A IDENTIDADE POTIGUAR EM QUESTÃO

A construção da identidade potiguar através da ideia de patrimônios
imateriais:
o O Projeto Patrimônio Cultural Potiguar em Seis Tempos;
o Encarado, inicialmente, como uma tentativa do poder público
estadual definir quem é e que bens culturais poderiam ser
tratados enquanto característicos da cultura potiguar;
o Pensar as estratégias de construção de identidades por meio
da patrimonialização de bens culturais diversos do estado;
o A ideia do desenvolvimento do sentimento de pertença a um
grupo comum: o silenciamento das diferenças em prol da
homogeneidade. Nesse âmbito, o recorte espacial é observado
como meio suficiente para dotar os diversos grupos sociais
nele incluídos de um sentimento uniforme de pertença,
singularizando-os em relação a outros grupos de outras
espacialidades:
 “É quando o espaço físico passa a ser concebido como
elemento responsável pela construção de determinados
modos de ser e estar no mundo, em detrimento dos
seres humanos, nas apropriações que realizam nesses e
desses espaços” (17).
o Para ele, é preciso compreender o espaço não como algo dado,
mas como algo construído pelos homens. Ou seja, deve-se
atentar para as relações específicas estabelecidas entre
homem e espaço, lavando-se em conta seu contexto sóciohistórico próprio. Logo, se o espaço é constantemente
reconstruído, também as identidades espaciais o serão.
 Percebe que não há uma identidade potiguar pronta, homogênea.
 A problemática:
o De um lado, afirma-se a existência de um patrimônio cultural
riquíssimo e, de outro, interpõe-se a queixa periódica de vários
atores sociais, apontando a inexistência de uma identidade
para o norte-rio-grandense.
 A ampliação das fontes e o surgimento de um potiguar “indefinido,
questionado, em litígio”.
 O século XIX enquanto período fecundo para a construção das
identidades nacionais:
o Explicar determinada sociedade a partir da invenção de
tradições;
o Os movimentos nacionalistas e a necessidade de caracterizar a
nação;
o Os IHGs e a construção das identidades locais;
A QUESTÃO IDENTITÁRIA NO RN
 Apresentada como algo autoevidente, naturalizada.
 A visão fragmentária do espaço norte-rio-grandense: pensamento não
muito recente, pois pode ser encontrado nas reflexões dos

historiadores clássicos. o Construção de discursos identitários independentes e tradicionais. Cascudo. Fato este que impossibilitou a constituição de um discurso homogeinizador. essas dificuldade de comunicação propiciaram a manutenção de núcleos praticamente autônomos no interior do estado. Lyra e Pombo. o As dificuldades de comunicação entre a capital e o interior do estado. sobre a formação de núcleos regionais autônomos. embora nenhum deles pareça ter surtido efeito. além da própria capital. o Afirma a existência de diversos projetos de construção de uma identidade potiguar. o Para o autor. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful