Gabarito – Caderno do Aluno

Língua Portuguesa

7a série/8o ano – Volume 1

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 1 PRODUZINDO UM DIÁLOGO

Páginas 3-5

1. a) A receita culinária, nome do gênero em questão, costuma ser utilizada em livros para aprendizado culinário ou em livros de registro, para que a pessoa guarde as receitas que possa querer usar no futuro. b) A receita culinária também costuma ser dividida em duas partes: listagem de ingredientes e instrução ou modo de fazer. A primeira parte destina-se a expor os ingredientes necessários e sua quantidade para realização da receita. A segunda parte explica o processo de preparação do prato. 2. a) É uma receita médica, geralmente entregue ao paciente por seu médico, a fim de orientá-lo quanto à medicação prescrita. b) Os dois textos são prescritivos, indicam o que deve ser feito para que seja atingido um dado objetivo. 3. São utilizados verbos: bata, acrescente, até obter, levar, cobrir (Texto 1); tomar (Texto 2), com a finalidade de prescrever uma ação. 4. a) Há uma forma de prescrição própria do Modo Imperativo, pois a moça vai indicando o que o rapaz deve fazer. b) Aqui, os alunos vão circular os usos no Imperativo dos verbos olhar (olha), ouvir (ouve), dar (dá), falar (fala), parar (para), explicar (explica), para verificação da aprendizagem do conceito. O professor deve retomar a explicação, se necessário, e fazer outras atividades. c) Sim. Observar a pertinência das respostas dos alunos. Destacamos o uso do Imperativo na variedade coloquial, mas pode ser que o aluno destaque outros aspectos pertinentes.

1

Gabarito – Caderno do Aluno

Língua Portuguesa

7a série/8o ano – Volume 1

d) Não, visto que, como se trata de uma conversa íntima, estão na variedade coloquial. A situação profissional exige o uso formal, mesmo sendo uma conversa. e) Em uma conversa informal, o uso do Imperativo coloquial é adequado ao contexto. f) Sim, pois é um documento em que o médico orienta, formalmente, o que um

paciente deve fazer. Como o uso de medicação envolve possíveis riscos, a linguagem deve ser precisa. 5. Quando se solicita ao aluno que crie uma definição com suas palavras, o objetivo é fazer com que ele desenvolva uma paráfrase, traduzindo de forma que lhe pareça claro o conceito estudado. Neste caso, espera-se que o aluno escreva que esses textos envolvem ordens, pedidos, prescrições ou súplicas. Todas essas ações exigem o uso do Modo Imperativo. 6. Regras de jogos, artigos de leis, manuais, diálogo prescritivo, receitas, entre outras possibilidades. Todo o texto que orienta alguém a fazer algo pode ser considerado prescritivo.

Produção escrita
Páginas 6-7

2. a) O aluno deve escolher uma forma de saudação adequada à situação (relativamente informal). b), c) e d) Os alunos devem indicar a quantidade e sabores que desejam. e) Mesmo que em linguagem informal, o aluno vai dizer que necessita de um documento oficial para depois ser reembolsado. f) A definir. Sugerimos que o aluno se informe em uma pizzaria ou em outra fonte. g) O aluno precisa fazer um cálculo aproximado para construir uma resposta verossímil com a situação dada. h) O aluno deve escolher uma forma de saudação adequada à situação (relativamente informal). i) A princípio, mesmo em linguagem informal, o aluno deverá responder “Modo Imperativo”, em sua variedade menos formal. Caso o aluno use outro modo, o professor deve avaliar a pertinência da escolha.

2

Sem os verbos.. e) Depende. é possível compreender muita coisa.. se necessário. mas. (1) Ação (2) Ação (3) Ação (4) Ação (5) Ação (6) Ação (7) Ação (8) Ação (9) Ação (10) Estado d) Espera-se que o aluno localize um dos tempos e consiga exemplificá-lo. c) Aqui é preciso levar em conta todas as possibilidades dadas pelos alunos e observar a pertinência. acho (9) que fui superbem! Pois eu fui (10) muito mal. sabia (5)! Acertei (6) sobre aquele assunto de células. Abaixo segue sugestão de preenchimento. o aluno deve pesquisar algumas informações. a) Estudei (1) muito para a prova! Acho (2) que vou arrasar (3).. o verbo vai 3 . Estudo da língua Páginas 7-11 1.. Com base nelas e no esquema feito na atividade.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 Página 7 Para dar coerência ao texto. pelo contexto. deverá redigir o diálogo. Ah. Não sei (4) não. Este exercício pode ser compreendido como uma atividade de retomada de séries anteriores... Além disso. b) São o centro das informações. E agora? O que eu vou fazer (7)? Cara. conforme a pessoa gramatical que praticou a ação. reapresente os tempos verbais do Modo Indicativo. Você deve destacar que. eu sabia (8) tudo. temos uma compreensão parcial de toda a situação.

o objetivo é fazer com que ele desenvolva uma paráfrase. pois. Sugerimos que. Quando se solicita ao aluno que crie uma definição. espera-se que o aluno já tenha interiorizado esses conceitos e seja capaz de explicá-los. b) O verbo pode indicar a ação. de alguma forma. traduzindo de forma que lhe pareça claro o conceito estudado. Quando se solicita ao aluno que crie uma definição. 4 . 7. apresente novas explicações e solicite aos alunos que a parafraseiem. Nesta questão. mesmo que depois você indique uma definição. algumas sugestões de itens a destacar. Essa também é uma excelente forma de você perceber em que nível está a compreensão dos alunos. Assim. Os dois estão. Os alunos vão registrar que o modo dos verbos apresentados na receita médica e na receita culinária é o Imperativo. para que possa fazer as intervenções necessárias. traduzindo de forma que o conceito estudado lhe pareça claro. você reforce com os alunos que ambos os textos empregam verbos destinados a orientar alguém a fazer determinada coisa. em algum momento. 2. o tempo e o estado (intenção) de uma sentença. 4. o aluno precisa compreendê-la de alguma forma. Caso isso não ocorra. é importante haver um espaço para que eles escrevam o que compreendem do conceito. É preciso destacar ainda que essa marca de concordância não aparece em muitas variedades linguísticas. são inúmeras as possibilidades de resposta. 3. a) O verbo indica o tipo de ação praticada pelo sujeito e o modo como ele a realiza ou o estado em que se encontra. já que ambos os textos são prescritivos. orientando seus leitores. 6. f) São verbos. Provavelmente será necessário recapitular e até mesmo ampliar os conceitos de sujeito e de verbo. A seguir. para redigir uma definição. para o desenvolvimento da atividade em sala de aula. Consideramos essa metodologia adequada ao aprendizado. o objetivo é fazer com que ele desenvolva uma paráfrase. Essas indicações se relacionam com o sujeito e eventuais objetos de uma sentença. Nessa retomada da 7a série. Espera-se que os alunos escrevam uma definição semelhante àquelas contempladas nas gramáticas.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 distinguir essa marca em um de seus sufixos. de acordo com o que foi orientado nas atividades anteriores. 5.

pois indica uma adequação dos interlocutores à situação de comunicação. mas sim a forma adequada ou não à situação. c) A forma coloquial. orações imperativas para que percebam o uso da variedade coloquial. Se na discussão os alunos não se lembrarem de todos. é a padrão. Oralidade Páginas 11-12 1. constrói-se a ideia de que não há uso “errado”. Desse modo. Assim. Essa também é uma excelente forma de você observar como está sendo a compreensão dos alunos. d) Devemos usar a norma-padrão. Destacamos os principais tópicos. você pode estimulá-los a levar em conta os aspectos não considerados. já apresentados no Caderno do Professor. o objetivo é fazer com que ele desenvolva uma paráfrase. • • Podemos expressar ordens ou pedidos em outras formas verbais. O Modo Imperativo pode expressar desde uma ordem até um pedido bastante gentil. Atrás desse discurso parece haver alguém que conhece uma dada 5 . A primeira é a coloquial e a segunda. b) A primeira. traduzindo de forma que lhe pareça claro o conceito estudado. há regulação mútua de comportamentos. pois indica uma adequação dos interlocutores à situação de comunicação.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 • O Modo Imperativo é a forma mais comum de apresentação dos verbos nesse contexto. Um texto prescritivo indica o que uma pessoa deve fazer se quiser chegar a um dado resultado. Solicite aos alunos que construam. para que possa fazer as intervenções necessárias. você pode passar a eles a ideia de que não há uso “errado”. do ponto de vista do emprego do modo verbal Imperativo. 11. • • Nesse tipo de texto. • Diferentes gêneros textuais podem ter como objetivo levar alguém a fazer algo. mas sim o uso adequado ou não à situação. oralmente. 8. 9 e 10. Quando se solicita ao aluno que crie uma definição. a) A diferença está na variedade utilizada.

há outros componentes nos textos que incentivam o leitor a ter certo comportamento. e) O aluno deve destacar aqui uma ou mais características prescritivas. de forma geral. portanto. mas com carga própria de sentido. destacando suas características. estão atreladas aos objetivos do autor. c) É importante destacar que as escolhas não são casuais. Você pode discutir o objetivo específico de cada texto e insistir na comprovação que deve ser feita por parte do aluno. 4. estão atrelados aos objetivos do texto. Espera-se que o aluno responda que a entoação é uma forma de linguagem.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 realidade e sabe como um sujeito deve se conduzir se quiser atingir o mesmo resultado. expressão do olhar. portanto. • A prescrição em um texto não se dá apenas com elementos verbais. mas portadoras de um sentido preestabelecido. manifestas de forma não verbal: tom da voz. c) O aluno deve levar a tipologia injuntiva em conta na resposta. o anúncio televisivo ou de rádio apresenta um produto ou serviço e a letra de música é objeto de fruição. b) Esperamos que seja um gênero dentro da tipologia injuntiva. 2. habilidade fundamental na sociedade letrada. a) O objetivo é fazer com que os alunos criem o hábito de anotar as fontes de onde retiram informações. 3. d) É importante o aluno perceber que as imagens contribuem para a formação do sentido e que. b) É preciso que o aluno perceba que as imagens e os sons contribuem para a formação do sentido e. A resposta deve ser afirmativa. a) Cada texto deve ter um objetivo específico. 6 . associada ao verbal. presentes nos dois textos. Páginas 14-15 1. gestos etc. pois implica que o aluno tenha compreendido que a maneira como falamos carrega também intenções. mas.

f) Resposta pessoal. do livro didático ou de outra fonte. mas. o anúncio televisivo ou de rádio deve apresentar um produto ou serviço. Você deve indicar os exercícios sobre Modo Imperativo. 3. de acordo com o anúncio escolhido. que julgar necessários para complementação do estudo. para o aluno refletir sobre essa escolha. de forma geral. estão atreladas aos objetivos do anúncio. e) Resposta pessoal. Você pode discutir o objetivo específico de cada texto e deve insistir na comprovação que deve ser feita por parte do aluno. a) Cada texto deve ter um objetivo específico. portanto. de acordo com o anúncio escolhido. d) Escolha um anúncio com usos do Modo Imperativo. 7 . c) É preciso destacar que a escolha verbal de um anúncio publicitário tem por objetivo contribuir para despertar o desejo no consumidor de comprar o produto ou adquirir o serviço. b) É importante o aluno perceber que as imagens contribuem para a formação do sentido e. de forma mais ou menos explícita.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 2.

uma vez que começa sempre com uma condição. 8 .Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 2 CRIANDO UMA “RECEITA LÚDICA” Páginas 16-17 1. a presença de elementos não verbais (entonação. A entonação é incisiva e o ritmo é forte. termina-se dizendo o que o interlocutor deve fazer. A correção da resposta dependerá da pertinência dos argumentos. Para tanto. 2. Trechos da letra da música Do it que comprovam as respostas encontradas Em todos os versos. parece ser menos impositiva. marcada sempre pelo “se”. Traço do grupo de textos prescritivos/ injuntivos na letra da canção analisada Na letra da canção. sugere que se aja de certa maneira. é necessário que a música seja ouvida em sala. a princípio. trilha sonora) reforça o sentido do texto verbal? Explique. uma súplica ou nenhuma das três situações? Em caso de resposta negativa. dando mais vigor à interpretação da ordem. A letra da música. Como se trata de uma canção. há momentos em que se regula o comportamento de alguém? Como isso ocorre no texto? A letra pode ser compreendida como uma ordem. Mas a condição dada também pode ser compreendida como restritiva. com base em uma dada situação. um pedido gentil. Mas é possível fazer outra análise. explique qual parece ser o sentido principal do texto. O texto parece “aconselhar” seu interlocutor. pois.

A ideia é que esses casos. c) Ele é injuntivo quando diz coisas como “é proibido” ou “é vedado”. 2o). o ECA é impositivo e a carta é uma súplica. no ECA. antes de mais nada. a) É uma súplica. há um tom de conselho. que tem força de lei (a palavra “Lei” é mencionada no art. há momentos em que os usos imperativos funcionam como uma forma de punição a ela mesma. No texto da música. mas que está totalmente nas mãos de seu interlocutor satisfazer.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 Páginas 18-20 4. a mulher faz uma súplica ao interlocutor e adota um tom prescritivo em relação a si mesma. ordena-me. Se achar que vai causar polêmica com os alunos. b) Deves. d) Sim. porque. como uma expressão contraditória de sentimentos. c) Sim. coloque um parêntese (apesar de as formas “deves”. Senão. sê. pois aponta o que pode ou não ser feito. retire. aches. trata-me. indica ordem. 5. constituindo-se. apesar de não serem imperativos. b) Pela característica do gênero (Estatuto organizado em artigos). queixas. estão sendo usados com esse efeito. “conjuro-te”. “socorras” e “acabe” não serem imperativas. portanto. concedas. 9 . socorras. e) De certa forma. “queixas”. portanto. Além disso. de algo que deve ser cumprido. a) Definir o que é permitido e o que não é quanto ao trabalho do adolescente. a expressão de um desejo que ela gostaria que fosse realizado. pois indicam o que o interlocutor deve fazer. sim. o tom é de lei. as determinações devem ser acatadas. d) Não. É a expressão do que deve ou não ser feito e. A música tem o tom de conselho. estão sendo usadas como tal). regula o comportamento das pessoas. ao mesmo tempo.

o aluno será solicitado a criar passos de pesquisa para dicionários e outras fontes. Estimule a comparação de definições de verbos nas duas fontes indicadas. O objetivo desta questão é desenvolver a familiaridade com esse objeto de consulta. portanto você precisa usar outra fonte de consulta (pode ser o livro didático). será um exercício de intertextualidade. A sequência das perguntas aprofunda o tema “verbos”. Estudo da língua Páginas 21-23 1. Todas as conclusões podem. 3. Produção escrita Página 21 O objetivo é fazer um texto prescritivo. por exemplo) e fazer um recorte. Portanto. pondo em funcionamento as características tipológicas estudadas. 2. Espera-se que o aluno consiga relacionar trechos da notícia publicada no jornal com outros textos. notícias da TV. crônicas ou charges presentes no próprio jornal. será preciso 10 . O aluno deve procurar em mais de uma fonte e registrar o que é a intertextualidade. ainda.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 Páginas 20-21 1. ser consideradas válidas. Procure refletir sobre qual a melhor opção para sua classe neste momento. Selecione o enfoque do estudo a ser anotado. de acordo com os realizados em sala de aula. 4. as que o grupo considerar corretas darão base a uma formulação coletiva final que deve ser anotada. com mudança apenas do “tu” pelo “você” e com os ajustes de pronomes pessoais do caso oblíquo e conjugações verbais. Você deve. indicar outros temas para que os alunos os encontrem. Pode-se abordar temas em geral. Por fim. além disso. ou escolher uma parte (conjunções. por exemplo. Oriente os alunos quanto ao grau de retomada do original. É feito um trabalho com leitura de conceitos e comparação com outras fontes. a princípio. No entanto. É uma paráfrase do trecho original.

. 2. a) Não. Essa também é uma excelente forma de se perceber qual o grau de compreensão dos alunos. para que a atividade possa fazer sentido.) podendo transmiti-las para outros. distinta da fala do jornalista. em que uma jovem está escrevendo uma carta para seu amado. 2.. para que possa fazer as intervenções necessárias. c) No trecho A: “[.. quando reproduz o relato de uma fonte (uma autoridade do município). por meio da utilização de aspas e verbo dicendi (afirma). traduzindo de forma que lhe pareça claro o conceito estudado.” Página 24 Quando se solicita ao aluno que crie uma definição. é preciso (. a) Apresenta.. o objetivo é fazer com que ele desenvolva uma paráfrase. primeiro.. Páginas 24-25 1. uma situação pessoal e bastante informal. selecionar um texto em que haja intertextualidades reconhecíveis para o aluno. ou já construir com a classe as etapas a serem realizadas. estão na variedade coloquial. escrevam. Na reescrita. aspas ou outra forma de introdução do discurso alheio.” No trecho B: “A veterinária Maria da Conceição Verges afirma que agir dessa maneira é uma irresponsabilidade: Além do sofrimento do animal. É preciso. 11 .].] De acordo com uma autoridade do município [. introduzidas por verbos dicendi. Faça isso oralmente e solicite aos alunos que.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 sistematizar. para depois discutir. adaptou-se o texto a uma situação de comunicação moderna. O aluno deve localizar na notícia todas as intertextualidades explícitas.. 3. b) Apresenta. previamente.

pede-se ao aluno que sintetize os temas.). a) Por tratar-se de conversa. c) Os alunos devem registrar todas as fontes citadas (fatos. 12 . pode haver mais de um tema como referência. pois ela pode estar mais ou menos explícita. ideias etc. É preciso observar como eles marcaram a intertextualidade. De certa forma. b) Acreditamos que tenha ocorrido. pois nas conversas é muito comum as pessoas referirem-se a outras. realizando uma espécie de resumo dos assuntos abordados. a citação dos nomes das pessoas ou outras fontes e verbos dicendi. pessoas. d) Provavelmente.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 3.

o senhor dá a última palavra”. 13 . ela não se sente reconhecida. 5. pois o chefe diz como as coisas devem ser feitas e a secretária reage com base no que ele diz. “Eu apenas faço o meu trabalho e procuro cumprir os prazos”. sabemos que. até o começo da tarde”. De acordo com a situação inicial apresentada no texto. justamente. 2. “Não vou almoçar e consigo terminar lá pelas duas horas”. com urgência. A entrega de um relatório. Todas as falas a seguir indicam que ela não se sente valorizada em seu esforço: “Estou fazendo o melhor que posso”. propõe-se que os alunos que dramatizem o texto da seção Leitura e Análise de Texto.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 3 TUDO DEPENDE DA MANEIRA COMO PEDIMOS Páginas 26-27 1. apesar do esforço. Oralidade Página 27 Neste exercício. O chefe está pressionando a secretária para que entregue um trabalho e ela está tentando mostrar que faz o melhor que pode. 3. O chefe e a secretária. “Pode esperar que lhe envio. no máximo. “disse primeira versão porque. O objetivo é interpretar o texto em outros tons. por ele pressioná-la demais e ser irônico. 4. ao mesmo tempo que as questões propostas procuram orientar a reflexão sobre o que foi feito. Pode ser compreendido como injuntivo.

portanto terá base para observar como foi compreendida a explicação dos alunos e fazer as intervenções necessárias. em nossa língua. pois estamos o tempo todo procurando esclarecer nossa comunicação e o verbo. Você deve usar a atividade para ver qual o nível da aprendizagem e fazer as intervenções necessárias. Nesse sentido. para ver o que compreenderam. habilidade fundamental na sociedade letrada. você tem acesso à fonte citada. a) O objetivo é fazer com que os alunos criem o hábito de anotar as fontes de onde retiram informações. mas deixe que o aluno registre o que compreendeu. não espere por respostas totalmente corretas. Estudo da língua Página 28 1. 2. levando em conta o contexto da comunicação. b) O aluno deve destacar pontos em comum. 2. e) Usamos mais orações. Essa é uma atividade de fixação do Modo Indicativo. conforme indicado no enunciado. d) Acreditamos que a resposta será positiva.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 Produção escrita Páginas 27-28 O aluno deve redigir um diálogo prescritivo. Usar como forma de avaliação formativa. Páginas 28-29 1. 14 . Observe se a explicação e o exemplo são adequados. c) O aluno deve destacar as diferenças. é o núcleo da informação. O objetivo é levar o aluno a trabalhar em grupo e verificar sua aprendizagem sobre o Modo Indicativo. De qualquer forma.

ir. têm. o texto é predominantemente descritivo-prescritivo. inserido em um texto organizado pela tipologia injuntiva/prescritiva. quando ela diz por que deve ser assim ou de outro jeito. b) No Modo Indicativo. e) Não. 15 . almoço. 2. dá. responder. bato. b) No Modo Indicativo. c) Estão no presente. d) Há um pouco de injunção. é. levanto. divirto.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 Páginas 29-31 1. volto. vou. sair. precisam. escovo. precisam. visto que a garota faz uma lista das atividades de seu cotidiano. acho. estudo. Texto A a) Acho. pode ser usado para expressar o que deve ou não ser feito. mas associada à argumentação. pois a garota expressa o que está pensando da situação. tomo. porque a garota afirma suas opiniões sobre como as pessoas devem agir. c) No presente. d) Porque indica ações que se repetem rotineiramente. e) (x) É um tempo verbal que. Texto B a) Acha. entendeu.

Elementos para análise Uso de imagens não do elemento Público-alvo ou escolhido As imagens são Quantidade de informação Há imagens mais informativas? Quais? Com que objetivo estão ali? Capacidade de sugestão Algumas imagens foram escolhidas para sugerir algo? Quais? O que sugerem? Indicar a presença ou atraentes ao público? Por quê? Acredita-se que sim. Pode haver um maior grau de informação em um anúncio. imagens etc.) voltados para esse público. 2. O aluno deve procurar explicar. Observar como os alunos explicam os traços indicados: • • direcionamento a um público-alvo. diagramação. Observar como a imagem está no anúncio analisado e qual deve ser o objetivo implícito nessa opção. há mais sugestão do que informação. Os mesmos critérios devem ser usados para os demais elementos de análise. portanto. Pode haver um maior grau de sugestão em um anúncio. seleção de elementos (cores. palavras. 16 . pois esse é o objetivo. • a seleção de elementos é orientada para despertar os sentidos ou desejos do público.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 4 PRODUÇÃO DE ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS Páginas 31-34 1. Observar como a imagem está no anúncio analisado e qual deve ser o objetivo implícito nessa opção. mas comentando as imagens com base no objetivo do texto.

de acordo com cada anúncio. a) O aluno deve destacar o produto ou serviço veiculado em cada anúncio. oriente a realização da atividade. b) Nesta questão. qual o público-alvo de cada um. provavelmente sim. A partir deles e do que foi comentado em quadro semelhante na página 32. e) Em I. em II. Estudo da língua Páginas 35-36 São apresentadas atividades de sistematização e fixação do Modo Indicativo. de letra etc. a pertinência dos comentários feitos. mas é preciso observar os textos. d) Seguir o mesmo procedimento do item anterior ou alternar (se foi feito individualmente no item “c”. c) Não se espera que o aluno comente todos os elementos. de acordo com os objetivos propostos. mas que seja capaz de mostrar um deles em funcionamento no anúncio. nos diferentes públicos). 17 . Produção escrita Página 34 2. pode dividir a classe em grupos e indicar um item para cada um. portanto. Se você considerar oportuno. provavelmente não. O professor pode discutir as possíveis causas dessas opções com os alunos (pensar. por exemplo. É preciso analisar. Os quadros apresentados devem ser vistos como um esquema de orientação para a produção dos grupos.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 3. pode agora ser feito em grupo). com base em elementos retirados do anúncio. de público.). o aluno vai indicar. f) Há muitas possibilidades de análise (tipo de produto.

pois a expressão “arrase as concorrentes!” pode ser vista como uma mudança em sua postura. 18 . Página 37 Este é um momento de sistematização. por exemplo.) voltados para esse público. para depois comprovar a necessidade da sistematização da aprendizagem realizada. b) Se pensarmos em uma análise de que a garota do contexto quer uma reviravolta em sua postura. observando como as características de cada suporte (imprensa. Isso pode ser realizado. Você pode usar como referência para suas análises os itens que foram indicados entre parênteses nas próprias questões. já se sente segura diante dos garotos? 3. O objetivo da atividade é comparar anúncios em diferentes mídias. A questão não é chegar a um veredicto final. a) Com base na situação exposta. há mais sugestão do que informação. é possível. repetindo-se o tipo de jogo das conjugações propostas nas Atividades de 6 a 8 de Estudo da língua. mas. rádio. pois. sim. diagramação. discuta com os alunos se a proposta apresentada pela agência está adequada ou não ao que foi pedido pelo cliente. como uma menina insegura com a pele. • seleção de elementos orientada para despertar os sentidos ou desejos do público. c) Ela está passando por uma fase difícil. de repente. o que vai além do problema com acne. televisão) interferem no modo como o gênero se organiza. portanto. palavras. seleção de elementos (cores. Acreditamos que haverá respostas afirmativas e negativas. encontrar no texto elementos capazes de sustentar a opinião. É interessante verificar se o estudo foi feito. imagens etc.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 Oralidade Páginas 36-37 2. As características vistas foram: • • direcionamento a um público-alvo. então essa mudança repentina de postura pode ser vista como incoerente.

b) Observe a definição dada pelo aluno e compare-a com a dos demais alunos. b) Observe a definição dada pelo aluno e compare-a com a dos demais alunos. Estimule a percepção dos alunos. a) Observe a definição dada pelo aluno e compare-a com a dos demais alunos. sim. 2. Estimule a percepção dos alunos. d) Deixe que construam seus caminhos. A diversidade deve ser vista como algo positivo. Considere a diversidade como algo positivo. mostrando a diversidade de possibilidades. c) Alguns. sim. caso eles não consigam formulá-la. Considere a diversidade como algo positivo. A diversidade deve ser vista como algo positivo. a) Observe a definição dada pelo aluno e compare-a com a dos demais alunos. 19 . d) Deixe que construam seus caminhos. mostrando a diversidade de possibilidades.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 Páginas 38-39 1. caso eles não consigam formulá-la. c) Alguns.

5. começa. fica. 4. deve. Os bullets 1 e 2 orientam o aluno a apresentar e discutir suas dificuldades de entendimento do texto. de forma explícita. Pode-se escolher qualquer texto do livro didático que for atraente para estimular os alunos. Observe como os alunos desenvolvem as características apresentadas: • • nesse tipo de texto. tenta. escolhe. solicita-se a escrita de outro texto injuntivo. No bullet 3. Outro objetivo desse texto é manter a intertextualidade com um texto que será apresentado aos alunos para a realização da escrita. Produção escrita Página 41 1. O que se refere ao jogo denominado “Toquinho”. ganha. troca. Orientar como os jogadores do “Toquinho” devem proceder. um texto prescritivo indica o que uma pessoa deve fazer quando quer chegar a um dado resultado. podem. tiram.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM 5 SISTEMATIZAÇÃO Páginas 40-41 1. • a prescrição em um texto não se dá apenas com elementos verbais. 2. há outros componentes nos textos que incentivam o leitor a ter certo comportamento. Além disso. o objetivo central é citar o texto na produção do estudante. há regulação mútua de comportamentos. 3. Atrás desse discurso parece haver alguém que conhece uma dada realidade e sabe como um sujeito deve se conduzir se quiser atingir o mesmo resultado. Toda essa análise e discussão deve ser construída oralmente. 20 . Dividem-se. com o objetivo de colocar em funcionamento as características tipológicas concomitantemente ao desenvolvimento de habilidades de escrita. Dar uma opinião sobre o chamado “internetês”.

A proposta é injuntiva e não está ligada a nenhum texto. a) Não. O objetivo é fazer com que os alunos façam um texto de orientação sobre o que deve ser feito com base no tema proposto. O objetivo é destacar que outros termos podem auxiliar na construção dessa intencionalidade prescritiva. 2. d) Novamente. a) Sim. Os outros modos também podem funcionar com esse fim. e) Sim. mas consideramos que essas habilidades devam ser contempladas em diferentes séries. e) Deve-se observar a variedade empregada e se ela foi usada de forma regular do início ao fim do texto. O objetivo é fazer uma retomada do uso desse modo verbal. mas pode ser muito enriquecedora a apresentação de textos sobre o tema para leitura. a esse uso.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 2. situacionalmente. f) Observar as respostas. pois é uma resposta escolar formal. a princípio. pois a proposta induz. O objetivo é perceber que não apenas as formas imperativas indicam orientação de comportamento. o objetivo é fazer uma retomada dos tempos desse modo verbal. pois é uma resposta escolar formal. Discutir ainda se o contexto permite as opções coloquial e padrão. b) Opinar sobre o tema dado. Estudo da língua Páginas 42-43 1. tudo depende da intenção comunicativa. A produção é opinativa e o objetivo é realizar um exercício argumentativo. pois ele é feito de opinião. 3. é preciso observar o texto. c) É preciso observar o texto. Não foram sistematizadas essas características. mas acreditamos que sim. pois diz o que deve ser feito. d) Tendo como pressuposto que haja usos do Modo Indicativo. 21 . b) Acreditamos que sim. mas acreditamos que sim. c) É preciso observar o texto.

Primeira característica Segunda característica Terceira característica Direcionamento a um público-alvo. que julgar necessárias para complementação do estudo. organizando os alunos em grupos. Use a atividade como forma de observação da aprendizagem e para fazer as intervenções necessárias. Páginas 45-46 1. no entanto. acrescentar ao quadro. que seria oportuno definir uma estratégia diferente da usada na explicação anterior sobre o assunto. para que os alunos que não tenham compreendido possam ter uma nova possibilidade de aprender. há mais sugestão do que informação. Consideramos. as alternativas. 2. diagramação. há várias estratégias possíveis.) voltados para esse público. do modo como estão apresentadas. imagens etc. palavras.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 Oralidade Página 43 É solicitado aos alunos que recapitulem e sistematizem o que aprenderam sobre textos injuntivos e o gênero anúncio publicitário. 3. Se surgirem outras características na discussão em sala. Indique atividades sobre Modo Imperativo e Modo Subjuntivo. Páginas 43-45 1. não permitirão aos alunos identificar a sequência de palavras retiradas do texto que apresenta verbos 22 . O objetivo desta atividade é retomar as características do gênero anúncio publicitário e analisá-las em funcionamento em um texto previamente selecionado. A seleção de elementos (cores. Você pode conduzir essa retomada de diferentes formas: revisando oralmente. portanto. Seleção de elementos é orientada para despertar os sentidos ou desejos do público. enfim. solicitando retomada no caderno. do livro didático ou de outra fonte. Neste exercício.

4. colocando-se do lado dos trabalhadores. Alternativa a. que o leitor se coloque contra o trabalho infantil. (x) Os autores mostram a situação. 3. que cada uma das alternativas seja analisada individualmente com os alunos em sala de aula. Exercícios complementares Páginas 46-47 2. (x) Os autores dos dois textos fazem uma denúncia. Sugerimos.Gabarito – Caderno do Aluno Língua Portuguesa 7a série/8o ano – Volume 1 no Imperativo. Exemplo: Satélite nosso que está no céu. Alternativa c. (x) Os dois textos abordam a realidade. acelerado seja o seu link. 3. 2. O objetivo é retomar. a partir de um gênero escolhido dentro da tipologia selecionada. O aluno foi orientado a produzir uma receita. seguindo as características do gênero. as características prescritivas/injuntivas em uma atividade centrada em habilidades escritas. (x) Os autores desejam. de forma indireta. de forma implícita. e que estes sejam solicitados a criar uma nova alternativa correta para o exercício. para o desenvolvimento da atividade. (x) Os dois textos abordam o trabalho infantil com sisal. 23 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful