Você está na página 1de 16
MPSC er Cen polo Onoracional de | MINISTERIO PUBLICO | Informagées Tesnicas ¢ Pesqu sas Santa Calarina LAUDO TECNICO N. 76/2012/CIP/CAT Procedimento: SIG n, 05,00008098-5 ‘Orgao Solicitante: Promotoria de Justita da Comarca de Catanduvas Natureza da solicitagao: Laudo de Vistoria Sumario PREAMBULO...... HISTORICO... . LOCALIZAGAO DA AREA VISTORIADA DOS EXAMES: s DO PROJETO E DOS DOCUMENTOS PRESENTES 5.1, Do Edita! Licitatorio n, $806 ¢ Contrato Administrative n, 69/06, 5.2. Do Projeto Basico de Engenharia. seve 6. DAS GONSTATAGOES....... i 6.1, Projetose Sist 2. Meio-fi 6.3. Drenagem. 6.4. Projeto de Pavimentagao .. CONCLUSAO... REFERENCIAS... waenpa ex Indice de ilustragées llustracao 1: Localizagao nas Ruas 16 de Novembro e José de Alencar (Fonte da imagem de satélite: Google Earth}... llustragao 2: Camadas tipicas numa pavimentagao. llustragao 3: Trinca isolada transversal interligada a uma longitudinal... llustragao 4: Trinca isolada transversal... heal llusiragdo 5: Trinca interligada tipo "Couro de Jacaré llustragao 6: Trinca interligada tipo "Couro de Jacaré" llustracao 7: Trinca interligada tipo "Couro de Jacaré"... justragaio 8: Rua José de Alencar: trecho sem meio-fia........ lustracao 9: Rua José de Alencar: Trinca interligada e depressao..... Mustragao 10; Rua 15 de Novembro, trinca interligada e depressao. llustragao 11: Rua 15.de Novembro, boca de leao. Mustragdo 12: Rua 15 de Novembro, boca de leao..... llustragao 13: Rua 16 de Novembro, boca de edo tamponada llustragao 14: Reperfilagem+Capa Asfaltica - espessura de § em. Hlustragao 15: Capa asfaltica - espessura de 1,50 cm 3 llustracao 16: Capa asfaltica - espessura de 20m... oe llustragdo 17: Rua 15 de Novembro - acostamenta sem reperfilamento.... llustracao 18: Rua 15 de Navembro - acostamenta sem reperfilamento..... llustragao 19: Rua 15 de Novembro - acostamenta sem reperflamento...... llustragao 20: Rua José de Alencar - reperfilagem*Capa: Espessura de Scm.........26 4. PREAMBULO Aos 13 dias do més de junho do ano de 2012, nesta cidade de Florianopolis, foi designada pela Coordenadaria de Assessoramento Técnico do 2? dao Lame Técnito 7820120018 . MeSC : MINISTERIO PUBLICO Santa Centro de Apoio Operacional de Informagdes téenicas © Pesquisas (CIP), do Ministério PGblico do Estado de Santa Catarina, o Analista em Engenharia Civil André Fernandez da Cruz, para proceder a vistoria na pavimentagao astaltica das Ruas 15 de Novembro e José de Alencar, Centro, municipio de Vargem Bonita, para 1 fim de averiguar se a execugo da obra de pavimentagao asfaltica assim o foi em confermidade com as exigéncias contidas no edital licitatério e no contrato administrative firmado entre a Administracio Municipal e a empresa SETEP Topografia ¢ Construgdes Lida. 2, HISTORICO No intuito de atender a solicitagao da Pramotoria de Justiga da Comarca de Catanduvas, no dia 30 de outubro de 2012 compareceram André Fernandez da Cruz, Analista em Engenharia Civil, ¢ Ronalda Bento Gongalves de Almeida, Analista em Geologia, ao local em questao, Ruas 15 de Novembre e José de Alencar, Centro, municipio de Vargem Bonita De acordo com o procedimento licitatério a obra vistariada compreende os servigos de pavimentagao asfaltica de duas ruas municipals, conforme projeto e memorial descritivo. Destaca-se que hd nos documentos uma deniincia acerca da espessura do asfalto, segundo a qual foram projetades reperflagem' com 4 em e capa asfaltica, aplicada com vibro acabadera, com 3 cm de espessura, quando na verdade teriam sido executadas espessuras inferiores. © faco da solicitagao de apoio ¢ a verificagao da conformidade da obra executada com o Edital Licitatéria 0 Contrato Administrative, Avistoria que fundamentou o presente Lauda teve por abjetive verificar se a execugao da obra foi realizada em conformidade com o processo licitatério 1 Reperflagem ou Camada de nivelamente: massa asféltica de graduagaa fina, com a fungao de contigir dafarmagBes na superficie de um antigo revestimento ¢ pramover a'selagem de fissuras. Luly Téenican, Te20raICIP Pagina 3 ne MINISTERIO PUBLICO | Informagce Sant tarina contrat administrative, Para isto, os Analistas desta Coordenadoria utilizaram-se das ferramentas e equipamentos necessérios 4 elucidacac dos fatos que demandam esclarecimentos, descrevendo com verdade o que observaram 3. LOCALIZACAO DA AREA VISTORIADA A area foce da vistoria corresponde a pavimentagao executada nas Ruas 45 de Novembro e José de Alencar, Centro, Vargem Bonita. A Imagem n° 4 ilustra a rea em questo, que se localiza nas sequintes coordenadas geograficas: Latitude 27°00109,88"S /Longitude §1°44'37.80°O (georreferenciadas segundo 0 datum? WGS.84) llustragdo |: Localizagaio nas Ruas 15 de Novembro ¢ José de Alencar (Fonte da imagem de satélite: Geogla Earthy 2 Datum ou sistema geodésico de referéncia denota uma superficie matematica de dmensbes semelhantes as da planela Terra, sobre a qual s0 delerminadas as coordenadas das acidentos geagtafices, WGS-84 # 0 dalum do sistema da pasicionamenta GPS, . a Técnica n, 762 MP SC er ce MINISTERIO PUBLIC Santa Catarina Informagdes Técnicas @ 4. DOS EXAMES Aim de proceder a elucidagao dos fatos, a vistoria que fundamentou este documento utlizeu-se dos seguintes materiais e métodos: ‘anélise dos documentos presentes na pasta digital da solicitagdo de apoio - SIG n® 05,2012,00008098-5; « vistoria in loco; = medigdes com trena de fibra de vidro de 30m @ trena metalica de 7.5m; slevantamenta de Coordenadas Geograficas com Receptor GPS de mapeamento, marca Trimble, modelo Juno SB, com preciséo nominal entre 2 ¢ 5m, obtida por meio da corre¢ao diferencia’ durante @ pos-processamento da observavel pseude-distéinc +levantamenta fotografica através de cAmera digital, marca Sony, modelo DSC-HX1. 5. DO PROJETO E DOS DOCUMENTOS PRESENTES Como colocado no item “2. HISTORICO’, do presente Laudo Técnico, hd nos autos informagdes que a pavimentagao asfiltica no foi executada em conformidade com o Edital de Licitago e o Contrate Administrative. Dessa ferma foram apensados ao procedimente cOpias desses documentos, fotos das constatagbes denunciadas e os memoriais descritives e planilhas de cdleulo do 3 A Corecde Diferencial permite que sejam minimizados os efeitos de diversas tipos de erros sistematioas existentes no sistema GPS, por meio da cruzamento de observactes simultineas de Tecepiores GPS siuadas em pantos base de coordenadas conhecidas a pricr 4 Psoude-distncia sia as distancias calculaddas entre o receptor GPS e cada satélte, exciusivamente por melo do cédigo CA modulada na onda partadora. Aas o célculo das psauda- dislincias de cada Saléite 0 receptor é capaz, par mole da tesolugso de um sistema de equagées, da calcular as coordenadas de sus localiza;So Laucin Téenioo n, 7672012°C MPS Ee esis MANISTERIO PUBLICO | Informagdes T Santa Catarina dimensionamento da pavimentagao. Destaca-se que a Memorial descritivo menciona a existéncia de trés projetos descritos a seguir: planta baixa das ruas cam segdo tipo, planta de localizagao e segdes transversais. Porém, nenhuma planta au detalhe geométrics fol apresentado na relagao de documentos apensadas a solicitacae de apoio, © Edital Licitatério também informa que a despesa do contrato correra por conta de recurses préprios de Municipio de Vargem Bonita e de recursos oriundos de Conwénio com o Estado de Santa Catarina. Contudo, observa-se nos elementos acostads a0 procedimento, que nao ha indieagao de nenhum detalhamento do Tespectivo convénio ou da forma de prestagao de cantas com o Estado. 5A. DoE al Licitatério n. 8/06 o Contrato Administrative n. 69/06 © Edital da Tomada de Prego n. 06/2006 fai assinado @ datado em 17 de maio de 2006, Nele esta previsio, até a dia 9 de junho de 2006, 0 prazo para os proponentes apresentarem os documentos de habilitagao € as propostas de prego, contabilizando 23 dias de intervalo entre os eventos. Nao existem no procedimento evidéncias da data de publicapo do ecital, inviabilizando a aferi¢ae de cumprimento 66/93, de 18 do prazo minimo, estabelecido na Lei is entre os eventos 0 proceso licitatéria completa nao esta inserido na solicitaglo de ap Jago nao sera possivel averiquar o cumprimento das exigéncias, previstas na Edital referentes A capacitagao € qualificacao das empresas e a dala do ato de homologagae da licitagao, Os Contratos Administratives devem orentarse pelo art 54 da Lei 8606/93, que estabelece: rt 54, Os conirates administrativas de que trata esta Lei regulam-se pelas ‘hung eldusulas @ pelos precetos de dita piblico, aplicando-se-Ihes, supletivamente, 05 principios da tearia geral das contratos © as disposicdes: de direito privado. §1° 05 cantrates davem estabelezer com clareza © preciso as condigoes end Thewico n. 76°20 MSC [oP cc MINISTERIO PUBLIGO | fn Santa Catarina para sua execuglo, expressas em ciéusulas que defnam os diretas, Dbrigacoes e responsablidades das paries, em confarmidade com os termos da licitagao eda propasta a que se vinculam, (arto nosso) © prazo estipulada no edifal para entrega dos servigos é “de 60 (sessenta) dias Utels, contadas da data da assinatura do respectivo contrato” ¢ © objeto foi definida como “ a contratagdio de empresa regularmente estabelecida no ramo pertinente ao objeto desta licitagao, para realizagio de servicos de pavimentagao, nos seguintes trechos: parte da Avenida 15 de Novembro € parte da Rua José de Alencar, de acorda com projeto e memorial deseritivo". Contudo, observa-se ne contrato administrativa, firmado entre a Prefeitura de Vargem Bonita e a empresa SETEP Topografia e Construgées Lida... algurias divergéncias com o descrito no Edital, dentre elas destacamos: © Oprazo de execugao dos servigas, estipulado no contrato n. 69/2006, clausula quarta, é de 180 (cento € oltenta) dias contados da ordem de servic, Este prazo é trés vezes superior a0 definido no edital da Tomada de Prego. + Inconsisténcia na definipdo, Clausula Sétima do contrato, do praze de vigéncia contratual, definide em 120 (canto e vinte) dias, inferior ao prazo previsto para a execugao da obra. . © objeto definida no edital da Tomada de Prego & diferente do objeto especificado no contrato administrative, Ao segundo, foram acrescidos, incorretamente, os servigos dé drenagem pluvial, terraplenagem e obras complementares. + No Edital da Tomada de Prega é estabelecida o regime de Menor Prego Global e no Contrata Administrative € definido, incorretamente, © regime de Menor Prego Unitario. ‘O prazo de execugao das servigos, posteriormente, foi modificado através do Pri .eifo Termo Aditive firmada em 23 de novembro de 2006. Nele foi prorrogada Lando Téenioon T2072 Pagpna 7 de 28 MSC OM a aosoon a data de conclusde dos servigos para 0 dia 28 de fevereiro de 2007. O novo prazo cotresponde a uma ampliagdo de 5 (cinco) meses na data definida no Edital da Tomada de Prego e de 11 (onze) dias de praze definide ne cantrato, Verifica-se que essa prorrogagao de prazo nao esta acompanhada de justificativa nos documentos acastados a solicitagao de apoio. Nao foi possivel avaliar os valores apresentados, pois nao estao incluldas no Procedimento as planilhas orgamentatias. Observa-se, contudo, que a diferenga enire 08 valores do edital da Tomada de Prego e a proposta vencedora € de 0.52% (meio ponto percentual), aproximadamente, muito préxima do limite superior previsto. © Cantrato Administrativo n. 69/2006, na sua clausula sexta, "Da Fiscalizagao", descrave: ‘A supervise do presenta contrato sera falta pela Contratante, através aa Secretaria de Administracao e Finangas, e do departamenia de Engenharia dda AMMOC - Associagso dos Municipins da Meio Oeste Catarinense, o qual se incumbira das anolagdes @ postetior comunicacao dos. atos praticados pela Cantratada Nao foram juntados ao procedimento documentos ou indicatives da existéncia da fiscalizagdo de obra conforme previsdo contratual, nem as medigbes dos servigos realizados para posterior pagamento. 5.2. De Projete Basico de Engenharia A elaboragao dos projetos para as servigos, previsto no Proceso Licitatério n. 28/06, fieeu sob responsabilidade de Engenheiro Denir Nareizo Zulian, pertencente ao quadro de funciondrios da AMMOC - Associagao dos Municipies do Mela Oeste Catarinense. 0s projetos acostades ao provedimento néo possuem aprovacao pelo Orgao Municipal, conforme Lei n, 8,666/93, art, 7°, § 2°, inciso |, a seguir transcrito: An. 7* As lictagdes para a execugae de obras € para a prestagio de seWigas ebedecerdo ap dsposte neste artigo e, em parbeulay, a seguinte Lennda Técrico n, 76/20 12401 § de? (i cIP MescC MINISTERIO PUBLICO Santa Catarina sequéncia: Lpiojeto basico I.projeto executivo; M-execugae das obras e servigos, wy 8250s obras e 05 servigos somente poderto ser lctades quando: Lnouver prajeto basico aprovado pela autoridade competent e disponivel ia cere ‘dos inlefessados em participar da proceso licitatério, (arte exstir orgamenta detalhado em planithas que expressem a camposigaoda todos 08 seus custos unitafios; Loga, a elaboracao do Projeto Basico © sua aprovagdo sao etapas obrigatérias e antecedem a realizagao de um Proceso Livitatério para execugao de obras ou servigos de engenharia. O Instituto Brasileiro de Auditeria de Obras Publicas — IBRAOP — elaborou orientagbes técnicas, no formato de norma, com o objetivo de padrenizar conceitos embasados no entendimento da maioria dos Tribunais de Contas. Assim, a orientacdo técnica 001/2006 do IBRAOP, que visa uniformizar 0 entendimento quanto a definigao de Projeto Basico, especificada na Lei Federal 8,666/93, dispoe: E 0 canjunto de desenhos, memoriais desertivas, especficagses técnicas crgamento, eranograma edema elemenias técnicas necessiiios ¢ Sufclontes a precise caracterizacao da obra @ ser execulado, atendando 28 Normas Técnicas © # lepielag20 vigente, elaborado com base em estudos anteriores que assegurem a Viabilidade © @ adequado Watamente ambiental do empreendimente. ‘A mesma orientagao informa que para lisitar servigas de Pavimentacaa Urbana devem constar elementos técnicos como: Levantamento topografica, Projete Geométrico, Projeto de Pavimentagio, Projeto de Drenagem, Projeto de lluminagac, Projeto de Paisagismo e Projete de Sinalizagao Viaria. No caso especifico licitado, pavimentacao de vias existentes, onde sao do Técnico ni. 78/2012) Pegina ae 29 MPS | castciemae MINISTERIO PUBLICO | Injarmagdes Técnicas @ Pesquisas Santa Catarina mantidos 0 tragado original, 0 paisagismo € a iluminagao, entende-se que o Projeto Basico deve conter no minima: + Levantamento Topagrafice: levantamento planialtinétrico do local de implantagao da obra para quantificagao real das areas. * Projeto. de Pavimentagao: Contendo as secoes transversais do tipo de pavimentagao, indicanda as dimensées horizontais, as espessuras e caracteristicas de cada camada estrutural, detalnes da pintura ou imprimagao ligante; Memorial Deseritive do projeta incluindo condicionantes, concepgao, parametros © interferéncias com equipamentos poblicas, Meméria de caloulo do pavimento e Especificagao de Materiais e Servicos, * Piojete de Drenagem: Contendo © perfil longitudinal ou cotas altimétricas para implantagao dos elementos de drenagem; Segdes transversais tipo dos elementos de drenagem: Descritivo do projeto, incluindo condicionantes, concepgdo, parametros @ interferéncias com equipamentos Ublices; Meméria de cdlculo; Materiais e services. De acordo com os dacumentos inseridas nos autos 0 Projeto Basico esta inadequado. © Levantamento planialtimétrico © projeto de: drenagem nao foram elaborados e o projeto de pavimentagao esta incomplete, contendo apenas memorial descritivo @ especificagdes técnicas referente 8s camadas de reperfilamento € capa asfaltica de acabamento. Nao foram demonstrades alguns parametros utilzados no projeto de dimensionamento do pavimento, fragilizando os resultados estabelecidos. No memorial descritive as informagées dos procedimentes de execugao dos servigos 80 superficiais e n&o abordam todas as atividades essencials ¢ necessérias para executar a pavimentagao asfaltica. Desta forma, possibilita-se a0 Lauro Técning n 782012000 Pagina 20 MPSC °. MINISTERIO PUBLICO | Informagdes Técnicas Pt Santa Catarina -empreitgiro executar os servigos de forma livre, escolhenda a seu critério os procedimentos e cuidados na confecgo da pavimentacao. A titulo de exemplificagao temos: *A norma DNIT 145/2012-ES, " Pavimentagao - Pintura de ligagao com ligante asfaltico - Especificagao de servigo", define a sistematica a ser empregada na aplicagéo da pintura de ligagao sobre a superficie de uma camada de base ou entre camadas asfalticas. © servigo de pintura de ligago no foi especificado ou mencionado no Projeto Basico A norma DNER-ES 308/97, “Pavimentago - imprimagao" define e especifica os servigos de imprimagéo, indicando os materiais, equipamentos e cuidados na sua aplicagao. O servic. de pintura de ligagao do foi especificada ou mencionade no Projete Basico. A ‘imprimagae’, camada de material betuminoso aplicada sebre a superficie de base granular concluida, antes da execugéo de um revestimento betuminaso qualquer ¢ a “pintura de ligagao", qué consiste em ligante astaltica destinado a promover a aderéncia entre a base © @ revestimento astaitico ou entre camadas asialticas, so servigos importantes na pavimentacao asfaltica e a falta desses elementos podem ocasionar problemas na execugao e uso do pavimento, A Cléusula Segunda do Contrate n. 69/06 determina a obediéncia das normas técnicas e especificagses vigentes na Prefeitura de Vargem Bonita DEINFRAVSC, mas nao cité-las nominalmente torna-se uma exigéncia ineficaz Apesar de citada no memorial desentivo, nenhuma Anotagio dé Responsabilidade Técnica - ART foi identificada nos documentos dispeniveis para anilise As camadas tipicas de uma pavimentacao podem ser descritas como: Lauso Técnica n rezaraciP co 2 MPSC |e. MINISTERIO PUBLIC Santa Catarina | magoes Tocnicas.e Posquis (aust Téeneo m * — Subleito: Tetreno natural apés terraplanagem de ‘sonformagao ao greide © segao transversal: + Reforga do Subleito: Intervengso para methorar a Sabacidade de carga do terreno natural © definir 0 Greide de projeto; * — Sub-base: Camada intermediaria localizada entre a base 0 subleito, utlizada por circunstancias técnico-econdmicas ¢ Para regularizar a espessura da base: . Base: Camada qué recebera o revestimento betuminoso, Gestinada a resistre distribuir 96 esforcas oriundos do trlego * — Revestimento; Camada betuminosa ou concrete. Fist +—— 350 ——+—— 350 llustragao 2: Camadas tipicas numa pavimentago, Fonle: Prot. Geraldo Luciana de Olveira Marques (Notas de Aula) 6.2.1- Base € sub-base ou reforgo: F620 120C)2 Pagina 12 ato 29 MINISTERIO PUBLICA | Sania Catarina Frat tatendo oe um revestimento astaticg tare um pavimanto em FEgeleninstos ¢ astato existentes, base e sub-nase serde aprovelnaae y 6.2.2 - Revestimentos BeteOHSe para estas russ, repertiagem com CAUQ (Concreta Betuminoso Usinade a Quenta), de 4 em de espesou e ‘acabamento, statics CAUO espescura 3 em, G,CAUG 'seré esnaade com vibravacabadora, Ter um abaulamenta transversal de 3% caniorme seceao transversal em anevo, A definicaa do abaulamento transversal da pista em 39% deve caincidir com o abaulamente da base existente ou prever na camada de reperfilagem uma SSpessura complementar para atender a especificagao imposta, Nao fol anexada ao Procedimento © projeto das segées transversais cilado no subilem 62 2 do memorial, DAS CONSTATACGES. Para melhor exposicda das informagdes, as constatagbes efetuadas so Spresentadas nos subtitulos a seguir, dvididos conferme as elementos indicades no memorial descritivo. ‘AS avaliagbes foram realizadas com o objetivo de respander aos quesitos farmulados pela Promotoria de Juslica, A andlise recaiu sobre o¢ projetos e a situagao da pavimentacao “in loco’ A wistoria foi desenvolvida focada no cumprimento das especiteagses ¢ Sudedos detenminades no Memorial Descritive, Edital Lictatono © Contrato Administrative @ os defeites e falhas encontrades sao apresentados coma ilustragao da baixa fiscalizagde ou do descumprimento das especificagtes de norma, Os Seleitos avaliadas foram os teferentes & superficie, onde os danos ou deterioracoes ‘dos pavimentas asfaticos podem ser identiicados a olho nue classiftcados segunda lama ferminologia normatizada (ONIT 005/200 - TER « DNIT, 20034) MSC oP oon RINISTERIO PUBLIC | Intormagses Técnicas @ Peequisas Sante Catarina | 61. Projates e Sistema Viario Ne dimensionamento da pavimentagao asféltica foram mantidos os Pavimentos existentes, utlizande-os como base e sub-base. Essa ‘pga0 foi estabelecida sem apresentar estudio das condigoes desses pavimentos, au seja, nao ‘na Verificagao se a capacidade de carga, abaulamento Wransversal e drenagem local ‘estao adequadas as caracteristicas de projeto As llustraroes 3 @ 4 mostram trineas isoladas, que sao indicatives de deficiéncia na capacidade de suporte da base. * Tringa isolada transversal interligada a uma longitudinal Hustragaio Lauwlo Facnican PRoraicie Pagina t4 do 20 — MPSC|cr MINISTERIO PUBLICO Informagies Técnicas @ Posquisas Santa Catarina | Mustragéo 4: Trinca isolada transversal © surgimento de trincas isoladas ou interligadas na pavimentagao podem Sslar associadas @ diversas motives, como fadiga, envethecimenta reflexdo, variagdo da temperatura etc. As trineas por reflexao surgem quando o trincamento am Sariadas inferiores propagam-se em direga a superficie, ou sela, sto indiciog de possivel faiha na base. AS ilustragdes 5, 6 © 7 s80 outros exemplos de trineas, do tipo intetligadas, com probabilidade dos defeitos Possuirem a mesma origem, qual seja, falha na pavimentacao de base. auto Técnico n, 7620120049 Pagina 15 ate 0 Mesc|cr . Centro da Apoio Operacional de MINISTERIO PUBLIC. | iniormagges Técnicas © Pesquisas Santa Gatarina pe Mustragéa 5; Trinca interligada tipo “Cauro de Jacaré" Hustragao 6: Trinca interligada tipo "Couro de Jacaré*, bane Técniaon 78201201 Pigina 16 de 2