PESQUISA PARTICIPATIVA

1

INTRODUÇÃO

- A aproximação ao conhecimento que os agricultores têm dos seus sistemas, é uma questão difícil de ser realizada a partir de metodologias de corte tradicional - A partir dos anos 70, começou a ser utilizado um variado conjunto de instrumentos metodológicos dirigidos para a participação dos agricultores - Pesquisa participativa – um meio para o atingimento de metas, não um fim
2

INTRODUÇÃO

- A participação, como metodologia e

como concepção de trabalho, representa uma alternativa ao modelo produtivista que causou o afastamento dos agricultores dos processos de geração e adaptação de tecnologias
-

3

Metodologias Participativas - O que se busca?
- Desenvolver mecanismos que permitam

compreender as situações complexas e diversas nas quais operam os agricultores, sobretudo na agricultura familiar
- Recuperar e introduzir os saberes e

conhecimentos locais ou tradicionais na geração de tecnologias que contribuam à sustentabilidade

4

Participação
- Participação sem a intervenção excessiva ou manipuladora - Participação no sentido de relacionar-se de modo diferente, aprendendo a escutar e a associar conhecimentos livremente de qualquer tipo de opressão ou de invasão cultural (Rahnema, 1997).

5

Participação
- Contraponto ao pressuposto da supremacia do

conhecimento científico sobre o conhecimento cotidiano – onde só é válido o conhecimento produzido pela aplicação do método científico
- Os diversos tipos de conhecimentos, não tem

atributos específicos que os tornem superiores ou inferiores uns aos outros
- Objetivo das técnicas participativas -

Promover a articulação qualificada dos conhecimentos de pesquisadores e agricultores

6

Participação
Pesquisa participativa – superação do problema da produção do conhecimento científico mais como produto - fim em si mesmo - do que processo - um meio para chegar a alguma coisa ou algum lugar Pesquisa participativa não significa prescindir do conhecimento científico ou tecnológico Não se pode admitir nem o conhecimento científico como instrumento de dominação nem a valorização condescendente e paternalista do saber popular
7

Participação
- Grande parte dos programas de pesquisa e

desenvolvimento não usam metodologias onde a participação dos "sujeitos implicados" seja um dos pressupostos básicos práticas empíricas usadas no campo da agroecologia são conhecimentos “secundários” ou desprovidos de validade científica

- Outros consideram que os conhecimentos e

8

Participação
É preciso adotar princípios teóricometodológicos que permitam valorizar o saber local como fonte de conhecimento válido sem, entretanto, desprezar a importância dos especialistas A interdisciplinaridade é condição para uma compreensão mais abrangente dos problemas, mas não se basta por si mesma; é preciso abrir-se para a participação dos agricultores, seus conhecimentos e problemas.
9

Participação dos agricultores
- Enormes diferenças entre os agricultores

familiares tanto de conhecimentos como de acesso a recursos naturais e materiais genéticos facilidade de participar da atividade de pesquisa

- Nem todos os agricultores tem a mesma

- Os agricultores que participam não são os

mais pobres, mas os que tem condições mínimas, como facilidade para escrever, entender e investigar

10

Participação de Agricultores
Forum da Agricultura Familiar

11

Melhoramento participativo
Projeto: Produção de sementes de qualidade para a agricultura familiar utilizando a agrobiodiversidade de clima temperado

12

Melhoramento participativo

Uma experiência inovadora: Compreende o processo de melhoramento participativo, concretizado na participação de produtores na atividade de seleção de plantas individuais, com posterior avaliação na respectiva propriedade, por parte do produtor, até o processo final de avaliação sob a égide das normas de determinação do Valor de Cultivo e Uso, com vistas a uma possível registro da cultivar no MAPA.

13

Algumas estratégias metodológicas com a participação dos sujeitos implicados

14

Ensaios de Síntese

Metodologia para introdução, adaptação e validação dos componentes adequados aos agroecossistemas, quer sejam oriundos da investigação científica ou da experiência prática dos técnicos e/ou agricultores

15

Indicadores de sustentabilidade
Dimensão ambiental - Solo, água e biodiversidade Dimensão Social - Mão de obra, capacidade de autogestão Dimensão econômica - Renda familiar
16

Redes de referência
Redes de Referência assentadas na participação dos agricultores e na valorização e resgate de seus conhecimentos. Objetivo desta ação é estudar os pontos de estrangulamento e determinar meios adequados e eficazes de transferência de tecnologia compatíveis com as necessidades dos agricultores e às possibilidades de seus sistemas produtivos.

17

Sistematização e avaliação de experiências agroecológica
Hoje é amplamente reconhecida a importância das tecnologias ”alternativas” no processo de transição agroambiental para formatos tecnológicos sustentáveis. A sua maioria é usada de forma empírica. O objetivo desta ação é a identificação e sistematização de experiências e outros processos, inclusive organizativos, utilizados com êxito no campo da agroecologia e que careçam de sustentação científica.

18

Manejo sustentável da biodiversidade

Coleta, caracterização e avaliação de germoplasma diversos, incluindo plantas nativas para cobertura de solo e espécies florestais, para uso na recuperação de solos e exploração econômica de seus produtos no âmbito da agricultura familiar. Erosão genética – banco de germoplasmas

19

Pesquisa Comunitária
Estratégia metodológica baseada nos fundamentos da pesquisa-ação e que parte do princípio de que os próprios agricultores devem organizar sua pauta de pesquisa. Os agricultores definem a propriedade, o sistema de produção, os participantes, etc. Aos pesquisadores cabe acompanhar e sugerir aperfeiçoamentos na condução do trabalho, além de identificar pontos de estrangulamento que necessitem ser tratados no âmbito estrito da pesquisa convencional

20

21

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful