P. 1
Linux e Windows

Linux e Windows

4.5

|Views: 12.909|Likes:
Publicado porForTuga
Caracteristicas sobre o Linux e Windows XP e Windows Vista
Caracteristicas sobre o Linux e Windows XP e Windows Vista

More info:

Published by: ForTuga on Sep 25, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/17/2013

pdf

text

original

Caracteristicas Linux

Algumas Características do Linux · É de graça e desenvolvido voluntariamente por programadores experientes, hackers, e contribuidores espalhados por todo o mundo que têm como objectivo a contribuição para a melhoria e crescimento deste sistema operacional; · Convivem sem nenhum tipo de conflito com outros sistemas operacionais (como o DOS, Windows, OS/2) no mesmo computador; · Suporte nomes extensos de arquivos e directórios (255 caracteres);

· Conectividade com outros tipos de plataformas como Apple, Sun, Macintosh, Sparc, Alpha, PowerPc, ARM, Unix, Windows, DOS, etc; · · Protecção entre processos executados na memória RAM; Suporte, há mais de 63 terminais virtuais (consoles);

· Modularização - O Linux somente carrega para a memória o que é usado durante o processamento, libertando totalmente a memória assim que o programa/dispositivo é fechado;

· Devido a modularização, os drivers dos periféricos e recursos do sistema podem ser carregados e removidos completamente da memória RAM a qualquer momento. Os drivers (módulos) ocupam pouco espaço quando carregados na memória RAM (cerca de 6Kb para a Placa de rede NE 2000, por exemplo); · Não há a necessidade de se reiniciar o sistema após a modificar a configuração de qualquer periférico ou parâmetros de rede. Somente é necessário reiniciar o sistema no caso de uma instalação interna de um novo periférico, falha em algum hardware; · Não precisa de um processador potente para funcionar. O sistema funciona bem em computadores 386sx 25 com 4MB de memória RAM (sem rodar o sistema gráfico X, que é recomendado 8MB de RAM); · O crescimento e novas versões do sistema não provocam lentidão, pelo contrário, a cada nova versão os desenvolvedores procuram maior compatibilidade, acrescentar recursos úteis e melhor desempenho do sistema (como o que aconteceu na passagem do kernel 2.0.x para 2.2.x); · Não é requerida uma licença para seu uso. O Linux é licenciado de acordo com os termos da GPL; · Avessa sem problemas discos formatados pelo DOS, Windows, Novell, OS/2, NTFS, SunOS, Amiga, Atari, Mac, etc; · Utiliza permissões de acesso a arquivos, directórios e programas em execução na memória RAM; · Rede TCP/IP mais rápida que no Windows e tem a sua pilha constantemente melhorada. O Linux tem suporte nativo a redes TCP/IP e não depende de uma camada intermediária como o Winsock. Em acessos via modem a Internet, a velocidade de transmissão é 10% maior; · Corre aplicações DOS através do DOSEMU. Para se ter uma ideia, é possível dar o boot em um sistema DOS qualquer dentro dele e ao mesmo tempo usar a multitarefa deste sistema; · · · · · Corre aplicações Windows através do WINE; Suporte a dispositivos infravermelho; Suporte a rede via rádio amador; Suporte a dispositivos Plug-and-Play; Suporte a dispositivos USB;

· Vários tipos de firewalls de alta qualidade e com grande poder de segurança de graça; · Roteamento estático e dinâmico de pacotes;

· ·

Ponte entre Redes; Proxy Tradicional e Transparente;

· Possui recursos para atender a mais de um endereço IP na mesma placa de rede, sendo muito útil para situações de manutenção em servidores de redes ou para a emulação de "mais computadores" virtualmente. O servidor WEB e FTP podem estar localizados no mesmo computador, mas o usuário que se conecta tem a impressão que a rede possui servidores diferentes. · O sistema de arquivos usado pelo Linux (Ext3) organiza os arquivos de forma inteligente evitando a fragmentação e fazendo-o um poderoso sistema para aplicações multi-usuárias exigentes e gravações intensivas; · Permite a montagem de um servidor Web, E-mail, News, etc. com um baixo custo e alta performance. O melhor servidor Web do mercado, o Apache, é distribuído gratuitamente junto com o Linux. O mesmo acontece com o Sendmail; · Por ser um sistema operacional de código aberto, você pode ver o que o código fonte (o que foi digitado pelo programador) faz e adapta-lo as suas necessidades ou de sua empresa. Esta característica é uma segurança a mais para empresas sérias e outros que não querem ter seus dados roubados (você não sabe o que um sistema sem código fonte faz na realidade enquanto esta processando o programa); · Suporte a diversos dispositivos e periféricos disponíveis no mercado, tanto os novos como obsoletos; · Pode ser executado em 10 arquitecturas diferentes (Intel, Macintosh, Alpha, Arm, etc.); · Consultores técnicos especializados no suporte aos sistemas espalhados por todo o mundo; · Entre muitas outras características que você descobrirá durante o uso do sistema.

O Sistema Operacional UNIX possuí as seguintes características:
Interactivo – O usuário requisita os comandos e obtém os resultados de sua execução através do terminal.

Multitarefa – Um único usuário pode requisitar que sejam efectuados vários comandos ao mesmo tempo em seu terminal. É responsabilidade do sistema UNIX controlar estas execuções paralelas. Quando um usuário executa mais de um comando ao mesmo tempo, geralmente é somente um que necessita a interacção com o usuário. Os demais comandos executados são na sua maioria comandos que não exigem a atenção do usuário, sendo tarefas demoradas. Quando isto ocorre, dizemos que os programas que o usuário está executando sem a interacção ficam em Background. O programa que o usuário está executando e interagindo fica em Foreground.

Multiusuário – O UNIX pode controlar o acesso ao sistema através de vários terminais, virtuais ou reais, cada um pertencendo a um usuário. O UNIX aceita as requisições de comandos de cada um dos usuários e gera as filas de controlo e prioridades para que haja uma distribuição correcta dos recursos de hardware necessários a cada usuário. Devido a característica de ser um sistema Multiusuário, o UNIX implementa um sistema de segurança visando impedir o acesso aos arquivos e directórios de um usuário por outro. No módulo sobre permissões veremos como se pode liberar ou restringir o acesso entre usuários.

Para o bom prosseguimento do curso faz-se necessário o entendimento de certos termos que serão muito utilizados nas explicações e textos. Estes termos fazem parte do Unix e Linux e devem ser conhecidos, pois toda a bibliografia e documentação se utilizam deles. São eles:

Shell – É o termo UNIX para interpretador de comandos. O shell nada mais é que um programa que recebe os comandos do usuário e activa o sistema operacional. Ele faz o controlo do terminal, tanto na entrada como na saída. Existem várias opções de shell para o usuário, cada um com determinadas características e facilidades. Dentre os mais conhecidos podemos citar: bash, sh, rsh, csh e ksh. O interpretador de comandos padrão do Unix é o ksh e sh (AIX,HPUX) e bash (Linux).

Kernel – É como é chamado o núcleo do sistema Unix e Linux. Este núcleo faz o gerenciamento directo dos dispositivos de E/S (device drivers),

gerenciamento de memória e controle do uso da CPU pelos vários processos do sistema.

Comando – Um comando Unix/Linux nada mais é que um arquivo (programa executável) guardado em um directório específico do sistema. Portanto quando o usuário executa um comando, ele simplesmente está rodando um programa como qualquer outro do sistema.

Processo – É um conceito básico do sistema. Toda vez que se executa um programa/comando é gerado um processo no sistema. Todo gerenciamento é feito sobre este processo. Os processos são, portanto, comandos/programas em execução. Todo processo é identificado por um número chamado process id (PID). Este process ID é único no sistema durante a execução do processo, portanto pode e deve ser usado para identificação do processo em caso de necessidade.

Tanto o Windows e Linux, a entrar em muitos sabores. Todos os sabores do Windows da Microsoft, vêm, as diversas distribuições de Linux vêm de diferentes empresas (ou seja, Linspire, Red Hat, SuSE, Ubuntu, XANDROS, Knoppix, Slackware, Lycoris Desktop / LX, etc.) Windows tem duas linhas principais. Os sabores mais velhos são referidos como "Win9x", e consistem em Windows 95, 98, 98SE, Me. Os mais novos sabores são referidos como "NT classe", e consistem em Windows NT3, NT4, 2000, XP e Vista. Voltando no tempo, o Windows 95 Windows 3.x precedida por alguns anos. E, antes disso, havia versões anteriores do Windows, mas eles não eram populares. A Microsoft já não suporta Windows NT3, NT4, todas as versões 9x e, claro, de nada mais velhos. O suporte para o Windows 2000 é parcial (em Abril de 2007). As variantes do Linux são referidas como distribuições (muitas vezes abreviado para "distros"). Todas as distribuições Linux libertadas em torno do mesmo lapso de tempo irá utilizar o mesmo kernel (as vísceras do Sistema Operacional). Eles diferem no add-on software fornecido, GUI, instalar processo, preço, documentação e suporte técnico. Tanto o Linux e o Windows entrar em desktops e servidores edições. Pode haver muitas distribuições de Linux, é possível que esta é ferir o Linux no mercado. Pode ser que a falta de uma distro Linux a partir de uma grande empresa de computadores também está sofrendo-la no mercado. A IBM é um grande apoiante Linux, mas não têm a sua própria marca distribuição.

Actualmente parece haver muitas coisas agradáveis ditas sobre o Ubuntu distribuição. Linux é personalizável, de uma forma que não seja o Windows. Para um, a interface do usuário, enquanto que no conceito semelhante, em pormenor varia de distribuição para distribuição. Por exemplo, a barra de tarefas a terem maior padrão no topo ou na parte inferior. Além disso, existem muitas versões do Linux para fins especiais, para além do pleno explodido distribuições acima descritas. Por exemplo, NASLite é uma versão de Linux que sai numa única disquete e converte um computador antigo num servidor de arquivos. Esta edição ultra pequena do Linux é capaz de redes, partilha de arquivos e de ser um servidor Web. Interface modo texto Isto também é conhecido como um comando do intérprete. Usuários do Windows às vezes chamam-lhe uma prompt DOS. Usuários do Linux referemse a ele como uma concha. Cada versão do Windows tem um comando único intérprete, mas os diferentes sabores do Windows têm diferentes intérpretes. Em geral, os intérpretes no comando do Windows 9x séries são muito semelhantes às dos outros e da classe versões do Windows NT (NT, 2000, XP) também têm semelhante comando intérpretes. No entanto, existem diferenças entre o Windows 9x um intérprete e um comando numa classe sabor do Windows NT. Linux, como todas as versões do Unix, suporta múltiplos comando intérpretes, mas que normalmente usa um chamado BASH (Bourne again shell). Outros são os Korn shell, o shell, cinzas e da C shell. Custo Para a área de trabalho ou uso doméstico, o Linux é muito barato ou gratuito, o Windows é caro. Para utilizar servidor, o Linux é muito barato comparado com o Windows. A Microsoft permite que uma única cópia do Windows para ser usado apenas num unico computador. Começando com o Windows XP, eles usam software para fazer cumprir esta regra (Windows Product Activation em primeira e, mais tarde, o Windows Genuine). Em contraste, uma vez que você tenha comprado o Linux, você pode executá-lo com qualquer número de computadores para nenhum custo adicional. A ironia é que o Windows passou a dominância em grande parte pela subcotação a concorrência (Macs) em custos. Agora, o Linux pode fazer a mesma coisa para o Windows. Você pode comprar um livro Linux e obter o sistema operacional incluídos com o livro de graça. Você também pode fazer download gratuito do Linux para cada um dos vendedores Linux (assumindo que a sua conexão à Internet é rápido o suficiente para 600 MB um arquivo, e você tem um gravador de CDs) ou a partir de www.linuxiso.org. Ambas estas opções no entanto, vêm sem suporte técnico. Todas as versões do Ubuntu distribuição são livres.

pós o custo inicial (ou falta dele) de obtenção de software, existe o curso custo da sua alimentação e cuidados. Em Outubro de 2002, citou a revista Computerworld tecnologia arquiteto-chefe a Merrill Lynch & Co., em Nova Iorque como tendo afirmado que "as despesas de funcionamento Linux é tipicamente um décimo do custo de Unix e Microsoft alternativas." O chefe técnico a companhia petrolífera Amerada Hess gere 400 servidores Linux por ele próprio. Ele foi citado como dizendo "Demora menos pessoas a gerir as máquinas Linux do que o Windows máquinas." Microsoft encomendou um estudo que (nenhuma surpresa) encontraram-lo a manter o Windows mais barato do que o Linux. No entanto, um dos autores do estudo Microsoft acusado de empilhamento do convés, selecionando cenários que são mais caros para manter em Linux. Não sei se existe alguma vez ser um objectivo medir o curso de cuidados de saúde e alimentação dos custos para Linux versus Windows. Se houvesse no entanto, teria que considerar:
• • • •

Lidar com bugs no sistema operacional Lidando com erros na aplicação de software Lidar com vírus, worms, spyware, etc (grande vantagem para o Linux aqui) Lidar com as actualizações de software para novas versões (tanto o sistema operacional e aplicações)

Windows XP e Windows VISTA

O lançamento do Windows 95 teve um efeito devastador sobre as expectativas de entusiastas de tecnologia: as diferenças entre o então novo sistema operacional e o Windows 3.1 eram gigantescas, a começar pela interface principal. A partir daí, qualquer nova versão do Windows era motivo de furor pelos consumidores: o que a Microsoft faria de novo? Lançado em 98, o Windows 98 não surpreendeu tanto, de tão parecido que era com o sistema anterior.

Em 2001, um certo furor dos consumidores foi justificado com o lançamento do Windows XP que, principalmente com seu Service Pack 2, apresentava novidades distantes ao longínquo Windows 95. >Faça um tour visual pelos sistemas Com o sucessor do Windows XP próximo de tomar as prateleiras mundiais, surge a dúvida: há motivo para nutrir expectativas sobre o Windows Vista? Novo sistema gráfico - Das poucas cores do Windows 3.1 à falta de criatividade do Windows XP, nunca foi surpresa que a parte gráfica do sistema operacional não era a principal preocupação da Microsoft. Com o Vista, a situação muda de figura. A ferramenta Aero, disponível na versão Ultimate do Windows Vista, deixa o desktop agradável aos olhos, com suas janelas transparentes que trazem suave movimentação. Os grandes ícones disponíveis tanto para.a área de trabalho como para pastas explora também a nova postura gráfica do Windows, com muitos carregando efeitos de sombreamento. Presente em qualquer apresentação da Microsoft sobre o Vista, o Flip 3D apresenta todas as janelas aberta com um efeito de cascata 3D. Além de visualmente bela, a função, disponível para usuários do Aero, facilita a localização de determinada janela. >Veja o sistema Flip 3D em ação no Vista É evidente que a grande mudança da Microsoft neste aspecto se apóia na sua grande rival Apple: efeitos de transparência, animações de janelas, ícones e até mesmo o sinal que indica que o sistema está ocupado guardam semelhanças suspeitas com funções do Mac OS X. Achando-se no Vista - Não pense, porém, que o Vista é apenas bonitinho. A Microsoft também se esforçou para melhorar o gerenciamento de documentos e programas dentro do sistema, com melhorias na busca e na navegação. A principal novidade alardeada pela Microsoft é a total reformulação do menu Iniciar, ponto de partida para todas as versões do sistema desde o Windows

95. No Windows Vista, o Iniciar não apresenta mais os programas em uma interminável lista. Enquanto a coluna da direita agrega as mesmas funções corriqueiras do Windows XP, como “Painel de Controle”, “Itens Recentes” e “Pesquisar”, programas instalados podem ser encontrados ou pela busca ou por uma versão mais enxuta da antiga lista do XP. >Veja o menu Iniciar no Windows Vista Assim como no Microsoft Office, a barra de menus na parte superior das pastas muda de acordo com o documento escolhido: enquanto um arquivo de texto acessa funções como “Abrir” e “Imprimir”, uma imagem traz os menus “Visualizar” e “Apresentação de Slides”. >Veja a nova barra de comandos das pastas A nova barra lateral perdeu funções como “Criar Nova Pasta” e a exibição de detalhes dos documentos para linkar pastas dentro de “Meus Documentos” e listar arquivos alterados recentemente. Tantas modificações, junto aos grandes ícones decorados com imagens coloridas, podem fazer com que usuários novatos se percam no Windows Vista. Alguns minutos de treinamento, porém, são suficientes para que o estranhamento passe. Uma melhor navegação - Usuários desatentos que abram qualquer pasta no Windows Vista podem até achar que erraram o ícone e escolheram o Internet Explorer. Não é exagero: na nova interface do Vista, a Microsoft usou ferramentas de navegador dentro das pastas, a começar pelo campo de busca no canto superior direito de cada diretório. A digitação de qualquer termo substitui a pasta pela lista de resultados encontrada pelo Vista, assim como ocorrer no menu Iniciar. >Confira a nova interface dos diretórios do WIndows Vista A interface da pasta conta também com as mesmas setas usadas pelo Internet Explorer para voltar ou avançar para um site específico, além de uma nova barra de navegação, que demonstra todo o caminho percorrido pelo usuário para chegar ao diretório. Buscas sem Windows Desktop Search - O Windows Desktop Search foi apresentado em maio de 2005 pela Microsoft como uma maneira do usuário se encontrar na bagunça do seu disco rígido. O aplicativo não teve dois anos de vida útil: com a introdução de um novo sistema de busca dentro do Windows Vista, o Windows Desktop Search se torna desnecessário.

Feita a partir do menu Iniciar, a pesquisa dentro do Windows Vista é rápida e vasculha o disco rígido atrás do termo em “Programas”, “E-mails” armazenados e “Arquivos”, buscando inclusive o conteúdo de documentos, como textos e planilhas. A “inovação” da Microsoft, no entanto, esbarra de novo na Apple: a busca guarda semelhanças com o SpotLight, do Mac OS X, principalmente na maneira como resultados são listados. Misteriosamente, uma ótima função do Vista é quase ignorada pela Microsoft em seu material de divulgação. Ao registrar todas as versões anteriores que o documento teve, a função “Versões anteriores” consegue recuperar um texto, por exemplo, antes de uma edição nada satisfatória do usuário. Por mais que exija uma mínima organização do usuário, a ferramenta é a salvação de usuários que trabalham com grandes volumes de documentos, que podem ser editados sem autorização prévia. Segurança no Windows Vista - Firewall reformulado, nova ferramenta para detecção de spywares, Central de Segurança recauchutada, detalhada função para “Controle dos Pais” e ferramenta antiphishing no Internet Explorer 7. Mesmo ainda sem ter sido posto a prova pelo uso em massa do Windows Vista, é inegável que a Microsoft se esforçou para sofisticar o sistema de segurança de seu novo Windows. >Confira a nova Central de Segurança do Vista O Windows Vista se apresenta como uma franca aposta da empresa em descolar a imagem de segurança impregnada em seu sistema operacional. A nova Central de Segurança do Windows congrega todos os aplicativos que cuidam da segurança do micro, com a Microsoft não oferecendo apenas uma solução: o antivírus. Lançado no Service Pack 2 do Windows XP, o Firewall agora filtra conteúdo que entrar e sai do PC, enquanto o Windows Defender varre o HD atrás de pragas espiãs com ótimo desempenho, ainda que deixe dúvidas sobre sua eficácia. A nova função “Controle dos Pais” aplaca o carente rastreamento de crianças pela internet de versões anteriores do Windows a ponto de criar detalhados relatórios sobre sites visitados e programas acessados pelos pequenos frente ao PC. Novos softwares integrados - Em 2006, a Microsoft foi sentenciada a pagar 280,5 milhões de dólares para a Comissão Européia por utilizar a penetração do Windows XP para popularidade do Windows Media Player. A milionária multa, ao que parece, não freou a companhia de acrescentar

novos aplicativos no seu novo sistema operacional - não espere, no entanto, que o pacote de produtividade Office 2007 seja oferecido “on the box”. Para todas as versões do Windows, as novidades se concentram no SideBar, no Calendário e no CardSpace. A primeira novidade segue exemplos anteriores do Google, da Apple e da própria Microsoft: uma barra lateral instalada na área de trabalho permite a instalação de pequenos aplicativos (chamados aqui de Gadgets) para variadas funções. Ainda que escondido nos Acessórios, o Calendário pode ser mais útil. O aplicativo emula a eficiente função de agenda do software de gerenciamento de e-mails Outlook, com lembretes programados para compromissos marcados. Já a CardSpace permite que usuários cataloguem e classificam cartões de visitas, com a grande falha de impedir a digitalização de contatos - o usuário que queira usar o aplicativo terá que cadastrá-los todos manualmente. O grande atrativo, porém, está disponível apenas para usuários da versão Ultimate. Pela primeira vez, usuários poderão usar o Windows Media Center para controlar e reproduzir filmes, músicas e sinais de TV e rádio a partir do PC completamente em português. De fácil navegação, o aplicativo gerencia arquivos multimídia, sintoniza e grava estações de rádio e TV direto no disco rígido e controla tanto a sincronização de MP3 players como a gravação de CDs e DVDs. Ainda que funcione muito bem no PC ou notebook, principalmente pela configuração direcionada à conexão do micro com a TV, o Windows Media Center justifica o investimento de empresas de hardware em controles remotos especiais para o Vista.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->