Você está na página 1de 1

REFLEXÃO SOBRE OS DIAS

DE DESCANSO
MONOTEÍSTAS
O DIA DO SENHOR SABATISTA (SHABBAT DA RESSURREIÇÃO)
E O SÁBADO (SHABBAT MOSAICO): Os batista acreditam que o
crente não precisa guardar o Sábado judaico pois o mesmo passou
junto com a Lei, e que deve ao invés disto dedicar o primeiro dia
da semana, a Dominga (o Domingo ou, no caso do batista
sabatista, o Sábado Santo da Ressurreição de YAOHÚSHUA
[http://www.gotquestions.org/portugues/Jesus-sexta-feira.html],
para a obra exclusiva do Senhor ( Atos 20.7; Col 2.14-17; Gal 4. 9-
11; João 20:19; I Cor 16.1-2; Hebr 10.24-25). [Atenção: o Sábado é
Santo e Cristão, pois o Cristo ressuscitou num Shabbat
[http://gracamaior.com.br/ibsd-x-outras/jesus-nao-ressuscitou-no-
domingo.html] (os crentes Batistas do Sétimo Dia o afirmam,
outros teólogos não sabem exatamente quando Ele ressurgiu,
mas sabem que foi antes do nascer do sol na Dominga (João
20:1, Maria de Magdala veio “de madrugada, sendo ainda
escuro”, e a pedra tinha sido deslocada, e ela, ao encontrar
Pedro, disse: “levaram o Senhor do sepulcro”) de modo que Ele
pode ter ressuscitado bem cedo, logo depois do pôr-do-sol
Sábado à noite, que começou no Primeiro Dia da Semana dos
judeus)].

ATAQUE: o Adventista e o Batista sabatista posicionam-se


juntos para guardar o Sétimo dia, mas os Adventistas condenam os
que não o fazem e afirmam que “guardar” a Dominga exclusiva (o
Domingo "Dies Solis" [Oitavo Dia] / "o Primeiro Dia da Semana")
constitui o “sinal da Besta”. Os batistas Sabatistas fazem também
uma divisão da Lei entre Moral e Cerimonial, mas sem base bíblica
para alguns teólogos, e classificam a guarda do Sábado Mosaico
como fazendo parte da Lei Moral.