: 2010
Final de plano: 2030
Consumo per capita

Adota-se o consumo per capita de 150 L/hab.dia. Este valor é utilizado para
cidades com população de até 50000 habitantes.

Coeficientes de variação de consumo

Os coeficientes de variação de consumo são:


Coeficiente de máxima vazão diária K1 =1,20
Coeficiente de máxima vazão horária K2 =1,50

Área total (At)

As quadras na cidade de Angélica apresentam dimensões variaveis.


Considerando o crescimento da população e expansão futura da cidade obtemos
At = 364,40 ha

Determinação da vazão de projeto para rede de abastecimento

K1 ⋅ K 2 ⋅ Pop. proj ⋅ q
Q proj =
86400
Sendo:
Q proj = Vazão de projeto para toda a área de abastecimento
K1=1,2 (Dia de maior demanda)
K2=1,5 (Horário de maior demanda)
q=150 l / (hab.dia) (Consumo diário de água por habitante)

População de projeto 9628 hab


Área de abastecimento 364,40 ha

Vazão de projeto 30,09 l/s


0,083 l/
Vazão Específica
(s.ha)

Vazão específica: Vazão por unidade de área


Escolha do método de dimensionamento da rede de abastecimento
Como a área 364,40 há é superior a 1 km², calcula-se a rede pelo processo de
Hard – cross.

Devido ao fato da cidade de Angélica ser de porte pequeno a tubulação


secundária será de diâmetro igual a DN 50 mm. Cuja vazão máxima é de 1 l/s.
Verificação das condições de abastecimento das áreas internas e externas para
ver se as vazões requeridas são correspondentes as vazões disponiveis .

ANEL 1 ANEL 2
Área interna 22,7 ha Área interna 31,4 ha
Vazão req. 1,9 l/s Vazão req. 2,6 l/s
Numero de Numero de
7 4
derivações derivações
Vazão por 1,0 (DN 50 1,0 (DN 50
derivação l/s mm) Vazão por derivação
l/s mm)
Vazão disponível 7,0 l/s
Vazão disponível 4,0 l/s
Situação OK!
Situação OK!
ÁREA EXTERNA ANEL 3
Área externa 280,3 ha Área interna 30,0 ha
Vazão req. 21,3 l/s Vazão req. 2,5 l/s
Numero de derivações 25 Numero de derivações 6
1,0 (DN 50 1,0 (DN 50
Vazão por derivação Vazão por derivação
l/s mm) l/s mm)
Vazão disponível 25,0 l/s Vazão disponível 6,0 l/s
Situação OK! Situação OK!
Dimensionamento do anel e cálculo da altura do reservatório

marcos imprime e coloca nesta pagina do memorial os cálculos do anel


Conclusões do dimensionamento da rede de abastecimento
A norma recomendo que a pressão mínima no anel principal não seja inferior a 15
m.c.a. Valor este, que para a altura de reservatório escolhida, 2,0 m, é atendido. Também
se verificou a pressão máxima na rede com um valor de 54,4 mca, valor este maior do
que 50 mca, recomendado pela norma.recomenda-se diminuir o valor da cota 379, por
meio de escavação, um valor ideal de corte na escavação seria de 3m para abaixo,
assim poderá se obter um valor de 50 mca como pressão máxima na rede.
É importante salientar que não foi preciso verificar a pressão dinâmica na rede secundaria
uma vez que o pior caso estava no rede de distribuição principal.

Cálculo do conjunto Moto-Bomba da Adutora

O objetivo para o dimensionamento do conjunto Mortor –BombaO é fornecer energia à


água convertendo a energia mecânica que recebe do motor de acionamento em energia
hidráulica. A bomba deve fornecer uma energia total específica (por unidade de peso), ou
seja, uma altura manométrica total, igual à variação de ALTURA MANOMÉTRICA TOTAL
da água (entre as condições inicial e final) somada às PERDAS DE CARGA na tubulação.

Marcos aqui vc coloca a planilha com os cálculos da bomba,,


Primeiro vem a planilha com o calculo da bomba da ADUTORA DO MANACIAL AO RESERVATORIO\
E os gráficos
Em seguida(na seqüência) vem a planilha com ADUTORA DO RESERVATORIO INFERIOR AO SUPERIOR e os
seus respectivos gráficos e por ultimo vem a explicação de npsh e loga a
lista de materiais
Como a vazão do ponto de funcionamento Q= 64 m³/h é maior que a vazão
requerida pela adutora (48,68 m³/h), a bomba é capaz de garantir o recalque até a ETA.
Consederaçoes para o calculo do NPSH:

Pa = Hg + pv + Σ hfs + NPSH ou
NPSH = (pa – pv) – (Hgs + Σ hfs) ou ainda
NPSH = (pa – pv) – Hmans → chamado de NPSH disponível.

− Nesta fórmula, (pa – pv) será conhecida em cada local em função da altitude e da
temperatura da água.

− Verifica-se então que se o NPSH for alto, Hman.suc deverá ser baixo, isto é, Hg ou
Σ hfs, ou ambos, deverão ser baixos.

− NPSH disponível > 1,2 NPSH requerido e no mínimo NPSH requerido + 0,50m.

− O valor do NPSH requerido é tirado do catálogo do fabricante.

Obs.: Caso o NPSHd < NPSHr, ocorrerá no interior da bomba o fenômeno


denominado de cavitação, que consiste na formação de bolhas de vapor d’água que
circulando em alta velocidade e se chocando com o rotor e carcaça danifica-os.
LISTA DE MATERIAIS
ITE UN QTD
M DESCRIÇÃO D. E
1 TUBO PVC JE DN 250 MM m 140
2 TUBO PVC JE DN 200 MM m 290
3 TUBO PVC JE DN 150 MM m 1510
4 TUBO PVC JE DN 100 MM m 1900
3100
5 TUBO PVC JE DN 50 MM m 0
6 TÊ PVC JE BBB DN 200 MM pç 1
7 TÊ PVC JE BBB DN 150 MM pç 1
8 TÊ PVC JE BBB DN 50 MM pç 2
9 REGISTRO GAVETA COMUM PVC JE BB DN 250 MM pç 1
10 REGISTRO GAVETA COMUM PVC JE BB DN 200 MM pç 1
11 REGISTRO GAVETA COMUM PVC JE BB DN 150 MM pç 6
12 REGISTRO GAVETA COMUM PVC JE BB DN 100 MM pç 8
13 REGISTRO GAVETA COMUM PVC JE BB DN 50 MM pç 152
14 CRUZETA PVC JE BBBB DN 250 MM pç 2
15 CRUZETA PVC JE BBBB DN 200 MM pç 3
16 CRUZETA PVC JE BBBB DN 150 MM pç 16
17 CRUZETA PVC JE BBBB DN 100 MM pç 18
18 REDUÇÃO PVC JE PB DN 250 MM X DN 150 MM pç 3
19 REDUÇÃO PVC JE PB DN 250 MM X DN 200 MM pç 1
20 REDUÇÃO PVC JE PB DN 150 MM X DN 100 MM pç 6
21 REDUÇÃO PVC JE PB DN 150 MM X DN 50 MM pç 14
22 REDUÇÃO PVC JE PB DN 100 MM X DN 50 MM pç 30
23 CURVA PVC JE PB 90 DN 250 MM pç 2
24 CURVA PVC JE PB 90 DN 50 MM pç 6
25 LUVA DE CORRER PVC JE DN 250 MM pç 2
26 LUVA DE CORRER PVC JE DN 50 MM pç 6