P. 1
Embarcações_offshore

Embarcações_offshore

|Views: 69|Likes:
Publicado porToninho Porpino

More info:

Published by: Toninho Porpino on Nov 26, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/28/2013

pdf

text

original

EMBARCAÇÕES OFFSHORE

Introdução
A

exploração e explotação do Petróleo influencia significativamente a economia mundial, sendo uma das mais importantes atividades econômicas nos dias atuais.

OFFSHORE
 As

reservas de Petróleo que antes eram exploradas exclusivamente em bolsões profundos em terra firme (onshore), foram gradativamente sendo substituídas pela exploração das reservas petrolíferas nas profundezas do mar (offshore).

Suporte à indústria Petrolífera
 Para

explotação do petróleo nas profundezas do mar, necessitamos de diversos suportes operacionais e para suprir essas necessidades foram desenvolvidos vários tipos de embarcações e equipamentos ao longo dos anos.

Embarcações de Apoio offshore
 Um

navio deve possuir um designe e equipamentos específicos para suas atividades. Diante disto, iremos estudar nesta aula os principais tipos de embarcações de apoio offshore.

Embarcações de apoio
offshore
 São

embarcações que dão suporte logístico às atividades de exploração de petróleo offshore.

PSV – Plataform Supply Vessel
 São

os navios de suprimento à Plataformas (Platform Supply Vessels ou PSVs) ou navios.  Caracterizam-se por seus amplos espaços de convés e grande capacidade de manuseio de carga.  Estes navios são utilizados no transporte de materiais, suprimentos (rancho, óleo, lama, produto químico) e funcionários para, e a partir de, sondas e plataformas de perfuração em alto mar.

Navio supply

AHTS Anchor Handling Tug Supply

Os Navios de Reboque e Manuseio de Âncoras (Anchor Handling Tug Supply Vessels) são normalmente identificados pelo tamanho de seu motor, em termos de potência efetiva (brake horsepower), ou sua força de tração estática, ou capacidade de reboque (Bollard Pull). Estes também fazem instalação de estacas de ancoragem de linha submarina. Os navios AHTSs caracterizam-se por terem convés de ré curtos em relação aos PSVs, possuindo equipamentos especializados no manuseio de âncoras, tais como guinchos de reboque, e acessórios especiais.

Navio AHTS

Navio Sísmico
 Estes

navios fazem aquisição de dados sísmicos para analisar viabilidade da exploração do campo em estudo.  o navio sísmico é bem peculiar aos outros tipos de navios de “pesquisa” que realizam outros trabalhos, pois estes possuiem conveses e equipamentos a bordo apropriados para aquisição sísmica.

Navio Sísmicos
 Para

coleta de dados, os navios sísmicos arrastam cabos com equipamentos e sensores acoplados a eles (streamers), da qual possuem nomes técnicos apropriados.Cada navio possui uma configuração especifica, variando em razão da quantidade de cabos que são arrastados no mar, podem ser para 6, 8, 10, 12, 14, 16 cabos.

Navio Sísmicos

A sísmica vanguarda petróleo

no mar vem da indústria

na do

Navio Sonda
A

perfuração é a segunda etapa na busca de petróleo. Ela ocorre em locais previamente determinados pelas pesquisas geológicas e geofísicas. Para realizá-la, perfura-se um poço - o pioneiro - mediante o uso de uma sonda.

Navio Sonda

MOONPOOLS
 Moolpools

são aberturas através do casco da embarcação ( do convés ao fundo do navio) para dar acesso a equipamentos e minisubmarinos ao mar.  As aberturas são normalmente feitas de alumínio e são estruturalmente construídas de forma a reduzir os movimentos que a embarcação sofre sob as ações das ondas.

MOOLPOLL

Navio de Construção

Construction Support Vessels  Os CSV (Construction Support Vessel) são navios de apoio à contrução, instalação, manutenção, retirada de serviço para reparos, e outras operações sofisticadas realizadas em águas profundas em alto mar.  O Skandi Salvador e o Skandi Santos são os únicos navios de bandeira brasileira no mercado de apoio nacional em alto mar, a desempenhar serviços como instalações submarinas, acomodação e abastecimento para plataforma de perfuração.

Navio de construção

Navio lançador de linha
O

PLSV – Pipe Laying Support Vessel é uma embarcação responsável pelo lançamento e instalação das linhas flexíveis ou rígidas e seus equipamentos utilizados para conectar as plataformas ao sistemas de produção de petróleo.


 

Linhas : Dutos submarinos que ligam os poços de produção às plataformas ou bases em terra. Podem ser de dois tipos : Rigidas : mais baratas, com grande dificuldade de armazenamento. Flexíveis : mais uitilizadas devido a facilidade de armazenamento e otimização da operação , apesar do preço mais elevado.

Finalidades das linhas
Produção (6” e 7”): responsáveis por levar o petróleo do poço até a plataforma. Injeção de Água (6” e 7”): responsáveis em injetar água no poço de forma a criar pressão nele fazendo com que o petróleo levante do fundo. Gas Lift (4” e 6”): responsáveis em injetar gás no poço de forma a criar pressão nele fazendo com que o óleo levante do fundo. Umbilical: responsáveis pelo controle e comunicação entre poço e plataforma, de forma que o operador na plataforma possa abrir e fechar válvulas no manifold. Este te tipo de linha é composta por inúmeros cabos elétricos e de fibra ótica.

ARMAZENAMENTO
Cesta ou Carrossel

Bobinas

Lançamento de Rígido

Lançamento de flexivel – pela popa

Lançamento de flexível - VLS

Uso de torre de lançamento vertical ( VLS- vertical laying system)

ROV Support Vessel

Navio RSV

As embarcações RSV possuem a logística de operação voltada para a ultilização de equipamentos ROVs e outros facilidades de inspeções e construções submarinas.

O que é o ROV?
 São

equipamentos não-tripulados que possuem controle à distância.  Na engenharia naval e offshore, os ROV (remotely operated vehicle) são usados para atingir profundidades em que o ser humano não pode sobreviver devido as condições de temperatura e pressão.

ROV

Navio RSV Isabela- apoia a operação de TDP

Embarcações Crewboard
 Essas

embarcações podem levar tripulantes e suprimentos.  Essas embarcações antigamente tinham aproximadamente 20 metros,contudo elas tem crescido ultimamente para torno de 50 m.  Carregam em torno de 86 tripulantes e aproximadamente 360 toneladas de carga (óleo, água e etc).

Embarcações Crewboard

Geralmente o casco é de alumínio para poderem alcançar altas velocidades (20 à 28 nós). Essas embarcações são usadas para o transporte de tripulantes quando a viagem é curta, pois para longas distâncias, ou seja, quando o destino dos tripulantes são para plataformas e embarcações que operem no mar adentro, logisticamente neste casos, os helicópteros são os meios de transporte mais apropriados.

Designe e Construção
 Como

qualquer outro tipo de navio, os navios de suporte à offshore possuem diversas leis e regulamentos relativos a sua construção.  IMO 649 : Código para construção de navios e equipamentos de apoio à offshore.

Designe e Construção

 

Há sociedades classificadoras se especializando nas embarcações de apoio offshore (Det Norske Veritas, Loyd’s Register, ABS). A maioria das embarcações offshore estão na faixa de 40 à 100 metros de comprimento. Estes são extremamentes complexos (arranjo/ equipamentos) para seus tamanhos, portanto, o estaleiro que constrói embarcações offshore devem possuir alta capacidade de produção, acabamento e mão de obra especializada.

Designe e Construção
A

navegabilidade neste contexto incluirá não somente uma básica integridade estrutural x estabilidade para permitir carregamento e operações seguras, mas também para oferecer a possibilidade de operar em severas condições de tempo. (Mar do norte x Brasil).

Sistema de Posicionamento dinâmico
A

função do Sistema de Posicionamento Dinâmico é fazer com que a embarcação possua o controle automático de sua posição e de seu aproamento, exclusivamente por meio de propulsores ou thrusters.

O Sistema DP consiste em 3 partes:
1.

Unidade de controle com computado: Recebe as informações dos sensores, sistemas de referência, thrusters e painel de controle, processa essas informações e as usa para calcular a potência necessária para manter a posição e o aproamento do navio e em que direção essa potência deve ser aplicada; O resultado desse cálculo é então convertido em sinais que são enviados aos respectivos thrusters e mostrados no painel de controle.

O Sistema DP consiste em 3 partes:
2.

3.

Sensores: Os sensores enviam para a Unidade de Controle informações que são usadas para cálculo, junto com as informações do sistema de referências. Sistema de referência: Sistemas de referência podem ser baseados em sinais de rádio (Artemis), sinais de satélite (DGPS), sinais hidroacusticos (HPR) ou sinais mecânicos (Taut Wire), os quais enviam para a Unidade de Controle informações da posição da embarcação, sejam elas geográficas ou em relação a uma posição de referência fornecida (ou movimento a partir dela).

Link Importante para estudo:
 http://oceanicabr.com/pt/

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->