P. 1
Adilson-formatado

Adilson-formatado

|Views: 17.672|Likes:
Publicado porAdilson Ribeiro

More info:

Published by: Adilson Ribeiro on Mar 13, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/06/2015

pdf

text

original

Em outubro de 1977, acontece a Primeira Conferência Internacional de
Tbilisi, que acontece na Geórgia (ex-URSS) organizada pela Unesco em parceria
com o Programa das Nações Unidades para o Meio Ambiente (Pnuma),
fortemente inspirada pela Carta de Belgrado e exclusivamente voltada à temática
para Educação Ambiental, um evento que contribui favoravelmente para o
Programa Internacional de Educação Ambiental, responsável por definir
princípios, objetivos, características, estratégias e ações que sejam pertinentes a
nível nacional e internacional.
Postulou-se na primeira Conferência de Tbilisi8

que a Educação

Ambiental é um elemento essencial para uma educação formal9

e não formal10

, e
que dela resultarão benefícios para a humanidade. Chegou-se à conclusão de que

8

Tbilisi - Capital da República da Geórgia.

9

Educação Formal - São formas de ensino regular da educação, oferecida pelos
sistemas formais de ensino em escolas, faculdades, universidades e outras
instituições, que geralmente se constitui numa ""escada"" contínua de ensino em
tempo integral para crianças e jovens, tendo início, em geral, na idade de cinco, seis
ou sete anos e continuando até os 20 ou 25.

10

Educação Não-Formal – São atividades ou programas organizados fora do sistema
regular de ensino, com objetivos educacionais bem definidos.

17

a educação deveria, simultaneamente, preocupar-se com a conscientização, a
transmissão de informação, o desenvolvimento de hábitos e a promoção de
valores, bem como estabelecer critérios e orientações para a solução dos
problemas, sendo assim organizar estratégias internacionais para ações no
campo da educação e formação ambiental.

3.4.1 A Declaração da Educação Ambiental em Tbilisi de 1977 (objetivos,
categorias e princípios)

A Declaração de Tbilisi de 1977, a exemplo das manifestações
internacionais anteriores, também entendeu que a educação ambiental é o
resultado da reorientação e compatibilidade de diferentes disciplinas e
experiências educacionais que facilitam a percepção desses problemas
relacionados às questões ambientais. Ela propõe proporcionar capacitação para
ações suficientes às necessidades sócio-ambientais definindo como objetivos
dessa educação ambiental os seguintes:
1) Fomentar plena consciência e preocupação sobre a interdependência
econômica, social, política e ecológica nas áreas urbanas e rurais;
2) Proporcionar, a cada pessoa, oportunidades de adquirir
conhecimento, valores, atitudes, compromisso e habilidades
necessários para proteger e melhorar o meio ambiente;
3) Criar novos padrões de comportamento de indivíduos, grupos e
sociedade como um todo em favor do ambiente.

Na elaboração da Declaração de Tbilisi de 1977 esses objetivos foram
divididos nas seguintes categorias:
1) Consciência: ajudar grupos sociais e indivíduos a adquirir
consciência e sensibilidade para o ambiente e problemas conexos;

18

2) Conhecimento: ajudar grupos sociais e indivíduos a ganhar uma
variedade de experiências e adquirir uma compreensão básica do
ambiente e problemas conexos;
3) Atitudes: ajudar grupos sociais e indivíduos a adquirir um conjunto
de valores e sentimentos de preocupação pelo ambiente e motivação
para ativamente participarem na melhoria da proteção do ambiente;
4) Habilidades: ajudar grupos sociais e indivíduos a adquirir
habilidades para identificar e resolver problemas ambientais;
5) Participação: providenciar para grupos sociais e indivíduos a
oportunidade de ser ativamente envolvido em trabalhos para solução
de problemas ambientais.

Ainda na Declaração de Tbilisi de 1977 são editados os princípios
norteadores da educação ambiental, para o entendimento dos que exararam este
importante documento internacional. De acordo com estes princípios a educação
ambiental deve:

1) Considerar o ambiente em sua totalidade - natural, artificial,
tecnológico e social (econômico, político, histórico-cultural, ético e
estético);
2) Ser um processo contínuo ao longo da vida, iniciando-se na pré-
escola e prosseguindo por todos os estágios seguintes, formais e não
formais;
3) Ser interdisciplinar em sua abordagem, utilizando o conteúdo
específico de cada disciplina para tornar possível uma perspectiva
equilibrada e holística;

19

4) Examinar as questões ambientais maiores a partir dos pontos de vista
locais, nacionais, regionais, e internacionais, para que os estudantes
recebam informações sobre as condições ambientais em outras áreas
geográficas;
5) Focar em questões ambientais potenciais e atuais sem descontar na
perspectiva histórica;
6) Promover o valor e a necessidade da cooperação, local, nacional e
internacional, na prevenção e solução de problemas ambientais;
7) Explicitamente considerar os aspectos ambientais em planos para o
desenvolvimento e crescimento;
8) Capacitar estudantes a terem um papel no planejamento de suas
experiências de aprendizagem e providenciar-lhes oportunidade de
tomar decisões e aceitar suas consequências;
9) Relacionar, para todas as idades, sensibilidade ambiental,
conhecimentos, habilidades de solução de problemas e valores, mas
com especial ênfase em sensibilidade ambiental para os aprendizes
da comunidade em tenra11

idade;
10) Ajudar aprendizes a descobrirem sintomas e causas reais de
problemas ambientais;
11) Enfatizar a complexidade dos problemas ambientais, e a necessidade
de se desenvolver consciência crítica e habilidades de solução de
problemas;
12) - Utilizar diversos ambientes de aprendizagem e uma ampla coleção
de métodos educacionais, para que se possa ensinar, aprender sobre,
e aprender do ambiente, com a devida atenção em atividades práticas
e experiências originais.

11

Tenra - escoteiro novato, inexperiente, que em campo dá mostras de não se saber
desenrascar nem de trabalhar em equipa.

20

Importa mencionar ainda os seguintes acontecimentos mundiais que
contribuíram para a discussão da importância e das políticas de educação
ambiental: "Encontro Regional de Educação Ambiental para América Latina"
em San José, Costa Rica (1979); "Seminário Regional Europeu sobre Educação
Ambiental para Europa e América do Norte", onde se destacou a importância de
intercâmbio de informações e experiências (1980); "Seminário Regional sobre
Educação Ambiental nos Estados Árabes", em Manama, Bahrein (1980); “O
Seminário sobre a Energia e a EA” em Monte Carlo, Mônaco, Europa (1981).
O Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) decreta a Resolução
001/86 para implementação da Avaliação de Impacto Ambiental (AIA) (1986);
O Ministério de Educação (MEC) com o seu Plenário do Conselho Federal de
Educação aprovam por unanimidade o parecer 226/87 que propõe a inclusão da
EA dentro dos conteúdos curriculares das escolas de 1º e 2º graus em (1987); em
1988, especialistas da América Latina, a convite do governo venezuelano, com o
apoio do Orpal/Pnuma12

, reúnem-se em Caracas para discutir sobre a Gestão
Ambiental na América Latina, e, a partir daí, elaborando a Declaração de
Caracas. Em fevereiro de 1989 a Lei 7335 cria o Ibama, com a finalidade de
formular coordenar e executar a política nacional do meio ambiente. Nota-se que
os anos de 1970 e 1980 foram ávidos por discussões regionalizadas em educação
ambiental e o desenrolar da política ambiental no Brasil e no mundo.

12

Seminário Latino-Americano de Educação Ambiental em Buenos Aires/Argentina –
PNUMA e UNESCO em 1988.

21

4 A LEGISLAÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL E
SUSTENTABILIDADE

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->