Você está na página 1de 39

INSTITUTO SUPERIOR DE AGRONOMIA

Departamento de Matemática

Exercícios de Apoio às Aulas Práticas da disciplina

Estatística

(com algumas soluções)

2005/2006

0

EXERCÍCIOS DE REVISÃO

1. Numa turma há 6 raparigas e 12 rapazes. Quantas maneiras di ferentes existem de formar uma comissão de 6 pessoas que tenha no máximo duas ra parigas e que, entrando uma rapariga ela seja a mais nova da turma.

2. De um baralho com 40 cartas tiram-se, com reposição, 6 cart as. Qual a proba- bilidade de que saiam exactamente três figuras?

3. Num saco estão sete bolas numeradas de 1 a 7. Retira-se uma b ola do saco dez vezes, com reposição. Qual a probabilidade do aconteciment o “A bola com o número 5 não sai mais de duas vezes”?

4. O Vitor dispõe de um saco com 10 bolas pretas e quer introduzir certo número de bolas brancas de tal forma que, ao tirar uma bola, a probabi lidade de ela ser branca seja maior do que 0.1. Quantas bolas brancas se deve introduzir na urna?

5. Colocaram-se três pares de sapatos diferentes só na cor, d entro de uma caixa. A Sara tem os olhos vendados e vai retirar dois sapatos da caixa . Qual a probabi- lidade de tirar um par?

6. O José está indeciso quanto à compra de três discos. Resolveu fazer o seguinte:

para cada um atira uma moeda ao ar e se sair “face” compra o disc o. Determine

a probabilidade de:

(a)

não comprar nenhum;

(b)

comprar pelo menos um;

(c)

comprar pelo menos dois.

7. O João tem 20 pares de meias e o José tem 16. Se escolhermos ao acaso um par de meias de cada um, a probabilidade de ambas serem brancas é 0 .25. Se o João tem 10 pares de meias brancas quantas meias brancas tem o José?

8. Fez-se uma aposta simples no totoloto (selecção de 6 númer os em 49). Determine

a probabilidade de:

(a)

acertar nos seis números;

(b)

acertar em cinco números;

(c)

acertar em três números.

9. Cinco amigos vão dar um passeio num automóvel de 5 lugares. Sabendo que só três deles podem conduzir, qual o número de formas diferentes que eles têm de ocupar os lugares durante o passeio.

1

10. Os medicamentos em ensaio num determinado laboratório são identificados por códigos que obedecem às seguintes regras:

– têm 5 letras seguidas de 2 algarismos;

– começam por vogal;

– não podem ter duas vogais nem duas consoantes seguidas;

– o último algarismo é 0 ou 1.

(a)

Qual o número máximo de códigos diferentes.

(b)

Escolhendo um código ao acaso, calcule a probabilidade d e que ele não tenha letras nem algarismos repetidos. (Nota: Considere 23 letras e 10 algarismos)

11. Para o jantar de encerramento de um torneio de ténis inscr everam-se 40 raparigas

e 80 rapazes, que vão ser distribuidos por 20 mesas de seis lug ares. Sabendo que em cada mesa ficarão 2 raparigas e 4 rapazes,

(a)

Determine de quantas formas distintas pode a organizaçã o constituir o grupo que ficará na mesma mesa que o rapaz e a rapariga vencedores do t orneio.

(b)

De cada uma das vinte mesas vai escolher-se ao acaso um rep resentante. Determine a probabilidade de que, nos 20 representantes, ha ja exactamente 5 raparigas.

12. Considere seis mil milhões de habitantes na Terra e suponha que cada um recebe um cartão de identificação com uma sequência de letras. Qual t em de ser o número mínimo de letras a usar em cada cartão, para garantir que as sequências são todas diferentes?

Indique quando será necessário aumentar esse número mínimo de uma unidade. (Nota: Considere o alfabeto com 26 letras e que todas as sequências têm o mesmo número de letras.)

13. Um comerciante foi informado que tem 4 embalagens premia das de entre as 20 que adquiriu de um certo produto, mas não sabe quais são. Disp ondo as 20 embalagens em fila na montra por uma ordem qualquer, qual a pro babilidade de que as embalagens premiadas fiquem todas juntas no início ou n o fim da fila?

14. Dos ouvintes de uma estação radiofónica 37% ouvem o progr ama X, 53% ouvem

o programa Y e 15% ouvem ambos os programas. Ao escolher aleat oriamente um ouvinte desta estação qual a probabilidade de que

i) ouça apenas um dos referidos programas;

ii) não ouça nenhum destes dois programas.

15. Foram oferecidos dez bilhetes para uma peça de teatro a uma turma com 12 rapazes e 8 raparigas. Ficou decidido que o grupo que vai ao teatro é formado por cinco raparigas e cinco rapazes. De quantas maneiras dif erentes se pode formar este grupo?

2

16. Num grupo de 1000 alunos de uma escola verificou-se que 200 praticam natação, 250 praticam futebol e 700 não praticam nenhuma destas modal idades. Esco- lhendo ao acaso 20 destes alunos, qual é a probabilidade de qu e só 4 pratiquem pelo menos uma das modalidades.

17. Num aquário existem 5 peixes vermelhos, 3 dourados e 2 azu is.

Retiram-se sucessivamente 3 peixes.

(a)

Qual a probabilidade de saírem 2 da mesma cor e um de cor dif erente?

(b)

Qual a probabilidade de o terceiro peixe a ser retirado ser azul?

18. Lança-se quatro vezes consecutivas um dado com as faces numeradas de 1 a 6. No primeiro lançamento sai face 1 e no segundo sai face 2. Qual é a probabilidade de os números saídos nos 4 lançamentos serem todos diferentes.

19. A Joana tem na estante do seu quarto três livros de José Sar amago, quatro de Sophia de Mello Breyner Andresen e cinco de Carl Sagan. Quando soube que ia passar as férias a casa da avó, decidiu escolher 6 desses li vros, para ler nesse período. A Joana pretende levar dois livros de José Saramago , um de Sophia de Mello Breyner Andresen e três de Carl Sagan.

(a)

De quantas maneiras pode fazer a sua escolha?

(b)

Admita agora que a Joana já seleccionou os seis livros que irá ler em casa da avó. Supondo aleatória a sequência pela qual estes seis livr os vão ser lidos, qual é a probabilidade de os dois livros de José Saramago serem lidos um a seguir ao outro?

20. Uma nova marca de gelados, oferece em cada gelado, um de tr ês bonecos: rato Mickey, Peter Pan ou Astérix. Sete amigos vão comprar um gela do cada um. Supondo que os três bonecos têm igual probabilidade de sair, qual é a probabili- dade de o Rato Mickey sair exactamente a dois dos sete amigos?

3

Soluções dos Exercícios de revisão

1.

2.

3.

4.

5.

6.

7.

8.

12

5 × C

4

12

+ C

5

12

+ C

6

C (3 / 10) 3 (7 / 10) 3

6

3

2

i=0 C i

10

(1 / 7) i (6 / 7) 10 i

Pelo menos 2 bolas.

1/5

a) 1/8; Tem 8. a) 1 / ( C )

b)7/8;

b) C

5

6

C

43

1

C

49

6

;

c) 1/2

49

6

9.

72

10. a) 810000;

11.

12.

13.

14. i) 0.60

15.

a) C

n = 7 0 .0004

39

1

79

C

3

12

C

5

8

C

5

16.

C

300

4

C

700

16

C

1000

20

b) 0 .408

b) p 0 .15

ii) 0.25

17.

18.

19.

20. C (1 / 3) 2 (2 / 3) 5

a) 0 .66 ;

b) 0 .20

1/3

a) 120; b) 1/3.

7

2

c) C

6

3

C

43

3

C

49

6

4

EXERCÍCIOS DE PROBABILIDADES

1. Lança-se um dado de seis faces, perfeito. Qual a probabili dade de o resultado ser:

a) par;

b) divisível por três;

c) par ou divisível por três.

2. Lançam-se dois dados de seis faces, perfeitos. Qual a prob abilidade de a soma dos resultados do lançamento ser:

a) par;

b) divisível por três;

c) par ou divisível por três.

3. Considere o tempo de vida de uma lâmpada em centenas de hora s. Seja Ω = { t :

t > 0 } o espaço de resultados associado à duração de vida da lâmpada . Considere os acontecimentos:

A = { t : t > 15 } B = { t : 2 < t < 10 } C = { t : t < 12 }

Caracterize os seguintes acontecimentos:

A B

A C

A B

( A B ) C

A ( B C )

4. Sejam A, B e C acontecimentos aleatórios tais que

P ( A) = P ( B ) = P ( C ) = 1 4 , P ( A B ) = P ( B C ) = 0

e

P ( A C ) = 8 1 .

Calcule a probabilidade de se verificar pelo menos um dos acontecimentos A, B ou C.

5. Sejam A e B dois acontecimentos aleatórios. Mostre que:

a) P ( A B ) P ( A) (Exame 17/7/90)

b) P ( A| B ) = P ( A)[1 P ( B | A)] 1 P ( B ) (Exame 10/7/91)

P ( A B ) P ( A) + P ( B );

, supondo P ( A) = 0 e P ( B ) = 1 ;

c) P [( A B ) ( A B )] = P ( A) + P ( B ) 2 P ( A B ); (Exame 23/7/91)

5

d) P ( B ) = P ( A) P ( B | A) P ( A) P ( B | A) + P ( B | A) , supondo 0 < P ( A) < 1 ; (Exame 13/9/91)

e) max{ 0 , P ( A) + P ( B ) 1 } ≤ P ( A B ) min { P ( A) , P ( B ) } (desigualdade de Boole).

6. Sejam A e B dois acontecimentos aleatórios tais que

P ( A) = 0 .4 , P ( B ) = p e P ( A B ) = 0 .7 .

Para que valores de p , os acontecimentos A e B :

a) podem ser mutuamente exclusivos?

b) são independentes?

7. Numa propriedade agrícola, sabe-se que 60%, 75% e 50% das á rvores são de folha caduca, de fruto e de fruto com folha caduca, respectivamente. Calcule a probabilidade de uma árvore da propriedade, escolhida ao acaso:

a) não ser árvore de fruto;

b) ser árvore de fruto ou de folha caduca;

c) ser árvore de fruto, sabendo que tem folha caduca.

8. Sejam A, B e C três acontecimentos aleatórios tais que

P ( A) = P ( B ) = p e P ( C ) = 0 .5 p.

Sabendo que A e B são independentes, determine, em função de p , a probabilidade de pelo menos um dos três acontecimentos se realizar e indique os valores possíveis de p , quando:

a) C é mutuamente exclusivo de A e de B;

b) C é mutuamente exclusivo de A e independente de B;

c) A, B e C são independentes.

9. As probabilidades de três corredores de velocidade perco rrerem 100 metros em menos de 10 segundos são respectivamente: 1/3, 1/5 e 1/10. Co nsiderando que os tempos dos três atletas são independentes, calcule a probabilidade de, uma corrida em que participam apenas os três atletas, ser ganha em menos de 10 segundos.

10. Sejam A, B e C três acontecimentos aleatórios, com probabilidade não nul a, definidos num espaço de resultados . Mostre que:

P ( AC | BC ) = P ( A| BC ) = P P ( ( AB B | C | C ) ) .

(Exame de 16.9.1994)

6

11.

Sejam A e B acontecimentos aleatórios.

(a)

(b)

(c)

Prove que se A e B são independentes, então:

i. A e B são independentes; ii. A e B são independentes; iii. A e B são independentes.

Prove que se P ( B ) = 0 , então P ( A| B ) = 1 P ( A| B ) .

Se P ( B ) { 0 , 1 } , será verdade que P ( A| B ) = 1 P ( A| B ) ? Justifique.

12. Considere três acontecimentos A, B e C tais que

P ( C ) = 0 .3 , P ( B | C ) = 0 .4 , P ( B | C ) = 0 .8 , P ( A| ( B C )) = P ( A| ( B C )) =

0

.2 .

a)

Calcule

P ( C | B ) .

b)

Calcule

P [( B C ) | A].

c)

Diga, justificando, se os três acontecimentos são ou não in dependentes.

(Exame de 29.10.2001)

13. Considere um espaço de resultados formado por N acontecimentos elementares { a i } e por M acontecimentos elementares { b j } . Os elementos a i são equiprováveis, o mesmo acontecendo com os elementos b j . Por outro lado P [{ b j } ] = 2 P [{ a i } ] i, j . Prove que um acontecimento E formado por n( N ) elementos a i e por m( M ) elementos b j tem probabilidade

(Exame 17/9/92)

P [E ] = N n + + 2 2 m M .

14. Um vendedor de bolbos prepara encomendas a partir de 3 lot es de bolbos que, por terem idades diferentes, não apresentam a mesma probabilidade de germinação. A probabilidade de germinação de um bolbo é de 0.80 se pertence ao lote A, de 0.85 se pertence ao lote B e de 0.90 se pertence ao lote C.

a) i) Qual a probabilidade de germinação de um bolbo retirado ao acaso de um lote escolhido ao acaso? ii) Retirou-se um bolbo ao acaso de um lote escolhido ao acaso e verificou- se que não germinava. Qual a probabilidade de o bolbo ter sido retirado do lote C?

b) Se uma encomenda for constituída por um bolbo (retirado ao acaso) de cada lote, qual a probabilidade de pelo menos dois bolbos germina rem, admitindo a independência de germinação entre os bolbos retirados de l otes diferentes?

7

15.

Um teste é constituído por uma pergunta com n respostas alternativas. O aluno

ou sabe a resposta ou responde ao acaso. Seja p a probabilidade de o aluno saber

a resposta. Admita que as probabilidades de o aluno responder correctamente à

pergunta se souber a resposta e de o aluno responder correcta mente à pergunta

se responder ao acaso são 1 e 1 /n, respectivamente.

a) Verifique que a probabilidade de um aluno não ter respondido ao acaso se np

respondeu correctamente é

1

+ (n 1)p .

b) Supondo n = 5 e p = 0 .2 , calcule a probabilidade de um aluno não responder correctamente à pergunta.

16. Três amigos A, B e C almoçam juntos. Só um deles pagará a des pesa total de acordo com o seguinte jogo:

A lança uma moeda de 1 Euro suposta equilibrada, se sair “face euro” paga

a despesa; caso contrário B lança a moeda. Se sair “face euro” B paga; caso

contrário B joga mais uma vez a moeda e conforme obtém “face eu ro” ou “face

país” assim é ele ou C a pagar a despesa (sem que C chegue a fazer algum lançamento).

(a)

Calcule, para cada um, a probabilidade de pagar a despesa .

(b)

Determine a probabilidade de B pagar sabendo que A não pag ou.

(c)

(*) Estes três amigos decidem fazer uma série consecutiva de almoços nos quais a despesa é paga sempre de acordo com o jogo descrito aci ma. Quantos almoços deverão combinar no máximo por forma a que a probabil idade de B não pagar mais de 5 almoços seja superior a 0.90? (Sugestão: se não resolveu a alínea (a) considere a probabilidade de B pagar o a lmoço igual a

0.4).

((*) A resolução desta alínea necessita de matéria lecciona da mais tarde - dis- tribuições.)

(Exame de 21/7/92)

17. Considere quatro urnas U 1 , U 2 , U 3 e U 4 . Suponha que em cada uma há bolas brancas e pretas, assim distribuídas:

U 1 U 2 U 3 U 4 brancas 3 5 1 0 pretas 1
U 1
U 2
U 3
U 4
brancas
3
5
1
0
pretas
1
1
5
6

a) Calcule a probabilidade de, tendo sido escolhida uma urna ao acaso e nessa urna uma bola ao acaso:

i) a bola escolhida ser branca, sabendo que foi escolhida a ur na U 2 ; ii) a bola escolhida ser branca; iii) ter sido escolhida a urna U 2 , sabendo que a bola escolhida foi branca.

8

b) Diga, justificando, se os acontecimentos “escolher a urna U 2 ” e “escolher bola branca” são independentes.

18. As famílias de uma certa cidade escolhem uma das três alternativas para fazer férias: praia, campo ou ficar em casa.

Durante a última década verificou-se que escolhiam aquelas a lternativas, respec- tivamente, 50%, 30% e 20% das famílias da referida cidade.

A probabilidade de descansar durante as férias está relacio nada com a alternativa

escolhida: 0.4, 0.6 e 0.5 conforme se tenha ido para a praia, p ara o campo ou ficado em casa.

a) Qual a probabilidade de uma família daquela cidade descan sar durante as férias?

b) Sabendo que determinada família descansou durante as fér ias, qual a alter- nativa mais provável de ter sido escolhida por esta família?

19. Um determinado tipo de peças é produzido pelas fábricas F 1 , F 2 e F 3 . Durante um certo período de tempo, F 1 produziu o dobro das peças de F 2 enquanto F 2

e F 3 produziram o mesmo número de peças. Sabe-se ainda que 2%, 2% e 4%

das peças produzidas por F 1 , F 2 e F 3 , respectivamente, são defeituosas. Todas as peças produzidas nesse período de tempo foram colocadas num depósito.

a) Qual a percentagem de peças defeituosas provenientes a fá brica F 2 ?

b) Qual a percentagem de peças defeituosas armazenadas?

c) Foi encontrada uma peça defeituosa no depósito. Qual a ori gem(fábrica) menos provável dessa peça?

(Adaptado do exame de 14/11/97)

20. Num dado país 10% da população sofre de uma determinada do ença: 6% de forma grave e 4% de forma moderada. Para o seu diagnóstico é ef ectuado um teste que dá resultado positivo:

– com probabilidade 1 para um indivíduo com doença na forma gr ave;

– com probabilidade 0.75 para um indivíduo com doença na form a moderada;

– com probabilidade 0.05 para um indivíduo não doente.

a) Efectuando um teste num indivíduo ao acaso, qual a probabi lidade de o resultado ser positivo?

b) Se, para um dado indivíduo, o resultado do teste foi positivo, qual a proba- bilidade de ele ter a doença?

c) Será que existe independência entre ter a doença na forma moderada e na forma grave? Justifique.

9

21. Uma estação agrária levou a cabo um estudo para avaliar a p recisão da pre- visão do estado do tempo para uma dada região. Com base num gra nde número de registos, fornecidos pelo Serviço de Meteorologia, obti veram-se as seguintes conclusões:

– Probabilidade de, para um dia chuvoso, ter sido prevista chuva = 0.85;

– Probabilidade de, para um dia sem chuva, ter sido prevista chuva = 0.40;

– Probabilidade de um dia chuvoso = 0.20.

Calcule as seguintes probabilidades:

a) Previsão de um dia sem chuva;

b) Chover sabendo que a previsão foi chuva;

c) Previsão correcta. (Exame de 23/7/91)

22. Um dado tipo de barómetro está preparado para prever chuva ou prever “não chuva”. Tem-se verificado que ele prevê “não chuva” em 10% dos dias chuvosos, chuva em 20% dos dias com sol e quando um dia não tem sol nem chuva ele prevê “não chuva” com probabilidade igual a 0.05. Num país em que se tem verificado nos últimos anos que “faz sol” em cerca de 60% dos di as e “ faz chuva” em 30% dos dias, responda às seguintes questões (considere que “dia com sol”, “dia com chuva” e “dia sem sol e sem chuva” constituem uma part ição do espaço de resultados associado à classificação dos dias quanto ao es tado do tempo): .

a) Qual a probabilidade de o barómetro prever chuva?

b) Qual a probabilidade de “fazer sol” num dia para o qual a previsão seja de chuva?

c) Qual a probabilidade de o barómetro errar?

(Exame de 13.07.2001)

23. Seja X uma variável aleatória discreta que toma valores em IN com a seguinte função probabilidade:

Calcule:

P ( X = j ) = 1 j ,

2

a) P ( X

par);

b) P ( X

> 5);

c) P ( X

divisível por 3).

j IN .

24. Considere a variável aleatória discreta X que toma valores em IN 0 com a seguinte função probabilidade:

P ( X = j ) = (1 a) a j ,

j IN 0 ,

em que a é uma constante desconhecida, não nula.

10

a) Indique o(s) valor(es) possível(eis) para a.

b) Mostre que, para quaisquer inteiros não negativos s e t, se verifica:

P ( X s + t| X s ) = P ( X t) .

25. Três bolas são retiradas, sem reposição, de uma urna que contém 4 bolas vermel- has e 6 bolas brancas. Seja X a variável aleatória que representa o total de bolas vermelhas retiradas.

a) Construa a distribuição de probabilidades de X .

b) Represente graficamente a distribuição obtida na alínea a ).

c) Determine a função distribuição cumulativa de X e represente-a grafica- mente.

d) Calcule P (1 X 3).

26. Uma caixa contém 10 iogurtes, estando 4 estragados. Reti ram-se 5 com reposição:

a) Sendo X o número de iogurtes estragados determine a função massa de probabilidade de X .

b) Determine a função distribuição cumulativa de X . Represente-a grafica- mente.

c) Calcule P [1 X 3].

27. Seja X uma variável aleatória discreta com a seguinte distribuiçã o de probabili- dades:

x i P ( X = x i ) 0.1 0.3 0.1 0.2 0.3 -2
x i
P ( X = x i ) 0.1 0.3 0.1 0.2 0.3
-2
-1
0
1
2

a) Calcule E ( X ) e

b) Determine a função distribuição cumulativa de X .

V ( X ) .

c) Calcule P ( X 0 | X < 2).

d) Determine a distribuição de probabilidades da variável a leatória Y = X 2 .

28. Seja X uma variável aleatória discreta que toma os valores x = 1 , 2 ,

2 n 1 ,

n IN , com probabilidades p ( x) . Considere p ( n + k ) = p ( n k ) , k IN . Mostre

,

n,

que:

a)

E ( X ) = n;

b)

Todos os momentos de ordem ímpar em torno do valor médio se a nulam.

11

29. O número de televisores encomendados mensalmente em det erminada loja é bem descrito por uma variável aleatória X com a seguinte função distribuição cumu- lativa:

F ( x) =

0

se

x < 0

0 .1

se

0 x < 1

0 .3

se

1 x < 2

0 .6

se

2 x < 3

1

se

x 3

a) Determine a função massa de probabilidade da variável aleatória X .

b) Quantos televisores deve ter a loja em stock , por mês, para que a probabili- dade de satisfazer todas as encomendas seja superior a 0.95?

c) Se num dado mês a loja só tiver 2 televisores em stock , determine a dis- tribuição de probabilidades da variável aleatória que repr esenta a diferença, em valor absoluto, entre as encomendas e o stock .

30. O peso, em Kg, de um coelho com idade compreendida entre os 8 e os 14 meses é a variável aleatória X com a seguinte função densidade de probabilidade:

f ( x) =

0

x 1 3 x

0

se

se

se

se

x 1 1 < x < k k x < 3 x 3

,

k ]1 , 3[.

a) Calcule k .

b) Determine a função distribuição cumulativa de X .

c) Qual a probabilidade de um coelho com idade compreendida entre os 8 e os 14 meses ter peso superior a 2 Kg.

(Exame de 7/12/90)

31. Considere a variável aleatória contínua X com a seguinte função distribuição cumulativa:

F ( x) =

0

ax + b

1

se

se

se

x < 0 0 x < π x π.

a) Determine a e b.

b) Determine a função densidade de probabilidade de X .

c) Calcule P ( X < π | X π ) .

2

4

d) Calcule:

d1) E ( X ) e V ar ( X ) ;

d2) E (

1

+ 2 ) .

X

12

32.

Considere a função real de variável real assim definida:

f ( x) = ke | x | , k IR e x IR .

a) Determine o valor de k de modo que seja função densidade de probabilidade de uma variável aleatória X .

b) Determine a função de distribuição cumulativa de X .

c) Calcule P ( | X E ( X ) | < 1).

33. Considere a função

f θ ( x) = θ 2 xe θx

0

para x > 0

para x 0 , em que θ > 0 .

a) A função f θ ( x) define uma função densidade de probabilidade?

b) Determine a função de distribuição cumulativa associada a f θ ( x) .

c) Seja X a v.a com função densidade f θ ( x) . Determine P ( X 1).

34. Seja X uma v. a. contínua com a seguinte função distribuição cumula tiva :

F ( x) =

k c 3 /x 3

0

para x c

para x < c, c > 0 .

a) Determine o valor de k .

b) Determine a função densidade de X .

c) Calcule o primeiro quartil da distribuição de X .

d) Determine o valor médio e a mediana de X .

e) Calcule P [c < X < 3 c | X < 4 c ].

f) O que pode dizer quanto ao valor do terceiro momento de X ? E do quarto momento?

g) Determine a função densidade da v.a. Y = X 2 .

35. A proporção de álcool em certo produto pode ser considera da uma variável aleatória X com a seguinte função densidade de probabilidade:

f ( x) =

20 x 3 (1 x)

0

0 < x < 1

restantes valores de x.

a) Determine a função distribuição cumulativa de X e esboce o seu gráfico.

2

b) Calcule µ X , σ X e σ X .

c) Suponha que o preço de venda do produto depende da percenta gem de álcool. Se 1 / 3 < X < 2 / 3 o produto é vendido por A 1 euros/l, caso contrário por A 2 euros/l. Calcule a distribuição de probabilidades do lucro líquido por litro de produto, supondo que o custo por litro é de B euros.

13

36. Seja X a variável aleatória contínua com a seguinte função densida de de proba- bilidade:

f ( x) = 1

2 e | x α| ,

x IR ,

em que α IR .

a) Mostre que f é uma função densidade de probabilidade.

b) Determine a função distribuição cumulativa de X e represente-a grafica- mente.

c) Calcule P ( | X α | < 1).

d) Mostre que a função geradora de momentos de X é M X ( t) = e αt 2 , | t| < 1 .

1t

e) E ( X ) e V ar ( X ) .

f)

Determine a mediana de X .

Determine

37. Num processo de inventário concluíu-se que a raridade de determinada espécie animal era inversamente proporcional à área observada até que se avistasse um exemplar da espécie, associada ao percurso de amostragem. Considere então a v.a. X designando a distância percorrida até se avistar algum exemplar da espécie, com função densidade dada por

f ( x) =

b

k

0

x 2

1 x b

restantes valores de x.

(a)

Indique quais as condições que k e b devem verificar de modo que f ( x) seja uma função densidade.

(b)

Determine a função de distribuição cumulativa de X .

(c)

Calcule a mediana de X .

(d)

Considere a v.a. Y = C 0 + C 1 X , que caracteriza o custo de amostragem, onde C 0 designa os custos fixos e C 1 o custo por unidade de percurso. Determine o custo esperado para o inventário.

(Exame de 10/7/92)

38. Mostre que, se a variável aleatória contínua X tem função densidade de proba-

bilidade par

então, caso exista E ( X ) , tem-se E ( X ) =0.

39. A distribuição de probabilidades conjunta do par aleató rio ( X, Y ) é a seguinte:

Y 1 2 3 4 X 1 0.03 0.06 0.09 0.12 2 0.01 0.08 0.11
Y
1
2
3
4
X
1
0.03 0.06 0.09 0.12
2
0.01 0.08 0.11 0.20
3
0.06 0.06 0.10 0.08

14

a)

Calcule as distribuições de probabilidades marginais de X e Y .

b)

X e Y são variáveis aleatórias independentes? Justifique.

c)

Calcule P ( X = 3 , Y = 2) e P ( X = 3 | Y = 2).

d)

Determine:

d1) E ( X ) , E ( Y ) e E ( XY ) ; d2) COV ( X, Y ) e ρ X,Y .

40. O peso de cada saco de quilo de café de certa marca é uma vari ável aleatória que, segundo um estudo realizado por uma organização de defesa do consumidor, tem função densidade de probabilidade uniformemente distribuída entre 0.8 Kg e b Kg, i.e.,

f ( x) = 4

0

0 .8 < x < b

restantes valores de x.

a) Determine b.

b) Determine a função distribuição cumulativa da variável aleatória e represente-

a graficamente.

c) Qual a percentagem de sacos de café da referida marca que pesa m menos de

1 Kg?

d) Se o peso dos sacos for independente de saco para saco e se uma p essoa comprar 4 sacos, qual a probabilidade de todos os sacos pesar em menos de

1 kg?

41. Um cliente de uma livraria pode fazer encomendas de livro s estrangeiros em inglês e francês que não existam em stock.

O número de livros em inglês e francês encomendados semanalmente é o par aleatório ( X, Y ) com a seguinte distribuição de probabilidades:

Y 1 2 3 4 X 0 0.01 0.02 0.04 0.03 1 0.05 0.10 0.20
Y
1
2
3
4
X
0
0.01 0.02 0.04 0.03
1
0.05 0.10 0.20 0.15
2
0.04 0.08 0.16 0.12

a) Qual a probabilidade de numa semana serem encomendados no máximo dois

livros?

b) Qual a percentagem de semanas em que existe igualdade de li vros ingleses

e franceses encomendados?

c) Determine as funções distribuição marginais das variáveis X e Y .

d) Calcule o coeficiente de correlação entre as variáveis X e Y e interprete o seu resultado.

15

e) Qual a distribuição de probabilidades da variável aleató ria "Número total de livros em inglês e francês encomendados semanalmente"?

f) Qual a probabilidade de numa semana se encomendar pelo men os um livro em inglês sabendo que foram encomendados dois livros em francês?

42. Sejam X 1 e X 2 variáveis aleatórias independentes e semelhantes com dist ribuição de probabilidade assim definida:

p X ( x) = θ x 1 (1 θ )

0 < θ < 1 ,

x = 1 , 2 ,

(a)

Mostre que p X é de facto uma distribuição de probabilidade.

(b)

Calcule P [X 1 + X 2 = 4].

(Exame de 21/7/92)

43. Um posto de gasolina é reabastecido uma vez por semana. As vendas no passado sugerem que a função densidade de probabilidade do volume de vendas semanais, X , medido em dezenas de milhares de litros, é dada por:

f ( x) =

x 1 3 x

0 restantes valores de x.

1 x < 2 2 x < 3

a) Determine a probabilidade de numa semana o volume de venda s se situar entre os 15000 litros e os 23000 litros.

b) Determine a função distribuição cumulativa da variável a leatória X .

c) Calcule o valor esperado, a mediana e o desvio padrão do vol ume de vendas semanais.

d) Determine a quantidade mínima de gasolina com que o posto se deve abaste- cer, por semana, para que a gasolina não se esgote no referido posto em mais de 8% das semanas.

e) (*) Admitindo que o volume de vendas é independente de sema na para semana, qual a probabilidade de, em 2 anos, o posto vender mai s de 210 dezenas de milhares de litros.

((*) Esta questão só poderá ser resolvida mais tarde, após estudada a distribuição normal e Teorema Limite Central.)

44. Considere a extracção sucessiva de dois números tais que, na primeira extracção podem sair os números 1, 2, 3 e 4 com igual probabilidade e na se gunda extracção pode obter-se, também com igual probabilidade, um dos valor es do conjunto

{ 1 ,

Considere as seguintes variáveis aleatórias:

X -variável aleatória que indica o número da primeira extracção;

Y -variável aleatória que indica o número da segunda extracçã o.

, k } , onde k designa o resultado da primeira extracção.

16

a)

Determine a distribuição de probabilidade conjunta do pa r ( X, Y ) .

b) Qual a probabilidade de sair 2 na segunda extracção se saíu 3 na primeira?

c) Serão X e Y variáveis aleatórias independentes? Justifique.

d) Calcule E [X + Y ].

(Exame de 22.06.2001)

45. Uma empresa seguradora tem ao balcão dois vendedores de seguros de vida. A experiência tem revelado que 50% das pessoas que contactam o vendedor A e apenas 25% das pessoas que contactam o vendedor B fazem um seg uro de vida. Considere o par aleatório ( X, Y ) que representa o número de apólices vendidas diariamente por A e B num dia em que cada vendedor atende 2 pessoas.

a) Admitindo que que cada pessoa contactou um só vendedor, determine a distribuição de probabilidades conjunta do par aleatório ( X, Y ) .

b) Qual a probabilidade de se vender pelo menos um seguro de vida?

c) Qual a probabilidade de A vender pelo menos um seguro de vida sabendo que B vendeu dois seguros?

d) Calcule E ( X + Y ) e V ar ( X ) .

46. Seja ( X, Y ) o par aleatório com a seguinte função densidade de probabili dade conjunta:

f ( x, y ) = a ( x + y )

0

1 x 2

restantes valores de ( x, y ) .

1 y 2

a) Determine o valor da constante a.

b) X e Y são variáveis aleatórias independentes? Justifique.

c) Calcule P [Y < X ] e P [Y > 3 X ]. Comente.

d) Determine o

valor médio de 1 /X .

e) Determine a função densidade condicional de Y | X = 3 / 2 .

47. Seja ( X, Y ) a variável aleatória bidimensional contínua com a seguinte função densidade conjunta:

f ( x, y ) = 4 xye x 2 y 2

0

se x > 0 e y > 0

para outros valores.

a) Determine as funções densidade marginais de X e Y .

b) X e Y são variáveis aleatórias independentes? Justifique.

c) Calcule COV ( X, Y ) .

17

48. Seja X o tempo total desde a chegada de um cliente a uma estação de ser viço até ao momento em que faz o pagamento, e seja Y o tempo que está em fila até efectuar o pagamento (medidos em unidades de 5 minutos). Suponha que as variáveis ( X, Y ) têm função densidade de probabilidade conjunta assim definida:

f ( x, y ) =

( x/ 2)e x

0

se 0 y x <

para outros valores de (x, y ) .

a) Calcule as funções densidade marginais de X e Y .

b) Qual a probabilidade de o tempo gasto na fila ser superior a 5 minutos se o tempo total gasto por um cliente for inferior a 15 minutos.

c) Calcule o tempo médio de serviço. Qual a variância do tempo de serviço.?

d) As variáveis aleatórias X e Y são independentes? Justifique.

49. Uma experiência aleatória pode dar dois resultados: êxi to ou fracasso. O custo de uma experiência que resulte em êxito é de 5 euros e em fracasso de 10 euros. A experiência é repetida 20 vezes, de forma independente. Seja X a variável aleatória que conta o número de êxitos.

a) Sabendo que a probabilidade de uma experiência resultar em êxito é 0.9, construa a distribuição de probabilidades de X .

b) Calcule P [X > 15].

c) Calcule a probabilidade de haver mais êxitos do que fracassos.

d) Mostre que o custo total C das 20 experiências pode ser expresso como C = 200 5 X .

e)

f) Calcule P [C < 125].

Calcule E ( C ) .

(Exame 4/7/88)

50. Uma dada experiência biológica analisa cobaias. Cada ve z que se repete a referida experiência, uma cobaia diferente é analisada e cada repeti ção só usa uma cobaia. Sabendo que a experiência é bem sucedida em 40% dos casos, cal cule:

a) A probabilidade de ter pelo menos duas experiências bem sucedidas, se tiver 10 cobaias.

b) O número de cobaias necessário para que o número esperado d e sucessos seja 24.

c) O número de cobaias necessário para que a probabilidade de obter pelo menos uma experiência com sucesso não seja inferior a 0.95.

(Exame de 18/7/88)

51. Uma pessoa planta 6 bolbos, escolhidos ao acaso de uma cai xa que contém 5 bolbos de túlipa e 4 bolbos de junquilho. Qual a probabilidad e de essa pessoa plantar 2 bolbos de junquilho e 4 de túlipa?

18

52. Numa escola, vai realizar-se um exame de uma dada discipl ina num determinado dia. Está prevista uma greve às avaliações para este dia à qua l 75% dos docentes vão aderir. Dos 20 docentes existentes, 8 são convocados par a a vigilância daquele exame. Sabendo que os alunos vão ser distribuídos por duas sa las e que se admite a possibilidade de o exame se realizar com um docente p or sala, qual a probabilidade de o referido exame se realizar para todos os a lunos?

(Exame 25/9/95)

53. Um método frequentemente utilizado para estimar o número de animais de uma dada espécie num certo habitat é o da captura-recaptura. O método pode ser exemplificado pela seguinte situação:

Num lago são capturados, marcados e devolvidos à água 5 peixe s de uma certa espécie. Passado algum tempo (a fim de permitir que os peixes mar- cados se distribuam aleatoriamente pelo lago, embora não co nvenha deixar passar demasiado tempo, para se poder admitir que a dimensão da popu- lação permaneceu constante) são pescados 4 peixes dessa mesma espécie e conta-se quantos de entre eles estão marcados, o que será rep resentado pela variável aleatória X .

a) Qual a probabilidade de nenhum dos 5 peixes marcados ser recapturado, se existirem 10 peixes da referida espécie no lago? E se existir em 100?

b) A ideia do método de captura-recaptura consiste em considerar o tamanho da população como sendo aquele que torna mais provável o valo r de X que resultou de uma experiência deste tipo. Assim, por exemplo, qual dos 4 valores N = 10 , N = 20 , N = 100 ou N = 1000 , considera mais plausível para o tamanho da população se:

i) da experiência resultou X = 1 ; ii) da experiência resultou X = 2 .

54. Na época natalícia, certa pastelaria fabrica 3 tamanhos de bolo-rei: de 500g, de 750g e de 1000g. Nem todos os bolos fabricados contêm brinde. Este é colocado de tal forma que 20% dos bolos de 500g ficam sem brinde, o mesmo sucedendo com 10% dos bolos de 1000g e com 30% dos bolos de 750g. 25% dos bo los fabricados são de 500g e outros 25% de 1000g.

a) Qual a probabilidade de um bolo sem brinde ser de 750g?

b) A filha de um casal seu amigo apareceu-lhe com um brinde que lhe saíu no bolo-rei comprado na referida pastelaria. Qual dos bolos (t amanho) tem maior probabilidade de ter sido comprado pelo casal?

c) A referida pastelaria tem uma produção diária de 1000 bolo s. Qual a prob- abilidade de uma pessoa que compra 10 desses bolos ter pelo menos 2 com brinde?

(Exame 7/12/90)

19

55. Um agricultor tem na sua cave duas categorias de vinhos en garrafados: garrafas de vinho tinto e garrafas de vinho branco. Supõe-se que nesta cave só há vinhos de três anos (1968, 1969 e 1970) e que há o mesmo número de garra fas de cada ano. A percentagem de garrafas de vinho tinto entre as engarr afadas em cada um daqueles anos ( 1968, 1969 e 1970) é de 70%, 50% e 90%, respec tivamente.

a) Um ladrão leva uma garrafa ao acaso que verifica ser de vinho branco. Qual

é o ano mais provável de engarrafamento desse vinho?

b) Depois de ter provado o vinho branco, o referido ladrão achou que ele era muito bom. Decide então fazer nova ‘visita’ à cave com o objectivo de levar consigo pelo menos três garrafas de vinho branco. Considerando que

a escolha é feita ao acaso, quantas garrafas deverá o ladrão l evar para que

a probabilidade de atingir o seu objectivo seja superior ou i gual a 0.6?

56. Considere uma empresa agrícola que produz uvas e melões n as quantidades (em toneladas) X e Y , respectivamente. Devido às instáveis condições atmosfér icas o valor das produções é aleatório com f.d.p. conjunta dada por :

f ( x, y ) =

k (1 x)(2 y )

0

0 x 1 , 0 y 2

outros valores.

a) Calcule k .

b) Se num dado momento a produção de melões for de 1 ton, qual será a f.d.p. da produção de uvas?

c) Será que as quantidades produzidas de cada fruta são indep endentes? Jus- tifique.

d) Escolhendo ao acaso 20 empresas nas condições anteriores , qual será a prob- abilidade de, em pelo menos 5 delas, a produção de uvas ser sup erior a 800

kg?

57. Um laboratório exporta um certo produto químico para o mercado europeu. Este mercado exige que o produto fornecido tenha entre outras car acterísticas, uma determinada coloração. Da produção do laboratório, 60% tem a coloração ade- quada, mas apenas metade desta quantidade satisfaz também a s outras condições exigidas pelo referido mercado.

a) Qual a percentagem da produção do laboratório que satisfa z as condições exigidas pelo referido mercado ?

b) De um lote de 100 produtos em que 30 não estão em condições de exportação, retirou-se uma amostra de 10, sem reposição. Calcule a proba bilidade de aparecer pelo menos um produto que não seja exportável.

(Exame 17/9/90)

20

58. Seja X uma variável aleatória com distribuição B ( n; p ) e Y a variável aleatória

definida por Y = X . Calcule:

n

a) E [Y ] , V ar [Y ] e E [Y 2 ];

b) A função geradora de momentos de Y .

c) E [1 / ( X + 1)];

59. Numa linha de fabrico de uma determinada componente electrónica pode ocorrer um defeito muito raro mas causador de grandes prejuizos. Sej a 0.01 a proba- bilidade de ocorrência desse defeito. Um teste muito simples é realizado para detecção do defeito. Apresenta, no entanto, probabilidades significativas de con- duzir a conclusões erradas. Assim, cerca de 5% das vezes o teste indica a existên- cia de defeito se não houver defeito e cerca de 3% das vezes ind ica ausência de defeito se houver defeito.

(a)

Qual a probabilidade de se ter uma conclusão incorrecta?

(b)

Determine a probabilidade de o teste indicar a existência de defeito.

(c)

São comercializadas embalagens contendo 80 daquelas co mponentes. Qual

probabilidade de, numa determinada embalagem, duas compo nentes ap- resentarem defeito?

a

(d)

A venda de cada embalagem referida na alínea anterior par a o mercado

é

feita com um lucro Y , que é função de vários factores entre os quais

o

número de componentes defeituosas. Com o objectivo de simplificar os

cálculos considere constante o efeito de todos os outros fac tores, sendo o lucro dado pela relação

Y = 0 .02 0 .1 X

onde X é o número de componentes defeituosas em cada embalagem. Qua l

é nessa situação, a probabilidade de uma embalagem não dar pr ejuizo?

(Exame de 17/7/92)

60. Sejam X 1 e X 2 duas variáveis aleatórias independentes com distribuição binomial de parâmetros ( n, p ) e ( m, p ) , respectivamente.

a) Prove que X 1 + X 2 tem distribuição binomial de parâmetros ( n + m, p ) .

b) Prove que X 1 | ( X 1 + X 2 = k ) ,

k = 0 , 1 , 2 , · · · , m + n tem distribuição

hipergeométrica e indique os parâmetros da distribuição.

61. A probabilidade de um atirador acertar num alvo é p = 1 / 4 .

a) Seja X a variável aleatória que conta o número de tiros necessários até acertar, pela primeira vez, no alvo. Determine n tal que P [X n] > 0 .8 .

b) Quantos tiros espera o atirador dar até acertar pela primeira vez no alvo?

21

c)

Qual a probabilidade de ter de atirar 5 vezes até acertar duas vezes no alvo?

62. O Duarte vai posicionar-se na linha de lançamento livre num campo de bas- quetebol e atirar até fazer um cesto. Se admitirmos que os lançamentos são independentes e de probabilidade de acertar constante e igual a 0.8, determine:

a) a probabilidade de necessitar de menos de 5 lançamentos pa ra acertar;

b) o número esperado de lançamentos que tem que efectuar para acertar.

63. Se X é uma variável aleatória com distribuição geométrica de par âmetro p , ex- prima P [a X b] como função de p , a e b.

64. Suponha que, de cada vez que conduz o carro em excesso de velocidade, tem uma probabilidade 0.001 de vir a ser multado e que ao fim de três multas perde a carta. Identifique e caracterize a distribuição da variável aleatória que indica o número de vezes que conduz em excesso de velocidade até perder a carta (admita ocorrências de multa independentes).

65. Admita quer 5% da população possui um dado tipo de sangue. Como a população é suficientemente grande a selecção aleatória de indivíduos pode considerar-se satisfazendo as condições de provas i.i.d.

a) Qual o número esperado de testes necessários para localiz ar três pessoas com aquele tipo de sangue.

b) Qual a probabilidade de que seja necessário realizar pelo menos 8 testes para localizar duas pessoas com aquele tipo de sangue?

66. Uma empresa de aluguer de autocarros para excursões de lo ngo curso dispõe de 5 veículos. Sabe-se, pela análise do seu comportamento, que a procura semanal de veículos segue uma distribuição de Poisson de média 4.

a) Determine a probabilidade de, em certa semana, um dos auto carros não ser alugado.

b) Qual a probabilidade de, em duas semanas, serem procurado s 6 veículos?

c) Determine o valor esperado do número de clientes que em certa semana não podem ser atendidos por já estarem alugados todos os autocar ros.

(Exame de 16/2/91)

67. O número de petroleiros que chega a uma certa refinaria, em cada dia, é uma v.a. X com distribuição de Poisson de parâmetro µ = 2 . As actuais instalações portuárias da refinaria podem atender até 3 petroleiros por dia. Se mais de 3 petroleiros chegam num dia, os petroleiros em excesso são enviados para outro porto.

a) Qual a probabilidade de, num dado dia, a refinaria ter de recusar petroleiros?

22

b) Qual deverá ser a capacidade de atendimento da refinaria pa ra permitir o acolhimento de todos os petroleiros que chegam em cerca de 95 % dos dias?

c) Qual o número esperado de petroleiros chegados por dia?

d) Qual o número mais provável de petroleiros chegados num dia?

e) Qual a probabilidade de em dois dias chegarem 5 petroleiro s?

f) Qual o número esperado de petroleiros atendidos num dia?

g) Qual o número esperado de petroleiros recusados num dia?

68. O número de automóveis que em cada dia passa num certo troço de estrada pode considerar-se uma variável aleatória X com distribuição de Poisson de parâmetro µ = 10 . Nesse troço de estrada existe um posto de venda de melões. O número de automobilistas que param no referido posto de venda, num dado dia, é uma variável aleatória Y . Sabe-se que

P ( Y = m| X = r ) = m (0 .1) m (0 .9) r m

r

,

m = 0 , 1 , 2 ,

, r.

NOTA: P ( Y = m| X = r ) =0 se r < m.

a) Determine a função de probabilidade conjunta de X e Y .

b) Determine a função de probabilidade marginal de Y .

c) Sabendo que pararam 3 automobilistas no posto de venda num dado dia, qual a probabilidade de o número de carros que passaram na est rada nesse dia ter sido no máximo 6?

69. Em certo bairro recentemente construído e constituído p or prédios de duas, três ou quatro assoalhadas, verificou-se que em 37% dos apartamentos os moradores não têm filhos. A distribuição dos apartamentos por número de assoalhadas é a seguinte:

N o de assoalhadas Percentagem

¯

3

30% 40% 30%

2

4

(a)

Determine a média e a variância do número de assoalhadas d e um aparta- mento.

(b)

Admitindo que o número de filhos por apartamento tem uma distribuição de Poisson, determine a probabilidade de num certo apartamento haver pelo menos cinco filhos.

(c)

Sabendo que dos moradores em apartamentos de duas assoal hadas apenas 20% têm pelo menos um filho e que nos de três assoalhadas 30% não têm filhos, qual a probabilidade de num apartamento de 4 assoalha das escolhido ao acaso haver pelo menos um filho.

(Exame de 10/7/92)

23

70. Duas máquinas A e B produzem 10% e 90% da produção total de u m dado artigo, respectivamente. Suponha que 5% dos artigos fabricados por cada uma das máquinas são defeituosos.

a) Qual a probabilidade de um artigo defeituoso ter sido fabr icado pela máquina A?

b) De um lote bastante grande do referido artigo, é retirada uma amostra aleatória de 50 artigos. Qual a probabilidade de encontrar n o máximo 10 artigos defeituosos? E 5?

c) Qual o número máximo de artigos que deverá tirar ao acaso da produção total para que a probabilidade de não encontrar defeituosos seja superior a

0.80?

71. Sejam X 1 e X 2 variáveis aleatórias com distribuição de Poisson de parâmetros λ 1 e λ 2 , respectivamente. Prove que se X 1 e X 2 forem independentes, a distribuição

de X 1 | ( X 1 + X 2 = k ) ,

k IN , é binomial.

72. Seja X uma variável aleatória contínua, com distribuição uniforme no intevrvalo ( 0 .5 , 1 .0),i.e., com função densidade de probabilidade assim definida :

f ( x) =

2 / 3

0 x / ] 0 .5 ,

0 .5 < x < 1 .0

1 .0[

a) Determine a função distribuição cumulativa de X .

b) Calcule, justificando convenientemente todos os seus cálculos:

i) P ( X > 0 .5);

ii) P ( X 2 < 0 .25);

c) Deduza:

i) A função distribuição cumulativa da variável aleatória Y = X 3 ;

ii) A função densidade de probabilidade da variável aleatór ia Y = X 3 .

(Exame 21/6/99)

73. Uma análise estatística sobre 1000 chamadas de longa dis tância indica que a du- ração de uma chamada pode considerar-se uma variável aleató ria com distribuição aproximadamente normal com parâmetros µ = 240 s e

σ = 40 s .

a) Qual a percentagem destas chamadas com duração inferior a 180 s ?

b) Qual a probabilidade de uma dada chamada durar entre 180 e 3 00 s ?

c) Sabe-se que apenas 1% das chamadas tem duração inferior a u ma dada chamada. Determine a duração desta chamada.

74. Uma empresa agro-química fabrica mensalmente 90 tonela das de um dado pro- duto. Sabendo que a procura mensal deste produto é uma variável aleatória aproximadamente normal de parâmetros µ =80 ton e σ =10 ton, calcule:

24

a) A probabilidade de a procura mensal do produto se situar entre 68 e 90 toneladas;

b) A probabilidade de haver num mês procura excedentária;

c) A produção necessária para que a probabilidade de haver pr ocura mensal insatisfeita seja 0.025.

(Exame 18/7/88)

75. O erro aleatório cometido numa dada medição segue uma lei normal de desvio padrão σ =1 mm e média µ =0 mm. Calcule a probabilidade de, em duas medições independentes, o erro cometido pelo menos numa delas não ultrapassar, em valor absoluto, 1.28mm. (Exame 12/9/88)

76. Uma fábrica produz motores cujo tempo de vida é uma variável aleatória com distribuição normal de parâmetros µ =10 anos e σ =2 anos. A fábrica quer criar um período de garantia para os motores de forma a que não mais d e 3% tenham de ser substituídos. Qual deverá ser o período de garantia má ximo oferecido pela fábrica?

77. Cada um de 20 postos de trabalho nas linhas de montagem de u ma fábrica con- some diariamente peças do tipo A a um ritmo dado por uma variável aleatória com distribuição N (50 , 3 .2). Se os stocks de peças forem renovados todos os dias úteis, qual deverá ser o stock mínimo no início de cada dia de f orma a que a probabilidade de ruptura dos stocks não exceda 20% ? Admita que o consumo em cada posto de trabalho é independente do consumo nos resta ntes postos de trabalho. (Exame 23/7/91)

78. Seja X uma variável aleatória contínua com a seguinte função gerad ora de mo- mentos:

M Y ( t) = e 3t+8t 2 ,

t IR

a) Calcule a função geradora de momentos da variável aleatór ia X = Y 3

b) Determine o valor médio e a variância de X .

4

.

c) Se W N ( µ, σ ) então a função geradora de momentos de W é definida por

M W ( t) = e µt+ 1

2 t 2 σ 2 ,

t IR .

Identifique as distribuições de X e Y .

(Exame 22/6/98)

79. Numa fábrica de pesticidas, o peso em kg de certo tipo de embalagens de fungi- cidas é uma v. a. normal com média 2 kg. Tem-se verificado que 1. 5% das embalagens são rejeitadas por conterem menos de 1.870 kg.

(a) Qual a percentagem de embalagens cujo peso difere do peso médio mais de

150g?

25

(b)

Enviado um lote de 60 embalagens para um fornecedor, qual a probabilidade de o peso total dessas embalagens ser superior a 121 kg? E a 120 ?

(c)

Qual a probabilidade de, em 100 embalagens, serem aceites pelo menos 80, se for feita a seguinte alteração do critério: rejeita-se as embalagens que têm menos de 1.950 kg.

(Exame 10/7/92)

80. Um grossista de distribuição de fruta recebe do produtor pêssegos de quatro categorias: extra, A, B e C. Da experiência anterior, sabe-se que o diâmetro de um pêssego é uma variável aleatória com distribuição aproxi madamente normal de média 64 mm e desvio padrão 3 mm. A classificação do referido fruto em função do seu diâmetro é a seguinte:

Categoria Diâmetro ( x) em mm C x ≤ 60 B A Extra 60 <
Categoria Diâmetro ( x) em mm
C
x ≤ 60
B
A
Extra
60 < x ≤ 65
65 < x ≤ 70
x > 70

Atendendo aos custos de armazenamento e de distribuição, admite-se que o lucro líquido por tonelada é de 80 contos para a categoria extra, 50 contos para a categoria A, 10 contos para a categoria B e -5 contos para a cat egoria C.

Qual o lucro líquido esperado de um fornecimento constituído por uma tonelada de pêssegos?

(Exame 14/7/88)

81. Um produto pesa em média 10g com desvio padrão de 2g. Este p roduto é em- balado em caixas com 50 unidades cada. Sabe-se que as caixas vazias pesam em média 500g com desvio padrão de 25g. Admita que as variáveis p eso do produto e da caixa vazia são independentes com distribuição normal.

a) Qual é a probabilidade de numa caixa encontrar no máximo 40 unidades do referido produto com peso inferior a 8g cada?

b) Qual é a probabilidade de uma caixa cheia pesar mais do que 1 050g?

(Exame 10/7/98)

82. Uma empresa comercializa garrafas de vinho do Porto de 1 l itro. Supõe-se que 40% dessas garrafas contêm realmente uma quantidade de líquido menor do que a indicada no rótulo. Calcule a probabilidade de em 100 garra fas existentes numa grande loja:

a) haver 30 com menos de 1 litro;

b) haver não mais de 30 com menos de 1 litro;

26

c)

haver mais de 45 com menos de 1 litro;

d) haver entre 44 e 50 com menos de 1 litro.

83. Um determinado modelo de avião pode transportar uma carg a máxima (pas- sageiros e bagagens) de 9000kg. Admita que o peso da bagagem d e um passageiro é uma variável aleatória com distribuição N (18 , 5), que o peso de um passageiro- homem é uma variável aleatória com distribuição N (70 , 10) e que o peso de um passageiro-mulher é uma variável aleatória com distribuição N (60 , 10).

a) Qual é o peso da bagagem de um passageiro que não é ultrapass ado por mais de 20% dos passageiros?

b) Considere um casal (homem e mulher) que entra no avião. Qua l a proba- bilidade de o peso da mulher ser superior ao do homem? Que hipó teses tem de admitir para responder a esta questão?

c) Num determinado vôo a lotação do avião está completa com 80 homens e 20 mulheres, que levam a respectiva bagagem. Qual a probabil idade de o avião não poder partir por excesso de carga?

d) A companhia pratica a cobrança de uma taxa para bagagens co m peso su- perior a 20kg. Havendo 60 passageiros num vôo, qual é a probab ilidade de que mais de 10 passageiros paguem a referida taxa.

(Exame 11/10/95)

84. Suponha que os elos de uma corrente de bicicleta têm compr imentos aleatórios com distribuição normal de média 0.5 cm e desvio padrão 0.04cm. As normas de um fabricante de bicicletas exigem que o comprimento de uma corrente esteja compreendido entre 49 e 50 cm .

(a)

Qual a percentagem de elos cujo comprimento excede 0.6cm?

(b)

Se uma corrente tiver 100 elos, qual a proporção de correntes a satisfazer as normas exigidas?

(c)

Utilizando apenas 99 elos, que valor deverá assumir o desvio padrão para que 90% das correntes satisfaça as normas do fabricante?

(Exame 21/7/92)

85. O diâmetro de um certo tipo de peças é uma variável aleatór ia com distribuição normal. As peças são consideradas defeituosas se o seu diâme tro diferir do valor médio µ mais do que 1.25 mm. Sabe-se que 2.28% das peças possuem um diâ metro superior a 7 mm, sendo também esta percentagem a das peças com um diâmetro inferior a 5 mm.

Tendo-se extraído uma amostra de 100 peças de um grande lote, qual a proba- bilidade de aparecerem pelo menos 5 peças defeituosas.

27

86.

Para efeitos de comercialização, um dado fruto é classifi cado de acordo com o seu tamanho. Considera-se que o diâmetro de uma peça deste fruto é uma variável aleatória com distribuição normal de desvio padrão igual a 5 cm e média µ cm.

A

classificação, em categorias, do referido fruto é a seguint e:

 
Categoria Diâmetro ( x) em cm C1 C2 C3 x ≤ 6 6 < x
Categoria Diâmetro ( x) em cm
C1
C2
C3
x ≤ 6
6 < x < 12
x ≥ 12
 

a) Sabendo que 30% dos frutos são da categoria C3, calcule o di âmetro médio dos frutos e a percentagem dos frutos das outras categorias.

b) Se os frutos forem vendidos em embalagens de 6 unidades, qual a probabil- idade de uma embalagem ter pelo menos 2 frutos da categoria C3 ?

c) Sabendo que 10%, 8% e 2% dos frutos pertencentes respectivamente às cat- egorias C1,C2 e C3 se apresentam em más condições, qual a prob abilidade de um fruto retirado ao acaso não estar em condições de ser con sumido?

87.

Uma máquina deve ensacar sacos com 500g de turfa para plantações. O peso de cada saco de turfa é uma v.a. normal com σ =20 gramas. A média da distribuição pode ser regulada na máquina pelo operador.

(a)

Qual deverá ser a média calibrada na máquina, de modo que a penas 5% dos sacos tenha peso inferior ao desejado?

(b)

Enquanto aguardam em armazém a saída para o campo, os saco s são coloca-

 

dos numa prateleira que, por ser pouco resistente, apenas co nsegue suportar

300

kg. Qual o risco de a prateleira desabar no caso de serem em pilhados

610

sacos?

 

(Exame 17/9/92)

 

88.

Num edifício funcionam 7 elevadores. A carga máxima de ca da elevador é de 320 kg. A dada altura entra um grupo de 4 pessoas em cada um dos e levadores. Calcule a probabilidade de no máximo 3 elevadores não funcio narem se o peso de uma pessoa for considerado uma variável aleatória com distribuição normal de média 71,75 kg e desvio padrão 10 kg.

89.

O

João vai entrar para a Universidade e foi informado de qu e há 30% de pos-

sibilidade de vir a receber uma bolsa de estudo. No caso de receber a bolsa, a probabilidade de se licenciar é de 0.80, enquanto que no caso de não a obter, a probabilidade de se licenciar é de apenas 0.50.

a) Diga ao João qual a probabilidade de ele não se licenciar.

b) Se daqui a uns anos encontrar o João já licenciado, qual a pr obabilidade de ele ter recebido a bolsa de estudo?

28

c) Considere toda a população estudantil que se encontra nas mesmas condições do João relativamente à possibilidade de vir a receber uma bo lsa de estudo.

c1) Se for retirada uma amostra de 100 estudantes ao acaso, qu al a proba- bilidade de se licenciarem entre 50 e 60 (inclusivé)? c2) Se for retirada uma amostra de 20 estudantes ao acaso dos que vierem a licenciar-se, qual a probabilidade de nenhum ter recebido bolsa de estudo.

(Exame 13/9/91)

90. Uma fábrica de derivados de cortiça produz lotes de 10000 rolhas para exportação. Por cada lote, 100 rolhas são retiradas sem reposição para an alisar. Se não existirem mais de 3 rolhas defeituosas, o lote está em condições de ser exportado.

a) Determine a função probabilidade da variável aleatória que indica o número de rolhas defeituosas na amostra retirada de um lote com y rolhas defeitu- osas.

b) Calcule a probabilidade de um lote com 600 rolhas defeituo sas estar em condições de ser exportado.

c) Qual deveria ser o critério a adoptar para que a probabilidade de exportar o lote referido na alínea anterior fosse inferior a 0.05?

(Exame 7/7/89)

91. O comprimento (em cm) de uma peça produzida por uma máquina A é uma variável aleatória com distribuição uniforme no intervalo [5 , 7]. O comprimento (em cm) de uma peça produzida por outra máquina B é uma variável aleatória com distribuição uniforme no intervalo [6 , 9]. A máquina A produz o dobro das peças da máquina B.

a) Uma peça é retirada ao acaso da produção total das duas máqu inas.

i) Qual é a probabilidade da peça ter um comprimento superior a 6.5 cm? ii) Sabendo que a peça tem um comprimento superior a 6.5 cm , qual é a probabilidade de ter sido produzida pela máquina A?

b) Recolheu-se uma amostra aleatória de 100 peças produzida s pela máquina A. Qual é a probabilidade aproximada de o comprimento médio das peças ser superior a 6.5 cm? Justifique.

(Exame 10/7/98)

92. O número de avarias por mês nos comboios da linha de Sintra que provocam a interrupção da circulação é uma variável aleatória X com distribuição de Poisson de parâmetro µ = 3.5. O número de avarias num dado mês é independente do número de avarias nos outros meses. Por outro lado, o tempo necessário para restabelecer a circu lação ferroviária após

29

uma avaria é uma variável aleatória Y com distribuição N (2.5 ,0.75) (em horas), e também aqui, o tempo de reparação após uma avaria é independente dos tempos de reparação após outras avarias.

a) Qual o número esperado de avarias num dado mês? E num ano?

b) Qual a probabilidade de a interrupção da circulação após u ma avaria exceder 4.5 horas?

c) Qual a probabilidade de o tempo total de interrupção da cir culação na linha de Sintra exceder 8 horas, se houver 2 avarias num mês?

d) Qual a distribuição de probabilidades da variável aleató ria que conta o tempo total de interrupção da circulação num mês, se houver r avarias ? Qual o seu valor esperado?

93. O tempo de duração T , em minutos, de uma chamada telefónica é uma var- iável aleatória com distribuição exponencial padrão. O custo, em euros, de cada chamada C ( T ) , função da duração, é dado por

C ( T ) =

  0 .2

0 .2 + 0 .6(T 3)

0 < T 3

T > 3

.

Determine o custo médio de cada chamada.

94. O tempo de espera para uma pessoa ser atendida numa dada pa stelaria é uma variável aleatória com distribuição exponencial de média 4 minutos. Qual a probabilidade de uma pessoa ser atendida em menos de três minutos, em pelo menos 4 dias de uma semana (considere uma semana com 7 dias)?

95. Considere três componentes colocadas em série de tal mod o que a avaria de qualquer uma determina uma avaria no sistema. Admita que os tempos de vida ( X i , i = 1 , 2 , 3) das componentes são variáveis aleatórias independentes co m distribuição exponencial com parâmetros β 1 , β 2 e β 3 , sendo β i > 0 , i ∈ { 1 , 2 , 3 } . Deduza a função de distribuição cumulativa do tempo de vida dos sistema, Y = min{ X 1 , X 2 , X 3 } .

(Exame 17/9/92)

96. Determine:

a) O quantil de ordem 0.99 numa distribuição χ 2

b) q 0. 99 numa distribuição χ 2

(4) ;

(18) ;

c) q 0. 9 numa distribuição t-Student com 3 graus de liberdade;

d) q 0. 1

e) q 0. 9

numa t (3) ;

numa t (23) ;

f) numa

q 0. 9

t (10000) ;

30

g) o quantil de ordem 0.95 numa distribuição F (7, 15) ;

h) q 0. 05 numa F (15, 7) .

97.

98.

99.

Sejam X 1 , X 2 ,

mal reduzida. Calcule P ( X + X +

Sejam X, X 1 , X 2 ,

normal de valor médio nulo e desvio padrão 2. Considere

, X 80 80 variáveis aleatórias independentes com distribuição no r-

2

1

2

2

2

+ X 80 > 107).

, X 10 11 variáveis aleatórias independentes com distribuição

T =

X

10

i=1

2

X

i

.

a) Calcule P ( | T | < 0 .4339).

b) Determine k tal que P ( T > k ) = 0 .5 .

c) Calcule P ( T 2 > 0 .496).

Considere uma amostra aleatória de dimensão 25, ( X 1 , X 2 ,

X i , ( i = 1 , 2 ,

, 25) tem distribuição N (0 , 0 .3).

, X 25 ) , em que

a) Qual a probabilidade do estimador X tomar um valor inferior a -0.05?

100.

b) Seja Y =

25

i=1

2

X . Calcule:

i

b1) P ( Y > 1);

b2) P ( Y > 0 | Y < 1).

Sejam Z 1 , Z 2 e Z 3 variáveis aleatórias independentes com distribuição normal reduzida. Calcule as seguintes probabilidades:

a) P ( Z 1 <

1 .5);

b) P ( Z 1 +

Z 2 < 1 .5);

2

c) P ( Z < 3 .84);

1

d)

e)

f)

P Z

2

1

2

2

+ Z

2

3

Z

< 400 ;

P

Z

1

Z + Z

2

2

2

3

> 7   ;

P ( Z + 2 Z 1 Z 2 + Z < 10).

1

2

2

2

101. Sejam V 1 , V 2 ,

, V 9 variáveis aleatórias normais reduzidas independentes. Co n-

sidere as variáveis aleatórias seguintes:

Calcule:

V =

9

i=1

V i , X =

2

V

1

9

i=2 V i

2

e Y =

V 1 V 2

V + V + V

2

3

2

4

2

5

.

31

a) P ( | V | < 0 .25);

b) P ( X > 0 .014);

c) P ( Y < 1 .9).

(Exame 7/12/90)

Soluções de alguns Exercícios de Probabilidades

2.

a) 0.5.

b) 1/3.

c) 2/3.

4. 5/8.

6.

a)

b)

a)

b)

c)

0.3.

0.5.

0.25.

0.85.

5/6.

[0, 0.5].

7.

8.

a)

b) [0 , 2 / 3] ∪ { 1 } .

c) [0, 1].

9.

14.

A- Acontecimento “atleta 1 percorre 100 m em menos de 10 s”

B- Acontecimento “atleta 2 percorre 100 m em menos de 10 s”

C- Acontecimento “atleta 3 percorre 100 m em menos de 10 s”

Pede-se P (A B C ) = P ( A)+ P (B )+ P (C ) P ( A

P

ou P (A B C ) = 1 P A B C = 150 = 0.52

B ) P ( A C ) P ( B C )+

( A B C )

78

a) i) P ( G ) = P ( G

A) + P ( G B ) + P ( G C ) = 0 .85 .

ii) P ( C | G) = 2 / 9 .

¯

¯

b) P