Você está na página 1de 19
12 e 13 de agosto de 2011 ISSN 1984-9354
12 e 13 de agosto de 2011
ISSN 1984-9354

AVALIAÇÃO DAS VANTAGENS AMBIENTAIS E ECONÔMICAS EM QUATRO PROCESSOS DE PINTURA INDUSTRIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE AUTOPEÇAS

Geraldo Cardoso de Oliveira Neto (UNINOVE) Paulo José Gnidarxic (UNINOVE) Luiz Eduardo de Carvalho Chaves (UNINOVE)

Resumo Os componentes químicos, base dos processos de pintura industrial geram resíduos químicos e dispersões na atmosfera que afetam de forma drástica o meio ambiente, bem como causas sérios problemas de saúde na população. O objetivo principal ddesse estudo é verificar a possibilidade de redução dos resíduos originados pelo processo de pintura em uma empresa de fabricação de produtos de suspensão de automóveis, sendo assim decidiu-se comparar quatro diferentes tipos de aplicações objetivando a diminuição da quantidade de sólidos expostos na atmosfera em conseqüência do efeito overspray (Quantidade de tinta mais solvente que não foi transferida para o produto pintado) e também elencados ao mesmo objetivo verificar a possibilidade de conquistar vantagem econômica. Nesse estudo busca-se a redução na fonte de resíduo sólido e solvente no processo produtivo. Em específico mostrar-se-á a comparação entre os ganhos econômicos e ambientais resultantes da implementação da Produção Mais Limpa ao escolher um dos quatro processos. Os resultados foram obtidos em um primeiro momento por meio da pesquisa qualitativa em pesquisa-ação, revisando a literatura, depois em estudo de caso exploratório em entrevista semi estruturada e observação participante. Em posse dos dados, avaliou-se as vantagens econômicas e ambientais. Para a avaliação das vantagens ambientais será usada a metodologia de Intensidade de Material (Wuppertal Institute). A ferramenta foi aplicada para avaliar os benefícios na escala da biosfera como conseqüência da redução de emissões por conta da intervenção P+L.

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Palavras-chaves: Produção Mais Limpa; Ciclo Fechado; Processo de Pintura Industrial; Vantagens Econômicas e Ambientais

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

1. Introdução

Com a revolução industrial a partir de 1760 na Inglaterra, a produção de bens tangíveis se acentuou resultando em maior devastação dos recursos naturais, o foco estava apenas nos ganhos econômicos. Porém, nas últimas décadas do século XX, surgiu uma preocupação com a preservação da natureza e a redução de poluentes. A sustentabilidade ambiental está diretamente relacionada com a preservação dos recursos naturais no processo produtivo. De acordo com o relatório da Organização das Nações Unidas ONU o desenvolvimento sustentável é aquele em que atende as necessidades do presente sem comprometer as possibilidades de as gerações futuras atenderem as suas próprias necessidades. A prática de Produção Mais Limpa (P+L) certamente contribui significativamente para o avanço no caminho da sustentabilidade, por meio da gestão estratégica da manufatura. A (P+L) visa elaborar um planejamento definido pela gestão da manufatura para atingir melhorias ambientais no desenvolvimento de produtos, processos e sistemas produtivos e cadeia de suprimentos como um todo por meio das sete idéias centrais: reduzir a quantidade de materiais e bens e serviços, reduzir a quantidade de energia em bens e serviços, reduzir a dispersão de material tóxico, aumentar a reciclagem de material, maximizar o uso de fontes renováveis, aumentar a durabilidade dos produtos e aumentar a quantidade de bens e serviços. Na atualidade as organizações em geral, mais principalmente as que utilizam substâncias químicas no processo produtivo, como é o caso do processo de pintura eletrostática, precisam se adequar a Política Nacional de Resíduos Sólidos que dispõe sobre as diretrizes gerais aplicáveis aos resíduos sólidos no País. Alguns exemplos dessas diretrizes são: “a proteção da saúde pública e da qualidade do meio ambiente, não-geração, redução, reutilização e tratamento de resíduos sólidos, bem como destinação final ambientalmente adequada dos rejeitos, educação ambiental e integração dos catadores de materiais recicláveis nas ações que envolvam o fluxo de resíduos sólidos entre outras orientações” (POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS, 2010). O objetivo principal desse estudo é verificar a possibilidade de redução dos resíduos originados pelo processo de pintura em uma empresa de fabricação de produtos de suspensão de automóveis, sendo assim decidiu-se comparar quatro diferentes tipos de aplicações objetivando a

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

diminuição da quantidade de sólidos expostos na atmosfera em conseqüência do efeito overspray (Quantidade de tinta mais solvente que não foi transferida para o produto pintado) e também elencados ao mesmo objetivo verificar a possibilidade de conquistar vantagem econômica. Nesse estudo busca-se a redução na fonte de resíduo sólido e solvente no processo produtivo. Em específico mostrar-se-á a comparação entre os ganhos econômicos e ambientais resultantes da implementação da Produção Mais Limpa ao escolher um dos quatro processos.

2 Referencial teórico 2.1 Produção Mais Limpa (P+L) em Ciclo Fechado

A Produção Mais Limpa significa a aplicação contínua de uma estratégia econômica, ambiental e tecnológica integrada aos processos e produtos, a fim de aumentar a eficiência no uso de matérias-primas, água e energia, através da não geração, minimização ou reciclagem de resíduos gerados, com benefícios ambientais e econômicos para os processos produtivos (UNIDO/UNEP, 1995). A P+L visa melhorar a eficiência, a lucratividade e a competitividade das empresas, enquanto protege o ambiente, o consumidor e o trabalhador. É um conceito de melhoria contínua que tem por consequência tornar o processo produtivo cada vez menos agressivo ao homem e ao meio ambiente. A implementação da P+L resulta numa redução significativa dos resíduos, emissões e custos. Cada ação no sentido de reduzir o uso de matérias-primas e energia, prevenir ou reduzir a geração de resíduos, pode aumentar a produtividade e trazer benefícios econômicos para a empresa (Giannetti e Almeida 2006). Outro fator importante que merece exclusividade por se tratar especificamente do assunto desse trabalho se caracteriza pelo processo de reutilização da água e utilização dos resíduos sólidos gerados do lodo, oriundo da galvanoplastia. Durante a ECO-92 e a definição da Agenda 21, houve destaque a necessidade urgente de se implementar um adequado sistema de gestão ambiental para os resíduos sólidos, que inclui a necessidade de redução da geração dos resíduos, reutilização e reciclagem dos resíduos gerados (GÜNTHER, 2000). O propósito de uma empresa é a transformação de matérias-primas e energias retiradas do ambiente para produzir bens e serviços para os consumidores. O metabolismo industrial deve ser focalizado nas formas de se fazer esse fluxo, mantendo o material circulando no sistema, por

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

meio do reuso e da reciclagem em Ciclo Fechado (Figura 1), de forma a retardar seu retorno ao ambiente, com isso objetiva “reduzir a extração de recursos naturais de maneira ecoeficiente” (YUKSEL, 2007).

Reciclagem Matéria -prima Produção Descarte
Reciclagem
Matéria
-prima
Produção
Descarte

Figura 1 Ciclo Fechado (Fonte: Adaptado de Odum, 1998)

Portanto as práticas de P+L reduzem a quantidade de reagentes tóxicos descartados no ambiente, fazendo com que água e matérias-primas, circulem o máximo possível dentro do processo antes do descarte, resultando em um melhor aproveitamento de matéria-prima e energia. De acordo com o SENAI (2003) as empresas adeptas à P+L obtém vantagens ambientais e econômicas devido à preocupação de não gerar mais resíduos e emissões que afetem o meio ambiente.

2.3 Processo produtivo de pintura Nessa seção objetiva-se mostrar quatro processos de pintura com enfoque no tipo de pintura a caneca e eletrostática. No início da década de 1960 a Shell efetuou importantes desenvolvimentos que constituíram a base sólida para que os revestimentos atingissem o nível de qualidade que atualmente conhecemos. A continuidade dos desenvolvimentos da Shell resultou, em 1964, na introdução do método de extrusão, que ainda hoje é responsável pela totalidade da produção das tintas.

A aplicação de tintas por pistola eletrostática foi introduzida em 1962/1963 pela Ransburg (EUA) e Sames/Gema (Europa). O contínuo aperfeiçoamento desse tipo de equipamento resultou nos modelos hoje disponíveis no mercado, que se destacam pela: leveza, facilidade de operação e manuseio (não há a necessidade de mão de obra especializada); bem como pela possibilidade de automação.

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Segundo Ransburg (EUA) o equipamento eletrostático para pintura líquida compreende três componentes básicos; fonte de alta tensão, pistola eletrostática e cabo eletrostático. As principais funções da pintura eletrostática são: pulverizar ao máximo o produto, transferir ao produto uma carga elétrica e criar um campo de força elétrico. Para economizar tinta o efeito eletrostático, faz com que a tinta seja atraída para a peça. Muitas partículas de tinta que se perderiam são aproveitadas, resultando num menor custo da pintura. A alimentação de tinta e ar comprimido é idêntica à pintura convencional por pressão. Já o processo de pintura com caneca, segundo Ransburg (EUA) consiste em uma pistola de pintura, uma ferramenta de precisão, projetada e construída para produzir acabamentos de alta qualidade. A Pistola SGA foi desenvolvida para uso em oficinas de pintura e trabalhos de manutenção em geral, sendo adequada para a aplicação de todos os materiais comuns de revestimento e acabamento, com exceção de produtos corrosivos, abrasivos ou de viscosidade muito alta. A Pistola funciona pelo sistema de sucção: succiona o material da caneca por um tubo de aspiração. Os tipos de processos de pinturas comparados no presente estudo são resumidas no Quadro 1, o foco dessa análise é identificar qual o sistema é mais econômico e que agride menos o meio ambiente.

Tipo de Processo

Principais características

Consumo ( litros/m²)

Pintura à Caneca Versatilidade na aplicação com diversos tipos de tinta, leve e com pequeno

Pintura à Caneca

Versatilidade na aplicação com diversos tipos de tinta, leve e com pequeno custo.

0,33

  Maior vazão de tinta, 0,23
 

Maior vazão

de

tinta,

0,23

controle preciso de ar e leque, tem boa durabilidade.

HVLP

  Proporciona aplicação 0,21
 

Proporciona

aplicação

0,21

uniforme,

com

alta

velocidade

e

redução

de

nevoas.

AIRLESS

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Maior transferência de tinta para o produto, excelente atomização, proporcionando excelente acabamento e alta economia

Maior transferência de tinta para o produto, excelente atomização, proporcionando excelente acabamento e alta economia de tinta.

0,16

ELETROSTÁTICA

Quadro1 - Comparação de consumo entre processos de pintura

Portanto o processo mais econômico é o de pintura eletrostática com 0,16 de consumo por m² e o que mais gasta tinta é o processo à caneca com consumo de 0,33 m². Em posso desses dados identificou-se a composição das tintas e efetuou-se as análises econômicas e ambientais.

3. Estudo de caso

3.1 Apresentação da empresa

Este trabalho foi realizado em uma empresa de autopeças, especificamente no setor de pintura, que tem como principais produtos de fabricação os elementos de suspensão de automóveis e caminhões. A empresa em questão decidiu verificar a possibilidade de redução dos resíduos originados pelo processo de pintura em uma empresa de fabricação de produtos de suspensão de automóveis, sendo decidiu-se comparar quatro diferentes tipos de aplicações objetivando a diminuição da quantidade de sólidos exposta na atmosfera em conseqüência do efeito overspray (Quantidade de tinta mais solvente que não foi transferida para o produto pintado) e também elencados ao mesmo objetivo verificar a possibilidade de conquistar vantagem econômica. Nesse estudo ocorreu a destinação adequada do resíduo sólido e solvente no processo produtivo. Em específico mostrar-se-á o cálculo do retorno sobre investimento e a comparação entre os ganhos econômicos e ambientais resultantes da implementação da Produção Mais Limpa dos quatro processos.

3.2 Método de Pesquisa

Este estudo utilizou-se como método a pesquisa-ação por meio de estudo de caso único. Os instrumentos que auxiliaram o método foram: entrevista estruturada com observação direta

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

participante. Após a coleta de dados para análise quantitativa adotou-se o método Wuppertal (2008) a fim de mensurar as vantagens ambientais. Para Thiollent (2007), “a pesquisa-ação é um tipo de pesquisa social com base empírica que é concebida e realizada em estreita associação com uma ação ou resolução de um problema coletivo e no qual os pesquisadores e os participantes representativos da situação ou do problema estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo”. Esse autor classifica a pesquisa-ação como: a) colaborativa: quando se busca uma transformação solicitada pelo grupo aos pesquisadores. Pode ser exemplificada pela implementação de uma nova tecnologia ou de um programa de qualidade; b) crítica: decorre da percepção do pesquisador e do grupo quanto à necessidade de criar valores por meio da construção cognitiva sustentada por reflexão crítica coletiva para emancipação dos sujeitos. São bons exemplos a mudança de comportamento e a incorporação de atitudes da qualidade; c) estratégica: ocorre quando a mudança é previamente planejada sem a participação dos sujeitos. O pesquisador acompanhará os efeitos e avaliará os resultados de sua aplicação. De acordo com Yin (2003), o que justifica a utilização do método de estudo de caso único é o fato de preencher as condições exigidas para testar os objetivos propostos no trabalho. Segundo Eisenhardt (1989) o estudo de caso é uma estratégia de pesquisa focada em compreender a dinâmica presente em cada cenário. Estudos de caso normalmente combinam métodos de coleta de dados, como arquivos, entrevistas, questionários e observações. As evidências podem ser qualitativas ou quantitativas, ou ambas. Yin (2003) afirma que desta maneira é possível criar as condições adequadas para a compreensão, a contestação ou o confirmação da teoria, sendo um elemento chave para estudos exploratórios. Nesta pesquisa exploratória permitiu-se o desenvolvimento de linhas convergentes por meio de um processo de triangulação de informações provenientes de diferentes fontes de dados (Yin, 2003). Os instrumentos de coleta de dados utilizados foram documentos do setor de classificação e resciclagem de resíduos, do setor financeiro e produção, sistemas de informação, entrevistas semi estruturada e observação direta e participante nos setores mencionados. Segundo Bogdan e Biklen (1992) a observação participante e a entrevista semi estruturada são os instrumentos mais comuns da pesquisa qualitativa e que melhor apresentam suas características. Geralmente quando a pesquisa parte da observação participante constitui “uma

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

poderosa técnica da metodologia qualitativa” (McCracken, 1991, p.7). A entrevista, por sua vez,

“provê acesso ao contexto do comportamento da pessoa e, desse modo, fornece [ compreender o significado desse comportamento” (SEIDMAN, 1991).

] um modo de

Utilizando os métodos: pesquisa-ação, estudo de caso único e os instrumentos: entrevista

semi

metodológico de pintura adotado similarmente para os quatro processos em avaliação, são eles:

se tornou possível mostrar o procedimento

estruturada

em

observação

participante

Caneca de pintura, HVLP, Airless e Eletrostática. Um exemplo é mostrado na Figura 2.

1. Preparar a tinta respeitando a viscosidade conforme especificação do cliente. Viscosidade

21±3;

2. Regular pressão da tinta e da bomba 1 a 2 Bar para tinta e pressão da bomba 20 a 30 psi;

3. Regular o leque da pistola;

4. Aplicar 2 demãos em 50 peças;

5. Fazer controle de camada de tinta 30 a 50 micros;

6. Medir o consumo da tinta por processo;

7. Verificar a quantidade de tinta mais solvente utilizada por processo;

8. Comparar a quantidade de sólidos exposta por cada processo;

9. Calcular retorno financeiro entre processos.

processo; 9. Calcular retorno financeiro entre processos. Figura 2: Pintura liquida com processo eletrostático (Fonte

Figura 2: Pintura liquida com processo eletrostático (Fonte Empresa pesquisada)

Por meio dos dados coletados na entrevista foi possível determinar a quantidade de materiais resíduos sólidos e solventes. Evidentemente esses materiais quanto reduzidos não são

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

dispostos no meio ambiente dando origem ao estudo sobre as vantagens ambientais. As vantagens ambientais foram mensuradas pelo método Wuppertal (2008). O método, desenvolvido pelo Instituto Wuppertal, pode avaliar as mudanças ambientais associadas à extração de recursos de seus ecossistemas naturais. Desta forma, para suprir com um fluxo de material um sistema, uma quantidade maior de material foi previamente processada em vários compartimentos ambientais. Os compartimentos são classificados em: abiótico, biótico, água e ar. Segundo Odum (1998) o ecossistema é composto de compartimentos bióticos e abióticos com interação entre si, o compartimento biótico consiste no conjunto de todos os organismos vivos como plantas e decompositores, o compartimento abiótico é o conjunto de fatores não vivos de um ecossistema, mas que influenciam no meio biótico, consiste na temperatura, pressão, pluviosidade de relevo, entre outros. A quantidade total de material de cada compartimento que foi processado para suprir um dado material denomina-se Intensidade de Material. Para determinar a Intensidade de Material, o fluxo de entrada de massa (expresso nas unidades correspondentes) é multiplicado pelo fator MIF (mass intensity factors) que corresponde à quantidade de matéria necessária para produzir uma unidade de fluxo de entrada. Os valores de MIF usados no presente trabalho estão na Tabela 1.

 

Fatores de Intensidade de Material

   
 

Material abiótico

Material biótico

Água

Ar

Resina de Poliéster

5,11

 

188

2895

Àcido Silícico

1,42

 

1,4

0,03

Pigmento similar

1,44

 

15,6

0,30

Dolomite

Benzeno (Solvente)

4,32

 

28,2

2190

Tabela 1 - Fatores de Intensidade de Material usados no presente trabalho ( a dados da Europa, Alemanha)

É importante salientar que os estudos de intensidade de material desenvolvido no instituto Wuppertal têm base na matriz energética da Alemanha, Europa ou Mundo. Mas que esse fato não impossibilita a implementação dessa ferramenta metodológica no Brasil, segundo o instituto os dados quantitativos são muito próximos. Para finalizar a pesquisa relacionou as vantagens econômicas com as vantagens ambientais, com o objetivo de mostrar que é possível ter vantagens econômicas e ambientais na implementação da produção mais limpa na comparação de quatro processos de pintura.

3.3 Análise técnica da tinta

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Nessa seção objetiva-se mostrar a análise técnica da composição da tinta por processo de pintura, o principal objetivo dessa análise é levantar a composição do resíduo sólido resultante do processo de pintura para a avaliação da vantagem ambiental por tipo de pintura. A composição da tinta é subdividida em duas partes: (i) Sólidos e (ii) Solvente. 1) Sólidos Predominantemente é a resina Alquímica (resina sintética de poliéster) com 67%, que fornece as seguintes propriedades: alto brilho, tenacidade, alta resistência ao desgaste e à intempérie e boa propriedade isolante. Em seguida tem o Ácido Silícico, constituído por Silício, Hidrogênio e Oxigênio com representatividade de 23%. E por fim pigmento artificial de marfim, e na forma natural é sólido e encontrado na natureza, representando 10%. 2) Solvente Hidrocarboneto aromático com ponto de fulgor de 30º C (método TAG ASTM D1310) e tem nome comercial de Diluente Nº 905. A tinta é produzida pelo fabricante (fornecedor) a uma concentração de sólidos por volume de 36%, portanto vem com uma quantidade de solvente e no cliente (consumidor) é adicionada mais uma quantidade, sendo assim um total de 25000 litros corresponde a 9000 sólidos e 16000 solventes + 8.333 solventes que serve para dispersar ou concentrar a tinta. Os dados foram detalhados na Tabela 2. No campo % de redução de componentes, mostra-se que o método de pintura com caneca é o menos efetivo no que tange a usabilidade de componentes químicos, isto é, polui mais, em contrapartida o método eletrostático é o mais efetivo com percentual de redução de 51,06%. Utiliza-se o termo efetivo para explicar qual método é o mais eficiente e eficaz no que tange a redução da poluição no processo de pintura. Claro que isso não aufere na qualidade da pintura, mas sim a qualidade e preocupação ambiental no processo.

 

Consumo anual de tinta e solvente (36% de sólidos)

 

PROCESSO

TOTAL

SÓLIDOS

SOLVENTE

ADIÇÃO

TOTAL

% DE REDUÇÃO de componentes (sólidos + solventes)

SOLVENTE

SOLVENTE

Caneca pintura

25.000

9.000

16.000

8.333

24.333

0

HVLP

17.606

6.338

11.268

5.869

17.137

29,58

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Airless

16.285

5.863

10.422

5.428

15.850

34,86

Eletrostática

12.236

4.405

7.831

4.079

11.910

51,06

Tabela 2 Análise técnica da composição da tinta por processo de pintura

4 Resultados

4.1 Vantagens econômicas comparativa dos processos de pintura

A Tabela 3 caracteriza e compara os tipos de processos de pintura utilizando formas diferentes de aplicação e seus respectivos consumos em litros/m². Cabe destacar que quanto menor a quantidade de tinta utilizada menor é o custo, portanto o efeito overspray é menor e a quantidade de sólidos na atmosfera é menor. Os dados foram calculados considerando o custo por litro de tinta de R$ 5,41 e solvente R$ 3,47.

Processo

( litros/m²)

Custo ano

Caneca de Pintura

0,33

$164.166,67

HVLP

0,23

$115.610,33

Airless

0,21

$106.939,55

Eletrostática

0,16

$80.349,18

Tabela 3 - Custo anual do processo por tipo de pintura

A Tabela 3 demonstra uma redução de 51% entre o processo de pintura utilizando a caneca comparada com a pintura eletrostática que representa economia anual de R$ 83.817,49. Além disso, contatou-se que ocorre redução de custos na manutenção do sistema entre os processos de pintura com caneca e pintura eletrostática. A Tabela 4 mostra redução de aproximadamente 33% nos custos com manutenção da cabine de pintura. A mudança de processo de aplicação com caneca de pintura para pintura com pistola eletrostática representa uma economia anual de R$ 23020,83, considerando apenas a manutenção dos sistemas.

Atividades

Custo ano antes com a utilização do processo de caneca de pintura

Custo após alteração do processo considerando a usabilidade da pistola eletrostática

Limpeza da Cabine

$3.125,00

$1.041,67

Transporte de Borras de tinta

$28.125,00

$9.375,00

Reposição de Coagulante

$781,25

$260,42

Troca de filtros

$500,00

$166,67

Manutenção

$2.000,00

$666,67

Total

$34.531,25

$11.510,42

Tabela 4 - Custos de manutenção antes e depois da mudança de processo

Em posse dessas informações constatou-se que o processo de pintura mais econômico é o de pintura eletrostática com custo anual de R$ 91859,60, considerando a eficácia e eficiência do uso de matérias primas e manutenção. Para a tomada de decisão é necessário calcular o impacto ambiental no que tange a intensidade do material.

4.2 Vantagens ambientais comparativa dos processos de pintura

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Na soma total de materiais, consideram-se os resíduos que não são dispensados no meio ambiente de maneira negligente, por meio dessa ação reduziu-se o impacto ambiental. A empresa informou o total de Massa em Material (MM) por ano que será reduzido na fonte por processo de pintura (Tabela 5). Para a avaliação será considerado dois processos: o processo de pintura por meio de canecas utilizado pela empresa e o processo de pintura eletrostática que se mostra menos impactante ao meio ambiente. Os dados mostram que o processo de pintura mais impactante no que tange o meio ambiente é o de caneca de pintura com: 9000 kg de resíduos sólidos e 24333 litros de solventes dispersos na atmosfera e o menos impactante é o processo de pintura eletrostática com: 4405 Kg de resíduos sólidos e 11910 litros de solventes dispersos na atmosfera. Para determinar a Intensidade de Material, o fluxo de entrada de massa (expresso nas

unidades correspondentes) é multiplicado pelo fator MIF (mass intensity factors) que corresponde à quantidade de matéria necessária para produzir uma unidade de fluxo de entrada. Os valores de MIF usados no presente trabalho estão na Tabela 1. Por exemplo: MM * MIF Na Tabela 5 apresenta-se o fator de intensidade por material, visando destinação correta.

A representatividade da redução na fonte na geração de resíduos sólidos e solventes no processo

de pintura por meio de caneca soma 176.848,56 kg de materiais no compartimento abiótico, isto

é, contribui com a sustentabilidade no que tange o aquecimento global, o desgaste da camada de

ozônio, a pressão atmosférica, etc. Além disso, deixa de poluir a água com 2.531.190,6 kg e o ar

com 79.347.240 kg. Considerando o processo de pintura eletrostática soma 86.559,05 kg de materiais no compartimento abiótico. Além disso, deixa de poluir a água com 1.238.887 kg e o ar com 38.836.828,65 kg. Nessa avaliação constatou-se redução de aproximadamente 51% de resíduos oriundos do processo de pintura na fonte, reduzindo conseqüentemente o impacto ambiental.

 

Caneca de Pintura

 
 

Fatores de Intensidade de Material

 
 

Material abiótico

Material biótico

Água

Ar

Resina de Poliéster

45990

0

1692000

26055000

Àcido Silícico

12780

0

12600

270

Pigmento similar Dolomite

12960

0

140400

2700

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Benzeno

105118,56

0

686190,6

53289270

MTC

Total

   

2531190,

   

176848,56

0

6

79347240

 

82055279,16

 

HVLP

 

Fatores de Intensidade de Material

   
 

Material abiótico

Material biótico

Água

Ar

Resina de Poliéster

32387,18

0

1191544

18348510

Àcido Silícico

8999,96

0

8873,2

190,14

Pigmento similar Dolomite

9126,72

0

98872,8

1901,4

Benzeno

74031,84

0

483263,4

37530030

MTC

Total

   

1782553,

   

124545,7

0

4

55880631,54

57787730,64

 

Airless

 

Fatores de Intensidade de Material

   
 

Material abiótico

Material biótico

Água

Ar

Resina de Poliéster

29959,93

0

1102244

16973385

Àcido Silícico

8325,46

0

8208,2

175,89

Pigmento similar Dolomite

8442,72

0

91462,8

1758,9

Benzeno

68472

0

446970

34711500

MTC

Total

115200,11

0

1648885

51686819,79

53450904,9

 

Eletrostática

 

Fatores de Intensidade de Material

   
 

Material abiótico

Material biótico

Água

Ar

Resina de Poliéster

22509,55

0

828140

12752475

Àcido Silícico

6255,1

0

6167

132,15

Pigmento similar Dolomite

6343,2

0

68718

1321,5

Benzeno

51451,2

0

335862

26082900

MTC

Total

86559,05

0

1238887

38836828,65

40162274,7

Tabela 5 Comparação dos processos de pintura considerando os fatores de Intensidade de Material

4.3 Comparando vantagem econômica com vantagem ambiental Para a avaliação serão considerados dois processos: o processo de pintura por meio de canecas utilizado pela empresa e o processo de pintura eletrostática que se mostra menos impactante ao meio ambiente. No processo de pintura por meio de canecas é possível reduzir na fonte 9000 kg de resíduos sólidos e 24333 litros de solventes que somam aproximadamente após a transformação de litros de solvente para kg a 33333 kg (soma dos materiais) corresponde a 176.848,56 material no nível abiótico, a 2.531.190,6 kg na água e 79.347.240 kg no ar. No processo de pintura eletrostática é possível reduzir na fonte 4405 kg de resíduos sólidos e 11910 litros de solventes que somam aproximadamente após a transformação de litros de solvente para kg a 16315 kg (soma dos materiais) corresponde a 86.559,05 material no nível abiótico, a 1.238.887 kg na água e 38.836.828,65 kg no ar.

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Os benefícios financeiros do processo de pintura por meio de canecas, no qual reduz na fonte 33333 kg com custo do processo anual de R$ 198.697,92. Ao considerar os benefícios financeiros do processo de pintura eletrostática, no qual reduz na fonte 16315 kg com custo do processo anual de R$ 91859,60. Para essa análise contatou-se ganho de17018 kg de redução de resíduo na fonte, resultando em uma vantagem econômica bastante representativa ao comparar o processo de pintura à caneca com o de pintura eletrostática de R$106.838,32 por ano. Com o objetivo de analisar as vantagens econômicas e ambientais para a decisão do processo de pintura a ser implementado na organização. Foram desenvolvidos os seguintes cálculos com três enfoques (i) pintura por meio de caneca; (ii) pintura eletrostática e (iii) encontrar a diferença entre ambos:

(i) Com enfoque no processo de pintura por meio de caneca, Figura 3, se for definida a razão (Material Economizado na Fonte (MEF), que corresponde a 33333 kg /Dinheiro Economizado (DE), que corresponde a R$198.697,92), resultando em 0,16 kg. Quando se considera: (Material de Todos os Compartimentos (MTC), que corresponde a 82.055.279,16 kg*(dado na Tabela 5) /Custo do Processo (CP), que corresponde a R$ 198.697,92), tempos a razão de 412,96. Portanto, muda-se de 0,16 kg considerando só os materiais reduzidos na fonte para 412,96 Kg quando é considerado os Materiais de Todos os Compartimentos (MTC). No primeiro caso, cada real economizado corresponde a 0,16 kg de material. Quando se considera a escala global, por cada real, há um beneficio de 412,96 kg de material que não é modificado nem retirado dos ecossistemas. (ii) Com enfoque no processo de pintura eletrostática, Figura 3, em cada real economizado corresponde a 0,18 kg de material. Quando se considera a escala global, por cada real, há um beneficio de 202,13 kg de material que não é modificado nem retirado dos ecossistemas. O processo escolhido de pintura mais limpa é o de pintura eletrostática. O que justifica essa escolha é a possibilidade de ter vantagem econômica e vantagem ambiental. Na Figura 3 mostra-se a (iii) diferença entre ambos, no qual cada real economizado corresponde a 0,02 kg de material. Quando se considera a escala global, por cada real, há um beneficio de e 210,83 kg de material que não é modificado nem retirado dos ecossistemas. Também se constatou que as vantagens ambientais são mais representativas do que as econômicas, aproximadamente 48%.

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

Comparativo dos processos de pintura

412,96 450,00 400,00 350,00 300,00 250,00 210,83 202,13 200,00 150,00 100,00 0,16 0,02 0,18 50,00
412,96
450,00
400,00
350,00
300,00
250,00
210,83
202,13
200,00
150,00
100,00
0,16
0,02
0,18
50,00
0,00
Caneca
Eletrostática
Diferença
MEF/CP
0,16
0,18
0,02
MTC/CP
412,96
202,13
210,83

Figura 3 Comparação entre vantagem econômica e ambiental no que tange os processos de pintura

A próxima etapa para a análise foi desenvolvida com base na constatação de ganho quando comparados os dois processos: pintura à caneca e à eletrostática. Na análise contatou-se possibilidade de redução de resíduo na fonte de 17018 kg, resultando em uma vantagem econômica bastante representativa de R$106.838,32 por ano. O cálculo ficou assim com base apenas no processo escolhido de pintura eletrostática:

Na Figura 4, se for definida a razão (Material Economizado na Fonte (MEF) 17018 kg/Dinheiro Economizado (DE) R$ 106.838,32) = 0,15 kg. Quando se considera: (Material de Todos os Compartimentos (MTC), que corresponde a 40162 kg*(dado na Tabela 5) / Dinheiro Economizado (DE), que corresponde a R$ 106.838,32), tempos a razão de 375,92 Kg. No primeiro caso, cada real economizado corresponde a 0,15 kg de material. Quando se considera a escala global, por cada real, há um beneficio de 375,92 kg de material que não é modificado nem retirado dos ecossistemas.

que não é modificado nem retirado dos ecossistemas. Figura 4 – Vantagens econômicas e ambientais do

Figura 4 Vantagens econômicas e ambientais do processo de pintura eletrostática

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

5 Conclusões

O objetivo principal desse estudo é verificar a possibilidade de redução dos resíduos

originados pelo processo de pintura em uma empresa de fabricação de produtos de suspensão de automóveis, sendo assim decidiu-se comparar quatro diferentes tipos de aplicações objetivando a diminuição da quantidade de sólidos expostos na atmosfera em conseqüência do efeito overspray (Quantidade de tinta mais solvente que não foi transferida para o produto pintado) e também elencados ao mesmo objetivo verificar a possibilidade de conquistar vantagem econômica. Nesse estudo busca-se a redução na fonte de resíduo sólido e solvente no processo produtivo. Em específico mostrar-se-á a comparação entre os ganhos econômicos e ambientais resultantes da implementação da Produção Mais Limpa ao escolher um dos quatro processos. Para atingir o objetivo proposto, em um primeiro momento após avaliar por meio da metodologia Wuppertal (2008) a intensidade dos materiais e avaliar as vantagens econômicas para cada processo, decidiu-se considerar dois processos: o processo de pintura por meio de canecas utilizado pela empresa e o processo de pintura eletrostática que se mostra menos

impactante ao meio ambiente e apresenta maior vantagem econômica.

O processo de pintura mais econômico é o de pintura eletrostática com custo anual de

R$ 91859,60, considerando a eficácia e eficiência do uso de matérias primas e manutenção. Em seguida, avaliou-se as vantagens econômicas e ambientais para a decisão do processo

de pintura a ser implementado na organização. Foram desenvolvidos os seguintes cálculos com três enfoques (i) pintura por meio de caneca; (ii) pintura eletrostática e (iii) encontrar a diferença entre ambos.

O processo escolhido de pintura mais limpa é o de pintura eletrostática. O que justifica

essa escolha é a possibilidade de ter vantagem econômica e vantagem ambiental. Na Figura 3 mostra-se a (iii) diferença entre ambos, no qual cada real economizado corresponde a 0,02 kg de material. Quando se considera a escala global, por cada real, há um beneficio de e 210,83 kg de material que não é modificado nem retirado dos ecossistemas. Também se constatou que as vantagens ambientais são mais representativas do que as econômicas, aproximadamente 48%. Os dados foram resumidos na Tabela 6.

Pintura à

Material Economizado

na

Material

de

Todos

os

Fonte

(MEF)

/

Custo

do

Compartimentos

(MTC)

/

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

 

Processo (CP)

Custo do Processo (CP)

Caneca

0,16

412,96

Eletrostática

0,18

202,13

Diferença

0,02

210,83

Tabela 6 Processo de decisão de escolha do processo de pintura

Em seguida, desenvolveu-se com base na constatação de ganho quando comparados os

dois processos: pintura à caneca e à eletrostática. Na análise contatou-se possibilidade de redução

de resíduo na fonte de 17018 kg, resultando em uma vantagem econômica bastante representativa

de R$106.838,32 por ano. O cálculo ficou assim com base apenas no processo escolhido de

pintura eletrostática:

Na Figura 4, se for definida a razão (Material Economizado na Fonte (MEF) 17018

kg/Dinheiro Economizado (DE) R$ 106.838,32) = 0,15 kg. Quando se considera: (Material de

Todos os Compartimentos (MTC), que corresponde a 40162 kg*(dado na Tabela 5) / Dinheiro

Economizado (DE), que corresponde a R$ 106.838,32), tempos a razão de 375,92 Kg. No

primeiro caso, cada real economizado corresponde a 0,15 kg de material. Quando se considera a

escala global, por cada real, há um beneficio de 375,92 kg de material que não é modificado nem

retirado dos ecossistemas.

6 Referencias bibliográficas

BOGDAN, Robert, BIKLEN, Sari. Qualitative Research for Education: an Introduction to Theory and Methods. Boston: Allyn and Bacon, 1992.

EISENHARDT, K. M. Building Theories from Case Study Research. Academy of Management Review, v. 14, n. 4, p. 522-550, 1989.

GIANNETTI, B.F. ALMEIDA, C.M.B.V.Ecologia Industrial: Conceitos, ferramentas e aplicações. São Paulo, Editora Edgard Blücher, 2006.

GUNTHER, W.M.R.Minimização de resíduos e educação ambiental. In: Seminário Nacional de resíduos sólidos e limpeza pública, 7. Curitiba, 2000. Anais. Curitiba, 2000.

McCRACKEN, Grant. The Long Interview. 5th print. Newbury Park: Sage, 1991.

ODUM, E.P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

PNRS Política Nacional de Resíduos Sólidos. Subemenda Substitutiva Global de Plenário ao Projeto de Lei nº 203, de 1991, e seus apensos. Disponível em:

<http://www.revistasustentabilidade.com.br/reciclagem/reciclagem/documentosinteressante/relat orio-final-da-politica-de-residuos>. Acesso em: 09 out. 2010.

RANSBURG, Devilbess. Pintura eletrostática e à caneca <http:// www.ylm.ca. Acesso em: 14 maio de 2011.

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011
VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 12 e 13 de agosto de 2011

VII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO

12 e 13 de agosto de 2011

SEIDMAN, I. E. Interviewing as Qualitative Research. A Guide for Researchers in Education and the Social Sciences. New York: Teachers College/Columbia University Press, 1991.

SENAI.RS.Implementação de Programas de Produção mais Limpa. Porto Alegre, Centro Nacional de Tecnologias Limpas SENA-RS/UNIDO/INEP, 2003.

THIOLLENT, MICHEL. Metodologia da Pesquisação. 15ª ed. Cortez: São Paulo, 2007.

WUPPERTAL, Institute. Calculating MIPs, resources productivity of products and services. Disponível: <http://www.wupperinst.org/uploads/tx_wiberitrag/MIT_v2.pdf> Acesso em : abr.

2008.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. São Paulo: Bookman, 2003.

YUKSEL, H., Na empirical evaluation of clean production pratices in turkey. Journal of Clean Production, 16S1, p. 50-57, 2007.