Você está na página 1de 4
O que são bactérias? – Parte I – Eubactérias Publicado em 05 de Julho de

O que são bactérias? – Parte I – Eubactérias Publicado em 05 de Julho de 2009

As bactérias são microorganismos unicelulares e seu tamanho varia de 0,3x0,8μm até 10x25μm (1μm micrometro = 0,001mm), são classificadas no Reino Monera. As bactérias podem ser autótrofas (que produzem a própria energia estão classificadas nos grupos Cyanobacteria ou algas azuis e fazem fotossíntese ou ainda Archaeobacteria ou bactérias primitivas e sobrevivem geralmente em condições de extremas de temperatura e pressão. A maioria das bactérias são heterótrofas, (não produzem o próprio alimento) como nós, desta maneira ou são decompositoras de matéria orgânica ou parasitas tanto de animais como de plantas, neste grande grupo estão classificadas a maioria das bactérias conhecidas ou as Eubactérias (bactérias verdadeiras). As bactérias heterótrofas tem como temperatura ideal de crescimento entre 20 o C e 40 o C, sendo que a temperatura ideal para a maioria das bactérias que conhecemos como patógenos humanos e de plantas está entre 27 o C à 39 o C. Um fato curioso ocorreu na “Guerra das Malvinas”, um local extremamente frio, onde a taxa de mortes de feridos durante o conflito foi uma dos menores da história das guerras, uma vez que geralmente as mortes dos combatentes não ocorre pelos ferimentos mas por infecção bacteriana decorrentes dos ferimentos. Com relação à presença de oxigênio no meio em que vivem as bactérias podem ser classificadas como: aeróbias obrigatórias (necessitam de oxigênio para respirar), anaeróbias obrigatórias (não utilizam o oxigênio e morrem na presença do mesmo) ou ainda aeróbios facultativos (se existir oxigênio utilizam em sua respiração e se não houver fazem fermentação como alguns fungos). As células bacterianas podem apresentar ou não parede celular delimitando seu citoplasma, e quando são desprovidas de parede celular as bactérias são

AEAL - Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Limeira (19) 3441.4940 - (19) 3701-4940 Av. Antônio Ometto, 475 - Vila Cláudia - Cep 13480-470 - Limeira SP

classificadas como micoplasmas ou spiroplasmas , muitas destas são patógenos de plantas. Algumas bactérias são

classificadas como micoplasmas ou spiroplasmas, muitas destas são patógenos de

plantas. Algumas bactérias são providas de um envoltório além de sua parede celular, que é conhecida como cápsula e está relacionada à virulência (capacidade de causar doença). Após a morte de uma bactéria encapsulada esta mesma cápsula pode ser “adquirida” por outra bactéria que esteja próxima.

A forma de uma bactéria pode variar muito, por exemplo: micoplasmas e

spiroplasmas não apresentam forma bem definida pela ausência de parede celular já as demais bactérias podem ser classificadas por seu formato em: cocos quando em formato esférico ou então de bacillus ou bastonete quando em formato alongado lembrando uma cápsula. A união de 2 cocos são conhecidos com diplococos, quando enfileirados streptococos, em formato de cacho de uva como estafilococos, na forma de cubo sarcinas. Existe ainda as bactérias em forma de vírgula conhecidas como vibrião ou espiraladas os espirilos. Algumas bactérias podem ser providas ou não de flagelo (semelhante a um pequeno “chicote”) o qual tem a função de mobilidade das mesmas através de fluidos podendo atingir a distância de 0,1mm em 1 segundo, isto equivale a 3.000 vezes seu comprimento. A presença ou não do flagelo é uma importante característica na

classificação bacteriana, além das “fibrias” ou “pili” (“pelos”) que são constituídas de proteínas geralmente presentes em bactérias gran negativas e que estão relacionadas com a troca de material genético durante a conjugação bacteriana (reprodução sexuada).

A reprodução de modo assexuado ocorre por: bipartição ou divisão binária

(uma bactéria divide-se dando origem a outras), ou ainda por brotamento ou gemulação (como o próprio nome já diz surge outra célula bacteriana por

“brotamento” isto ocorre geralmente em bactérias cianofíceas, que fazem fotossíntese).

AEAL - Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Limeira (19) 3441.4940 - (19) 3701-4940 Av. Antônio Ometto, 475 - Vila Cláudia - Cep 13480-470 - Limeira SP

E o que são bactérias gran negativas? Este nome você já deve ter lido alguma

E o que são bactérias gran negativas? Este nome você já deve ter lido alguma

vez escrito em uma bula de antibióticos. As bactérias podem ser divididas em: gran positivas e negativas de acordo com as características de sua parede celular, as bactérias que apresentam maior concentração de proteína em sua parede são classificadas como gran positivas já as gran negativas apresentam mais lipídeos (gordura) que proteínas em sua parede celular. Esta característica também é bastante interessante visto que a maiorias das bactérias patogênicas em plantas são do tipo gran positivas e em humanos gran negativas, além de que as bactérias gran negativa

são mais resistentes aos antibióticos devido a sua parede lipoproteica. As células bacterianas são desprovidas de membrana nuclear protegendo seu DNA (células procariotas), além de possuírem como organelas citoplasmáticas apenas:

ribossomas, grânulos de reserva e um ou mais DNAs circulares conhecidos como plasmídeos. Os plasmídeos são muito importantes para as bactérias por conferir resistência aos antibióticos e a outros elementos químicos (enxofre, metano, nitratos, agentes químicos de limpeza, etc), físicos (sal, temperatura, pressão, dessecamento, etc), biológicos (vírus bacteriófagos), atuam na reprodução bacteriana além de outras funções. As bactérias tem ainda a capacidade de absorver fragmentos de DNA ou plasmídeos de outras bactérias mortas, assim como podem receber material genético provenientes de um vírus que tem 20 à 400 nanometros (1 nanometro=10 -9 mm).

A taxa de reprodução bacteriana ocorre em progressão geométrica (1 célula

bacteriana dá origem a: 2, 4, 16, 256, 65.536, sucessivamente

em condições

favoráveis podem surgir bilhões de bactérias de uma única célula em questão de segundos, agora imagine todas estas bactérias multiplicando-se na mesma velocidade à uma taxa de mutação (1 bactéria em 1 bilhão de bactérias) e surgindo uma nova resistência à antibióticos sem contar a resistência pré-existente (pelos motivos já

)

AEAL - Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Limeira (19) 3441.4940 - (19) 3701-4940 Av. Antônio Ometto, 475 - Vila Cláudia - Cep 13480-470 - Limeira SP

citados), pensou bem nisto? Agora pense bastante antes de tomar um antibiótico sem necessidade a

citados), pensou bem nisto? Agora pense bastante antes de tomar um antibiótico sem necessidade a vítima ao invés da bactéria pode ser você!.

Everaldo Piccinin Engenheiro Agrônomo Doutor em Agronomia Presidente da AEAL – Associação de Engenheiros e Arquitetos de Limeira Inspetor Chefe-CAF (Comissão Auxiliar de Fiscalização) Limeira CREA/SP

AEAL - Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Limeira (19) 3441.4940 - (19) 3701-4940 Av. Antônio Ometto, 475 - Vila Cláudia - Cep 13480-470 - Limeira SP