Você está na página 1de 2

XIX SIMPÓSIO REFORMADO OS PURITANOS

A ESPERANÇA DO CRISTÃO
Dia 07 de Julho de 2010
Palestra: A Glória de Deus e a Esperança do Cristão
Palestrante: Pr. Paulo Brasil
Resumo: Marcel Mattos Tavares

Introdução
Ezequiel é o profeta dos exilados. Ele veio trazer esperança. A esperança é filha da fé. Esta
fé vai produzir esperança. A esperança não está dissociado da revelação. A revelação de Ezequiel
vai produzir esperança ao povo. O profeta foi levado ao exílio junto com o povo e é a voz de Deus
no meio deste povo. O ministério de Ezequiel durou de 523 A.C. até 571 A.C.

I. Capítulo 1 a 24 – Jerusalém vai cair e é inevitável. De acordo com o profeta: vai ser um
justo julgamento.
II. Capítulo 25 a 32 – Oráculos contra outras nações. Deus vai julgar Jerusalém, mas também
as nações opressoras.
III. Capítulo 33 – Aqui existe uma transição do livro. Vai do julgamento à promessa.
IV. Capítulo 34 a 48 – Teologia da restauração. A nova vida, a nova esperança.

Ezequiel é extremamente importante para aproximar o messias do povo. Sua mensagem vai
de morte para a ressurreição e de destruição para a reconstrução, de destruição da criação para
recriação.

As instituições que faziam com que Israel se sentir uma nação segura
• Limites (Terra)
• Governo (Rei)
• Religião (Templo)

Toda a alegria foi embora


Ez 5.5-10 - O povo mereceu a destruição destas três instituições (terra, rei e templo), pois
afastou-se de Deus. Eles ficaram com suas esperanças arrasadas depois que tudo foi destruído. Eles
pensavam que tudo estava resolvido e que não perderiam estas três instituições (Lm 3.18; Ez 37.11)

Deus vai dar um novo significado ao santuário


Ez 10.18; 11.13 – A destruição começa quando a Glória de Deus vai saindo do templo. O
povo estava perdendo a esperança (destruição do Santuário). O povo vai ganhar verdadeira
esperança (Deus sendo o santuário). Cristo diz que Ele é o santuário (Mt 26.61).

O Senhor é o santuário
Ez 11.16; Ap 21.22 – Apesar do povo não ter um templo físico, Deus promete ser o seu
templo(santuário).

O profeta foi levantado para reerguer o povo de volta ao caminho de santidade. Ele faz uma
adaptação da revelação, a revelação passa a ser lapidada.

O rei de Israel teve seus olhos vazados, porém Deus promete ser seu rei
Ez 20.33 – O Senhor vai reinar sobre eles. Assim como o livro de Isaías começa com a
morte do rei de Israel e mostra o verdadeiro rei.
Ez 34.15 – O pastor e o rei são a mesma pessoa.
Ez 34. 23-24 – Novamente faz referencia ao pastor.
Ez 37.24 – Pastor Davi como referencia ao rei
Israel não esperava o melhor em meio a tamanho caos. Em terra estranha e homens tiranos,
Israel encontra esperança. Deus é o seu templo e o seu rei. A terra pertence a Deus, Israel pertence a
Deus, a Babilônia pertence a Deus.

Babilônia foi a prova de que não só a terra, mas também a criação, tudo pertence a Deus. E
apesar de tudo Deus promete que restaurará todas as instituições. Porém não era limitado a um
espaço físico como era antes. O templo já chegou, é Cristo.

Jesus se assenta no trono de Davi (Lc 1) ele também é o rei. A terra é a terra santa, novos
céus nova terra. A promessa da esperança só poderia ser vista pelos olhos da fé.
Ez 36. 33-38 – O messias para onde esta terra apontava, estava chegando. No cativeiro eles
perceberam que as instituições não eram terrenas.

A esperança não era fruto da imaginação humana, ela foi interpretada pelo profeta. Assim
somos nós aguardando a promessa mediante a Palavra. A esperança é a filha da fé. Aguardamos
pelo tempo em que não mais pecaremos e estaremos eternamente com Cristo. (Sl.84)