Você está na página 1de 8

Nota prévia relativa à tramitação do processo

Após uma consulta prévia por email aos associados residentes na Região, o
processo de aprovação do Regulamento da Secção Regional do Algarve passa agora
pela aprovação da Direcção, de acordo com o ponto n.º 4 do art. 2.º dos Estatutos.
Segue-se a submissão da proposta pela Direcção ao Conselho Geral para autorização da
criação da Secção, cuja competência para tal está consagrada na alínea d), ponto n.º 1,
art. 25.º. Por fim, de acordo com o ponto n.º 2 do art. 52.º, a Direcção submeterá
formalmente a proposta de Regulamento à aprovação dos associados.

A Comissão Instaladora da Secção Regional do


Algarve

Faro, 26 de Março de 2009


Preâmbulo
Com o crescimento do número de associados na Região, mais recentemente
marcado pelo curso ministrado na Universidade do Algarve, num esforço para ser
retomada uma dinâmica local de há uma década, que uniu vários associados e ensaiou
os primeiros passos deste processo, procurando dar resposta à crescente solicitação da
representação da APAP em iniciativas de âmbito regional, o processo de
Descentralização da organização profissional dos Arquitectos Paisagistas está a ganhar
um novo ímpeto que importa consolidar.

Assim, em 2008 foi reiniciado o processo da criação da Secção Regional do


Algarve, tendo para esse efeito sido criada uma Comissão Instaladora na Assembleia-
Geral Extraordinária de 31 de Outubro do mesmo ano. A referida Comissão coligiu a
informação necessária e desenvolveu uma proposta de Regulamento, em articulação
com a Direcção, para que fosse assegurada a tramitação prevista nos Estatutos da
APAP.

De acordo com o ponto n.º 4 do art. 2.º dos Estatutos, para além do
funcionamento em estreita colaboração com a Direcção, é ainda estabelecido como
condição para a criação das estruturas locais, a elaboração e aprovação de um
regulamento próprio. Em termos regulamentares a APAP, até esta data, não dispunha
de documentos que enquadrassem devidamente as estruturas locais previstas nos
Estatutos, caso das Secções e das Delegações Distritais.

No regulamento ora proposto, procurou-se abarcar as normas necessárias para a


organização e funcionamento interno da Secção Regional. Assim, foi coligido, discutido
e proposto um conjunto de normas que se procurou que fosse completo e adequado ao
necessário. Em simultâneo, procurou-se assegurar a devida articulação com os
Estatutos da APAP. Contudo, dadas as condições específicas do Algarve, entendeu-se
que deveria ser equacionada a introdução de duas novas figuras nas estruturas locais,
as dos Núcleos e Delegações municipais.
Num momento em que se está a constituír a Secção Regional, não será de
antever que aquelas estruturas municipais sejam constituídas a breve trecho, mas a
introdução das mesmas prende-se com a necessidade das mesmas serem desde já
contempladas, pois numa lógica de uma efectiva aproximação do associado e
divulgação da prática é de todo desejável que as mesmas venham a constituír-se.

Artigo 1.º – Natureza e Sede

1. A Secção Regional do Algarve da APAP, adiante designada apenas por


Secção Regional, nos termos do n.º 4 do artigo 2.º dos Estatutos da APAP, é
uma estrutura de base regional, instituído por processo eleitoral autónomo.

2. A Secção Regional tem a sua sede em local a designar e deverá adoptar a


designação: APAP- Secção Regional do Algarve.

3. A Secção Regional orienta-se pelo presente Regulamento que é aprovado


pelo processo definido nos estatutos da APAP.

Artigo 2.º – Âmbito

1. A Secção Regional abrange a área do Distrito de Faro e tem actividade


junto dos membros da APAP inscritos e residentes na respectiva área.

2. Na área geográfica da Secção Regional poderão constituir-se Núcleos e


Delegações municipais, as quais funcionarão em estreita colaboração com
a Secção Regional e segundo as normas enunciadas em regulamento
próprio, especialmente elaborado para tanto e aprovado pela Direcção
regional.
Artigo 3º – Órgãos Sociais

A Secção Regional dispõe dos seguintes órgãos:

a) Direcção Regional;

b) Assembleia Regional.

Artigo 4º - Regras Gerais

1. Os membros da Direcção Regional e da mesa da Assembleia Regional são


eleitos por um período de dois anos, prorrogáveis por mais um mandato
imediatamente subsequente.

2. Decorrido o intervalo de um mandato poderão os membros dos órgãos


cessantes recandidatar-se nos termos do número antecedente.

3. O exercício nos cargos nos órgãos sociais é gratuito, mas os seus titulares
terão direito ao reembolso de despesas que tenham de efectuar no
desempenho de funções para que hajam sido eleitos, desde que devidamente
comprovadas.

4. Qualquer associado, de entre os membros inscritos na área geográfica da


Secção Regional, pode ser eleito para os órgãos sociais, desde que não tenha
quotizações em atraso.

Artigo 5º - Eleições

1. A eleição para os órgãos da Secção Regional realiza-se durante o mês de


Dezembro do último ano de cada mandato, nos termos de regulamento
próprio (e que seguirá as regras definidas para a eleição dos órgãos sociais da
APAP) aprovado em Assembleia Regional.

2. Cabe ao presidente da Assembleia Regional proceder à convocatória para a


realização da eleição dos órgãos da Secção Regional.
3. Será constituída imediatamente após a convocatória do acto eleitoral uma
Comissão Eleitoral, composta por três associados inscritos na área geográfica
da Secção Regional, nomeados pelo presidente da mesa da assembleia geral.

4. Cada lista candidata tem o direito de designar um representante para


acompanhar os trabalhos da comissão fiscalizadora.

5. Logo que sejam homologados pela Comissão Eleitoral, os resultados eleitorais


serão comunicados à Direcção da APAP.

6. Na ausência de uma Direcção Regional eleita, a Secção Regional poderá


provisoriamente ser representada por uma Comissão de Gestão, nomeada
para o efeito pela Direcção da APAP.

Artigo 6º - Direcção Regional

1. A Direcção Regional é composta por:

a) Um presidente;

b) Um secretário;

c) Um tesoureiro.

2. A Direcção Regional reúne na sua sede, por convocação do Presidente ou da


maioria dos seus membros.

3. Compete à Direcção Regional:

a) Representar a APAP na área geográfica da Secção Regional junto de


entidades e organismos locais, devendo dar conhecimento à Direcção da
APAP de todos os contactos estabelecidos e respectivo teor;

b) Promover a valorização da profissão e da arquitectura paisagista e do


ordenamento do território, através da divulgação da experiência local e de
troca de informação com outras áreas geográficas;
c) Administrar e dirigir os serviços da Secção Regional;

d) Prestar serviços aos associados inscritos e residentes na área geográfica


da Secção Regional, em articulação com a Direcção da APAP,
nomeadamente nas áreas de concursos, cultura, formação e prática
profissional;

e) Coordenar as actividades respeitantes aos núcleos da sua área geográfica


que venham eventualmente a ser criados;

f) Apresentar anualmente à Direcção da APAP propostas de orçamento,


relatório e plano de actividades;

g) Executar as actividades aprovadas pela Direcção da APAP, respeitando as


suas instruções;

h) Informar a Direcção da APAP de todos os assuntos que considere


relevantes para a APAP e seus membros;

i) Prestar contas anualmente das actividades exercidas, através de relatório


de contas a apresentar à Direcção da APAP.

4. Das deliberações proferidas pela Direcção da Secção Regional caberá recurso


para a Direcção da APAP.

Artigo 7º - Assembleia Regional

1. A Assembleia Regional é composta por todos os membros inscritos na área


geográfica da Secção Regional no pleno gozo dos seus direitos sociais.

2. A mesa da Assembleia Regional, que presidirá às sessões plenárias, é


constituída por um presidente, um vice-presidente, um 1º secretário e um 2º
secretário.

3. Compete à Assembleia Regional:


a) Apreciar e aprovar o plano de actividades e relatório de contas anual da
Direcção Regional;

b) Destituir a Direcção Regional, a título excepcional e desde que


devidamente justificado, devendo designar, no mesmo acto, uma
comissão, com a mesma composição do órgão destituído, que
desempenhará as correspondentes funções até nova eleição;

c) Em geral, pronunciar-se sobre quaisquer assuntos que lhes sejam


submetidos no âmbito das disposições regulamentares.

Artigo. 8.º – Regime Financeiro e Administração

1. A Secção depende:

a. das instruções orçamentais, financeiras e de gestão que lhe forem


dadas pela Direcção da APAP e os seus poderes ficam vinculados e
dependentes do seu cumprimento.

b. Quaisquer outras receitas que lhe sejam atribuídas por lei, contrato
ou outro título.

2. As receitas e despesas da Secção Regional são fixadas no Orçamento anual,


aprovado pela Assembleia Geral Plenária da APAP.

3. A Secção Regional obriga-se sempre por duas assinaturas dos membros da


Direcção, uma delas obrigatoriamente do Presidente.

4. É vedado à Direcção da Secção Regional assumir responsabilidades, ónus


ou encargos sem autorização expressa da Direcção da APAP.

5. Os bens imóveis ou móveis afectos à Secção Regional são propriedade da


APAP. A Secção Regional não poderá aliená-los ou onerá-los.

6. As Propostas de Orçamento e Plano de Actividades, bem como os Relatórios


de Contas da Secção Regional devem ser aprovados pela Assembleia Geral
Regional e em seguida apresentados à Direcção da APAP, até 30 dias antes
dos prazos fixados nos Estatutos da APAP para a sua apresentação por este
ultimo órgão na Assembleia Geral da APAP.

Artigo 9.º – Omissões

Nos casos omissos, não especialmente regulados no presente Regulamento,


deverá ser tido em consideração o estatuído nos Estatutos da APAP.