P. 1
BESOURO

BESOURO

|Views: 3.132|Likes:
Publicado pordeborah_drg

More info:

Published by: deborah_drg on Apr 03, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/29/2012

pdf

text

original

BESOURO

Nome comum dado aos membros de um dos maiores e mais importante grupos de insetos, o Coleóptera, termo que significa insetos de asa em estojo. Vivem na água, debaixo da terra e em sua superfície, e ainda como parasita em outros animais. O besouro-verde, a joaninha, o caruncho ou gorgulho, o doríforo e o pirilampo ou vagalume são os besouros mais conhecidos. Há cerca de 360 mil espécies conhecidas de besouros. Seus hábitos alimentares fazem com que esse grupo de insetos seja dos mais nocivos. Alguns besouros, especialmente os carunchos, vivem e se multiplicam nos depósitos de farinha e de cereais, estragando-os. Outros cavam túneis nos troncos das árvores, matando-as. Muitas espécies destroem colheitas de frutas e legumes. Nem todos os besouros, porém, são nocivos. A joaninha presta serviço aos agricultores comendo os insetos nocivos. O Corpo dos Besouros. Em comparação com muitos outros insetos, os besouros são grandes. A maioria deles tem corpos roliços e compactos; alguns são redondos, outros são ovais e outros, ainda, compridos e delgados. Os maiores besouros vivem nos trópicos e têm 15 cm de comprimento ou mais. Algumas das espécies menores têm apenas 0,25 mm de comprimento. Uns têm corpos moles, mas a maioria possui grossas paredes de material córneo na parte de baixo. Essa couraça, combinada com o estojo das asas nas costas, protege muitos besouros de serem destruídos por pássaros ou outros predadores. As três partes principais do corpo dos besouros ± cabeça, tórax e abdome ± são compactamente unidas. O corpo inteiro de muitos besouros recobre-se de cores vivas e metálicas, raramente igualadas na natureza. As asas córneas anteriores, ou asas-estojo, são arredondadas. As duas se encontram numa linha reta, bem no meio das costas. O segundo par de asas é de um material enrugado e transparente. Quando um besouro quer voar, levanta as asas-estojo e depois distende o segundo par de asas até ficarem bem lisas. Voa batendo o segundo par de asas. As cabeças dos besouros são equipadas com antenas de muitas formas diferentes. A boca dos besouros tem mandíbulas fortes com as quais pegam e mastigam os alimentos sólidos. Tanto os adultos alados como os filhotes sem asas, chamados larvas, têm mandíbulas desse tipo. Os Estágios da Vida dos Besouros. A vida dos besouros divide-se em quatro estágios diferentes. O primeiro estágio é o ovo. O estágio larval começa depois que o ovo amadurece e eclode. Mudam de pele várias vezes enquanto estão crescendo.

Alguns besouros permanecem no estado larval, comendo e crescendo, durante três ou quatro anos. Finalmente as larvas mudam suas peles e entram num estado de repouso. Nessa fase, que varia de duração, os besouros são chamados de pupas. Depois, a casca das pupas se parte e surgem os besouros adultos alados.

TIPOS DE BESOUROS

Besouro Venenoso

Nome Científico: Lytta vesicatoria

Medindo de 1 a 2 cm este besouro vive no sul e centro da Europa, Sibéria e América do Norte. Começa a aparecer na Europa durante o verão. A fêmea põe seus ovos próximos a abelhas, pois quando os filhotes nascem, entram no ninho da mesma. Lá dentro sofrem uma transformação, soltam a pele e viram larvas mínimas que passam a se alimentar dos filhotes da abelha.

Além de exalar um cheiro muito forte, para que os predadores não se aproximem deles soltam um veneno que queima a pele formando bolhas. Este está entre os mais venenosos besouros que existem.

B

-i mp t i
£ ¤ £¡ ¥ ¢  ¢ ¡ ¥  

Nome cientí ico: Ci ind l

Tem o comprimento de 2 cm e possui antenas articuladas. A larva se transforma em crisálida após 18 meses tendo o seu desenvolvimento em 14 dias. A larva do besouro ti re fica alojada esperando por sua presa. Ela se enterra num buraco cavado na areia, bloqueia a entrada com a sua cabeça grande e espera por insetos descuidados. Quando sua presa cai dentro do buraco, ela afasta a areia dos pés da vítima que acaba escorregando lentamente em direção à sua boca. Este inseto na sua fase adulta é feroz e, como a larva, possui um par de mandíbulas entrecruzadas que tem a forma de foice, voando rapidamente se alimenta de outros insetos. Este inseto só é ativo em clima quente.

Besouro Bombardeiro Nome cientí ico: Brachynu crepitan

Vivendo na superfície da terra este besouro passa a maior parte do tempo se escondendo entre raízes de árvores ou debai o de pedras, ficando muitas das vezes vários deles debai o de uma única pedra. Mede mais ou menos 1 cm e vive no sul e centro da Europa, norte da África e Sibéria. Sendo um animal carnívoro, gostam de comer insetos de corpo mole como as lagartas e caracóis, sendo muito veloz para alcançar sua presa. O nome de bombardeiro se dá ao fato de que quando se sente ameaçado bombardeia, em qualquer direção em que se encontre seu predador, com o jato de um líquido que sai do seu abdome. Este líquido sai e provoca uma espécie de fumaça azulada produzindo um barul o alto assustando deste modo seu inimigo. Esse líquido expelido sai fervendo e

com um cheiro bastante forte e desagradável, podendo provocar queimaduras em outros insetos. Na pele humana só causa uma leve ardência.

Besouro Gigante Nome científico: Tita s giga t s Não só é o maior besouro como também é o maior inseto do mundo. Além ser o maior inseto em peso, também é o maior invertebrado voador. Vive na Floresta Amazônica, se alimenta de material orgânico em decomposição na floresta. Pode chegar até a 22 centímetros de comprimento, é maior do que a mão de um homem adulto, e pesar cerca de 70 gramas.
§¦ §¦

Escaravelho Sagrado Nome científico: Scarabae s sacer
Besouro da subfamília dos escarabeíneos, proveniente da região do Mediterrâneo. Tais besouros depositam seus ovos em bolas de esterco. Na mitologia egípcia, o escaravelho sagrado estava relacionado com deus Khefri, responsável pelo movimento do sol, arrastando-o pelo horizonte; no crepúsculo, o sol (ou o deus Rá) morria, e ia para o outro mundo (representado pelo oeste); depois, o escaravelho renovava o sol no amanhecer. Khefri muitas vezes é representado como um escaravelho, ou como um homem com cabeça de escaravelho.
¨

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->