Você está na página 1de 15
| UP) + Univrsidae Feerl do Ris defn SR Ne tt cr Pras de Dune, Sumario Quando a forma se transformou em atitude - e além Thisery de Quve O texto, apresentado em ume conferéiicia na unwersiciade de Suuthunpaen. Ingiatersa, em 1994, investiga as niuctancos de parackgma no nso dus escauis de arte da Ewopa 2 Aménca. Em busca de um modelo de ensino diferenciculy (ou em busca de uma soida pora a crise nos escolus de arte), Thierry de Duve esbeco uma caricatuia do tradicrona! modelo académico & de suit triude, “wdenta met em obosicao ao modelo mudermsta da Bauhaus, “chatvidusemeia- senitagth invengdo"— ambos obsoletos O medelo paradigmitica pasumederna estima apoiady auma cerceira wiade de nogies, "atitude-priitica descon gd". que, segunda de Duve, representarta um stoma negate de unia tnuriucdo hustdrvces cya positwidade nfo € aftida gindo © que € estént pur y svsiwe do ote O ensine da arte costumava ser académico € disso se orgulhava, Saseada na observario de natureza € na imitacio da arte do passudo, 0 longo aprendizado de um futuro pntor ov esculter era, antes de tudo, una aquisigio de habilidades postas sob confinsenentos culturais especifices. O desenho de modelo-vivo ¢ seu dhscurso subjacente, a anatomia, forneciam @ habiiidade basics enobrecida pelo conhecimento humanistico, Nunca, envvetanto,a arte foi comparada a hablidade. O que merecia ser admurado num artista era o seu telento aparente © no sua desireza, A habilidade poderia ser sempre adquirida, 0 talento ndo, uma vez gue era entendido como uma dédiva da nratureza ~ uma dédiva que, entretanto, n30 se poderia desenvolver ou expressar fora das regras, convengoes @ cédigos fornecides pela tradicio. A tradicfo estabslecia os padres com as quais 2 praducio dos estudantes de arte era medida, © ensino acad€mico tinha grandes ambicées, no que diz respeito & manutengio da tradigio e passagem pelos pacrées de qualidade, © tina pouca vardade quanto a sua capacidade de "langar” artistas indivi Tudo 0 que se porleria esperar ds Acaclemia era que aia desenvotvesse € dlscpsinuste 6 “Aendemnie: enti, tag, iodgrokcma, cwucivutad, me ot tesconiten 8 talento dos estudantes de rcordo com 05 limites da generosidade da raturees & que concedes, até 30 mais despromds dos alunos, um conheciments técnico capaz de assegurar uma reconhacida, mesing que hhumilde, posigao na sonedade @ urna plausivel, nda que modesta, foate de rerida, Entre 0 trabalho de um artesio e 9 trabalho de um génio, a Acadeimia raconhecra umn salto na qualidade, mas também a continuidad= cultural de un e do mesmo oficio em que todos jd ocepavam suas posicoes Tudo isso (or desiruldo em menos de um século. Reynolds foi provavelmente o ltimia grande pedagogo acadéinecor uim século depois dele a Academia se transformara ei academicismo, Com a industriaizayio e © evante socal, o progresso cientilico e 35 transfarmagdes ideolégicas avangwvam, ¢ até centio estavel sistema social for desintegrada ¢ praticamente, toda a artesana destruida, Os exemplos do gassade perderam 3 creditlidade, em arte © em todos os lugares fs vinculos da tradigio havian-se parti Para os avtistas sensiveis a arte acadérricae aprendizagem tormaram-se apenas sto, acadésnica, ¢ 4 nova arte passou a olhar para 9 future com mada © esperanga em busca de: sta legitimagan, A vanguard eal tangas. Fintura ® escultura aston smese JE nesta see FHOEKAMA of FOS-GHAOUAGAG EW AUTES vISUAIS ELA + UH progressivamente da observacgo ¢ da cépia 2 modelos exteriores e se voltaram para a ebrervagdo e imitagao de seus préprios ineios de expressio, Em vez de exercerem sua pritica de acordo com as convenes rolativamente estabeleckdas, os artistas modernistas testeram esteticemente essas corvengSes e, uma por uma. descartaram aquelas pelas quas eles ji riio mas se sentiam Fimitados. Exceléncia em arte veio a ser medida de acordo com a resisténcia dos material, com a honestidade pela qual os artistas lidavarn com ales Tendo rejeitado toca a tradicdo, a pintura passou a ser vista como uma espécie de esséncia, presente na pintura do passado. do presente & do future, como se 0 meio, em sua pureza € por si préprio, pudesse estabelecer todas as regras e fornecer o recipiente para talento Escultura, arpitetura, fotografia e até mesmo © chema pasaram a possi eséncas similares © ensino da arte ‘ol logo afetaco pela vanguarda, Uma vez que no se podria ‘mais confar nos exerplos e critéios'co passado,e nem a cdpia,nem a observatzo poderiam mais fornecer as bases pera o aprencizado da arte, este teve que vascular fundamentos na natureza e na cultura. iso fol alcangado de duas manesras.& fguce do homem ~ a medida universil de todas as coisas da natureza ~ foi descartada como rodeo externo de observacio = cecuperada como principio interno subjetivo. psicologia substitu 2 anatomia em sua fungio de ciscurso fundameotal para um novo humarismo artstico. A neva doutrina estabeledia que todo homer ere dotade de faculdades inatas © que 2 fungdo da educagdo era permitr seu desenvolvimento. Dessa forma, especializagio em artes visuals sigifcava Ireinamenio especifico ¢ crescimento das faculdades da percepglo visual e da limaginacdo. A maneira como trains tornou-se assunto pedagégico. Novamente a psicologia ~ nao do tipo introzpectivo, mas sim do Upo perceptivo, a Teoria da Gestalt ¢ assim por dante ~ fornecia 2 iia, jf ‘aulturakmente cifondida, ca percepezo como uma espécie de habildad bsica de litre por assim dizer Seguindo esse meseno raclocinlo, a imaginagio era entendida como ‘uma espécie de habiidade bisica de excita “Criativdade" era o name moderna arribuido & combinacio das faculdades inatas da percepgio € da imaginaco, Todos eram dotados de criatvidade, e, quanto mais prdximas estivessem do talento bruto, ‘maior seria esse potenca. Umea criana, ura primitive tinhaun mais cratvidade do que ‘in adulto desenvolvido. O estudante de arte ideal 0 artsta do futuro, velo a ser idealizado como um infante cujas habildades raturas de ler e escrever o munda visual precisevam apenas ser corretamente rmonitoradas. © problema seria encontrar 05 meios adequados para tanto, Se 20 menos a prética da pintura e da escultura pudessem transformarse em “stomos" seminticos, se a menos aigumn allabeto ou sintaxe visual clementar pudesse ser estabelecido, entio a arte —e ndo somente a mera habilidade ~ poderia ser ensinada sem recarrer a uma fi ‘bsoleta iradigéo, Talento, ei sua antiga forma, jf nfo mais existe Encontravse er estado cru na criatividade de todes, € & habilidade encontra-se, por assim dizer, ready-made nas propriedades do meio: nd linearidade do desenho, na bidimensionalidade da figura plans, nas propriedades vohuméircas da escultura, Em principio, sendo de fato, 9 ensino ds arte tornou-se simples: os estudantes deveriam aprender a interceptar suas criatividades intactas, guiados por sentimento © emorso imediatos,e a ler seus materials obedecendo a sua sintaxe imanente, CConforme suas sensbiidades estéticas © suas lterafidades artistcas progred’sem, suas capacidades de sentir # de ler ‘vansformarian err capacidades de ‘expressar e articular PercepSes & imaginagSes assim orientadas i.am produzic teabalhas atsticos de novas especies, Esse programa pedagsgico provou ser uma profecia realizada. Todos os pedagogos progressistas do século, ce Froebel a Montessori e 2 Decraly; todos 08 reformadores escolares e fiésofos da educagio. de Rudolf Steiner a jonh Dewey, basearam seus projetes e programas na