P. 1
apostila-modulo-a

apostila-modulo-a

|Views: 4.904|Likes:
Publicado porshivarno

More info:

Published by: shivarno on Mar 15, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/26/2013

pdf

text

original

Sections

  • 1 – A doutrina não são costumes
  • 2 – A doutrina não é dogma
  • 3 – A doutrina não é um conjunto de normas
  • 1 – Por que conhecer as doutrinas?
  • 2 – As doutrinas e a maturidade espiritual
  • 3 – As doutrinas e sua proteção
  • 4 – As doutrinas e a comunhão com Deus
  • 1 – Quais os termos usados para se referir às Escrituras?
  • As categorias da revelação divina
  • A revelação geral
  • A revelação especial
  • III - A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS
  • 1 - Os rivais das Escrituras
  • IV - A INSPIRAÇÃO DAS ESCRITURAS
  • 1 - O que é inspiração divina?
  • 2 - As teorias sobre a inspiração
  • 3 - A teoria correta da inspiração divina
  • V - A INERRÂNCIA DAS ESCRITURAS
  • O que significa?
  • O que garante a inerrância bíblica?
  • VI – O CÂNON DAS ESCRITURAS
  • 1 - O que significa cânon?
  • 2 - A formação do cânon
  • 3 - Considerações fundamentais sobre a canonização das Escrituras
  • 4 - Quais foram os princípios usados?
  • VII – O ESPÍRITO SANTO E AS ESCRITURAS
  • 1 - A inspiração
  • 2 - A regeneração
  • 3 - A iluminação
  • VIII – A INTERPRETAÇÃO DAS ESCRITURAS
  • Como interpretar corretamente?
  • I – A EXISTÊNCIA DE DEUS
  • 1 - A existência de Deus é subentendida
  • 2 - A existência de Deus pode ser provada?
  • II – A NATUREZA DE DEUS
  • 1 - Os nomes de Deus
  • 2 - Deus é chamado de “El”
  • 3 - Deus é chamado de “Elohim”
  • 4 - Deus é chamado de “Eloah”
  • 5 - Deus é chamado de “Yahweh”
  • 6 - Deus é chamado de “o Senhor dos Exércitos”
  • 7 - Deus é chamado de “Adonai”
  • 8 - Deus é chamado de “Pai”
  • III – A ESSÊNCIA DE DEUS
  • 1 - Deus é Espírito
  • 2 - Deus é Eterno
  • 3 - Deus é Infinito
  • 4 - Deus é Auto-existente
  • IV – OS ATRIBUTOS NATURAIS DE DEUS
  • 1 - Deus é Onipotente
  • 2 - Deus é Onisciente
  • 3 - Deus é Sábio
  • 4 - Deus é Soberano
  • 5 - Deus é Imutável
  • V – OS ATRIBUTOS MORAIS DE DEUS
  • 1 - Deus é Santo
  • 2 - Deus é Justo
  • 3 - Deus é Fiel
  • 4 - Deus é Misericórdia
  • 5 - Deus é Amor
  • 6 - Deus é Bondade
  • VI – A TRINDADE DE DEUS
  • 2 - A origem do termo
  • 3 - A Trindade no Antigo Testamento
  • 4 - A Trindade no Novo Testamento
  • 5 - Ilustrações sobre a Trindade
  • VII – CRENÇAS ERRÔNEAS A RESPEITO DE DEUS
  • 1 - O Agnosticismo
  • 2 - O Politeísmo
  • 3 - O Panteísmo
  • 4 - O Materialismo
  • 5 - O deísmo
  • INTRODUÇÃO
  • 1 - Quem é Jesus Cristo?
  • 2 - Atributos Divinos
  • 3 - Obras Divinas
  • I - AS DUAS NATUREZAS DE JESUS CRISTO
  • 1 - Duas naturezas unidas em Jesus
  • 2 - A necessidade de um Salvador “homem”
  • 3 - A necessidade de um Salvador “Filho de Deus”
  • 5 - Jesus Cristo nos redimiu
  • II – OS OFÍCIOS DE CRISTO
  • III – A OBRA DE CRISTO
  • 1 - Sua morte
  • 2 - Sua ressurreição
  • 3 - Sua Ascensão
  • IV – OS BENEFÍCIOS DA CRUZ
  • I – A natureza do Espírito Santo
  • II – O Espírito Santo como um ser pessoal
  • III – O Espírito Santo na Bíblia
  • 1 - No Antigo Testamento
  • 2 - Nos Evangelhos
  • 3 - No livro de Atos e nas Epístolas
  • IV – O derramamento do Espírito Santo
  • V – O Batismo no Espírito Santo
  • 1 - Um acontecimento histórico coletivo
  • 2 - Uma dádiva imediata à conversão do crente
  • 3 - Um recebimento especial do Espírito
  • 4 - O Batismo no Espírito Santo produz frutos
  • 5 - Como receber o Batismo no Espírito Santo
  • VI – A Obra do Espírito Santo na Vida Cristã
  • 1 - Convicção (Jo 16:7-11)
  • 2 - Regeneração (Ef 2:1; Tt 3:5)
  • 3 - Habitação (Jo 14:17)
  • 4 - Santificação (Ef 3:16)
  • 5 - Revestimento de Poder (At 1:8)
  • VII – Os Dons do Espírito Santo
  • 1 - Dom da Palavra de Sabedoria
  • 2 - Dom da Palavra de Conhecimento
  • 3 - Dom de Discernimento de Espíritos
  • 4 - Dom de Profecia
  • 5 - Dom de variedade de Línguas
  • 6 - Dom de Interpretação de Línguas
  • 7 - Dom de Cura
  • 8 - Dom da Fé
  • 9 - Dom de Operação de Milagres

CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA

O ser humano age de acordo com o seu pensamento. O pensamento por sua vez é conseqüência de conhecimentos adquiridos através dos sentidos, do ensino, do exemplo, da experiência ao longo da vida e etc. Sendo assim, é importante que o ser humano tenha um conhecimento correto e equilibrado acerca de Deus, para que desta forma o seu pensamento seja correto e, por conseguinte, as suas atitudes venham se harmonizar com a vontade de Deus. Todavia, isto só será possível se ele tiver o conhecimento das doutrinas bíblicas Infelizmente muitas pessoas têm idéias completamente equivocadas a respeito de Deus e por isso elas vivem um estilo de vida censurável aos olhos de Deus. Precisamos entender que é impossível fazer a vontade de Deus sem ter o conhecimento das doutrinas bíblicas. Foi por esse motivo que Deus deu os Dez Mandamentos a Moisés para que ensinasse ao povo de Israel (Ex. 20:1-7), foi por causa disso que Jesus, incansavelmente ensinava e pregava com grande autoridade sobre o reino de Deus (Mt. 4:23; 9:35), foi por essa razão que os apóstolos pregavam o evangelho e ensinavam as doutrinas cristãs em várias cidades, como Jesus havia ordenado (Mt. 28; At. 2:42; 11:2526; I Tm 2:5-7). Portanto, é imperativo que os cristãos conheçam as doutrinas bíblicas. Antes de abordarmos as doutrinas bíblicas propriamente ditas, precisamos entender a definição da doutrina, o valor da doutrina e qual é o sistema de doutrina que vamos usar nesse curso. Vamos começar pela definição da doutrina.

Introdução

- MÓDULO A -

A definição da Doutrina

As verdades acerca de Deus foram reveladas por meio de três fontes: do Antigo Testamento, dos ensinamentos de Jesus Cristo e das revelações que o apóstolo Paulo recebeu da parte do nosso Senhor.

Doutrina, biblicamente falando, é o corpo de ensino que foi ministrado e padronizado pelos apóstolos do Senhor Jesus Cristo. (At. 2:42; 5:28; I Tm. 1:3)

Os três textos bíblicos acima nos mostram três fatos sobre a doutrina: 1 – que os cristãos primitivos perseveravam especificamente nos ensinamentos dos apóstolos; 2 – que os apóstolos tinham uma doutrina completamente diferente do que era ensinado pelos líderes religiosos; ● ● ● 3 – que nenhuma pessoa poderia ensinar outra doutrina além daquela que os É impossível apóstolos haviam ensinado. fazer a Com isso, entendemos que os apóstolos tinham um corpo de ensino que foi ministrado e ao mesmo tempo padronizado por eles. A palavra doutrina no grego é “didaskalia”, que significa “doutrina, instrução e ensino”. Nas epístolas pastorais este vocábulo é usado quinze vezes para se referir aos “ensinamentos cristãos” e à “doutrina dos evangelhos”.

vontade de Deus sem ter o conhecimento das doutrinas bíblicas

Quando Paulo usou este termo em suas epístolas pastorais, ele estava se referindo a um “corpo de doutrinas” ou um “sistema doutrinário”. Essa doutrina do qual o apóstolo Paulo se referia eram as verdades acerca de Deus que foram reveladas por meio de três fontes: do Antigo Testamento (Rm 15:4; I Co 10:11), dos ensinamentos de Jesus Cristo (At 20:35; I Tm 6:3) e das revelações que ele (Paulo) havia recebido da parte de nosso Senhor Jesus Cristo (Gl 1:12).
Escola Bíblica - Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Marcelo Costa

1

CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA

- MÓDULO A Estas verdades que foram reveladas através destas três fontes é que foram ministradas e consideradas pelos apóstolos como a “sã doutrina” (I Tm 1:10; II Tm 4:3), “doutrina de Cristo” (Hb 6:1 II Jo 1:9), “doutrina de Deus” (Tt 2:10) ou simplesmente “doutrina” (I Tm 4:6; 4:16; 6:1; Tt 1:9). Para nossa felicidade, hoje nós podemos encontrar estes ensinamentos cristãos na Bíblia Sagrada, e são estes ensinamentos cristãos que vamos estudar nesse curso. Agora que você já sabe o sentido que Paulo usava da palavra “doutrina” nas suas epístolas pastorais, é importante também saber que o vocábulo “didaskalia” fora das epistolas pastorais se refere ao ato de “ensinar”, ou o “conteúdo do ensino”. Em outras passagens do Novo Testamento a palavra doutrina também é tradução de um outro termo grego, o “didache”, que pode igualmente significar o ato de “ensinar” ou o “conteúdo do ensino”. Este vocábulo é usado em mais porções do Novo Testamento para se referir aos ensinamentos de Jesus (Mt 7:28; Jo 7:16-17) e também aos ensinamentos dos apóstolos (At 2:42). Veja agora outra definição da doutrina: Doutrina é o conjunto de ensino baseado nos mandamentos de Deus, nos ensinamentos do Senhor Jesus e dos apóstolos contidos na Bíblia Sagrada. Tudo aquilo que precisamos saber sobre Deus nós vamos encontrar na Bíblia Sagrada. O Antigo e o Novo Testamento foram escritos para revelar todo o desígnio de Deus para o homem. Em II Tm 3:16 diz que “toda a Escritura é inspirada por Deus, com a finalidade de instruir o homem no tocante ao seu relacionamento com Deus. Durante esse curso você vai verificar que as doutrinas que serão expostas são encontradas tanto no Antigo Testamento como no Novo Testamento. É importante dizer que a Bíblia Sagrada é a única fonte onde podemos encontrar as verdades sobre o nosso Deus. Para encerrar esta parte, gostaria de expor como a doutrina foi definida pelo escritor Myer Pearlman em seu livro “Conhecendo as Doutrinas Bíblicas”, ele a definiu de duas maneiras: 1ª – As verdades fundamentais da Bíblia dispostas em forma sistemática; 2ª – É a revelação da verdade como se encontra nas Escrituras. Com certeza essas duas excelentes definições sobre a doutrina são importantes que você memorize.

O que não é Doutrina?

Antes de adentrarmos nessa parte, gostaria de dizer que não tenho nenhuma intenção de criticar ou menosprezar alguma igreja, mas apenas esclarecer o que não é doutrina. Doutrina não tem nada a ver com costumes que algumas igrejas evangélicas ● ● ● impuseram, exigindo das irmãs, por exemplo, que não cortem seus cabelos, que Costumes não compareçam à igreja com suas cabeças cobertas por um véu, que usem saias compridas, são regras que não usem brincos, batons, colares e etc. Já dos irmãos, por sua vez, exigem que eles bíblicas, e sim a não andem de bermuda, que não deixem o cabelo crescer, que compareçam à igreja de doutrina terno e gravata e etc. Para pessoas que freqüentam tais igrejas isso tudo é entendido contida nas como doutrina, todavia isso são costumes. Escrituras. Contudo, é importante dizer que respeitamos e entendemos, embora não ● ● ● concordamos, que certas igrejas que procedem desta forma e que os membros que as freqüentam fazem isso para honrarem a Deus. Neste caso, não temos o direito de criticálos.
Escola Bíblica - Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Marcelo Costa

1 – A doutrina não são costumes

2

CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA

- MÓDULO A O que queremos deixar claro é que “costumes” não são “regras bíblicas” e sim a doutrina contida nas Escrituras. Logo, devemos obedecer à doutrina bíblica e não os costumes estabelecidos por uma denominação.

2 – A doutrina não é dogma

Dogma é “a declaração do homem acerca da verdade quando apresentada em um credo” (Myer Pearlman).

Doutrina não é um credo feito por um homem ou por um grupo de líderes de uma determinada igreja baseado nas Escrituras; doutrina é a verdade pura e intacta revelada nas Escrituras.

A doutrina não é um conjunto de normas que se encontra em um livro produzido por uma determinada igreja, com o intuito de dizer o que o crente deve fazer ou não. O cristão não deve viver de acordo com as normas estabelecidas por uma denominação caso estas normas não estejam baseadas nos princípios éticos estabelecidos pela Palavra de Deus. Não obstante, muitas pessoas obedecem cegamente às leis, regras e normas impostas pelas suas igrejas que usam até mesmo um texto bíblico fora do seu contexto para dar base a estas leis. O pior de tudo isso é que em vez de isso ajudar as pessoas a viverem o cristianismo, acaba transformando essas pessoas em religiosos, que desobedecem as leis bíblicas por obedecerem às leis humanas.

3 – A doutrina não é um conjunto de normas

II – O VALOR DA DOUTRINA
1 – Por que conhecer as doutrinas?

O cristão deve conhecer as doutrinas bíblicas porque elas devem ser obedecidas. Como então o cristão poderá obedecer às doutrinas bíblicas se ele não tiver o conhecimento das mesmas? Não há como! Quando Jesus transmitiu ao povo e aos seus discípulos os seus ensinamentos, Ele queria não apenas que eles conhecessem, mas acima que acima de tudo, ● ● ● praticassem tudo aquilo que ensinou (Mt 7:24-27; Jo 14:21-14). A pessoa é Antes de Jesus ascender aos céus, Ele deu aos seus discípulos algumas incumbências reconhecida por que estão incluídas na “grande comissão”, e entre elas estava a incumbência de ensinar Jesus como de fato os futuros seguidores a obedecerem aos seus mandamentos (Mt 28:20). um cristão Paulo também tinha uma preocupação de que os seus seguidores praticassem verdadeiro quando todos os seus ensinamentos, porque para ele, a atitude de obedecer aos seus ela conhece seus ensinamentos seria uma evidência clara de que eles estavam livres do pecado e ensinamentos e os servindo a Deus (Rm 6:17). pratica. Infelizmente, além dos cristãos praticantes, as igrejas evangélicas são ● ● ● freqüentadas por duas classes de pessoas: aquelas que conhecem a Palavra de Deus, mas não a obedecem. Estas pessoas são chamadas de “teólogos”. E a outra classe de pessoas são aquelas que tentam fazer a vontade de Deus sem conhecimento da mesma. Estas pessoas são chamadas de “religiosos”. Para o teólogo, a Palavra de Deus é esta: “Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha” (Mt 7:24).
Escola Bíblica - Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Marcelo Costa

3

CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA

- MÓDULO A Para o religioso, a mensagem de Deus é esta: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (II Tm 2:15). A pessoa é reconhecida por Jesus como de fato um cristão verdadeiro quando ela conhece os seus ensinamentos e os pratica, portanto, precisamos conhecer e obedecer às doutrinas bíblicas.

28).

2 – As doutrinas e a maturidade espiritual

O cristão deve conhecer as doutrinas bíblicas porque elas desenvolvem a maturidade espiritual (Cl 1:26-

Descobrimos no texto acima que o principal objetivo do apóstolo Paulo, de anunciar, advertir e ensinar a todos os homens a respeito de Cristo era de aperfeiçoá-los em Cristo, ou seja, levá-los a um amadurecimento espiritual. Ao ler Hb 5:11-14, nós vamos entender que a doutrina era ministrada pelos mestres para produzir maturidade espiritual. Fica notório neste texto que os crentes que não absorviam os ensinamentos cristãos eram considerados, pelo autor desta epístola, imaturos espiritualmente falando. Aprendemos com estes dois textos bíblicos que a maturidade espiritual não é alcançada pelo tempo que nós temos em uma igreja, mas sim pelo conhecimento que possuímos das doutrinas e pela capacidade de praticálas. Existem muitas pessoas que tem muito tempo que freqüentam uma igreja, todavia elas não tiveram um desenvolvimento espiritual porque não absorveram aquilo que foi ensinado pelo pastor, de modo que não colocam em prática as doutrinas bíblicas. Se você quer crescer espiritualmente, é imprescindível o conhecimento das doutrinas bíblicas.

O cristão deve conhecer as doutrinas bíblicas porque elas o protege dos erros e das ● ● ● heresias (Mt 22:29; Rm 16:17; II Jo 9). Nós só Quando conhecemos as doutrinas bíblicas passamos a ter idéias corretas sobre Deus saberemos o e Sua vontade. Elas nos mostram o que é certo e o que é errado aos olhos de Deus. Elas são que é falso como uma bússola para o cristão. Se alguma coisa estiver sendo feita fora da vontade de quando Deus a doutrina bíblica nos mostra. Se alguma coisa estiver sendo dita ou ensinada fora da conhecermos vontade de Deus, elas nos revelam. o que é É por esta razão que os apóstolos advertiam os cristãos primitivos a permanecerem verdadeiro. nas doutrinas por eles expostas. Tudo aquilo que não concordava com as doutrinas era considerado, pelos apóstolos, uma heresia. ● ● ● Como você vai saber se o pregador, ou quem quer que seja, está falando a verdade? Através das doutrinas bíblicas. Quando conhecemos essas doutrinas, somos capazes de discernir o erro e de perceber heresias. Nós só saberemos o que é falso quando conhecermos o que é verdadeiro, portanto, conheça as doutrinas bíblicas e você não será enganado pelas heresias.

3 – As doutrinas e sua proteção

Os cristãos devem conhecer as doutrinas bíblicas porque elas os protegem dos erros e das heresias (Mt 22:29; Rm 16:17; II Jo 9).

Escola Bíblica - Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Marcelo Costa

4

se desejamos ter uma comunhão autêntica com o Pai e com o Filho. ensina que aquele que conhece a doutrina de Cristo e nela permanece. obedecer.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. desfruta de uma autêntica comunhão com o Pai e com o Filho. II Jo 9). por outro lado. ou seja. ele revela que aquele que ultrapassa a doutrina de Cristo e nela não permanece.MÓDULO A - O cristão deve conhecer as doutrinas bíblicas porque elas fortalece a nossa comunhão com o Pai e com o Filho (I Jo 2:24. nas suas epístolas. Marcelo Costa 5 . precisamos conhecer as doutrinas e nelas permanecer. este não tem Deus. Portanto. Escola Bíblica . É incoerente alguém dizer que tem comunhão com Deus e não conhece seus ensinamentos e não os obedecem. O apóstolo João.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 4 – As doutrinas e a comunhão com Deus .

o homem precisa de uma revelação”. ou Escrituras. precisamos conhecer a doutrina das Escrituras. 1 – Quais os termos usados para se referir às Escrituras? Vamos iniciar este estudo pelos termos que são empregados para se referir as Escrituras. Existem pelo menos quatro termos importantes que são usados para denominar as Escrituras. o último aparece em I Pe 4:11. B. O primeiro aparece quando Paulo usou este termo para fazer referência ao AT (Rm 3:2).MÓDULO A - A DOUTRINA DAS ESCRITURAS BIBLIOLOGIA “As verdades que informam o homem como passar da terra para o céu devem ser enviadas do céu a terra. Em outras palavras. Este termo vem do vocábulo grego “logia”. Escola Bíblica . onde Pedro ensinou que o pregador deveria falar de acordo com o que estava escrito nas Escrituras. é usado no NT para se referir aos livros sagrados do AT que foram reconhecidos pelo Senhor Jesus e pelos seus apóstolos como livros inspirados por Deus (II Tm 3:16). ESCRITURA(S) O termo Escritura. E por fim. Além disso. O segundo.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. A. C. Encontramos esse vocábulo em Lc 4:17. este termo é usado no NT para mencionar as cartas de Paulo que foram consideradas pelo apóstolo Pedro como cartas inspiradas por deus e que tinham o mesmo peso que as Escrituras do AT (II Pe 3:16). aparece quando o escritor de Hebreus usou esta palavra para fazer menção ao corpo da doutrina cristã que estava baseado no AT e nos ensinamentos do Senhor Jesus (Hb 5:12). se referindo ao rolo do profeta Isaías. Marcelo Costa 6 . que aparece três vezes no NT. (Myer Pearlman) “O cristianismo é a religião baseada na revelação que Deus fez de si mesmo” (John R. ORÁCULOS DE DEUS Os apóstolos tinham o hábito de chamar as Escrituras de “oráculos de Deus”.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Higgins) Por que as Escrituras existem? As Escrituras são fruto de uma invenção humana ou divina? As Escrituras são realmente inspiradas por Deus? As Escrituras contêm a Palavra de Deus ou é a Palavra de Deus? Existem erros nas Escrituras? Existem contradições nas Escrituras? Qual é a autoridade das Escrituras? Para respondermos a estas e outras perguntas sobre as Escrituras corretamente. BÍBLIA Este termo é derivado da palavra grega “biblion” que significa “rolo” ou “livro”.

Jo 12:50). Escola Bíblica . É instrutiva porque ela revela ao ser humano qual é a vontade de Deus (I Ts 4:6.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Pastor. Marcelo Costa 7 . O único meio de se conhecer a Deus é através da revelação que Ele fez de Si mesmo. Se Ele não se revelasse seria impossível o homem conhecê-Lo. A REVELAÇÃO DIVINA É INSTRUTIVA É instrutiva porque ela ensina ao ser humano os preceitos do Senhor (II Tm 3:16). As qualidades da revelação divina A. É benéfica porque através dela o ser humano tem a sua alma alimentada (Mt 4:4). É benéfica porque através dela o ser humano pode desfrutar de uma comunhão com Deus (I Jo 2:2324). A REVELAÇÃO DIVINA É SUFICIENTE É suficiente porque Deus revelou aquilo que é necessário para o ser humano saber a Seu respeito (Dt 27:27). Digo de modo real porque os escritores sagrados ouviram a Sua voz.MÓDULO A D. especialmente a comunicação da mensagem divina ao homem” (Charles C. provaram do Seu poder e foram guiados por Ele. Jo 10:35). Guia e Rei (Is 40:11. Higgins – Teologia Sistemática) Revelação divina “é um desvendamento. C. Ele se revelou usando termos de relacionamentos pessoais. como por exemplo. A REVELAÇÃO DIVINA É BENÉFICA É benéfica porque através dela o ser humano pode conhecer o seu Criador (At 14:15-17). I Pe 2:15. II .A REVELAÇÃO DIVINA O que é revelação divina? Literalmente falando “é o ato de tornar conhecido algo que antes era desconhecido. Pai. Além disso. Revelação divina foi o ato de Deus se comunicar com o homem de um modo real e pessoal (Nm 12:5:8. O escritor de Hebreus usou este termo para se referir ao AT e também aos ensinamentos do Senhor Jesus Cristo. É suficiente porque Deus revelou aquilo que é fundamental para a salvação do ser humano (I Tm 2:14). Ryrie – Bíblia Anotada) Revelação divina é o desvendamento que Deus fez de Si mesmo através dos Seus atos e de Suas palavras que foram registrados nas Escrituras. I Jo 2:17). amou e agiu. E de modo pessoal porque Ele falou. B. que posteriormente vieram a compor o NT através dos quatro evangelhos e das epístolas apostólicas. PALAVRA DE DEUS Este termo foi usado por Jesus quando Ele quis se referir ao AT (Mt 15:6. Sl 29:10). É benéfica porque através dela o ser humano obtém sabedoria para a salvação em Cristo (II Tm 3:1415). Amigo. Marido.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. (John R. o que estava escondido passa a ser conhecido”.

A revelação especial é especial porque possui cinco características importantes: Escola Bíblica . Tg 3:9). manifestando os Seus atributos invisíveis. É exclusiva porque todos os povos irão reconhecê-Lo como o único Deus (Rm 14:11). 9:6. o Seu eterno poder e Sua própria divindade (Rm 1:18-21). A REVELAÇÃO DIVINA É EXCLUSIVA É exclusiva porque surgiu do único Deus (I Tm 2:5-6). O UNIVERSO Deus se revela através do universo mostrando o Seu poder e a Sua glória (Sl 19:1-4). confirmando assim a Sua soberania (Dn 2:21). Deus se revelou de três modos: através da história da humanidade. e a segunda é revelar Deus de modo sobrenatural. Deus se revela através do universo. Deus se revela através do universo confirmando que é o Criador de todas as coisas. É exclusiva porque revela o único Deus (Jo 17:3). do universo e da natureza humana. A revelação geral diz respeito ao modo natural de Deus se revelar à humanidade. demonstrando o Seu poder (Sl 136). É exclusiva porque a mensagem de Deus é uma só e é destinada a todas as pessoas (Mc 16:15). a Fonte da Vida e a origem de toda a vida (At 17:22-27). A HISTÓRIA DA HUMANIDADE Deus se revelou através da história da humanidade quando agiu em favor do povo de Israel. C. A revelação geral tem como objetivo principal revelar Deus em todos os lugares. que não consegue revelar o plano de salvação feito por Deus. A. a nossa consciência e os nossos pensamentos nos acusam. através da razão humana. Deus se revela através da história da humanidade quando estabelece e remove as autoridades governamentais. auto-suficiente. As categorias da revelação divina A revelação geral Pela revelação geral. A revelação divina está dividida em duas categorias: a revelação geral e a revelação especial.MÓDULO A D. Quando esses conceitos morais são violados. demonstrando a Sua provisão (At 14:15-17). mostrando a Sua vontade soberana (Jo 4:34). a revelação especial se refere ao modo sobrenatural de Deus se revelar à humanidade. Deus se revela através do universo. Já a revelação especial tem duas intenções fundamentais: a primeira é complementar a revelação geral. É exclusiva porque é única e incomparável (II Tm 3:16).Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Deus se revela através da história da humanidade quando realiza os Seus propósitos da humanidade.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . B. que são chamados de “lei escrita no coração do homem” (Rm 2:11-15). Deus se revela por meio da natureza humana porque colocou os conceitos morais básicos. A NATUREZA HUMANA Deus se revela por meio da natureza humana porque fez o homem à sua imagem e semelhança (Gn 1:26-27. Marcelo Costa A revelação especial 8 .

A REVELAÇÃO ESPECIAL É PESSOAL – É pessoal porque Deus se revelou de modo pessoal através do seu filho Jesus. contudo. as Escrituras comunicam a revelação divina hoje. mesmo que essas experiências venham contra Escola Bíblica . não tem uma autoridade absoluta.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Com este argumento.para dar uma compreensão completa da Sua revelação. qualificar ou limitar a autoridade das Escrituras. A Bíblia não apenas contém a Palavra de Deus.Os rivais das Escrituras “Há uma diferença insondável entre a Bíblia e qualquer outro livro. querendo mostrar de algum modo que as Escrituras não têm autoridade divina e. O que isto significa? Significa que se uma pessoa tiver uma experiência mística. Além disso. uma experiência com o Espírito Santo. ela diz que esta revelação deve se sujeitar ao juízo final da razão humana. Ele usou uma linguagem que era compreendida pelo homem (Hb 1:12).para preservar e transmitir para todas as gerações a Sua revelação. afirma que é possível haver uma revelação divina. e sim a igreja. D. revelando por meio dele a Sua vontade (Hb 1:1-2). O misticismo ensina que a experiência pessoal com Deus tema mesma autoridade da Bíblia. a Bíblia. a igreja católica se viu na liberdade de criar mandamentos para que ela tivesse a mesma autoridade que a Bíblia. Higgins – Teologia Sistemática). as Escrituras do NT foram produzidas pela igreja cristã quando ela estabeleceu o cânon das Escrituras. 3º . (Dr. Clarke) Neste momento vamos analisar alguns pensamentos que tem procurado invalidar. B. David S. ou seja.MÓDULO A A. uma visão sobrenatural de um anjo. O ROMANISMO Este pensamento surgiu da igreja católica romana que prega que a Bíblia é um produto da igreja. Quais são esses pensamentos? O racionalismo diz que é impossível haver qualquer revelação sobrenatural. não tem a autoridade final no que tange a fé e prática. E por que mandou registrar? Por três motivos: 1º . III . através das Escrituras” (John R. A REVELAÇÃO ESPECIAL FOI PROGRESSIVA – Foi progressiva porque Deus não se revelou só uma vez. essas experiências pessoais tem a mesma autoridade da Bíblia. 2º . A REVELAÇÃO ESPECIAL É COMPREENSIVA – É compreensiva porque Deus usou a mesma linguagem que os autores bíblicos usavam. Embora ela admita a existência da revelação divina. entretanto. Essa diferença deve-se à sua origem”. “Deus falou no passado e continua falando hoje. B. ela é a Palavra de Deus. A REVELAÇÃO ESPECIAL É TRANSMITIDA – É transmitida porque a revelação de Deus é transmitida através das Escrituras. E. para a igreja católica. ou até mesmo superior a ela. ou tiver uma revelação profética. O RACIONALISMO C.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Marcelo Costa A. mas várias vezes durante um período de quinze séculos (Hb 1:1-2).A AUTORIDADE DAS ESCRITURAS 1 . A REVELAÇÃO ESPECIAL É REGISTRADA – É registrada porque Deus mandou registrar boa parte da Sua revelação. ou seja. ela diz que só os sacerdotes são capazes de interpretar corretamente a Bíblia e mais ninguém. C.para dar confiança ao ser humano sobre a Sua revelação. por conseguinte. São pensamentos que transmitem certas heresias sobre as Escrituras. Em outras palavras. “O que as Escrituras dizem. O MISTICISMO 9 . Logo. Deus diz” (Pinnock – Biblical Revelation). como por exemplo.

São A. B. Todas as profecias das Escrituras que estavam relacionadas à vida de Cristo foram cumpridas (Lc 24:44-48). A Bíblia foi escrita por mais ou menos quarenta autores diferentes. o Deus Criador (Mt 22:31.Por que as Escrituras têm autoridade absoluta? eles: Existem oito fatores que fazem das Escrituras autoridade absoluta no que diz respeito à fé e prática. A NECESSIDADE DAS ESCRITURAS A Bíblia é um livro indispensável porque só ela tem princípios universais que são imortais e imprescindíveis ao ser humano (II Tm 3:16). Escola Bíblica . AS SEITAS 2 . como seria a sua morte (Sl 22:16. C. O cumprimento das profecias bíblicas revela a existência de um Deus onisciente.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. no entanto. E mais. A UNIDADE DAS ESCRITURAS A Bíblia levou quinze séculos para ser concluída. Tudo deve ser julgado pela Palavra de Deus escrita (Gl 1:8-9). Mt 25:57-60). nenhuma palavra humana tem poder para abolir uma doutrina bíblica. Para o cristianismo. o local de seu nascimento (Mq 5:2. de modo especial. Hb 1:1-2). ela não acredita que possa encontrar nas Escrituras alguma revelação especial de Deus. que é soberano sobre a história.MÓDULO A aquilo que a Palavra de Deus ensina. todavia. portanto. Jesus Cristo. não só as experiências místicas como também os livros que eles publicam e as palavras que eles proferem. e desse modo. E. revelam. A Bíblia aborda vários assuntos. e considera Jesus Cristo como a única revelação especial de Deus.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Nenhuma experiência mística tem poder para abolir aquilo que a Palavra de Deus ensina. Ou seja. as Escrituras profetizaram o nascimento virginal de Cristo (Is 7:14. Por exemplo. que é o nosso Deus. os cristãos evangélicos acreditam que tanto as Escrituras quanto o Verbo Vivo. As seitas dizem que as experiências místicas dos seus líderes ou fundadores têm o mesmo peso de autoridade da Bíblia. Contudo. A NEO-ORTODOXIA A neo-ortodoxia desconsidera a Bíblia como um instrumento de revelação divina infalível. Marcelo Costa 10 . Jo 19:36) e o local do seu sepultamento (Is 53:9. as Escrituras têm autoridade absoluta sobre todas as coisas porque é a Palavra de Deus. A Bíblia é um livro indispensável porque só ela pode gerar fé no coração do ser humano (Rm 10:17). A Bíblia é um livro indispensável porque só ela tem poder para transformar e salvar o ser humano (Rm 1:16). nenhuma profecia tem a mesma autoridade que a Bíblia tem. contudo. esses assuntos se harmonizam com o propósito do autor das Escrituras. esse conjunto de livros possui uma unidade de assunto e propósito. entretanto. A exatidão das Escrituras é comprovada pela história e pela arqueologia moderna. Mt 2:6). o tempo não prejudicou a sua unidade de assunto e propósito. nenhuma experiência com o Espírito Santo pode invalidar um preceito bíblico. Mt 1:23). a autoridade absoluta das Escrituras é confirmada. A EXATIDÃO DAS ESCRITURAS A Bíblia contém várias profecias que já se cumpriram e que ainda vão se cumprir. A Bíblia é um conjunto de livros sagrados que foram escritos em três idiomas diferentes. a unidade de assunto e propósito foi preservada. A história de países que se envolveram com o povo de Israel confirma a história bíblica. D.

Com isso. veja o que disse o arqueólogo Willian F. 6 e 10). É um livro que serve de base para as leis de muitas nações modernas. 12:48-50.. 3:2. I Jo 1:5. H. na literatura e na música. Ap 1:1). A SOBREVIVÊNCIA DAS ESCRITURAS A Bíblia é um dos livros mais antigos do mundo e o mais publicado no mundo todo. F. É o livro mais lido de toda a história. vem sendo progressivamente desacreditado. As Escrituras influenciam a civilização. Bancroft). 8:26-28. É um livro que tem uma influência maravilhosa nas artes. G. É o livro mais citado entre os crentes e os incrédulos. Jesus confirmou a autoridade absoluta das Escrituras quando citou algumas passagens do AT (Mt 12:39-40). I Ts 2:13.. 4:2. O TESTEMUNHO DE JESUS SOBRE AS ESCRITURAS Jesus confirmou a autoridade absoluta das Escrituras quando apelou para elas no momento em que estava sendo tentado pelo diabo (Mt 4:4. como também tem sido objeto da mais implacável perseguição e oposição” (Emery H. Uma descoberta após outra tem confirmado a exatidão de pormenores. “A Bíblia não somente tem recebido mais veneração e adoração do que qualquer outro livro. E. Jesus confirmou a autoridade absoluta das Escrituras quando usou laguns textos do AT para apoiar seu ensino (Mt 19:4-5). e tem aumentando cada vez mais o reconhecimento do valor da Bíblia como fonte de informações exatas para a história”. Albright: “o ceticismo excessivo dirigido contra a Bíblia por escolas históricas importantes dos séculos XVIII e XIX. consola.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Jesus confirmou a autoridade absoluta das Escrituras quando chamou as Escrituras de Palavra de Deus ao esclarecer alguns preceitos do AT para os religiosos (Mc 7:6-13. Transforma vidas. 14:10). AS CONSEQUÊNCIAS DAS ESCRITURAS As conseqüências das Escrituras são consideradas como outro fator incontestável que comprova a sua autoridade absoluta. II Tm 3:16. alegra e instrui milhões de pessoas. II Pe 1:21. Marcelo Costa 11 . Jesus também afirmou que os seus ensinamentos tinham autoridade divina (Mt 7:24. Escola Bíblica . O fato de Jesus citar as histórias bíblicas confirma que elas eram verídicas. II Pe 3:2. Inspira. A Bíblia já foi traduzida para mais de dois mil idiomas. Mt 22:32). entendemos que as palavras de Jesus que se encontram no NT têm autoridade absoluta. Jo 7:15-17. O TESTEMUNHO DOS APÓSTOLOS SOBRE AS ESCRITURAS Os apóstolos também confirmaram a veracidade e a autoridade absoluta das Escrituras (Rm 3:2. A INFLUÊNCIA DAS ESCRITURAS Inegavelmente. Os apóstolos afirmaram que falavam com a autoridade divina (I Co 2:13. A Bíblia é um livro indestrutível porque sobreviveu a todas as perseguições que sofreu. Jesus confirmou a autoridade absoluta das Escrituras quando mostrou aos fariseus que a autoridade das Escrituras está acima das tradições religiosas (Mt 15:3-4). Jesus confirmou a autoridade absoluta das Escrituras quando disse que veio para cumpri-la e não para revogá-la (Mt 5:17).MÓDULO A Sobre arqueologia. as Escrituras têm uma influência extraordinária na sociedade humana. na arquitetura.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. D. I Co 2:9-16).

em guiá-los até no emprego correto das palavras e em preservá-los de todo erro. Porque uma vez que Deus age soprando na mente dos autores sagrados. apóstolos e escritores sacros foram habilitados para exporem a verdade divina sem nenhuma mistura de erro” (Webster – Conhecendo as doutrinas da Bíblia) Portanto. que literalmente significa “soprada por Deus”. a Bíblia é fruto de um ato sobrenatural e não de um ato natural. A TEORIA DA INSPIRAÇÃO NATURAL Esta teoria diz que a Bíblia foi escrita por homens que tinham aptidões naturais para as idéias religiosas. foi sobrenatural. as palavras de Sua revelação ao homem. 2 . fica claro que a inspiração divina foi o ato do Espírito santo influenciar os autores das Escrituras a registrarem as revelações divinas de modo perfeito. A Bíblia é clara em dizer que a inspiração que atuou nos escritores bíblicos foi divina. sem erro. esta teoria exclui qualquer atuação divina na vida dos autores bíblicos.MÓDULO A IV .CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Logo. Essa diferença deve-se à sua origem”. A palavra “inspirada” que se encontra em II Tm 3:16 é tradução do vocábulo grego “theopneustos”. Logo. bem como de qualquer omissão” (Webster – Conhecendo as Doutrinas da Bíblia) “É a influência sobrenatural do Espírito Santo de Deus sobre a mente humana. compusessem e registrassem. o NT é inspirado por Deus e conseqüentemente é considerado como autoridade absoluta. Escola Bíblica . entendemos com base nesse texto que a Bíblia é uma invenção divina e não humana. “Há uma diferença insondável entre a Bíblia e qualquer outro livro.A INSPIRAÇÃO DAS ESCRITURAS 1 .O que é inspiração divina? Portanto. Esta teoria está completamente errada. A inspiração se aplica apenas aos manuscritos originais. Isto significa dizer que Deus é o autor das Escrituras. atente para estas definições: “Inspiração é a ação supervisionadora de Deus sobre os autores humanos da Bíblia de modo que. David S. (Charles C. Clarke) Tanto o apóstolo Paulo em II Tm 3:16 como o apóstolo Pedro em II Pe 1:19ª. conseqüentemente este ato é um ato sobrenatural. Para uma compreensão melhor sobre a inspiração divina. ou seja.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Logo. chamados de autógrafos”. usando suas próprias personalidades e estilos. pela qual os profetas. Marcelo Costa 12 .As teorias sobre a inspiração A. e se foi divina. (Dr. matemática e etc. Ryrie – Bíblia Anotada) “É o poder inexplicável que o Espírito divino exerce sobre os autores das Escrituras. ela enxerga a inspiração divina como algo puramente natural e não como algo sobrenatural. assim como alguém tem aptidão natural para a música. dando a entender que as Escrituras foram dadas pelo sopro de Deus. afirmam que os escritores e os registros sagrados são totalmente inspirados por Deus.

a geografia e etc. e não mecânica. entretanto. Marcelo Costa 13 .MÓDULO A B. ou seja.A teoria correta da inspiração divina A teoria correta da inspiração divina é a teoria da “inspiração verbal e plenária”. Isto não é verdade. ou seja. ou seja.. enquanto que outros assuntos. mas não infalível. Embora algumas passagens bíblicas que foram realmente ditadas. Não podemos confundir inspiração com iluminação ou esclarecimento espiritual que o Espírito santo concede a cada cristão. a criação. Segundo essa teoria. ao contrário. Deste modo. nós podemos ter a mesma inspiração que os autores bíblicos tiveram. como por exemplo. ou seja. C. registrando tudo aquilo que Deus citou para eles. a inspiração divina excluiu qualquer atitude mecânica quando ela preservou o estilo de cada autor. tanto as palavras como os pensamentos dos autores bíblicos foram inspirados por Deus. encontramos na Palavra de Deus seu filho Jesus Cristo afirmando que as Escrituras sempre dizem a verdade (Jo 10:35).CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . a inspiração divina não é isenta de erros. por exemplo. a cronologia. A TEORIA DA INSPIRAÇÃO FALÍVEL 3 . A TEORIA DA INSPIRAÇÃO MECÂNICA D. II Pe 1:21). A TEORIA DA INSPIRAÇÃO MÍSTICA OU ILUMINATIVA Esta teoria afirma que os autores bíblicos tiveram uma experiência comum com o Espírito Santo como qualquer outro cristão tem. como por exemplo. todos os documentos originais das Escrituras são fruto de uma Escola Bíblica . só os conceitos ou os pensamentos dos escritores bíblicos é que foram inspirados. A inspiração divina foi única na vida dos autores sagrados. a ciência. A TEORIA DA INSPIRAÇÃO PARCIAL A teoria da inspiração parcial afirma que a inspiração divina foi parcial. ou seja. na ótica desta teoria. Essa teoria entende que os escritores bíblicos foram preservados do erro quando trataram de assuntos que abordavam apenas a salvação da humanidade. Esta teoria é correta porque afirma que cada palavra (verbal) e todas as palavras (plenárias) foram inspiradas por Deus. estariam os mesmos sujeitos a erros. É como se Deus tivesse usado os escritores bíblicos como máquinas de escrever com as quais Ele teria escrito. A atuação do Espírito santo na vida dos escritores sagrados teve como objetivo influenciá-los a registrar tudo aquilo que foi revelado a eles. Já a atuação do Espírito Santo na vida dos cristãos é de elucidar. ou como se Deus tivesse falado pelos homens como se tivesse usando um alto-falante. Compreendemos perfeitamente em II Tm 3:16 que a inspiração divina é completa. ela compreende que só aquilo que é considerado desconhecido pela mente humana é que foi inspirada. os conceitos espirituais e etc. a Bíblia nos revela que Deus inspirou as palavras dos escritores bíblicos (Hb 1:1. a inspiração divina é viva. tudo aquilo que foi registrado nas Escrituras é inspirado por Deus. Portanto. A teoria da inspiração verbal e plenária é correta porque compreende que toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus (II Tm 3:16). Esta teoria entende que os autores bíblicos foram passivos quando foram divinamente inspirados. enquanto que a iluminação do Espírito santo é comum a todos os crentes. Segundo essa teoria. Jesus deixou bem claro que a inspiração divina é infalível. a história. A teoria da inspiração conceitual descarta completamente a idéia de Deus ter inspirado também as palavras dos escritores bíblicos. não é possível desassociar as palavras dos pensamentos uma vez que as palavras são a expressão dos pensamentos. todavia. explicar tudo aquilo que foi registrado pelos autores bíblicos. A TEORIA DA INSPIRAÇÃO CONCEITUAL F. contudo. isso não quer dizer que as Escrituras são fruto de uma ação mecânica. os Dez Mandamentos. ou seja. a Bíblia é inspirada.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. E. Ao afirmar isso. Assim sendo.

O que garante a inerrância bíblica? A.A INERRÂNCIA DAS ESCRITURAS O que significa? orientação especial do Espírito Santo na vida dos escritores bíblicos. em Mt 5:17 afirma que Ele veio para cumprir a Lei e os Profetas. verbal e inerrante. Jesus. que ocorreu entre os anos 90 e 100 d. Além disso. Este concílio foi realizado por rabinos judeus com o propósito de reconhecer os escritos do AT que eram inspirados por Deus.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Ela diz também que Deus é imutável (Ml 3:6). logo a Sua Palavra também é.C. Mais adiante Ele diz que tudo que está escrito nas Escrituras será cumprido. Outro testemunho que Jesus dá sobre a inerrância das Escrituras está em Jo 10:35. Segundo a tradição. Escola Bíblica . O CARÁTER DE DEUS Significa que a Bíblia é verdadeira em sua totalidade e que não há sombra de erros no seu conteúdo. quando Ele afirma que as Escrituras não pode falhar. fica claro nesse texto que Jesus respeitava e enxergava a infabilidade das Escrituras. tudo o que a Bíblia fala é verdade e ela está completamente isenta de qualquer erro. B. o responsável por reunir e reconhecer os escritos do AT foi Esdras. que significa “régua”. única. Outro fato que colaborou com o cânon do AT foi o “Concílio de Jâmnia”. “vara de medir” e “regra”. viva. visto que Deus age de acordo com a Sua natureza.MÓDULO A V . Marcelo Costa 14 . completa. isto é. a Palavra de Deus é verdadeira.A formação do cânon O termo “cânon” vem da palavra grega “kanõn”. É importante que fique muito claro que se Deus é infalível. O TESTEMUNHO DE CRISTO VI – O CÂNON DAS ESCRITURAS 1 . portanto. portanto.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Com relação à Bíblia. “cânon” faz referência aos escritos que tiveram todos os requisitos necessários para serem considerados Escrituras Sagradas. ela tem a opinião de que a inspiração divina é sobrenatural. A Bíblia afirma em Rm 3:4 que Deus é verdadeiro e que Ele não pode mentir. A Lei e os Profetas que Ele estava se referindo eram as Escrituras.O que significa cânon? 2 .

C. 3º .C. como por exemplo.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . é revelado que Davi falou movido pelo Espírito Santo. através de um consenso.O Espírito Santo tem a função de convencer o incrédulo do pecado (Jo 16:7-11). em 397 d. reconhecido ou E. É notório que a Bíblia é resultado do mover do Espírito Santo na vida dos escritores bíblicos.O Espírito Santo tem a função de completar a obra de Cristo. Marcelo Costa 15 . 3 . B. Um outro exemplo bíblico que não deixa dúvidas do mover do Espírito Santo é II Pe 1:19-21. AUTORIDADE – Para canonizar um livro era importante saber se o livro foi escrito por alguém que era VII – O ESPÍRITO SANTO E AS ESCRITURAS 1 . IMORTALIDADE – Para canonizar um livro era indispensável saber se o livro sobreviveu ao tempo.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. A. INSPIRAÇÃO – Para canonizar um livro era imprescindível saber se o livro era considerado realmente inspirado por Deus. por um profeta ou por um líder de Israel. Esse assunto diz respeito à atuação do Espírito Santo na vida dos incrédulos. possibilitando o novo nascimento espiritual do incrédulo (Jo 3:3).MÓDULO A O cânon dos 27 livros do NT como hoje nós conhecemos foi oficialmente reconhecido no “Terceiro Concílio de Cartago”. em II Sm 23:2. os livros que foram inspirados por Deus. é importante dizer que a canonização das Escrituras foi feita mediante a influência do Espírito Santo no seio da igreja. 2 .O Espírito Santo tem a função de capacitar o incrédulo a entender as coisas espirituais (I Co 2:14). o Espírito Santo tem três funções importantes que beneficiam os incrédulos: 1º . e pela igreja oriental até 500 d. influenciado por algum apóstolo.Considerações fundamentais sobre a canonização das Escrituras 4 . UNIVERSALIDADE – Para canonizar um livro era necessário saber se o livro foi amplamente aceito e usado pela igreja. de modo que ela apenas reconheceu.Quais foram os princípios usados? Depois de sabermos como foram reconhecidas a autenticidade e a autoridade das Escrituras. Por exemplo. se o livro foi escrito por um legislador. F. Segundo as Escrituras. Mc 12:26 e em At 1:16.A inspiração revestido de autoridade. 2º . APOSTOLICIDADE – Para canonizar um livro era importante saber se o livro foi escrito.A regeneração Escola Bíblica .. C. D. CONTEÚDO – Para canonizar um livro era indispensável saber se o livro tinha um conteúdo suficientemente espiritual.

o significado que tinha para o autor. É importante entendermos que uma das funções principais do Espírito Santo na vida do crente é fazê-lo entender as verdades que estão escritas na Palavra de Deus. não existirá nenhuma diferença entre a interpretação ortodoxa da interpretação herética. ou seja. ao invés de saber o que o texto significa para nós.A iluminação . Vamos agora aprender quais são os princípios básicos para interpretar corretamente as Escrituras.. 2º .Produzir convicção sobre a verdade no coração do crente (I Ts 1:5. É claro que um texto bíblico pode ter várias aplicações.Mostrar a verdade aos crentes (Jo 16:13. para interpretar um texto corretamente. Outro ponto importante que precisamos entender é que iluminação não é revelação no que tange às Escrituras. a atuação do Espírito Santo tem três finalidades: 1º . Porque se o significado de um texto não é o do autor.MÓDULO A - A iluminação é um assunto que encontramos na Bíblia que é mais relacionado a vida do crente.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Uma vez respeitando essa regra fundamental da interpretação bíblica. Se não respeitarmos esse princípio normativo da interpretação.Ensinar aquilo que está escrito nas Escrituras (I Jo 2:20.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 3 . e isso poderá gerar confusões e heresias como infelizmente tem acontecido. precisamos saber o que o autor quis dizer quando registrou o texto bíblico. I Co 2:9-14). expositor. Todavia. a nossa primeira tarefa é saber o que o texto significava para o próprio autor. Para compreendermos melhor esta regra da interpretação bíblica. a Palavra de Deus poderá ter vários significados para os intérpretes. estabelecidas por Agostinho: “Compete ao expositor entender o que o autor pretendia dizer. sugerimos que leia o livro “Hermenêutica Avançada”. vamos perceber que o texto só pode ter um significado e não vários significados diferentes. 27). VIII – A INTERPRETAÇÃO DAS ESCRITURAS Como interpretar corretamente? É necessário dizer que a nossa intenção nesse estudo é apenas apresentar os princípios básicos para interpretar as Escrituras e não fazer um estudo completo da hermenêutica (a ciência e arte da interpretação bíblica). Escola Bíblica . então não há interpretação que possa corresponder ao significado do texto. e não introduzir no texto o significado que ele. veja uma parte do resumo das regras para interpretar as Escrituras. 3º . Revelação está ligada ao conteúdo ou o material das Escrituras. Virkler). se o aluno desejar entender melhor esse assunto. escrito por Henry A. portanto. Virkler – Ed.. entretanto ele só pode ter um significado. É um assunto que fala sobre o mover do Espírito santo na vida dos cristãos. Neste caso. I Co 2:10-12). precisamos compreender que a regra fundamental da interpretação bíblica é descobrir o que o texto significava para o autor bíblico e para os primeiros leitores. não podemos confundir interpretação com aplicação. Além disso. Vida. Antes de qualquer coisa. Portanto. Observe esse comentário feito por Hirsch: “Banir o primitivo autor como o determinador do significado era rejeitar o único princípio normativo obrigatório que poderia emprestar validade a uma interpretação. quer lhe dar” (Hermenêutica Avançada – Henry A. Interpretação é única enquanto que aplicação é múltipla. Marcelo Costa 16 . uma vez que o texto não pode ter significado determinado ou determinável” (Hermenêutica Avançada – Henry A. Virkler). enquanto que iluminação está relacionada à compreensão do conteúdo das Escrituras.

A Bíblia é auto-explicativa. parábola como parábola. temos que ler os textos anteriores e posteriores que estão ligados ao texto que queremos interpretar. Calvino foi muito feliz ao afirmar que “a Escritura interpreta a Escritura”. ESTUDE SEMPRE O CONTEXTO PARA ENTENDER O TEXTO C. ESTUDE O CONTEXTO HISTÓRIO-GRAMATICAL Quando queremos interpretar um texto bíblico. Por exemplo. ou em um versículo. ou vice-versa.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Portanto. Isto significa que temos que entender verbo como verbo. Para isso. Deste modo. o dia-a-dia infelizmente nos mostra que muitos cristãos tiram conclusões erradas sobre um assunto porque se prendem a um único texto da Bíblia.MÓDULO A A. devemos permitir que o texto diga o que está escrito É importante ressaltar nesse momento que há ocasiões em que temos que discernir quando uma palavra é literal. ENTENDA QUE A BÍBLIA INTERPRETA A SI MESMA BIBLIOGRAFIA . quando Jesus disse que Ele é a Porta (Jo 10:9). Ele usou uma linguagem simbólica e conseqüentemente. sintaxe. Marcelo Costa 17 .Bíblia Anotada – Charles C. Neste caso. tempos verbais e figuras de linguagem que encontrarmos no texto. símbolo como símbolo. portanto. mas em toda a Bíblia o que ela explica sobre o assunto. Ryrie . Não podemos de modo algum interpretar uma palavra simbolicamente quando o autor tinha a intenção que fosse entendida literalmente. Outros ficam confusos com um determinado assunto porque não investigam em todo o contexto bíblico o que é dito sobre o assunto. e para isso devemos analisar os textos que cercam o versículo que nos propusemos a estudar. Para interpretarmos um texto bíblico precisamos entender o raciocínio do autor.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . temos que pesquisar a fundo o ambiente histórico do texto a fim de compreendermos melhor o motivo pelo qual o autor registrou as verdades divinas. precisamos atentar para as palavras. INTERPRETE O TEXTO NORMALMENTE D. mas que era o único e verdadeiro acesso à vida eterna. Além disso. se quisermos entender algum assunto específico devemos pesquisar não apenas em uma parte. ou seja.Hermenêutica Avançada – Henry A. Contudo. Em outras palavras. precisamos recorrer ao contexto e a sintaxe.Conhecendo as Doutrinas da Bíblia – Myer Pearlman . Horton . Neste caso. portanto. a palavra porta deve ser entendida no sentido simbólico e não no sentido literal. precisamos descobrir qual era a intenção do autor para obtermos o significado correto. substantivo como substantivo.Teologia Sistemática – Stanley M. figurativa ou simbólica em um texto. A Bíblia é coerente no seu conteúdo. devemos observar qual era a situação histórica que fazia parte da vida do autor e analisar as regras de gramática que são pertinentes ao texto. devemos interpretar as palavras de acordo com a intenção do autor. Ele não quis dizer que era literalmente uma porta. B. temos que ler e estudar todos os textos bíblicos que abordam o mesmo assunto para que dessa forma possamos tirar conclusões biblicamente coerentes. Virkler Escola Bíblica .

3:8-9). convida o homem a crer na Sua existência. resolveu revelar ao homem aquilo que fosse necessário e suficiente para que este pudesse conhecê-Lo. por Sua soberana vontade. ou seja.A existência de Deus é subentendida 18 . entendemos que a existência de Deus é declarada pelas Escrituras como um fato (Gn 1:1). Marcelo Costa 1 . e um de muitos textos bíblicos que apóia esse pensamento perfeitamente é At 17:24-18. esteja com o seu coração aberto e tenha muita disposição para aprender. se você é uma das pessoas que tem um desejo sincero de conhecer a Deus. conseguiremos conhecer melhor o Deus Criador. como em Gn 1:1 a Bíblia revela que Deus é o criador do universo. Através da teologia. ela. Perceba. e nos versículos posteriores nos mostram como Ele criou o universo. Logo. Enfim. as Escrituras pressupõe a Sua existência. Contudo. Isto porque Deus. A doutrina de Deus ou a teologia tem como objetivo específico responder a estas e outras perguntas que pairam em nossas mentes no que tange a pessoa de Deus. por exemplo. em todas as partes das Escrituras a existência de Deus é subentendida. quando Ele chamou homens para realizarem os Seus propósitos (Gn 12:1-4) e quando os homens afirmaram que O conheceram (Jó 42:1-5). podemos entender que a existência divina é subentendida nas Escrituras quando. é importante dizer que não há como nós conhecermos a Deus totalmente. por conseguinte. E é através da auto-revelação de Deus que está registrada nas Escrituras que conseguiremos conhecê-Lo melhor. E mais. Portanto. As Escrituras em parte alguma tentam provar a existência de Deus. visto que Ele (Deus) não se permitiu ser conhecido totalmente pelo homem. para que o mesmo possa ter um relacionamento íntimo com Ele (Hb 11:6). através de um estudo específico sobre a pessoa de Deus pautado. Embora a Bíblia não procure de modo algum provar a existência de Deus. quando em certas ocasiões o homem falou com Deus (Gn 3:10-13). Deus falou com o homem (Gn 2:16. nas Escrituras Sagradas. é claro. e.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . como Ele é? É possível provar a existência de Deus? Como posso conhecer Deus? O que é Deus? TEOLOGIA I – A EXISTÊNCIA DE DEUS Com certeza algum dia em nossas vidas fizemos essas perguntas. e talvez sejam perguntas que para muitas pessoas ainda não foram respondidas. teremos uma visão clara e correta sobre a Sua pessoa. contudo. mesmo sem vê-Lo (Gn 6:22). quando Ele agiu na natureza provocando o dilúvio (Gn 7:4). entretanto. Escola Bíblica .MÓDULO A A DOUTRINA DE DEUS INTRODUÇÃO Deus existe? Se existe.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. em certos momentos. porque este estudo tem como objetivo ajudar você nesse sentido. quando homens obedeceram à Sua voz.

consciência. que significa “mundo” ou “universo”. Marcelo Costa 19 . O termo antropológico vem do vocábulo grego “Anthropos”.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Teleológico vem do grego “Teleos” que significa “desígnio” ou “propósito”. portanto. quando Ele ergue uma nação por causa da sua obediência às Suas leis e quando leva ao declínio uma nação devido a sua desobediência. Quando contemplamos a natureza ficamos tão maravilhados que algumas vezes nos perguntamos: como surgiu o mundo? Então. A Bíblia revela estes atos soberanos de Deus na história da humanidade (S. Outro motivo pelo qual a história da humanidade é uma prova da existência de Deus é o cumprimento das profecias bíblicas. Se observarmos um pouco o mundo em que habitamos vamos perceber que tudo que existe foi criado com um propósito pelo Criador. Roma e etc. uma prova notória da existência de Deus.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Escola Bíblica . É interessante observar que tanto a Bíblia como os fatos tem comprovado que o incrédulo. Teleologia é o estudo da finalidade. ARGUMENTO TELEOLÓGICO C. Isto mostra que o ateu. Embora não tenhamos visto a criação. ou seja. apresentando a idéia de que Deus é o criador do universo. mostra como Deus é soberano. ARGUMENTO HISTÓRICO Sem dúvida nenhuma podemos perceber. para termos um relacionamento com Deus. de modo especial. Este argumento diz que pelo fato do homem possuir natureza moral. A Bíblia diz que a existência de Deus é notória no universo (Rm 1:18-20). é possível acreditar que tudo que existe veio do Deus Criador (At 17:224-28). Rm 13:1). Este argumento procura mostrar que o universo é um efeito de uma causa. A palavra “cosmo” é tradução do grego “kosmos”. mas sim.. ou seja. o Deus invisível (Cl 1:13-16). é impossível conceber a idéia de que tudo que hoje existe surgiu sem a participação de um Arquiteto.MÓDULO A 2 . Na verdade. de fé. Dn 2:21. sem a intervenção de Deus. tudo isso indica a existência de Deus. E é exatamente esta idéia que é apresentada pelo argumento teleológico. Deus é a causa primária e única do universo (Gn 1:1. a natureza do homem é uma evidência clara da existência de Deus B. que veio ao mundo para revelar. ARGUMENTO COSMOLÓGICO Portanto. O surgimento e o declínio de nações poderosas como Egito. O universo com certeza revela a existência de um Arquiteto capaz de criar todas as coisas com um ou vários propósitos. 5:21. ARGUMENTO ANTROPOLÓGICO D. embora não acredite em Deus. isso porque naturalmente entendemos que “todo efeito tem uma causa”. Babilônia. Exemplo disso é a própria vida de Jesus. Como pode a existência de Deus ser provada? Existem pelo menos cinco argumentos que provam a existência de Deus. quando se vê sem esperança. instintos religiosos e natureza emocional. que significa “homem”. é mais fácil acreditar que o mundo existe porque existe um criador do que acreditar que o mundo aconteceu por acaso. portanto. pela história da humanidade. ele recorre a Deus ou aos “deuses”. não precisamos de provas racionais que comprovem a Sua existência. 75:7.A existência de Deus pode ser provada? A. Sl 19:1). esse argumento responde a esta pergunta. nos momentos mais difíceis de sua vida ele sente uma necessidade de recorrer a Deus.

Através dos Seus nomes. outros eram por conseqüência do caráter do indivíduo (Gn 27:36) e outros eram em decorrência da expectativa que os pais tinham com relação ao futuro dos filhos. o termo “El” era usado pelos povos de idiomas semíticos. Alguns nomes. Mas por quê? O que tem a ver o nome de Deus com o que Ele é? Tem tudo a ver. ARGUMENTO DA RELIGIÃO “O homem é incuravelmente religioso”.MÓDULO A E. F. podemos concluir que os autores bíblicos e as Escrituras Sagradas são evidências seguras de Sua existência (II Tm 2:15). é importante saber que no AT o “nome” não era apenas um título.Deus é chamado de “El” 20 . ARGUMENTO TEOLÓGICO II – A NATUREZA DE DEUS 1 . O Seu nome deve ser temido (Dt 28:58). logo. Ele não queria apenas que os Seus nomes fossem referências à Sua pessoa. da Sua natureza. ou seja. de modo geral. precisa atentar para os nomes de Deus registrados nas Escrituras. Neste caso. uma vez criado à imagem e semelhança de Deus.Os nomes de Deus Os autores bíblicos registraram os atos de Deus. O Seu nome não deve ser usado em vão (Ex 20:7) e nem ser profanado. E este zelo é tão grande que a Bíblia apresenta algumas instruções que nos ensinam a usarmos o nome do nosso Deus corretamente.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Quando Deus se autodenominou a alguém. 24:16). mas acima de tudo. O Seu nome deve ser glorificado (Sl 86:9). vamos então conhecêlos neste momento para termos uma visão melhor sobre Ele. possui uma natureza religiosa. 33:19. Deus procurou revelar ao homem o Seu caráter. o caráter da pessoa. e por esse motivo procura um “objeto de adoração”. ou blasfemado (Lv 18:21. “El” era usado para denominar um deus falso e o Deus verdadeiro. É por essa razão que Deus tem um zelo tremendo pelo Seu nome.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . escreveu Myer Pearlman (Conhecendo as Doutrinas Bíblicas). Para que haja uma compreensão melhor sobre esse assunto. defenderam a existência de Deus e foram inspirados por Ele. eram resultados de acontecimentos que ocorriam no momento do nascimento do bebê (Gn 5:29). Ele estava naquele instante se auto-revelando de modo compreensivo a mente humana. o nome expressava a verdadeira personalidade da pessoa. E para que houvesse uma distinção entre o Escola Bíblica . da Sua vontade e da Sua autoridade. O que isso significa? Significa que o homem. “El” significa “Deus” ou “deus”. Por exemplo: O Seu nome deve ser invocado como ato de adoração (Gn 12:8). Na verdade. O Seu nome deve ser santificado (Mt 6:9). 34:5-6). isto é. os mandamentos de Deus. Marcelo Costa 2 . por exemplo. Se alguém deseja sinceramente conhecer o Deus Criador. uma revelação sobre a Sua natureza (Ex 6:3. O Seu nome deve ser louvado (II Sm 22:50). lembrando sempre que cada nome de Deus revela algum aspecto do Seu caráter. Uma vez que entendemos como devemos usar os nomes de Deus corretamente. para se referir aos deuses de várias religiões e também para se referir ao “Deus dos hebreus”.

Dt 32:8). é importante informar que o alfabeto hebraico consistia de 22 consoantes e nenhuma vogal. porque Ele é o Deus exaltado e o dono de tudo que existe (Gn 14:18-20. 3 . Sl 18:31. Já em Sl 50:22 e em Jó 5:17. Todavia. Deus tem poder para realizar qualquer coisa que queira realizar para cumprir com os Seus propósitos (Gn 17:1. Jr 5:7). Por esse motivo. Marcelo Costa Bíblia. que significa “o Auto-Existente”. ou seja. EL ELYON . o termo original era “YHWH”.Deus é chamado de “Eloah” Este termo é traduzido em nossa versão portuguesa como “Senhor”. que Ele castiga aqueles que se opõe à Sua vontade.“El Olam” significa “Deus Eterno”. A palavra “Deus” aparece na tradução da nossa Bíblia em maiúsculas. o Deus de Israel. 25:11. e a segunda. expõem que Deus é justo e castiga aqueles que vivem na prática do pecado. Muitos teólogos entendem que o fato deste termo está na forma plural. foram freqüentemente inseridos adjetivos ou predicados definidores para fazer referência ao Deus vivo. entretanto. Nestes exemplos (Dt 32:15.“El Shaddai” significa “Deus Todo-Poderoso”. onde um altar é erguido para Deus levando o nome de “El Elohe Ysra’el”. que significa Deus. este nome revela as duas facetas do caráter de Deus. EL OLAM . isso significa a plenitude do poder de Deus e representa a Trindade. este nome transmite a idéia de que Deus é o criador do universo (Gn 1:1). ou seja. o Senhor “Yahweh”. “Eu Sou Escola Bíblica .000 vezes no AT.Deus é chamado de “Yahweh” O nome “Yahweh” aparece 6. Este termo aparece de forma pluralizada quase 3.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Um outro exemplo nós podemos encontrar em Gn 33:20. Ex 6:3).Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Enfim. enquanto que para os deuses falsos a expressão “deus” aparece em minúsculas (Dt 4:28). sendo que pelo menos 2. o Deus que está acima de toda e qualquer criatura.MÓDULO A deus falso e o Deus verdadeiro.300 dessas referências dizem respeito ao Deus de Israel (Gn 1:1. Is 44:8) revelam que Deus é o protetor da daqueles que O temem e que nele confiam. não obstante. O termo “Elohim” significa “Deus”. além de mostrar o caráter e a natureza de Deus: A. A primeira de que Deus é bom para com aqueles que confiam nele. esse termo apresenta outra característica peculiar de Deus. B.Deus é chamado de “Elohim” Este termo é uma forma singular de “Elohim” e tem o mesmo sentido de “El”. Este nome que Abraão usou para se referir a Deus revela que Deus é um ser eterno e indestrutível em comparação com os falsos deuses (Gn 21: 33).828 vezes no AT e é o nome mais usado para fazer referência a Deus na 21 . Por exemplo. em Dt 5:9 está escrito “porque eu. Nm 24:16. que era pronunciado provavelmente como “Yahweh”. EL SHADDAI . Este título foi usado por Melquisedeque ao adorar o Deus que está acima de todos os deuses. Embora o termo “El” se refira tanto ao Deus verdadeiro como aos deuses falsos. 4 . É importante dizer que esse termo era usado para se referir também aos ídolos (Ex 34:17). Sl 68:1). Veja outros exemplos de como o vocábulo “El” era acompanhado de certos adjetivos para se referir ao Deus verdadeiro.“El Elyon” significa “Deus Altíssimo”. é possível entender que quando o termo “El” é usado para se referir ao Deus verdadeiro. C. portanto. aos juízes (Ex 22:8) aos anjos (Sl 8:5) ou aos deuses de outras nações (Es 36:28. teu Deus (Elohim) sou Deus (El) zeloso”. Este nome revela a onipotência de Deus. 5 .

mais uma vez os rabinos resolveram colocar vogais no texto hebraico. “Yahweh” com o substantivo “tseva’oth”. que foi aportuguesado como “Jeová” ou “Javé” em algumas traduções da Bíblia.Deus é chamado de “Pai” Como já vimos antes. 33:16). B. passando para “YeHoWaH”. “Yahweh” é o nome próprio ou pessoal de Deus. F. Isso significa que o ser humano deve submeter-se à vontade de Deus. Is 10:16. D. YAHWEH NISSI (JEOVÁ-NISSI) – significa “o Senhor é a minha bandeira” (Ex 17:15). C. YAHWEH ROPH’EKHA (JEOVÁ-RAFA) – significa “o Senhor que te sara” (Ex 15:26).CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Este título procura mostrar que Deus é o Rei e o comandante do Seu povo e dos seres celestiais (Sl 24:910). YAHWEH TSIDKENU (JEOVÁ-TSIDKENU) – significa “O Senhor nossa justiça” (Jr 23:6. YAHWEH YREH (JEOVÁ-JIREH) – significa “o Senhor proverá” (Gn 22:7-14). YAHWEH SHAMMAH (JEOVÁ-SHAMMAH) – significa “o Senhor está ali” (Ez 48:35). esse nome revela que Deus é uma pessoa. revelando que Deus é a fonte de todas as coisas e Criador do homem. Esse nome procura transmitir a idéia de que Deus é Soberano e governa sobre todas as coisas (Ex 23:17. Ele se relaciona com o ser humano. Este título dado a Deus é a combinação do nome pessoal de Deus. o termo “YHWH” é conhecido pelos teólogos como “o tetragrama”. das Suas promessas e das Suas atividades. 33). “Adonai” significa “meu Senhor” e “meu Mestre”. que significa “exércitos” ou “hostes”. Exemplos: A. YAHWEH SHALOM (JEOVÁ-SHALOM) – significa “o Senhor é paz” (Jz 6:23). Zc 3:9-10).Deus é chamado de “Adonai” 8 . YAHWEH RO’I (JEOVÁ-RAAH) – significa “o Senhor é o meu pastor” (Sl 23:1). da Sua natureza. dando a entender que Deus é Soberano e protetor do Seu povo. Jr 19:3. Esse termo transmite as seguintes idéias sobre Deus: Deus é o Criador (Dt 32:6) Deus é o Redentor do Seu povo (Is 63:16) Deus é o Oleiro de nossas vidas (Is 64:8) Deus é nosso Amigo (Jr 3:4) Deus é o Repassador da herança e o Líder do Seu povo (Jr 3:19) Deus deve ser honrado (Ml 1:6) Escola Bíblica . logo. É importante entender que “Yahweh” é considerado com exatidão como o único nome de Deus. “meu Mestre”.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Um detalhe. Ao longo dos séculos. de modo que “YHWH” sofreu alterações. Depois desta modificação. contudo. “Yahweh tseva’oth” significa “Senhor dos exércitos” (Is 6:3. Marcelo Costa 22 . Em algumas passagens bíblicas o nome sagrado de Deus (“Yahweh”) é usado com outros termos para transmitir vários aspectos do Seu caráter. Esse termo foi transliterado por “Jehovah”. portanto. 6 . E.MÓDULO A o que Sou” ou “Serei o que Serei” (Ex 3:14). que significa “meu Senhor”. A combinação destes dois vocábulos ocorre em 248 versículos da Bíblia. por considerarem o termo “YHWH” um nome sagrado para ser pronunciado o substituíram por “Adonai”. Esse nome é empregado tanto no AT como no NT. G. os escribas e rabinos.Deus é chamado de “o Senhor dos Exércitos” 7 . e por ser uma pessoa.

Além disso.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Marcelo Costa 23 . 1 . Por fim. que: 2 .Deus é Eterno A natureza de Deus é espiritual (Jo 4:24). Podemos tirar essa conclusão porque a Bíblia diz que: Ele é imaterial (Lc 24:39) Ele é invisível (I Tm 1:17.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. A natureza de Deus é eterna com relação ao tempo (I Tm 1:17).MÓDULO A 9 . vontade (Jo 6:38). 6:16) Ele é vivo (Js 3:10. “Kurios” e “Pater” no NT III – A ESSÊNCIA DE DEUS Deus é disciplinador (Ml 2:10-12) Deus é Fiel (I Cr 22:10) “Theos” é um termo grego que significa “Deus” (I Co 8:4). que significa “Pai”. I Ts 1:9. arrepende-se (Gn 6:6) e alegra-se (Nm 8:10). Gl 4:6) vem do aramaico “abba". A palavra “Aba”. Podemos compreender que Deus é infinito porque as Escrituras afirmam que: Ele está em todos os lugares (Jr 23:24) Ele está próximo de todos (At 17:27-28) Escola Bíblica . ouve (Sl 94:9).Deus é chamado de “Theos”. ela aborda os “elementos” que compõem a natureza divina. “Pater” do grego que significa “Pai”.Deus é Espírito Qual a natureza de Deus? Do que é constituída ou composta a natureza de Deus? Qual é o aspecto básico da natureza de Deus? A essência de Deus é o assunto que diz respeito aquilo que Deus é em Si próprio. “Kurios” do grego que significa “Senhor” (At 19:20). vê (Gn 11:5). Sobre a eternidade de Deus a Bíblia diz Ele não tem começo nem fim (Gn 21:33) Ele não está preso ao tempo (Sl 90:2) Ele é a causa do tempo (Hb 11:3) 3 . que é usada em Mc 14:36. Vamos compreender um pouco sobre a essência de Deus. Jo 5:26) Ele é uma pessoa que tem intelecto (Ex 3:14).Deus é Infinito A natureza de Deus é imensa com relação ao espaço (I Rs 8:27). ou seja. sensibilidade (Gn 6:6). Ele fala (Gn 1:3).

sem. Mt 28:19-20) Ele é Deus nos céus. 32) Ele conhece a cada pessoa individualmente (Pv 15:3) Ele já nos conhecia mesmo antes de nascermos (Jr 1:4-5) Isto significa dizer que Deus tem uma inteligência maravilhosa e inigualável.Igreja Nova Vida de Piedade Pr.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 4 .Deus é Onipotente IV – OS ATRIBUTOS NATURAIS DE DEUS Isto quer dizer que Deus está presente em todos os lugares no que tange às suas criaturas. a Palavra de Deus nos mostra que: Ele fez tudo com sabedoria (Sl 104:24. 30) Escola Bíblica . 1 . Sl 139:1-4) Ele sabe o futuro (Is 46:10) Ele sabe do que nós precisamos (Mt 6:8. envolver os seus atributos morais. Com relação à onipresença de Deus.Deus é Sábio 24 . A Bíblia revela que: Ele tem ciência de todas as coisas que acontecem (Hb 4:13) Ele conhece os nossos pensamentos (I Cr 28:9.Deus é Auto-existente . contudo. Sobre esse atributo. At 17:24-27) Os atributos naturais de Deus são as qualidades que estão ligadas a natureza divina. na terra e no abismo (Dt 4:39) Ele está com aqueles que O invocam (Mt 18:29-20) Ele está com a Sua igreja (Ef 2:12-22) Ele está em todos os lugares. entretanto Ele só habita em nós (I Co 3:16-17) 2 .MÓDULO A - A natureza de Deus existe por si mesma (Ex 3:14). Deus é um ser auto-existente por que: Ele tem a vida em Si mesmo (Jo 5:26) Ele não depende de ninguém para viver ou realizar os Seus planos (Is 44:24. a Bíblia ensina que: Ele está com os Seus servos (Gn 28:15. Ele conhece todas as coisas. Jr 10:12) Ele é a fonte da sabedoria (Dn 2:20-21) Ele dá sabedoria quando pedimos com fé (Tg 1:5) Ele possui uma sabedoria inexplicável (Rm 11:33) Ele revelou perfeitamente a Sua sabedoria em Cristo (I Co 1:24-25. que lhe permite realizar os Seus excelentes propósitos através dos melhores meios. Marcelo Costa 3 . Ele sabe de tudo o que acontece.Deus é Onisciente Ou seja.

que se arrepende de ter feito alguma promessa e depois não cumpre.Deus é Soberano . ou seja. e como tal. Sl 110:4).Deus é Santo A natureza de Deus não muda (Sl 102:26027. jamais a alcançarão. Mt 20:15) Deus não sofre mudanças na Sua natureza. o Separado do homem no espaço. Deus mudou de idéia porque se arrependeu de ter feito o homem. as idéias de Deus podem sofrer mudanças devido à Sua justiça e por casa do livre arbítrio que deu ao homem. Deus é uma pessoa. Rm 10:12) Ele faz o que quer. Ele se arrependeu de aplicar um juízo sobre os judeus por causa da intercessão de Moisés (Ex 32:14). Deus. As Escrituras ensinam que: Ele realiza os Seus desejos e ninguém pode detê-lo (Dn 4:34-25) Ele usa as nossas vidas como quiser (Rm 9:21-26) Ele é dono de todas as coisas (Ex 9:29) Ele é o Senhor de todos (At 10:36. V – OS ATRIBUTOS MORAIS DE DEUS 1 . Ml 3:6. Ele se arrependeu de ter escolhido Saul como rei por causa da desobediência do mesmo à Sua Palavra (I Sm 15:10-11). Não há a menor possibilidade de contaminação do Seu caráter (Lv 11:44) A santidade de Deus significa que Ele é separado. Deus não é como o ser humano. de obedecê-Lo ou não. se as pessoas se convertessem a Ele. as pessoas sofreriam um juízo de Sua parte (Jr 18:8. por causa da currupção humana (Gn 6:6). A santidade de Deus significa a Sua absoluta pureza moral. Ele por sua vez perdoaria os pecados cometidos. desde que Ele é. tem características. como quiser e quando quiser (Is 46:9-10. na Sua consciência e na Sua vontade. Ele é perfeito e o homem imperfeito. A Bíblia deixa claro que Deus aplicaria a Sua justiça de acordo com a reação das pessoas. a Bíblia revela claramente que: 5 .CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 4 . E por fim. caso contrário.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Fora isso. por mais que outros deuses pressupunham tê-la. inclusive morais. Esta é uma característica que. O que quer ficar claro é que Deus não se arrepende no que diz respeito às Suas promessas (Nm 23:19. tem as mesmas características e as terá sempre. não sofrem corrosão. Deus tem o direito de governar as Suas criaturas como desejar. Marcelo Costa 25 . nos Seus atributos. Por exemplo. Nosso Deus tem personalidade! Os atributos morais de Deus não são instáveis. Tg 1:7) O poder de Deus não muda (Ap 1:8) O Deus a quem servimos preserva em Si mesmo e promove os Seus filhos à Santidade. Escola Bíblica . nada está fora do Seu controle. Deus está no céu e o homem na terra (Ap 4:8) o Separado quanto ao caráter.MÓDULO A - Por ser Deus e Criador de todas as coisas. 2:13). não se alteram.Deus é Imutável Os atributos naturais de Deus falam sobre o Seu caráter e personalidade. Todavia.

Ele conhece todas as evidências (Is 11:3) Quando Deus executa Sua justiça. apresentando evidências. O amor é o grande motivador de Jesus nos fazer Seus amigos (Jo 15:1215) e não simplesmente Seus servos. a justiça de Deus é plena. Ela é efetivamente a causa de não sermos consumidos. na prática. 3 . Enquanto a justiça dos homens é recheada de artifícios.MÓDULO A 2 . porque Deus conhece todos os fatos.Deus é Misericórdia Ele é altamente confiável (Dt 32:4. Ele não pode coabitar onde está o pecado (Tg 1:13) Ele mesmo se santifica (Ez 26:23. 38:23) Por ser Santo. Marcelo Costa 26 . Ele independe de argumentos. I Pe 15:16) A Justiça de Deus não é comparável à justiça dos homens. Ele é expresso no dia-adia.Deus é Justo o Separado quanto à natureza. no homem. Ela é muito mais apurada. O amor de Deus é um atributo que expressa que Deus quer ter um relacionamento pessoal com aqueles que Ele criou à Sua imagem (Jo 17:22-23) O amor de Deus é demonstrado ao mundo e à Sua criação (Jo 3:16) 5 . O cotidiano dos Seus servos mostra essa característica de Deus. A santidade de Deus não tolera o pecado. A Justiça de Deus é a capacidade de Deus tratar retamente as Suas criaturas (Gn 18:25) A Justiça de Deus é aplicação da Santidade de Deus Deus é amor. Ele é divino e o homem é humano. mas também é justiça (Dt 32:35-36) Deus não busca pessoas que justifiquem atos.Deus é Fiel A misericórdia do Senhor é eterna (Sl 103:17) sobre os que O temem. Sl 9:10) Suas palavras não falham (Is 40:8) Ele é constante (Hb 13:8) O amor é um atributo de Deus que faz efetivamente diferença em nossas vidas. no relacionamento de Deus conosco.Igreja Nova Vida de Piedade Pr.Deus é Amor Escola Bíblica . Ele santifica os Seus filhos (Lv 20:26. esperança e força (Sl 144:2) O envio de Jesus Cristo é um evidente sinal de misericórdia (Lc 1:78) 4 . Misericórdia é a ação de Deus em prol da miséria humana (Sl 103:8) A misericórdia de Deus é fruto de longanimidade e paciência (Ex 20:6) O reconhecimento da misericórdia de Deus em ação produz.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . o resultado é retidão (Is 54:13-14) A fidelidade de Deus é inquestionável para que O conhece.

nem tão pouco nada escapa de Sua vista e de Seu controle. o Deus é Todo-Poderoso. não subentende a individualidade limitada humana. A doutrina da Trindade afirma que há um único Deus em essência. basicamente. mas a idéia. TRIUNIDADE – realça o modo tríplice da existência de Deus. já que significa a existência de três “deuses” distintos entre si. A trindade não expressa que há três deuses. Por volta do ano 500 d. 2 . em essência. tanto no AT quando no NT.) quem primeiro utilizou a nomenclatura. a doutrina da Trindade é firmemente bíblica. porém. o Filho redime e o Espírito Santo santifica.C. e ao mesmo tempo única. no tocante à Trindade.A origem do termo O termo “trindade” não é bíblico. B.MÓDULO A - A bondade de Deus não é e nunca será “sufocada” pelos males e dificuldades que acontecem durante a nossa vida. existente eternamente em três “pessoas” distintas. Na Bíblia. Veja os exemplos dos irmãos de José. estes serão isentos do mal.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. a existência do mal se não fosse tão Onipotente e tão bom que até mesmo do mal Ele pudesse operar o bem”. o Deus formou o universo em cima das leis naturais e estas implicam em acidentes.Trindade. Marcelo Costa 27 . no Filho e no Espírito Santo. manifestadas no Pai. compreendida em vários versículos. Deus não é culpado de nada disso. por que há tanto sofrimento no mundo? o Deus não é responsável pelo mal que existe. de maneira que no pleno sentido da palavra são um: o Pai cria. A. o Deus é tão poderoso que pode fazer o mal cooperar para o bem. é idêntica a C. At 14:17) Se Deus é bom. independentes e de existência própria. de forma alguma. Expressa sim. sendo uma doutrina revelada. que os três cooperam unidos e num mesmo propósito. há nitidamente a idéia da trindade. ao mesmo assunto. como fala o triteísmo. de Herodes. mas sim o relacionamento pessoal e a personalidade dentro da Divindade trina. TRINDADE – significa um só Deus. A bondade de Deus é o atributo pelo qual Ele concede vida e outras bênçãos às Suas criaturas (Sl 25:8. O fogo do sofrimento muitas vezes depura os cristãos. que expressa bem o sentimento que devemos nutrir pela Trindade: Escola Bíblica . foi formulado o “Credo de Atanásio”. em Sua tríplice manifestação. Trindade e Triunidade dizem respeito. portanto. Triunidade e Triteísmo trindade.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 6 . VI – A TRINDADE DE DEUS 1 . O termo “pessoa”. Provavelmente foi Tertuliano (220 d.C. o mal existe por Sua permissão. TRITEÍSMO – já se torna uma visão errônea da trindade. o Este mundo não é a plenitude de Deus. de Faraó.Deus é Bondade . “Deus não permitiria. do livre arbítrio e de leis naturais e serão plenos e exclusivos da glória de Deus (Lc 18:7-8). Os novos céus e a nova terra sim.

o O Pai e o Filho também são distintos do Espírito Santo (Jo 14:16-17). nem três imensuráveis. faltam nelas a idéia da personalidade ao mesmo tempo distinta e uma. o Filho e o Espírito. mas falta a idéia de unidade. tanto do Pai (Jo 6:27. Da mesma forma. “por nós” (Is 6:8). são. O Anjo do Senhor (Gn 31:11-13. referese ao Senhor Jesus. Tal qual é o Pai. efetivamente. clara e gema). vemos vários sinais da doutrina da Trindade no AT: O nome “Elohim” (Deus) está no plural (Gn 1:1). 9). O Pai é incriado. exatamente porque não há qualquer paralelo em nossa visão humana. e a do Espírito Santo. um (Ef 4:6. O Pai é imensurável. Há os que tentam comparar à água em seus estados (sólido. Em Is 9:6 Ele é apresentado como “Maravilhoso.Ilustrações sobre a Trindade Escola Bíblica . Embora sejam divinos e com personalidades distintas.A Trindade no Novo Testamento O NT nos indica e ensina três verdades sobre a Trindade: Há divindade. 4 . glória igual e majestade coeterna. Os três tem personalidades distintas. o mesmo são o Filho e o Espírito Santo. Marcelo Costa 28 . na interpretação da maioria dos teólogos. O Messias (Jesus) é profetizado. Sl 104:30).MÓDULO A “Adoramos um Deus em trindade.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . não há três seres incriados. Mas no Pai. Is 43:10. o que torna mais parecido com o “triteísmo”. Pai da Eternidade”. existem simultaneamente o Pai.A Trindade no Antigo Testamento A cultura da época acentuava o politeísmo (culto ou crença em vários deuses). no Filho e no Espírito Santo há uma divindade. o Filho é imensurável. Conselheiro.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. à essa idéia. “nós” (Gn 3:22). o Espírito Santo é imensurável. não há três eternos.” 3 . tais como: “façamos” e “nossa” (Gn 1:26). o Espírito Santo incriado. nem separamos a substância. O Espírito de Deus é mencionado abundantemente no AT e em várias oportunidades distinto do Pai (Is 18:16. líquido e gasoso).. E não obstante. Há vários verbos e pronomes no plural. Jo 1:1) e como do Espírito Santo (At 5:3-4. a do Filho outra. mas com características divinais. “desçamos e confundamos” (Gn 11:7). normalmente. Tg 2:19). o Filho é eterno. a noção de similaridade. 5 . Deus Forte. outra. 44:6). muitas vezes a Palavra de Deus acentuava a idéia correta de que havia um único Deus (Dt 6:4. O Pai é eterno. Mesmo assim. o Filho é incriado. e trindade em unidade. afinal. como do Filho (Mt 28:18. pois a pessoa do Pai é uma.. mesmo sendo um: o O Pai e o Filho são distintos entre si (Jo 1:14). há os que comparam a Trindade ao ovo (casca. mas um incriado e um imensurável. Ilustrações desse mistério de Deus têm sido inventadas. Não confundimos as pessoas. mas falta. II Co 1:2). Ex 3:2-6/ Jz 13:21-22). mas nenhuma delas é suficiente para esclarecer a natureza da questão pois. Alguns paralelos com parâmetros da natureza parecem incompletos. o Espírito Santo é eterno. são pessoas. mas sim um eterno. Por isso.

todos são declarados parte de deus e. Traduz-se por culto a vários deuses.O Panteísmo Existem várias crenças erradas. CONTESTAÇÃO – como pode a criação ser o Criador? Como se confunde o que Deus cria com a essência do próprio Deus? Certamente há uma representação de Deus em toda a Sua criação.O Agnosticismo 2 . da montanha. Mesmo na hipótese de o homem ser apenas uma máquina. Esta idéia nega a capacidade humana de conhecer a Deus. Afirma que todas as forças e manifestações são simplesmente propriedade da matéria: “O homem é apenas uma máquina” é uma de suas máximas. mas certamente podemos aprender e ter uma concepção de Sua pessoa. mas já o suficiente para formarem o pano de fundo que reflete a glória de Deus. da terra. A doutrina herética afirma que o homem não tem responsabilidade pelos seus atos e que não existe o bem nem o mal. CONTESTAÇÃO – podemos até não compreender a Deus na Sua totalidade.MÓDULO A Podemos aceitar e apresentar a Trindade como um dos mistérios divinos que efetivamente estão apenas parcialmente revelados. segundo os agnósticos.O Materialismo Escola Bíblica . CONTESTAÇÃO – nossa própria consciência afirma que somos algo mais do que matéria e que somos bem diferentes das árvores e pedras. etc. espelha a Divindade que a criou. quem a criou? 4 . é um e o único Deus verdadeiro. terra. criador de toda a natureza e nosso Salvador. CONTESTAÇÃO – a Bíblia nos ensina que há um só Deus. outras. É nitidamente alimentado pela “necessidade” que o homem desenvolveu de ter um “deus” visível e tocável. Há um deus para cada manifestação: deus do fogo. e sim. água. É o sistema de pensamento que identifica Deus como o universo. Algumas são insuficientes. e suscita nossa adoração à tão magnífica majestade. Marcelo Costa 29 . a respeito de Deus. da água. algumas se originaram de verdades exageradas ou deturpadas. deus. árvores. da guerra. que embora trino. pervertidas e distorcidas. animais. Vamos ver o que estas doutrinas errôneas pensam.O Politeísmo 3 . VII – CRENÇAS ERRÔNEAS A RESPEITO DE DEUS 1 . Esta idéia é originada de duas palavras gregas que significam “tudo é deus”. mas esta não tem poderes divinais. da mata. portanto. Deriva de duas palavras gregas que significam “não saber”.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . e extras bíblicas. característica das religiões antigas e pagãs. ainda em voga em muitas culturas. Destas. Este nega qualquer distinção entre a mente e a matéria.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. já que a “mente humana não pode alcançar o infinito”.

Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Escola Bíblica . que criou o mundo.O deísmo . Sua criação inteligente. Deus. Lembre-se: Ele é onipotente.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 5 . mas insiste em que. ou seja. Deus o entregou para ser governado pelas leis naturais. Marcelo Costa 30 .MÓDULO A - Admite que há um Deus pessoal. e nos enviou Seu filho. a Bíblia afirma expressamente que Deus tem o controle de todo o universo em Suas mãos. o tempo todo quis e quer ter um relacionamento pessoal conosco. deixou-nos à vontade. CONTESTAÇÃO – embora Deus nos tenha dado o livre-arbítrio. depois da criação. sem nenhum cuidado de Sua parte. que nos enviou o Espírito.

06 libertações de endemoniados.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA JESUS CRISTO. Jesus Cristo é Deus encarnado e a segunda pessoa da Trindade. Cl 1:15. 1 . Ele é o Filho de Deus no sentido único. mas um princípio de vida.MÓDULO A - Da mesma forma como “filho do homem” significa um ser nascido do homem. 03 ressurreições de mortos. como os homens e os anjos são chamados filhos de Deus. Jesus nunca é chamado “um filho” de Deus.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. mostrando que Ele foi tanto “homemDeus” como também “Deus-homem”. Jo 1:1. homem perfeito? Escola Bíblica . IMUTÁVEL – Hb 13:8. O SENHOR INTRODUÇÃO .Quem é Jesus Cristo? 2 . Por isso dizemos que esse título proclama a Deidade de Cristo. àqueles que se dizem cristãos. I Jo 5:20). Foi também um homem perfeito (Jo 1:1. assim também “filho de Deus” significa um ser nascido de Deus. Jesus é o tema principal de toda a Escritura Sagrada. Nessa lição abordaremos os atributos divinos e humanos de Jesus.Por que acreditamos ser Jesus Cristo. 4 . Ele não veio implantar um sistema religioso. devem procurar viver a mesma vida que Cristo viveu. 09 milagres sobre a natureza. portanto. ONIPRESENTE – Mt 28:20 ONISCIENTE – Jo 21:17 ONIPOTENTE – Mt 28:18 CRIAÇÃO – Jo 1:3 PRESERVAÇÃO – Hb 1:3 PERDÃO DE PECADOS – Mt 9:6 JULGAMENTO – Jo 2:26-27 Os quatro evangelhos registram: 17 curas de doenças físicas. Marcelo Costa Porque a Bíblia o descreve como homem (I Tm 2:5). uma alma (Mt 26:38) e um espírito (Mt 27:50).Atributos Divinos 3 . 31 . Porque a Bíblia declara que Ele tinha um corpo (Lc 24:39).Obras Divinas ETERNO – Lc 1:33.

isto é. o Cristo.”. Escola Bíblica .CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA I . unidas. Elas subsistem numa só pessoa: o Senhor Jesus Cristo. Sabe-se que já existia no início do século II o “Credo dos Apóstolos”. No AT os profetas. 15:13). outros fatos atestam o nascimento sobrenatural do Filho de Deus. nasceu do Espírito Santo e da virgem Maria. não com óleo. “O Cristo” quer dizer “O Ungido”. Um dos seguidores chamado Inácio de Antioquia. além de termos afirmações categóricas sobre o nascimento virginal nas páginas da Bíblia.. Veja: Para que ficasse evidenciado o amor de Deus pelo homem (Jo 3:16.. 1 . Uma das partes importantes nesta lição é sobre a humilhação e exaltação de Cristo.MÓDULO A - Já comentamos anteriormente que Jesus foi tanto “homem-Deus” como também “Deus-homem”. sacerdotes e reis eram ungidos com óleo para ministrarem e governarem.A necessidade de um Salvador “homem” Para que pudesse tomar o nosso lugar sob a lei (Gl 4:4-5). possuía duas naturezas. A natureza divina e humana aparece em Jesus. sem medida (Is 61:1). o que já seria o bastante. que diz: “. dizem que Cristo não teve nascimento virginal.Duas naturezas unidas em Jesus 2 . Mas.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Porque Jesus foi comissionado por Deus Pai para esta missão (Jo 17:8. o Cristo Era necessário que o Salvador da humanidade também fosse o “Filho de Deus. Para que pudesse sofrer e morrer em nosso lugar (Hb 2:14). Também.. pois foi através da humilhação que Jesus alcançou a exaltação. Era necessário que o Salvador da humanidade fosse um homem. Se Ele apenas se apresentasse como Divino nós não teríamos condições de seguirmos o Seu sistema de vida. No plano de Deus era indispensável que Jesus viesse através de uma mulher. Veja: 3 . A palavra em hebraico significa “Messias”. disse: “oculto do príncipe desse mundo havia a virgindade de Maria e seu parto. entrelaçadas. 18-25) Para que todos o vissem como a voz de Deus (Mt 17:5).O que significa Jesus.. sessenta anos após a morte de Cristo.”.. mas com o Espírito Santo. também foi ungido. Existem correntes de pensadores que apóiam uma tese contrária às Escrituras. Marcelo Costa 32 .A necessidade de um Salvador “Filho de Deus” 4 . seus seguidores falavam e escreviam acerca do seu nascimento virginal. Jesus. São pontos que nós devemos também considerar em nossas próprias vidas.AS DUAS NATUREZAS DE JESUS CRISTO .. um discípulo dos apóstolos.

portanto. Escola Bíblica . há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens. que se ofereceu como sacrifício por todos nós. suficiente para a redenção da humanidade sem que haja necessidade de qualquer outro sacrifício por parte dos homens. Marcelo Costa 2 . Jesus pagou o preço da nossa remissão (I Co 6:20). a pessoa compra de volta o que anteriormente lhe pertencia. A base de Sua intercessão é o seu sacrifício. homens. quer pelo tipo de sacrifício que era oferecido (Hb 8:3. homem. afinal. que ilumina as nações com sua fala. Era o responsável por “aplacar a ira”. através de inspiração aos Seus servos. 1 . Seu sacrifício foi único e de valor eterno. Em Jesus há a plenitude do Sacerdócio. porém.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. enquanto o profeta era responsável por trazer a palavra de Deus até o povo..MÓDULO A - Redimir significa “comprar de volta”. neles havia pecado. Cristo Jesus. Rm 2:14) “Porquanto. interpreta Seus atos e planos e orienta o povo em Seus caminhos (Is 42:1). 10:4). o sacerdote fazia exatamente o inverso: era o responsável por apresentar a Deus a oferta de libação pelos pecados do povo. Jesus. da morte e do poder do diabo (Mt 1:21. não só com palavras. Um profeta é aquele que representa ou é um agente de Deus na terra. Quando alguém hoje em dia empenha algo num banco. o sacerdote 33 . que reinará sobre as nações.” (I Tm 2:5) Na época do AT havia três tipos de mediadores entre Deus e o povo: o profeta. foi depois de oferecer Seu sacrifício que Ele passou a exercer especificamente esse ministério de intercessão (Hb 7:25. mas também em pessoa e obras (Hb 1:1-4). Cristo foi anunciado como profeta desde o tempo de Moisés (Dt 18:15). Aleluia! Ele realizou um sacerdócio perfeito (Hb 10:12-14). Ele foi profeta antes.. É o Cristo-sacerdote. e depois de ter sido homem (I Pe 1:11). Ele nos redimiu de todos os nossos pecados.Jesus Cristo. o sacerdote e o rei. Cristo não foi profeta somente quando “humanizado”. quer pela fraqueza do sacerdote.Jesus Cristo nos redimiu II – OS OFÍCIOS DE CRISTO . Mas o serviço era feito com imperfeição. 9:24). Cristo revelou Deus e Sua vontade. É aquele que fala em nome de Deus. Como perfeito mediador. O trabalho sacerdótico de intercessão Ele realizou de alguma forma quando esteve na terra (Jo 17). Os que creram em Jesus reconheceram ser ele o profeta anunciado (At 3:11. possuía em si mesmo esses três aspectos representados: É o Cristo-profeta. por ter nele os três ofícios.Jesus Cristo. o Messias.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 5 . Dt 18: 22-23). para redimir o que empenhou. o profeta Cristo é todo-suficiente para a relação do homem com Deus. seu ensinamento. por interceder a Deus em favor do povo. No AT. É o Cristo-Rei.

Na cruz. mas viver por nós. ressurreição e ascensão. paz e prosperidade (Is 11:1-9). Os profetas do AT falaram de um rei que viria da casa de Davi para governar Israel e as nações. Ele declarou o Seu poder sobre todas as coisas (Mt 28:18). embora não de modo humanamente visível. Cristo mesmo afirmou que Ele era o Rei prometido (Jo 18:36-37). Todas as batalhas da reforma protestante se basearam em torno da correta interpretação da cruz. É o evento mais importante e doutrina central do NT. já que não poderia ser removida através de iniciativa humana. III – A OBRA DE CRISTO “Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus. Ele foi coroado e entronizado como Rei (Ef 1:20-22). Lutero afirmou com sabedoria que a doutrina cristã difere-se de todas as outras exatamente no fato da cruz. A morte de Cristo eliminou a barreira estabelecida pelo homem ao pecar. O anjo falou a Maria que Jesus seria esse Rei (Lc 1:32-33). por mais que as pessoas não vejam assim. É extremamente mais importante do que o natal. Deus enviou Seu filho para exatamente remover essa barreira.Igreja Nova Vida de Piedade Pr.Sua morte Escola Bíblica . realizou por nós o que estávamos impossibilitados de fazer por nós mesmos. não somente ressuscitar por nós. Ele levou o que devíamos ter levado. Jesus Cristo é Rei e já está reinando (Hb 2:8). figuram a Sua morte. Depois de Sua ressurreição. Não somente Ele deveria morrer por nós.MÓDULO A - 3 . Incluídas nessa obra expiatória. porque ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mt 1:21) Cristo certamente realizou muitas obras. Marcelo Costa 34 .CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . mas a obra suprema que Ele consumou foi a de morrer pelos pecados do mundo. Ele reinará à vista de todo o mundo (Ap 11:15). sobre os céus e sobre a terra. mas também ascender para interceder por nós diante de Deus (Rm 8:34).Jesus Cristo. Na Sua ascensão. 1 . o Rei Cristo é o Rei! Ele governa sobre vidas. mas um dia. com justiça.

e uma nuvem o encobriu dos seus olhos. O CRISTO QUE PREPARA O CAMINHO – A separação entre Cristo e Sua igreja é temporária até que Ele venha buscar os que O seguem. e potestades. de “glória e honra” (Hb 2:9). A ascensão de Cristo também estabelece as condições sob as quais a igreja é chamada para servir: sob um Senhor que se acha agora exaltado como cabeça. Marcelo Costa 35 . Ela sinaliza a coroação de Jesus.” (At 1:8 e 11) A ascensão proclama o triunfo e a glorificação de Cristo. FOI UM ATO PROPICIATÓRIO – O sacrifício de Jesus é revelado como um meio de reconciliação entre Deus e os homens (Rm 5:10). Ele foi elevado “à destra de Deus. Proclama Sua vitória sobre os poderes das trevas (Ef 1:20-21). e não apenas uma lembrança.Sua ressurreição FOI UM ATO SUBSTITUTIVO – Cristo não morreu por Seus próprios pecados. O corpo de Jesus era glorificado. na terra e no céu (Ef 1:20-23).. ao invés de outras pessoas que foram ressuscitadas. ou um espírito. 3 . e poderes” (I Pe 3:22). Proclama Sua vitória sobre a morte (II Tm 1:10). Esse milagre ratifica todos os demais. agora ressuscitado.MÓDULO A 2 .Igreja Nova Vida de Piedade Pr. mas sim uma morte comum. anteriores e posteriores. O CRISTO SOBERANO – Ele ascendeu a um lugar de autoridade sobre todas as criaturas (I Pe 3:22). A ascensão de Cristo reafirma: O CRISTO CELESTIAL – havia chegado o tempo de regressar ao Pai. tudo seria desacreditado.. foi Jesus elevado às alturas. O CRISTO ONIPRESENTE – Jesus torna a ser Onipresente. Ele é o nosso precursor (Hb 6:19-20).CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . a Sua exaltação máxima (Fl 2:9). A ressurreição é o grande milagre do Cristianismo. diferente de todas as outras ressurreições porque o corpo de Jesus.Sua Ascensão “Ditas estas coisas. não mais voltaria a morrer. Se Jesus não ressuscitasse. porque Ele não seria o que afirmou ser. assim como Deus (Mt 18:20). A ressurreição de Cristo: Testifica Sua divindade (Rm 1:4). Mostra-se como exemplo para a colheita futura. Escola Bíblica .. O CRISTO INTERCESSOR – Em virtude de ter assumido nossa natureza e ter morrido por nossos pecados. em glória. Proclama Sua vitória sobre o pecado (Hb 9:28).. mas sim pelos pecados da humanidade (II Co 5:14). Esse Jesus que dentre vós foi assunto ao céu virá do modo como vistes subir. A ressurreição de Jesus foi algo singular. A ascensão garante o domínio futuro e final de Cristo. Cristo ressuscitou um pouco. e porque Sua morte não seria expiatória. pois ela evidencia Sua autoridade sobre o universo (I Co 15:24). O CRISTO EXALTADO – Cristo foi tão fiel aos planos do Pai que foi exaltado ao ascender como “recompensa” por sua fidelidade. que é a ressurreição dos cristãos (II Co 5:17). ficando-lhe subordinados anjos. Jesus é o mediador entre Deus e os homens (I Tm 2:5). à vista deles.

27:26. no capítulo 53. Como então conseguimos o perdão de nossos pecados? Eles são perdoados e esquecidos por Deus quando os confessamos a Jesus Cristo. Jesus Cristo foi ferido pelas nossas transgressões. aboliu este tipo de expiação e consumou um único sacrifício. com Sua morte. cabe-nos apenas aceitar o que já foi feito por nós. bem como por meio do testemunho do Espírito Santo que habita em nós (Rm 8:1). pagando assim o preço da nossa salvação (Jo 3:16. E a certeza de termos sidos perdoados Deus declara em Sua Palavra (I Jo 1:9). Para nós é a reconciliação com Deus. morrendo em seu lugar. Jesus nos perdoou dos nossos muitos pecados e nos deu a vida eterna. pedindo-lhe perdão (Sl 32:3-5. Perdão de pecados é a purificação da alma pelo sangue de Jesus Cristo. Quais. narra o motivo pelo qual Jesus foi ferido e traspassado. Os benefícios dessa paz com Deus trazem à nossa vida: Serenidade constante no íntimo. Paz. Cl 1:19-22). I Pe 2:24). a volta do homem para viver em harmonia com Ele (II Co 5:20).MÓDULO A - Os sacrifícios do AT eram realizados para expiar os pecados cometidos contra Deus. A Lei de Deus exigia um derramamento de sangue para o perdão de pecados. Paz significa inexistência de hostilidade. IV – OS BENEFÍCIOS DA CRUZ Escola Bíblica .Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Cristo. I Jo 1:7-9). Este é um dos benefícios da cruz de Cristo. O sofrimento físico de Cristo constitui o símbolo do preço que pagou para nos libertar de nossas iniqüidades (Mt 26:67. Hoje. ou seja. Mq 7:18-19). dom que Deus concede àqueles que nascem de novo. não precisamos mais oferecer sacrifícios. Ele levou sobre si a punição de nossos pecados para que tivéssemos paz com Deus.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . Libertação da culpa terrível que o pecado nos traz (Rm 8:1). Jesus sacrificou-se por nós. aos que reconhecem ser Jesus Cristo o único Salvador e entregam suas vidas ao Seu senhorio (Jo 6:47. 11:25. Por essa razão. pois para isso teria que oferecer sua própria vida. na mente e no coração (Fl 4:7). Ao derramar o Seu sangue. o animal sacrificado substituía o pecador. Vida eterna é o viver para sempre. O profeta Isaías em seu livro. isto é. Hb 9:22. então. Cura divina e Vida eterna. Marcelo Costa 36 . O homem não podia expiar seu próprio pecado. Assim sendo. seriam esses benefícios? Perdão dos pecados. Purificação da contaminação do pecado e senso de indignidade na presença de Deus (Hb 10:19-20).

Espírito de Adoção (Rm 8:15). Espírito da Graça (Hb 10:29). como também as outras duas pessoas têm características pessoais. I – A natureza do Espírito Santo Por ser uma pessoa. emoções (Ef 4:30). II – O Espírito Santo como um ser pessoal Escola Bíblica . que são manifestadas aos Seus filhos. Espírito Santo (I Co 6:19). O ESPÍRITO SANTO INTRODUÇÃO Como já estudamos anteriormente. reconhecidas e relatadas na Bíblia. Os principais são: Espírito de Deus (Rm 8:9). dizemos que Ele é um ser inteligente. Saber quem é o Espírito Santo é fundamental para que você possa descobrir que tipo de relacionamento deve haver entre o cristão e o Espírito. Espírito Santo da Promessa (Ef 1:13). O Espírito Santo é um ser dotado de personalidade e em nosso relacionamento com Ele é preciso levar em conta a Sua vontade. o Espírito Santo é uma das pessoas da Trindade. dá testemunho de Jesus (Jo 15:26) e distribui dons (I Co 12:7-11).CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . vontade própria (I Co 12:11). Ele espera de nós um relacionamento “entre pessoas”. Fl 4:7). porém. Ele não poderia ser afetado por estas coisas se não fosse de natureza pessoal. convence (Jo 16:8-11). Espírito da Verdade (Jo 14:17). intercede (Rm 8:26). consciência de Si (Jo 16:13-14). Espírito de Cristo (Rm 8:9). Marcelo Costa 37 .Igreja Nova Vida de Piedade Pr. como uma pessoa. os Seus propósitos aos quais todo o nosso ser deve ser submisso. Consolador (Jo 14:16). os Seus desejos. Ele está sujeito a ser atingido pela mentira dos homens (At 5:3-4). Tudo isso se traduz por personalidade. ensina (Jo 14:26). Ele tem propriedades de uma pessoa. Possui inteligência (I Co 2:10-12). e não entre pessoa e “coisa”. blasfemado (Mt 12:31-32) e entristecido (Ef 4:30). e por ser assim. dotado de capacidade de se auto-conhecer. O Espírito Santo é um ser pessoa e não uma mera influência. Existem vários nomes que são dados ao Espírito Santo e revelam aspectos de Sua natureza. Ele também é sensível em suas emoções.MÓDULO A E para termos essa paz permanente isso depende do nosso procedimento e da nossa confiança em Deus. Ap 11:11). tendo vários atributos e características semelhantes às outras duas pessoas (Deus Pai e Deus Filho). Ele age como uma pessoa. Espírito da Vida (Rm 8:2. Ele fala (At 13:2). a ser ultrajado (Hb 10:29). É possível ter esta paz perfeita em todas as circunstâncias da vida (Is 26:3.

na história de Israel. assegurada por Jesus (Lc 24:49. capacitando-as. ou seja. Lc 4:1). Portanto. pregar e realizar obras (Lc 4:18. No livro de Atos e nas Epístolas temos o cumprimento da segunda grande promessa feita no AT acerca da obra profética do Espírito. ou seja. Nessa época.No livro de Atos e nas Epístolas A promessa do derramamento do Espírito de Deus foi prometida no AT (Jl 2:28). Jó 26:13). Além disso. que significa exatamente vento. 2 . Ele é encontrado agindo na vida das pessoas. guiou Jesus na morte (Hb 9:14) e ressuscitou-o (Rm 8:11). na revelação através dos profetas (Nm 11:25. Marcelo Costa IV – O derramamento do Espírito Santo 38 . mas houve outras manifestações posteriores. Ele está presente. III – O Espírito Santo na Bíblia 1 . Essa etapa vai ser o Valdo de nossos estudos daqui por diante. Foi o cumprimento da promessa de que Ele ungiria o Messias. contudo. Ez 2:2). A presença e atuação do Espírito Santo na vida dos homens é revelada em toda a Bíblia. capacitando homens a tarefas especiais.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . com poderes sobrenaturais (Ex 31:2-5. fôlego ou espírito. capacitou o Mestre para ensinar. Pedro afirmou que Ananias mentiu ao Espírito Santo (At 5:3-4) e concluiu dizendo que a mentira foi dita a Deus. Para finalizar. também indica que tem função própria de uma pessoa (Jo 14:26. Jz 11:29-32. é Onisciente (Sl 139:1-6).Igreja Nova Vida de Piedade Pr. é Onipresente (Sl 139:7) e é Onipotente (Lc 1:35). Ele é eterno (Hb 9:14). confirmando a promessa sobre outros grupos de pessoas que criam. 14:6). na cidade de Jerusalém (At 2:2-4). desceu sobre Ele no batismo (Jo 1:32-33). 42:1) e seria derramado sobre todos (Is 32:15. Ele também possui atributos de divindade. trabalhando no caráter das pessoas chamadas por Deus (Sl 143:10. e também profeticamente ungiria o Messias (Is 11:2. esse nome dado ao Espírito Santo significa que Ele é ajudador. I Jo 2:1). assim como no seio da igreja. Is 63:10). consolador.No Antigo Testamento Embora essa nomenclatura (Espírito Santo) não seja comum no AT. guiou Jesus ao deserto para ser tentado (Mt 4:1. nos evangelhos e no livro de Atos e nas epístolas. A palavra hebraica traduzida por espírito é “ruah”.Nos Evangelhos Aparece especialmente relacionada com a vida e o ministério de Jesus. Escola Bíblica . O Espírito Santo gerou Jesus (Lc 1:35). 3 . O cumprimento histórico da promessa relatada em Joel se deu no dia de Pentecostes. sendo chamado “Espírito de Deus” ou “Espírito do Senhor”. At 10:38). Pode-se ver nitidamente a ação do Espírito Santo no AT na criação (Gn 1:2. podemos observar três etapas distintas: no AT.MÓDULO A Ele é também designado como “paracleto”. At 1:4-5) e cumprida por Ele (At 2:33). entretanto. 44:3). não estava restrito ao Filho de Deus. advogado. reafirmada por João Batista (Mt 3:11). também atuava na vida e no ministério de João Batista (Lc 1:15) e nos discípulos de Jesus (Jo 14:17). o Espírito Santo age como um ser divino.

O derramamento do Espírito. Essa ocasião foi diferente das demais exatamente por o Espírito Santo vir sobre pessoas convertidas. e neste dia foi efetuada a primeira colheita dos frutos do Reino. Marcelo Costa 39 . mas não tinham ouvido falar do Espírito Santo. que produzem visões evangelísticas. Após esse acontecimento em Jerusalém. Os sinais autentificavam a realidade do derramamento do Espírito. tribos e nações da terra (At 2:39). sempre produz evidências claras. Essa diversidade de derramamento do Espírito Santo sobre os judeus. é certo que houve. o Espírito Santo veio sobre os crentes em Samaria. e após isso cessou. Afirmam ser um fenômeno que não se repete. Negam-se a ver que igrejas e cristãos “que dão lugar” ao Espírito Santo e Sua obra sobrenatural frutificam muito além do que estas produzem. o Espírito Santo. seja num indivíduo. samaritanos. e também sem a imposição de mãos. mas não tinham uma experiência com o Espírito Santo. uma vez derramado sobre a igreja não mais precisa ser derramado. Embora seja um tema que muitos divergem entre si. Embora não se mencione sinal algum. sendo assim. com alguns reflexos em cidades relatadas no livro de Atos.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . a partir da obra consumada de Jesus. As evidências. com aproximadamente 120 pessoas. mas não havia a plenitude do Espírito. Outra coisa interessante demonstrada nesse episódio é que existiam cristãos que haviam se convertido. assim como a crucificação de Cristo. V – O Batismo no Espírito Santo Alguns o interpretam assim. havia arrependimento. Eles foram batizados em nome de Jesus e foram cheios do Espírito de Deus. pois Simão. esses fatos também aconteceriam com outros grupos. O derramamento foi acompanhado de sinais audíveis (At 2:2) e também de sinais visíveis (At 2:3). naquele lugar. Esquecem-se dos propósitos de santificação.MÓDULO A Exatamente no dia de Pentecostes (festa judaica para comemorar a colheita das primícias dos frutos. edificação e de capacitação de homens e mulheres para a Obra. A evidência então desse derramar foi o falar em outras línguas. Todas as denominações brasileiras. tradicionais ou pentecostais. seja numa comunidade. foram de falar em outras línguas e profetizarem. expansionistas e avivalistas. na realidade. mulheres e igrejas cheias do Espírito Santo e de avivamentos contundentes. e mais. realizada exatamente 50 dias após a páscoa judaica). o que almeja o Espírito Santo ao “batizar” uma pessoa. Eles haviam crido. o mágico. são fruto de homens. o fenômeno se repetiu sobre um grupo que se consideravam discípulos de João Batista. Havia fé.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. incluindo a Igreja Nova Vida. e que a igreja de Cristo seria constituída de povos de todas as raças. Já em Éfeso (At 19:2-6). Esse assunto é certamente bastante discutido e há séculos os teólogos divergem sobre sua correta interpretação. justificando sua tese com o argumento de que a promessa foi cumprida em At 2. Havia um ambiente de medo em função da “solidão” e da expectativa do que iria acontecer. ali. gentios e discípulos de João foi necessária para convencer os judeus-cristãos de que a promessa não era só para eles. viu algo extraordinário acontecer e desejou para si. a Bíblia nos parece suficientemente clara e lúcida para demonstrar o que é. após estes terem sidos batizados nas águas e mediante a imposição de mãos dos apóstolos (At 8:14-17). 1 . Outro derramar do Espírito Santo foi na casa de Cornélio (At 10:44-46) sobre os gentios (não-judeus) convertidos a Cristo. mas não batizadas nas águas. Esquecem-se também que toda expansão missionária se deu por ímpeto do mover do Espírito Santo. neste caso. estavam judeus de várias partes da terra. Com certeza.Um acontecimento histórico coletivo Escola Bíblica .

O Batismo no Espírito Santo produz frutos 5 . É algo que pode ocorrer simultaneamente ao batismo. ainda mais para ser cheio d’Ele. somos cheios. sustentam que as línguas expressas em Atos 2 são diferentes das mencionadas em I Co 12. SANTIFIQUE-SE – Épreciso ter uma “casa limpa” para ser habitação do Espírito Santo. é querer e trabalhar para ter uma vida agradável a Deus. contudo. Para estes. entendemos o ato do batismo no Espírito Santo. o falar em línguas é um dos Dons do Espírito e por isso só quem teria o dom de línguas é que falaria. que pode até aparecer não acontecer na vida do cristão. deseja encher todos os Seus filhos.Como receber o Batismo no Espírito Santo Se cremos que o batismo no Espírito Santo é uma segunda ação d’Ele em nós. a manifestação de qualquer um dos dons. capacitados. É exatamente assim que nós.. Há os que crêem que o batismo no Espírito Santo será sempre acompanhado do falar em línguas desconhecidas. de que acontece uma “segunda bênção” tem dois grupos com interpretações distintas. que é derramado sobre aqueles que O buscam e que sempre deverá produzir alguma habilitação espiritual na vida do crente. queremos mergulhar nas “águas do Espírito”. Neste caso. descritos em Gl 5:22-23. É uma atitude do Espírito em nós. mesmo este acreditando de que Ele. não mistifique! Santificar-se não é subir no monte três vezes por semana. quando do batismo (I Co 12:30).Igreja Nova Vida de Piedade Pr. no momento de sua conversão. etc. 4 . pode ser coletiva.pelo fruto se conhece a árvore. somos tocados e após isso. no momento de receberem a Jesus no seu coração. ou não. segundo o dicionário. Esta visão acima. Cesaréia e Éfeso. Sermos crentes sem estarmos cheios do Espírito é como ir à praia e só molhar os pés.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 2 . significa “iniciar”. ou no máximo por ocasião do seu batismo. por outro lado. segundo as evidências bíblicas em Jerusalém. Marcelo Costa 40 . e quando então houvesse o batismo no Espírito Santo haveria sim.Uma dádiva imediata à conversão do crente . Certamente não há uma “receita de bolo”. portanto. Esta tese afirma que o Espírito Santo é derramado sobre o homem em plenitude. E há também os que dizem que as línguas não são. a prova do batismo. que pode acontecer no início do relacionamento do homem com Deus ou demorar muito tempo. iniciar uma capacitação especial. que. sustenta que “a finalidade do batismo no Espírito Santo é fazer o novo crente adentrar no corpo de Cristo”. que possibilita ficarmos cheios da Sua presença e cheios de poder espiritual. É uma experiência pessoal. As coisas espirituais não se tratam matematicamente. quando aceitamos a Jesus.. então precisamos buscá-la.MÓDULO A - Os que assim crêem afirmam ser o ato de Deus dar o Seu Espírito para os crentes. Confundem a ação do Espírito Santo para a conversão do homem com a plenitude de capacitação do Espírito. mas. relatadas no livro de Atos. o Espírito Santo. Mas quando somos batizados. necessariamente. é inconcebível a idéia de que uma pessoa cheia do Espírito Santo não produza o(s) fruto(s) do Espírito. Mas Escola Bíblica . trabalhados no caráter e personalidade. da igreja Nova Vida... É preciso buscar e não desistir. mas há algumas sugestões que podemos fazer: BUSQUE – Certamente tudo começa assim. afinal.Um recebimento especial do Espírito Jesus afirmou (e afirma) que “. A palavra “batizar”. 3 . Nós. Billy Graham.”. ajoelhar no milho para orar.. Estes. por exemplo.

Você começa a obra de santificação e Ele termina. Precisamos d’Ele. Após a ascensão de Jesus é o derramamento do Espírito. por si só. A Bíblia afirma que “os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas” (I Co 14:32). a relação do Espírito de Deus era de visitação. já que Ele não habitava. DESCOMPLIQUE – Muitos insistem em complicar a ação do Espírito Santo. mas o Espírito convence o pecador de seus erros. mas sim uma realidade na vida do novo convertido. CONHECA O ESPÍRITO – Quanto mais você conhece uma pessoa (e Ele é uma pessoa) mais íntimo você fica. ministre.Convicção (Jo 16:7-11) Vejamos então algumas de Suas “produções”: Convencer significa levar ao conhecimento e aceitação verdades que de outra maneira seria posta em dúvidas ou rejeitadas. Escola Bíblica . por si mesma. A mente cauterizada pelo pecado tem dificuldades ou impossibilidades de. do Espírito. cure e muitas outras coisas. impede de enxergar com os olhos espirituais.Santificação (Ef 3:16) O Espírito Santo vem para os cristãos regenerados e neles habita. A ação inicial do Espírito Santo no AT era externa. Ele não vai “tomar” você de maneira histérica e incontrolável. Marcelo Costa 41 . não entramos “em transe”. Há lucidez! Ele jamais violentará nossa consciência. 4 . Quando o Espírito Santo nos usa. A regeneração não é simplesmente uma doutrina. passa a ser interna. a pessoa desperta para o mundo espiritual e começa a viver a vida espiritual. O pecado afasta o homem de Deus. Ele fortalece a nova vida íntima do cristão para combater as paixões da carne (Rm 8:6-9). mas isso não significa que os filhos de Deus são imediatamente perfeitos. refletido no fruto do Espírito (Gl 5:22-23). Tt 3:5) 3 .MÓDULO A não se esqueça de que você. Agora. Qual a função específica do Espírito Santo na vida do cristão? Por que Ele veio? Quais seus objetivos e o que produz? VI – A Obra do Espírito Santo na Vida Cristã 1 . vencer as tentações e desenvolver uma vida cristã.Habitação (Jo 14:17) Na regeneração. Mas quando o mesmo Deus que vivificou o corpo (de Adão e o nosso) vivifica a alma. e mais. O Espírito de Deus age de maneira progressiva e constante.Regeneração (Ef 2:1. compreender seus erros.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. Este faz morada em homens e mulheres (I Co 6:19. o Espírito Santo começa uma obra na vida humana. Ele promove a santificação progressiva no crente (II Co 3:18) e desenvolve nele o caráter cristão. mas permitimos que Ele fale. por ser habitante do ser humano. É um processo chamado santificação. A pessoa acostuma-se com seus pecados. é incompetente para ser santo.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . No AT. 2 . I Co 3:16). E batismo no Espírito Santo tem muito a ver com intimidade com Ele e Ele com você.

as línguas e a sua interpretação. O Espírito Santo é organizado (I Co 14:26-33). Marcelo Costa 42 . listados em Ef 4:11. embora os dons sejam manifestados em nós e o Espírito Santo more em nós. Pode-se manifestar. etc. não há conflito entre dons diferentes em pessoas diferentes.MÓDULO A - Uma das obras distintivas do Espírito Santo na vida do crente é o poder espiritual. em função de ser plenamente sobrenatural e é manifestado no momento exato da necessidade do cristão. Embora sejam utilizados na mesma obra e sejam congruentes (um pastor ou evangelista carece dos dons do Espírito). Não devemos nos esquecer de que.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 5 . existe um momento específico em que há uma inspiração sobrenatural em uma situação específica e urgente.Igreja Nova Vida de Piedade Pr.Revestimento de Poder (At 1:8) VII – Os Dons do Espírito Santo .Dom da Palavra de Sabedoria Escola Bíblica . desconfie. simplesmente por usar. estes são distintos. não são dons do Espírito. os dons continuam sendo d’Ele e não nossos. Há sempre proveito. em capacidade para realizar atos incomuns (Hb 2:4) e em resistir ao poder carnal e do tentador (Gl 5:16-25). se não houver. Pessoas misturam o sobrenatural com o emocional e confundem. Este poder se revela em evangelizar (At 1:8). na qual o cristão esgotou todas as possibilidades de soluções humanas. Os dons do Espírito Santo. conhecimento e discernimento. que não deve ser vilipendiada. por exemplo. A manifestação do Espírito é dada a cada um visando um fim proveitoso (I Co 12:7). a liderança também é usada pelo Espírito de Deus. A Evangelização. mas sim ordenanças a todos os que crêem (Mc 16:16): A expulsão de demônios. catalogados em I Co 12 e descritos até o capítulo 14 podem ser classificados em três grupos: DONS DE REVELAÇÃO – Palavra de sabedoria. mas o Espírito é o mesmo (I Co 12:4). O Espírito Santo não usa ninguém a toa. fruto de vivência e conhecimento cultural. . A distribuição dos dons tem algumas facetas interessantes: Os dons são diversos. prudência ao tratar assuntos (At 6:3). milagres e dons de curar. pois afinal. portanto. O dom da Palavra de Sabedoria difere da sabedoria adquirida. efetivamente. DONS DE EXPRESSÃO – A profecia. Deus. ou seja. ou dos dons listados em Rm 12:4-8... Há também algum misticismo quanto aos dons do Espírito. Este poder é sempre destinado a servir e é derramado sobre homens que já estão em relação íntima com Cristo. Por exemplo. Há sempre uma liderança a ser seguida. habilidade no trato com pessoas fora da igreja (Cl 1:28). É preciso ser coerente e sensato para deixar o Espírito Santo nos usar sem conflitos. através da interpretação de sonhos e da fala de conselhos sábios (At 7:10). É interessante lembrar a você que os dons do Espírito são diferentes dos ministérios de Jesus. 1 . A oração intercessória. não é Deus de confusão. DONS DE PODER – Fé.

de maneira prática. não devemos nos tornar cristãos dependentes das indicações “proféticas” do “irmão” ou da “irmã”. mas além dele. normalmente advinhatória. E este é o dom capaz de identificar a origem da manifestação sobrenatural. palavras e ações de origem demoníaca. “ele” (Lc 1:67-79). ou um sentimento nítido em nossa alma. A operação do dom de discernimento é sobrenatural sim. por exemplo. todo cristão deve colocar em prática os conceitos de I Jo 4:1-6 e M 7:15-23. Sendo assim. e não o inverso. completar. pois nos protege contra carnalidades. É nítido que pode haver uma inspiração falsa. com a obra de espíritos enganadores e até mesmo obra humana. que vos fala”? Com certeza não! Zacarias.MÓDULO A - Também chamada “palavra de ciência”. este dom é utilizado por Deus para que tomemos conhecimentos de detalhes de coisas ou eventos dos quais não conhecíamos. “Sou EU. A PROFECIA NÃO DEVE SER DESPREZADA – (I Ts 5:20). A manifestação do dom da profecia não está no mesmo nível da inspiração das Escrituras.Dom de Discernimento de Espíritos A profecia é uma expressão verbal inspirada pelo Espírito de Deus. Marcelo Costa 4 . É normalmente nos dado através de uma suave impressão em nossas mentes. 3 . ou inspiração prévia. nenhuma profecia contemporânea pode contradizer.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 2 . alterar ou redirecionar qualquer afirmação escriturística. portanto. além de nos fazer valorizar a autêntica manifestação de Deus. Ao mesmo tempo que não devemos desprezar a profecia. o Senhor. ou não (I Ts 5:19-20). para que haja alguma intervenção sobrenatural. Escola Bíblica .Dom de Profecia 43 . É um pronunciamento ou declaração de fatos.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. ciência é o conhecimento profundo ou a compreensão das coisas divinas e sabedoria é o conhecimento prático ou habilidade que ordena ou regula a vida de acordo com seus princípios fundamentais. O dom de discernimento é um instrumento precioso para o cristão e a igreja. OS PROFETAS NÃO DEVEM SER PROCURADOS COMO AGNÓSTICOS OU ADVINHADORES – Há um conceito místico de buscar reuniões onde a ênfase é a profecia. EXORTAR E CONSOLAR – A profecia não é usada por Deus para disciplinar ou envergonhar publicamente ninguém (I Co 14:3). Será que toda profecia deve ser proferida na 1ª pessoa do singular. É um erro que já induziu muitos a frustração. a profecia se distingue da pregação comum pelo fato de que a pregação é o resultado do estudo da revelação existente na Palavra de Deus. tipo. Um exemplo claro está em At 16:18. Qual a diferença entre sabedoria e ciência? Segundo um erudito.Dom da Palavra de Conhecimento . é uma capacidade de um conhecimento mais profundo. Algumas características importantes: A PROFECIA DEVE EDIFICAR. durante uma pregação pode (e deve) haver manifestação profética. Quando Deus quer falar profeticamente a alguém Ele envia um profeta até essa pessoa. mais amplo e avançado da Palavra de Deus e do próprio Deus. inspirado de um modo sobrenatural. enquanto que a profecia é uma inspiração espiritual instantânea. Além disso. Toda profecia ouvida deve ser examinada à vista das Escrituras e aceitas. profetizou na 3ª pessoa do singular.

Isso não significa que a pessoa que possua este dom vá produzir saúde em todos os enfermos que se achegarem a ela. Em qualquer uma das hipóteses.Igreja Nova Vida de Piedade Pr. portanto. passo a passo. a conjugação de dom de línguas mais a interpretação destas resumem-se numa transmissão de uma mensagem de Deus. das línguas mencionadas em I Co 12. que o mesmo Espírito as produziu. na sonoridade.Dom de variedade de Línguas É uma operação puramente espiritual. 6 . afinal. Parece ser o dom mais presente e comum entre os cristãos. quando se deve dar lugar ao Espírito e à Palavra. da mesma maneira a interpretação emana do Espírito. e o próprio Cristo foi limitado em sua capacidade de operar milagres por causa da incredulidade do povo (Mt 13:58). Assim como o falar em línguas não é concebido na mente. Não há proveito coletivo e sim para o próprio indivíduo. Deus continua soberano. Outros afirmam serem idênticas e afins. Marcelo Costa 44 . porém. inspirada. O mesmo Espírito que inspirou o falar em outras línguas é o que pode inspirar sua interpretação. não se tornando por isso inferior ou superior aos outros. os pastores e oficiais estão dotados de autoridade para orar pelos enfermos (Tg 5:14).Dom de Interpretação de Línguas 7 .Dom de Cura O dom de cura é caracterizado pela manifestação do Espírito Santo em trazer saúde sobre a vida de alguém que recebe ministração. É fato que todos devemos ministrar cura. Quando o profeta se torna autônomo da liderança que Deus colocou sobre ele. todos os crentes em geral.MÓDULO A NÃO SE DEVE VALORIZAR UM PROFETA “FREE-LANCER” – O princípio da obediência e submissão à autoridade eclesiástica não pode ser esquecido. também começa. assemelhando-se a uma profecia. NÃO SE PODE CONFUNDIR CONTEÚDO CULTURAL COM MANIFESTAÇÃO DE DEUS – O que se vê muito no meio evangélico contemporâneo é uma visão mística-religiosa de profecia. extática e espontânea. ou mesmo a linguagem dos anjos (I Co 13:1). a se tornar autônomo do próprio Deus. A interpretação é. esta capacitação do Espírito parece ser algo mais específico. e não à cultura carnal-religiosa. não é uma língua adquirida por meio de conhecimento ou prática. 5 . e sim por meio sobrenatural. pela mesma pessoa ou por outra pessoa presente. parece haver dois propósitos na manifestação do dom de línguas: PESSOAL – Louvor em êxtase dirigido a Deus somente (I Co 14:2). Outra informação relevante é que a pessoa enferma não depende inteiramente de quem possua o dom.CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA . As línguas são expressões verbais de sons desconhecidos do individuo. Neste caso. Todos concordam. na mesma proporção que evangelizar ou libertar cativos do diabo (Mc 16:17). mas conhecido em algum lugar do universo (língua natal de algum povo). porém. É o único dom essencialmente e obrigatoriamente acoplado a outro – o de línguas. é imperativo que haja a manifestação do dom de interpretação de línguas. Escola Bíblica . COLETIVA – Expressão em línguas através de uma pessoa com um fim de transmitir uma mensagem de Deus a uma coletividade ou igreja (I Co 14:5). Efetivamente. Diversos teólogos afirmam que as “línguas como de fogo” identificadas em At 2 são uma experiência diferenciada. Assim.

manifestações impossível. mas sim pode traduzir-se por “Fé especial”. Escola Bíblica . 9 . através de suas vidas. Marcelo Costa 45 .CURSO DE TEOLOGIA SISTEMÁTICA 8 . surpreendentes e muitas vezes inusitadas.MÓDULO A - Esta deve distinguir-se da fé salvadora e da confiança em Deus.Dom de Operação de Milagres Literalmente “obras de poder”. Parece com a fé que Jesus descreveu em Mc 11:22-23. É uma qualidade de fé que parece vir sobre alguns servos de Deus em tempos de crise e oportunidades especiais. É simplesmente e totalmente permitir que o Espírito Santo faça. sem a qual é impossível agradar-Lhe (Hb 11:6).Igreja Nova Vida de Piedade Pr.Dom da Fé . Bem representado no anúncio de Jesus em At 1:8 e em Jo 14:12. de uma maneira tão poderosa que os faz triunfar sobre tudo.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->