Você está na página 1de 13

TECHDAY

CONSTRUINDO CULTURA DIGITAL


NAS ORGANIZAÇÕES

Daniel Aisenberg
Diretor de Planejamento

PERFIL

Acadêmico Trajetória Consultoria Capacitação

• Jornalista • JB Online • MPX • Petrobras


• Especialista em • Globo Online • ONS • Firjan
Marketing • Cadê? • Caixa Seguros • Unimed RJ
• Empresário • Infnet • FBHA • Grupo EBX
• Consultor • Brasil Telecom • CCR • Riopol
• Professor de • Palavra-Chave
pós na ESPM,
Senac e PUC

1
DE FORA PARA DENTRO: W EB 2.0

Web Web
1.0 1ª geração da internet 2ª geração, foco na 2.0
comercial. Ênfase no troca de informações
volume de informação e colaboração

Conteúdo estático Conteúdo interativo


e unidirecional e colaborativo

Usuário era espectador. Usuário não só ganha voz


Não podia alterar ativa, como passa a gerar
o conteúdo que lia conteúdo (prosumer)

Pulverização em vários
Presença on-line canais e integração
significa ter um site do conteúdo

DE FORA PARA DENTRO: W EB 2.0

Blogs
Fotos
Comparti- Microblogs
lhadas

Vídeos
Comparti- RSS
lhados Principais
Plataformas
Podcasts Sociais Widgets

Redes
Fóruns
Sociais
Chat

2
DE DENTRO PARA FORA: ENTERPRISE 2.0

Enterprise 1.0

Enterprise 2.0
Foco em documentos Foco em pessoas
Estrutura rígida Estrutura flexível
Taxonomia Folksonomia
Pastas Tags
Conhecimento Conhecimento
como posse compartilhado
Um para muitos Muitos para muitos
Centralização Distribuição
De cima para baixo Emergente

Fonte: Ross Mayfield, SocialText


5

COMO AS EMPRESAS SE ADAPTAM

Reestruturação organizacional

Fusões e aquisições

Revisão de processos

Modernização tecnológica

Contratação de especialistas

Formação de profissionais

3
TECNOLOGIA: FIM OU MEIO?

Soluções frequentes:
 Comprar ferramentas

sofisticadas
 Encomendar site ou

intranet “com web 2.0”


 Encaixar mídias sociais

nas ações previstas


 Priorizar treinamento

técnico

Será que isso resolve? 7

CASE BT

4
CASE BT

CASE BT

10

5
CASE BT

Então, wikis e blogs são a solução para qualquer


organização? Basta implementar e usar?

Depende de cada cultura organizacional.

Na BT, isso já estava no DNA.

11

CASE BT

Por que mídias sociais são importantes para a BT?

Redes
sociais

Redes de Tecnologia de
dados globais comunicação

Drivers de
negócios
da BT

Simplificação Poder para o


da tecnologia usuário

Construção
de
comunidades

12
Fonte: Mark Morrell, Gerente da Intranet da BT

6
CASE BT

O que ajudou na adoção das ferramentas:

o Drivers de negócios da BT similares aos das mídias sociais


o Tornar muito fácil de usar para qualquer um
o Identificar early adopters para piloto
o Ser flexível na evolução desejada pelos usuários
o Participação da diretoria
o Ter uma cultura aberta, colaborativa
o Incorporar aos processos existentes de negócios

13
Fonte: Mark Morrell, Gerente da Intranet da BT

ENTERPRISE 2.0 ENFRENTA BARREIRAS

14

7
ENTERPRISE 2.0 ENFRENTA BARREIRAS

15

ENTERPRISE 2.0 ENFRENTA BARREIRAS

16

8
DESAFIOS POUCO VISÍVEIS

Processos
Gestão do conhecimento
Governança Web
Gestão de conteúdo
Planejamento estratégico
Cultura
Trabalho colaborativo
Visão integrada, multicanal
Análise de métricas e indicadores
Transparência, abertura ao diálogo 17

GESTÃO DA MUDANÇA

Comunicação
Capacitação

Tecnologia 18

9
COMUNICAÇÃO INTERNA

Via de mão dupla

 Integração entre os canais

 Participação ativa dos funcionários

 Conteúdo gerado pelos usuários

 Registro e compartilhamento de experiências

 Encontros presenciais temáticos

 Intranet como agregadora, ferramenta de trabalho


19

COMUNICAÇÃO INTERNA

A importância dos líderes

 Representação nas discussões corporativas

 Seleção de pontos focais adequados

 Comunicação face a face

 Reconhecimento do trabalho

 Coaching

20

10
CAPACITAÇÃO

Exemplos de ações

 Cursos presenciais
 Palestras de especialistas
 Visitas técnicas a outras empresas
 Programas para gestores e pessoal operacional
 Publicação de melhores práticas na intranet

Motivação, não apenas treinamento!

21

GOVERNANÇA W EB

Modelo Hipotético
Estratégico
Patrocinador

Comitê Diretivo

Fórum Tático
do Portal
Auditoria
Gestão
do Portal

Gestão Gestão
de Conteúdo Tecnológica

Controle Operacional
22

11
GOVERNANÇA W EB

Modelo Hipotético
Estratégico
Patrocinador

Comitê Diretivo

Fórum Tático
do Portal
Auditoria
Gestão
do Portal

Gestão Gestão
de Conteúdo Tecnológica

Controle Operacional
23

GESTÃO DE CONTEÚDO NÃO É SÓ REDAÇÃO

1 Processo de autoria e publicação


Autoria

2 Suporte à criação de conteúdo

Qualidade Inserção 3 Políticas editorial e de conduta


Gestão
de
conteúdo 4 Treinamento em ferramentas

Capacitação em técnicas de
5
comunicação on-line
Atualização Classificação

Classificação e recuperação
6
de conteúdo

24

12
CONCLUSÕES

 Enterprise 2.0 é um modo de trabalhar, pensar e agir

 Ferramentas dão suporte a processos e pessoas

 Antes da cultura digital, vem a cultura colaborativa

 Comunicação offline e presencial seguem essenciais

 Estruturar Governança Web é pré-requisito

 No fundo, o maior receio é o da… mudança!

25

OBRIGADO!

daniel@palavrachave.net
(21) 2215-5642 | 8668-5642

13