Você está na página 1de 15

O presente trabalho tem como intuito analisar o caso da Marcopolo S.A.

e avaliar a estratégia da respectiva empresa frente aos desafios globais enfrentados por ela.

Análise de Caso

Antonio Neto Isabella Galo Reysla Soares Thaís Wanderley

Dezembro de 2013

.......................................................................... 3 Qual a estratégia inicial da Marcopolo? ................................................. 12 Avaliação das Estratégias .................................... 1................................ 9 Apresentação de uma análise ............ 6 Problemas de Políticas e Administração (Management) .......................................................................... São vantagens competitivas das fábricas Marcopolo no Brasil? No exterior? Para exportação?............................... 2...................... 6 Definição de PROBLEMAS MENORES.................................................... Quais as vulnerabilidades da Marcopolo? ................................. 6 Definição do PROBLEMA PRINCIPAL (Maior): ................................ 12 Identificação dos objetivos......... B...................................................................................................................................................................... 4..... 2 3........................... 4 Como mudou a sua estratégia de internacionalização? Por quê? ............................... RESPOSTAS ÀS PERGUNTAS DO CASO .... Como a Marcopolo desenvolve seu pessoal? ................................... ......... onde opera? Tem condições de expandir mais? ............................................................... 11 AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA MARCOPOLO S.............................. 5............................................................... 5..................A..................................... 12 CONCLUSÃO........... 4 7......................................... 2 Qual (is) a (s) competência (s) essencial (is) (Core Competencies) da Marcopolo? 2 2.............. Quais as perspectivas futuras da Marcopolo no Brasil? Nos diversos países..................................... 1.. 2....................................................Sumário INTRODUÇÃO ............ 8 Alternativas recomendadas .............. 14 PÁGINA |1 ......................... 3................ 1........... 3............................. 4 8.................... C......... 12 Identificação das estratégias ............................................................... ..................................... 3 Como a Marcopolo mudou a sua estratégia de exportação? Por quê? ............................................................. 4......... 4 MODELO GREENWOOD .......... 6................................... 2 A....

. a Marcopolo S. tendo em vista que tem apresentado resultados financeiros crescentes. É importante destacar que esta competência esta diretamente relacionada com a proposta de valor da Marcopolo S.otimização os processos produtivos. mesmo diante das dificuldades encontradas na internacionalização da marca.A. pois ela conseguiu desenvolver uma forma de gestão própria e a padronizou de forma a replicá-la para as empresas que são adquiridas. a principal competência essencial da Marcopolo S. São vantagens competitivas das fábricas Marcopolo no Brasil? No exterior? Para exportação? Uma das principais vantagens competitivas é o know-how adquirido pela empresa ao longo dos anos e a adoção de técnicas japonesas de busca de melhorias contínuas. que é o desenvolvimento de soluções para o transporte coletivo de passageiros. A empresa conseguiu adaptar no Brasil técnicas nipônicas levando em consideração a cultura local. MVC (componentes de plastico) além de uma fabrica de peças e componentes para carrocerias de ônibus na China – de forma a conseguir custos mais baixos e maior PÁGINA |2 . Wsul (espuma para assento). Eliminação de 95% da papelada e facilitação da tomada de decisão. seguindo os princípios de transparência. Analogamente. com ampla variedade de modelos na linha de produtos.INTRODUÇÃO A. redução dos estoques e melhor controle dos mesmos.Desenvolve programas de melhoria continua – kanban (japonização). A firma adota as boas práticas de Governança Corporativa.A. tem obtido sucesso em entregar esta proposta de valor. RESPOSTAS ÀS PERGUNTAS DO CASO 1.. Outra vantagem competitiva é a verticalização da companhia que reuniu no seu negócio a fabricação de componentes através da participação em outras firmas como Spheros (climatização e ar condicionado). definido as prioridades de fabricação em função do consumo de cada item. A japonização da Marcopolo criou base para uma produção com nível de qualidade mundial a custos competitivos o que permitiu a empresa dominar o mercado brasileiro. é importante destacar que. quando comparado com os europeus por exemplo. das chefias departamentais e dos mestres e encarregados. Possui sistema de remuneração estratégico. . equidade. na parte B do presente trabalho. é O know-how da fabricação – e a própria fabricação – de ônibus e de carrocerias e componentes para ônibus. Qual (is) a (s) competência (s) essencial (is) (Core Competencies) da Marcopolo? Conforme consta no Anexo 2 e nos relatórios anuais da própria empresa. Possui um sistema de produção industrial sofisticado e de baixo custo. A cultura da empresa também é uma grande vantagem competitiva.Filosofia Just-in-time .A. de maneira geral. As racionalizações implementadas através do programa levaram a redução do numero de gerentes. Suas ações estão listadas no Nível 2 de Governança Corporativa da BM&FBovespa desde 2002. prestação de contas (accountability) e responsabilidade corporativa. conforme pode ser observado na análise do caso. A sua formação de pessoal e sua gestão própria padronizada facilita a estruturação da companhia em outros países que treina os colaboradores locais de acordo com a sua filosofia. 2. com remuneração fixa e variável (PL) o que estimula o executivo a ser orientado para resultados. É a marca de carrocerias de ônibus mais disseminada no mundo.

a contribuição dos colaboradores valorizando sua dedicação e o trabalho realizado através de eventos comemorativos e prêmios institucionais. sempre que possível. a partir do crescimento da demanda no Brasil. com isso. Possui ainda um banco para financiar os seus consumidores. pinturas e chapeados de automóveis no Brasil. visando penetrar na zona livre de comercio. apenas exportando as peças ou o produto final. Qual a estratégia inicial da Marcopolo? Fundada em 1949 na cidade de Caxias do Sul. No mercado exterior a empresa também tem um diferencial por conhecer bem as demandas dos consumidores onde planeja adentrar. Sua estratégia inicial. construindo novas fabricas no pais e aumentando sua produção. o Mercado Comum Europeu. Há também programas de treinamento especial para mulheres de comunidade e programa de capacitação para pessoas com deficiência. verticalização. com custos mais baixos do que os da concorrência. o Desenvolver tecnologia própria .produzir componentes estratégicos de tecnologia própria para evitar que a sua terceirização viesse facilitar a montagem de ônibus semelhantes aos seus. tinha o objetivo inicial de explorar o ramo da fabricação de carrocerias.manter seus produtos diferenciados e. 3. A Marcopolo não deseja fazer “benchmarking” – ela quer criar a “benchmark” o Participar no desenvolvimento de sistemas de transporte urbano e vendê-los – não se limitar a vender ônibus. sua estratégia era de manter as operações e produção no Brasil. e através da qual ela pode recrutar profissionais. Como a Marcopolo desenvolve seu pessoal? A empresa possui uma escola de formação profissional onde oferece cursos de aprendizagem industrial para jovens. para onde já exportava. Além disso. Reconhece. Seu processo de internacionalização inicia-se em 1991 por Portugal. PÁGINA |3 . A empresa criou a Fundação Marcopolo através da qual desenvolve programas de qualidade de vida. conforme detalhado abaixo: A empresa estabeleceu uma estratégia focando quatro pontos: o Internacionalização – estabelecer fábricas em países pertencentes às zonas livres de comércio internacional para desse país exportar seus produtos para os demais pertencentes à zona livre. Mantinha uma rede internacional de representantes e de escritórios de forma a pesquisar as características dos mercados e dos produtos demandados por este publico internacional. programas de incentivo aos estudos e apoio as escolas da comunidade Há um plano de carreira com treinamento contínuo onde todos podem pleitear um cargo na diretoria. estimulo ao desenvolvimento do sistema de transporte urbano. torna o seu know-how sobre a produção um importante atributo a negociar na hora de estabelecer Joint-Ventures para penetrar em mercados externos. Para o desenvolvimento dos executivos a empresa desenvolveu um centro de educação corporativa para agregar excelência na formação dos executivos e sucessores de cargos estratégicos. é buscar se expandir. como a MASA.vantagem competitiva. Sua estratégia envolvia a internacionalização. mas procurar induzir as cidades a criar sistemas de transporte eficientes que utilizem ônibus. Com a verticalização a empresa evita que a sua tecnologia seja repassada para a concorrência e. mantem cursos de aprendizagem para jovens de acordo com a legislação vigente. ainda. 4. o Verticalização . existe um mapa de acesso desde os cargos mais baixos até o topo. Neste período inicial. através de coligadas da Marcopolo no exterior. desenvolvimento de tecnologia própria. O Centro Marcopolo de Educação Corporativa – CMEC oferece cursos de pós-graduação em parceria com a FGV-SP.

bem como tem permitido a redução dos riscos de investimento.V. (2) comprar onde seja mais barato inclusive localmente e incrementar a sua internacionalização optando pelas J. passou a uma competição unicamente baseada no know-how e conhecimento efetivamente transladados para as unidades externas. Criou duas firmas que desempenhavam um importante papel nessa continuação da expansão dos negócios internacionais. 7. na Índia e Rússia. Quais as perspectivas futuras da Marcopolo no Brasil? Nos diversos países. implantação do BRT e melhoria do serviço de transporte público. em função dos excelentes fundamentos macroeconômicos do Brasil. Trata-se uma significativa transformação de estratégia de manufatura. Como mudou a sua estratégia de internacionalização? Por quê? Prevendo a impossibilidade de valorização do dólar. na logística e na capacidade de montagem local. nos casos em que era a opção mais barata. preservada a qualidade. dos países emergentes. Embora tenha se retirado da Rússia. a Desaceleração da economia global e as Barreiras comerciais dos países em que atua. como por exemplo. coisa que não fazia inicialmente. PÁGINA |4 .Vs. que antes residia na competitividade dos kits exportados. necessidade dos produtos fabricados pela Marcopolo. Quais as vulnerabilidades da Marcopolo? Sua principal vulnerabilidade é o alto grau de dependência dos fatores externos como o Câmbio. apesar de monitorada pela engenharia central de Caxias do Sul.V. devido ao novo modelo de internacionalização adotado. que tem mercados com grande potencial de crescimento e. Nesse novo contexto. cada planta deveria capacitar-se a manufaturar de forma independente. a Marcopolo estabeleceu dois itens em sua trajetória de internacionalização. sobretudo. desrespeitando assim sua própria politica de não vender tecnologia. Neste sentido. Passou também a negociar com barreiras de língua. consequentemente. retirar-se dos mercados cujos resultados tem sido mais desfavoráveis. Além disso. Nos diversos países as perspectivas também são promissoras.A. em 2003 cria a J. 8. Ele tem permitido à Marcopolo S. seguindo esta nova estratégia de Global Outsourcing criou empresas na China para a produção de peças e componentes. a diretoria concluiu que a estratégia de exportar do Brasil tornou-se inadequada porque o custo de produção no Brasil deixou de ser competitivo. no caso o Chinês 6. onde opera? Tem condições de expandir mais? No Brasil há uma expectativa de melhora no mercado decorrente dos eventos próximos como Copa do Mundo e Olimpíadas. A essência competitiva. a China e a Índia. além dos investimentos dos governos federais e estaduais em infraestrutura. a custo relativamente menor. (1) parar de fabricar para o mundo em suas fábricas no Brasil e adotar o “global sourcing”. sobretudo.5. A estratégia passou a ser de global sourcing passando-se a comprar onde o custo fosse menor. as perspectivas são ainda mais atraentes quando se trata. de maneira geral. Como a Marcopolo mudou a sua estratégia de exportação? Por quê? A partir de 2000. Outro ponto de inovação foi o fato de ter passado a vender tecnologia para empresas estrangeiras. Como decorrência a Marcopolo iniciou esforços para se instalar em novos países e de preferência em J. (Joint Venture).

por exemplo.Com a desvalorização do Real. PÁGINA |5 . Houve ainda ocasião em que decisões foram tomadas a partir da oportunidade do momento e não deliberada ou estrategicamente. o produto não era adequado ao mercado e mão de obra não se desenvolveu conforme o esperado. levando assim a empresa a seguidos prejuízos. como no da América do Sul. as montadoras brasileiras não foram capazes de abastecer a quantidade de insumos necessária. a empresa ficou extremamente vulnerável e passou a não oferecer as mesmas perspectivas de crescimento. NO caso de Portugal. Em alguns casos. de forma que não foram feitas analises mais detalhadas do mercado potencial.

a adaptação de seu modelo de motivação de empregados (por meio de recompensas) às novas culturas. com participação majoritária ou minoritária. Bethlem. ele possui desafios a serem superados. Definição de PROBLEMAS MENORES. Somente considerando as diferenças culturais e maneiras de adaptar o modelo de produção e comercialização a essas diferenças é possível manter o modelo de produção de sucesso atual. que antes residia na competitividade dos kits exportados. tendo em vista que os consumidores são influenciados pelas culturas de seus países. 2. os problemas podem ser classificados como “Da companhia como um todo – da indústria – Competição longo prazo”. talvez seja o mais relevante dos dois problemas. a) Problemas menores da companhia como um todo: De fato. passou a uma competição unicamente baseada no know-how e conhecimento efetivamente transladados para as unidades externas. A penetração de seus produtos nos mercados consumidores externos destacase como desafio devido às diferentes características dos consumidores nos diversos países. Conforme consta no texto do caso: “Segundo o relatório do conselho em 2011. na logística e na capacidade de montagem local. entre outros desafios. a Marcopolo S. Essa estratégia tem sido bem executada pelas trading companies MIC Marcopolo International Corporation e ILMOT International Corporation. a escolha de uma estratégia de penetração no mercado. A Marcopolo pode superar este desafio por meio do estabelecimento de uma rede de vendas internacionais coordenadas. no que tange a sua estratégia de internacionalização. possui mais de um problema menor no que se refere à competição de Longo Prazo: penetração de seus produtos nos mercados consumidores externos e a escolha de uma estratégia de penetração no mercado (por meio de Joint-ventures. consequências diretas do desafio principal. Isto posto. da mesma maneira em que os mercados podem ser influenciados pelas políticas locais de compra. A essência competitiva. a empresa deixou de ser um exportador de kits e montador local de carrocerias. como a adequação do modelo de produção enxuta às culturas onde as novas plantas de produção se localizam. ao mesmo tempo em que as equipes regionais lidam com as especificidades de cada mercado. “Organização – Pessoal’ e “Finanças – Contabilidade”. Definição do PROBLEMA PRINCIPAL (Maior): O problema principal da Marcopolo ocorre na mudança de sua estratégia de internacionalização: a Marcopolo substitui sua estratégia de internacionalização por meio da exportação de kits e montador local de carrocerias para passar a ser um produtor local de carrocerias. O segundo problema listado. MODELO GREENWOOD 1. os problemas menores podem ser classificados de acordo com a área responsável por gerenciar o desafio. que é o gerenciamento de um mesmo modelo de produção em meio a diversas culturas. “Produção – Operações”. é interessante destacar que todos eles são. Antes de escrever a respeito dos problemas menores da Marcopolo. Esse problema pode ser PÁGINA |6 . Desta maneira.A. os desafios citados referem-se à produção em outras culturas. De maneira geral.B. ou implementação de unidade fabril própria). “Marketing”.” (Marcopolo (C). Agrícola) Embora esse novo posicionamento esteja mais próximo da proposta de valor oferecida pela Marcopolo – o desenvolvimento de soluções de transporte –. em maior ou menor grau.

o departamento de PÁGINA |7 . sobretudo por falta de chassis fornecidos pelas montadoras brasileiras. talvez seja melhor analisado na próxima seção.) e a hibernação da unidade produtiva em território argentino até 2007. de modo que teria sido possível estabelecer uma estratégia de penetração e.A. talvez. Desta maneira. antes disso. modelos de recompensa pelo empenho de seus diretores e funcionários. Acontece que em alguns países o desenvolvimento dos recursos humanos. Um estudo prévio sobre as regiões teria permitido à Marcopolo S. sobretudo para os funcionários chão de fábrica. Isto é. Isso destaca a importância do conhecimento da cultura local para que haja sucesso na implementação de unidade fabril e de uma equipe de vendas. embora fossem unidades de produção locais.A. no que tange ainda a competição de longo prazo. identificar que. Com relação a este desafio. o encerramento de suas atividades pode estar relacionado com o fato de ser gerenciada por uma empresa oriunda de um país com outra cultura – no caso. pode-se destacar como problemas menores de organização. que encerrou suas atividades por não atender as expectativas. o CMEC. o modelo de estímulo e desenvolvimento de seus recursos humanos. deve-se coordenar a equipe de Compras e Supply Chain da mesma maneira que as trading companies criadas em 2003/2004 coordenaram as equipes de venda.A. identificar as crises econômicas da Argentina e da Rússia que ocasionaram o congelamento e encerramento das atividades respectivamente nos dois países. Além disso. c) Problemas menores de “Produção – Operações”: Dentro do novo plano de internacionalização da Marcopolo S.identificado pelo encerramento das operações da filial de Portugal. está prevista uma estratégia de global sourcing. a jointventure da Rússia foi descontinuada devido à crise econômica no país e. as operações na Argentina foram hibernadas até 2007 devido ao não estudo do mercado local na época em que a oportunidade foi identificada. da mesma maneira que o fez para o Brasil com o estabelecimento da parceria com a FGV de São Paulo e a criação do Centro Marcopolo de Educação Corporativa. Esta estratégia é fundamental para que não ocorra novamente o que ocorreu anteriormente com a unidade fabril da África do Sul. a Marcopolo S. com o intuito de garantir que não haja falta de fornecimento de material necessário à fabricação nas suas diversas unidades fabris. no mercado europeu. – tendo em vista que os modelos de Joint-ventures. ter impedido um posterior encerramento das atividades da unidade fabril de Portugal devido ao fraco desempenho. Somente assim é possível monitorar as necessidades de cada unidade fabril e negociar contratos de fornecimento global que atendam a todas as necessidades. é interessante destacar que as unidades da África do Sul e de Portugal eram unidades adquiridas pela Marcopolo. Esse problema. devido a impossibilidade de ascensão cultural. ao mesmo tempo em que se garante a compra pelo melhor preço.A. desenvolva em âmbito global. não é tão atraente como é no Brasil.A. da fábrica adquirida na África do Sul (a Marcopolo South Africa PTY Ltda. Fundamental para isso é o estabelecimento de um sistema de informação que consiga atender e abranger todas as suas unidades fabris. Dessa maneira. Além disso. b) Problemas menores do Marketing: Os problemas do Marketing relacionam-se ao conhecimento das características do público-alvo nos países em que se pretende penetrar.A. um estudo de marketing teria permitido à Marcopolo S. o desenvolvimento de fornecedores globais revela-se uma alternativa. Por fim. d) Problemas menores de “Organização – Pessoal”: Dentro do novo modelo de internacionalização. é válido destacar os problemas de conhecimento das condições econômicas locais: em 2009. não era a sócia majoritária – obtiveram melhores resultados. havia uma forte concorrência que tornava o mercado consumidor de difícil acesso até mesmo por suas características de compra-e-venda. É necessário que a administração da Marcopolo S. sobretudo aqueles em que a Marcopolo S. no entanto.

ainda. para que a empresa se estruture melhor para os desafios de uma estrutura de atividade global. como. bem como desenvolver uma melhor comunicação entre os departamentos da empresa – sobretudo entre os departamentos de Marketing e Finanças e Contabilidade. como risco de financiamento e outras operações. o desenvolvimento de estudos acerca das condições econômicas do países em que se pretende penetrar. uma unidade bancária com conhecimento das características da região. a dois departamentos.A. com a ampliação de sua área de atuação para o âmbito global e o estabelecimento de um departamento de global sourcing. Além disso. no entanto. para compreender a melhor maneira de estimular seus funcionários e diretores.. episódios isolados como o da hibernação das atividades na Argentina e a crise econômica na Rússia sugerem que a administração deve estudar melhor os mercados em que pretende se inserir. estabelecer uma diretriz de comunicação entre os departamentos mais robusta. com crescimento constante do lucro. tendo em vista que estes mercados estavam sofrendo com a crises econômicas. satisfazia suas necessidades por meio do Banco Moneo. o desenvolvimento de parcerias com bancos internacionais ou uma modificação das condições de pagamento de seus clientes. são as condições socioeconômicas dos países em que a companhia pretende penetrar. talvez haja uma maior necessidade de contato destes departamentos. PÁGINA |8 . é interessantes destacar que a estratégia de global sourcing depende de uma forte interação dos departamentos de Compras e Supply Chain com os departamentos de Finanças e Contabilidade. tanto com fins de produzir como com fins de comercializar seus produtos. ou joint-ventures.A. por exemplo.A. e entre os departamentos de Compras e Supply Chain e os departamentos de Finanças e Contabilidade. a questão do estudo dos mercados pode ser atribuído pelo menos. conforme foi destaco anteriormente. No entanto. a Marcopolo S. e) Problemas menores de “Finanças e Contabilidade”: Quando produzia e comercializava apenas no Brasil. é necessário uma adequação do departamento de Finanças e Contabilidade à nova realidade. investir nessa possibilidade pode ser demasiadamente arriscado. O conhecimento destas condições é essencial para a projeção de sucesso ou fracasso das atividades em outros países. pode ser insuficiente. um estudo das condições econômicas poderia ter feito com que a empresa não investisse nos mercados argentino e russo. isto é do Brasil.A.A. Faz-se necessário. Em um primeiro momento. por meio da criação de uma área subordinada a esses dois departamentos. f) Problemas interdepartamentais Conforme pode ser observado. como as atividades do Banco não fazem parte das core competences da Marcopolo S. poderia melhorar sensivelmente os resultados da Marcopolo S. Isso pode ser feito por meio de uma modificação nos sistemas de informação ou. Além disso. Problemas de Políticas e Administração (Management) Os principais problemas políticos e de administração da Marcopolo S. portanto. o departamento de Marketing e o departamento de Finanças. Apesar dos resultados financeiros estarem apresentando sucessivamente bons resultados. da mesma maneira que o é o conhecimento das culturas locais. 3. Conforme argumentado anteriormente. pode-se imaginar a expansão das atividades do Banco Moneo como adequadas. com o intuito de evitar problemas de comunicação interdepartamentais semelhantes.. a considerar. Desta maneira. pois uma atuação conjunta de ambos os departamentos poderia ter identificado as condições econômicas desfavoráveis na Argentina e na Rússia. Desta maneira.recursos humanos deve estudar a cultura dos países em que existem unidades fabris da Marcopolo S.

diversas são as alternativas a serem estudadas para melhores preparar a Marcopolo S. Isto é. Embora este modelo preserve os custos baixos de produção da companhia. identificassem novas oportunidades. talvez seja menos custoso o desenvolvimento de fornecedores. Tendo em vista a cultura de produção da Marcopolo (aquisição de diversas empresas fornecedores e fabricação própria de peças e componentes). a estrutura de Marketing é subordinada à divisão de estratégia. alguns componentes de alguns modelos são tão específicos que a aquisição por meio de uma equipe global possa demandar uma previsão de necessidades em um ponto muito distante do tempo ou negociações de contratos desfavoráveis (para fornecer um determinado componente de pequena demanda. mas não necessariamente relacionadas à prevenção dos gargalos. de modo que estudos de mercados estrangeiros pudessem ser melhor desenvolvidos.). destacam-se:  Criação de divisão de Marketing independente: Conforme pode ser visto pela estrutura organizacional atual. ao PÁGINA |9 . Dessa maneira. foi a aquisição e desenvolvimento de unidades fabris em regiões de livre-comércio ou zona franca para que seus custos não fossem alavancados. suas atividades se tornam. 4.A. eles não permitem uma melhor compreensão dos mercados locais e das relações de negócios e comércio. um fornecedor pode requerer condições de negociação em outros componentes que não são tão favoráveis à Marcopolo S. embora na presente organização o departamento de Marketing possa observar a estratégia e as melhores alternativas estratégicas. revela-se importante para que o modelo de produção continue a ser um modelo enxuto. sobretudo se a Marcopolo estabelecer parcerias com grandes conhecedores do mercado global. para os desafios que enfrenta.  Desenvolvimento de um modelo de penetração de mercado em parceria: O primeiro modelo de penetração de mercados estrangeiros utilizado pela Marcopolo S.  Desenvolvimento de fornecedores: Embora a estratégia de global sourcing pretendida pela Marcopolo S. talvez uma configuração em que esse departamento fosse independente facilitasse uma coordenação com os departamentos de Finanças e Controladoria e Supply Chain.A. Entre elas. a tendência é que a companhia busque a fabricação interna/própria. talvez oportunidades até então não contempladas pela estratégia maior de internacionalização.  Desenvolvimento de um Sistema de Informação próprio para Global Sourcing: O desenvolvimento de um sistema de informação integrado que permita a identificação imediata das necessidades de materiais das diversas unidades fabris. No entanto. a criação de um departamento de Marketing independente permitiria que esse departamento.A.Além disso. Desta maneira. Além disso. em associação com o outros departamentos.A. subordinadas ao estabelecimento das estratégias e identificação dos gargalos. automaticamente. pelo menos no que tange aos principais componentes de produção. pois isso não implicaria na diversificação de suas atividades para atividades longes de suas core competences. Alternativas recomendadas Tendo em vistas os problemas acima discutidos. um modelo de penetração por meio de joint-ventures como tem sido desenvolvido recentemente se revela mais vantajoso. o que seria bastante útil à estratégia de internacionalização da empresa. o desenvolvimento de um estudo de cenários pode auxiliar no melhor estabelecimento de estratégias bem como no diagnóstico de quão bem sucedidas tem sido sua estratégia e suas operações em países estrangeiros. possa significar menores custos nos principais componentes de suas carrocerias.

pode contribuir para o desenvolvimento da Marcopolo S.A. O estudo de cenários permite a Marcopolo identificar em que pontos sua estratégia pode apresentar dificuldades e deficiências. provavelmente já é de conhecimento de instituições financeiras globais tendo em vistas que suas respectivas core competences são relacionadas com as atividades financeiras.  Desenvolvimento de Estudos de Cenários: Embora a criação de um departamento de Marketing independente já seja de grande valia para a Marcopolo S. talvez a proposta de uma carreira global ou de planos de financiamento de estudos frente a instituições renomadas não seja tão estimulante para funcionários de outras culturas como o é para os funcionários brasileiros. permite o conhecimento dos pontos críticos da estratégia e. embora tenha sido importante para o crescimento da empresa. o desenvolvimento de planos de carreira considerando as culturas globais. isto é. o estabelecimento de parcerias com instituições financeiras globais talvez seja mais vantajoso para a internacionalização da companhia. P Á G I N A | 10 . uma atividade que pode ser muito bem coordenada por um departamento de marketing e um departamento de recursos humanos..A. Dessa maneira.A.A. assim sendo. ao contrário do que ocorre com a Marcopolo S. sobretudo se este desenvolver atividades em conjunto com o departamento de Finanças e Contabilidade. próprios às diferentes culturas: Conforme foi discutido no texto. o desenvolvimento de estudos de cenários também pode ser igualmente de grande valia para enfrentar problemas semelhantes ao dos riscos de mercados estrangeiros. Dessa maneira. Assim sendo. cada cultura apresentas suas especificidades.mesmo tempo em que haja ganhos com a diminuição dos custos totais e uma manutenção da qualidade das peças e componentes adquiridos para produção. no entanto. absorver as margens dos serviços financeiros e cobrar juros mais baixos de modo a viabilizar mais negociações e mais clientes. permite o desenvolvimento de planos de contenção e planos secundários para a certeza de bom desenvolvimento de suas operações.  Desenvolvimento de Planos de Carreira locais. tendo em vista que diferentes países apresentam diferentes riscos e diferentes características em suas comunidades de negócios. a atividade financeira não faz parte das core competences da companhia. Isso.  Desenvolvimento de parcerias com Instituições Financeiras Globais: Embora a criação do Banco Moneo tenha permitido à Marcopolo S.

5. Foi marcado com um “X” quais soluções contribuem para a obtenção de um melhor resultado em cada um dos desafios Penetraç ão dos Produtos em Novos Mercados X Penetração das unidades fabris em Novos Mercados Conhecimen tos das Características Locais X X Forneciment o das unidades fabris em diferentes países Desenvol vimento de Programas de Estímulo X X Financiamento de clientes e outras condições de Pagamento Conhecimento s dos Riscos dos Mercados estrangeiros X X Divisão de Marketing Independente Modelo de X X Penetração de Mercado em parceria Desenvolvimento X de Fornecedores Desenvolvimento X de Sistema de Informação Global Parceira com X X Instituições Financeiras Globais Prática de X X Estudos de Cenários Desenvolvimento X de Planos de Carreira Locais FONTE: autores do presente trabalho X X X X X X X X X X X P Á G I N A | 11 . Apresentação de uma análise Conforme a tabela a seguir demonstra. as alternativas recomendadas solucionam boa parte dos problemas identificados.

Desta maneira. Estratégia implícita a explicitar: expandir a atuação internacional por meio de parceiras. AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA MARCOPOLO S. (2) comprar onde seja mais barato inclusive localmente e incrementar a sua internacionalização optando pelas J. (1) parar de fabricar para o mundo em suas fábricas no Brasil e adotar o “global sourcing”. os problemas identificados ao longo do texto podem ser melhor rotulados como desafios. uma análise da estratégia da Marcopolo S. O que a companhia que tornar-se: uma desenvolvedora de soluções para o transporte coletivo de passageiros com relevância global. a obtenção dos bons resultados financeiros ano após ano tem revelado o quão consistente sua estratégia é.A. Dessa maneira. “a Marcopolo estabeleceu dois itens em sua trajetória de internacionalização. minimizando a questão do estudo dos mercados externos.C. o desenvolvimento de Joint-Ventures permite à Marcopolo S. As estratégia funcionais podem melhor se as alternativas indicadas forem adotadas. (b) Adequação face aos recursos disponíveis Tendo em vista que a core competence da Marcopolo é a fabricação de carrocerias e componentes para veículos de transporte público e o know-how necessário para o desenvolvimento de um modelo de negócios baseado na produção enxuta. Pelo contrário. com presença significativa em todo o globo terrestre. 2. cabe destacar que as metas e diretrizes são bem estabelecidas e coerentes com os objetivos. De maneira geral. A opção por uma expansão por meio de Joint-Ventures reduz o risco da empresa. consiste no desenvolvimento de Joint-ventures para expandir sua atuação global com melhor conhecimento dos riscos que a empresa incorre. diferentemente da tentativa de internacionalização anterior – que se deu por meio de implementação de unidades fabris próprias –.A. é o seu capital humano e o conhecimento a respeito do modelo de produção enxuta de sucesso. com ações coerentes com os objetivos traçados. ainda mais quando os resultados financeiros da empresa revelam-se sólidos e em trajetória ascendente. conhecimento este que a Marcopolo não tem. embora sejam delineados apenas em traços gerais. Embora algumas questões tenham sido identificadas e apresentadas nas demais páginas dessa análise de caso.”. portanto. embora não se revelem de maneira geral inapropriadas. 1. conhecer o mercado em foco. revela que a companhia tem desenvolvido uma boa estratégia. o P Á G I N A | 12 . Avaliação das Estratégias (a) Consistência Interna e Externa A estratégia planejada pela Administração serve ao objetivo estabelecido. Identificação das estratégias Estratégia explícita: Conforme está escrito no caso. como ela fez inicialmente.A.A. a estratégia da Marcopolo S. devido ao não conhecimento dos mercados em que objetiva expandir sua atuação. para garantir menores custos de fabricação e fornecimento global ao mesmo tempo em que se garante a qualidade do fornecimento. De maneira geral.Vs.A. (c) Vulnerabilidade: grau de risco satisfatório Tendo em vista que o principal recurso da Marcopolo S. 3. Identificação dos objetivos O que a companhia que realizar: internacionalizar a marca Marcopolo e adquirir relevância global. a expansão por Joint-Ventures revela-se mais adequada que àquela desenvolvia pela compra de unidades fabris em outros países.

e com um benefício a mais: o conhecimento do mercado por parte da empresa com a qual faz a Joint-Venture. quando comparada com a possibilidade de investimento da Marcopolo S. tendo em vista que a Marcopolo S. As unidades fabris que não apresentaram os resultados satisfatórios foram abandonadas a custo baixo. as quantias investidas. para entrar nas Joint-Ventures com melhor informação e. em geral. A estratégia de expansão por Joint-venture tem.compartilhamento desse conhecimento em troca do conhecimento dos mercado em que pretende penetrar. (e) Funcionalidade A estratégia tem se revelado com sucesso. são menores àquela que seriam necessárias investir caso a Marcopolo S. Por outro lado. Dessa maneira.A. Talvez a única questão que deva ser melhor desenvolvida pela empresa seja um estudo dos mercados em que pretende penetrar. embora possa melhorar em alguns aspectos já revelados nessa análise anteriormente. a Marcopolo S. objetivasse penetrar sozinha no mercado. se revelado melhor em diversos aspectos: apresenta menor custo. menor risco e maior flexibilidade. em novas unidades fabris sozinha em mercados externos. (d) Horizonte de tempo apropriado A estratégia de expansão por Joint-Ventures tem apresentado um timing melhor que a estratégia aplicada anteriormente. P Á G I N A | 13 .A. Sua principal vulnerabilidade é o alto grau de dependência dos fatores externos como o Câmbio. Os resultados de curto prazo produzido pela estratégia são. embora o modelo de Joint-Ventures tenha obrigado a investir quantias altas para penetrar em novos mercados. maior poder de decisão e negociação. em geral os resultados tem sido positivos. tinha investido em uma empresa já existente com unidades fabris já instaladas e pode se desfazer do investimento por meio de uma negociação com a empresa russa em questão. contribuindo para o resultado positivo em termos gerais. em geral. Tome como exemplo as operações na Argentina que forma obrigadas a ficarem hibernadas – e sujeitas a diversos riscos de obsolescência da tecnologia. compatíveis com os objetivos de longo prazo objetivados. a incursão no mercado russo. a Desaceleração da economia global e as Barreiras comerciais dos países em que atua. tem tornado o risco satisfatório. caso necessite posteriormente.A.A. produzido no nível previsto. não tem investido em unidades fabris próprias. portanto. consequentemente. entre muitos outros riscos – durante muito tempo. portanto. o que lhe facilita a retirada do mercado. Além disso. É importante destacar que embora as unidades fabris não tenham. por meio de uma Joint-Venture pode ser abandonada a custo muito menor.

CONCLUSÃO P Á G I N A | 14 .