Você está na página 1de 18
A1 FOLH TERÇA-FEIRA, 31 DE AEXTRA MAIO DE 2016 - ED.1548 O SENHOR É O
A1
FOLH
TERÇA-FEIRA,
31
DE
AEXTRA
MAIO
DE
2016
-
ED.1548
O SENHOR É O MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ!
- ED.1548 O SENHOR É O MEU PASTOR E NADA ME FALTARÁ! Versão na internet folhaextra.com

Versão na internet folhaextra.com

TERÇA-FEIRA , 31 DE MAIO DE 2016 - ANO 13 - Nº 1548 - R$ 1,00

O JORNAL DO NORTE PIONEIRO E CAMPOS GERAIS

DIRETOR ALCEU OLIVEIRA DE ALMEIDA

PIONEIRO E CAMPOS GERAIS DIRETOR ALCEU OLIVEIRA DE ALMEIDA Richa entrega maternidade do HU dos Campos

Richa entrega maternidade do HU dos Campos Gerais

O governador Beto Richa (PSDB) entre-

gou nesta segunda-feira (30) a mater- nidade do Hospital Universitário Regio- nal dos Campos Gerais, que pertence ao governo do Estado e é vinculado à Universidade Estadual de Ponta Grossa

(UEPG). São 32 leitos, centro obstétrico e consultório de pronto-atendimento es- pecializado, o que garante melhor con- dição às gestantes e bebês da região e fortalece o atendimento pela Rede Mãe

Paranaense.

Política página A3

Romanelli repudia caso de estupro coletivo no Rio

O deputado estadual Luiz Claudio Ro-

manelli, durante a sessão plenária na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) desta segunda-feira (30), repudiou publi- camente o estupro coletivo contra uma adolescente por 33 homens ocorrido no último dia 21 na zona oeste do Rio de Janeiro.Para o deputado, está mais que claro que o que aconteceu foi, de fato, estupro. “É óbvio e, diga-se de passa- gem, a lei hoje trata como estupro não apenas a conjunção carnal, mas tam- bém o ato libidinoso que foi covarde- mente filmado”, disse. Política página A3

D

I VULG

AÇÃO

NORTE PIONEIRO
NORTE PIONEIRO

Neusa e Noriaki Akamatsu seguem duas normas que foram fundamentais para a conquista do selo: o ensacamento da goiaba para redução de pragas e a poda total

Produtores de frutas recebem Indicação Geográfica de qualidade

No mercado internacional, muitos produ- tos são caracterizados não apenas pela sua marca, mas, principalmente, pela qualidade, especificidade de produção ou por ser pro-

veniente de uma determinada região geo-

gráfica. Essa indicação traz reputação, valor agregado e identidade própria que os distin-

guem dos concorrentes.

Destaques página A6

SEM AMOR

Esposa ateia fogo em marido após discussão

Um

homem foi internado

na

Fundação Hospitalar

de

Saúde Municipal de

Ibaiti na manhã deste do- mingo (29), após ter o cor- po queimado pela própria

esposa.Segundo a Polícia Militar (PM), o casal esta- va em uma festa na casa da sogra da vítima na noi- te de sábado, e que após algum tempo decidiram ir para casa. Ao chegar na residência, os dois discu- tiram e ambos resolveram

sair de casa novamente.

Radar página A5

PERIGO NA PISTA

Carro aquaplana na BR-153 e deixa três feridos

Um acidente na manhã desta segunda-feira (30), por volta das 10 horas,

pode ter sido causado por aquaplanagem na rodovia BR-153, próximo da Cur- va do Ubá, entre Jacare- zinho e Santo Antônio da Platina. Chovia no mo- mento do acidente.

O motorista perdeu o

controle do carro que

conduzia, um Nissan Ver-

sa placas de Tupã (SP),

saiu da rodovia, bateu na

canaleta de escoamento de águas pluviais.

Radar página A5

tim.com.br 250 MB internet Ligações à vontade para TIM de todo o Brasil com o
tim.com.br
250 MB
internet
Ligações à vontade
para TIM
de todo o Brasil com o 41
SMS
para qualquer
operadora
R$ 8 = 7 dias
Para ativar, envie
“PRECLASSIC”
para 4141.
Na Promoção TIM PRÉ CLASSIC, por R$ 8,00 por 7 dias você tem (1) 250 MB de internet, (2) ligações ilimitadas para qualquer TIM do Brasil, locais e LD com o 41 (móvel ou fixo) e (3) torpedos válidos para qualquer
operadora e SME com perfil assinante pessoa física. Os benefícios são válidos até as 23h59 do 7º dia, contados a partir da data de ativação ou renovação da promoção. Nesse período, as ligações para outras
operadoras custam R$ 0,50/min para celulares locais e DDD com o código 41 e R$ 0,25/min para fixos. Ao chegar no 7º dia, os benefícios são renovados de forma recorrente se houver saldo de créditos suficientes
(R$ 8,00). Caso não haja saldo, a promoção não será renovada até que seja feita uma nova recarga. Uma vez não renovada, a tarifação para números móveis TIM será de R$ 0,25/min e para outras operadoras
local e LD com o 41 será R$ 0,50/min. Para internet e SMS, por R$ 0,99 por dia que usar, você contrata 50 MB e SMS sem restrição. Atingindo 100% do pacote de internet antes dos 7 dias, o serviço de dados
será bloqueado até que ocorra a renovação do pacote semanal, ou que você contrate um pacote adicional (semanal ou diário). As ligações para TIM continuam ilimitadas até o 7º dia do seu pacote semanal. A
velocidade de referência de internet é de até 1 Mbps na rede 3G e 5 Mbps na rede 4G. Ao ativar a promoção TIM PRÉ CLASSIC, todas as ofertas vigentes serão canceladas automaticamente. Oferta válida para
utilização dentro da rede TIM e para adesões até 30/06/2016. Consulte o regulamento em tim.com.br.
válida para utilização dentro da rede TIM e para adesões até 30/06/2016. Consulte o regulamento em

A2

EDITAIS

A 2 EDITAIS TERÇA-FEIRA, 31 DE MAIO DE 2016 - ED.1548 Artigo Por SONIA PEDREIRA DE

TERÇA-FEIRA,

31

DE

MAIO

DE

2016

-

ED.1548

A 2 EDITAIS TERÇA-FEIRA, 31 DE MAIO DE 2016 - ED.1548 Artigo Por SONIA PEDREIRA DE

Artigo

Por SONIA PEDREIRA DE CERQUEIRA

Fãs da Psicanálise

A sorte e inveja no trabalho

S empre gosto de trazer para meus textos as expe-

riências de minha semana de trabalho, já que passo por tan- tos ambientes diferentes, sem- pre tenho contato com pessoas admiráveis. Esta semana estava conver- sando com uma jovem empre- sária que acabou de abrir seu próprio negócio. Esta profissio- nal tem muito sucesso em sua carreira, tem uma atrativa carteira de clientes e trabalha sem parar, faz cursos e passa os fins de semana planejando seu trabalho.

Artigo

Com toda essa trabalheira, ela

sempre escuta de seus colegas/ concorrentes a seguinte frase:

“nossa, como você tem sorte”. Comentário infeliz de quem no fundo, mas bem lá no fun- do, está morrendo de inveja e

é incapaz de fazer um elogio

sincero, como por exemplo:

“parabéns, você merece por todo seu esforço, dedicação e disciplina”.

E a inveja inunda os ambientes de trabalho.

A palavra inveja vem do Latim

INDIVIA que significa “olhar torto”. Significa o desejo de ob-

ter algo que outra pessoa pos- sui e que você não tem. Como se você sentisse tristeza pelo bem alheio. O invejoso cobiça tudo o que é alheio, o cargo, o trabalho, aquele projeto que o chefe pas-

sou para o colega e a atenção que o chefe dá para as outras pessoas da equipe. O mais interessante é como ela é ma- nifestada: o invejoso agride,

difama, prejudica e sabota o trabalho alheio. E o pior disso

tudo é que seu lago egocêntrico faz com que ele se sinta o máxi- mo, senhor da razão (só mais

um injustiçado).

Mas a pior inveja é aquela que está na “normalidade”, poden- do ser manifestada quando não ouvimos ou não damos importância ao sucesso de um colega, quando não consegui- mos fazer um elogio. Quando sentimos uma tristeza enorme depois de uma ótima reunião onde um colega se destacou .

O processo que desencadeia

toda essa inveja já é bem co- nhecido nosso: a comparação. Quando nos comparamos com

os outros podemos nos sentir

injustiçados, o que nos desper-

Dia Mundial do Lúpus

Por MARTA MEDEIROS

Reumatologista do Hospital Universitário Walter Cantídio/Ebserh e professora da Faculdade de Medicina da UFC

L úpus significa, em latim, “lobo”. Esse nome foi esta-

belecido no século XIII devido a

manifestações cutâneas carac- terizadas por úlceras profundas semelhantes à mordida de lobo. Até o fim do século XIX, os mé- dicos acreditavam que a doen- ça era apenas cutânea. Mas o dermatologista húngaro Kaposi, observando pacientes, descreveu dois padrões em 1872: uma do- ença apenas cutânea e outra com manifestações em vários órgãos. Essa última foi então chamada de lúpus eritematoso sistêmico (LES). Hoje se sabe que o LES é uma doença autoimune, crônica, que

pode acometer qualquer parte do corpo, afetar pessoas de quais- quer nacionalidade, raça, sexo e idade. No entanto, é muito mais frequente em mulheres de 15 a 45 anos. Estudos sugerem a intera-

ção de vários fatores na patogê- nese do LES, incluindo genéticos,

te nas áreas expostas ao sol),

articulares, renais, pulmonares, cardiovasculares, neuropsiqui- átricas e hematológicas. Não existe nenhum exame que, isola- damente, seja suficiente para o diagnóstico da doença. Os principais fatores associados

hormonais e ambientais. Estima-

a

um prognóstico mais preocu-

-se

que, no Brasil, existam mais

pante são envolvimento renal

de

100 mil pacientes com esse

e

do sistema nervoso central,

diagnóstico.

O lúpus eritematoso sistêmico

pode se manifestar clinicamente envolvendo vários órgãos e/ou sistemas, incluindo manifesta- ções sistêmicas ( febre, indispo- sição, perda de peso), cutâneas (manchas na pele, principalmen-

raça negra e baixo nível socioe-

conômico. Esse último, provavel- mente, pela maior dificuldade de acesso a serviços de saúde. Avanços terapêuticos, diagnósti-

co precoce e melhor controle das

condições mórbidas associadas têm contribuído para aumentar

a sobrevida de 60%, na década de 1960, para 90% nos dias de hoje. A cura, entretanto, ainda não é possível. Em 2004, profissionais médicos e pacientes oficializaram o dia 10 de maio como o Dia Mundial do Lúpus, com o objetivo de sensibi-

lizar sociedade e gestores para a melhoria dos serviços de saúde

com relação ao diagnóstico pre- coce e ao tratamento adequado, inclusive estimulando pesquisas.

e ao tratamento adequado, inclusive estimulando pesquisas. COMENTE O ASSUNTO. ACESSE FOLHAEXTRA.COM Charge ta este

COMENTE O ASSUNTO. ACESSE FOLHAEXTRA.COM

Charge
Charge

ta este sentimento de frustra- ção, uma insatisfação pessoal

que nos corrói, nos entristece, que qualificamos como inveja.

E como saímos deste processo?

A única maneira que vejo para

melhoramos este sentimento é fazermos uma comparação co- nosco mesmo. Você está melhor ou pior do que ontem? Você já alguma vez na vida pensou de

onde você veio, no que você se transformou agora ( aonde você chegou) e o que falta você fazer para sociedade aonde vai se perpetuar? Ao pensar nessas três questões, olhamos

Artigo

para nossa própria vida e co- meçamos a admirá-la. Não temos como nos comparar com os outros, as pessoas são

diferentes, as necessidades di-

ferentes, os comportamentos diferentes. Só temos condição de nos comparar com o nosso próprio referencial como pes- soa. Dessa maneira, damos início ao auto-tratamento da nossa inveja.

COMENTE O ASSUNTO. ACESSE FOLHAEXTRA.COM FOLHAEXTRA.COM

A cultura do estupro é de quem?

Por PAULA LIMA

Jornalista

A cultura do estupro é de quem? Por PAULA LIMA Jornalista T odos os dias são

T odos os dias são inúme- ros casos de violência no

jornal. A web ampliou o espaço para as denúncias de desrespeito à vida humana. Você se horroriza e muitas vezes segue para o link seguinte. Mas ler sobre o caso da menina estu- prada por mais de 30 homens, no Rio de Janeiro, foi paralisador. Fui ao Google em busca de outras versões que atenuassem o caso, algo que dissesse que aquilo era uma farsa, uma mentira virtual.

Claro que não encontrei. Mas o pior não é que o fato não foi des- mentido, mas de que maneira ele vem sendo interpretado.

A menina é violentada sexual-

mente, tem fotos expostas nas

redes sociais, desacordada e ma- chucada, com legendas que cogi- tam até uma possível gravidez e está sendo considerada culpada por parte do tribunal Facebook.

O delegado responsável pelo caso

ainda duvida da versão da ví- tima. Ouvi em mesa de bar, de

gente bem educada, criada em apartamento de luxo, que ela se expôs ao crime.

A suspeita de haver um namo-

rado envolvido no estupro con- tribui para as ideias de que a vítima é a culpada. “Como ela

namorava um bandido e nunca notou?”. Sempre percebi nas en-

trelinhas do discurso de classe média um certo machismo, bobo, que faz você rir de piada que mancha a imagem da mulher, mas enxergar a cultura do es- tupro enraizada em famílias de bem está doendo a alma.

O termo cultura do estupro sur-

giu nos anos 1970 e pontualmen-

te se fala sobre ele. Deriva de

“rap culture” e foi criado por fe- ministas nos Estados Unidos con- tra a culpabilização por parte da sociedade das mulheres vítimas de agressões sexuais. Lançar um olhar apurado para onde essa

cultura se cristaliza é perceber

o quanto ela é disseminada. É

quando você pensa que a meni- na não deveria ter bebido tanto, não deveria andar com bandi- dos, não deveria usar drogas… Semana passada, outros dois ca-

sos estupro coletivo foram divul- gados pela imprensa. No Piauí, uma adolescente de 17 anos, e em São Paulo, uma menina de 12 anos. Revoltante. Pior ainda é perceber onde essa cultura do

estupro começa.

COMENTE O ASSUNTO. ACESSE FOLHAEXTRA.COM FOLHAEXTRA.COM

anos. Revoltante. Pior ainda é perceber onde essa cultura do estupro começa. COMENTE O ASSUNTO. ACESSE
TERÇA-FEIRA, 31 DE MAIO DE 2016 - ED.1548 POLÍTICA A 3 MÃE PARANAENSE Richa entrega

TERÇA-FEIRA,

31

DE

MAIO

DE

2016

-

ED.1548

POLÍTICA

A3

MÃE PARANAENSE

Richa entrega maternidade do HU dos Campos Gerais

São 32 leitos, centro obstétrico e consultório de pronto-atendimento especializado

AEN

reportagem

@

fol h aext

ra.co

m

O governador Beto Richa (PSDB)

entregou nesta segunda-feira (30) a maternidade do Hospital Universitário Regional dos Cam- pos Gerais, que pertence ao go- verno do Estado e é vinculado à Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). São 32 leitos, centro obstétrico e consultório de pronto-atendimento espe- cializado, o que garante melhor condição às gestantes e bebês da região e fortalece o atendimento pela Rede Mãe Paranaense. Richa afirmou que a inaugura-

ção da ala e do serviço de mater- nidade tem um significado im- portante, pois era uma demanda de muitos anos de Ponta Grossa

e dos Campos Gerais. “O gover-

no do Estado trabalhou para ga- rantir essa conquista, que hoje se torna uma realidade”, disse ele. “O Estado tem investido de forma continuada e sistemática para garantir um atendimento médico mais humano, qualifica- do e amplo, à altura da necessi- dade da região”, afirmou.

CENTRO DE ESPECIALIDADEamplo, à altura da necessi- dade da região”, afirmou. Na solenidade de entrega da maternidade, o

Na solenidade de entrega da maternidade, o governador anunciou que o Estado cedeu

um terreno de sua propriedade, localizado ao lado do HU, para

a construção da unidade dos

Campos Gerais do Centro do Es- pecialidade do Paraná. O investi- mento, de R$ 10 milhões, já está garantido e, com a definição do terreno (que antes estava a car- go da prefeitura), a construção pode começar. Richa também confirmou nesta segunda-feira que assinou os decretos de no- meação de 255 novos servidores para os hospitais das univer- sidades estaduais de Maringá,

Londrina e Cascavel. “Somados aos 130 servidores do Hospital Universitário dos Campos Ge- rais, chegamos a quase 400 no- vos profissionais para reforçar o atendimento à saúde nas nossas instituições”, afirmou o governa- dor.

nas nossas instituições”, afirmou o governa- dor. CAPACIDADE DE ATENDIMENTO Para a maternidade do HU dos

CAPACIDADE DE ATENDIMENTO

Para a maternidade do HU dos Campos Gerais foram contrata-

D I VULG

AÇÃO

do HU dos Campos Gerais foram contrata- D I VULG AÇÃO Richa durante inauguração da maternidade

Richa durante inauguração da maternidade do Hospital Universitário em Ponta Grossa

dos médicos obstetras, pedia- tras, anestesista, enfermeiros e técnicos de enfermagem. O secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, explicou que a maternidade tem condi- ções de realizar 200 partos e 100 cirurgias ginecológicas por mês. “Uma estrutura que diminuirá a mortalidade materna e infantil em toda a região dos Campos

Gerais”, afirmou ele. Outro dife- rencial do Hospital Universitário dos Campos Gerais é que ele possui leitos de Unidade Terapia Intensiva (UTI) adulto e neona- tal. Com isso, gestantes e recém- -nascidos que tiverem alguma complicação no parto podem ser transferidos imediatamente para esta ala de maior comple- xidade.

imediatamente para esta ala de maior comple- xidade. REESTRUTURA Beto Richa destacou que quan- do assumiu

REESTRUTURA

Beto Richa destacou que quan-

do assumiu o governo, em 2011

o Hospital Regional dos Campos

Gerais não funcionava, por falta de equipamentos e profissionais.

“O hospital foi mal projetado e

tinha vários problemas estrutu-

rais de engenharia. Quando as- sumimos tivemos que fazer uma grande reforma, comprar equi- pamentos, contratar servidores

e aumentar em cinco vezes o nú-

mero de leitos, além de garantir

o funcionamento com recursos

de custeio. Vamos melhorar cada vez mais

o atendimento desse hospital”,

disse Richa. Ele citou ainda o apoio do governo estadual de R$ 3,2 milhões para ajudar no custeio da Santa Casa de Miseri- córdia de Ponta Grossa, a cons- trução reforma e ampliação de unidades de saúde dos municí-

pios de Ponta Grossa e o reforço com ambulâncias e veículos para a saúde.

e o reforço com ambulâncias e veículos para a saúde. FORMAÇÃO A construção da maternidade e

FORMAÇÃO

A construção da maternidade e a

entrega dos novos leitos de UTI pediátrica e neonatal (amplian- do de oito para 13 leitos) rece- beram investimento de R$ 1 mi- lhão, com recursos do governo

estadual. “Essas novas estruturas são um compromisso do gover- nador Beto Richa com a saúde

da população dos Campos Ge-

rais, para um atendimento mais adequado a partir de agora”, afirmou o secretário de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes.

O secretário enfatizou que a ma-

ternidade irá ajudar na formação dos alunos de medicina e enfer-

magem da Universidade Estadu-

al de Ponta Grossa. “Com essa

estrutura, teremos mais quali-

dade e atenção na formação dos alunos das áreas de saúde”, disse ele.

Nos últimos anos, o HU ganhou leitos de UTI, centro de diag- nóstico, salas cirúrgicas, ambu- latórios e uma série de equipa- mentos de ultima geração para melhorar a qualidade do atendi- mento aos pacientes. “Com isso, podemos finalmente assegurar que o HU de fato se tornou um hospital regional”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto.

o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto. ESTRUTURA O diretor-geral do HU, Everson Augusto

ESTRUTURA

O diretor-geral do HU, Everson

Augusto Krum, explicou que as pacientes que estão no pronto atendimento do hospital Evan-

gélico serão, até quarta-feira, transferidas para a maternidade do Hospital Universitário. “As próprias unidades básicas de saúde dos municípios da região

já indicarão às pacientes que o

parto vai ocorrer no nosso HU. Preparamos uma estrutura de consulta, pré-parto, sala de ob- servação, centro medico, sala de

acolhimento ao recém nascido, berçário, mãe canguru - que é quando uma criança precisa fi- car internada e a mãe sai de alta,

mas volta para fazer a amamen- tação”, contou ele.

Romanelli repudia caso de estupro coletivo no Rio

ele. Romanelli repudia caso de estupro coletivo no Rio DA ASSESSORIA reportagem @ fol h aext

DA

ASSESSORIA

reportagem

@

fol h aext

ra.co

m

O deputado estadual Luiz Clau-

dio Romanelli (PSB), durante a sessão plenária na Assembleia

Legislativa do Paraná (Alep) des-

ta segunda-feira (30), repudiou

publicamente o estupro coletivo contra uma adolescente por 33 homens ocorrido no último dia 21 na zona oeste do Rio de Ja- neiro. Para o deputado, está mais que claro que o que aconteceu foi,

de fato, estupro. “É óbvio e, diga-se de passagem, a lei hoje trata como estupro não apenas

a

conjunção carnal, mas também

o

ato libidinoso que foi covarde-

mente filmado e que recomendo que ninguém veja, até mesmo em respeito a vítima”, disse. Romanelli também repudiou as

ações do delegado inicialmente

indicado para investigar o caso. “Se aquilo não está previsto no código penal como estupro de

vulnerável, sinceramente, peço minha desfiliação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), por- que não há o menor cabimento”, afirmou.

O líder do governo na Assem-

bleia Legislativa ainda explica que o tema deve ser debatido, pois é um fator do país que pre- cisa ser culturalmente analisado. “Este é um problema grave não

só no aspecto da violência ou

psicológico, é cultural. Inclusive

na sociedade paranaense, onde também temos números alar- mantes em relação a violência praticada contra as mulheres”, disse. Ao concluir o pronunciamento,

Luiz Claudio Romanelli disse que a legislação vigente precisa funcionar. “Quem comete o ilíci- to ou comete uma monstruosi- dade como esta, deve pagar por meio da justiça”, analisou.

D

I VULG

esta, deve pagar por meio da justiça”, analisou. D I VULG AÇÃO Não escapa do Moro

AÇÃO

pagar por meio da justiça”, analisou. D I VULG AÇÃO Não escapa do Moro As gravações

Não escapa do Moro

As gravações do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado com políticos do PMDB, feitas

como parte de sua estratégia para conseguir o acordo de delação premiada homologado pelo Supremo Tribunal Federal, não afastam a pos- sibilidade dele ser julgado na 13ª Vara Federal, em Curitiba - origem e sede dos processos em primeiro grau da Operação Lava Jato. Considerado o novo “homem-bomba” do es- cândalo Petrobras, o medo de Machado é ser julgado pelo juiz Sérgio Moro, responsável por 158 prisões e 93 condenações no caso. Pois, pois, até aqui, foram tornadas públicas conversas com o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), o ex-presidente José Sarney (AP) e o senador Romero Jucá (RR) - exonerado do cargo de ministro do Planejamento, um dia após a divulgação dos conteúdos. Nos áudios os peemedebistas mencionam a preocupação com a prisão de Machado, por Moro, e os avan- ços da Lava Jato, em Curitiba. Ora, pois, é nessa apuração que o ex-executivo da Transpetro ainda pode virar réu de Moro pe- los crimes praticados por ele de corrupção pas- siva e lavagem de dinheiro.

Osmar não quer

Osmar Dias esteve com o deputado federal João Arruda e jurou que não tem interesse em assumir a direção-geral da Itaipu. Comunicou a todos sua decisão. Prefere se guardar para uma majoritária em 2018.

Mais para Lupion

Por enquanto, Itaipu está mais pra o DEM, na gura de Abelardo Lupion. O cargo seria do PMDB, mas o DEM ofereceu a FUNEP em troca da Binacional.

Samek vai ficando

Enquanto a de nição não sai, e parece que não sairá tão rápido, Jorge Sameck, do PT, vai se es- tendendo no cargo, que já ocupa por quase 16 anos.

Não abre mão

O clã dos Barros não abre mão da Secretaria do

Planejamento, agora ocupada por Silvio Barros, que já anunciou sua saída para concorrer à pre- feitura de Maringá. Se necessário, o PP está dis- posto a indicar a vice Cida Borghetti para o car- go. Bom lembrar que o Planejamento faz parte do acordo na formação da chapa.

Petrobras ‘inchada’

A gigante Saudi Aramco, da Arábia Saudita, a

maior petrolífera do mundo, produz um de cada oito barris de petróleo do planeta, está avaliada em R$ 6,5 trilhões e tem 65 mil funcionários. A Petrobras, que nem chega perto da Aramco em produção de petróleo, está avaliada no merca- do em cerca de R$ 60 bilhões, se tanto, e paga salários a 249 mil pessoas, das quais 84 mil são concursadas e 165 mil terceirizadas.

Cabide de petróleo

A Shell, a Exxon e a British Petroleum, outras gi-

gantes do petróleo, empregam juntas 262.000 pessoas, 13 mil a menos que a Petrobras. Pedro Parente terá um baita desa o: a Petrobras ope- ra 7 mil postos no mundo; a Shell tem 44 mil, mas lucra trinta vezes mais. Mesmo depois cor- tar 30 mil funcionários e colocar mais 12 mil na la da demissão voluntária, a Petrobras ainda tem 84 mil concursados.

30 mil funcionários e colocar mais 12 mil na la da demissão voluntária, a Petrobras ainda

A4

CIDADES

A 4 CIDADES TERÇA-FEIRA, 31 DE MAIO DE 2016 - ED.1548 D I VULG AÇÃO SUBSOLO

TERÇA-FEIRA,

31

DE

MAIO

DE

2016

-

ED.1548

D

I VULG

AÇÃO

SUBSOLO
SUBSOLO

Empresa busca petróleo e gás no Norte Pioneiro

Emissão de ondas sonoras penetram nas camadas mais profundas do subsolo e possibilitam a produção de imagens para identificar se á ontes de idrocar onetos, como petr leo e gás

á ontes de idrocar onetos, como petr leo e gás DAS AGÊNCIAS reportagem @ fol h

DAS

AGÊNCIAS

reportagem

@

fol h aext

ra.co

m

A Global Serviços Geofísicos Ltda – empresa de pesquisas comerciais, biológicas e físicas localizada no Rio de Janeiro – está atuando no Norte Pioneiro (Santa Cecília do Pavão, Ban- deirantes e Ribeirão Claro, por exemplo, e outras serão visita- das nos próximos dias). A em- presa, que possui capital norte- -americano, foi contratada pela ANP (Agência Nacional do Pe- tróleo) para realizar pesquisa sísmica na Bacia Sedimentar do Paraná, que abrange muni- cípios dos estados do Paraná e São Paulo.

Com caminhões faz a emissão

de ondas sonoras que pene- tram nas camadas mais profun- das do subsolo e possibilitam

a produção de imagens para

identificar se há fontes de hi- drocarbonetos, como petróleo e gás.

De acordo com a assessoria de imprensa, a área de prospec- ção abrange 267 municípios, incluindo 90 cidades nas regi-

ões paulistas de Assis, Marília

e Ourinhos e 177 paranaenses

nas imediações de Paranavaí, Maringá, Londrina (incluindo Norte Pioneiro como Joaquim Távora e Siqueira Campos) e Guarapuava. A Global foi contratada em 2015 por meio de licitação pú- blica e atende às exigências do Plano Plurianual de Estudos de Geologia e Geofísica da ANP,

um programa de aquisição sis- temática de dados geológicos

e geofísicos para aumentar o

conhecimento das bacias sedi-

mentares de novas fronteiras. Os recursos financeiros são originários do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC).

O trabalho de coleta de dados

deverá ser reali ado até o final deste ano. Em seguida, as infor- mações serão processadas e en-

tregues pela empresa até o final

do contrato, previsto para se encerrar em outubro de 2017.

A empresa, que presta serviços

para a Petrobrás, é a líder em coleta de dados sísmicos na América Latina e oferece equi- pamentos de ponta para os ser- viços, que funcionam como um ultrassom na medicina e possi- bilitam “enxergar” o que existe

nas camadas mais profundas das formações geológicas.

Os caminhões especiais emi- tem vibrações (ondas sonoras) em pontos predeterminados ao longo das rodovias estaduais PR-431 PR-218 e PR-092, sem causar danos à infraestrutura ou ao meio ambiente. As ondas

atravessam as rochas e chegam às camadas internas da terra, onde são re etidas e retornam para a superfície e captadas por equipamentos denominados geofones. A partir do tempo de viagem das ondas sonoras

e posterior tratamento dos da- dos, são geradas imagens do subsolo. As imagens possibilitam iden- tificar e rastrear as camadas ro- chosas adequadas para a gera- ção e acumulação de petróleo ou de gás natural.

INFRAESTRUTURA

Prefeitura de Jacarezinho segue com trabalhos de pavimentação durante feriado

F OLH

A EXTR

A

trabalhos de pavimentação durante feriado F OLH A EXTR A Operários trabalham na pavimentação de vias

Operários trabalham na pavimentação de vias mesmo no feriado

MARCOS

Jacarezinho

JÚNIOR

reportagem

@

fol h aext

ra.co

m

Os moradores da Vila Scyllas Peixoto, em Jacarezinho, acom- panharam neste feriado pro- longado o início do trabalho de pavimentação asfáltica no bairro. A equipe responsável pela obra realizou mais uma ação do inves- timento de mais de R$ 4 milhões que está sendo feito no local. “Os funcionários da empresa contratada para este grande pro-

jeto não mediram esforços nes-

para um trabalho bem feito e de

Pavan, que vem auxiliando nos

tes dias de trabalho”, argumenta

qualidade”, analisa o prefeito de

trabalhos, é necessário primeiro

o prefeito de Jacarezinho, Sérgio

Jacarezinho. Ele ressalta que os

a

pavimentação e infraestrutu-

Eduardo de Faria, o Dr. Sérgio

projetos elaborados pela atual

ra

dos bairros mais altos. “Uma

(DEM). Ele destaca que foram colocadas manilhas para galeria pluvial, meio fio e toda a infra- estrutura. Ele ainda destaca que serão 24 mil metros quadrados de obras. “Não adianta começar da Rua Minas Gerais e fazer de qual- quer forma. Estamos zelando pelo dinheiro da população

administração são feitos pensan- do na infraestrutura e não com cunho político. “Não iremos in- vestir mais de R$ 500 mil numa rua e na primeira chuva todo o trabalho ser levado pela água como já aconteceu no passado”, explica. Segundo secretário municipal de Comércio e Indústria, Homero

situação que precisava ser vista urgentemente é a Vila Scyllas e Residencial Jacarezinho 2. No local não asfalto e nem sistema de galeria pluvial. As manilhas não suportavam a quantidade de água e com isso, a pavimentação asfáltica era afetada se fosse colo- cada nessas ruas sem infraestru- tura”, complementa.

colo- cada nessas ruas sem infraestru- tura”, complementa. Em Resumo CONHECIMENTO Governo reforça informação para

Em Resumo

CONHECIMENTO

Governo reforça informação para avançar no controle da Hanseníase

O governo do Estado lança nesta terça- -feira (31) uma nova campanha educativa para alertar sobre os sintomas e perigos da hanseníase, antigamente chamada de lepra. O objetivo é chamar a atenção da população e dos pro ssionais da área da saúde para a circulação da doença no Estado, que somente neste ano já atingiu 160 paranaenses. Tanto o diagnóstico quanto o tratamento estão disponíveis gratuitamente nas unidades de saúde. Com o mote “Você Conhece as Manchas do seu Corpo?”, a campanha dá dicas sobre como identi car possíveis sinais suspeitos da doença. Segundo especia- listas, manchas dormentes na pele são os principais indícios do surgimento da hanseníase. “Trata-se de uma doença que ataca os nervos e a pele. Por isso, se manifesta através de manchas sem sensibilidade no corpo, além de caroços e inchaços, geralmente no rosto e nas orelhas”, ex- plica a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira. Cartazes, folderes informativos, marca- dores de página, porta-objetos, canetas, garra nhas de água (squeezes) e bolsas serão distribuídas em unidades de saú- de, hospitais e prédios públicos. Os ma- teriais trazem informações acerca das medidas recomendadas para a preven- ção, diagnóstico e tratamento da hanse- níase. Graças à melhoria do atendimento na rede pública de saúde, com a oferta de tratamento oportuno, o número de ca- sos vem caindo no Paraná. De 2011 a 2015, o número passou de 1.024 para 689 ocorrências anuais – uma redução de 32% em todo o Estado. Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Controle da Hanseníase, Ja- queline Finau, houve avanços também na adesão ao tratamento e na taxa de cura dos pacientes. No ano passado, 91% dos casos novos diagnosticados evoluí- ram de forma satisfatória. “Isso é impor- tante, porque assim que a pessoa inicia o tratamento, ela já não transmite mais a doença”, a rma.

Paraná tem tratamento gratuito para ajudar fumantes a largar o cigarro

Nesta terça-feira (31) é celebrado o Dia

Mundial sem Tabaco. O Governo do Es-

tado oferece tratamento gratuito para quem está na luta contra o cigarro e de- seja parar de fumar. O Programa de Con- trole do Tabagismo está presente em 662 Unidades de Saúde espalhadas pelo Pa- raná. Segundo o secretário estadual da Saú- de, Michele Caputo Neto, o programa de controle do tabagismo teve origem no Paraná e é um exemplo de política públi- ca que partiu de um problema de saúde, o alto índice de doenças decorrentes do uso do tabaco. “A proibição gradativa do cigarro em ambientes fechados, as inúmeras cam- panhas de conscientização, as taxas in- seridas sobre o comércio do cigarro, a scalização do contrabando e a oferta de tratamento para aqueles que querem deixar de fumar são políticas públicas intersetoriais que pretendem diminuir o impacto desse hábito que provoca mi- lhões de mortes anualmente”, diz o se- cretário.

TERÇA-FEIRA, 31 DE MAIO DE 2016 - ED.1548 RADAR A 5 SEM AMOR Esposa ateia

TERÇA-FEIRA,

31

DE

MAIO

DE

2016

-

ED.1548

RADAR

A5

SEM AMOR

Esposa ateia fogo em marido após discussão

Crime aconteceu

em Ibaiti durante

o fim de semana

v tima so reu

erimentos leves

e não corre risco de morte

GILSON

SARRAFO

Ibaiti

reportagem

@

fol h aext

ra.co

m

Um homem foi internado na Fundação Hospitalar de Saúde Municipal de Ibaiti na manhã deste domingo (29), após ter o corpo queimado pela própria esposa. Segundo a Polícia Militar (PM), o

ROTINA DE ACIDENTES

casal estava em uma festa na casa da sogra da vítima na noite de sá- bado, e que após algum tempo decidiram ir para casa. Ao chegar na residência, os dois discuti- ram e ambos resolveram sair de casa novamente. Na madrugada

o homem retornou e foi dormir

no quarto de visitas. Após alguns minutos, a mulher arrombou a porta do quarto e jogou álcool

no corpo do homem que dormia na cama e ateou fogo. Ele foi en- caminhado para o pronto socor- ro pelo Samu que foi acionado pelo vizinho do casal. A vítima sofreu queimaduras no tórax, pescoço, rosto e braços.

Segundo informações, as quei- maduras foram leves e não corre risco de morte. A Polícia Civil in- vestiga o caso.

Van capota na PR-092 próximo a Siqueira Campos

e culo transportava produtos de limpezas e capotamento aconteceu ap s o motorista perdeu o controle da van

G

I L B ER TO G

I MENES

o motorista perdeu o controle da van G I L B ER TO G I MENES

Acidente aconteecu entre Wenceslau Braz e Siqueira Campos

Acidente aconteecu entre Wenceslau Braz e Siqueira Campos DA REDAÇÃO reportagem @ fol h aext ra.co

DA

REDAÇÃO

reportagem

@

fol h aext

ra.co

m

A pista molhada é apontada

como a causa do capotamento

de uma van na PR-092, em Si-

queira Campos, na tarde desta segunda-feira (30). O veículo, placa de Pinhais (Re- gião Metropolitana de Curitiba), seguia sentido Wenceslau Braz

– Siqueira Campos, quando pró- ximo ao restaurante Barraca do Mineiro o motorista perdeu o controle em uma curva e a van capotou.

De acordo com o motorista,

Wesley Cordeiro de Oliveira, a viagem seria de Curitiba a Ouri- nhos (SP), fazendo o transporte

de produtos de limpeza, quando

cerca de 5 quilômetros antes de chegar a Siqueira Campos ele perdeu o controle da van e aca-

bou capotando. Apesar do veículo ter sofrido avarias consideráveis, o moto- rista não sofreu nenhum tipo de ferimentos. Ele estava sozinho na van no momento do acidente.

Com o capotamento, a porta traseira do utilitário se abriu e alguns produtos que estavam no interior do veículo se espalha- ram pela pista.

A Polícia Rodoviária Estadual e a

Defesa Civil de Siqueira Campos

atenderam a ocorrência e orien- taram os motoristas que trafega- vam pelo local no momento do acidente. A Polícia Rodoviária ainda orien- ta para que motoristas que pe- guem estrada em dias chuvosos (na região atenção especial para a , devido ao alto u o de veículos) tenham atenção redo- brada e viagem dentro dos limi-

tes de velocidade apontados na rodovia.

Carro aquaplana na BR-153 e deixa três feridos

JIVAGO FRANÇA

Jacarezi

n h o

reportagem

@

fol h aext

ra.co

m

Um acidente na manhã desta

segunda-feira (30), por volta das 10 horas, pode ter sido causado por aquaplanagem na rodovia BR-153, próximo da Curva do Ubá, entre Jacarezinho e Santo Antônio da Platina. Chovia no momento do acidente.

O motorista perdeu o controle

do carro que conduzia, um Nis- san Versa placas de Tupã (SP),

saiu da rodovia, bateu na canale-

ta de escoamento de águas plu-

viais, em uma árvore e parou ao chocar-se contra o barranco.

O motorista foi atendido com

suspeita de fratura em um dos

braços. Outros dois passageiros também foram socorridos pela equipe de resgate da Triunfo/ Econorte. As vítimas foram le- vadas para o Pronto Socorro de Santo Antônio da Platina.

A Polícia Rodoviária Federal

(PRF) interditou temporaria- mente a rodovia para retirada do

carro do local.

D

I VULG

AÇÃO

a rodovia para retirada do carro do local. D I VULG AÇÃO Esportes Ginástica na praça
a rodovia para retirada do carro do local. D I VULG AÇÃO Esportes Ginástica na praça

Esportes

Ginástica na praça e ca- minhada marcaram Dia do Desa o em Jaguariaíva

Jaguariaíva participou na semana passada do Dia do Desa o, competindo com a cidade de Biscucuy, localizada em Sucre, na Venezuela. Entre as atividades de maior visibilidade pro-

movida esteve a ginástica coletiva realizada na Praça Getúlio Vargas, no centro da cidade.

A movimentação foi promovida pela prefeitu-

ra municipal, através da secretaria municipal de Educação, Cultura e Esporte (Smece), via departamento de Esportes. Entre os partici- pantes estiveram estudantes do Ensino Médio, donas-de-casa, crianças, entre outros. Também houve uma caminhada, partindo do centro da cidade até a Cidade Alta.

caminhada, partindo do centro da cidade até a Cidade Alta. Em frente à prefeitura, na Praça

Em frente à prefeitura, na Praça Isabel Branco, houve mais atividade física pela manhã. Duran- te o dia também ocorreram movimentações alusivas nos projetos esportivos do município eescolas municipais, além de participação des- centralizada em empresas e instituições. O re- sultado do Dia do Desa o será divulgado nos próximos dias. O objetivo do movimento, coor- denado pelo SESI e desenvolvido pelas prefei- turas, é incentivar a prática da atividade física e difundir esse hábito entre as populações.

Jacarezinho recebe equipamento para departamento de Esportes

Jacarezinho recebe equipamento para departamento de Esportes O prefeito de Jacarezinho, Sérgio Eduardo de Faria, o

O prefeito de Jacarezinho, Sérgio Eduardo de

Faria, o Dr. Sérgio (DEM), e a diretora de espor-

tes do município, Luciana Bessa, receberam recentemente material esportivo para o Pro- grama Segundo Tempo. A entrega foi realizada

pelo governador Beto Richa (PSDB) e o secretá- rio Estadual de Esportes, Douglas Fabrício.

O programa é um convênio formalizado entre a

secretaria de Estado do Esporte e do Turismo e o Ministério dos Esportes. Ele tem como objeti- vo democratizar o acesso à prática de esporte e formação escolar nos municípios paranaenses.

O prefeito de Jacarezinho a rma que a cidade

foi bene ciada com as modalidades de bas- quete, atletismo e badminton. “Está previsto para começar no mês de junho, mas ainda sem uma data especi ca”, explica Dr. Sérgio.

A6

DESTAQUES

A 6 DESTAQUES TERÇA-FEIRA, 31 DE MAIO DE 2016 - ED.1548 E Produtores de frutas do

TERÇA-FEIRA,

31

DE

MAIO

DE

2016

-

ED.1548

E

Produtores de frutas do Norte Pioneiro recebem Indicação Geográfica de qualidade

Em maio, a região alcançou seu segundo registro de

indicação geográfica. epois dos produtores de ca s especiais, que conquistaram a indicação de proced ncia em , agora os ruticultores ue se dedicam

à cultura da goiaba na região de

arl polis e i eirão laro tam m terão um di erencial competitivo com

a chancela do INPI

D

I VULG

di erencial competitivo com a chancela do INPI D I VULG AÇÃO DA ASSESSORIA COM REDAÇÃO

AÇÃO

DA ASSESSORIA

COM REDAÇÃO

fol h aext

edi tori al @

ra.n et

No mercado internacional, mui- tos produtos são caracterizados não apenas pela sua marca, mas, principalmente, pela qualidade, especificidade de produção ou por ser proveniente de uma determinada região geográfica. Essa indicação tra reputação, valor agregado e identidade própria que os distinguem dos concorrentes. o rasil, essa tend ncia começa a ganhar força, e o nstituto acional de ropriedade ndustrial concede o registro de ndicação Geográfica G , assinalando diferenciais de qualidade e ori- gem de determinados produtos. Em maio, a região do Norte

ioneiro alcançou seu segundo

R.

egundo Odemir apello, con-

lata, ainda, que a G é apenas

registro de indicação geográfica.

O

projeto realizado pelas en-

sultor do e rae R, o processo

o primeiro passo rumo à am-

Depois dos produtores de cafés

tidades unto é ancorado

de

registro de G começou em

pliação de mercado, inclusive

especiais, agora os fruticultores

na

prática do associativismo e

2014 e foi protocolado junto

e

terno. Os produtores da

que se dedicam à cultura da

visa a melhoria do am iente

ao

em outu ro de .

á estão de olho na Glo al Gap,

goiaba na região de Carlópolis

de

negócios e o fortalecimento

fruto de todo um tra alho

uma certificação internacional

uma certificação internacional DIFERENCIAÇÃO

DIFERENCIAÇÃO

e Ribeirão Claro também terão um diferencial competitivo com

gora todos azem parte

de governança e desenvolvi- mento local,

que ajuda a abrir portas no mer- cado de e portações.

a

chancela do

grupo de ruticultores recon ecidos

realizado pelo e rae R, pre-

. indicação

geográfica recon-

por sua reputação, valor intr nseco e

feituras e outras

De agora em diante, os produ- tores que desejarem utilizar o

hece e distingue

identidade pr pria

 

entidades par- ceiras, junto às

signo distintivo do indicação de

a

produção de

propriedades.

procedência deverão cumprir

goiaba de Car-

 

lém disso, o

normas relacionadas ao regula-

lópolis e Ribeirão Claro por sua qualidade. lém disso, é um

dos fruticultores. oi a união dos produtores em torno da as-

registro não é individual, ele identifica produtores de um

mento de uso e mecanismos de controle da indicação geográfi-

fator para a agregação de valor ao produto do território, contri- buindo para a competitividade e valori ação no mercado”, analisa ulio e ar gostini, di-

sociação que contri uiu com a transformação dos munic pios nos maiores produtores de goia as de mesa da mérica a- tina, com o cultivo de 20 a 30

determinado territ rio. or essa razão, o capital social e a gov- ernança são primordiais para a conquista da G”, destaca a- pello.

ca, que tem como conselho reg- ulador produtores e instituições vinculadas ao proponente. O fruticultor oria i aamatso está envolvido com a cultura da

retor de Operações do e rae

toneladas da fruta por m s.

O consultor do e rae R re-

goiaba desde 1987 e se diz bas-

tante otimista com a conquista

da G. osso produto será dife- renciado, terá rastreabilidade

e vamos usar defensivos con-

forme as normas. segurança alimentar é uma garantia de

venda e acredito que nós ter- emos a preferência do consumi- dor por conta desse selo”. ara o engenheiro agr nomo

e produtor de goiabas Rodrigo

da ilva iana, o registro é um grande passo. Estamos acom- panhando o mercado, focado no consumidor, que está cada

ve mais e igente. Ele quer um

produto melhor, nem que tenha que pagar mais caro por isso. G veio para somar e melhorar

a qualidade do tra alho e será

um grande diferencial mercad-

ol gico. uando o consumidor

compra um produto de origem, esse produto é mais apreciado e possui um valor agregado”. Para a coordenadora estadual do agroneg cio do e rae R, ndréia laudino, os produ- tores de Carlópolis e Ribeirão Claro entram em uma nova fase com a indicação geográfica. O reconhecimento, que antes s existia nos grandes centros em relação G, á está se espal- hando para todo o rasil. Essa é uma tend ncia e ho e os pr pri- os consumidores á reconhe- cem o valor dos produtos com a indicação. Eles t m curiosidade em experimentar esses produ- tos e estão dispostos a pagar mais caro por isso”, analisa.

Eles t m curiosidade em experimentar esses produ- tos e estão dispostos a pagar mais caro
TERÇA-FEIRA, 31 DE MAIO DE 2016 - ED. 1548 EDITAIS B 1 JABOTI MUNIcÍPIO DE

TERÇA-FEIRA,

31

DE

MAIO

DE

2016

-

ED.

1548

EDITAIS

B1

JABOTI

MUNIcÍPIO DE JABOTI RELATÓRIO RESUMIDO DA EXEcUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - DESPESA ORÇAMENTO FIScAL E

MUNIcÍPIO DE JABOTI RELATÓRIO RESUMIDO DA EXEcUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - DESPESA ORÇAMENTO FIScAL E DA SEgURIDADE SOcIAL MARÇO A ABRIL DE 2016

Página: 1 /

2

LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º - Anexo I

 

Dotação inicial

Créditos

Dotação atualizada

DESPESAS EMPENHADAS

DESPESAS LIQUIDADAS

 

Saldo a liquidar (f - j)

DESPESAS

(d)

adicionais (e)

(f) = (d + e)

No bimestre (g)

Até bimestre (h)

No bimestre (i)

Até bimestre (j)

% (j / f)

DESPESAS (EXcETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (VIII)

14.261.685,00

898.583,54

15.160.268,54

2.536.535,32

4.949.040,31

2.184.606,42

4.110.596,61

27,11

11.049.671,93

DESPESAS cORRENTES

12.443.125,00

20.500,30

12.463.625,30

2.295.868,24

4.469.076,37

1.819.361,33

3.664.555,49

29,40

8.799.069,81

PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS

6.121.493,80

(7.000,00)

6.114.493,80

995.179,14

1.997.224,74

995.179,14

1.997.224,74

32,66

4.117.269,06

JUROS E ENCARGOS DA DIVÍDA

9.000,00

0,00

9.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

9.000,00

OUTRAS DESPESAS CORRENTES

6.312.631,20

27.500,30

6.340.131,50

1.300.689,10

2.471.851,63

824.182,19

1.667.330,75

26,30

4.672.800,75

DESPESAS DE cAPITAL

1.663.560,00

878.083,24

2.541.643,24

240.667,08

479.963,94

365.245,09

446.041,12

17,55

2.095.602,12

INVESTIMENTOS

1.503.560,00

878.083,24

2.381.643,24

231.675,92

462.132,83

356.253,93

428.210,01

17,98

1.953.433,23

INVERSÕES FINANCEIRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA / REFINANCIAMENTO DA DÍVIDA

160.000,00

0,00

160.000,00

8.991,16

17.831,11

8.991,16

17.831,11

11,14

142.168,89

RESERVA DE cONTINgêNcIA

155.000,00

0,00

155.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

155.000,00

RESERVA DE CONTINGÊNCIA

155.000,00

0,00

155.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

155.000,00

DESPESAS INTRA-ORÇAMENTÁRIAS (IX)

1.238.315,00

0,00

1.238.315,00

118.303,39

236.007,13

127.368,18

226.942,34

18,33

1.011.372,66

SUBTOTAL DAS DESPESAS (X) = (VIII + IX)

15.500.000,00

898.583,54

16.398.583,54

2.654.838,71

5.185.047,44

2.311.974,60

4.337.538,95

26,45

12.061.044,59

AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA - REFINANcIAMENTO (XI)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Amortização da Dívida Interna

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Dívida Mobiliária

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Dívidas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Amortização da Dívida Externa

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Dívida Mobiliária

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

Outras Dívidas

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

SUBTOTAL cOM REFINANcIAMENTO (XII) = (X + XI)

15.500.000,00

898.583,54

16.398.583,54

2.654.838,71

5.185.047,44

2.311.974,60

4.337.538,95

26,45

12.061.044,59

SUPERÁVIT (XIII)

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

512.897,98

0,00

(512.897,98)

TOTAL (XIV) = (XII + XIII)

15.500.000,00

898.583,54

16.398.583,54

2.654.838,71

5.185.047,44

2.311.974,60

4.850.436,93

29,58

11.548.146,61

VANDERLEY DE SIQUEIRA E SILVA

PREFEITO MUNICIPAL

LAUDERI APARECIDA COSTA DE OLIVEIRA

CONTADORA

JOSE CARLOS DA SILVA

CONTROLE INTERNO

MUNIcÍPIO DE JABOTI RELATÓRIO RESUMIDO DA EXEcUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - DESPESA ORÇAMENTO FIScAL E

MUNIcÍPIO DE JABOTI RELATÓRIO RESUMIDO DA EXEcUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - DESPESA ORÇAMENTO FIScAL E DA SEgURIDADE SOcIAL MARÇO A ABRIL DE 2016

Página: 2 /

2

LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º - Anexo I

ELSON DA SILVA

TESOUREIRO

MUNIcÍPIO DE JABOTI RELATÓRIO RESUMIDO DA EXEcUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - REcEITAS ORÇAMENTO FIScAL

MUNIcÍPIO DE JABOTI RELATÓRIO RESUMIDO DA EXEcUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - REcEITAS ORÇAMENTO FIScAL E DA SEgURIDADE SOcIAL MARÇO A ABRIL DE 2016

LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º -

Página: 1 /

2

   

Previsão

 

Receitas realizadas

 

Saldo a realizar (a - c)

RECEITAS

Previsão Inicial

atualizada(a)

No bimestre (b)

% (b/a)

Até o bimestre

% (c/a)

RECEITAS CORRENTES

17.270.034,00

17.310.034,00

2.422.544,17

14,00

5.394.529,10

31,16

11.915.504,90

RECEITA TRIBUTÁRIA

513.700,00

513.700,00

101.656,93

19,79

174.448,06

33,96

339.251,94

IMPOSTOS

477.500,00

477.500,00

42.644,93

8,93

115.308,12

24,15

362.191,88

TAXAS

36.200,00

36.200,00

59.012,00

163,02

59.139,94

163,37

(22.939,94)

CONTRIBUIÇÃO DE MELHORIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS DE CONTRIBUIÇÕES

47.000,00

47.000,00

13.081,49

27,83

24.932,01

53,05

22.067,99

CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

CONTRIBUIÇÕES DE INTERVENÇÃO NO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

CONTRIBUIÇÃO PARA O CUSTEIO DO

47.000,00

47.000,00

13.081,49

27,83

24.932,01

53,05

22.067,99

RECEITA PATRIMONIAL

96.080,00

96.080,00

24.579,99

25,58

47.730,22

49,68

48.349,78

RECEITAS IMOBILIÁRIAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS DE VALORES MOBILIÁRIOS

96.080,00

96.080,00

24.579,99

25,58

47.730,22

49,68

48.349,78

RECEITA DE CONCESSÕES E PERMISSÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

COMPENSAÇÕES FINANCEIRAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DECORRENTE DO DIREITO DE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA CESSÃO DE DIREITOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS PATRIMONIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA AGROPECUÁRIA

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA PRODUÇÃO VEGETAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA PRODUÇÃO ANIMAL E

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS AGROPECUÁRIAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA INDUSTRIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA INDUSTRIA EXTRATIVA MINERAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA INDÚSTRIA DE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA INDÚSTRIA DE CONTRUÇÃO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS INDUSTRIAIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DE SERVIÇOS

6.560,00

6.560,00

0,00

0,00

4,80

0,07

6.555,20

TRANSFERÊNCIAS CORRENTES

16.430.840,00

16.470.840,00

2.254.715,75

13,69

5.078.478,50

30,83

11.392.361,50

TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS

15.648.640,00

15.688.640,00

2.167.049,96

13,81

4.902.017,02

31,25

10.786.622,98

TRANSFERÊNCIAS DE INSTITUIÇÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

B2

EDITAIS

   
B 2 EDITAIS      
 

TERÇA-FEIRA,

31

DE

MAIO

DE

2016

-

ED.

1548

 

TRANSFERÊNCIAS DO EXTERIOR

 

0,00

0,00

 

0,00

 

0,00

0,00

 

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE PESSOAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS

782.200,00

782.200,00

87.665,79

11,21

176.461,48

22,56

605.738,52

OUTRAS RECEITAS CORRENTES

175.854,00

175.854,00

28.510,01

16,21

68.935,51

39,20

106.918,49

MULTAS JUROS DE MORA

 

2.202,00

2.202,00

210,84

9,57

702,73

31,91

1.499,27

INDENIZAÇÕES E RESTITUIÇÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA DÍVIDA ATIVA

47.150,00

47.150,00

3.143,37

6,67

6.832,69

14,49

40.317,31

RECEITAS DECORRENTES DE APORTES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS DIVERSAS

126.502,00

126.502,00

25.155,80

19,89

61.400,09

48,54

65.101,91

RECEITAS DE CAPITAL

 

576.950,00

1.176.950,00

6.300,00

0,54

187.175,19

15,90

989.774,81

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

 

0,00

600.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

600.000,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO INTERNAS

0,00

600.000,00

0,00

0,00

0,00

0,00

600.000,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO EXTERNAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

ALIENAÇÃO DE BENS

 

0,00

0,00

6.300,00

0,00

42.100,00

0,00

(42.100,00)

ALIENAÇÃO DE BENS MÓVEIS

0,00

0,00

6.300,00

0,00

42.100,00

0,00

(42.100,00)

ALIENAÇÃO DE BENS IMÓVEIS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL

576.950,00

576.950,00

0,00

0,00

145.075,19

25,15

431.874,81

TRANSFERÊNCIAS INTERGOVERNAMENTAIS

576.950,00

576.950,00

0,00

0,00

145.075,19

25,15

431.874,81

TRANSFERÊNCIAS DE INSTITUIÇÕES

 

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DO EXTERIOR

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE PESSOAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE OUTRAS INSTITUIÇÕES

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE CONVÊNIOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

INTEGRALIZAÇÃO DO CAPITAL SOCIAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITA DA DÍVIDA ATIVA PROVENIENTE DE

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

  MUNIcÍPIO DE JABOTI RELATÓRIO RESUMIDO DA EXEcUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - REcEITAS ORÇAMENTO
 

MUNIcÍPIO DE JABOTI RELATÓRIO RESUMIDO DA EXEcUÇÃO ORÇAMENTARIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO - REcEITAS ORÇAMENTO FIScAL E DA SEgURIDADE SOcIAL MARÇO A ABRIL DE 2016

 

LRF, Art. 52, inciso I, alíneas "a" e "b" do inciso II e § 1º -

 

Página: 2 /

2

   

Previsão

 

Receitas realizadas

 

Saldo a realizar (a - c)

 

RECEITAS

Previsão Inicial

atualizada(a)

No bimestre (b)

% (b/a)

Até o bimestre

% (c/a)

RECEITA AUFERIDA POR DETENTORES DE

 

0,00

0,00

 

0,00

 

0,00

0,00

 

0,00

0,00

RECEITAS DE ALIENAÇÃO DE CERTIFICADOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DEDUÇÕES DA RECEITA

 

(2.346.984,00)

(2.346.984,00)

 

(319.901,03)

13,63

(731.267,36)

31,16

(1.615.716,64)

RENÚNCIA

 

0,00

0,00

 

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RESTITUIÇÕES

 

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DESCONTOS CONCEDIDOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

DEDUÇÃO RECEITA FORMAÇÃO DO

(2.346.984,00)

(2.346.984,00)

 

(319.901,03)

13,63

(731.267,36)

31,16

(1.615.716,64)

DEDUÇÃO RECEITA FORMAÇÃO DO

(2.346.984,00)

(2.346.984,00)

(319.901,03)

13,63

(731.267,36)

31,16

(1.615.716,64)

RECEITA DE CAPITAL

   

0,00

0,00

 

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

ALIENAÇÃO DE BENS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS RECEITAS DE CAPITAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OUTRAS DEDUÇÕES

 

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

RECEITAS INTRA-ORÇAMENTÁRIAS (II)

 

0,00

0,00

 

0,00

 

0,00

0,00

 

0,00

0,00

SUBTOTAL DAS RECEITAS (III)=(I+II)

15.500.000,00

16.140.000,00

 

2.108.943,14

 

13,07

4.850.436,93

 

30,05

11.289.563,07

OPERAÇÕES DE CRÉDITO - REFINANCIAMENTO (IV)

 

0,00

0,00

 

0,00

 

0,00

0,00

 

0,00

0,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO INTERNAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

MOBILIÁRIA

 

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

CONTRATUAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

OPERAÇÕES DE CRÉDITO EXTERNAS

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

MOBILIÁRIA

 

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

CONTRATUAL

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

0,00

SUBTOTAL COM REFINANCIAMENTO (V) = (III+IV)

15.500.000,00

16.140.000,00

 

2.108.943,14

 

13,07

4.850.436,93

 

30,05

11.289.563,07

DÉFICIT (VI)

 

0,00

0,00

 

(203.031,46)

 

0,00

0,00

 

0,00

0,00

TOTAL (VII) = (V + VI)

 

15.500.000,00

16.140.000,00

 

1.905.911,68

 

11,81

4.850.436,93

 

30,05

11.289.563,07

SALDO DE EXERCÍCIOS ANTERIORES

 

0,00

0,00

 

0,00

 

0,00

0,00

 

0,00

0,00

SUPERÁVIT FINANCEIRO

0,00

0,00

0,00

0,00

1.204.637,19