Você está na página 1de 2

DOC-TC-6721/0S

PAG-TC-3632/03

~
TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

Administração Direta Municipal. Prefeitura de Cubati. Prestação de


Publicado no O. O. E, Contas Anual, exercício de 2004. RECURSO DE
RECONSIDERAÇÃO. Tomar conhecimento e apreciação do mérito
Em,~1 I\ I l, .) com provimento, modificando-se o PARECER-TC-121/2006
Favorável à aprovação das contas.

)\ secr~~ d~T~b~~al Pleno

RELATÓRIO
O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, em sessão plenária do dia 06/12/2006, apreciou a
Prestação de Contas Anual do Sr. Josinaldo Vieira da Costa, então Prefeito Municipal de Cubati, do
exercício de 2004, emitindo os seguinte atos formalizadores, cujas publicações no DOE se deram em
31/10106:
1. PARECER PPL-TC N° 121/2006 contrário à aprovação da citada prestação de contas, tende
em vista a existência de insuficiência financeira no exercício de 2004, último exercício da
gestão 2001/2004, no montante de R$ 59.539,77, evidenciando um descontrole financeiro,
1
prática repelida pela LRF em seu art. 42 e que, de acordo com o Parecer Normativo-TC-
2
47/01 enseja parecer contrário;
?.. I?P<FECE.R TC-PGF-PEM N° 236/2006, declarando aterra'imerrro p<::lICll:Il' às eXlg~nclas
essenciais da LRF, porquanto ficou evidenciada insuficiência financeira para saldar os
compromissos de curto prazo.

Inconformado com a decisão, em 16/11/06, o Senhor Josinaldo Vieira da Costa, interpôs,


tempestivamente, Recurso de Reconsideração anexado aos autos às fls. 532/538, pela Secretaria do
Tribunal Pleno.
A peça recursal, em suma, argumenta que "os motivos que levaram a emissão de parecer contrário à
prestação de contas não se encaixam em nenhum dos itens taxativamente elencados no Parecer
Normativo PN- rC-47/01".
Em 30101/07, por equívoco, o processo foi encaminhado à Câmara Municipal de Cubati, através do
Ofício n? 0256/2007 -SECPL-GAPRE, para os fins estabelecidos § 4° do artigo 13, da Constituição
Estadual", Entretanto, ao identificar o engano, a Secretaria do Pleno solicitou os autos àquela Casa
Legislativa em 07/03/07, que prontamente devolveu-os a esta Corte.
Recebido o presente recurso pelo Gabinete do Relator em 14/03/07, o processo foi encaminhado ao
MPjTCE para emissão de parecer, tendo em vista que as alegações expostas na peça recursal
tratam-se de questões eminentemente jurídicas.
O Ministério Público junto ao Tribunal emitiu o Parecer nO 82/08, datado de 04/09/2008, da lavra da
ilustre Procuradora Geral Ana Teresa Nóbrega (fls. 544/545), mantendo seu posicionamento
manifesto anteriormente no Parecer Ministerial inicial (fls. 518/520), ou seja, pela emissão de Parecer

Favorável. Ó
Analisando o mérito do presente recurso, o rgão Ministerial entendeu que:
~".
"\
(j' ;/V .

1 Art. 42. É vedado ao titular de Poder ou órgão referido no art. 20, nos últimos dois quadrimestres do seu mandato, contrair obrigação de despesa
que não possa ser cumprida integralmente dentro dele, ou que tenha parcelas a serem pagas no exercícío seguinte sem que haja suficiente
disponibilidade de caixa para este efeito.
Parágrafo único. Na determinação da disponibilidade de caixa serão considerados os encargos e despesas compromissadas a pagar até o final do
exerclcio,
26. A orientação constante do item 5, precedente, não exclui a possibilidade de pareceres contrários á aprovação de prestações de contas nas
quais se constatem outras irregularidades e ilegalidades, inclusive desobediência ao disposto na LRF e práticas danosas ao Erário.
3 Art. 13. A fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial do Municipio e de todas as entidades da administração direta e
indireta, quanto aos aspectos de legalidade, legitimidade e economicidade, assim como a aplicação das subvenções e renúncia de receitas, será
exercida pelo Poder Legislativo municipal, mediante controle externo, e pelos sistemas de controle interno que, de forma integrada, serão
mantidos pelos Poderes Legislativo e Executivo.
§ 4° - Recebido o parecer prévio, a Cãmara deverá pronunciar-se no prazo de sessenta dias, na forma que a lei dispuser.
OOC- TC-6721 lOS - PAG- TC-3632/03 f1s.2

"o motivo para a emissão de parecer contrário à aprovação das contas consiste,
apenas, na insuficiência financeira, no valor de R$ 59.539,77. No caso, a referida
impropriedade não tem o condão de macular as contas da gestão, porquanto não
comprometeu o exercício financeiro seguinte".
Diante do exposto, o Parquet opinou pelo conhecimento da insurreição e, no mérito, pugnou pelo seu
provimento, ensejando a emissão de parecer favorável à aprovação das contas da Prefeitura
Municipal de Cubati, exercício de 2004.

VOTO DO RELATOR
Inicialmente, cabe destacar que a única irregularidade remanescente e ensejadora do parecer
contrário às contas do Sr. Josinaldo Vieira da Costa foi a insuficiência financeira no montante de R$
59.539,77.
Ocorre que, em termos relativos, ou seja, no montante das Despesas Orçamentárias Realizadas
(DOTR), a insuficiência torna-se irrelevante, representando o ínfimo valor de 1,5% da DOTR;
Com pulsando algumas decisões desta Corte, observei que, em outros julgados da espécie, o
entendimento foi no sentido de que este tipo de irregularidade, nos valores praticados, não tem o
condão de macular as contas do gestor.
Assim, em consonância com o princípio da analogia e dos precedentes sucedâneos desta Corte, não
deve esta irregularidade ser motivo para reprovação das contas aqui recorridas.
Ante o exposto, e em harmonia com Parecer Ministerial, voto pelo conhecimento do presente recurso,
por estarem configurados os pressupostos de tempestividade e legitimidade, e, no mérito, pelo seu
provimento, inclusive com mudança na decisão inicialmente prolatada, desta feita, encaminhando-se
ao julgamento da Egrégia Câmara Municipal de Cubatí, PARECER FAVORÁVEL à aprovação da
Prestação de Contas do Prefeito Municipal Sr. Josinaldo Vieira da Costa, relativa ao exercício de
2004.

DECISÃO DO TRIBUNAL PLENO


Vistos, relatados e discutidos os autos do DOC-TC N° 5415/05 e PAG-TC N° 3571/03, ACORDAM os
Membros do TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAíBA (TCE/Pb), à unanimidade, na
sessão realizada nesta data, em conhecer o presente Recurso de Reconsideração por estarem
configurados os pressupostos de tempestividade e legitimidade, e no mérito, dar-lhe provimento,
modificando-se o PARECER PPL-TC N° 121/2006, encaminhando-se, ao julgamento da Egrégia
Câmara Municipal de Cubatí, PARECER FAVORÁVEL à aprovação da Prestação de Contas do
Prefeito Municipal de Cubatí, Sr. Josinaldo Vieira da Costa, relativa ao exercício de 2004.

Publique-se, registre-se e cumpra-se.


TCE-Plenário Ministro João Agripino

João Pessoa, ---"L~)J...:::.-_de_..3Iot.-l..........,L....W;-<L...L.!-


Q(lTuBt30 ..••••...•__ de 2008
, 'J/
( r '-- C(> ' .
Conselheiro Marcos U~a~~t~d~:pereira Conselheiro Fábio Túlio Filgueiras Nogueira
Presidente eryl,,;ício' c\c: ~) Relator

Fui presente, ;
~
$:,,-\ç;::'~-1'
Torres Pontes
Procuradol Geral do Ministério Público junto ao TCE-Pb
! , .
í em exerCICIO
I