Você está na página 1de 66

Índice AutoCad R.

14 Básico

1. Introdução 1
1.1.O que é CAD / CAM / CAE 1
2. Iniciando o AutoCad® R14 2
2.1.Interface do AutoCad® 3
2.2.Entrada de comandos 4
2.2.1. Entrada de comandos via teclado alfanumérico 4
2.2.2. Comandos GRID, ORTHO, SNAP e LIMITS 5
2.2.3. Principais mensagens geradas no prompt 6
2.2.4. Entrada de comandos via menu de tela 6
2.2.5. Entrada de comandos através da barra de menus 7
2.2.6. Teclas de edição 7
2.2.7. Entrada de comandos através da barra de ferramentas 8
2.2.8. Repetição de comandos 8
2.3. Interrompendo a execução de um comando 8
2.4. Sistema de coordenadas WCS e UCS 8
2.5.Primitivas geométricas 9
2.5.1. Entrada numérica de pontos 9
2.5.2. Coordenadas cartesianas 9
2.5.3. Coordenadas polares 10
2.6. Coordenadas absolutas 10
2.7. Coordenadas relativas 10
2.8. Sistema de unidades 11
3. Comandos de manipulação de arquivos 12
3.1. NEW 12
3.2. OPEN 15
3.3. SAVE 15
3.4. SAVEAS 15
4. Seleção de objetos 16
4.1. Entendendo os métodos de seleção 16
5. Objetos de precisão ( OBJECT SNAP ) 17
6. Principais comandos de criação e edição do AutoCad 19
6.1. LINE 19
6.2. XLINE 19
6.3. RAY 19
6.4. PLINE 19
6.5. MLINE 20
6.6. SPLINE 20
6.7. ARC ( 3P ) 20
6.8. ARC ( S,C,E ) 20
6.9. ARC ( S,C,A ) 21
6.10. ARC ( S,C,L ) 21
6.11. ARC ( S,E,A ) 21
6.12. ARC ( S,E,D ) 21
6.13. ARC ( S,E,R ) 21
6.14. ARC ( C,S,E ) 21
6.15. ARC ( C,S,A ) 21
6.16. ARC ( C,S,L ) 21
6.17. ARC ( CONTINUE ) 22
6.18. CIRCLE 22
6.19. CIRCLE ( CENTER,DIAMETER) 22
6.20. CIRCLE ( 2 POINTS ) 22
6.21. CIRCLE ( 3 POINTS ) 22
6.22. CIRCLE ( TAN,TAN,RADIUS ) 22
6.23. DONUT 22
6.24. ELLIPSE ( CENTER ) 23
6.25. ELLIPSE ( AXIS,END ) 23
6.26. ELLIPSE ( ARC ) 23
i
Índice AutoCad R.14 Básico

6.27. RECTANGLE 23
6.28. POLYGON 23
6.29. SOLID 24
6.30. REGION 24
6.31. BOUNDARY 24
6.32. POINT 24
6.33. DIVIDE 24
6.34. MEASURE 25
6.35. DDINSERT 25
6.36. BLOCK 26
6.37. BHATCH 27
6.38. PSFILL 28
6.39. MTEXT 28
6.40. DTEXT 29
6.41. TEXT 30
6.42. MOVE 30
6.43. COPY 30
6.44. OFFSET 31
6.45. MIRROR 31
6.46. ARRAY ( RETANGULAR ) 31
6.47. ARRAY ( POLAR ) 32
6.48. ROTATE 32
6.49. ALIGN 33
6.50. STRETCH 33
6.51. SCALE 33
6.52. LENGTHEN 33
6.53. CHANGE 34
6.54. TRIM 34
6.55. EXTEND 34
6.56. BREAK 34
6.57. PEDIT 34
6.58. MLEDIT 35
6.59. SPLINEDIT 36
6.60. DDEDIT 36
6.61. HATCHEDIT 36
6.62. CHAMFER 36
6.63. FILLET 37
6.64. EXPLODE 37
6.65. ERASE 37
7. Comandos de visualização 37
7.1. REDRAW 38
7.2. REDRAWALL 38
7.3. ZOOM 38
7.3.1. ZOOM IN 38
7.3.2. ZOOM OUT 38
7.3.3. ZOOM WINDOW 38
7.3.4. ZOOM ALL 38
7.3.5. ZOOM PREVIOUS 39
7.3.6. ZOOM SCALE 39
7.3.7. ZOOM DYNAMIC 39
7.3.8. ZOOM CENTER 39
7.3.9. ZOOM LEFT 39
7.3.10. ZOOM LIMITS 39
7.3.11. ZOOM EXTENDS 39
7.3.12. ZOOM POINT 40
7.3.13. PAN POINTS 40
7.3.14. PAN ( DESLOCAMENTOS AUTOMÁTICOS ) 40
ii
Índice AutoCad R.14 Básico

7.3.15. REGEN 40
7.3.16. UNDO / REDO 40
8. Propriedades dos desenhos 41
8.1. Toolbar Object Properties 41
8.2. Conhecendo as propriedades 41
8.2.1. LAYERS 41
8.2.2. COLORS 41
8.2.3. LINETYPES 42
8.3. DDLMODES 42
8.4. LAYER CONTROL 43
8.5. DDCOLOR 44
8.6. DDLTYPE 44
8.7. LINETYPE CONTROL 44
8.8. PROPERTIES 45
8.9. MATCH PROPERTIES / PAINTER 45
8.10. LIST 45
8.11. ID 45
8.12. DIST 45
9. Dimensionamento 46
9.1. Tollbar Dimensioning 46
9.2. LINEAR 46
9.3. ALIGNED 46
9.4. RADIUS 46
9.5. DIAMETER 46
9.6. ANGULAR 47
9.7. ORDINATE 47
9.8. X-DATUM 47
9.9. Y-DATUM 47
9.10. BASELINE 47
9.11. CONTINUE 47
9.12. CENTER MARK 47
9.13. LEADER 47
9.14. TOLERANCE 48
9.15. HOME 49
9.16. ROTATE 49
9.17. LEFT 49
9.18. CENTER 49
9.19. RIGHT 49
9.20. OBLIQUE 49
9.21. DIMENSION STYLE 49
10. Plotagem 55
10.1. PLOT 55
11. Personalização de barras de ferramentas 59
12. Principais características do AutoCad 2000 60

iii
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

1. INTRODUÇÃO:

A informatização e a globalização que nos cercam e mudam o contexto


industrial, tecnológico e profissional, fazem com que o uso crescente e contínuo de
uma ferramenta aplicada à computação gráfica, esteja evidenciada nas áreas de
mecânica, eletro-eletrônica e civil: o AUTOCAD.

Este é o melhor e mais utilizado CAD do mercado mundial aplicado às áreas


de projetos e desenhos; ele oferece ótimos recursos à produtividade, despertando
cada vez mais o interesse da indústria moderna em sua utilização.

De encontro à estes fatores, profissionais da área, sejam iniciantes ou


profissionais que buscam atualizações, estão em constante procura de cursos que os
mantenham atualizados no mercado de trabalho, fatores estes que propiciam a
formação deste curso através da ETEPA.

1.1. O que é CAD/CAM/CAE?

A tradução simples da sigla é: Computer Aided Design / Computer Aided


Manufacturing / Computer Aided Engineering, que em português é aproximadamente:
Projeto Auxiliado por Computador / Manufatura Auxiliada por computador /
Engenharia Auxiliado por Computador.

Traduzindo para português, o sentido perde um pouco de exatidão, porque


“projeto” em português, aplica-se desde a desenhos arquitetônicos, mecânicos e
estende-se até ao social como por exemplo “projeto social do Governo . No inglês,
“desing” quase sempre está associado ao aspecto criativo de formas e produtos com
sua conseqüente materialização através de engenharia e manufatura.

O mesmo ocorre no caso de Engenharia, em que se pode fazer um programa


para resolver uma equação, sem que isso signifique CAE; ou na Manufatura, em que
se pode ter o controle de produção com auxílio do computador, sem que isso
signifique CAM. O conceito CAD só passa a existir quando se juntam recursos
computacionais ao desenvolvimento do produto, através de ação sobre seu modelo
computacional. O conceito CAM passa a existir, somente quando se juntam recursos
computacionais as máquinas-ferramentas para geração de peças e formas
automaticamente.

1
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Portanto, o que distingue CAD/CAM de outras aplicações de engenharia e


manufatura em computador é, basicamente:

• Uso de recursos gráficos interativos

• Modelamento geométrico

• Reutilização da informação de produto armazenada

Embora possam operar de forma independente, somente com um banco de


dados integrado e compartilhado, o uso de CAD e de CAM se torne eficaz e produtivo
a fim de assegurar o retorno do investimento.

2. INICIANDO O AutoCad® R.14:

Para iniciar o AutoCad® R.14 Windows 95/98 – NT deve-se clicar em INICIAR,


PROGRAMAS/APLICATIVOS, AutoCad® R.14, ou clicar duas vezes no ícone
AutoCad® R.14 em seu desktop.

2
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

2.1. INTERFACE DO AutoCad® :

A interface do AutoCAD® é composta pelos componentes padrões da interface


Windows®, sendo semelhante aos aplicativos Windows® desenvolvidos pela
Microsoft® (MS-Word®, Excel®, etc).O tamanho e a localização destes componentes
podem, em sua maioria, serem personalizados. A figura a seguir destaca cada um
destes componentes em seus tamanhos e posições originais quando da instalação do
software:

• Barra de título (Title Bar) - Aplicativo: indica o nome do aplicativo Windows


(AutoCAD®).
• Barra de título (Title Bar) - Arquivo: indica o nome do desenho (arquivo)
corrente.
• Barra de Menus (Pull-down menus): contém os menus suspensos, sendo que
cada opção de menu agrupa uma série de submenus e comandos.
• Barra de ferramentas Standard: contém os ícones dos comandos mais
utilizados.
• Barra de ferramentas Propriedades do objeto: contém os ícones dos comandos
que tratam das propriedades dos objetos (cor, layer e tipo de linha).
• Barras de ferramentas flutuantes: existem várias barras de ferramentas
flutuantes, sendo que cada uma contém ícones dos comandos do AutoCAD
relativos a uma determinada tarefa (desenho, edição, visualização, etc). As barras
de ferramentas flutuantes são acionadas pelo comando "Toolbar" que será visto
posteriormente com mais detalhes.
• Ícone do sistema de coordenadas: indica o sistema de coordenadas do plano de
trabalho corrente.
• Janela de comandos: permite a interação de forma alfanumérica com o usuário,
seja aguardando entrada de dados via teclado ou enviando informações dos
passos a serem seguidos.

3
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

• Barra de status: apresenta as coordenadas X e Y do cursor , o horário do sistema


e botões do tipo liga/desliga relativos aos modos de desenho GRID, SNAP,
ORTHO, MODEL e TILE (Tilemode).
• Barras de rolagem ( Scroll bars ): permitem a movimentação da tela gráfica
através das setas ou botões de rolagem da mesma maneira que os aplicativos
Windows.
• Cursor gráfico: usado para selecionar comandos, objetos ou pontos. É
importante destacar que o cursor gráfico pode assumir formas diferentes
dependendo do comando corrente ou estado do AutoCAD®.
• Menu de cursor: Menu de cursor "Object Snap" - aparece na posição onde se
encontra o cursor gráfico quando são pressionandos o botão central do mouse de
3 botões ou a tecla SHIFT do teclado e o botão da direita do mouse. Menu de
cursor "Modify" - Aparece quando um grip estiver selecionado e for pressionando o
botão central do mouse de 3 botões ou a tecla SHIFT do teclado e o botão da
direita do mouse. Menu de Cursor "Visualização"- Aparece quando for acionado os
comandos RTPAN ou RTZOOM e for pressionando o botão central do mouse de 3
botões ou a tecla SHIFT do teclado e o botão da direita do mouse.
• Área gráfica : consiste em um plano coordenado (X, Y, Z) em relação a uma
determinada origem onde são elaborados os desenhos 2D e 3D.
• Menu de tela (Screen menu) : formado por submenus, sendo que cada submenu
agrupa uma série de comandos. Normalmente o menu de tela fica desativado,
para aumentar a área gráfica.

2.2. ENTRADA DE COMANDOS:

Quando a linha de comando apresenta a mensagem “COMMAND:”, o


AUTOCAD está aguardando o início de um comando (tarefa).

Pode-se acionar um comando do AUTOCAD via teclado ou via menu com o


auxílio de um dispositivo apontador (mouse ou mesa digitalizadora). Dependendo do
comando acionado, o software executará uma determinada operação ou solicitará
informações complementares. Após concluída a execução do comando, será
mostrada novamente na linha de comando a mensagem “COMMAND:”, aguardando
novas instruções.

2.2.1. ENTRADA DE COMANDO VIA TECLADO ALFANUMÉRICO:

Para executar um comando via teclado basta digitar o nome do comando e


teclar Enter ou barra de espaços.

4
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Alguns comandos podem ser executados digitando um "apelido/atalho" ao


invés do nome. Estes "apelidos" são definidos em um arquivo texto chamado
ACAD.PGP. Normalmente, alguns destes "apelidos" são:

LINE................L MIRROR.................MI EXTEND..............EX


TRIM..............TR TEXT......................TX MOVE...................M
ARC ............... A CIRCLE ................. C COPY .................CO
POLYLINE.......PL PAN ........................P ERASE................ E etc....

Outros comandos podem ser executados, de uma forma simplificada,


pressionando a tecla CTRL simultaneamente com uma outra tecla ou pelas teclas de
função, conforme lista a seguir:

CTRL E : Muda a direção do eixo isométrico

CTRL D ou F6 : Liga/Desliga o contador de coordenadas

CTRL G ou F7 : Liga/Desliga o comando GRID

CRTL L ou F8 : Liga/Desliga o comando ORTHO

CTRL B ou F9 : Liga/Desliga o comando SNAP

CTRL T ou F 10 : Liga/Desliga o comando TABLET

2.2.2. COMANDOS GRID, ORTHO, SNAP E LIMITS:

GRID: apresenta na tela uma espécie de grade, utilizando pontos de referência que
estão com uma distância X entre si. Esta distância é regulada pelo usuário. Para tal,
deve-se executar o comando e determinar o valor X; este valor é o número de
unidades que cada ponto ficará distanciado do outro. Estes pontos não aparecem na
impressão, somente são determinados na tela gráfica dentro de um limite
estabelecido pelo comando LIMITS.

ORTHO: liga/desliga o sistema ortogonal do AUTOCAD, que forçam as linhas serem


traçadas somente na horizontal ou vertical.

SNAP: força o cursor do mouse a dar “passos” conforme o número de unidades que o
usuário definir. Ao acionarmos o comando SNAP, devemos fornecer as unidades e
pressionar ENTER (ou OK, pelo menu). É aconselhável que o SNAP e o GRID
estejam em harmonia.
LIMITS: pode parecer contraditório falar em limite da área de trabalho, quando foi dito
que a mesma tende ao infinito, mas devemos levar em consideração que não
usaremos tudo isso! A grande vantagem de se estabelecer Iimites na área de
trabalho, é poder contar com a grid. Ao acionarmos o comando LIMITS, ele nos pede
5
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

por duas coordenadas absolutas: uma para o canto esquerdo inferior (Iower left
corner) e outra para o canto direito superior (upper right corner). Na primeira
coordenada, é aconselhável utilizar os valores 0,0. Dessa forma, o início da área
delimitada coincide com o início do plano cartesiano imaginário do AutoCAD. Quanto
à segunda coordenada, ela deve superar o tamanho a ser utilizado por todos os
desenho do projeto, portanto além de ser um caso particular para muitas vezes esse
valor é alterado por conta do usuário.

2.2.3. PRINCIPAIS MENSAGENS GERADAS NO “PROMPT”:

O prompt do AUTOCAD é de fácil compreensão. Nele, são demonstrados


todos os eventos de execução do nosso trabalho, passo a passo. Além disso,
sabemos que através dele também podemos entrar com nossos comandos. Mas
devemos ficar atentos às suas mensagens, pois hão de haver casos em que nossos
comandos serão recusados, porque o prompt não nos dá a possibilidade de ativarmos
comandos.

A seguir, são definidas as mais típicas mensagens que aparecem no prompt do


AUTOCAD. Devemos procurar conhecê-las e estudá-las com muita atenção, pois elas
são muito comuns em nosso trabalho:

Mensagem Significado
Command Caminho livre, nesse caso, é permitida a digitação de um novo comando via teclado.
Unknow command O comando digitado pelo teclado não foi reconhecido. Certifique-se de que você digitou
corretamente ou se não se trata de um comando de releases anteriores do AutoCAD
que foi extinto.
select objects Essa mensagem solicita que sejam selecionados os objetos que farão parte da mani-
pulação, que por sua vez será realizada de acordo com o comando solicitado.
remove objects No meio da seleção, pode surgir a necessidade de retirarmos uma ou mais entidades da
da seleção. Essa mensagem é sinal verde para que esse procedimento seja possível.
DIM Prompt do modo de Dimensionamento. Com essa mensagem, o usuário desenvolvendo
cotas no desenho.
from point A maioria dos comandos encarregados de traçar o desenho solicitam a princípio que seja
marcado o ponto inicial da entidade a ser desenvolvida. Nesse caso, use o mouse para
mostrar onde fica esse ponto (use o botão esquerdo do mouse).
to point Essa é a continuação do from point. Da mesma forma que marcamos um ponto inicial,
devemos marcar outros pontos no desenho, para que as entidades sejam introduzidas
corretamente.

2.2.4. ENTRADA DOS COMANDOS ATRAVÉS DO MENU DE TELA:

Para acessar um submenu ou um comando, basta deslocar o cursor para a


região do menu de tela, posicionar o cursor gráfico (que será representado por uma
faixa de cor diferente) sobre a opção desejada e pressionar o botão de seleção do
dispositivo apontador.

6
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

2.2.5. ENTRADA DE COMANDO ATRAVÉS DA BARRA DE MENUS:

O acesso aos menus ou comandos do AUTOCAD via barra de menus é


semelhante ao do menu de tela: basta deslocar o cursor para a região da barra de
menus, posicionar o cursor gráfico (que será representado por uma seta) sobre a

opção desejada e pressionar o botão de seleção do dispositivo apontador.

2.2.6. TECLAS DE EDIÇÃO:

Alguns símbolos/caracteres especiais podem ser introduzidos nas edições dos


textos executados no AutoCad através de combinações de teclas. As principais são
descritas abaixo:

%%C  desenvolve o símbolo de DIÂMETRO ( ∅ );

%%D  desenvolve o símbolo de GRAU ( º );

%%P  desenvolve o símbolo de MAIS/MENOS ( ± );

%%U  desenvolve o texto com sublinhado ( texto );

%%O  desenvolve o texto com sobre-linha ( texto ).

7
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

2.2.7. ENTRADA DE COMANDOS ATRAVÉS DA BARRA DE FERRAMENTAS:

As barras de ferramentas contém ícones (figuras) que representam comandos.


Quando se posiciona o cursor gráfico (que será representado por uma seta) sobre um
ícone, surge o nome do comando associado a ele. Para acionar o comando, basta
acionar o botão de seleção.

2.2.8. REPETIÇÃO DE COMANDOS:

Quando estiver a mensagem "Command:" na linha de comando e se


pressionar a barra de espaço ou a tecla Enter, o AutoCAD irá repetir o último
comando executado, independente do método utilizado para acioná-lo.

Outra maneira de repetir um comando diversas vezes, é digitar multiple na


linha de comando antes do nome do comando. Para encerrar a seqüência deve-se
acionar a tecla Esc.

Command: multiple line


Nota: O comando é repetido sempre na sua opção padrão.

2.3. INTERROMPENDO A EXECUÇÃO DE UM COMANDO:

Para interromper um comando em andamento deve-se pressionar a tecla ESC


ou acionar o comando Cancel.

2.4. SISTEMA DE COORDENADAS “WCS” E “UCS”:

O AUTOCAD possui dois sistemas de coordenadas que devem ser


considerados:

• WCS: (World Cordenate System) Sistema de Coordenadas Mundial que é utilizado


pelo AUTOCAD como default;

• UCS: (User Cordenate System) Sistema de Coordenadas do Usuário, o qual é


variável e pode ser configurado pelo usuário de acordo com a necessidade.

O UCS pode ser identificado na tela por um ícone na parte inferior esquerda,
sendo este configurado pelo comando UCS.

8
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

2.5. PRIMITIVAS GEOMÉTRICAS:

As primitivas geométricas são os elementos básicos para a geração ou edição


de um desenho. Em seguida, são descritas, de uma forma simplificada, quais são as
principais primitivas geométricas e os comandos para gerá-las.

2.5.1. ENTRADA NUMÉRICA DE PONTOS:

Sempre que o AutoCAD®, através do prompt , solicitar que o usuário


especifique um ponto no plano ou no espaço, este ponto poderá ser dado com o
dispositivo apontador (mouse) ou digitando valores na linha de comando.

2.5.2. COORDENADAS CARTESIANAS:

A área gráfica do AutoCAD® é um sistema cartesiano (X, Y e Z). Desta forma,


o usuário pode definir um ponto no plano ou no espaço, digitando suas coordenadas
X, Y e Z (sempre nesta ordem). Caso a coordenada Z seja omitida, o AutoCAD
assumirá o valor de Z do ponto anterior. Exemplo: (X, Y, Z) 4,2 / 5,-2 / -3,-2 / -4,-5.

9
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

2.5.3. COORDENADAS POLARES:

O usuário pode também definir um ponto no plano de trabalho através de suas


coordenadas polares, ou seja, fornecendo a distância deste ponto até a origem do
sistema de coordenadas e seu ângulo medido no plano XY. A distância e o ângulo
devem ser fornecidos separados por um sinal < (menor que). Como padrão no
AutoCAD®, os ângulos aumentam no sentido anti-horário e diminuem no sentido
horário.

Exemplo: (comprimento<ângulo) 2<120º e 3<30º.

2.6. COORDENADAS ABSOLUTAS:

São coordenadas dadas sempre em relação à origem do sistema de


coordenadas (0,0). Coordenadas absolutas devem ser usadas quando for conhecida,
com exatidão, a localização do ponto.

2.7. COORDENADAS RELATIVAS:

São coordenadas dadas sempre em relação ao último ponto. Devem ser


usadas quando conhecemos o deslocamento de um ponto em relação ao ponto
anterior. Os valores das coordenadas devem ser sempre precedidos de @ (arroba).

exemplo de coordenada relativa cartesiana: @X, Y, Z (@10,20)

exemplo de coordenada relativa polar: @comprimento<ângulo (@20<60º)

10
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Exemplos:

2.8. SISTEMA DE UNIDADES:

A configuração pode ser executada através de uma caixa de diálogo pelo


comando DDUNITS, que quer dizer Dynamic Display Units. As configurações podem
ser feitas a qualquer instante do trabalho, dentro deste comando.

11
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

No quadro Units, define-se o sistema como Decimal e no campo Angles, como


Decimal Degrees. As precisões dos dois campos podem ser alteradas de acordo com
a necessidade atual, porém vale lembrar que ela alcança até oito casas decimais,
valor que torna o sistema extremamente preciso. No campo Angle 0 Direction
necessitamos fazer a configuração do ângulo 0, o qual, segundo a ABNT, deverá
estar às três horas – à leste; vale a pena lembrar que o default do AutoCad é nesta
posição, portanto não há necessidade de alteração. Há a opção Counter-Clockwise
(sentido anti-horário) e Clockwise (sentido horário) para orientação do sentido de giro;
o default é Counter-Clockwise.

3. COMANDOS DE MANIPULAÇÃO DE ARQUIVOS:

3.1. NEW:

O comando New dá início a abertura de um novo arquivo de desenho, cuja


extensão é DWG ( padrão para AutoCAD ). Ele aciona uma caixa de diálogo
dinâmico, como segue abaixo:

A caixa de diálogo apresenta quatro opções para inicialização de um novo


desenho:

1. Use a Wizard: esta opção utiliza um assistente (Wizard) que auxilia nas
configurações do desenho.

12
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Escolha um dos dois tipos de configuração: Quick Setup (configuração rápida),


ou Advanced Setup (configuração avançada), e logo em seguida alguns tópicos de
configuração serão oferecidos para escolha, como por exemplo o sistema de
unidades de medidas, largura e comprimento da área de trabalho, posicionamento do
grau “0”, sentido do ângulo, etc.

2. Use a Template: esta opção é usual para fazer um desenho baseado em um já


existente. Esta opção foi introduzida no AutoCad versão 14 com arquivos de extensão
.DWT. Este tipo de arquivo é utilizado quando se quer fazer um desenho que
contenha informações que serão utilizadas em diversos outros desenhos. Exemplo:
estilos de dimensionamentos, estilos de textos, tabela de layers, etc.

Esta opção é a mais utilizada na indústria, pois oferece padrões/protótipos


prontos de configurações segundos normas estabelecidas: DIN, ISO, ANSI, JIS, o
que torna rápida e igualmente padronizada a operação de configuração dos
desenhos. Outro ponto saliente desta opção é a possibilidade de criação de padrões
próprios e individuais dentro da indústria, os quais podem respeitar os padrões
internos das indústrias, trazendo logotipos e configurações próprias.

13
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Os desenhos/padrões salvos com extensão .DWT devem ser arquivados no


diretório C:\ARQUIVOS DE PROGRAMAS\AUTOCAD R14\template\ arquivo.dwt para
que apareçam na lista de templates, como mostrado na lista da figura acima. Caso o
arquivo seja mantido em outro diretório, o path para este diretório poderá ser
configurado pelo comando PREFERENCES.

3. Start from Scratch: esta opção inicia um desenho solicitando somente a unidade
a ser utilizada: Inglesa ou Métrica.

4. Instructions: esta opção apenas visualiza as instruções de como proceder


mediante as três primeiras opções oferecidas.

14
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

3.2. OPEN:

Abre um arquivo já existente. Surge nesse momento, a caixa de diálogo para


seleção da pasta e do arquivo desejado. A novidade a partir da versão 13 do Autocad,
é o preview, que mostra o arquivo selecionado, antes mesmo que ele seja aberto.

3.3. SAVE:

O comando Save irá atualizar o arquivo atual, registrando a nova data e a nova
hora de ação e gravando as últimas informações desse arquivo. Caso o mesmo ainda
não possua um nome, automaticamente entrará em ação o comando saveas.

Obs.: O AutoCad sempre mantém a última versão dos desenhos criados num
arquivo de extensão .BAK. Caso seja necessário revê-lo, basta apenas renomeá-lo
para uma extensão .DWG.

3.4. SAVEAS:

Esse é o primeiro comando a ser destacado que não possui um botão em


Toolbar. Basicamente, o saveas tem duas finalidades: Determinar o nome de um
arquivo que ainda não tenha sido salvo e salvar um arquivo existente com outro
nome. Este último processo é muito útil quando vemos a chance de reaproveitar um
arquivo já existente. Veja como proceder :
1 - Entre no arquivo existente a ser reaproveitado ( através de cópia );
2 - Acione o comando Saveas e na caixa de diálogo determine o nome do novo
arquivo. Ao terminar, pressione OK, e o AutoCAD automaticamente gera um novo
arquivo conforme o nome solicitado e já torna esse arquivo corrente. Vale a pena
lembrar que o arquivo copiado não sofre nenhuma alteração, salvo exceções de mau
uso.
Obs.: desenhos que
necessitam ser
salvos para abertura
em versões
anteriores do
AutoCad, devem ser
indicada a
configuração em
Salvar como tipo:
onde várias formas e
extensões para
salvamento são
oferecidas.

15
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

4. SELEÇÃO DE OBJETOS:

4.1. ENTENDENDO OS MÉTODOS DE SELEÇÃO:

Para melhor apreciarmos os próximos recursos a serem aprendidos, vamos


ressaltar que constantemente temos que selecionar entidades. Quando houver a
necessidade de selecionarmos um grupo muito grande, faremos isso com métodos de
seleção, que possuem seus critérios particulares. São esses critérios que
selecionarão "centenas" de entidades de uma só vez. Abaixo está a relação de todos
esses métodos e seus crrtérios:

Window - Abre uma janela através de dois pontos, onde tudo o que estiver
100% contido dentro dessa janela será selecionado.

Crossing - Idem ao anterior, porém tudo o que cruzar a janela será


capturado (e mais o que estiver dentro da janela).

Group - Seleciona um GROUP, através de seu nome.

Previous - Seleciona as últimas entidades envolvidas em um procedimento


qualquer.

All - Seleciona tudo.

Last - Seleciona a última entidade envolvida em um procedimento.

Window Polygon - Abre um polígono com o critério Window.

Crossing Polygon - Abre um polígono com o critério Crossing.

Fence - Abre uma espécie de cerca que captura tudo o que atravessa.
Critério Crossing.

Add - Volta a incluir entidades na seleção, quando em Remove.

Remove - Remove entidades que estejam em uma seleção.

16
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Filters - Chama o comando FILTER, para utilizar seus recursos como


critério.

5. OBJETOS DE PRECISÃO (Object Snap):

O entendimento desses métodos é tão simples como os métodos de


seleção: Em algumas vistas, não conseguimos identificar, por exemplo, o início de
uma linha, para começar outra a partir dali. Muitas vezes, precisamos utilizar o Zoom
para fazer isso. Mas se utilizarmos os métodos abaixo relacionados, veremos que os
pontos mais distantes de nossa vista são capturados com precisão conforme os
critérios que adotamos. São eles:

Tracking – Admite um ponto teórico como referência .

From - Filtra um ponto, que é utilizado como paralelo do ponto a ser


inserido.

Endpoint - Captura o ponto final de uma das extremidades do objeto

Midpoint - Captura o ponto mediano do objeto.

Intersection - Captura a intersecção de dois traçados.

Apparent Intersection - Define, como ponto de atração, a interseção


aparente de dois objetos (segmento de reta, arco, spline, arco elíptico,
elipse, linha infinita, linha semi-infinita, linha múltipla ou círculo) que podem
ou não realmente se interceptarem no espaço 3D. Os modos Intersection e
Apparent Intersection do Object Snap não podem estar ativos
simultaneamente.

Center - Captura o centro de um círculo ou de um arco.

Quadrant - Captura um dos quadrantes de um círculo. Essa opção


consegue fazer capturas em arcos, segundo os quadrantes existentes nele.

Perpendicular - Mantém uma linha à perpendicular do ponto anterior.


Pode também ser utilizado como primeiro ponto.

Tangent - Passa uma linha à tangente de um círculo ou de um arco.

17
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Insertion - Captura o ponto de inserção do texto .

Nearest - Captura o ponto mais próximo do objeto.

Quick - Define, como ponto de atração, o primeiro ponto de atração


encontrado. Quick deve ser usado em conjunto com outros modos de
Object Snap.

None - Abandona a opção de captura de entidades.

Running Object Snap - Entra na caixa de diálogo Object Snap.

E justamente nessa caixa de diálogo


onde podemos manter uma ou mais
opções de captura por tempo
indeterminado em nosso cursor.
devemos apenas nos organizar nesse
sentido para que não ocorram
imprevistos, a exemplo, capturas
erradas. O botão Clear All tem a
função de desativar todos os métodos
selecionados até então e a opção
Aperture size regula o tamanho da
mira de captura das entidades.

DICA: Os métodos de captura ainda


podem ser utilizados pela combinação
da tecla Shift com o botão direito do
mouse. Ou se caso seu mouse tiver
três botões, o botão do meio pode ser
habilitado para executar essas
funções.

18
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

6. PRINCIPAIS COMANDOS DE CRIAÇÃO E EDIÇÃO DO AUTOCAD:

6.1. LINE:

O comando LINE traça linhas simples. É o método considerado de melhor


aceitação para traçado de linhas. Quando acionamos esse comando surge no prompt
a mensagem from point . Devemos dar um click com o botão esquerdo do mouse na
área de trabalho, para mostrarmos onde essa linha vai começar. Após isso, aparecerá
a mensagem to point, para que seja marcado o ponto final desse primeiro segmento;
não há a necessidade de finalizarmos o comando, pois ele continuará a nos pedir
novos pontos, ou seja, podemos desenvolver vários segmentos de linha com um só
comando. Para encerrarmos uma seção, pressionamos Enter, ou o botão direito do
mouse, ou ainda a tecla Esc.

DICA: Use a variável Ortho (2.5.) para traçar suas Iinhas apenas no plano ortogonal e
o controle Snap (2.6.) para que suas linhas possam ser desenvolvidas com passos de
n unidades, caso necessário.

6.2. XLINE:

Ao acionarmos o comando XLINE, ele nos pede por um ponto inicial. Nesse
caso, devemos considerar esse ponto como uma origem mediana da linha. Logo após
a marcação desse primeiro ponto, o AutoCAD nos pede pelo Through point, que é
justamente para onde vai correr essa linha. A mesma Iinha correrá para o lado oposto
em mesma proporção, pois nosso ponto inicial era um ponto mediano. A partir dele,
poderemos traçar várias dessas linhas.

6.3. RAY:

O comando apontado aqui tem como princípio e funcionamento os mesmos


passos que o comando acima. Porém quando o AutoCAD nos pede pelo ponto inicial
(from point), devemos considerá-lo como um ponto inicial também da linha, ao
contrário das XLINE's, cujos pontos iniciais eram medianos.

6.4. PLINE:

Essa é a abreviatura de poli-linhas. As poli-linhas são segmentos de linhas e


arcos conectados uns aos outros, gerando uma única entidade. Da mesma forma que
o comando LINE, esse comando também irá solicitar pelo ponto inicial e pelos pontos
de continuação.

Porém no prompt aparecem opções para a construção dessa entidade. Veja


algumas dessas opções abaixo:

19
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Arc - Inicia o traçado de arcos a partir desse momento em diante


Close - Fecha os segmentos no ponto inicial
Halfwidth - Ajusta o valor da metade da espessura
Lenght - Ajusta o comprimento do segmento
Undo - Desfaz o último segmento
Width - Ajusta a espessura

NOTA: para o acesso a essas opções não é necessário digitar todo o comando. Basta
digitar a(s) letra(s) em maiúsculo da opção e ela será acionada.

6.5. MLINE:

Cria múltiplos segmentos de reta paralelos.

Justification - Determina como a multilinha é desenhada entre os pontos que você


especifica.
Scale - Controla a largura global da multilinha. Essa escala não afeta a escala do tipo
de Iinha.
STyle - Especifica um estilo para usar com a multilinha (MSTYLE)

6.6. SPLINE:

Cria uma curva spline quadrática ou cúbica. Essa entidade ainda pode ser re-
editada com o comando MLEDIT, caso haja necessidade.

CLose - Fecha a curva spline definindo o último ponto que coincide com o primeiro,
tornando-o tangente à junção.
Fit tolerance - Modifica a tolerância para adaptação da curva spline atuaL A curva
spline atual é redefinida de tal forma que possa adaptar-se através de pontos de
adaptação existentes de modo diferente, segundo a nova tolerância.

6.7. ARC (3P):

Os arcos são entidades gráficas no AutoCAD registradas com suas


propriedades comuns: raio e corda. O 3P é o primeiro dos onze tipos de arcos a
serem traçados. Basta fornecermos três pontos na área de trabalho e o AutoCAD
traçará o arco. Essa é realmente uma opção sem muita precisão.

6.8. ARC (S,C,E):

O primeiro ponto é o início da corda do arco. O segundo é seu centro. O


terceiro é o ponto final da corda.

20
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

6.9. ARC (S,C,A):

O primeiro ponto é o início da corda do arco. O segundo é seu centro. O


terceiro ponto, que pode inclusive ser fornecido via teclado, é o ângulo de abertura do
arco.

6.10. ARC (S,C,L):

O primeiro ponto é o início da corda do arco. O segundo é seu centro. O


terceiro ponto, que também pode ser fornecido pelo teclado, é o tamanho da corda.

6.11. ARC (S,E,A):

O primeiro ponto é o início da corda do arco. O segundo é o final dessa corda.


O terceiro ponto, é o ângulo incluso.

6.12. ARC (S,E,D):

0 primeiro ponto é o início da corda do arco. O segundo é o final dessa corda.


O terceiro é o ângulo de abertura em relação ao ponto inicial (start point).

6.13. ARC (S,E,R):

O primeiro ponto é o início da corda do arco. O segundo é o final dessa corda.


0 terceiro ponto é o raio de atuação que pode ser fornecido pelo teclado, digitando o
seu valor e pressionando a tecla ENTER.

6.14. ARC (C,S,E):

O primeiro ponto será considerado o centro do arco. O segundo será o início


da corda. O terceiro e último ponto será o final da corda.

6.15. ARC (C,S,A):

0 primeiro ponto será considerado o centro do arco. O segundo será o início da


corda. O terceiro ponto será um ângulo de abertura para a corda do arco.

6.16. ARC (C,S,L):

O primeiro ponto será considerado o centro do arco. O segundo será o início


da corda. 0 terceiro ponto será o comprimento da corda. Com isso, o ponto final será
dado automaticamente.

21
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

6.17. ARC (CONTINUE):

Dá continuidade a um arco à partir de outro. Esse resultado também é obtido


através do botão direito do mouse, pressionado duas vezes ao final do primeiro arco.

6.18. CIRCLE:

Essa primeira opção para o traçado de círculo necessita que seja dado um
ponto na tela. Logo em seguida, podemos entrar com o raio de abertura do círculo,
conduzindo o mouse e verificando o valor na barra de status ou simplesmente
digitando o valor e pressionando a tecla

6.19. CIRCLE (CENTER,DIAMETER):

O processo é idêntico ao de cima. Porém o valor a ser fornecido é diametral.

6.20. CIRCLE (2 POINTS):

Essa opção trabalha basicamente com dois quadrantes. Dê um primeiro ponto


gera o início do círculo e um segundo ponto para seu segundo quadrante.

6.21. CIRCLE (3 POINTS):

Nessa opção, os dois primeiros pontos são "eixos" por onde o perímetro do
círculo irá passar. O terceiro ponto ficará com a função de determinar o raio de
abertura.

6.22. CIRCLE (Tan, Tan, Radius):

Para a inserção de um círculo por esse método, devemos possuir dois outros
círculos (ou arcos) já inseridos no desenho. O AutoCAD carrega automaticamente o
Tangent Object Snap para que possamos marcar os dois primeiros pontos, sendo
que cada um deles será tangente a um dos círculos (ou arcos) já construídos. O
terceiro ponto a ser fornecido abre o raio do novo círculo, já tangente aos iniciais.

6.23. DONUT:

Para a construção de uma entidade desse tipo, devemos fornecer um diâmetro


interno (inside diameter) e outro externo (outside diameter). Esses dois diâmetros
serão solicitados no prompt do AutoCAD como de costume, e podemos fornecê-los
pelo teclado.

22
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

6.24. ELLIPSE (CENTER):

As elipses no AutoCAD release 13 em diante progrediram muito em relação ao


release anterior. Antes essas entidades eram a composição de vários arcos, tornando
seus posteriores manuseios uma verdadeira burocracia. Isso agora não ocorre mais.

Para essa opção, o primeiro ponto será o centro da elipse (Center). O segundo
definirá o raio da primeira distância (Axis). O segundo ponto definirá o raio da
segunda distância (Rotation), não importando se eIa é maior ou menor que a primeira.

6.25. ELLIPSE (Axis, End):

Para o desenvolvimento dessa elipse, o usuário deve fornecer a princípio dois


pontos (Axis endpoint 1 & Axis endpoint 2). Isso abrirá a primeira região diametral da
elipse. A segunda região será aberta com um terceiro ponto (Rotation).

6.26. ELLIPSE (ARC):

O procedimento de inserção dos três primeiros pontos é idêntico ao item


ELLIPSE - CENTER. Porém, essa opção continua, pedindo mais dois pontos: são o
ponto de início (Start point) e fim (End angle) do desenvolvimento da corda da elipse.
Se trata de uma opção para o traçado de uma parte da elipse, sem com isso perder
as características oferecidas com os três primeiros pontos.

6.27. RECTANGLE:

Para o traçado de um retângulo simples, forneça na área de trabalho dois


pontos.

6.28. POLYGON:

Cria uma polilinha fechada equilátera.

23
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

O primeiro passo é fornecermos ao AutoCAD o n° de lados do polígono. Em


seguida, marcarmos na área de trabalho um ponto, que será o centro da figura.
Devemos ainda indicar se o raio será inscrito (Inscribed) ou circunscrito por um dos
seus lados (Circunscribed). As Ietras I e C indicam a opção desejada. Por final,
forneça o raio do polígono, podendo este ser digitado a partir do prompt do
AUTOCAD. A figura a ser gerada pode ser considerada uma poli-Iine.

6.29. SOLID:

Cria polígonos preenchidos com cor sólida.

First point: Especifique um ponto ( 1 ).


Second point: Especifique um ponto (2).
(Os primeiros dois pontos definem uma aresta do polígono).
Third point: Especifique um ponto 3 diagonalmente oposto ao segundo.
Fourth point: Especifique um ponto (4) ou pressione ENTER.
Pressione ENTER no aviso Fourth point para criar um triângulo preenchido
com cor sólida. Especifique um ponto para criar uma área quadrilátera. Porém, para
que a área seja bem sucedida, o terceiro e o quarto ponto devem ser invertidos em
relação à seqüência lógica.

6.30. REGION:

Cria uma região a partir de um conjunto de seleção de objetos existentes.


Regiões são áreas bidimensionais criadas a partir de formas fechadas ou loops.

6.31. BOUNDARY:

Cria uma região ou polilinha a partir de um limite fechado. Use o comando


BOUNDARY para criar uma região ou polilinha a partir de objetos sobrepostos que
definem uma área fechada. Na caixa de diálogo que surge, o usuário têm como opção
o botão Pick Point, que procura as extensões dessa área fechada.

6.32. POINT:

Cría um ponto, que pode ser usado como estratégia de desenho junto com o
Node Object Snap.

6.33. DIVIDE:

Posiciona, ao longo de uma entidade pontos ou blocos, que dividem o objeto


em questão em setores iguais. No prompt, será solicitado o níunero de divisões a ser
realizada, ou digite a letra B para inserir um bloco antes de marcar o número de
divisões.

24
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

6.34. MEASURE:

Insere pontos ou blocos a intervalos medidos em um objeto, utilizando para


isso o mesmo método de aplicação que o comando anterior.

6.35. DDINSERT:

A inserção de blocos no desenho é a arte de otimização do trabalho, utilizando


desenhos ou trechos de desenhos já existentes. Ao acionarmos esse comando, surge
a seguinte caixa de diálogo:

Notamos que existem no canto superior esquerdo dois botões:

Block : Lista a relação de blocos internos criados a partir do comando Btock


Devemos selecionar um dos blocos listados e em seguida pressionar o botão OK para
retornarmos a caixa de diálogo acima.

File : Surge a caixa de diálogo padrão do Windows, para procura de pastas e


arquivos. Isso se deve ao fato de podermos selecionar nesse instante outro arquivos
de AutoCAD (DWG) e o trazernaos para junto do nosso arquivo atual. Após a escolha
do arquivo, pressionamos o botão OK para retornarmos à caixa de diálogo principal.
Nesse instante, o AutoCAD cria automaticamente um bloco interno (Block) a partir
das informações que chegam.

Insertion Point: Nessa opção podemos pré-determinar o ponto exato da


inserção do conjunto, a partir das coordenadas absolutas.

Scale: Definição da escala relativa que o objeto terá na inserção.

25
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Rotation: Definição da rotação relativa que o objeto terá ao ser inserido.

Explode: E a opção de usarmos desde já o comando Explode para separamos


os blocos recebidos em entidades.

Após definirmos essas variáveis, é só pressionarmos OK e a seleção será


inserida na área de trabalho. Caso não tenhamos definido as opções insertion point,
Scale e Rotation, elas serão novamente questionadas, dessa vez pelo prompt.

6.36. BLOCK:

O comando em questão tem a finalidade de criar blocos internos no arquivo.


Imagine a seguinte situação: Teremos em nosso desenho vinte vezes a figura de uma
estrela de seis pontas. Para tal, desenhamos apenas uma, e a transformamos em um
bloco interno. Logo após, usamos o comando DDINSERT para inserí-lo (o bloco) no
desenho, e comandos como o COPY ou ARRAY para multiplicá-lo. Eis que então
teremos as vinte estrelas de seis pontas. Mas continuando nossa suposição, imagine
que agora necessitamos alterar o padrão dessas estrelas! Elas não mais terão seis
pontas, terão cinco. Aí entra uma grande vantagem do comando BLOCK. Alteraremos
o padrão de apenas uma estrela, e eIe alterará automaticamente todas as vinte. Se
forem mil, ele altera as mil! Para isso, siga as instruções abaixo, com cautela:

Primeiro passo (desenhar a estrela): Use o comando LINE para desenhar uma
estrela de seis pontas;

Segundo passo (criação do bloco): Acione o comando BLOCK;

Block name (or ?) - Digite um nome para esse bloco (estrela);

Insertion point - esse é o ponto de inserção para o bloco, quando usamos o


comando DDINSERT. Significa que devemos marcar um ponto relativo no conjunto de
entidades (a estrela) para quando , ao inserirmos, ele venha a ser inserido pelo
mesmo ponto.

Select Objects - Essa mensagem nos solicita que sejam selecionadas as


entidades que farão parte do novo bloco. Ao final da seleção, pressione ENTER ou o
botão direito do mouse. O bloco está criado, e para. que as entidades reapareçam na
tela sem alterar a criação do bloco, digite OOPS a partir do prompt e pressione
ENTER.

ATENÇÃO: MEMORIZE ESSA ESTRELA EM RELAÇÃO AS OUTRAS, POIS


VOCÊ A USARÁ, PARA O PRÓXIMO PASSO !

26
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Terceiro passo [Multiplicação dos blocos): Use o comando DDINSERT para


inserir o bloco ESTRELA uma vez no desenho, e o comando COPY para multiplicá-lo
até atingir vinte unidades (incluindo a existente).

• CUIDADO ! * Não use dïretamente aquela primeira estrela que você criou,
pois não daria certo. Multiplique a partir da estrela que você inseriu.

Quarto e último passo (alteração do bloco): No lugar onde você havia


desenhado a primeira estrela (aquela que você memorizou) desenhe outra. Apague a
atual e desenhe uma de cinco pontas. Pois bem, agora, acione o comando BLOCK.

Block name (or ?): Digite ESTRELA e pressione ENTER.

Block ESTRELA already exists Redefine it ? A informação que surge é que o


bloco ESTRELA já existe. Então o AutoCAD nos pergunta se queremos redefiní-lo.
Digite Y (Yes) para responder que "sim" e pressione ENTER.

Insertion point: Procure marcar um ponto de inserção com o mesmo critério


que você usou na estrela anterior. Pressione ENTER (ou botão direito do mouse).

Select Objects: Selecione as entidades que compõem a estrela de cinco pontas


e pressione novamente ENTER. Pronto! O AutoCAD alterou todas as outras estrelas
para você. EXPLICAÇÃO: Isso somente foi possível porque as dezenove estrelas
alteradas eram BLOCOS. Por outro lado, aquela primeira estrela que foi usada para a
modificação não era um bloco. Isso porque, para a modificação um bloco com esse
processo, não se pode utilizar outro bloco.

6.37. BHATCH:

Cria hachuras de diversos tipos. Estudemos a caixa que surge:

27
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Pattern type: tipo de hachura para os diversos tipos de materiais.

Predefine: Visualiza aqui o tipo de hachura atualmente ativa.

Pattern properties - Pattern: Escolha o tipo de hachura

Scale: Defina a escala proporcional dessa hachura.

Angle: defina o ângulo relativo de aplicação da hachura.

Pick Points: Constrói um limite a partir dos objetos existentes que formam
uma área fechada. Utilize esse botão para indicar onde a hacura ficará
Iocalizada. O pick point buscará os limites de fechamento para aplicar a
hachura, mas ainda não a aplicará. Cuidado para que não hajam aberturas na
área de preenchimento dessa hachura, caso contrário ela não ficará bem
disposta.

Select Objects - Utilize essa opção para segmentos do traçado que formam
apenas uma região.

Preview Hatch - Esse botão tem como fmalidade demonstrar ao usuário como
a hachura ficará disposta após ter sido aplicada.

Apply - Após termos definido o tipo de hachura, sua escala, seu ângulo relativo
e sua área de atuação, utilizamos esse botão para que ela seja aplicada
definitivamente.

Cancel - Cancela a atuação do comando.

6.38. PSFILL:

Preenche um contorno bidimensional de polilinha com um padrão PostScript.


Embora o AutoCAD não apresente padrões de preenchimento PostScript na tela,
você pode usar o comando PSOUT para criar um arquivo PostScript contendo os
padrões de preenchimento com ou sem o contorno de polilinha.

6.39. MTEXT:

Cria texto de parágrafo.

Attach - Controla qual parte do limite de texto será allinhada ao ponto de


inserção. A opção selecìonada determina a justificação do texto e distribuição do texto
em relação ao limite. A justificação controla se o texto será alinhado à esquerda,

28
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

direita ou centralizado no limite. A distribuição de texto controla como o texto


excedente é distribuído.

Rotation - Especifica o ângulo de rotação do limite do texto.

Style - Especifica o estilo de texto a ser utilizado para o texto de parágrafo.

Height - Especifica a altura das letras maiúsculas do texto.

Direction - Especifica a direção do texto do parágrafo.

Insertion point - Indica um canto do limite do texto, de acordo com o ponto


especificado. Este ponto é o ponto de inserção do texto.

DICA: O estïlo de texto a ser utilizado nesse comando pode ser um dos estilos
que o Windows possua. Para isso surgirá uma caixa de diálogo própria para essa
escolha.

6.40. DTEXT:

Cria textos através do método tradicíonal do AutoCAD. São textos simples,


mas mesmo assim podemos escolher o tipo de letra, a altura das letras e ainda seu
ângulo de rotação.

Justify: É onde indicamos o método de posicionamento do texto na folha.


Surgem as opções abaixo:

Align - Solicita apenas a indicaçáo de dois pontos na tela.. A disposição do


texto não ultrapassará esses dois pontos, e sua altura será sempre proporcional ao
espaço disponível.

Fit - Solicita também dois pontos, mas solicita ainda a altura do texto. A
disposição do texto também não ultrapassará os dois pontos, mas com esse método,
a altura de texto indicada será respeitada.

Center - Centraliza o texto no eixo X de sua base, de acordo com um ponto


que indicamos na área de trabalho. Só veremos o resultado dessa opção após a
conclusão do comando.

Middle - Centraliza a primeira linha do texto nos eixos X e Y de sua base.

Right - Alinha o texto à sua direita, após o final da digitação.

29
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Style - Através dessa opção, podemos escolher o estilo de letras que será
utilizado para o desenvolvimento atual.

Start point - É o ponto inicial para alguma das opções citadas em Justifcation,
ou simplesmente o ponto inicial do texto, caso não tenha sido realizada uma escolha,
é nesse passo onde o AutoCAD nos solicita a attura do texto e ainda o ângulo para
onde ele caminhará.

DICA - Para "pularmos para a linha de baixo " durante a digitação,


pressionamos o ENTER. Ao terminarmos a seção, pressionamos duas vezes o
ENTER. O texto a ser inserido poderá ser visualizado tanto no prompt quanto na área
de trabalho.

6.41. TEXT:

Idem ao comando acima, porém aqui a inserção do texto somente será no


prompt. Ele será visto na área de trabalho somente após a conclusão dos
procedimentos acima citados.

6.42. MOVE:

Movimenta as entidades selecionadas de um ponto para o outro. Para tal,


selecione as entidades a serem movimentadas e pressione ENTER. Após esse
procedimento, aparecerá a seguinte mensagem: Base point or displacement - marque
um ponto na tela, para que seja dado iniclo a movimentaçao dos objetos
selecionados. Second point of displacement - Arraste o mouse até que os objetos
estejam exatamente onde você deseja. Dê um click para marcar esse segundo ponto
e o processo estará concluído.

DICA: Caso os objetos a serem movimentados devam seguir para algum lugar
da área de trabalho que não esteja disponível na tela, ou caso haja a necessidade de
mais precisão no deslocamento, podemos contar com as coordenadas relativas. Para
tal, siga esse procedimento pelo teclado:
(quando for solicitado:) Second point of displacement: (digite:) @120<45 <ENTER> - O sinal de
"arroba" precede o valor de unidades a serem deslocadas, e o sinal de "menor" precede a que grau
será realizada a operação. Nesse exemplo, o objeto será deslocado cento e vinte unidades à quarenta
e cinco graus.

6.43. COPY:

O processo é idêntico ao comando acima. Só que ao invés de movimentar o


comando COPY irá gerar uma cópia na nova posição.

DICA: Se vocë deseja gerar mais de uma cópia, siga as seguintes instruções:
Ao aparecer a mensagem <Base point or displacement>/Multiple - Digite a letra M e
pressione ENTER. A partir daí, siga o procedimento normalmente.
30
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

6.44. OFFSET:

Cria círculos concêntricos, segmentos de reta paralelos e curvas paralelas.

Offset Distance - Cria uma cópia de um objeto existente, a uma distância


especificada

Through - Cria uma cópia do objeto, que passará por um ponto a ser
especificado.

Select object to offset - Selecione o objeto a ser copiado. (Somente será


copiado um objeto por vez, salvo exceções das poli-linhas)

Side to offset ? – Apenas indique para que lado será feita a cópia, dando um
click na área de trabalho. A cópia será gerada para o lado em que for dado o click.

6.45. MIRROR:

Espelha as entidades selecionadas, ou cria suas simetrias. Selecione as


entidades e pressione ENTER.

First point of mirror line - Especifique um ponto na área de trabalho,


imaginando que ele seja o eixo simétrico da operação.

Second point - Nesse momento, arraste o mouse para verificar a nova posição
dos objetos que estão sendo espelhados. Talves, ligar o sistema ortogonal com a
tecla F8 seja conveniente. Após atingida a posição dê um click com o botão esquerdo
do mouse.

Delete old objects ? - Caso você queira apenas espelhar o objeto, responda
que sim, digitando a letra Y e pressionando ENTER. Caso você queira gerar a
simetria do objeto, pressione ENTER, ou o botão direito do mouse.

6.46. ARRAY (RETANGULAR):

Cria várias cópias de objetos dentro de um padrão. Cada objeto de um array


pode ser manipulado separadamente. Nesse caso, as cópias são no sistema
retangular, definido por um número de linhas e colunas que formam uma matriz com
réplicas dos objetos selecionados. Para esse procedimento, selecione os objetos e
pressione ENTER.

Number of rows - Determine quantas vezes as entidades serão copiadas no


eixo Y
31
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Number of columns - Determine quantas vezes as entidades serão copiadas


no eixo X.

Distance between rows - Determine a distância das entidades no eixo Y.


Caso elas venham a ser copiadas para baixo, use número é negativo, conforme plano
carteziano.

Distance betweem columns - Determine a distância das entidades no eixo X.


Caso elas venham a ser copiadas para a esquerda, use número negativo.

6.47. ARRAY (POLAR):

Essa opção também cria inúmeras cópias de objetos, dentro de padrões


estabelecidos pelo usuário. Porém aqui, isso é feito de acordo com um eixo. De
mesma forma, selecione as entidades a serem copiadas e pressione ENTER.

Center point of array - Marque o ponto na área de trabalho que servirá como
eixo para as cópias polares.

Number of items - Determine o número de itens e pressione EN'fER.

Angle to fill - Determine em quantos graus as cópias serão posicionadas.

Rotate object as they are copied ? - Em um array polar de vários objetos, o


ponto de referência do último objeto do conjunto de seleção é utilizado para todos os
objetos. Se o conjunto de seleção foi definido através de uma janela ou quadro de
interseção, seu úttimo objeto é arbitrário. Para forçar um objeto a ser o último objeto
selecionado, deve-se removê-lo do conjunto de seleção e adicioná-lo novamente. O
conjunto de seleção também pode ser transformado em um bloco, que pode ser
copiado em série. Caso o único objeto existente até aqui venha fazer parte do número
de itens deterninado, pressione ENTER. Caso contrário, digite N e pressione ENTER.

6.48. ROTATE:

Rotaciona as entidades selecionadas. Selecione todas as entidades envolvidas


na rotação e pressione ENTER. O comando solicitará pelo eixo de rotação (base
point). Devemos imaginar que é a partir desse ponto a ser definido, que o comando
vai rotacionar as entidades. Por último, devemos informar quantos graus os objetos
serão rotacionados pelo eixo. Para tal, digite o número de graus e pressione ENTER,
ou gire as entidades utilizando o mouse.

32
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

6.49. ALIGN:

Move e gira objetos, para alinhá-los a outros objetos. Usa até três pares de
pontos de origem e destino. O primeiro par de pontos define um deslocamento dos
objetos. O segundo par de pontos pode definir uma transformação e rotação 2D ou
3D dos objetos. O terceiro par de pontos define uma transformação 3D não ambigua
dos objetos. Os objetos de origem são transfornados de acordo com os pontos de
origem e de destino. Não é necessário que os pontos de origem ou de destino
estejam localizados nos objetos de origem ou de destino.

6.50. STRETCH:

Move ou distende objetos. Para o processo resultar em exatidão, surge a


necessidade de se abrir uma janela nos objetos envolvidos na seleção, bem como os
objetos que servirão de base para a distenção dos primeiros.

6.51. SCALE:

Altera o tamanho das entidades selecionadas segundo um fator de escala.


Exemplo: caso o fator de escala seja igual a 2, as entidades serão ampliadas ao
dobro. Caso o fator seja .5 (meia unidade), as entidades serão reduzidas pela
metade. Para tal selecione as entidades e pressione ENTER.

6.52. LENGTHEN:

Alonga um objeto, mudando o comprimento dos objetos e o ângulo incluso dos


arcos. LENGTHEN não afeta objetos fechados. Splines podem ser prolongadas
linearmente. Selecione um objeto ou escolha uma das opções abaixo:

DEltha - Muda o comprimento de um objeto, acrescentando um incremento,


medido a partir do ponto extremo do objeto selecionado mais próximo ao ponto
escolhido. A opção DElta muda o angulo de um arco, acrescentando um incremento,
medido a partir do ponto extremo desejado do arco. Um valor positivo resulta em um
prolongamento. Um valor negativo resulta num corte.

Percent - Define o comprimento de um objeto através de uma porcentagem


especificada de seu comprimento total. A opção Percent muda o ângulo de um arco
através de uma porcentagem especificada do ângulo total do arco selecionado.

Total - Define o comprimento de um objeto selecionado pela especificação do


comprimento absoluto total a partir do ponto extremo fixado. A opção Total define o
ângulo total de um arco selecionado através de um ângulo incluso total especificado.

33
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

DYnamic - Introduz o modo Dynamic Dragging. A opção DYnamic muda o


comprimento de um objeto selecionado a partir de onde seu ponto extremo é
arrastado. O AutoCAD move o ponto extremo para a Iocalização mais próxima que
atenda ao comprimento ou ângulo desejado enquanto a outra extremidade
permanece fixa

6.53. CHANGE:

Muda as propriedades de objetos existentes, bem como seus pontos de


inserção. Quanto as propriedades, estas serão melhor abordadas à frente. Porém o
comando CHANGE é o melhor caminho para redefinir pontos de inserção. Basta
selecionar uma entidade e pressionar ENTER. Em seguida, dê um click no novo
ponto de inserção da entidade e o processo chegará ao final.

6.54. TRIM:

O comando TRIM tem como finalidade cortar arestas de objetos a partir de um


limite definido pela interseção de outro objeto. Imagine duas linhas cruzadas. Agora
escolha uma das pontas para ser eliminada. Ao acionar o comando, informe primeiro
a linha que servirá como "tesoura" para que um trecho da outra seja cortado.
Pressione ENTER. Agora, dê um click na ponta que deve ser eliminada e ela será.
Através do comando TRIM, podemos também definir dois pontos como sendo limites
para corte.

6.55. EXTEND:

Extende uma Iinha até outra, caso exista a tendência de encontro entre elas.
Ao acionar o comando, selecione primeiro "até onde a Iinha a ser extendida". No
caso, esse limite deve ser outra linha, ou um arco. Pressione ENTER. Em seguida,
selecione a linha a ser extendida e ela será.

6.56. BREAK:

Quebra a linha em duas partes, a partir do ponto especificado, que é dado pelo
mesmo click que especifica a linha em questão.

6.57. PEDIT:

Edita poli-linhas. Para tal, selecione a poli-linha e automaticamente surgirão as


seguintes opções.

Close - Cria o segmento de fechamento da polilinha, unindo o último segmento


ao primeiro. O AutoCAD considera a polilinha aberta, a menos que você a feche
usando a opção Close.

34
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Join - Adiciona segmentos de reta, arcos ou poIilinhas ao final de uma polilinha


aberta e remove a adaptaçao da curva de uma polilinha adaptada a curva. Para que
objetos se unam à polilinha, seus pontos extremos devem se tocar.

Width - Especifica uma nova largura uniforme para toda a polilinha.

Edit vertex - Quando você seleciona a opção Edit vertex de PEDIT o AutoCAD
marca o primeiro vértice visível da polilinha, desenhando um X na tela. Se você
especificou uma direção de tangente para esse vértice, uma seta também é traçada
naquela direção.

Fit - Cria uma curva suave que consiste de pares de arcos unindo cada par de
vértices. A curva passa por todos os vértices da polilinha e usa qualquer direçáo de
tangente que você especificar.

Spline - Usa os vertices da poliljnha selecionada como pontos de controle ou


forma de uma curva. A curva passa pelo primeiro e úttimo pontos de controle, a não
ser que a polilinha original esteja fechada. A curva e atraída em direção aos outros
pontos mas não passa, necessariamente por eles. Quanto mais pontos de controle
você especificar em um determinado ponto da forma, mais atração eles exercerão
sobre a curva. O termo técnico para esse tipo de curva é B-spline. O AutoCAD pode
criar variedades quadráticas e cúbicas.

Ltype gen - Gera um padrão contínuo do tipo de linha ao longo dos vértices da
polilinha. Quando desativada, essa opçao gera o tipo de linha que contém um traço
inicial e final em cada vértice. Ltype gen não se aplica a polilinhas com segmentos
afilados.

Undo - Reverte as operações até o início da sessão PEDIT.

eXit - Sai de PEDIT.

DICA: Caso seja necessário, uma linha comum também pode receber
espessuras pelo comando em questão.

6.58. MLEDIT:

Edita múltiplos segmentos de reta paralelos, que são denominados multilinhas.


MLEDIT controla as interseções entre as multilinhas através do quadro de diálogo
Multiline Edit Tools. A primeira coluna traballla com multilinhas que se cruzam, a
segunda, com multilinhas que formam um "t", a terceira, com segmentos de reta e
vértices e a quarta, com multilinhas a serem cortadas ou soldadas.

35
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

6.59. SPLINEDIT:

Edita uma spline. Para tal, selecione a Spline em questão e escolha uma das
opções abaixo:

Fit Data - Edita dados de adaptação

Close - Fecha uma spline aberta e unifica as tangentes em seus pontos


extremos. Se o ponto inicial e o final da curva spline coincidirem, a opção Open
desmembra a tangente em duas, uma para cada ponto.

Move vertex - Reposiciona os vértices de controle de uma spline.

Refine - Ajusta uma definição de spline.

rEverse - Reverte a direção da spline.

Undo - Cancela a última operação de edição.

eXit - Sai do SPLINEDIT e retorna à linha de comando.

6.60. DDEDIT:

Esse é um método rápido e prático de se re-editar textos. O DDEDIT não só re-


edita textos simples como também atributos. Basta selecionar o texto ou o atributo em
questão e aparecerá a caixa de edição do AutoCAD. Basta redefinir o texto e
pressionar OK.

6.61. HATCHEDIT:

Possibilita a alteração de uma hachura existente. Ao acionar o comando, o


usuário deve selecionar a hachura a ser alterada. Logo após a seleção, aparece a
caixa de diálogo descrita no comando BHATCH. É justamente com as opções
oferecidas por esta caixa de diálogo que o usuário fará a alteração.

ATENÇÃO! Caso a hachura tenha sido explodida, ela não mais poderá ser
modificada por esse método. Portanto, suas entidades deverão ser eliminadas pelo
comando ERASE e no lugar é construída outra hachura.

6.62. CHAMFER:

Chanfra arestas e ângulos iniciados por duas linhas.

36
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Polyline - Cria chanfros em poli-linhas.

Distance - Solicita a distância para a primeira linha e para a segunda.

Angle - Solicita a distância para a primeira linha e um ângulo de tendência.

Trim - Variável que controla a junção entre as linhas envolvidas.

Method - Variável para a escolba de disrtância ou ângulo

6.63. FILLET:

Cria raios a partir de arestas ou ângulos iniciados por duas linhas. Serve ainda
para unir duas linhas, cuja tendência seja um mesmo ponto.

Polyline - Cria raios em poli-linhas.

Radius - Especifica o valor do raio a ser criado.

Trim - Variável que controla a junção entre as linhas envolvidas.

6.64. EXPLODE:

Quando falamos sobre blocos e poli-linhas, falamos sobre várias entidades


vinculadas entre si, tornando-se praticamente uma única entidade. Isso pode nos
dificultar quando necessitamos manipular essas "entidades unidas" mas
individualmente. Para esses casos, utilizamos o comando EXPLODE, que separa
essas entidades novamente. Selecione o bloco ou a poli-linha a ser "explodida" e
pressione ENTER.

6.65. ERASE:

Apaga as entidades selecionadas. Selecione as entidades a serem eliminadas


e pressione ENTER (ou botão direito do mouse). Caso queira devolvê-las ao
desenho, digite OOPS e pressione ENTER.

7. COMANDOS DE VISUALIZAÇÁO:

Os comandos de visualtzação nos ajudam a manipular a posição dos desenhos


na tela, uma vez que existe a possibilidade de muìtos desses desenhos serem
complexos demais.

37
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

7.1. REDRAW:

Nos releases de AutoCAD para Windows, podem surgir na tela "rasuras", a


exemplo, manchas de entidades que acabamos de eliminar. Isso ocorre porque
muitas vezes a memória é otimizada para atender prioridades. Usamos o redraw para
eliminar essas manchas, mesmo sabendo que elas não afetam o desenho. O redraw
também é utìlizado para eliminar BLIPS que ficam na tela.

7.2. REDRAWALL:

O mesmo que REDRAW, só que funciona também nos trechos do desenho


que não aparecem na tela.

7.3. ZOOM:

Os comandos ZODM nos ajudam a visualizar nossos desenhos e projetos em


várias situações, mesmo porque em se tratando de certos projetos, uma planta
industrial por exemplo, fica impossível visualizar todos os detalhes do desenho ao
mesmo tempo. São vários os controles de ZOOM que o AutoCAD possui. Seus fIy-
outs se encontram no Standard Toolbar. A seguir, cada um deles será especificado.
Não se assuste com os diversos tamanhos que seu desenho aparecerá na tela, pois é
apenas a sua visualfização. Suas medidas oficiais sempre serão as mesmas.

7.3.1. ZOOM IN:

Amplia o desenho na tela, aproximadamente em 2 vezes.

7.3.2. ZOOM OUT:

Reduz o desenho na tela, aproxinnadamente pela metade.

7.3.3. ZOOM WINDOW:

Amplia a região demarcada por uma janela para as extensões da tela. O


comando solicita por dois pontos para abrir um retângulo sobre a região desejada.
Após o segundo click, a região que foi demarcada se torna extensa sobre toda a tela.

7.3.4. ZOOM ALL:

Mostra o conteúdo, segundo a definição do comando LIMITS. Caso o conteúdo


(desenhos) estejam ultrapassando os limites, o comando se encarrega de demonstrar
também esses trechos.

38
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

7.3.5. ZOOM PREVIOUS:

Ao ser acionado, retorna a última vista mostrada por um dos comandos ZOOM.

7.3.6. ZOOM SCALE:

Esse controle é basicamente executado pelo prompt. Ao acionar o comando


Zoom Scale, devemos fornecer pelo teclado um fator de escala, onde 1 é a escala
atual. Se quisermos, por exemplo, ampliar o desenho 20% na tela, então digitamos
1.2z <ENTER>. Se quisermos reduzir o desenho à 80%, então digitamos .8z
<ENTER>.

7.3.7. ZOOM DYNAMIC:

Apresenta na tela uma, espécie de "mira", onde o retângulo é a tela a ser


aberta. O botão esquerdo do mouse tem a função de aumentar ou diminuir o
retângulo e o direito para processar a nova tela, conforme o tamanho e a posição do
retângulo indicador.

7.3.8. ZOOM CENTER:

Nessa opção, o usuário entra com três pontos: No primeiro, definindo onde
será o centro da tela, no segundo, definindo a amplitude proporcional da janela a ser
aberta, e o terceiro definindo a coordenada oposta a anterior. O AutoCAD aceita
também que os pontos sejam dados pelo teclado, através das coordenadas descritas.

7.3.9. ZOOM LEFT:

Trabalha basicamente com dois pontos: O primeiro, deve ser tipicamente o


canto inferior esquerdo da tela a ser ampliada (lower left corner). O segundo, deve ser
a distância em Y. Com isso, o AutoCAD proporciona X e apresenta a nova posição da
tela.

7.3.10. ZOOM LIMITS:

Demostra na tela, os limites atribuídos à área de trabalho. Mas, caso o


desenho esteja ultrapassando os limttes, o AutoCAD apresenta também esses
excessos.

7.3.11. ZOOM EXTENDS:

Apresenta na tela todas as extensões do desenho, indiferente de qualquer


outra condição.

39
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

7.3.12. ZOOM VMAX:

Inverte o zoom o máximo possível na tela virtual da VIEWPORT atual sem


forçar uma regeneração completa do seu desenho. Não é possivel realizar ZOOM
Vmax a partir do espaço do papel.

7.3.13. PAN POINT:

Essa opção trabalha com dois pontos, num processo bem simples: A distância
entre o primeiro e o segundo ponto, será percorrida, proporcionalmente por todo o
desenho. Em outras palavras, estamos indicando para o AutoCAD que o primeiro
ponto passa a se encontrar onde marcamos o segundo.

7.3.14. PAN ( Deslocamentos automáticos ):

Desloca a vista para a esquerda.

Desloca a vista para a direita.

Desloca a vista para cima.

Desloca a vista para baixo,

Desloca a vista para cima e para a esquerda.

Desloca a vista para cima e para a direita.

Desloca a vista para baixo e para a esquerda.

Desloca a vista para baixo e para a direita.

7.3.15. REGEN:

Por motivos de otimização de memória, muitas vezes algumas entidades


aparecem deformadas (a exemplo, os círculos aparecem hexagonais). Isso pode ser
revertido pela regeneração da área de trabalho. Para isso, simplesmente digite o
comando e pressione ENTER.

7.3.16. UNDO: REDO:

Desfaz último comando executado ( pode desfazer até os últimos dez ).

Refaz último comando.


40
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

8. PROPRIEDADES DOS DESENHOS:

8.1. TOOLBAR OBJECT PROPERTIES:

Os desenhistas das áreas de Engenharia e Arquitetura convivem diariamente


com vários tipos de traçado. Isso não poderia ser diferente no AutoCAD. Além dos
diversos tipos de linha ( conforme padrões ), o AutoCAD fornece outros tipos de
recurso para que o usuário diferencie seus traçados nos desenhos de projeto, a fim
de que a apresentação final dos mesmos seja perfeita. No toolbar apresentado
acima, encontramos a controladoria para todos esses recursos. .

8.2. CONHECENDO AS PROPRIEDADES:

8.2.1. Layers:

A melhor tradução para a palavra "Layer" é camada. Mas, a nível de AutoCAD


devemos interpretar os Layers de outra forma. Imagine um desenho técnico
mecânico, civil ou eletro-eletrônico.

O que notamos, é que nele existem diversos tipos de traçado e outros


complementos: linhas de contorno, centro (eixo ou simetria), cotas; textos, Iinhas
tracejadas, simbologias diversas, etc. Agora imagine o seguinte: Como proceder,
caso seja solicitada uma cópia (em papel) desse desenho sem as cotas e sem os
textos, apenas as linhas e os símbolos? Na prancheta, isso seria quase impossível.
Mas se utilizarmos os Layers que serão criados no AutoCAD, poderemos "separar" o
desenho em várias camadas, sem perder a qualidade de apresentação, de forma que,
quando for necessário, poderemos "ocultar" os Layers indesejados.

Nós criamos os nossos Layers, de acordo com padrões estabelecidos por nós
mesmos. Dessa forma, nós podemos não somente ocultar Layers em momentos de
necessidade, como também reaproveitar estruturas de desenhos antigos, com maior
facilidade para dispor de trechos desejados, sempre de acordo com os padrões pré-
estabelecidos por nos mesmos.

8.2.2. Colors:

O AutoCAD depende das cores do Windows para torná-las disponíveis aos


usuários. Em certos casos, o Windows pode estar configurado para 16 cores, quando
em outros casos pode atingir 256 cores. Esses números serão sempre refletidos ao
AutoCAD (for Windows). Mas independente disso, as cores podem ser atribuídas a
qualquer tipo de entidade, em qualquer circunstância, salvo exceções aos blocos.
41
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Uma vez dentro da caixa denominada Layer Control, podemos atribuir cores aos
layers, de forma que, as entidades que estiverem posicionadas dentro desses Iayers,
receberão automaticamente suas respectivas cores. Costuma-se dizer que as
entidades que recebem suas cores a partir de seus Layer são entidades de cores
Bylayer. Mas, se houver a necessidade de "desrespeitarmos" esse procedimento,
devemos fazê-lo, atribuindo cores diferentes às entidades em pauta através do
comando DDCHPROP . Porém devemos estar cientes que, se futuramente
precisarmos alterar o layer dessas entidades, suas cores não serão automaticamente
alteradas, pois deixaram de ser bylayer e passaram a ser individuais.

DICA: A caixa de controle ao


lado pertence ao comando
DDCHPROP e nos ajudará a
alterarmos algumas
propriedades de nossos
objetos e entidades. Para
isso, estudaremos seu
funcionamento logo após
termos conhecido todas
essas propriedades e seus
momentos de utilização.

Caixa de diálogo do comando DDCHPROP.

8.2.3. Linetypes:

Quando utilizarmos o comando DDLMODES, perceberemos a possibilidade de


alterarmos os tipos de linha a partir dos layers. Porém, isso não é possível a princípio,
levando em consideração que devemos primeiro carregar os tipos de linha que serão
usados.

8.3. DDLMODES:

Cria e controla os layers citados.

Current Layer - Informa qual é o Layer ativo. Ao traçarmos uma entidade, esta vem
conforme as condições de cores e tipos de linhas referente a este Layer.
State - Informa as condições atuais do Layer.
Color - Informa a cor atual do Layer.
Linetype - Informa o tipo de linha atual do Layer.
Select All - Seleciona todos os Layers, afim de que sejam manipulados em grupo.
Clear AII - Retira a seleção dos Layers.
New - Cria um novo Layer. Para tal, devemos digitar o nome desse novo Layer no
prompt da caixa de diálogo, e em seguida, pressionar o botão New.
Current - Torna o Layer selecionado corrente / atual. Se houver mais de um Layer
selecionado, esse botão não estará disponível, pois podemos tornar apenas um Layer
corrente por vez.

42
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Rename - Renomeia um Layer, menos o Layer 0, que é padrão. Para tal,


selecionamos o Layer a ser renomeado e alteramos o nome. Após isso,
pressionamos o botão.
Off - Desliga um Layer
On - Liga um Layer
Freeze - Congela um Layer, de forma que as entidades que estejam contidas dentro
dele deixam de aparecer momentaneamente na área de trabalho, e sequer são
impressas ou plotadas. O único Layer que não pode ser congelado é o Layer
corrente.
Thaw - Descongela um ou mais Layers.
Lock - Tranca os Layers, de forma que suas entidades não podem ser capturas na
área de trabalho. Em outras palavras, as entidades que estejam dentro de um Layer
trancado não poderão ser manipuladas.
Unlock - Destranca um Layer.
Set Color - Define a cor do layer, através de uma tabela.
Set Ltype - Define o tipo de Iinha. Talvez o tipo de linha necessário não esteja
disponível no momento, pois ainda não foi carregado. Para isso devemos pressionar
o botão Load.

8.4. LAYER CONTROL:

Essa opção gráfica, contida no toolbar


Object Properties é uma forma gráfica
de tornarmos outros layers correntes
(atuais). Por se tratar de um processo
muito utilizado, a troca de Layers tem
essa opção, afinal, a cada linha a ser
traçada, talvez surja a necessidade de
trocarmos os Layers. Após abrirmos a
caixa de controle, através da seta que se

43
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

aponta para baixo (ao Iado direito da caixa), verificamos que todos os layers que
criamos estão ali presentes, possibilitando que, com um simples click, alteremos
momentaneamente o Layer. As opções gráficas dentro da caixa de controle, indicam
seu estado.

8.5. DDCOLOR:

Possibilita alterarmos cor atual a


ser utilizada. Essa cor deixará de
ser BYLAYER, ou seja, deixará de
ser a cor oficial do Layer se
utilizarmos uma das cores da
tabela, sendo que da próxima vez
em que alteramos a cor do Layer
(DDLMODES) as entidades que
não possuam suas cores
BYLAYER não sofrerão essa
alteração. Após o procedimento,
basta dar um click em OK e a
nova cor estará em andamento.

DICA: Personalize de forma global


seus layers e suas respectivas
cores, e automaticamente você
estará dispensando esse
procedimento ! ! !

8.6. DDLTYPE:

Nessa opçao podemos finalmente carregar os tipos de linhas ausentes até


então. São apresentados os tipos de linha já disponíveis e o botão Load, que nos
permite visualizar outros tipos de linhas, disponíveis para serem carregadas. A opção
Linetype Scale indica a escala proporcional dos tipos de linha a serem utilizadas na
área de trabalho.

8.7. LINETYPE CONTROL:

Essa opção funciona como no Layer Control. Altera o tipo de linha a ser
utilizada no momento. Aparecerão nessa caixa de controle, apenas os tipos de Iinha
disponíveis e carregadas até então.

44
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

8.8. PROPERTIES:

O mesmo que DDCHPROP. Controla genericamente Layers, tipos de linhas e


cores.

8.9. MATCH PROPERTIES/ PAINTER:

Ferramenta que possibilita a cópia de propriedades de uma entidade para


outra; também conhecida como ferramenta pincel, a qual faz parte dos programas
contidos no pacote OFFICE da MICROSOFT (Word, Excel, etc.).

8.10. LIST:

Relata todas as propriedades e características das entidades. Basta selecionar


as entidades a serem listadas e pressionar ENTER.
Obs.: O AUTOCAD memoriza a sequência de comandos executados através da tecla
de função F2.

8.11. ID:

Fornece as coordenadas absolutas exatas do ponto onde é dado um click.

8.12. DIST:

Calcula a distância exata entre dois pontos. A precisão de casas é definida


pelo comando DDUNITS. Utilize os Object Snap’s para o auxílio na captura exata dos
pontos.

45
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

9. DIMENSIONAMENTO:

9.1. TOOLBAR DIMENSIONING:

MODO DIM (DDIM):

O modo DIM aparece automaticamente como sub-prompt em Comand:. Nele


serão executados automaticamente os comandos que seguem abaixo. Devemos ficar
sempre atentos às mensagens desse prompt, pois na maioria das vezes (e
principalmente na execução dos comandos) são mensagens solicitando a inserção de
pontos.

9.2. LINEAR:

Basicamente esse comando necessita de dois pontos, que definem a distância


a ser cotada. Como o próprio nome sugere, essas cotas se limita a horizontal e a
vertical mesmo que os os dois pontos não estejam nesses alinhamentos.

9.3. ALIGNED:

Mais um comando que necessita de dois pontos para calcular a distância,


porém aqui, o AutoCAD considera a cota paralela ao alinhamento dos dois pontos.

9.4. RADIUS:

Calcula o raio de um arco ou um círculo através de um simples ponto. O


AutoCAD pedirá pela confirmação do valor, bem como pela posição do texto de cota.

9.5. DIAMETER:

Idem ao comando acima, porém calcula o diâmetro.

9.6. ANGULAR:

Calcula os ângulos de abertura entre dois pontos. Experimente movimentar o


mouse após ter indicado os dois pontos, e você verá que o AutoCAD oferece cotas
para as diversas posições angulares.

46
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

9.7. ORDINATE:

Cria dimensionamentos de pontos de ordenadas. Os dimensionamentos de


ordenadas apresentam a coordenada X ou Y de um elemento juntamente com uma
linha guia simples. Esses dimensionamentos são também conhecidos como
dimensionamentos de referências.

9.8. X-DATUM:

Cria uma cota a partir de dois pontos que se deslocam na transversal. Esse
método gera uma cota em desvio pelo eixo X, e é cota para anotações.

9.9. Y-DATUM:

Idem acima, mas trabalha no eixo Y.

9.10. BASELINE:

A Baseline depende apenas de um ponto, pois considera o primeiro ponto da


cota anterior para ser seu primeiro ponto também. Concluímos dessa forma, que esse
comando gera uma cota que é a soma da cota anterior mais o valor excedente.

9.11. CONTINUE:

Continua a cota a partir do segundo ponto da última. Dessa forma Continue é


mais uma opção que solicita apenas um ponto.

9.12. CENTER MARK:

Deixa uma marca no centro de um círculo ou de um arco.

9.13. LEADER:

Essa é uma opção muito utilizada para se indicar notas no desenho, pois o
primeiro ponto a ser dado será alvo de uma seta, enquanto o segundo ponto será
utilizado para se afastar a cota do desenho. Em seguida, pressionamos ENTER e
preenchemos as informações da nota, que devem estar contidas em apenas uma
linha. Após esse procedimento, novamente pressionamos ENTER e a cota estará
inserida.

47
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

9.14. TOLERANCE:

As tolerâncias geométricas definem as variações máximas permitidas para


uma forma ou perfil, orientação, localização e desvios a partir da geometria exata no
desenho. Elas especificam a precisão necessária para a função e encaixe adequados
dos objetos desenhados no AutoCAD. O AutoCAD adiciona tolerâncias geométricas a
um desenho em forma de grade de controle de componentes. Esta é uma estrutura
dividida em compartimentos que contêm símbolos de características geométricas
seguidos de um ou mais valores de tolerância. Quando for o caso, a tolerância é
precedida pelo símbolo de diâmetro, e seguida de dados e símbolos para suas
condições materiais.

Ao acionarmos o comando Tolerance, aparece a caixa de diálogo para escoIha


do tipo de tolerância. Após a escolha, devemos pressionar OK para aí então
preencher o valor da tolerância.

9.15. HOME:

Levando em consideração que as cotas são blocos, e que podemos manipular


estes blocos sem explodi-los, temos a opção HOME, que retorna as características
originais das cotas.

48
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

9.16. ROTATE:

Permite rotacionar o texto da cota, sem a necessidade de explodir o bloco.

9.17. LEFT:

Encaminha o texto da cota para esquerda.

9.18. CENTER:

Encaminha o texto da cota para o centro da linha de cota.

9.19. RIGHT:

Encaminha o texto da cota para direita.

9.20. OBLIQUE:

Dá inclinação a cotas. Para esse procedimento, devemos selecionar a cota a


ser inclinada e logo em seguida pressionar ENTER. Ao segundo ponto, que deve ser
o valor da inclinação, o AutoCad manipula a cota, deixando-a oblíqua.

9.21. DIMENSION STYLES:

As caixas de diálogo que


surgem a partir da principal
(abaixo) controlam a estética
das cotas, conforme seus
estilos. Um estilo é um grupo
de cotas a serem geradas no
desenho que possuem as
mesmas características,
quanto as linhas, cores, setas,
distâncias, etc. Salvo o tipo de
letra, que vem conforme o
estilo definido anteriormente e
também o número de casas
decimais definidas no
comando DDUINITS.

49
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Current - Nessa opção, está escrito o nome do estilo de dimensionamento atual.


Caso seja Standard, está sendo usado o default do AutoCAD.

Name - Opção para digitarmos o nome de um novo estilo.

Save - Utilize esse botão para salvar o novo estilo de dimensionamento.

Rename - Renomeia um estilo de dimensionamento.

Family - Determina qual membro da família de estilos de dimensionamento está,


atualmente apresentado nos quadros de diálogo. Para especificar os parâmetros para
uma família de estilos de dimensionamento, selecione a opção do membro da família
como Parent, Linear ou Radial, faça as mudanças ao estilo de dimensionamento e,
em seguida, escolha Save.

Botão Geometry:

Controla a aparência da geometria e a escala global do dimensionamento. A


geometria do dimensionamento inclui a linha de cota, linhas de chamada, pontas de
seta, centro e eixo.

Dimenision Iine:

Suppress - Omite a apresentação das linhas de cota quando elas estão


externamente à linhas de chamada. A opção 1st omite a primeira linha de cota; o

50
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

AutoCAD armazena o valor na variável DIMSDI. A opção 2nd omite a segunda linha
de cota; o AutoCAD armazena o valor na variável DIMSD2.

Extension - Quando você usa terminadores oblíquos (marcas de tique) para pontas
de seta, essa opção especifica quanto estender a linha de cota para além da linha de
chamada. Digite uma distância no quadro de texto. O AutoCAD armazena o valor na
variável DIMDLE.

Spacing - Especifica uma distância para o espaçamento entre as linhas de cota de


um dimensionamento tipo linha de base. Digite uma distância no quadro de texto. O
AutoCAD armazena o valor na variável DIMDLI. Para mais informações sobre
dimensionamentos de linha de base, consulte o comando DIMBASELINE.

Color - Apresenta e define a cor para a linha de cota. Quando você escolhe a opção
Color ou a amostra de cor, o AutoCAD apresenta o quadro de diálogo Select Color.
Você também pode digitar o nome ou número da cor no quadro de texto. O AutoCAD
armazena o valor na variável DIMCLRD.

Extension line:

Origin Offset - Especifica o intervalo de deslocamento das linhas de chamada a partir


dos pontos de origem. Essa opção controla o espaço existente entre a extremidade
da linha de chamada e o ponto que define o dimensionamento. Digite uma distância
no quadro de texto. O AutoCAD armazena o valor na variável DIMEXO (não são
especificados os tópicos repetidos).

Arrowheads:

Controla a aparência das pontas de seta. Você pode especificar pontas de setas
diferentes para a primeira e a segunda pontas de seta na linha de cota. Quando você
seleciona a primeira ponta de seta, a segunda é automaticamente definida como a
primeira. Para especificar uma ponta de seta diferente para a segunda, selecione uma
da lista 2nd. A primeira ponta de seta é mostrada no quadro de imagens do lado
esquerdo e a segunda, no quadro de imagens do Iado direito.

CENTER:

Mark - Marca o centro. O AutoCAD armazena o tamanho da marca como um valor


positivo na variável DIMCEN.

Line - Cria o eixo. O AutoCAD armazena o tamanho do eixo como um valor negativo
na variável DIMCEN.

51
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

None - Não cria marca de centro nem cria o eixo. O AutoCAD armazena o valor como
0 na variável DIMCEN.

Size - Apresenta e define o tamanho do centro ou eixo. Digite um valor no quadro de


texto. O AutoCAD armazena o valor na variável DIMCEN.

Scale:

Overall Scale - Apresenta e define um fator de escala para todo dimensionamento


que especifica tamanhos, distâncias ou espaçamento, que inclui componentes como
tamanhos de texto e de ponta de seta, mas não inclui tolerâncias, comprimentos
medidos, coordenadas ou ângulos. Digite um valor no quadro de texto. O AutoCAD
armazena esse valor na variável DIMSCALE.

Scale to Paper Space - Determina um fator de escala com base na escala entre a
atual viewport do espaço do modelo e o espaço do papel. O AutoCAD armazena esse
valor como 0 na variável DIMSCALE quando trabalha no espaço do papel, mas não
na viewport de um espaço do modelo ou quando TILEMODE está definido como 1, o
AutoCAD usa o fator de escala padrão de 1.0 para a variável DIMSCALE.

BOTÃO FORMAT:

User defined - Permite especificar uma localização para o texto de dimensionamento,


com a verificação inicial de uma dimensão. Quando você seleciona essa opção, o
AutoCAD ignora quaisquer parâmetros de justificação horizontal e coloca o texto na
52
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

posição que você especificar no aviso Dimension line location. Quando essa opção
não está selecionada, o AutoCAD determina a localiização do texto de
dimensionamento pelos parâmetros da justificação horizontal. Para mais informações,
consulte Horizontal Justification. O AutoCAD armazena o valor dessa opção na
variável DIMUPT.

Force Line Inside - Desenha linhas de cota entre os pontos medidos mesmo quando
as pontas de seta são colocadas externamente aos pontos medidos. O AutoCAD
armazena o valor dessa opção na variável DIMTOFL.

Fit - Controla o posicionamento do texto e pontas de seta interna ou externamente às


linhas de chamada com base no espaço disponível entre as linhas de chamada. O
AutoCad armazena o valor dessa opção na variável DIMFIT.

Horizontal Justification – Controla a justificação horizontal do texto de


dimensionamento ao longo da linha de cota e da linha de chamada. Outros
parâmetros de dimensionamento também afetam a justificação horizontal do texto de
dimensionamento. O AutoCAD armazena o valor das opções de justificação horizontal
na variável DIMJUST.

Text - Controla a posição do texto de dimensionamento interna e externamente às


linhas de chamada. O AutoCAD armazena o valor dessas opções nas variáveis
DIMTIH e DIMTOH.

Vertical Justification - Controla a justificação vertical do texto de dimensionamento


ao longo da linha de cota. Outros parâmetros de dimensionamento também afetam a
justificação vertical do texto de cota. O AutoCAD armazena o valor das opções de
justificação vertical na variável DIMTAD.

BOTÃO ANNOTATION:

Primary Units - Controla a apresentação das unidades de medida primárias e


quaisquer prefixos e sufixos para o texto de dimensionamento.

Tolerance - Cria tolerância dimensional para o texto de dimensionamento.

Alternate Units - Controla a apresentação de unidades de medida alternativas e


quaisquer prefixos e sufixos para o texto de dimensionamento. As unidades
alternativas não estarão disponíveis quando a família de estilos de dimensionamentos
for Angular.

Text - Controla as propriedades do texto de dimensionamento, tais como estilo,


altura, margem e cor.

53
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Round Off - Apresenta e define o arredondamento de todas as distâncias de


dimensionamento. Digite um valor no quadro de texto. Se você digitar o valor 0,25,
todas as distâncias serão arredondadas à unidade 0,25 mais próxima. Do mesmo
modo, se você digitar o valor 1,0, o AutoCAD arredondará todas as distâncias de
dimensionamento ao inteiro mais próximo. O número de dígitos editados após o ponto
decimal depende do grau de precisão que você definir nos quadros de diálogo
Primary Units ou Alternate Units. O valor arredondado não se aplica a
dimensionamentos angulares. O AutoCAD armazena o valor na variável DIMRND.

NB.: Ao iniciar-se um novo desenho (NEW DRAWING) utilizando-se do recurso


TEMPLATE/PROTÓTIPO, este traz consigo, não somente o formato do papel, mas
também configurações prontas para as cotas, segundo normas pré-estabelecidas. O
uso destas configurações torna o serviço de cotagem mais rápido e padronizado.

54
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

10. PLOTAGEM:

Os desenhos feitos no AutoCad podem ser plotados em um traçador gráfico ou


em uma impressora gráfica. O primeiro passo é assegurar-se de estar com a
impressora/ploter desejada conectada; para tal deve ser feita a configuração com o
comando PREFERENCES:

10.1. PLOT:

Plota um desenho em um ploter, impressora ou cria um arquivo de impressão.


Apresenta um quadro de diálogo que se desmembra em outros quadros durante a
interação:

55
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Nome do dispositivo atual.

Apresenta outro quadro de diálogo onde pode-se escolher outro dispositivo de


plotagem.

Grava os parâ-
Lista dos dispositivos metros atuais
em arq. .pcp

Recupera parâ
metros de arqs.
.pcp
Informações da configu-
ração corrente Mostra as confi
gurações do
Substitue os parâmetros ploter atual.
atuais pelos gravados
em arq. .pc2 Altera as infor-
mações de con
Grava os parâmetros figuração do
atuais em arq. .pc2 ploter atual.

Modifica os parâmetros para a


caneta, tipo de linha, velocidade e
espessura.

Apresenta todas velocidades,


espessuras de canetas e tipos de linha
do hardware disponível.

56
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Com exceção do quadro de otimização No


optimization, a seleção sucessiva de
quadros de seleção adiciona
cumulativamente o nível de otimização
correspondente. O parâmetro padrão
depende do dispositivo configurado.

Plota a vista na viewport Define a qualidade de impressão de Define os textos com fo


atual. textos em dpi fontes True Type serão
preenchido ou vazados
Plota toda extensão do
desenho. Plota vistas no Model
Space com remoção
Plota somente as áreas das linhas não visíveis.
do limite do desenho.
Ajusta a espessura da
Plota uma vista gravada caneta para a plotagem
anteriormente com o co- de traços de preenchi-
mando VIEW. mento sólido.

Plota uma área do dese- Cria arquivo de plota-


nho definida no quadro gem com extensão .plt.
Window Selection.
Especifica o nome para o arquivo Cria um arq. de plota-
de plotagem. gem e o envia direta-
mente ao gerenciador
de impressão.

Especifica na tela a área do desenho que


deseja-se plotar.

Especifica as coordenadas absolutas dos


cantos da área do desenho que deseja-se
plotar.

Especifica polegadas para as unidades de


plotagem

Apresenta o quadro de diálogo Paper Size, onde


podem ser alterados os tamanhos de papel.

Especifica milímetros para as unidades de


plotagem

57
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Apresenta o quadro de
diálogo plot Rotation and
Origin.

Especifica a escala de
plotagem.
Altera a escala de plotagem para
que a parte ou vista do desenho
a ser plotado tenha o maior
tamanho possível para o
tamanho de papel especificado.

Rotaciona a parte ou a
vista do desenho a ser
plotado.

Desloca, ao
longo do
papel, parte
ou a vista
do desenho
a ser
plotado.

Permite visualização
prévia do desenho
plotado.

Mostra rapidamente uma


representação precisa da área
efetiva da plotagem em relação ao
tamanho do papel num quadro de
preview.
Apresenta o desenho na tela com a
aparência que terá quando plotado.
Por exigir uma regeneração esta
opção é mais lenta que a opção
anterior.

58
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

11. PERSONALIZAÇÃO DE BARRAS DE FERRAMENTAS:

O usuário pode modificar as barras de ferramentas do AutoCad R14 ou criar


novas barras e novos ícones através do comando TOOLBAR. Para acessar as
configurações do Toolbar existem dois caminhos:

1. na barra de menus View, escolha Tollbar;


2. clicar com o botão da direita do mouse, sendo que o cursor deste deve estar por
sobre um Toolbar qualquer.

Close – Fecha o quadro de diálogo Toolbars;

New – Apresenta o quadro de diálogo New Toolbar onde deve ser especificado o
nome da nova barra de ferramentas;

Delete – Apaga a barra de ferramentas selecionada;

Customize – Oferece o conjunto de comandos e um quadro de diálogo onde são


apresentados os comandos associados a categoria escolhida. Para adicionar um
comando em um Toolbar, arraste o ícone correspondente e deixe-o sobre a Toolbar
desejada. Para copiara uma ferramenta de uma barra para outra, pressione CTRL e
arraste-a para o local desejado. Para excluir uma ferramenta de uma barra, basta
arrastá-la para fora da barra.

Properties – Apresenta um quadro de diálogo de propriedades;

Large buttons – Altera os ícones de 16x16 para 32x32 pixels;

Show Tool Tips – Mostra o nome da ferramenta quando o cursor passa sobre a
ferramenta.
59
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

10. PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO AUTOCAD 2000:

O AutoCad R.14 foi “reconstruído” de forma a possibilitar o aumento de


eficiência e produtividade da ferramenta Cad – o AUTOCAD 2000. Houveram
aproximadamente 400 mudanças entre novas ferramentas e ferramentas melhoradas

60
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

das versões anteriores.

A principal inovação observada nesta nova versão é a inclusão de um recurso


chamado Multiple Design Environment (MDE), o qual possibilita o usuário trabalhar
com vários documentos e desenhos ao mesmo tempo na mesma tela. Desta forma é
possível copiar ou mover objetos com o recurso arrastar-soltar ( drag and drop ) entre
desenhos ou janelas abertas.

Este recurso também possibilita a cópia de propriedades como: layers, colors,


linetypes, linetypes scale, etc., de um desenho para outro através da ferramenta
pincel – property painter, favorecendo a padronização e tornando-o um processo
rápido.

A utilização do mouse foi otimizada nesta versão. O botão direito do mouse,


por exemplo, pode ser usado para cancelar todo um comando já feito ou para fechar o
modelo que está sendo usado de forma tão rápida e fácil como acontece com as
ferramentas zoom e pan.

Algumas caixas de diálogo foram redesenhadas, como as de layers e as de


hatching.

A caixa de diálogo Properties agora tem novo nome – Layer Properties


Manager, e ganhou novas ferramentas. Ela concentra mais informações e com ela o
usuário pode alterar propriedades de qualquer objeto, até modificar arquivos inteiros.

61
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

Outra mudança foi no Sistema de Coordenadas do Usuário – UCS. No sistema


anterior havia deficiência, pois não se podia ativar diferentes UCS ao mesmo tempo.
No AutoCad 2000 cada viewport pode ter seu próprio UCS; cada face do desenho
também pode ser selecionada para alinhar o UCS, o que facilita muito a definição de
referências no desenho, principalmente nos desenhos 3D.

62
ETEPA – Escola Técnica Estadual Polivalente de Americana AutoCad R.14 Básico

As ferramentas relacionadas com 3D tiveram consideráveis mudanças,


promovendo desta forma agilidade na criação e ajuste dos sólidos com poucos
comandos.

Para usuários com interesse em desenvolvimento ou criação de novas


ferramentas próprias, o AutoCad 2000 traz integrado o Visual LISP que é uma
ferramenta facilitadora à otimização de novas ferramentas, com a apresentação de
uma interface gráfica e várias ferramentas prontas ao uso.

63