P. 1
Interdisciplinar Open Mind LOG Cargas Excedentes 2 2007

Interdisciplinar Open Mind LOG Cargas Excedentes 2 2007

5.0

|Views: 744|Likes:
Publicado pormtulionc

More info:

Published by: mtulionc on Oct 29, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/14/2010

pdf

text

original

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA UNATEC CURSO DE LOGÍSTICA

CARGAS INDIVISÍVEIS E EXCEDENTES
TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS INDIVISÍVEIS E EXCEDENTES

Ainne Miranda Barbosa Elisa Lucia Valentim Érica Figueiredo Gomes da Silva José Diz Ramos Júlio Cesar de Souza Dias Luiz Otávio Mota Pinto Luiz Sérgio Gonçalves Paulon Marco Túlio N Chagas Shauna Silva Ferraz

Belo Horizonte 2/2007

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA UNATEC CURSO DE LOGÍSTICA

CARGAS INDIVISÍVEIS E EXCEDENTES
TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS INDIVISÍVEIS E EXCEDENTES

Trabalho Interdisciplinar apresentado como requisito para obtenção parcial de certificado do módulo I do curso de Logística, do Instituto UNA de Tecnologia, sob a orientação da Profª Glória Maria de Pádua Moreira.

Ainne Miranda Barbosa Elisa Lucia Valentim Érica Figueiredo Gomes da Silva José Diz Ramos Júlio Cesar de Souza Dias Luiz Otávio Mota Pinto Luiz Sérgio Gonçalves Paulon Marco Túlio N Chagas Shauna Silva Ferraz

Belo Horizonte 2/2007

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ................................................................................................................. 4 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E METODOLOGIA ..................................................... 5 2.1 Fundamentação teórica ................................................................................................ 5 2.2 Metodologia ................................................................................................................ 5 3. APRESENTAÇÃO ESCRITA E ANÁLISE DOS RESULTADOS.................................... 6 3.1 Legislação para cargas excedentes ............................................................................... 6 3.1.1 Código de Trânsito Brasileiro............................................................................... 6 3.1.2 Resolução DNIT n. 11.......................................................................................... 7 3.1.3 Resolução Contran n. 210..................................................................................... 7 3.1.4 Autorização Especial de Trânsito ......................................................................... 8 3.1.5 Outras normas ...................................................................................................... 8 3.2 Equipamentos para transporte de cargas excedentes..................................................... 9 3.2.1 Carrega-tudo ........................................................................................................ 9 3.2.2 Linhas de eixos .................................................................................................. 10 3.2.3 Viga ou Gôndola ................................................................................................ 11 3.3 Empresas ................................................................................................................... 12 3.3.1 Entrevista na empresa Transpesminas................................................................. 13 4. CONCLUSÃO ................................................................................................................. 15 5. REFERÊNCIAS............................................................................................................... 16 6. ANEXOS......................................................................................................................... 18

4

1. INTRODUÇÃO
O trabalho proposto foi a respeito do transporte de cargas indivisíveis e excedentes em peso e/ou dimensões e para o trânsito de veículos especiais. Carga indivisível é carga unitária, representada por uma única peça estrutural ou por um conjunto de peças fixadas por rebitagem, solda ou outro processo, para fins de utilização direta como peça acabada ou, ainda, como parte integrante de conjuntos estruturais de montagem ou de máquinas ou equipamentos e que pela sua complexidade, só possa ser montada em instalações apropriadas. Cargas excedentes correspondem aos excessos de dimensões (comprimento, largura e altura) e são os respectivos excessos de dimensão superiores aos limites máximos admitidos pela legislação de trânsito vigente. O transporte de cargas indivisíveis e excedentes contempla ainda, além da legislação, os meios de transporte que fazem o deslocamento destas cargas. Compõem a frota destinada a este tipo de transporte o Conjunto Transportador, a Combinação de Veículos, o Comboio, o Veículo Especial, o Veículo Trator ou de Tração e o Veículo Transportador Modular Autopropelido. O problema se coloca, então, deste modo: como transportar cargas indivisíveis e excedentes em peso e/ou dimensões e para o trânsito de veículos especiais, conjugando todos os itens citados anteriormente e seguindo a legislação vigente para este tipo de transporte. Diante deste problema, foram propostos os objetivos de compreender os fatores que compõem este tipo específico de transporte, sejam eles envolvendo as cargas em si, sejam envolvendo os modais1 a serem utilizados, e estudar a legislação que controla as Cargas Excedentes e as Indivisíveis em Peso e/ou Volume.

1

Modal: [De modo + -al1.] – 1. Relativo ao modo particular de execução de algo. Fonte: Aurélio Eletrônico V3.0

5

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA E METODOLOGIA 2.1 Fundamentação teórica
O conceito de cargas excedentes ou indivisíveis encontra amparo no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT) e no Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN). Segundo o DNIT, “cargas excedentes ou indivisíveis necessitam, além de normas para transportes, autorizações específicas para trânsito” e estas autorizações podem ser expedidas em nível estadual, “desde que dentro de sua competência e circunscrição, observando-se os requisitos técnicos exigidos e esquema especial de segurança, não prevalecendo, neste caso, a obrigatoriedade da observância dos dias e horários regulamentares” (DNIT, 2004). É necessário ainda que “nenhum veículo transportador de carga indivisível (...) possa transitar em rodovia federal sem oferecer completa segurança e estar equipado de acordo com o previsto nas mesmas, especialmente quanto à sua sinalização” (DNIT, 2004).

2.2 Metodologia
Pesquisa Bibliográfica – pesquisas em sítios web relacionados, como o do DNIT em busca de informações a respeito da legislação que regulamenta este tipo de carga. Pesquisas em sítios web de empresa deste segmento para identificar os procedimentos para transporte de cargas excedentes e indivisíveis. Entrevista – entrevistas com membros da equipe de coordenação, captação, estruturação e execução de transportes especiais em empresa do ramo. Observação – observação dos modos de operação da empresa de logística em cargas excedentes e indivisíveis.

6

3. APRESENTAÇÃO ESCRITA E ANÁLISE DOS RESULTADOS 3.1 Legislação para cargas excedentes
Se não houvesse legislação não haveria o conceito de carga excedente. Afinal, não existindo regras sobre trânsito, tudo seria permitido. Assim, o conceito de carga excedente só existe porque há regras que disciplinam o trânsito, inclusive quanto a características de veículos, equipamentos e cargas transportadas. Não há como falar sobre carga excedente se não se conhece a legislação de trânsito vigente. E no Brasil estas regras estão definidas no Código de Trânsito Brasileiro.

3.1.1 Código de Trânsito Brasileiro
O Código de Trânsito Brasileiro é a lei principal no que se refere ao trânsito de veículos. Ele foi instituído pela lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, e regulamenta o trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional, abertas à circulação. O CTB não é um código completo, no qual tudo esteja definido; mas sim o conjunto básico de regras de trânsito, e previsto desde o início para ser complementado por outras normas. No artigo 7 consta a existência do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) como órgão máximo normativo e consultivo. Suas várias competências estão relacionadas no artigo 12. Já o capítulo 9 do CTB trata dos veículos. Neste capítulo, os artigos que se referem diretamente a veículos de carga e aos limites de peso/dimensões são o 97 e os 99 a 101, que constam no anexo deste trabalho. Em especial o artigo 101 do CTB, que cita especificamente o transporte de carga excedente e já indica a necessidade da autorização especial de trânsito para este tipo de carga. Mas o que é tratado no artigo 101 é incipiente, motivo pelo qual o DNIT aprovou em outubro de 2004 a resolução 11, com normas sobre o trânsito de cargas excedentes.

7

3.1.2 Resolução DNIT no 11
Esta resolução regulamenta o uso de rodovias federais por veículos, ou combinações de veículos e equipamentos, destinados ao transporte de cargas indivisíveis e excedentes em peso e/ou dimensões ao limite estabelecido nas legislações vigentes, para o conjunto veículo e carga transportada, assim como por veículos especiais, fundamentado no artigo 101 do CTB. A resolução está dividida em vários capítulos e o artigo 4 contém conceitos relacionados ao excesso de carga, inclusive trazendo a definição do que se entende legalmente por cargas indivisíveis:
Carga indivisível é carga unitária, representada por uma única peça estrutural ou por um conjunto de peças fixadas por rebitagem, solda ou outro processo, para fins de utilização direta como peça acabada ou, ainda, como parte integrante de conjuntos estruturais de montagem ou de máquinas ou equipamentos e que, pela sua complexidade, só possa ser montada em instalações apropriadas (DNIT, 2004).

Com relação a excesso, a principal definição nesta resolução se refere ao limite de peso, considerando-se peso por eixo do veículo. Todo o artigo 8 trata disto, informando o peso por eixo conforme algumas variáveis (número de eixos, distância entre os eixos, quantidade de pneumáticos por eixo, eixo direcional, eixo motriz etc). Mas na resolução também são citadas outras condições para o transporte de cargas indivisíveis, como as obras de arte (viadutos, trincheiras, túneis etc) e os cuidados que devem ser tomados na transposição destas. O capítulo III, que compreende os artigos 18 ao 32, estabelece regras para a obtenção da Autorização Especial de Trânsito (AET). Já as regras para os veículos especiais utilizados no transporte de cargas indivisíveis são definidas no capítulo V. Esta resolução somente trata de cargas excedentes, sem definir quais seriam os limites normais. Em novembro de 2006 o Contran aprovou a resolução no 210, no qual ficaram estabelecidos os limites de peso e dimensões para veículos que transitem por vias terrestres.

3.1.3 Resolução Contran no 210
Esta resolução foi aprovada em 13 de novembro de 2006, com poucos artigos, e estabelece quais são os limites em dimensões para a circulação de veículos, com ou sem carga:

8
•largura •altura

máxima: 2,60 metros máximo: de 14 metros a 19,80 metros, variando de acordo com

máxima: 4,40 metros

•comprimento

características do veículo. E a resolução define também limites para peso. A partir dos valores definidos nesta resolução, pode-se determinar quando ocorre ou não o transporte de carga excedente.

3.1.4 Autorização Especial de Trânsito
Conforme legislação, todo transporte de carga excedente, seja indivisível ou não, necessita de Autorização Especial de Trânsito (AET). Este documento é expedido pela autoridade com circunscrição sobre a via e, no caso de transporte de cargas indivisíveis, com prazo certo e válido para cada viagem. As regras principais para a obtenção da AET estão definidas na resolução DNIT no 11.

3.1.5 Outras normas
Além das resoluções anteriormente mencionadas, outras normas foram aprovadas posteriormente, ampliando a legislação de cargas excedentes. Podem-se citar:
•Resolução

Contran no 211, em que define regras para o uso de Combinações de Veículos Contran no 213, em que fixa requisitos para a circulação de veículos

de Cargas (CVC);
•Resolução

transportadores de contêineres;
•Portaria

DPRF no 1/2007, em que estabelece as datas do ano de 2007 em que não

poderão circular Combinações de Veículos de Carga e Combinações de Transporte de Veículos (CTV). Podem existir ainda normas de alcance estadual ou mesmo municipal. O responsável pelo transporte deve previamente consultar os órgãos estaduais e municipais, sempre que for necessário o trânsito por vias que não sejam federais.

9

3.2 Equipamentos para transporte de cargas excedentes
Para o transporte de cargas há equipamentos específicos normalmente denominados de implementos rodoviários. Para a construção de alguns destes equipamentos há normas definidas pelo comitê ABNT/CB39, que é o Comitê Brasileiro de Implementos Rodoviários da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A atribuição deste comitê é a normalização no campo de implementos rodoviários, compreendendo reboques, semi-reboques, carroçarias para caminhões e contêineres, no que concerne a terminologia, requisitos, métodos de ensaio e generalidades. Os principais implementos, para transporte de carga excedente, são: carrega-tudo (semi-reboque), linhas de eixos, viga e gôndola.

3.2.1 Carrega-tudo
Dos implementos rodoviários, o carrega-tudo (carry all, em inglês), também denominado de prancha, é um dos mais utilizados para transporte de cargas indivisíveis, principalmente equipamentos utilizados na construção pesada (tratores, escavadeiras, caminhões fora de estrada etc) e na área agrícola (colheitadeiras etc). O carrega-tudo está disponível tradicionalmente como semi-reboque, em versões de 2, 3 e 4 eixos. Há variações como base plana ou rebaixada, corpo extensível, parte frontal destacável etc, sempre com o objetivo de melhor se adaptar às necessidades de transporte.

Figura 1: Veículo trator 4x2 acoplado a carrega-tudo plano, de 2 eixos

10
Transpesa / Divulgação

Figura 2: Carrega-tudo de 4 eixos, rebaixado

3.2.2 Linhas de eixos
Para casos de transportes de dimensões mais avantajadas, em que os modelos disponíveis de carrega-tudo não são adequados, há o implemento linhas de eixos, que é um reboque funcionalmente semelhante ao carrega-tudo mas com vários eixos em seqüência. Na legislação atual o máximo que se admite são 16 eixos, exceto se a carga transportada tiver mais de 14 metros de comprimento ou se o transporte for feito conjugado com viga2.

Figura 3: Veículo trator 6x4 acoplado a módulo hidráulico de 8 linhas de eixos

2

Conforme resolução DNIT 11, artigo 8 parágrafo 3.

11

Transpesa / Divulgação

Figura 4: Módulo hidráulico com 16 linhas de eixos

3.2.3 Viga ou Gôndola
O uso de viga ou gôndola, associada a conjunto de linhas de eixos, permite o transporte de cargas mais pesadas, que normalmente não seriam possíveis de serem transportadas nos implementos carrega-tudo e linhas de eixos. Inclusive, de acordo com a legislação, o conjunto linhas de eixos e viga ou gôndola é de uso obrigatório para cargas com peso superior a 136 toneladas e com menos de 14 metros.

Figura 5: Veículo trator acoplado a módulo hidráulico de 12 linhas de eixos + gôndola + módulo hidráulico de 12 linhas de eixos

12
Transpesa / Divulgação

Figura 6: Gôndola apoiada em 2 módulos hidráulicos de 14 linhas de eixos (cada um)
Transpesa / Divulgação

Figura 7: Viga apoiada em 2 módulos hidráulicos de 14 linhas de eixos (cada um)

3.3 Empresas
No Brasil existem inúmeras empresas especializadas no transporte de cargas excedentes. Várias destas empresas estão associadas ao Sindipesa - Sindicato Nacional das Empresas de Transporte e Movimentação de Cargas Pesadas e Excepcionais.

13

Há ainda a Anfir - Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários, que é uma entidade que reúne fabricantes nacionais de implementos rodoviários.

3.3.1 Entrevista na empresa Transpesminas
Os resultados das pesquisas prévias constituíram elementos necessários e importantes para as perguntas e argumentações em entrevista que foi realizada com profissional da área. O entrevistado foi o Sr.Wanderley Soares, supervisor de operações da empresa Transpesminas. Wanderley é o responsável pela coleta de dados junto ao cliente, traçado de deslocamento, visitas in loco3 ao trajeto, ou seja, por toda a logística de serviços de transportes especiais. O entrevistado mostrou total conhecimento dos serviços que executa na empresa, apontando a sintonia com a legislação vigente como sendo o norte a ser seguido para atingir alto nível de serviço. Foi retratado pelo entrevistado que a empresa mantém laços profissionais com algumas empresas que demandam transportes especiais, caso da Companhia Vale do Rio Doce (que inclusive possui núcleo específico dentro da Transpesminas), o mesmo acontecendo com a Vallourec & Mannesmann Tubes. Para esta, a empresa investiu milhões de reais na compra de 11 (onze) carretas para o transporte de tubos de tamanhos específicos, todas equipadas segundo as normas que regem o transporte de cargas especiais. Ainda em consonância com a legislação, Wanderley afirmou que a empresa mantém controles rigorosos quanto à manutenção dos equipamentos que possui, além de segurança nos deslocamentos das cargas especiais que efetua. Ao final da entrevista, concluiu-se que a fidelidade no cumprimento às leis que regem o setor de transportes especiais constitui variável fundamental para o atendimento a clientes que

3

No próprio local.

14

procuram em empresas como aquela em que trabalha o entrevistado, satisfazer suas necessidades com níveis de serviço elevados. Foi verificado também que a constituição de uma empresa para atender a demanda por transportes de cargas indivisíveis e excedentes é altamente complexa, pois é necessário investimento elevado.

15

4. CONCLUSÃO
No decorrer das pesquisas foi constatado que não há bibliografia específica a respeito do tema, Cargas Indivisíveis e Excedentes, resumindo-se a pesquisa em sítios web, legislações, conselhos e departamento de trânsito e, por fim, visita à empresa que opera neste ramo de transporte. Notou-se a importância, principalmente no modal rodoviário, do conhecimento e aprofundamento no que diz respeito ao transporte de cargas excedentes, visto que há regulamentações, normas e fiscalização para esse tipo de carga e é um tema que ainda não foi devidamente estudado ou explorado. A contribuição da empresa visitada, Transpesminas, que opera nesse ramo de atividade, foi de grande importância para entendimento e apreciação do trabalho, pois um exemplo prático solidifica a compreensão e importância do tema. Sendo assim, os objetivos do trabalho foram alcançados, já que de certa forma a escassez de material didático e bibliográfico foram supridos através da metodologia utilizada e informações adquiridas, além do objetivo do desafio. Para o próximo trabalho, será focado o sistema de eclusas, sua necessidade e importância. Mais um tema de difícil pesquisa e, portanto, mais um desafio para a equipe.

16

5. REFERÊNCIAS
ANFIR - Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários. Disponível em: <http://www.anfir.org.br>. Acesso em: 22 setembro 2007. BRASIL. Lei n. 9.503, de 23 de setembro de 1.997. Institui o Código de Trânsito Brasileiro, que regula o trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional abertas à circulação. CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO. Resolução n. 210, de 13 de novembro de 2006. Estabelece os limites de peso e dimensões para veículos que transitem por vias terrestres e dá outras providências. CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO. Resolução n. 211, de 13 de novembro de 2006. Estabelece requisitos necessários à circulação de Combinações de Veículos de Carga – CVC, a que se referem os artigos 97, 99 e 314 do Código de Trânsito Brasileiro - CTB. CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO. Resolução n. 213, de 13 de novembro de 2006. Fixa requisitos para a circulação de veículos transportadores de contêineres. DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRA-ESTRUTURA DE TRANSPORTES.

Resolução n. 11, de 25 de outubro de 2004 e retificada em 4/1/2005 e 16/6/2005. Estabelece as instruções para transporte de cargas excedentes em peso e/ou dimensões e para trânsito de veículos especiais. DEPARTAMENTO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL. Portaria n. 1/2007, de 5 de janeiro de 2007. Dispõe sobre a restrição do trânsito de Combinações de Veículos e demais veículos portadores de AET. RODOVIÁRIO IBÉRIA. Disponível em: <http://www.iberiapesados.com.br>. Acesso em: 22 setembro 2007.

17

SIAET. Sistema de Gerenciamento de Autorização Especial de Trânsito. Disponível em: <http://www1.dnit.gov.br/aplweb/sis_siaet/>. Acesso em: 22 setembro 2007. SINDIPESA - Sindicato Nacional das Empresas de Transporte e Movimentação de Cargas Pesadas e Excepcionais. Disponível em: <http://www.sindipesa.com.br>. Acesso em: 22 setembro 2007. SOARES, Wanderley. Cargas Indivisíveis e Excedentes. Entrevista concedida aos membros do Projeto Aplicado, 1o período de Logística, UNATEC, Centro Universitário UNA, 2o semestre, 2007. TRANSPESA Della Volpe. Disponível em: <http://www.transpesa.com.br>. Acesso em: 22 setembro 2007. TRANSPESMINAS. Disponível em: <http://www.transpesminas.com.br>. Acesso em: 22 setembro 2007 TRANSWINTER. Disponível em: <http://www.transwinter.com.br>. Acesso em: 22 setembro 2007

18

6. ANEXOS
Seguem ilustrações adicionais de casos de transporte de cargas indivisíveis.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->