P. 1
LED em IP

LED em IP

|Views: 129|Likes:
Publicado porNeil Maxwell

More info:

Published by: Neil Maxwell on Jul 15, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/12/2013

pdf

text

original

LEDS PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA

Jackson Merise Novicki & Rodrigo Martinez
Curso de Engenharia Elétrica – Universidade Federal do Paraná Curitiba – Paraná - Brasil e-mail: jackson_novicki@yahoo.com.br & rodrigodi_di@yahoo.com.br Resumo – O artigo tem como objetivo concentrar estudos e soluções baseadas em novas tecnologias e novos conceitos a serem implementadas em iluminação pública, visando à redução no consumo de energia elétrica. A economia de energia elétrica é um assunto de grande importância, pelo fato do País se aproximar de uma possível crise energética. As tecnologias que foram estudadas são baseadas em LEDs de alto brilho aplicadas à iluminação pública, que tem por objetivo avaliar uma possível substituição da luminária com lâmpada vapor de sódio 70W por um modelo de luminária a LED. Foram realizadas pesquisas baseadas em catálogos de diversos fabricantes e ensaios luminotécnicos para obtenção de informações técnicas, visando atingir níveis satisfatórios de economia e qualidade na iluminação pública. As luminárias de tecnologia a LEDs já é uma realidade em alguns países e com grandes chances de serem aplicadas em outros países. Mas para que haja êxito na em sua implantação, devem ser analisados diversos fatores os quais serão abordados no decorrer deste trabalho. Concluiu-se que a partir dos dados obtidos na literatura e informações dos fabricantes, seria possível a substituição das luminárias a vapor de sódio 70W, desde que sejam ensaiados todos os modelos de luminária para verificar se os dados estão de acordo com as normas brasileiras. Palavras-Chave – Iluminação pública, testes luminotécnicos, estudos comparativos entre luminárias, eficiência energética, novas tecnologias. (70Watts). To obtain the needed technical information, a lot of research was done on several manufacturers catalogs and lighting tests, hoping to reach satisfactory levels of economy and quality in public illumination. The LED technology luminaries have been used in a few countries and they have very good prospects of being implemented in other countries as well. In order for this implementation to be real, a lot of factors must be analyzed. They will be addressed in this study. The possible substitution of the 70Watts sodium steam bulb for a LED luminary would be feasible only if it is guaranteed, through tests, that the LED luminaries are more efficient, have a higher bright flow when compared with the usual steam bulb and if they fit the brazilian technical standards. Keywords – Public Illumination, luminotecnics tests, comparative studies between lighs, energy efficiency, new tecnology . NOMENCLATURA Lm Cd Lm/W LED HB-LED VS70W Grandeza do Fluxo luminoso, (lúmen). Grandeza de Intensidade Luminosa, (candela). Eficiência Luminosa. Light Emission Diode. High Brightness LED. Vapor de Sódio 70Watts. I. INTRODUÇÃO O LED (do inglês Light Emission Diode, diodo emissor de luz) é um dispositivo eletrônico semicondutor, que quando polarizado diretamente, dentro do semicondutor ocorre a recombinação de lacunas e elétrons. Essa recombinação exige que a energia armazenada por esses elétrons sejam liberadas na forma de calor ou luz devido à passagem da corrente elétrica na junção anodo para o catodo. [1] Diferente de uma lâmpada o LED não possui filamento, o grande responsável por converter a maior parte da energia elétrica em energia térmica (calor) que significa desperdício, pois o objetivo é iluminar e não aquecer. Este é capaz de produzir muito mais luz visível do que calor ao ser comparado com uma lâmpada incandescente, o que o torna mais eficiente chegando a economizar 50% da energia comparada às fontes tradicionais. [2] A estrutura básica de um LED é uma pastilha semicondutora sob uma superfície refletora em forma de concha, envolvida por uma resina que direciona o feixe luminoso. Conforme a fig. 1.

WORK ABOUT PUBLIC ILLUMINATION WITH LEDS
Abstract – The article has as target to concentrate the studies and solutions based in new technologies and new concepts of public illumination to be implemented, always having electric energy saving as a goal. Considering that our country is near of an energetic shortage, reducing the waste of electric power is such an important issue. The technologies that have been studied are based in high brightness LEDs, having as objective to compare and to decide whether or not a LED luminary is a feasible substitution for the sodium steam bulb1
Trabalho de Conclusão do Curso de Graduação em Engenharia Elétrica na Universidade Federal do Paraná, desenvolvido no período de fevereiro a junho de 2008, sob orientação do Professor Ewaldo Luiz de Mattos Mehl Dr.

1

Uma das primeiras aplicações do LED era para indicar quando o equipamento eletro-eletrônico estivesse no estado ligado ou desligado. o LED ganhou espaço em diversas aplicações na indústria automotiva para sinalização e iluminação em veículos. O HB-LED (do inglês High Brightness. . [4] Na década de 90 estudiosos desenvolveram a tecnologia InGaN. madeira sendo consumida e CO2 lançado no ar. Através dessas descobertas abriu-se a possibilidade de combinar as cores primárias para cobrir todo o espectro de cores e inclusive a cor branca.000 horas. passando a ser utilizada na indústria automotiva para sinalização e também para iluminação. Para obter a vermelha é o (AlGaInP). limitavam os LEDs a níveis de intensidade luminosa de 4. 3. 3. entre outras. Podendo gerar potências que variam de 1W a 5W e vida útil média de 50. Fig. Nos anos 80. conforme a Fig. UMA NOVA TECNOLOGIA A. Fig. possibilitando obter as cores azul. vermelho e azul). [6] B. Alguns países desenvolvidos já utilizam a tecnologia dos LEDs em suas cidades para a iluminação pública e os fabricantes ao identificarem essa tendência. a cor verde é o (InGaN) e o azul é o (InGaN) e as outras cores através de combinações diferentes destes elementos. 3.Fig. LED de alto brilho) é capaz de gerar grande quantidade de luz. 1. [5] 4) Outra forma de obter a cor branca é através do uso do LED azul com adição do fósforo amarelo. letreiros luminosos. 2.[4] As tecnologias usadas anteriormente. HB-LED. [4] 2 Fluxo Luminoso (lm) Intensidade Luminosa (cd) Iluminância (lx=lm/m2) Luminância (cd/m2) Fig. Estrutura do LED. do inglês: verde. correspondendo a 1/60 da intensidade luminosa emitida por um centímetro quadrado da superfície de um corpo capaz de absorver toda energia radiante nele incidida. e potências que variam de 1 a 5 W. Read and Blue. Os elementos que geram as cores são adicionados ao semicondutor ou pastilha do LED que compõe a cor. com ângulos de abertura para feixes luminosos de 8 a 30 graus.000 milicandelas. Conceitos Básicos de Iluminação. [5] 2) Intensidade Luminosa (cd): Valor de energia radiante emitida por uma fonte de luz. [4] Atualmente com o avanço da tecnologia é possível obter fluxo luminoso de 200 lm. com o avanço da tecnologia.3. desenvolvendo produtos mais rentáveis e de alto desempenho. Fig. LED.Cores que compõe a luz branca 3) Iluminância (lx=lm/m2): É o fluxo luminoso que incide sobre uma superfície situada a uma certa distancia da fonte. Ao final da década de 90 surgiram os primeiros LEDs de brilho mais elevado obtendo-se de 30 a 40 lumens e podendo atingir ângulos com abertura de 110 graus para feixes luminosos. A Iluminação Pública é responsável pelo consumo de 20% de toda a energia gerada pelas centrais elétricas. [5] Luminância (cd/m2) :É à intensidade luminosa produzida ou refletida por uma superfície aparente. devido a sua baixa intensidade luminosa. sendo apropriado no campo da iluminação pública. iluminação decorativa. a substituição do modelo atual por uma nova tecnologia.[3] A luz branca pode ser obtida através da combinação das três cores básicas GRB (Green. 2. 3. [5] Fig. 1) Fluxo Luminoso (lm): Quantidade de Energia produzida por uma fonte luminosa. atingindo elevados níveis de intensidade luminosa. estão apostando na tecnologia. iluminação publica. verde e ciano para o LED. os fabricantes desenvolveram LEDs de coloração vermelha e âmbar.000 a 8. II. Conceitos Básicos. Com o desenvolvimento da tecnologia. significa menos combustível fóssil sendo queimado. Fig.

temperatura de cor e operação. Lentes e Dissipadores de Calor.18 W/mK Fig. é formado pelos seguintes equipamentos: LED. [1] Cobre: 400 W/mK Silício: 148 W/mK Aço Inoxidável: 16 W/mK Alumínio: 170 W/mK Aço Carbônico: 60 W/mK Acrílico: 0. O diagrama é um método utilizado para representação de cor. A Fig.7. Tabela I Modelos de HB-LED. proteções contra sobretensão. Essa curva pode identificar se a luz branca tem temperatura de cor fria (Tom mais Azulado) ou quente (Tom mais Avermelhado). através do uso de diferentes elementos em seu semicondutor.500 200 1. [1] 4) Dissipadores de Calor . Comparativo de condutividade térmica empregada nos dissipadores. sendo independente da temperatura de cor da fonte. O índice de Reprodução de Cor (IRC) representa a qualidade em que as cores serão reproduzidas por uma fonte de luz. de tal forma que se tenha um bom aproveitamento dos LEDs para manter por maior tempo suas características luminosas. Fonte de alimentação. [1] 100 0 1) LEDs .6 mostra a condutividade de alguns materiais empregados nos dissipadores de calor. 4 varia entre 40 a 140lm/W. concentrar (maior quantidade de luz produzidas em uma determinada direção) e também para uma melhor distribuição do feixe luminoso. 2) Fonte de Alimentação . 3) Lente . Condutividade Térmica dos Materiais /m W K 400 300 200 Fig. [4] objetivo de direcionar. [1] 3 . com comprimento de onda na ordem de nanômetros (nm). Estrutura da Luminária LED. existe uma curva característica que expressa a temperatura de cor medida em Kelvin.500 65 700 LED III 5. o projetista deverá estipular qual será o modelo de LED mais adequado para a aplicação que deseja. [1] Configuração estrela Modelos LED I LED II 5.a Diagrama Cromático. 5. que foi desenvolvido em 1931 pela Comissão internacional de Iluminação (CIE).500 (K) Fluxo Luminoso 45 (lm) Corrente (mA) 350 Além da estrutura que compõem a luminária é necessário levar em conta outros fatores como o Diagrama Cromático Fig. alguns fatores como tensão de entrada. Tabela II Lentes conforme o necessidade dos HB-LEDs. tamanho. Luminárias a LEDs Basicamente o conjunto que compõe uma luminária a LED conforme a Fig.000 Temperatura de Cor 5.Atualmente a eficiência luminosa de um HB-LED Fig. O diferencial de cada modelo está relacionado à eficiência. conforme a Tabela II de um determinado fabricante.7.5. usando configuração estrela. 4. [7] Ângulo (°) C. Estrutura de um HB-LED. reguladores de luminosidade e fatores de correção deverão ser levados em conta no projeto. A Tabela I destaca essas diferenças de um determinado fabricante.Ao estipular a escolha da fonte de alimentação a serem implementados na luminária.Para obtenção de um melhor rendimento em níveis de iluminação utiliza-se lentes com o Fig.6.Para melhor dissipação de calor é necessário usar dissipadores adequados à instalação que serão submetidos.Dependendo do tipo da situação. Internamente ao gráfico cromático.500 120 700 LED IV 6. [1] Características Lente I 10 Lente II 6 / 12 / 24 Lente III 10 / 30 / 45 Lente IV 12 / 30 / 50 Fig.

A temperatura de cor Fig. Fator que causa Poluição Luminosa que são os dois modos à esquerda. cujos dados foram obtidos em laboratório o qual gera certificado para comercialização das lampadas. 6) Poluição luminosa – É causada pelo desperdício de luz artificial no período da noite. Vantagens do uso de LEDs em iluminação pública: 1) Segurança – Por operarem em baixa tensão. cerca de 50 mil horas. 2) Vida útil – Maior vida útil. [9] Fig. Sendo projetada de maneira incorreta ao céu que fica coberto por uma enorme bolha luminosa. em função da temperatura que estão submetidos. péssimo e ruim. A razão deste efeito negativo está no modo como é projetada a luz.Como forma de proteção é necessário investir em dispositivos de segurança para evitar danos ou podendo queimar a luminária a LEDs. tirando a nitidez das estrelas. Fig. não está se referindo ao calor específico da lâmpada. Luminária pública com aletas metálicas para resfriamento por convecção. [10] Fig. mais relaxante será o ambiente. pois sua iluminação é direcionada sendo considerada ideal como demonstra a ilustração na Fig. As luminárias estão organizadas em: modelos ensaiados. Poluição Luminosa. [8] D. 3) Consumo – Baixo consumo de energia proporcionando um elevado grau de eficiência. CARACTERÍSTICAS DE LUMINÁRIAS PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA A seguir será apresentado o comparativo da Luminária com lâmpada do tipo VS70W com alguns modelos de luminárias a LED.b. O termo temperatura de cor. os quais foram baseados em informações fornecidas pelo fabricante. [v] Uma forma de dissipar o calor em luminárias é através do uso de aletas metálicas. evitando a atração de insetos à luminária e degradação das características originais da luminária. 8b. podendo atingir um fluxo luminoso considerável. reduzindo conseqüentemente o custo de manutenção. E. Desvantagens do uso de LEDs em iluminação pública 1) Temperatura – Com o passar dos anos. 5) Resistência – São resistentes a impactos e vibrações. proporcionando segurança em sua instalação e utilização. Estudos revelam que quanto for mais suave à tonalidade da cor. mas sim a tonalidade apresentada ao ambiente. a luminosidade de um LED não se mantém constante.7. expressa a aparência de cor emitida por uma fonte de luz medida em Kelvin (K). e quanto mais claro será mais estimulante para o ser humano.7. com picos de tensão. Quanto mais alta for sua temperatura de cor. III. conforme a Fig. podendo se degradar de forma bem acentuada. diminui os riscos de acidentes e fatalidades.b Temperatura de Cor retirada do Diagrama Cromático. 4 . 8a. pois estas provocam um resfriamento natural por convecção como demonstra na Fig. [11] 2) Custo – Por se tratar de uma nova tecnologia os custos de implantação ainda são elevados. 8b.9.9. 4) Emissões de UV – Não emitem radiação ultravioleta. e modelos obtidos de catálogo. mais clara será a tonalidade da luz. Fig. 8a. Na iluminação a LED este efeito é minimizado. 3) Sobretensão – A rede elétrica está sujeita a distúrbios no sistema elétrico.

b aguardouse um período de 15 minutos . conforme a Fig. Fig. divergindo do valor apresentado no catálogo da lâmpada VS70W que é 6. 10a. nas dependências do Centro Politécnico da UFPR (Universidade Federal do Paraná). ENSAIO DAS LUMINÁRIAS PARA A COLETA DE SEUS DADOS O ensaio foi realizado no laboratório de luminotécnica do LACTEC (Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento). Esfera Integradora Fechada. Este foi necessário pois a Luminária HB-LED não possui dados luminotécnicos. tempo necessário para que a lâmpada atinja o máximo de seu fluxo luminoso. Instrumento que mede a iluminância.12.900 Fig.500 42 24. A diferença no valor do fluxo luminoso medido com o valor apresentado em catálogo.000 1. 1) LUMINÁRIA COM LÂMPADA VS70W . juntamente foi ensaiada uma Luminária com lâmpada VS70W.A lâmpada VS70W é bastante usada para iluminação de vias públicas de baixíssimo tráfego. LACTEC Fig.10d. 10d.500 lm. Os dados do ensaio estão descritos na Tabela III. Luminária Vapor de Sódio 70 W. LACTEC Vapor Sódio 70 + Reator 14 84 3.A. Fig. sua potência e a sua aplicação. a qual era compatível com o objetivo que era de substituir a luminária VS70W. a luminária apresentou um fluxo luminoso de 3. luminárias com lâmpada a vapor de mercúrio 125W pelas luminárias com lâmpada a VS70W. Fig. proporciona uma pior reprodução das cores no ambiente que ela ilumina. 10a. Instrumentos de coleta dos resultados.. Analisador de potência 2) LUMINÁRIA HB-LED PROTÓTIPO . devido sua alta eficiência luminosa. 10c. 12 foi adquirida através de um fornecedor localizado na região metropolitana de Curitiba. 10b. Fig. a seguir a luminária foi energizada. O fotômetro mediu o valor do fluxo luminoso. 11. 10. Luminária . Modelo Potência (W) Fluxo Luminoso (lm) Eficiência Luminosa (lm/w) Vida Mediana (h) Temperatura de Cor (K) Fig.A luminária Fig. Após esse período foram avaliados os resultados obtidos nos instrumentos de medição. está relacionado ao refletor da luminária o qual não é muito eficiente e também pode estar relacionado a sua vida útil (tempo em horas que reduz 25% do fluxo luminoso da lâmpada). junto a UFPR para a realização de testes luminotécnicos. [13] Uma das desvantagens da lâmpada vapor de sódio está no baixo ICR (índice de reprodução de cor). que corresponde a 25 de uma escala limitada entre 0 a 100. Fotômetro Fig 10e. Fig. [12] Tabela III Dados obtidos em ensaios no LACTEC referente à luminária com lâmpada vapor de sódio 70W. e por fim o a potência das luminárias no analisador de potencia. As luminárias foram fixadas na esfera integradora. Recentemente várias cidades optaram pela substituição das 5 Fig. o valor a iluminância e temperatura de cor foi determinado pelo dispositivo da Fig. Fig. Uma lâmpada que tem seu ICR baixo. 10f. Este ensaio foi necessário pois não foram encontrados os dados em catálogo do conjunto luminária com lâmpada VS70W. 10f. 10e. com o objetivo de reduzir o consumo na iluminação pública. Esfera Integradora. LACTEC Fig.000 lm.. conforme a Fig. 11. cor e temperatura de cor. momento do ensaio. 10c. Para a determinação de seus dados o fabricante da luminária disponibilizou o tipo de LED usado.

conforme a Fig . 6 . O valor 75W em seu modelo representa a potência que esta é capaz de substituir. a luminária apresentou um consumo de energia consideravelmente inferior à lâmpada de vapor de sódio. Luminária HB-LED LU2. Modelo Potência (W) Fluxo Luminoso (lm) Eficiência Luminosa (lm/w) Vida Mediana (h) Temperatura de Cor (K) HB-LED Protótipo 39. A eficiência luminosa da luminária é de aproximadamente 15. Modelo Potência (W) Fluxo Luminoso (lm) Eficiência Luminosa (lm/w) Vida Mediana (h) ICR Temperatura de Cor (K) HB-LED LU2 66 4.000 Durante o teste. 15. Tabela IV Dados obtidos em ensaios no LACTEC referente à luminária HB-LED Protótipo. 14.14 e seus dados técnicos estão na TabelaV. e seus dados técnicos estão apresentados na Tabela VI.000 5.. correspondendo ao fluxo de uma lâmpada fluorescente compacta de 11W. [15] Fig. [14] Tabela VI Dados obtidos do fabricante referente à luminária SL-75W. Fig. pois o fluxo luminoso recomendável para esse tipo de ambiente deve obter um valor de 4.4 lm/W. tornando impraticável sua instalação em iluminação pública. mas seu fluxo luminoso deixou muito a desejar.126 Distância Iluminância (E) 6m 8m 10 m 26 lux 15 lux 9 lux 12 m 6 lux Fig.000 >75 3.500 Um dos diferenciais dessa luminária é capaz de iluminar a uma distancia de até 12 m de altura. B. Fabricante BBE.7 50.Uma das dificuldades para a realização do ensaio foi no modo de fixar a luminária para que esta ficasse no centro da esfera integradora conforme Fig. Os dados obtidos seguem na tabela IV.000 lm. o que corresponde a uma baixa eficiência luminosa.8 612 15.6 50. 1) Luminária a LEDs LU2 . Iluminância da luminária HB-LED LU2. [14] Tabela V Dados obtidos do fabricante referente à luminária LU2.15.4 50. 10a. desenvolveu a LU2 Fig.200 63.200 66.Produzida pela Leotek Eletronics Co. A luminária possui luxo luminoso equivalente de uma luminária VS70W.13. MODELOS CUJOS DADOS FORAM OBTIDOS EM CATÁLOGO. [14] 2) Luminária a LEDs SL-75W . pois seu modelo não possui conector compatível aos disponíveis no laboratório.000 ~ 7.A fabricante Chinesa Bang-Bell Eletronics (BBE) entre outros modelos.000 5. Luminária HB-LED Leotek SL-75W. 13 para substituir a luminária com lâmpada a VS70W ou luminária com lâmpada a Vapor de Mercúrio. Modelo Potência (W) Fluxo Luminoso (lm) Eficiência Luminosa (lm/w) Vida Mediana (h) Temperatura de Cor (K) HB-LED SL-75W 48 3. a luminária SL-75W conforme Fig.

então o tempo de operação desta luminária será de 12 anos. 17. Lembrando que o consumo diário para iluminação publica é de 11 horas e a vida mediana de uma luminária HB-LED é de 50.000 4m 6m 8m 29 lux 18 lux Fig.126 5.000 7.000 3.000 3. com vida mediana de 24.000 5.200 66. A Fig.0 50.000 horas. foi estipulada uma quantidade de 1. [16] Tabela VII Dados obtidos do fabricante referente à luminária SSTL-05 Modelo Potência (W) Fluxo Luminoso (lm) Eficiência Luminosa (lm/w) Vida Mediana (h) Temperatura de Cor (K) HB-LED SSTL-05 50 3.Produzida pela fabricante Shnezhen. a luminária representada na Fig.000 luminárias no estudo de eficiência energética.7 50.6 50. 17 e seus dados técnicos na Tabela VII. é que uma das luminárias a LED atinja fluxo luminoso semelhante ao atual mas que tenha um consumo de energia inferior. onde a luminária que estiver mais próximo da origem do gráfico é a luminária com pior desempenho e a luminária que obter menor consumo com alto fluxo luminoso poderá ser o modelo com maior chance de substituir o modelo atual. 18 apresenta o gráfico que faz essa comparação entre luminárias. Distância [16] Iluminância (E) 50 lux A seguir será apresentada a tabela VIII com informação referente a cada uma das luminárias. 16 surge no mercado com design moderno. com suas características técnicas Tabela VIII Comparativo de Luminárias. Iluminância da luminária HB-LED SSTL-05.16.200 (lm) Fig. Após obter o cálculo da demanda evitada.200 3.200 63.000 1900 5.3) Luminária a LEDs SSTL-05. foi possível comparar qual modelo é mais eficiente. O gráfico representando a iluminância da luminária é apresentado na Fig. Luminária HB-LED SSTL-05.500 5. foi possível determinar quanto de energia elétrica seria economizada ao ano com a substituição das luminárias propostas em MWh. COMPARATIVO ENTRE AS LUMINÁRIAS. Fig. Para efeito de cálculo. Com os dados de cada luminária. é compacta e semelhante às luminárias convencionais.000 50 3. COMPARATIVO ECONÔMICO ENTRE AS LUMINÁRIAS A LEDs.19. Vale lembrar que uma luminária com lâmpada VS70W operando nas mesmas condições. Após a realização de pesquisas com as luminárias a LEDs apresentadas neste artigo.000 60.500 4. como já foi apresentado anteriormente.8 Shenzhen SSTL-05 Leotek SL-75W HB LED Protótipo 612 3.000 HB-LED Protótipo 39.500 42 24. Dados Técnicos Potência (W) Fluxo Luminoso (lm) Eficiência (lm/W) Vida Mediana (horas) Temp. Cor (K) VS 70W 84 3. [16] W 84 VS70W 66 BBE LU2 50 48 39. 11horas/dia.000 Leotek Shenzhen SL-75W SSTL-05 48 3.000 60 50. Comparativo entre luminárias.18.4 50. foi elaborado um estudo luminotécnico e econômico para comparar o consumo de energia elétrica entre as luminária estudadas.8 612 15. D.000horas resultará somente em 6 anos de 7 . usou-se o cálculo da demanda evitada na ponta que é dado entre a diferença da potência total instalada pela potência total proposta em kW.000 C.000 BBE LU2 66 4. O critério para substituir a luminária com lâmpada VS70W. Para melhor compreensão do cálculo envolvido no gráfico Fig.

superled.200 1.616 1. Acessado em: 10 maio 2008 [12] Lumens. Ltd.ufsc. sendo usada para iluminação decorativa.htm Acessado em: 30 maio 2008. 27 de junho de 2006. março 2008.lumens.com/products/high-power-led-streetlightLU2. Disponível em: http://www.19.000 2. cujo valor foi de 3500lm. Street Light-90W.br/arq5661/trabalhos_2001-2/ iluminacao/fotometria.Disponível em: http://www.rasc. Whats is Light Polution?. A enciclopédia livre. Vale ressaltar a sua capacidade de atingir altos níveis de fluxo luminoso.htmlAcessado em: 13 maio 2008 5.html Acessado em: 10 maio 2008 [10] Canadian Space Agency. Agosto 2007. com potência igual a 48W.BBE LU2 High Power Led Streetlight.leotek .br/zbxe/?document_srl =514 Acessado em: 1 maio 2008.html. obteve o melhor resultado. O estudo na área da iluminação pública poderá ser estendido a futuras tecnologias voltadas a este tipo de aplicação cuja luminária apresente um maior rendimento. Eficiência Energética na Iluminação Pública. Disponível em: http://www. quando usado o período de uma luminária a LED. Agradecem também ao Engenheiro Fernando Augusto Lopes Corrêa ao apoio dado nos estudos de 8 612 .com/products/ line. proporcionará economia de energia elétrica em nossas usinas hidrelétricas.com/portalHome. usouse o requisito fluxo luminoso para comparar qual luminária obteve o melhor resultado.100 175 HB-LED PROTÓTIPO 39. [7] Philips. Acessado em 1 maio 2008. CONCLUSÃO A tecnologia dos LEDs vem ganhando espaço e deixando de ser apenas um sinalizador (Ligado-Desligado) em equipamentos. Linhas Publicas/Específica/Industrial/Comercial/ Decorativa. ensaiada em laboratório.8W 0 71 BBE-LU2 66W 135 SHENZHEN SSTL-05 50W 143 1. Ano 43.com/led_illumination.br/mainPHILIPS. 14 outubro 1997. 19.000 LEOTEK SL-75W 48W Ene rgia Econom izada 1 ano ( MWh ) Fluxo Lum inos o ( lm ) Tole rância (lm ) Ene rgia Econom izada 12 anos ( MWh ) Fluxo Aceitáve l Ilum inação Pública ( lm ) Fig. Royal Astronomical Society of Canada.transportlearning. 18 e Fig. Disiponivel em: http://www.copel.wikipedia. Comparativo entre o Fluxo luminoso e a Economia de Energia das luminárias.htm Acessado em: 13 maio 2008 [15] Leotek Electronics Corporation. 2008. [14] Shenzhen Bang-Bell Eletronics Co.Bright International Co.luxeon. determinou-se que a luminária BBE LU2 atingiu o valor de 4200lm a qual ultrapassou o fluxo da luminária VS70W.html Acessado em: 13 maio 2008 [13] Normas Técnicas COPEL. Apesar do elevado custo de implementação a tecnologia pode ser aplicada pois o retorno do investimento viabiliza o projeto. Disponível em: http://www.arq. All in one Plug and Play guide.ca /asc/eng/educators/resources/stars/light.gc.philips. Disponível em: http: //www. O uso das luminárias a LEDs já é uma realidade em algumas cidades de países com poderio econômico elevado. Iluminação. Luminária PL-24. Disiponivel em: http:// bbeled.. com menor consumo de energia elétrica. Diponível em: http:// www. O que é led?. Disponível em: http://www.htm Acessado em: 9 junho 2008 [6] Transport Learning. Disponível em: http://calgary.000 3.000 3. Iluminação. O que acarretará em uma troca a mais. net/ Acessado em: 1 de maio 2008.Disponível em: http://www.000 855 4. 2008. Disponível em: http://www. [5] UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARIANA.sabereletronica. Luxeon K2 and Luxeon K2 with TFFC. contribuindo para que não haja o risco de um “Novo Apagão”. Disponível em: http://www.com/product_ page/street_light_set.com.space. A partir dos resultados obtidos na Fig. a luminária Leoteck SL-75W. Se esta tecnologia for implementada no Brasil.711 2.br/secoes/leitura/247 Acessado em: 5 abril 2008. AGRADECIMENTOS Os autores agradecem à orientação que receberam do Professor Dr. 2008.org/wiki/LED Acesso em: 5 abril 2008 [2] Saber Eletrônica.all-brite-intl.do Acessado em: 1 maio 2008 [9] Calgary Centre. Classificando as luminárias a partir de uma boa iluminação e consumo de energia elétrica. [8] Philips. [3] Future Light Solution. veículos automotivos.asp Acessado em: 10 maio 2008 [11] ALL.. 09 de março de 2008.com. Disponível em: http://www.ca/lp/whatislp. O conjunto de LEDs nas luminárias é capaz de atingir os níveis necessários de fluxo luminoso a ser implementado na iluminação pública. REFERÊNCIAS [1] Wikipédia. Edição 415.200 3.cfm?lineId=18 Acessado em: 1 de maio 2008. LED OUTDOR LUMINAIRES.com/dis/ normas/l%C3%A2mpadad.com. LED. iluminação pública entre outras áreas.operação.com.luz. Ewaldo Luiz de Mattos Mehl na elaboração deste trabalho.. 2001. IV. Economia de Energia de modelos Luminárias a LED em Relação às Luminárias Vapor de Sódio70 W viabilidade econômica e Engenheiro Rafael Martins pela oportunidade da realização dos ensaios no laboratório de luminotécnica do LACTEC. Light Pollution Abatement Site. [4] SuperLed. LEDs: A iluminação do futuro. apresentando alta durabilidade e robustez.000 4.Futurelighting solutions. Disponível em: http://pt. em termos de engenharia. Comparação entre lâmpadas de sódio 70W e lâmpada de mercúrio 125w.

Foi também estagiário na AUTI Automação Industrial (2007-2008). Disiponivel em: http://www. 9 . é Graduando do Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Paraná. nascido em 14/09/1982 em Curitiba (Paraná). Foi também estagiário na Renault do Brasil S/A (2007-2008). Trabalhou na empresa Enercons Consultoria em Energia (2006).[16] Shenzen Sipros Electronics Co. nascido em 17/03/1981 em Curitiba (Paraná).com/ vli/002378ad8282/LED-High-Power-Street-Light Acessado em: 13 maio 2008 DADOS BIOGRÁFICOS Jackson Merise Novicki. é Graduando do Curso de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Paraná. Rodrigo Martinez. Ltd.fuzing. Trabalhou na empresa Enercons Consultoria em Energia (2006). Led High Power Street Light.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->