Você está na página 1de 20

Aspectos gerais sobre

Responsabilidades nos Acidentes e
Responsabilidades
nos Acidentes e
Doenças do Trabalho
Doenças do Trabalho
Aspectos gerais sobre Responsabilidades nos Acidentes e Doenças do Trabalho João Marcos Mariussi Engenheiro de Segurança

João Marcos Mariussi

Engenheiro de Segurança do Trabalho CREA 122071/D Técnico em Segurança do Trabalho MTE PR 7578

Conceito
Conceito
 É considerado acidente do trabalho:  Todo aquele ocorrido no exercício do trabalho, ou a
É considerado acidente do trabalho:
Todo aquele ocorrido no exercício do trabalho, ou a
serviço da empresa, que causem lesão corporal,
perturbação funcional, morte e perda ou redução da
capacidade de trabalho;
Doenças profissionais;
Acidentes ocorridos no trabalho decorrentes de atos
intencionais ou não, de terceiros, ou companheiros de
trabalho, casos fortuitos ou de força maior (sabotagem,
incêndio, inundação), doença proveniente de
contaminação acidental no exercício da atividade;
Acidentes de trajeto.
O Registro – procedimento.
O Registro – procedimento.

O Registro – procedimento.  Consolidação das Leis do Trabalho – CLT 1. O empregador deve

Consolidação das Leis do Trabalho CLT

1. O empregador deve preencher a CAT - Comunicação de Acidente de Trabalho até 24 horas
1.
O empregador deve preencher a CAT -
Comunicação de Acidente de Trabalho até 24
horas após o acidente. Em caso de acidente
com morte, deve ser comunicado
imediatamente.
Procedimentos (continuação) 2. A CAT deve ser preenchida em 6 vias: a 1ª vai para o

Procedimentos (continuação)

Procedimentos (continuação) 2. A CAT deve ser preenchida em 6 vias: a 1ª vai para o
Procedimentos (continuação) 2. A CAT deve ser preenchida em 6 vias: a 1ª vai para o
2. A CAT deve ser preenchida em 6 vias: a 1ª vai para o INSS; a
2.
A CAT deve ser preenchida em 6 vias: a 1ª vai
para o INSS; a 2ª ao empregador; a 3ª ao
segurado; a 4ª ao sindicato; a 5ª ao SUS; a 6ª
a Delegacia Regional do Trabalho.
3.
A entrega das vias da CAT aos respectivos
órgãos é de responsabilidade de quem emitiu,
cabendo a este comunicar ao segurado ou aos
seus dependentes em qual posto do Seguro
Social ela foi registrada. O posto do INSS deve
ser o mais conveniente ao segurado.
Procedimentos (continuação)  4. Em caso de afastamento ou licença-médica por um período superior a 15
Procedimentos (continuação)
4. Em caso de afastamento ou licença-médica por um
período superior a 15 dias , compete ao INSS, através
da perícia médica, estabelecer o nexo de causalidade
entre a doença e/ou acidente e as tarefas
desenvolvidas pelo trabalhador, concedendo o
benefício acidentário adequado.
5. Mesmo que o sindicato ou o próprio trabalhador
preencha os dados da CAT relativos ao acidente, é
necessário que um médico o ateste no respectivo
campo do formulário. Caso o médico da unidade se
recuse ou distorça as informações, o trabalhador pode
(e deve) apresentar a CAT e buscar atendimento nos
Centros de Referência de Saúde do Trabalhador ou
Regional de Saúde.
Desafios das empresas
Desafios das empresas
 Evitar os passivos judiciais trabalhistas;  Adoção de medidas inibidoras;  Conhecer os riscos e,
Evitar os passivos judiciais trabalhistas;
Adoção de medidas inibidoras;
Conhecer os riscos e, atuar
preventivamente.
Responsabilidade Civil  Novo Código Civil Brasileiro;  Indenização/reparação pelo dano causado.  Desconhecimento das leis;
Responsabilidade Civil
Novo Código Civil Brasileiro;
Indenização/reparação pelo dano causado.
Desconhecimento das leis;
Art. 186. Aquele que, por ação ou omissão
voluntária, negligência ou imprudência, violar
direito e causar dano a outrem, ainda que
exclusivamente moral, comete ato ilícito.
Art. 187. Também comete ato ilícito o titular de um
direito que, ao exercê-lo, excede manifestamente
os limites impostos pelo seu fim econômico ou
social, pela boa-fé ou pelos bons costumes.
Responsabilidade Civil (continuação)  Entendimento dos tribunais; Basta que o acidente de trabalho ocorra para que

Responsabilidade Civil (continuação)

Responsabilidade Civil (continuação)  Entendimento dos tribunais; Basta que o acidente de trabalho ocorra para que

Entendimento dos tribunais; Basta que o acidente de trabalho ocorra para que se possa buscar o
Entendimento dos tribunais;
Basta que o acidente de trabalho ocorra
para que se possa buscar o ressarcimento
do dano na esfera cível.
Responsabilidade Civil (continuação)  Busca pelo culpado;  “Bomba” e desculpas diversas;  Conceito de culpa;

Responsabilidade Civil(continuação)

Responsabilidade Civil (continuação)  Busca pelo culpado;  “Bomba” e desculpas diversas;  Conceito de culpa;
 Busca pelo culpado;  “Bomba” e desculpas diversas;  Conceito de culpa;  Art. 927.
Busca pelo culpado;
“Bomba” e desculpas diversas;
Conceito de culpa;
Art. 927. Aquele que, por ato ilícito (arts. 186 e 187),
causar dano a outrem, fica obrigado a repará-lo.
Parágrafo único. Haverá obrigação de reparar o dano,
independentemente de culpa, nos casos especificados em lei,
ou quando a atividade normalmente desenvolvida pelo autor
do dano implicar, por sua natureza, risco para os direitos de
outrem.
Responsabilidade Civil (continuação)  Item 1.7 NR 1 (Disposições Gerais) e Art. 157 CLT:Cabe às empresas/empregador:

Responsabilidade Civil (continuação)

Responsabilidade Civil (continuação)  Item 1.7 NR 1 (Disposições Gerais) e Art. 157 CLT:Cabe às empresas/empregador:
 Item 1.7 NR 1 (Disposições Gerais) e Art. 157 CLT:Cabe às empresas/empregador: I – cumprir
Item 1.7 NR 1 (Disposições Gerais) e Art.
157 CLT:Cabe às empresas/empregador:
I – cumprir e fazer cumprir as normas de
segurança e medicina do trabalho.
Responsabilidade Civil (continuação)  Tipificação da culpa: Negligência: ausência da precaução ou indiferença em relação ao

Responsabilidade Civil (continuação)

Responsabilidade Civil (continuação)  Tipificação da culpa: Negligência: ausência da precaução ou indiferença em relação ao
 Tipificação da culpa: Negligência: ausência da precaução ou indiferença em relação ao ato realizado. Exemplo:
Tipificação da culpa:
Negligência: ausência da precaução ou indiferença
em relação ao ato realizado.
Exemplo: fábrica suja/mal iluminada/mal ventilada,
que proporcione condições de uma situação ou
ambiente inseguro.
Responsabilidade Civil (continuação)  Tipificação da culpa: Imprudência: prática de um ato perigoso. Exemplo: operário que

Responsabilidade Civil (continuação)

Responsabilidade Civil (continuação)  Tipificação da culpa: Imprudência: prática de um ato perigoso. Exemplo: operário que

Tipificação da culpa:
Tipificação da culpa:
Imprudência: prática de um ato perigoso.
Imprudência: prática de um ato perigoso.
Exemplo: operário que retira a proteção da máquina com o intuito de aumentar a produção. Comentário:
Exemplo: operário que retira a proteção da máquina
com o intuito de aumentar a produção.
Comentário: Essa atitude responsabiliza a chefia do trabalhador por esta
se constituir em elo entre o trabalhador e a empresa. É crime a
conivência ou omissão.
Responsabilidade Civil (continuação)  Tipificação da culpa: Imperícia: falta de aptidão para exercício de determinada profissão

Responsabilidade Civil (continuação)

Responsabilidade Civil (continuação)  Tipificação da culpa: Imperícia: falta de aptidão para exercício de determinada profissão
 Tipificação da culpa: Imperícia: falta de aptidão para exercício de determinada profissão ou atividade. Exemplo:
Tipificação da culpa:
Imperícia: falta de aptidão para exercício de
determinada profissão ou atividade.
Exemplo: submeter trabalhador não habilitado para
substituir – em caráter eventual – titular da função.
Comentário: substituir operador de empilhadeira apto para a função por
motorista de caminhão, sofrendo este último, acidente grave por falta de
preparo específico.
Responsabilidade Penal (continuação)
Responsabilidade Penal
(continuação)
 Ação de Responsabilidade Penal  É uma ação pública;  Procura responsabilizar pela morte ou
Ação de Responsabilidade Penal
É uma ação pública;
Procura responsabilizar pela morte ou dano à saúde do
trabalhador os prepostos da empresa que têm como função
cargos de chefia e como conseqüência serem divulgadores e
cumpridores das normas de segurança. Estão nesta condição:
Engenheiros de Segurança do Trabalho;
Médicos do Trabalho;
Técnicos em Segurança do Trabalho;
Cipeiros;
Gerentes;
Supervisores;
Chefes/Mestres/Encarregados.
Responsabilidade Penal (continuação)
Responsabilidade Penal
(continuação)
 Situação em que gerentes, supervisores, chefes, encarregados, podem responder criminalmente.  Quando for notificado –
Situação em que gerentes, supervisores, chefes,
encarregados, podem responder criminalmente.
Quando for notificado – por escrito – de uma situação
de condição insegura no seu setor. Nestas
circunstâncias ocorre um acidente causando morte,
lesão grave ou doença profissional. Como preposto da
empresa e sem haver tomado providências quanto à
notificação recebida, responderá criminalmente.
Pena prevista: 7 meses a 2 anos de detenção.

Profissional de Segurança do Trabalho Precauções nas atividades

 Tem sido visado como preposto específico conforme o grau de dolo ou culpa em virtude
Tem sido visado como preposto
específico conforme o grau de dolo ou
culpa em virtude do acidente ocorrido.
Penas: serviço comunitário e cassação
do registro profissional.

Profissional de Segurança do Trabalho Precauções nas atividades

Em 1992, numa metalúrgica de osasco, o engenheiro de segurança foi denunciado criminalmente por acidente fatal
Em 1992, numa metalúrgica de osasco, o engenheiro
de segurança foi denunciado criminalmente por
acidente fatal ocorrido na empresa, mas foi absolvido
pois comprovou que tinha elaborado análise de riscos
para o setor onde ocorreu o acidente e havia sido um
dos autores da política de segurança da empresa
Profissional de Segurança do Trabalho – Precauções nas atividades Em 1992, numa metalúrgica de osasco, o
Fonte: Revista Proteção - Junho de 2000
Fonte: Revista Proteção - Junho de 2000
Notícia
Notícia
Empresa é responsabilizada por acidente de trabalho fatal  Viúva e filhos de trabalhador serão indenizados
Empresa é responsabilizada por acidente de trabalho fatal
Viúva e filhos de trabalhador serão indenizados e receberão pensão
mensal.
A Indústria de Produtos Alimentícios Piraquê S/A deverá indenizar os
familiares de vítima fatal de acidente de trabalho. Foi fixado ressarcimento
no valor de 400 vezes a última remuneração do empregado.
Determinou-se ainda o pagamento de pensão mensal vitalícia para a viúva,
e até os 24 anos para os três filhos do trabalhador. O acidente ocorreu
enquanto o trabalhador limpava uma máquina de grande porte.
A decisão foi 3ª Turma do TRT1, que reformou parcialmente sentença de 1º
grau. Em defesa, a empresa alegou que o empregado foi o único culpado
pelo ocorrido.
Segundo o relator do recurso, desembargador Rildo Albuquerque Mousinho
de Brito, a ré tem responsabilidade pelo ocorrido, pois não instalou
qualquer dispositivo de segurança que impedisse o empregado de abrir a
tampa e entrar numa máquina, sem que ela estivesse desligada.
Processo nº 0149400-61.2007.5.01.0076 – RTOrd
Dinâmica
Dinâmica

Imagem e Ação.
Imagem e Ação.
 E-mail: joaommariussi@yahoo.com.br
E-mail: joaommariussi@yahoo.com.br