Você está na página 1de 12

Tabela matriz a utilizar para a realização da 1ª parte da tarefa, conforme indicações do Guia da Sessão

Isabel Marques

Conhecimento na área Biblioteca escolar

Aspectos críticos
que a Literatura Desafios. Acções
Domínio Pontos fortes Fraquezas Oportunidades Ameaças
identifica a implementar

 Domínio no  Formação  PB sem  A publicação  A falta de 


Competências do estabelecimento contínua ou formação na da Portaria reconheciment Rentabilização
professor de parcerias, especializada área das nº756/2009, de o da dos Grupos de
bibliotecário trabalho em dos PB; ciências 14 de Julho. importância da Trabalho
equipa, trabalho  A atitude e a documentais,  O apoio no figura do PB Concelhios para
cooperativo; sensibilidade desconhecendo terreno por parte de a partilha de
 Liderança da maioria dos muitas das prestado pelo um número experiências.
(forte, PB para os tarefas GRBE através ainda  Estreitar
estratégica, novos desafios relativas à dos CIBE. significativo de relações com
colaborativa, das BE; gestão das BE.  Motivação docentes. os órgãos de
criativa,  Equipas  Alguns PB para a  A resistência gestão para
renovável e multidisciplinar continuam a ter formação à mudança das que apoiem,
sustentável); es dificuldade em especializada práticas cada vez mais,
 Especialista em pôr em prática pedagógicas. o trabalho e
aprendizagem; aquilo que  As dúvidas papel da BE.
 Formação consideram que persistem  Valorização
pedagógica e relevante para relativamente à do papel do PB
técnica na área as BE avaliação de e das BE.
da “Positions, not docentes e  Formação
biblioteconomia; actions”. progressão na dos PB e
Conhecimento na área Biblioteca escolar

 Capacidade de  A percepção carreira. equipas da BE.


autoformação e que alguns PB 
planificação; e membros das Receptividade à
 Gestão, equipas ainda inovação e
avaliação e possuem da mudança de
comunicação; BE: um local de práticas.
 Conhecimento informação e 
da comunidade não um espaço Rentabilização
educativa e do de das TIC na BE.
público da BE; conhecimento e  Fomentar
 Conhecimento de actividades relações
geral dos centradas na cordiais e de
curricula para leitura. entreajuda com
articulação com a  Alguns PB toda a
BE. têm apenas comunidade
13h na BE educativa.
devido ao  Rentabilizar
número de o apoio
alunos das prestado pelo
escolas e/ou CIBE (alguns PB
agrupamentos. que estão pela
 Dificuldade primeira vez na
na BE revelam
implementação alguma
da articulação dificuldade em
curricular com aceitar
a BE. sugestões
 relativamente a
Desconhecimen metodologias a
Conhecimento na área Biblioteca escolar

to das seguir).
realidades das
escolas /
agrupamentos
onde
desempenham
funções de PB,
por ser o
primeiro ano de
trabalho nesse
local ou, em
alguns casos,
não são novos
na escola, mas
desempenham
as funções de
PB pela
primeira vez.
 Ausência ou
desconhecimen
to dos
documentos
reguladores da
BE
 Dificuldades
em
articular/conjug
ar as
actividades da
Conhecimento na área Biblioteca escolar

BE com o
Projecto
Educativo e
Projecto
Curricular de
Escola.
 Os serviços da  O apoio das  A dificuldade  A presença  As escolas  Definição
Organização e BE prevêem BM, em na constituição de quase todos ainda se clara da
Gestão da BE novas formas de especial nas BE das equipas e os PB no revelam pouco dotação
trabalho e novos do 1º CEB. estabilidade Conselho abertas à orçamental
desafios.  A existência das mesmas. Pedagógico. mudança. para a BE.
 A articulação de PB a tempo  Ausência ou  O modelo de  Muitos  Maior
curricular e o inteiro. falta de auto-avaliação docentes não empenho na
desenvolvimento  A existência “clareza” na da BE permite reconhecem o constituição
das literacias são de muitos definição do aferir este papel da BE e das equipas.
a base do documentos orçamento da domínio. do PB no novo 
trabalho da BE. orientadores. BE.  Existência paradigma Implementação
 Os recursos  O trabalho  Formação de formação educacional. de manuais de
humanos afectos desenvolvido dos elementos especializada procedimentos.
à BE são pelos Grupos da equipa. na área.  Divulgação
fundamentais de Trabalho  Resistência dos
para a Concelhios. à mudança. documentos
consecução dos  A  Poucos reguladores da
objectivos da BE. experiência de hábitos de BE a toda a
 Promoção de muitos PB. auto-avaliação. comunidade
actividades de  O apoio de  Ausência de educativa.
marketing que muitos órgãos organigramas 
promovam a BE. de gestão. com definição Rentabilização
 A das funções de das orientações
Conhecimento na área Biblioteca escolar

prestada pelo
implementação todos os
modelo de
do modelo de elementos da
auto-avaliação
auto-avaliação. equipa.
da BE.
 A colecção  Preocupação  Falta de  Preparação  Dificuldade  Indexação.
Gestão da Colecção deve ser com a hábito de dos Catálogos de gerir toda a  Aposta nas
adequada às organização do avaliação da Concelhios em informação colecções
necessidades dos fundo colecção. fase de disponível. digitais.
utilizadores. documental.  Política de desenvolviment  A falta de  Garantir a
 A sociedade de  Catalogação desenvolviment o. actualização da existência de
informação actual informatizada. o da colecção  O catálogo colecção ou uma colecção
é complexa e  Alguns ainda pouco no servidor da ausência de equilibrada, em
fluida. catálogos estão definida. RBE. critérios bem vários suportes
disponíveis  O livro ainda  Os portais definidos para e que satisfaça
 As colecções online. assume um das escolas. essa todos os
devem ser  A papel  Empréstimo actualização. utilizadores da
interactivas e documentação demasiado interbibliotecas  Sentimento BE.
diversificadas, disponibilizada central. . de “posse” dos  Envolver
sem quaisquer na página Web  Falta de  Circulação fundos que todos os
limitações em da RBE. documentos de fundos, a impedem a docentes na
termos físicos,  O apoio da digitais na nível concelhio circulação dos escolha das
temporais ou RBE e PNL. colecção. ou de mesmos novas
locais:  A  Pouca agrupamento. através do aquisições, sem
“Connections, not diversidade de colaboração empréstimo descurar as
collections”. suportes. dos docentes interbibliotecas sugestões dos
 O apoio em geral na . alunos.
técnico definição de  Definir
prestado pelas novas estratégias que
BM. aquisições. permitam o
Conhecimento na área Biblioteca escolar

 O
empréstimo
interbibliotecas
empréstimo de
ainda não é
fundos com as
feito com a
escolas mais
frequência
próximas e com
desejada.
as BM.
 Ausência de
critérios de
indexação.
A BE como espaço  O grande  Face às  Cultura  Possibilidade  A  Valorização
de conhecimento e objectivo / desafio alterações que colaborativa de rentabilizar sobrecarga da BE no PE.
aprendizagem. da BE é o as escolas têm em fase as Áreas horária dos  Integração
Trabalho fornecimento de sofrido, começa embrionária. Curriculares docentes da BE nos PCT.
colaborativo e conhecimento e a verificar-se Não dificulta a  Valorização
articulado com não apenas alguma prática  As Disciplinares no disponibilidade efectiva das
Departamentos e informação. de trabalho actividades de desenvolviment de sessões de competências
docentes.  Os alunos colaborativo. articulação o de trabalho de recolha,
deverão ser  Alguns curricular competências colaborativo selecção e
orientados pela docentes sistemática de informação com a BE. tratamento da
BE e por todos os rentabilizam os apenas são e promoção do  “O informação.
docentes na recursos da BE feitas com um trabalho cumprimento  Alargar a
transformação da para a reduzido colaborativo. do programa” abrangência
informação em realização de número de  O PB está a de forma dos serviços da
conhecimento. trabalhos com docentes. tempo inteiro tradicional BE para além
 O trabalho os alunos. na BE. ainda é a do seu espaço
 A avaliação preocupação
colaborativo da  Em algumas físico.
deste trabalho de muitos
BE com os escolas os PB já  Fomentar a
colaborativo docentes.
docentes deve desenvolvem planificação e
Conhecimento na área Biblioteca escolar

actividades em
contexto de articulação da
sala de aula em BE com os
articulação com docentes dos
os docentes.  Falta de vários
constituir a base  Os PB que já conhecimento Departamentos
de todo o trabalho estiveram a de estratégias Curriculares.
da BE. tempo inteiro adequadas à  A equipa da
 A BE ao serviço no ano utilização das BE deve
da aprendizagem: passado, TIC por muitos conhecer o
“inquiry-based ainda é docentes.
participam em currículo das
learning”. superficial.
reuniões de  Pouca diversas
 Os órgãos Conselho de valorização do disciplinas para
pedagógicos Directores de papel da BE no poder
devem trabalhar Turma e dos Projecto incentivar os
em parceria com vários Educativo das docentes a
a BE e com o PB. Departamentos escolas e nos trabalhar em
Curriculares PCT. parceria com a
para BE, oferecendo
planificação de actividades
actividades aliciantes.
conjuntas.
Formação para a  Os desafios da  As BE têm  Pouca  Diversidade  Fraco  Fomentar a
leitura e para as sociedade actual desenvolvido receptividade de projectos envolvimento promoção da
literacias ditam a diversos dos docentes disponíveis das famílias leitura em
necessidade de projectos de para fomentar dirigidos a nas acções de todas as
ajudar os alunos leitura no momentos de vários públicos. promoção da disciplinas.
no âmbito do PNL leitura em  PNL. leitura e das  Promover
desenvolvimento e do PNEP. contexto de  Projecto literacias. momentos de
Conhecimento na área Biblioteca escolar

reflexão
sala de aula conjunta entre
das competências os docentes.
devido à
das literacias da
preocupação  Definir
informação e
 “obsessiva” critérios e
competências no
Rentabilização com o  Recusa, por procedimentos
âmbito das
do Estudo cumprimento parte de alguns comuns nas
tecnologias.
Acompanhado dos programas. aLeR+. docentes, em escolas no
na promoção  A leitura  PTE. utilizar as TIC âmbito do
 O da leitura. como desenvolviment
ainda não é  A
desenvolvimento promotoras da o da literacia
 Diversidade vista por todos valorização da
de programas de aprendizagem. da informação.
de actividades como uma leitura e dos
leitura sólidos
alusivas à competência hábitos de  Associação,  Desenvolver
permite a
leitura nos PAA transversal ao leitura pela ainda muito acções que
obtenção de
das BE. currículo. população em frequente, das promovam o
níveis mais
 Grande  Existe ainda geral. actividades de envolvimento
elevados de
envolvimento alguma falta de leitura apenas das famílias.
leitura,
dos docentes rigor e de às aulas de  Integrar a
compreensão,
do 1º CEB na orientação Língua literacia da
desenvolvimento
promoção da eficaz nos Portuguesa e informação nos
de vocabulário e
leitura. trabalhos de BE. currículos.
competências
pesquisa que  Rentabilizar
linguísticas.
são solicitados as ferramentas
aos alunos. disponibilizadas
pela Web 2.0.
BE e os novos  “The e-  Páginas e  Falta  PTE.  Orientação  Valorização
ambientes digitais. environment” blogues das BE. apetência e/ou  A inclusão do dos alunos das TIC como
A BE deve conhecimentos PB na equipa pouco profunda ferramentas de
disponibilizar das TIC. PTE. ou inexistente. ensino e de
Conhecimento na área Biblioteca escolar

aprendizagem.
recursos de
 Fomentar
informação
acções de
diversificados
formação para
promover a sua
O docentes.
utilização e
conhecimento  Implementar
integração nas
 das uma política de
práticas lectivas.
Obsolescência ferramentas maior rigor no
 A BE deve  O portal das
dos TIC nem desenvolviment
acompanhar a escolas.
equipamentos sempre o e avaliação
evolução
informáticos. significa uma dos trabalhos
tecnológica,
boa utilização de pesquisa.
disponibilizado
das mesmas.  Diversificar
todos os serviços
solicitados pelos as ferramentas
utilizadores neste tecnológicas a
âmbito. utilizar com os
alunos.
Gestão de  Incluir na  A aplicação  Alguma falta  A aplicação   Promover a
evidências/ planificação do do modelo de de hábito de do modelo de Burocratização importância da
avaliação. trabalho a auto-avaliação registo de auto-avaliação. do trabalho da aplicação do
desenvolver pela pelos PB que já evidências.  BE. modelo para a
BE a estiveram a  Diferentes Documentação  Algumas melhoria da
implementação tempo inteiro. estádios de facultada pela associações do aprendizagem
de práticas de A desenvolviment RBE. modelo de e do sucesso
avaliação e de apresentação o das BE.  Os resultados auto-avaliação escolar/educati
recolha de do modelo e a da auto- das BE com a vo.
evidências. divulgação da avaliação avaliação dos  Envolver toda
 Avaliar o avaliação em fornecem docentes. a comunidade
impacto nas CP. pistas para educativa na
Conhecimento na área Biblioteca escolar

atitudes,
comportamento e
competências dos
utilizadores.
 Divulgar os
resultados da
avaliação a toda a
comunidade.
 Partir do aplicação do
futuras acções
resultado da modelo de
da BE.
avaliação das auto-avaliação.
actividades da BE
e da auto-
avaliação dos
serviços
prestados para a
planificação de
actividades
futuras.

Gestão da mudança
SÍNTESE Factores de sucesso Obstáculos a vencer Acções prioritárias

 O trabalho da BE  A formação da maioria dos PB.  A falta de conhecimentos e/ou  Fortalecer o papel da BE e do
centrado em  O modelo de auto-avaliação das utilização pouco adequada das PB reconhecendo-os como
Conhecimento na área Biblioteca escolar

práticas BE. novas tecnologias por muitos agentes activos no processo de


colaborativas, na  A institucionalização da figura do docentes. ensino e aprendizagem.
aprendizagem, na PB a tempo inteiro.  A obsolescência do  Passar da informação ao
recolha de  O trabalho em rede. equipamento informático. conhecimento.  Erradicar a
evidências e numa  A prática de troca de  Os “hábitos enraizados” em cultura do “copy-paste” e
atitude activa e experiências e partilha de recursos. algumas escolas que dificultam a preparar os alunos para serem
proactiva.  Apoios: RBE, PNL, PNEP, PTE. inovação e incorporação da BE verdadeiros produtores de
 A BE assume-se  Parcerias diversas. nos Projectos Curriculares das conhecimento.
como um agente de Turmas.  Promover o trabalho
informação,  Falta de hábitos de leitura. colaborativo.
formação,  Pouca rentabilização da BE  Formação adequada no
transformação e como apoio aos currículos. âmbito das TIC para todos os
produção de docentes.
conhecimento.  Envolvimento das famílias e
 O PB tem um outros parceiros exteriores à
papel central na escola.
consecução dos  Avaliação da BE.
objectivos da BE.
 Definição de áreas de
 A articulação intervenção prioritárias na
curricular da BE com escola.
os currículos é
fundamental.
 A gestão da BE
tem de ser
devidamente
planificada e
avaliada, suportada
pelas evidências
recolhidas.
Conhecimento na área Biblioteca escolar

Leituras obrigatórias:

- Texto da sessão

- Transitions for preferred futures of school libraries…. Todd R. (2001). Disponível em: http://www.iasl-
online.org/events/conf/virtualpaper2001.html [Acedido a 25 de Outubro de 2009].

- Reframing the Library Media Specialist as a Learning Specialist. Zmuda A. Harada V. (2008). Disponível em:
http://www.schoollibrarymonthly.com/articles/Zmuda&Harada2008v24nn8p42.html [Acedido a 25 de Outubro de 2009].

Leituras facultativas:

- El profesional de la información en los contextos educativos de la sociedad del aprendizaje: espacios y competências.
Tarragó N. S. Disponível em: http://mail.udgvirtual.udg.mx/biblioteca/html/123456789/433/aci02_05.htm
[Acedido a 25 de Outubro de 2009].

- Where Does Your Authority Come From? Empowering the Library Media Specialist as a True Partner in Student Achievement.
Zmuda A. Disponível em: http://www.schoollibrarymonthly.com/articles/Zmuda2006v23n1p19.html [Acedido
a 25 de Outubro de 2009].

- Impact as a 21st-Century Library Media Specialist. Creighton P. M. Disponível em:


http://www.schoollibrarymonthly.com/articles/Creighton2008v24n7.html [Acedido a 25 de Outubro de 2009].