Você está na página 1de 7

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ FEDERAL DO

JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA COMARCA DE PARANAVAÍ – ESTADO
DO PARANÁ.

AUTOS: 50037879620124047011
OBJETO AÇÃO: CONCESSÃO DE AUXÍLIO DOENÇA/ AP. POR INVALIDEZ
AUTOR: JULIA LEANDRO DA CRUZ
REQUERIDO: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS

“JULIA LEANDRO DA CRUZ” devidamente
qualificada nos autos em epígrafe, por intermédio de seus procurador judicial
que em seu final subscreve, inconformada, data vênia, com a R. sentença
digitalizada no evento 61 (vinte e quatro), vêm da mesma recorrer, com
fundamento nos Arts. 513 e seguintes do Código de Processo Civil, requerendo
a Vossa Excelência:
a) - se digne receber o presente recurso
inominado em seus dois efeitos;
b) - pela intimação da parte adversa para
oferecimento de contra-razões (Art. 518 do CPC);

c) - após o cumprimento das formalidades
processuais, remetê-lo a Turma Recursal do Juizado Especial Federal do
Paraná, com as razões em anexo.

Nestes temos,
Pede Deferimento.
Paranavaí–Paraná, 23 de ABRIL de 2015.

VOLNEY MENEGHETTE DE MATOS
OAB/PR 57.253

O Juízo de Primeiro Grau entendeu pela procedência da ação. a parte autora apresenta osteoartrose. moléstia que lhe incapacita totalmente para o exercício forma permanente. COLENDA TURMA JULGADORA A Recorrente ingressou com Ação previdenciária. em face do INSS em data de 18/11/2011. de qualquer atividade. levado pela seguinte conclusão: “Segundo o laudo pericial realizado em juízo (evento 20 e 51). de .EGRÉGIA TURMA RECURSAL DO JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DO PARANÁ AUTOS: 50037879620124047011 OBJETO AÇÃO: CONCESSÃO DE AUXÍLIO DOENÇA/ AP. desde maio de 2011”. POR INVALIDEZ AUTOR: JULIA LEANDRO DA CRUZ REQUERIDO: INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL – INSS OBJETO DA APELAÇÃO: REFORMA DA DECISÃO QUE JULGOU PROCEDENTE O PEDIDO FORMULADO DE CONCESSÃO DE BENEFICIO DE APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. objetivando a concessão de auxílio doença e/ou aposentadoria por invalidez. RAZÕES DA APELAÇÃO: Pelo Recorrente.

LAUDPERI1)”. do CPC. à míngua de requerimento administrativo contemporâneo ao início da incapacidade. senão vejamos: Em que pesem os argumentos da r. data da conclusão do exame médico pericial. Colenda Turma Julgadora. o Ilustre expert. o benefício da Autora fora requerido junto ao INSS na data de 09/03/2011. extinguindo o processo com resolução de mérito. a r. evitaria todo transtorno da via recursal. com fulcro no artigo 269. decisão data vênia. a matéria é simples.01. verbis: Evento 20: “Tendo por base somente o exame clínico e eventuais exames apresentados por ocasião da perícia (não bastando meros relatos da parte autora). oportunidade em que esclarecido o início da incapacidade (evento 51 . para determinar ao INSS a concessão do benefício de APOSENTADORIA POR INVALIDEZ desde 29.“Portanto. “Ante o exposto. em 16/07/2009.2015. e para condená-lo ao pagamento das parcelas vencidas. conforme fundamentação”. sentença. Isso porque. já havia acometimento da coluna lombar e na presente data há também acometimento . inciso I. em homenagem ao princípio da economia processual e celeridade faz jus à concessão do benefício de aposentadoria por invalidez desde 29. de direito. ora atacada.01.2015. de modo que se verificada em primeiro grau de Jurisdição. sendo que. foi categórico ao descrever o início da incapacidade da Autora como sendo em maio de 2011. ex vi. eventos 20 e 51. qual é a data provável do início da doença da parte autora?” Resposta: Em 22/03/2012 já havia acometimento dos joelhos. julgo parcialmente procedente o pedido. deve ser reformada.

Evento 51: “Meritíssimo. não havendo antes de 2010. I. CONCESSÃO DE AUXÍLIO-DOENÇA. com a posterior conversão em aposentadoria por invalidez a partir do laudo pericial. DOENÇA. Sobre o tema. CUSTAS. posiciona-se a Jurisprudência: EMENTA: PREVIDENCIÁRIO. TUTELA ESPECÍFICA.9999. fixo a data do início da incapacidade em Maio de 2011. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. juntado aos autos em 16/04/2015) EMENTA: PREVIDENCIÁRIO. tal qual procedeu o Ilustre Juiz de primeira instância. uma vez fixada a data de início da incapacidade em maio de 2011. não podendo afirmar a data provável do início das mesmas com base apenas no exame clínico e análise da documentação juntada. 1. em 23). (mov.” Destarte. AUXÍLIOINCAPACIDADE COMPROVADA. não há razão para se manter a sentença de primeiro grau.2015. atenção ao considerando informações e despacho todas documentações as juntadas. CONVERSÃO EM APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. Demonstrado que a parte autora está incapacitada para o exercício de atividades laborativas. que condenou o Réu (INSS) ao pagamento da beneficie a contar da data da juntada do laudo pericial nos autos 29/01/2015. Comprovado pelo conjunto probatório que a parte autora . deve ser concedido o auxílio-doença. HONORÁRIOS ADVOCATÍCIOS. instalação patológica que promovesse a incapacidade constatada. desde o seu indeferimento. (TRF4 5008191-48.das articulações das mãos.404. MARCO INICIAL. Relator p/ Acórdão Rogerio Favreto. Quinta Turma. MARCO INICIAL.

AUXÍLIOINCAPACIDADE PERMANENTE. Determina-se o cumprimento imediato do acórdão naquilo que se refere à obrigação de implementar o benefício. APELREEX 0017259-44. os honorários advocatícios devem ser fixados no percentual de 10% (dez por cento) sobre o valor das parcelas devidas até a data da sentença. frente à constatação de que nesta ocasião o segurado já se encontrava impossibilitado de trabalhar. DOENÇA. O INSS está isento do pagamento de custas processuais quando demandado na Justiça Estadual do Rio Grande do Sul (Lei Estadual n. é de ser concedido o auxílio-doença desde a DER e convertido em aposentadoria por invalidez desde a data do laudo judicial. 4.404. 2. que deu nova redação ao art.º 13. grau de escolaridade e experiência profissional. sem a necessidade de um processo executivo autônomo (sine intervallo). e a respectiva conversão em aposentadoria por invalidez na data do laudo pericial.é portadora de enfermidades que a incapacitam total e definitivamente para o trabalho.E.404. 3. reconhece-se o direito à aposentadoria por invalidez. quando constatada. Relator João Batista Pinto Silveira. D.2014. (TRF4. por se tratar de decisão de eficácia mandamental que deverá ser efetivada mediante as atividades de cumprimento da sentença stricto sensu previstas no art. APELREEX 0011970-33. D. 2. APOSENTADORIA POR INVALIDEZ. Relatora Taís Schilling Ferraz.E. TERMO INICIAL. publicada em 24-06-10.121/85). conclui o laudo pericial carreado aos autos: Portanto. Sexta Turma. em consideração ao estágio de suas patologias. no confronto com os demais elementos de prova. sua idade. 1.9999.471/10. Cabível o restabelecimento do auxílio doença desde que indevidamente cessado. Quinta Turma. 16/04/2015) EMENTA: PREVIDENCIÁRIO.9999. (TRF4. em consonância com as Súmulas 76 desta Corte e 111 do STJ. Nas ações previdenciárias.º 8. 461 do CPC.2014. a condição definitiva da incapacidade. Comprovada a incapacidade total e permanente para o exercício das atividades laborativas. 22/04/2015) Não obstante. 11 da Lei Estadual n. entendo que a .

Requer. b) seja. bem como para outras atividades. DO PEDIDO ISTO POSTO. Dentro deste contexto. haja vista a Recorrente não possuir condições de arcar com . outrossim. bem assim. encontra-se incapaz DEFINITIVAMENTE para o seu labor. no mérito. a efuar o pagamento dos valores em atraso desde a data do requerimento administrativo (DER) em 09/03/2011. nos termos dos pedidos e requerimentos postulados na exordial. Juiz Federal da Vara do Juizado Especial Federal Previdenciário de Paranavaí. Ou seja. em verdade. a conclusão do Sr. em 09/03/2011. Estado do Paraná. reconhecendo pela total procedência do pedido. como realmente intenta o presente Recurso Inominado.periciada encontra-se incapacitada para o seu trabalho habitual. a concessão da assistência judiciária gratuita. nos autos de Ação de concessão de Benefício de Aposentadoria por Invalidez nº. PELO QUE FAZ JUS AO RECEBIMENTO DOS VALORES EM ATRASO DESDE A DER. a aposentadoria por invalidez desde a data da juntada do laudo médico aos autos em 30/01/2015. é cediço que a Autora faz jus ao benefício de auxílio doença desde a data da DER. quer intentar. Perito também foi categórica ao descrever que a Autora. obediente às formalidades legais. não podendo ser reabilitada para o exercício de outras atividades laborais. que a Recorrente promove contra o Recorrido. requerendo o seguinte: a) seja a presente Apelação recebida e distribuída incontinentemente. dado provimento a esta apelação para reformar a decisão proferida pelo MM. a fim de condenar o INSS. 50037879620124047011.

060/50. Paranavaí. a condenação do Apelado aos honorários advocatícios na base usual de 20% sobre o valor da condenação. E. sem prejuízo da manutenção sua e de sua família. 57. 23 de abril de 2015. com as alterações introduzidas pela Lei 7.253 com .as despesas processuais e honorários advocatícios. nos termos da Lei 1. P. estará sendo aplicada a mais lídima e autêntica: Justiça! Termos em que. Com o provimento desta Apelação.871/89. VOLNEY MENGHEETTE DE MATOS OAB-PR. PROVIMENTO. Requer também. certeza.