Você está na página 1de 8
(CONFIDENCIAL| MINIGTERIO DA ABRONAUTICA COMANDO AERED DE DEFESA AEREA ne 208/omo0/c-138 Bras{lie-DF, 02 de Junho de 1986 Do Comandante Ao Exm? Sr Comandante do Comando Ge ral do Ar Assunto: Relatério de Ocorréncia Ref, + Note N@ © 002/MIM/ADM, de . 33 Abr 78 Anexo + O1 (um) Relatério “Encaminho a V & documento cons w Brig do Ar Jost PEssO. T DE ALBUQUERQUE Camandan ering da COMDA PROTOCOLO Maer 430/22) bb. CONF. IDENCIAL, T - JNTRODUCAD Este Relatdria tem por finalidede informar ds autoridades > Miniatéria da Aerondutica em especial ao Exm® Sp Ministra, dos a<99 ccorridos na noite de dis 19 de maio Ge 1986, no que tange as nform:gGee des Orgs de Controle de Trdéfego Agreo © de Defesa AS te 1 bem Como dos pilotos interceptadores envolvidos nos econteci montos, ‘Em virtude das limitagies de tempo 8 de conhecimentos es- Pecializedos em fatos desta netureza, este Comando houve por bem, ‘tre da esfera operacianal, se limiter a Narragdo simples dos fa “os, de forma a néo dar margem a especulagbes que envolvam a Minis tecia ca Agrondutica, i Ti - CONSIDERACDES INicTars * G Sistema de Defesa Avroeepacial Brasileira Mo que concer @ RCAl, até o momenta conta com equipamentos de detegao baseado Redires cuja finalidade primétia 8 destinado ao controle de tré 9 B€TeO0, Nao sendo Portanto, especifico pare emprego em Defesa a, Suas limitegées técnicas torna a Vigilancia da espaco Aé~ rT)" deficienta quento && detecdes de lvoe, cuja inicializesta se Ge modo’ manual, iste é, 9 ingeréneia do controlador se faz ne- F322 Canstantemente, @ fim de ge manter o contato radar visua- por periodas, em que seja possivel uma evaliaggo aprofunda~ a Lived & je m cansequancia, o acampanhemento dos movimentos detectados na oc rey 12 um nan } ~ Da anélise dos econtecimentos este Comando é de pare- ~ de acordo com as informagdes dos controladores, pilgtos e rela 5 anteriorments elaborados, pelo I CINDACTA, que alguns pantos sincidentes no que tange ao eco radar, aceleragao, iluminagao , idades @ comportamento, tanto pelas detecgSes técnicas como vi- 2agao efetuadas. 2 - Alguns que podemos citar sao as fenémenas que apresen ertas cerecteristi, ons tes @ saber; IGONFIDENCLSLI (CONF ILL wCIAL: Produzem ecos radar nfo s6 do Sistema de Defesa Aérea, como também das aeronaves interceptadoras simultanea mente, com comparagaéo visual pelos pilotos. Variam suas velocidades da gama subsénica até supersd- nica, bem como manteém-se em véo pairado. Variam suas altitudes abaixo do FL-050 até altitudes superiores FL-400, As vezes sf visualizados devido & luzes de cores bran cas, verdes, vermelho, outras vezes néo se tem indica- g8o luminosa. Tem capacidade de acelerar e desacelerar de mdo brug co, Capacidade de efetuar curvas com raios constantes e ou tras vezes com raios indefinidos. Como concluséo doa fatos constantes observados, em qua Se todas as apresentagées, este Comando é de parecer , que os fendmenos sic sdlidos e refletem de certa for- ma inteligéncia, pela capacidade de acompanhar e man ter distancia dos observadores como também voar em for, magao, nao forgosamente tripulados. ‘ For oportuno, cabe ressaltar a eficiéncia das Unidades Aéreas engajadas na operagdo, pois de acordo com o pre visto cada uma dess, eS mantem uma aeronaves de ienos de 30 minutos apéds oo ITI DE ALBUQUERQUE Comandante Int€rino do COMDA/NuCOMDABRA {OSaie shar