Você está na página 1de 10

MINISTÉRIO DA SAÚDE

Secretaria de Vigilância em Saúde


Área Técnica de Dermatologia Sanitária

Hanseníase
Drª Maria da Conceição Cavalcanti Magalhães

Hanseníase Indeterminada (I)

Mácula solitária,
mal definida,
levemente
hipocrômica, com
perda parcial da
sensibilidade.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

1
Hanseníase Indeterminada (I)

Mácula solitária,
mal definida,
hipocrômica, na
face esquerda;
anestesia apenas
parcial.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

Hanseníase Indeterminada (I)

Mácula solitária,
mal definida,
levemente
hipocrômica, no
dorso do punho,
alterações
mínimas da
superfície;
parcialmente
insensível.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

2
Hanseníase Indeterminada (I)

Mácula única
levemente
hipocrômica, com
bordas mal
definidas, no dorso
do antebraço
direito;, alterações
mínimas da
superfície;
anestesia parcial. Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

Hanseníase Tuberculóide (TT)

Lesão tuberculóide
inicial, solitária,
bem definida, com
bordas levemente
papulosas;
completamente
anestésica.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

3
Hanseníase Tuberculóide (TT)

Lesão circinada
superficial, com
bordas róseas,
elevadas e
finamente
granulosas; o
centro é insensível
ao toque e à dor.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

Hanseníase Tuberculóide (TT)

Lesão hipocrômica
bem definida, com
a superfície seca e
bordas granulosas
moderadamente
elevadas;
completamente
anestésica.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

4
Hanseníase Tuberculóide (TT)

Lesão circinada
superficial, com
bordas róseas,
elevadas e
finamente
granulosas; o
centro é insensível
ao toque e à dor.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

Hanseníase Dimorfa Tuberculóide (DT)


Lesão arredondada
com bordas largas,
razoavelmente
bem definidas,
levemente
acastanhadas e
escamosas; centro
plano, com perda
visível de pêlos; na
face posterior da
perna; anestésica.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

5
Hanseníase Dimorfa Tuberculóide (DT)

Uma de várias
lesões
eritematosas vem
definidas, com
bordas granulosas
bastante elevadas
e pequenas lesões
satélites;
anestésica.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

Hanseníase Dimorfa Virchowiana (DV)

Placas do tipo
dimorfo,
numerosas e
disseminadas,
lesões anulares,
pápulas e máculas;
o centro das lesões
maiores apresenta
alguma perda de
sensibilidade.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

6
Hanseníase Virchowiana Subpolar (VVs
( VVs))
Infiltração
simetricamente
distribuía, com
lesões
hipocrômicas
proeminentes.
Observe as
manchas “em
queijo suíço”, do
tipo dimorfo, no
punho.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

Hanseníase Virchowiana Polar (VVp


( VVp))

Hanseníase
virchowiana
bastante avançada,
com infiltração
difusa distribuída
simetricamente,
nódulos na face e
orelhas, e
madarose.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

7
Eritema Nodoso Hansênico (ENH)

Lesões
multiformes,
subcutâneas e
eritematosas de
ENH num paciente
com hanseníase
virchowiana. Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

Eritema Nodoso Hansênico (ENH)

Lesões profundas
de ENH no queixo,
sobrancelhas e
orelhas.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

8
Nódulo Históide

Pápulas e nódulos
históides no braço
de um caso
virchowiano tratado
com DDS.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

Nódulo Históide

Lesões hióides
floridas e distintas,
num paciente
tratado com DDS.
Foto: Atlas de Hanseníase – Sasakawa Memorial Health Foundation 1990

9
maria..cmagalhaes
maria cmagalhaes@saude.
@saude.gov
gov..br
atds@saude.
atds @saude.gov
gov..br

10