Você está na página 1de 25

15/09/2016

INTRODUÇÃO À GEOLOGIA ECONÔMICA Prof. Edison Tazava
INTRODUÇÃO À GEOLOGIA ECONÔMICA Prof. Edison Tazava

INTRODUÇÃO À GEOLOGIA ECONÔMICA

Prof. Edison Tazava

15/09/2016 INTRODUÇÃO À GEOLOGIA ECONÔMICA Prof. Edison Tazava 1

15/09/2016

15/09/2016 DEPÓSITOS MINERAIS MINÉRIO Rocha que contenha, ou que seja ela própria, bem mineral de interesse

DEPÓSITOS MINERAIS

MINÉRIO Rocha que contenha, ou que seja ela própria, bem mineral de interesse que possa
MINÉRIO
Rocha que contenha,
ou que seja ela própria,
bem mineral de interesse
que possa ser extraído
com lucro
DEPÓSITO MINERAL
Corpo ou conjunto
de corpos de minério
espacialmente associados
Concentrações de 10 3 a
10 9 vezes a abundância
na crosta (clarke)
Acumulações de tamanhos
variáveis
Diminutas (55 ton) a
supergigantes (> 55 Mton)

Parcela ínfima da crosta terrestre é mineralizada!

preservação do depósito ao longo do tempo geológico

colocação do depósito em profundidade pequena o suficiente para que possa ser encontrado

longo do tempo geológico  colocação do depósito em profundidade pequena o suficiente para que possa
PROCESSO DE MINERALIZAÇÃO  Fonte de fluidos e metais  Processo de mobilização adequado 
PROCESSO DE
MINERALIZAÇÃO
 Fonte de fluidos e metais
 Processo de
mobilização adequado
 Condução e canalização
dos fluidos
 armadilha física para
precipitação
 condições químicas ideais
para precipitação
(tudo próximo no
tempo e espaço)

15/09/2016

15/09/2016 3
15/09/2016 3

15/09/2016

15/09/2016 Preço das comodities metais nos últimos anos 4

Preço das comodities metais nos últimos anos

Preço das comodities metais nos últimos anos
Preço das comodities metais nos últimos anos

15/09/2016

15/09/2016 A onça vale 31,1034768 gramas Onça Troy - ozt 5
A onça vale 31,1034768 gramas Onça Troy - ozt
A onça vale 31,1034768
gramas
Onça Troy - ozt

15/09/2016

15/09/2016 6
15/09/2016 6

15/09/2016

GEOLOGIA ECONÔMICA OBJETIVOS

Processos formadores de depósitos minerais:

processos magmáticos, hidrotermais, exalativos- vulcanogênicos, sedimentares, metamórficos e

supergênicos. Modelos descritivos e genéticos de

depósitos minerais. Principais províncias metalogenéticas do Brasil

DE ONDE SÃO EXTRAÍDOS OS METAIS?

DEPÓSITO MINERAL VS. MINÉRIO

Depósito Mineral

Concentrações naturais e anômalas de determinados elementos ou substâncias na crosta terrestre, cuja origem é devida a uma série de interações de processos geológicos termo geológico

Minério

Concentrações naturais anômalas de elementos, ou de minerais que contenham esses elementos, que podem ser extraídos com lucro termo econômico

O minério é uma rocha o fator econômico determina se uma rocha é minério e não a geologia, mineralogia ou geoquímica.

15/09/2016

DE ONDE SÃO EXTRAÍDOS OS METAIS?

DEPÓSITO MINERAL VS. MINÉRIO

Fatores determinantes do valor econômico:

1. Teor conteúdo em metal de um depósito que

pode ser explotável. Teor de corte

2. Ocorrência de subprodutos

3. Relação custo/benefício preço do metal no mercado vs. custo de extração (equipamentos, mão de obra, restauração ambiental) e beneficiamento

4. Localização geográfica e situação política

5. Desenvolvimento tecnológico

ambiental) e beneficiamento 4. Localização geográfica e situação política 5. Desenvolvimento tecnológico 8

15/09/2016

COMPONENTES DE UM DEPÓSITO MINERAL

1. Minerais de minério

contêm o metal a ser extraído

metal combinado com S, O e outros não metais

minerais de metais nativos (Au, Pt, Ag, Cu)

metal forma vários minerais de minério:

cuprita Cu 2 O calcopirita CuFeS 2

bornita Cu 5 FeS 4 covelita CuS

calcosita Cu 2 S

malaquita CuCO 3 .Cu(OH) 2

azurita 2CuCO 3 .Cu(OH) 2

pode fornecer mais de um metal:

estanita Cu 2 FeSnS 4

ouro Au-Ag

2. Minerais de ganga

ocorrem associados aos minerais de minério

não possuem valor econômico

geralmente minerais formadores de rochas:

quartzo, feldspatos, micas, carbonatos

MINERAIS DE MINÉRIO

+

GANGA

=

MINÉRIO

Fatores

geológicos

Fatores

geológicos

Material geológico

(rocha, solo, sedimento)

Teor anômalogeológicos Material geológico (rocha, solo, sedimento) Ocorrência Mineral Teor anômalo+volume=recurso mineral

Ocorrência Mineral

Teor anômalo+volume=recurso mineral(rocha, solo, sedimento) Teor anômalo Ocorrência Mineral Depósito Mineral Fatores tecnológicos Fatores econômicos

Depósito Mineral

Fatores tecnológicos Fatores econômicos

Recurso+economicidade = reserva mineral

Jazida

15/09/2016

DEFINIÇÕES BÁSICAS

INDÍCIO: ocorrência de minerais ou substâncias úteis

OCORRÊNCIA MINERAL: concentração de mineral ou minerais úteis

DEPÓSITO MINERAL: é uma concentração natural de qualquer substância útil, que

apresente atributos geológicos de potencial interesse econômico, usualmente

variáveis. Tais atributos incluem morfologia, teor, composição mineralógica, estrutura e textura, etc.

JAZIDA MINERAL: depósito mineral com dimensões, teores e condições tecnológicas de aproveitamento

Os conceitos de jazida e depósito mineral são dinâmicos, fatores econômicos e tecnológicos podem transformar um depósito em jazida e vice-versa

Jazida
Jazida

Implantação da mineraçãoJazida MINA Exploração mineira Produto Mineral Comercialização Indústria de transformação Consumo

MINA
MINA

Exploração mineiraJazida Implantação da mineração MINA Produto Mineral Comercialização Indústria de transformação Consumo

Produto Mineral
Produto Mineral

Comercialização

Indústria de transformação

Consumo
Consumo

15/09/2016

DEFINIÇÕES BÁSICAS

MINA: toda jazida em lavra, mesmo que suspensa

GARIMPO: jazida em lavra sem a realização de pesquisa mineral

MINÉRIO: material ou agregado natural do qual minerais e metais de valor econômico podem ser extraídos

CLASSIFICAÇÃO DE BENS MINERAIS DE VALOR ECONÔMICO

Minerais Metalíferos ou Metálicos

Minerais Industriais e Rochas Industriais

Minerais Energéticos

Pedras preciosas e coradas (semi-preciosas)

Hidrominerais

15/09/2016

TIPOS ATUAIS DE APROVEITAMENTO

De acordo com a finalidade:

Metalurgia metais ferroso, metais não ferrosos;

Industria química, inclusive de fertilizantes e de preparados farmacêuticos;

Materiais de construção, inclusive de acabamentos;

Industrias das vaidades humanas.

Subdivisões da Geologia Econômica

Metalogênese: gênese de depósitos minerais no espaço e no tempo

Metálicos: Fe, Cr, Ni, etc. será objeto desta disciplina

Minerais Industriais: argilas, amianto, grafita, cimento, etc.

Recursos Energéticos: petróleo, gás, carvão, urânio

15/09/2016

Metalotecto

Caracterização dos processos geológicos

(petrológicos, estratigráficos, estruturais,

geoquímicos, paleontológicos, etc

"construção" de determinados tipos de depósitos ou

concentrações minerais, bem como de feições típicas que lhes são inerentes como definidos a partir de áreas mineralizadas típicas

)

envolvidos na

Assim, os metalotectos permitem avaliar, se há possibilidade de existirem concentrações minerais e de que tipo em uma área, muitas vezes encaminhando a metodologia a ser seguida para

encontrar as jazidas aí existentes, a menores custos

e tempo

Metais Características e algumas propriedades

Praticamente ¾ dos elementos conhecidos

Substâncias fusíveis e opacas

Condutores de eletricidade

Resistentes

Alguns maleáveis

Brilho metálico

À exceção do mercúrio, são sólidos a temperatura

ambiente

Comumente usados como soluções sólidas ligas, de metais (e não metais)

15/09/2016

Classificação dos Metais

função do uso e disponibilidade Ferrosos: fazem ligas com o ferro para formar o aço Fe, Mn, Ni , Cr, Mo, W, V, Co Não-Ferrosos: alta demanda, propriedades import. Cu, Pb, Zn (metais básicos), Sn, Al Metais Preciosos: alto preço Au, Ag, EGP (grupo da platina) Metais Radioativos: propriedades radioativas U, Th Metais menores: baixa disponibilidade, por vezes de uso em alta tecnologia Sb, As, Be, Li, Bi, Cd, Hg, Nb, Se, Ta, Te, Ti, Zr, TR

Mineralização, Minério e Ganga

Mineralização: processos que conduzem à formação de depósitos minerais

Minério (Ore): mineral ou agregado de minerais a partir dos quais são retirados os metais de interesse econômico grande maioria são minerais opacos

Ganga (Gangue): minerais não metalíferos ou sem interesse econômico encontrados junto com o minério

15/09/2016

Rocha encaixante Mineral de minério Ganga Minério 2 cm
Rocha
encaixante
Mineral de
minério
Ganga
Minério
2 cm

Exemplo: Brecha com veios de quartzo (ganga) e estibinita (minério) (Sb 2 S 3 )

Principais minerais de minério:

Óxidos Sulfetos Ligas Silicatos Outros; Carbonatos, Fosfatos, etc.

15/09/2016

Óxidos

Fe: magnetita, Fe 3 O 4 ; hematita, Fe 2 O 3

Mn: pirolusita, MnO 2

Cr: cromita, FeCr 2 O 4

Sn: cassiterita, SnO 2

W: wolframita, FeWO 4 ; scheelita, CaWO 4

Ti: ilmenita, FeTiO 3 ; rutilo, TiO 2

Nb: pirocloro, (Na, Ca

columbita, FeNb 2 O 6

) 2 (Nb, Ti

.) 2 O 6 [F,OH]

Ta: tantalita, TaNb 2 O 6

U: uraninita (pitchblenda), U 3 O 8

Al: boehmita, AlO(OH)

Sulfetos

Fe (ganga): pirita, FeS 2 ; pirrotita, Fe 1-x S

Ni: pentlandita, (Ni,Fe) 9 S 8

Cu: calcopirita, CuFeS 2 ; bornita Cu 5 FeS 4

Zn: esfalerita, ZnS

Pb: galena, PbS

Mo: molibdenita, MoS 2

As (ganga): arsenopirita, FeAsS

EGP: braggita, (Ni, Pt, Pd)S 2

Ag: argentita, Ag 2 S

15/09/2016

Ligas e metais nativos

Au: metal nativo; electrum, Au-Ag

EGP: ligas Pd-Te; Pt-Fe

Silicatos

Zr: zircão, ZrSiO 4

Be: Berilo, Be 3 Al 2 [Si 6 O 18 ]

Th: torianita, ThSiO 4 Li: Espodumênio, LiAl[Si 2 O 6 ]

Fosfatos

ETR: Monazita (Ce, La, Bastnaesita (Ce, La,

)PO 4 ; .) [CO 3 ] F

Outras classes minerais

Em geral ganga

Carbonatos

Fluoretos

Ca: calcita

Ca: Fluorita

Ca-Mg: dolomita

Ca-Mg-Fe: anquerita

Silicatos

Fe: siderita

Micas (Al, K, H 2 0): biotita,

Fosfatos

muscovita Quartzo

Ca: Apatita

Cloritas (Al, Fe, Mg, H 2 O)

15/09/2016

Teor e teor de corte

Teor (ore grade): grau de concentração da substância de interesse econômico no depósito mineral. Expresso em porcentagem (%) ou partes por milhão (ppm), sendo 1% = 10.000ppm

Teor de corte (cut off grade): é o teor a partir do

qual a exploração da substância mineral passa a representar interesse econômico. Varia de situação a situação, em função de diferentes fatores, inclusive políticos e sociais

Estimativas do Teor

Resultado analítico: resultado de análises químicas de uma fração quarteada de amostras representativas das zonas mineralizadas, i.e., aquelas porções da rocha contendo os minerais de minério

Análise modal de amostras do minério: faz-se uma estimativa modal do volume de minerais de minério contidos nas zonas mineralizadas e extrapola-se o teor a partir de composições conhecidas dos minerais

15/09/2016

seta indica mineral de minério = opacos grid indica análise modal = 11% de opacos
seta indica mineral de minério = opacos grid indica análise modal = 11% de opacos

seta indica mineral

de minério = opacos

grid indica análise modal = 11% de opacos Exemplo:

mineralogia indica que todos esses opacos são de dois minerais de cobre:

= 5% de calcopirita

= 6% de bornita

Lâmina com minerais de minério e ganga

Cálculo do teor de cobre da amostra com base na composição modal estimada dos minerais:

(5% de calcopirita + 6% de bornita) 1- Quanto tem de cobre em cada um desses minerais? Calcopirita CuFeS 2

Peso molecular = 63,5 + 56 + (2*32) = 183,5 183,5 => 100

63,5 => x

Bornita Cu 5 FeS 4

Peso molecular = (5*63,5) + 56 + (4*32) = 501,5 501,5 => 100

5*63,5 => x

x = 34% de cobre na calcopirita

x = 63,3% de cobre na bornita

15/09/2016

2- Quanto tem de cobre na amostra proveniente de cada mineral? Dos 5% de calcopirita

= 34,6 * (5/100) = 1,73% de cobre vindo da calcopirita

Dos 6% de bornita

= 63,3 * (6/100) = 3,8% de cobre vindo da bornita

3- Quanto é o total de cobre na amostra proveniente

da soma desses dois minerais?

= 1,73 + 3,8 = 5,5% de cobre

Isto é: dos 11% modal de sulfetos estimados da amostra, corresponderiam 5,5% de Cu em 100% de material

Porcentagem de metal contido em alguns minerais de minério

Fe: magnetita, 72,4% Fe; hematita, 70% Fe Mn: pirolusita, 63,2% Mn Cr: cromita, variável, FeCr 2 O 4 , 46% Cr Sn: cassiterita, 78,8% Sn Ti: ilmenita, 31,6% Ti Ni: pentlandita, variável, 37% Ni Cu: calcopirita, 34,5% Cu; bornita 63,3% Cu Zn: esfalerita, 67,1% Zn Pb: galena, 86,6% Pb Mo: molibdenita, 60% Mo

15/09/2016

Qual é o teor de corte dos minérios?

Depende de vários fatores:

Quantidade de material (reserva) explotável

Infra-estrutura Preços de venda Tecnologia, etc.

Alguns exemplos Alumínio = 30%; Ferro = 25%; Manganês = 35% Cromo = 30%; Zinco = 4%; Chumbo = 4%; Cobre = 0,4%; Níquel = 0,5%; Estanho = 0,5%; Ouro = 1ppm (=0,0001%)

Conceito de teor

flutuações do preço do minério ou do concentrado no mercado de commodities;

extensão e o tipo de jazida;

o tipo de mina a ser implantada: a céu aberto ou subterrânea;

presença de minerais acessórios, que também podem ser extraídos (sub-produtos);

elementos associados que oneram os processos de

beneficiamento;

novas descobertas tecnológicas;

características do minério e das rochas encaixantes

15/09/2016

Recursos

Recurso: é uma concentração ou depósito na crosta da

Terra, de material natural, sólido, em quantidade e teor

e/ou qualidades tais que, uma vez pesquisado, exibe parâmetros mostrando, de modo razoável, que seu aproveitamento econômico é factível na atualidade ou no futuro.

Recurso Mineral Inferido

Recurso Mineral Inferido é a parte do Recurso Mineral para a qual a tonelagem ou volume, o teor e/ou qualidades e conteúdo mineral são estimados com base em amostragem limitada e, portanto, com baixo nível de confiabilidade. A inferência é feita a partir de informações suficientes (geológicas ou geoquímicas ou geofisicas, utilizadas em conjunto ou separadamente), admitindo-se, sem comprovação, que haja continuidade e persistência de teor e/ou qualidades, de tal modo que se pode ter um depósito de mérito econômico potencial.

15/09/2016

Recurso Mineral Indicado

Recurso Mineral Indicado é a parte do Recurso Mineral para a qual a tonelagem ou volume, o teor e/ou

qualidades, conteúdo mineral, morfologia, continuidade

e parâmetros físicos estão estabelecidos, de modo que as estimativas realizadas são confiáveis. Envolve pesquisa com amostragem direta em estações (afloramentos, trincheiras, poços, galerias e furos de

sonda), adequadamente espaçadas.

Recurso Mineral Medido

Recurso Mineral Medido é a parte do Recurso Mineral para a qual a tonelagem ou volume, o teor e/ou qualidades, conteúdo mineral, morfologia, continuidade e parâmetros físicos são estabelecidos com elevado nível de confiabilidade. As estimativas são suportadas por amostragem direta em retículo denso (afloramentos, trincheiras, poços, galerias e furos de

sonda), de modo que se comprova a permanência das

propriedades.

15/09/2016

Reservas

Reserva: é a parte do recurso mineral para a qual

demonstra-se viabilidade técnica e econômica para

produção. Essa demonstração inclui considerações sobre elementos modificadores, tais como fatores de lavra e beneficiamento, de economia e mercado, legais, ambientais e sociais, justificando-se a avaliação, envolvendo análise de lucratividade, em um dado tempo.l. Comumente os dados são indicados em 10 6 toneladas (Mt - milhões de toneladas) e acompanhados

do teor Ex.: 200 Mt a 1,6% Cu; 5 Mt a 5 ppm (ou g/t,

gramas por tonelada) de Au (0,0005%)

Quantidade de metal contido

Conteúdo é aquilo que está contido em alguma coisa, no caso, são os minerais contidos no depósito. Este conteúdo pode ser representado na forma de um teor. No caso dos minérios, o conteúdo mineral será o “metal contido”.

Metal contido: É a quantidade de metal que pode ser extraído da reserva para o determinado teor médio. Nos exemplos acima equivaleria a 3,2 Mt de Cu; e 0,00025 Mt de Au, ou seja, 25 t de Au

15/09/2016

Província Mineral e Distrito Mineral

Província Mineral ou Metalogenética:

Região geográfica particular contendo um determinado conjunto de depósitos minerais

Em geral dimensões de dezenas a centenas de milhares de km 2

Envolve depósitos minerais de idades diferentes e de mais de um determinado bem mineral

Distrito Mineral ou Mineiro:

Região contendo um conjunto de depósitos minerais da mesma substância. Em geral dimensões menores que a das províncias