Você está na página 1de 2

A Empresa de Transporte e sua responsabilidade civil e

penal pelo dano Ambiental

Imagine a seguinte situação: uma empresa que manuseia e


transporta produtos perigosos e se encontra instalada
perto de um rio, e em um determinado dia vários
peixes aparecem boiando nas margens. Após análise
pelos órgãos ambientais, chega-se a conclusão de que
os peixes estão contaminados com um dos produtos
que esta empresa manuseia e transporta para terceiros e
que esta deve ser penalizada pela situação, mesmo
tendo toda a documentação de licenciamento em dia.

Analisando a legislação ambiental em vigor temos de


ter em mente que, neste caso, o que conta é o
dano e não a culpabilidade, ou seja, mesmo que
cumpridos todos os regulamentos legais, a
responsabilidade pela reparação do dano é
indispensável.

O mesmo ocorre quando o assunto é passivo


ambiental. Uma empresa que vendeu suas propriedades
pode ser acionada por dano quando houver uma
contaminação no solo, por exemplo. A lei é
extremamente rigorosa em relação ao passivo
ambiental, pois estabelece uma responsabilidade
independente de culpa. "A indenização não se dá só
por conta do dano provocado ao meio ambiente, como
bem de interesse da coletividade,, mas também pelo
dano material e moral sentido pelas pessoas,, pois a
contaminação ambiental pode gerar um estresse e
perdas materiais para a população envolvida. Nestes
casos, ao contrário de multas administrativas, que
têm parâmetros, a indenização não tem teto e pode
levar uma empresa a falência”.

O gerador de passivo ambiental deverá ser sempre


responsável pelos mesmos, independentemente da venda
ou da contratação de empresa de transporte
licenciada ou não. Esta foi uma grande conquista da
legislação ambiental vigente (Lei de Crimes
Ambientais) e que está contemplada na nova Política
Nacional de Resíduos Sólidos, uma das bandeiras
defendidas pela entidade. “Eximir o gerador da
responsabilidade pelos resíduos, mesmo após sua
destinação, significa abrir uma porta para formação
indiscriminada de passivos ambientais”. Em todos os
países industrializados do primeiro mundo, o gerador
permanece responsável pelos resíduos
indeterminadamente. E aqui no Brasil não muito diferente.

Portando empresário, analise muito bem os seguintes pontos:


que tipo de empresa esta cuidando do transporte de seus
produtos perigosos (tem licença para tal, possui plano de
emergência e etc.), se esta ocorrendo contaminação em sua
propriedade devido ao mau manuseio e até mesmo quando se vá
adquirir alguma outra área para sua empresa, se esta possui
algum tipo de passivo ambiental.