P. 1
TEMPERATURA E DILATAÇÃO - EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO E TESTES

TEMPERATURA E DILATAÇÃO - EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO E TESTES

|Views: 3.157|Likes:

More info:

Published by: Armando Ferreira Alvferreira on Feb 25, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/01/2013

pdf

text

original

TEMPERATURA E DILATAÇÃO - EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO E TESTES DE VESTIBULARES

1. (Direito.C.L./96) Duas esferas, feitas do mesmo material, uma oca e outra maciça, possuem raios iguais. Quando ambas forem submetidas à mesma elevação de temperatura, a relação entre o aumento de volume externo da esfera oca e o aumento da esfera maciça é: a. b. c. d. e. 1 1/3 1/9 1/27 depende do valor do diâmetro da esfera

2. (UFLA-95) Uma barra de ferro homogênea, é aquecida de 10ºC até 60ºC. Sabendo-se que a barra a 10ºC tem um comprimento igual a 5,000m e que o coeficiente da dilatação linear do ferro é igual 1,2 x 106 ºC-1, podemos afirmar que a variação de dilatação ocorrida e o comprimento final da barra foram de:

a. b. c. d. e.

5x10-3m; 5,005m 2x10-3m; 5,002m 4x10-3m; 5,004m 3x10-3m; 5,003m 6x10-3m; 5,006m

3. (Direito.C.L./98) No verão, os termômetros da cidade do Rio de Janeiro acusam temperaturas de até 40ºC. Qual o valor dessa temperatura na escala Kelvin? a. b. c. d. e. 233K 72K 104K 313K 133K

4. (FAFIC) Uma ponte de aço tem 1.000m, à temperatura de 20ºC. Quando a temperatura atingir 40ºC, o seu comprimento estará: ( dado a = 11 x 10-6 ºC-1 ) a. b. c. d. entre 1000 e 1010m entre 1100 e 1200m igual a 1000m entre 900 e 1000m

5. (UNIPAC-97/02) buscando satisfazer uma diversificada clientela algumas operadoras de turismo lançaram a "viagem surpresa": a pessoa compra um pacote para um local desconhecido, só sabendo seu destino ao desembarcar. A única informação é dada alguns dias antes da viagem e refere-se à temperatura média no local a ser visitado. Numa dessas viagens, um passageiro recebeu o seguinte comunicado: a temperatura média local à época da viagem é 82ºF. Esse passageiro deve: a. b. c. d. levar chapéu, filtro solar, bermudas e roupas leves. levar agasalhos leves, pois o clima é ameno. precaver-se com capotes e agasalhos de lã, pois nessa temperatura há possibilidade de encontrar neve. desistir de viajar, pois a temperatura é tão baixa que dificilmente conseguirá sair do hotel.

6. (UFMG-95) Essa figura mostra um disco metálico de raio R com um orifício também circular, concêntrico, de raio r.

X e Y.10-3 ºC-1. 7. 12. na escala Celsius. Calcule. aquecidas até outra temperatura. a relação entre esses raios é R = 2r. d. (PUC RS 99) Podemos caracterizar uma escala absoluta de temperatura quando a. 10. (UFOP-95) Um frasco de vidro. R’ = r’. c. o coeficiente de dilatação linear do vidro. cujo volume é 1000 cm3 a 0ºC. sendo L0 o seu comprimento à temperatura t0 e a o coeficiente de dilatação do material da barra. . R’ = 3r’. (UFMG 99) . b. R’ = 2r’. então. e. a barra X tem o dobro do comprimento da barra Y . os termômetros da cidade do Rio de Janeiro acusam temperaturas de até 40ºC. d. 9. é descrito pela expressão L = L0 + L0 a (t t0 ) . Calcule: a. a temperatura que corresponde ao valor 140 na escala X. (UFOP-93) Uma determinada escala de temperatura X atribui o valor 32 para o ponto de fusão normal do gelo e o valor de 212 para o ponto de ebulição normal da água. a. associamos o zero da escala ao estado de energia cinética máxima das partículas de um sistema. na escala Celsius.À temperatura t1 = 20ºC. A uma certa temperatura. À temperatura t2 = 40ºC. associamos o zero da escala ao estado de energia cinética mínima das partículas de um sistema. Qual o valor dessa temperatura na escala Fahrenheit? E na escala Kelvin? 11. Dado: coeficiente de dilatação cúbica do mercúrio: r = 0. No verão. a relação entre os raios do disco R’ e do orifício r’ será a. a. associamos o zero da escala ao ponto de fusão do gelo. a temperatura que corresponde ao valor 154 na escala X. R’ = 4r’. o aumento de volume sofrido pelo mercúrio. dividimos a escala em 100 partes iguais. Calcule. Uma determinada escala de temperatura X atribui o valor -30 para o ponto de fusão normal do gelo e o valor de 200 para o ponto de ebulição normal da água. em função de sua temperatura t . O comprimento L de uma barra. associamos o valor 100 da escala ao ponto de ebulição da água.18. Estabeleça a relação entre a escala Celsius e a escala X. 8. está completamente cheio de mercúrio a essa temperatura. o que provoca uma dilatação D X na barra X e D Y na barra Y. Essas barras são. c. Considere duas barras. feitas de um mesmo material. b. b. Estabeleça a relação entre a escala Celsius e a escala X. Quando o conjunto é aquecido até 200ºC transbordam 34 cm3 de mercúrio. b. b.

e. c. Suponha agora que a temperatura do sistema. 14. tempo e velocidade tamanho inicial. oca. Numa dada temperatura . 0. Sendo o coeficiente de dilatação linear do material do recipiente e o coeficiente de dilatação volumétrica do líquido. se houver diminuição da temperatura do sistema. b.0017 cm3 0. permanece em equilíbrio. e. . d. c. D X = 2 D Y 13. b. c. a razão entre a massa e o volume da esfera é igual à densidade do óleo diesel.0034 cm3 0. foi construída de tal forma que. enche-se completamente um recipiente com um líquido. b.A relação CORRETA entre as dilatações das duas barras é a. antes da variação da temperatura. e. seja lentamente alterada. d. b. sofrerá um acréscimo de volume de: a. Assinale a opção que contém as três grandezas corretas: a. (PUC MG 99) O coeficiente de dilatação linear do cobre é 17 x 10-6 oC-1. (PUC MG 98) Uma esfera de aço. c. d. A dilatação térmica dos sólidos depende diretamente de três fatores ou grandezas. de forma que seja sempre mantido o equilíbrio térmico. 16. Então. tanto o óleo diesel quanto a esfera sofrerão dilatação. se houver elevação da temperatura. se houver elevação da temperatura. é INCORRETO afirmar que: a.5 x 10-4 o -1 C . a esfera tenderá a flutuar. variação da temperatura e tempo . ao ter sua temperatura elevada de 1oC. d. d. c. quando completamente mergulhada em óleo diesel à temperatura de 25oC. natureza do material e variação da temperatura tamanho inicial. formada pela bola e pelo óleo diesel. Sobre essa situação. a razão entre a massa e o volume da esfera se tornará menor do que a densidade do óleo diesel. D X = D Y . natureza do material e velocidade tamanho inicial. tanto o óleo diesel quanto a esfera diminuirão de volume. b. uma esfera de cobre de volume 1m3. tamanho inicial. Sabe-se que o coeficiente de dilatação linear do aço é a = 11 x 10-6 oC-1 e que o coeficiente de dilatação volumétrica do óleo diesel é 9. sem afundar nem emergir. caso haja diminuição da temperatura do sistema. D X = 4 D Y .0051 cm3 17 cm3 51 cm3 15. é correto afirmar que o líquido transbordará do recipiente para uma temperatura T’>T se a.

17. Calcule o aumento que esta chapa irá sofrer quando for submetida a uma temperatura duas vezes maior. Um recipiente de vidro (g = 5 x 10-6 ºC-1). Ao ser aquecido a 60ºC. Uma barra de determinado material possui comprimento de 10m à temperatura ambiente (20ºC) e comprimento de 10. quando submetida à uma temperatura de 220ºC. nota-se que foram derramados 0.22dm3 ºC 377K .24cm3 0. Uma placa de ferro tem área de 200cm2 quando está submetida a uma temperatura de 30ºC. sabendo-se que o seu coeficiente de dilatação volumétrica vale 6x10-6ºC-1. GABARITO 1 23456 7 8 a) 36cm3 b) 1x105 ºC-1 a) b)80ºC 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 a d d a a b a) b) 60º 104ºF 5x10e b d e d d c 5 -1 0. de volume igual a 100dm3 está completamente cheio de álcool à temperatura ambiente (20 ºC). Um cubo tem volume de 1m3 a 10ºC.2dm3. Calcule a dilatação real do líquido. 18. 20.1m. Dado a -5 -1 ferro=2x10 ºC 19. Calcule o coeficiente de dilatação deste material. Calcule o seu volume a 60ºC.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->