Você está na página 1de 7

O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO – PARTE I

 PONTO PRÉVIO

 DOMÍNIO SELECCIONADO

A.2. Promoção da Literacia da Informação

Esta escolha tem a ver com o facto da Gestão da BE (domínio escolhido para auto-avaliação em 2009/10) não
fazer parte da tarefa e de a PROMOÇÃO DA LITERACIA DA INFORMAÇÃO ser, na nossa escola, uma área a
necessitar de maior desenvolvimento. O Projecto Educativo da Escola Secundária Augusto Cabrita (no qual
tenho estado a trabalhar para estar pronto em Dezembro) pode vir a ter como linha orientadora: melhorar as
aprendizagens dos alunos e os seus resultados escolares, contemplando nas linhas de acção estratégias do
âmbito das literacias da informação. Assim sendo, a BE dará certamente um importante contributo para a
consecução desta grande meta do PEE.

 INDICADORES SELECCIONADOS

A.2.2. Promoção do ensino em contexto de competências de Informação (indicador de Processo)

A.2.4. Impacto da BE nas competências tecnológicas e de informação dos alunos (indicador de


Impacto/Outcome)

O primeiro incide no processo (naquilo que está a ser feito), ou seja sobre as actividades e serviços que a BE
disponibiliza na promoção do ensino em contexto de competências de informação, o segundo, permitirá medir
a eficácia da acção BE, permitindo saber se aquilo que estamos a fazer tem os resultados esperados e qual o
seu impacto nas aprendizagens e nas necessidades dos alunos.

FORMANDA: LUCÍLIA MENDONÇA-ESCOLA SECUNDÁRIA AUGUSTO CABRITA


O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO – PARTE I

PLANO DE AVALIAÇÃO
1ª FASE

 AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA
Problema(s) de partida

 A equipa da BE, costuma desenvolver anualmente diversas actividades de promoção da literacia da


informação. Contudo, embora estas acções sejam feitas em parceria com os professores das várias A partir do diagnóstico, a equipa da
disciplinas como não são realizadas de forma regular com a mesma turma, nem resultam de um BE/Professor Bibliotecário deverá:
trabalho de planificação conjunta com os vários grupos (é a equipa da BE que normalmente propõe
as actividades aos professores) torna-se difícil aferir o outcome.  Informar o Conselho Pedagógico dos
aspectos inerentes ao processo de auto-
 Grande parte dos alunos não manifesta nos seus trabalhos de pesquisa competências no domínio da avaliação da BE no que se refere a:
LITERACIA DA INFORMAÇÃO desconhecendo as diferentes fases do processo, tratamento de
informação e não demonstra compreensão sobre os problemas éticos, legais e de responsabilidade  Modelo de auto-avaliação e
social associada ao acesso, avaliação e uso da informação e das novas tecnologias. respectivo processo;
 objectivos relativos a estes
 Este ano lectivo temos a funcionar na Biblioteca a Sala de Estudo, passando pela BE cerca de sessenta indicadores;
professores que, na maioria das vezes, não têm alunos. Neste momento a Equipa da BE e a  evidências a recolher;
coordenadora da Sala de Estudo encontram-se a elaborar um plano para optimização, no 2º
 processo de recolha de evidências,
período,os recursos materiais e humanos disponíveis, no âmbito das Literacias da Informação.
tratamento, análise e
comunicação de dados.

1º Período

FORMANDA: LUCÍLIA MENDONÇA-ESCOLA SECUNDÁRIA AUGUSTO CABRITA


O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO – PARTE I

2ª FASE
A.2.2. – PROMOÇÃO DO ENSINO EM CONTEXTO DE COMPETÊNCIAS DE INFORMAÇÃO

MÉTODOS E
FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO ACÇÕES A AVALIAR PLANIFICAÇÃO DA INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO
INSTRUMENTOS A
RECOLHA E
UTILIZAR
TRATAMENTO DE
DADOS

A BE(e professores da sala de estudo) Equipa da BE


procede, em ligação com os órgãos  Apresentação dos  Documento Começo da elaboração
pedagógicos da Escola, ao levantamento objectivos em CP produzido: de um portfólio relativo
nos currículos das competências de Competências ao processo de auto- 2º Período
informação inerentes a cada Análise dos curricula Transversais avaliação, onde
disciplina/área curricular e nível de constarão os registos
estudo, com vista à definição de um Elaboração de um das várias actividades e
currículo de competências transversais documento com as cópias das evidências
adequado a cada ano de escolaridade. competências transversais recolhidas.

A BE promove a integração, com o Reuniões com professores Análise dos seguintes Equipa da BE
apoio dos órgãos de gestão e dos por documentos, para
docentes, de um plano para a literacia departamento/grupo/turma recolha de evidências:
da informação no Projecto Educativo e  Projecto
Curricular da Escola/Agrupamento e nos Educativo
Projectos Curriculares das Turmas.  PCE
 PCT’s
 PAA

A BE (e professores da sala de estudo) Documento Equipa da BE


propõe um modelo de pesquisa de produzido e editado:
informação a ser usado por toda a escola. Modelo de pesquisa
de Informação

FORMANDA: LUCÍLIA MENDONÇA-ESCOLA SECUNDÁRIA AUGUSTO CABRITA


O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO – PARTE I

A.2.2. – PROMOÇÃO DO ENSINO EM CONTEXTO DE COMPETÊNCIAS DE INFORMAÇÃO

MÉTODOS E
FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO ACÇÕES A AVALIAR PLANIFICAÇÃO DA INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO
INSTRUMENTOS A
RECOLHA E TRATAMENTO
UTILIZAR
DE DADOS

A BE estimula a inserção nas unidades  Produção e divulgação Materiais produzidos Calendarização Equipa da BE 2º período
curriculares, Áreas de Projecto, Estudo de materiais de apoio e editados
Acompanhado/Apoio ao Estudo e outras que definam e Elaboração de Professores
actividades, do ensino e treino uniformizem o ensino e Trabalhos realizados materiais de apoio
contextualizado de competências de treino de competências pelos alunos
informação. de informação

 Formação de docentes

A BE produz e divulga, em colaboração Apoio à utilização do Documento Adaptação da grelha Equipa da BE 2º e 3º períodos
com os docentes, guiões de pesquisa e guião de pesquisa – produzido e editado: de observação
outros materiais de apoio ao trabalho de Serão observadas três Guião de pesquisa Professores
exploração dos recursos de informação turmas: uma de 7º ano, de Informação Tratamento estatístico
pelos alunos. uma do 9º e uma do 10º Grelhas de dos dados recolhidos
ano. observação – O1

Os elementos da Equipa da BE participam, Planificação Registo de Equipa da BE Ao longo do ano


em cooperação com os docentes, nas antecipada com os reuniões/contactos lectivo
actividades de ensino de competências de professores do trabalho Professores
informação com turmas/grupos/alunos. de pesquisa a realizar Planificações
na BE

FORMANDA: LUCÍLIA MENDONÇA-ESCOLA SECUNDÁRIA AUGUSTO CABRITA


O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO – PARTE I

A.2.4. – IMPACTO DA BE NAS COMPETÊNCIAS TECNOLÓGICAS E DE INFORMAÇÃO DOS ALUNOS

MÉTODOS E
PLANIFICAÇÃO DA RECOLHA E
FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO INSTRUMENTOS A INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO OBSERVAÇÕES
TRATAMENTO DE DADOS
UTILIZAR

 Os alunos utilizam, de acordo com o seu Estatísticas de Elaboração de instrumentos Equipa da BE Ao longo do ano
nível de escolaridade, linguagens, Utilização da BE de recolha de dados lectivo
suportes, modalidades de recepção e de
produção de informação e formas de Recolha de dados
comunicação variados, entre os quais se
destaca o uso de ferramentas e media
digitais.

Os alunos incorporam no seu trabalho, de Grelha de observação Preenchimento da grelha em Equipa da BE  Durante os 2º e A amostra
acordo com o nível de escolaridade que de realização de conjunto com o professor em 3º períodos contempla
frequentam, as diferentes fases do trabalhos escolares na contexto de realização do alunos das várias
processo de pesquisa e tratamento de BE – O2 trabalho durante a aula na BE faixas etárias
informação: identificam fontes de Professor(es)
informação e seleccionam informação,
recorrendo quer a obras de referência e Grelhas de análise de Recolha das grelhas junto dos
materiais impressos, quer a motores de trabalhos escolares O2 docentes
pesquisa, directórios, bibliotecas digitais
ou outras fontes de informação Serão analisados os
electrónicas, organizam, sintetizam e trabalhos realizados por
comunicam a informação tratada e uma turma de cada ano
de escolaridade
avaliam os resultados do trabalho
realizado.

FORMANDA: LUCÍLIA MENDONÇA-ESCOLA SECUNDÁRIA AUGUSTO CABRITA


O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO – PARTE I

A.2.4. – IMPACTO DA BE NAS COMPETÊNCIAS TECNOLÓGICAS E DE INFORMAÇÃO DOS ALUNOS

MÉTODOS E
PLANIFICAÇÃO DA RECOLHA E
FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO INSTRUMENTOS A INTERVENIENTES CALENDARIZAÇÃO OBSERVAÇÕES
TRATAMENTO DE DADOS
UTILIZAR

Os alunos demonstram, de acordo com o  QP1  Solicitar o preenchimento Equipa da BE 1º Período O Focus group
seu nível de escolaridade, compreensão pelos docentes ainda não está
sobre os problemas éticos, legais e de contemplado no
responsabilidade social associados ao  Dar apoio Modelo mas, dada a
acesso, avaliação e uso da informação e 3º Período natureza do assunto,
pode neste caso ser
das novas tecnologias.  Recolher para tratamento
o meio mais
Focus group – Serão adequado para
Grupo composto 2º Período fornecer a opinião
discutidos os problemas
por 8 alunos, dos jovens sobre
éticos, legais e de
representantes esta problemática.
responsabilidade social
dos vários anos
associados ao acesso,
de escolaridade
avaliação e uso da
informação e das novas
tecnologias

Os alunos revelam em cada ano e ao QA1 Solicitar aos DTs a Equipa da BE 1º Período Necessidade de
longo de cada ciclo de escolaridade, Uma turma de 7º ano, distribuição dos questionários comparar a
progressos no uso de competências uma turma de 10º ano e aos alunos das várias turmas Professor(es) 3º Período evolução .
tecnológicas e de informação nas uma turma de 11º ano
diferentes disciplinas e áreas curriculares. dos cursos gerais e
profissionais

FORMANDA: LUCÍLIA MENDONÇA-ESCOLA SECUNDÁRIA AUGUSTO CABRITA


O MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES: METODOLOGIAS DE OPERACIONALIZAÇÃO – PARTE I

3ª FASE

 TRATAMENTO DOS DADOS

Elaboração de instrumentos para tratamento estatístico da informação recolhida nos


inquéritos e grelhas de observação.

Tratamento e análise de dados.

 REGISTO DA AUTO-AVALIAÇÃO

Reflexão sobre os resultados.


Identificação do nível de desempenho.
Preenchimento do relatório.

 COMUNICAÇÃO DOS RESULTADOS

Comunicação dos resultados da avaliação ao Conselho Pedagógico. Reflexão sobre os


resultados obtidos, aprovação das acções de melhoria dos pontos fracos identificados.

FORMANDA: LUCÍLIA MENDONÇA-ESCOLA SECUNDÁRIA AUGUSTO CABRITA