Você está na página 1de 1

Punio amenizada BB condenado a indenizar cliente presa em porta giratria

O Banco do Brasil foi condenado a indenizar no valor de R$ 10 mil uma cliente que ficou presa na porta giratria. Os desembargadores da Quarta Turma Cvel do Tribunal de Justia do Distrito Federal e Territrios entenderam que os responsveis pela agncia da 406 Sul agiram com descaso e indiferena, ao deixar a cliente espera de uma soluo para o problema tcnico. A questo s foi resolvida com a chegada da polcia. O julgamento ocorreu esta semana. O TJ-DFT atendeu pedido do banco para reduzir a indenizao anteriormente fixada em R$ 18 mil. Ainda cabe recurso. Cena de novela Apesar de retirar chaves, celular e todos os objetos metlicos da bolsa, Julieta Alves no conseguiu a liberao da porta. Ao procurar o segurana da agncia, recebeu a informao de que s sairia dali quando entregasse a bolsa para ser revistada. Insatisfeita, a cliente pediu que o vigilante chamasse o gerente, mas no obteve retorno. A essa altura, Julieta disse que j se sentia extremamente constrangida porque uma fila imensa de outros clientes se formava atrs dela. Presa, sem poder entrar no banco e sem saber direito o que fazer, a cliente resolveu ligar para o 190 e pedir ajuda polcia. S com a chegada dos policiais que conseguiram atravessar a porta mesmo armados -- o gerente resolveu dar ateno cliente. Julieta registrou a ocorrncia na 1 DP da Asa Sul. Para os desembargadores, as portas giratrias eltricas foram adotadas para a segurana dos freqentadores dos bancos, mas isso no justifica o tratamento negligente prestado correntista. Para eles, "as medidas de segurana devem ser moderadas, conduzidas de forma a evitar a violao de direitos fundamentais do indivduo". A deciso reconhece o dano causado e o nexo de causalidade entre o dano e a dor sofrida pela correntista. (TJ-DFT) Processo n 19980110772134

Revista Consultor Jurdico , 25 de maro de 2004