Você está na página 1de 10

Como Fazer um Videoclipe

5 Métodos:Desenvolvendo o Conceito Escalação de Elenco Luzes, Câmera,


Ação!Pós-produção Aprendendo com os Gigantes
Com os recentes avanços da tecnologia de vídeo, criar vídeos musicais amadores
ficou mais fácil do que nunca. Como qualquer empreitada artística, o processo de
gravar um vídeo musical pode trazer muita realização pessoal, mas ao mesmo tempo
ser frustrante, divertido, desafiador, exaustivo e emocionante - às vezes, tudo de
uma só vez. A sua imaginação e o orçamento disponíveis são os limites para os
vídeos musicais. Neste artigo, vamos explorar o básico do processo criativo e
técnico, variando de um simples cantarolar registrado com a webcam até produções
mais elaboradas.

Parte 1

1. Conheça bem o seu orçamento.


Um vídeo musical não precisa sair caro para ser bom. Alguns dos vídeos mais
criativos e inesquecíveis da história são produções simples, com sérias restrições
orçamentárias. Outros torraram milhões para ficarem prontos. Saber quanto
dinheiro pode-se gastar antes de começar evita que você estoure o orçamento.
2. Tenha um caderno sempre à mão.
Não precisa ser nada digital, caro ou cheio de frescura. Basta ter algo onde você
possa anotar seus pensamentos, idéias e rascunhar cenas para o vídeo. Mantenha
lápis e canetas mais uma borracha junto com o seu caderno, e carregue-o sempre
que tiver que trabalhar nas filmagens. Nunca se sabe quando novas idéias vão
aparecer de repente na sua mente.
3. Converse com o artista ou a banda.
Pode ser que eles tenham uma idéia de como querem que o vídeo fique.
Algumas idéias serão boas ou até mesmo ótimas. Outras podem exigir um
elenco que custa milhares de reais, a melhor computação gráfica possível e o
diretor mais renomado que se conhece para dirigir o vídeo. Se o seu orçamento
permitir, não há limites para o que pode ser feito no vídeo, mas você é quem
decide quais idéias valem a pena adotar. Tenha uma visão realista do que pode
ser feito - ou seja, quais idéias são viáveis, quais são inviáveis e ainda, quais são
simplesmente péssimas.
Se por um acaso você for um dos membros da banda cuja música será o tema do
vídeo, você está numa posição com vantagens e benefícios exclusivos. Isso
porque você tem acesso de primeira mão ao processo criativo da banda. Por
outro lado, fazer um vídeo musical pode ser bastante estressante. Suas relações
pessoais e criativas podem acabar sendo afetadas - esteja ciente disso.
4. Antes de planejar qualquer coisa, escute a música.
Não faça mais nada além de simplesmente ouvir a música. Então escute de
novo, e de novo, até ter ouvido várias vezes. Ouça a música junto com o artista
ou a banda. Mesmo que você saiba a música de cor, escute-a como se fosse a
primeira vez. Como ela faz você se sentir? Ela faz você ficar com vontade de
dançar, chorar, fazer algo bobo ou encher a cara? Ou ela faz você sentir uma

1
estranha combinação de sentimentos e emoções? Anote as suas reações à
música.
5. Elabore suas idéias. Uma vez que você tiver uma noção das emoções e
sentimentos que a música inspira, comece a refletir sobre as idéias para o vídeo.
Pode ajudar bastante se durante esse processo você consultar a sua equipe
técnica - eles sabem o que é fácil ou complicado de fazer.
a. As idéias podem ser diretas e objetivas. Por exemplo, uma idéia para
uma música sertaneja sobre gente que acaba se conhecendo no meio da
estrada pode ser “seguindo um homem dirigindo pela estrada,
conhecendo gente em mercadinhos pequenos e postos de gasolina pelo
caminho, refletindo o que a letra diz” pode dar muito certo se bem
executada.
b. Acrescentar detalhes específicos e pequenos pode transformar seu vídeo
inesquecível ou até mesmo em um ícone. Compare as anotações a seguir
com a descrição vaga da idéia sugerida logo acima: “Personagem
principal dirigindo um Opala conversível numa estrada a perder de vista;
encontra um fazendeiro em uma lanchonete de beira de estrada no verso
1; depois encontra um policial numa Pajero no verso 2 e uma gata de
tirar o fôlego no cerso 3, que pula para dentro do carro dele e os dois
vão-se embora à medida que a música termina. Lado cômico da história:
Ele derruba mostarda na camisa no verso 1; dá uma amassadinha de nada
na Pajero do policial no verso 2; passa cantadas furadas na gata do verso
3.”
c. Idéias abstratas e estranhas podem render ótimos vídeos musicais. As
cenas não precisam necessariamente refletir o que diz a letra da música.
Criar um contraste entre a parte visual e a letra da música pode causar o
impacto que você queria. Alguns vídeos chegam a ser sem sentido ou até
mesmo bizarros. Não tenha medo de chocar ou de confundir a audiência
se você achar que essa é a melhor escolha para o seu vídeo.
6. Fique de olho nas locações das filmagens.
Antes de começar o trabalho, você precisa saber exatamente onde quer filmar.
Às vezes o conceito do vídeo exige que se viaje até um local deserto e distante
ou que se monte um set especial. Por exemplo, o vídeo do exemplo que citamos
pode ser fácil de filmar no interior de Minas Gerais, mas exigir bastante jogo de
cintura se toda a equipe estiver baseada na Avenida Paulista em São Paulo.
a. Converse com os donos ou a administração de qualquer estabelecimento
ou local que você deseja usar. Pergunte se não há problema em filmar ali.
Você pode até dar a sorte de encontrar um dono de restaurante que se
encaixa perfeitamente na descrição de um dos personagens e que sempre
quis aparecer em um vídeo.
b. Vale também avisar seus vizinhos sobre as filmagens antes do trabalho
começar. Caso contrário, eles podem acabar registrando reclamações ou
até mesmo chamando a polícia por causa do barulho ou da invasão de
privacidade.

2
Imagem intitulada Blueberry's storyboard 2"

7. Faça um rascunho da sequência de cenas.


Essa é uma das ferramentas mais eficazes para planejar o sue vídeo. Nela, faz-se
desenhos de cada cena para dar uma direção à ação do vídeo.
a. Os vídeos musicais normalmente empregam escolhas cinematográficas
especiais ou efeitos especiais para criar uma experiência única. Caso
planeje encluir um dos dois recursos no seu vídeo, inclua-o no seu
rascunho das cenas.
b. O rascunho das cenas não precisa ser elaborado. Ele pode consistir
simplesmente da posição dos atores e dos objetos em cada cena ou ser
detalhados a ponto de descrever os sentimentos, emoções, expressões
faciais, direção de movimentos, etc de cada personagem. Caso o desenho
não seja o seu forte, basta fazer o rascunho apenas com texto. O
importante é que você saiba o que vai acontecer em cada cena e que você
saiba se comunicar com a sua equipe.
c. Procure dividir o vídeo em cenas que tenham tudo a ver com a sua visão
geral. Você pode também reduzir o tempo de filmagem se filmar tudo
num lugar só. Ou planeje as filmagens para não ficar viajando à toa.

Parte 2

Escalação de Elenco

1. Encontre a sua equipe. Dependendo do tamanho da sua produção, você poderá


contar somente com os atores ou precisar de uma equipe numerosa. Seguem as
funções para as quais você vai precisar contratar gente:

3
a. Diretor. É bem provável que ele seja você mesmo. Você administrará
todas as partes diferentes das filmagens, desde compartilhar a sua visão
geral com o elenco e a equipe, passando pela mediação de disputas entre
o pessoal da iluminação e do som e into até a manutenção do carro usado
na filmagem e se todas as locações estão disponíveis para serem fechadas
ao público. Você será o chefe, mas também será o responsável por
absoltamente tudo e todos.
b. Videógrafo. Ele é o responsável por capturar a ação que se passa na
frente de uma ou mais câmeras. Ele vai estruturar a cena, trabalhar com a
parte elétrica para garantir que o set de filmagens esteja iluminado
adequadamente e ainda avisa o pessoal do som quando eles tem que
entrar em ação.
c. Chefe eletricista. É ele quem garante que todas as luzes estão acesas e
funcionando, que os atores estão bem visíveis e que tudo está pronto para
a filmagem.
d. O especialista em som. No set de filmagens, ele é quem fica colocando
os microfones os rostos de todo mundo e escondendo outros nos lugares
certos do set. Para um vídeo, o qual normalmente não exige diálogos, ele
é o responsável por sincronizar atores e a música. Nos intervalos do
trabalho de ficar apertando "Stop" , "Play" e "Rewind," ele vai sair
correndo atrás de lanches e bebida para o pessoal.
e. O assistente. Essa pobre criatura é que arruma todos os fios, luzes,
equipamento, bancos e cadeiras, mesas, objetos usados na filmagem e
tudo o mais que entrar no set. Fica muito mais fácil filmar quando você
tem alguém para cuidar disso tudo enquanto você se preocupa com o
conceito do vídeo.
f. Guarda-roupa. Dependendo do seu orçamento, pode ser que você peça
simplesmente que o ator use um jeans e camiseta justa ou você pode
mandar fazer roupas especialmente para a filmagem. Mas o essencial é
ter alguém que possa organizar a troca de roupas entre as cenas e um
lugar com privacidade para que os atores possam se trocar.
g. Objetos de cena. Será preciso ter alguém que possa cuidar de coisas
como achar os carros exigidos pelo roteiro, além de todos os objetos que
os atores pegam ou que não seja parte da locação.
h. Continuidade. A menos que você vá filmar tudo de uma só vez, é preciso
que alguém confira se os atores vão começar do ponto onde pararam na
cena anterior. A pessoa responsável pela continuidade anota as posições
de tudo em cena com o auxílio de uma câmera. Ela deve garantir que a
mancha de mostarda na camisa da cena 1 ainda esteja lá 3 dias depois,
quando as últimas cenas serão gravadas. (Ou ainda, garantir que a
mancha *não* está lá se as cenas do começo do vídeo forem feitas
depois).
2. Encontre atores com o talento certo. Faça uma lista de todos os personagens
do vídeo. O vídeo pode mostrar a banda tocando - nesse caso, você terá que
dirigi-la também. Se o seu vídeo conta uma história, faça anotações de todos os
personagens, descrevendo o físico e o comportamento deles. Faça audições

4
(testes) para escolher quem tem o talento certo para cada personagem. Para
escolher o ator mais apropriado para o nosso vídeo, procuraríamos atores para
interpretar os seguintes personagens:
a. O viajante. Ele não precisa falar, mas tem que ser durão, passar auto-
confiança e ser o tipo de figura que sai pela estrada afora dirigindo um
carro antigão. Jeans. Óculos escuros. Camisa?
b. O fazendeiro. Um homem mais velho, com o rosto envelhecido pelo sol.
Um chapéu velho, jeans e camisa para fora da calça, com um sorriso
simpático. Ele aparece pouco e rápido em cena, então ele não precisa ser
um ator profissional.
c. O policial. Jovem, alto, forte e mais auto-confiante que o protagonista,
mas também mais humilde.
d. O atendente do posto de gasolina. Mirradinho? Cheinho? Uniforme sujo
de graxa, simpático mas com cara de preocupado, rola os olhos muito
bem em cena.
e. O engravatado. Metrossexual, alto e quase bonito, mas nem tanto.
Cabelo lambido que fica bagunçado no calor. Roupas e carro que
parecem caros. É fisicamente desajeitado e não tem jeito com as pessoas.
Tem uma risada arrogante. Atrai a antipatia de todos de primeira.
f. A gata. Mulher forte, independente. Gosta do próprio corpo, o que a
torna mais bonita ainda. Morena. Desencanada, bronzeada, tem senso de
humor e um sorriso de canto de boca constante. Nunca perde a paciência
com o engravatado; pelo contrário, se diverte com a falta de noção dele.
Trata o viajante como um objeto, como se isso fosse a coisa mais normal
do mundo.

Parte 3

Luzes, Câmera, Ação!

1. Prepare a cena.
Agora que está tudo no lugar certo, os atores já ensaiaram bastante e a equipe
está abastecida de cerveja, é hora de começar a filmar. Escolha uma cena. No

5
nosso exemplo, vamos escolher a cena final. Nela, o engravatado tropeça e cai, o
viajante ajuda ele a se levantar e termina com a gata pulando dentro do carro do
protagonista.
a. Coloque os veículos e tudo que estiver em cena nas posições certas. Peça
aos atores para ficarem nos lugares marcados para eles.
b. Prepare as luzes. Como no nosso exemplo as cenas são feitas ao ar livre,
caso voc~e não tenha luzes potentes, pode-se usar algo que aja com um
refletor, ou seja, um pedaço grande de tecido branco ou painel de papelão
branco que reflita a luz do sol, suavizando sombras e iluminando uma
cena. Para mais potência, use um espelho ou mais do que um refletor. O
assistente deve cuidar disso.
c. Lembre-se, o personagem mais importante em cada cena deve sempre
receber mais iluminação em cena. Ao filmar ao ar livre, sempre peça ao
personagem principal para ficar de costas para o sol, exceto quando o sol
está a meio pino. Dessa forma, os refletores podem iluminar o rosto e a
parte frontal da pessoa. Apesar de haver várias formas de conseguir uma
iluminação eficiente, vale a pena investir em iluminação para obter um
vídeo de qualidade.
2. Prepare a câmera.
Pode-se usar uma câmera com tripé para cenas estáticas. Câmeras que ficam
balançando podem distrair a audiência do conteúdo do vídeo. Para outras cenas
pode ser necessário usar uma câmera com estabilizador de filmagem (também
conhecido como “steadycam”) para cenas mais dinâmicas. Há também a opção
de filmar com a câmera tremendo mesmo, acompanhando cenas com bastante
energia e ação. Se você tem a equipe e o orçamento neccessários, filmar com
uma combinação de ângulos e estilos vai ser uma vantagem na hora de ter mais
opções para a equipe de edição.
3. Peça aos atores ficarem na posição certa para a filmagem.
Se eles estiverem em cena enquanto a câmera opera, peça que eles estejam nas
suas posições. Se eles já estiverem em ação quando a câmera começar a rodar,
peça que voltem à posição inicial.
4. Deixe a música pronta.
Deixe o pessoal do som achar o ponto certo da música e dê um certo tempo para
que todos entrem em sintonia com ela. Quanto mais tempo de filmagem, melor.
Pelo menos no começo. Se você fizer várias tomadas, depois você poderá editar
e deixar essa parte mais curta. O responsável pelo som pode também inserir os
sons no vídeo e ajudar o editor-geral mais tarde.
Luzes! Deixe todas as luzes na posição certa e acesas.
Câmera! O videógrafo aperta o botão Record para gravar e começa a filmar
a cena.
Ação! Todo mundo conhece o bordão—ao ouvirem "Ação!", os atores vem e
executam a cena.
Repita todas as cenas do seu vídeo. Assim você pode ter como resultado
tomadas múltiplas, ângulos variados, tomadas ótimas e outras, lamentáveis.
Essa é a hora em que o negócio começa a ficar divertido!

6
Fazer um filme é um processo complicado e detalhado que não pode ser
explicado em apenas um artigo. Confira também os artigos
http://pt.wikihow.com/Fazer-um-Filme-Simples,
http://pt.wikihow.com/Produzir-um-Filme.

Parte 4

Pós-produção

1. Transfira o seu vídeo para o computador.


Isso normalmente é feito com um dispositivo USB (o famoso pendrive),
Firewire ou conexões de smartphones com o computador. Seja qual for o
método escolhido, é aconselhável carregar tudo no seu computador e salvar tudo
em um diretório só.
2. Tire o máximo proveito do seu programa de edição.
Ele pode ser o Sony Vegas, iMovie, Adobe Premiere, Final Cut Pro ou o deluxe
Avid.
3. Selecione só o melhor para o resultado final.
Examine o vídeo do começo ao fim, tomada por tomada, e selecione as
melhores.
Use as gravações de som temporárias no vídeo para que sincronizem com os
cortes na música, mas não se preocupe com pequenos ruídos ou barulho ao
fundo. As gravações temporárias não são usadas no vídeo final.
4. Coloque a música para tocar junto com as cenas.
Agora o seu trabalho será sincronizar imagens e música. Faça os ajustes
necessários para que tudo aconteça no tempo certo no vídeo de acordo com a
música — o que ficará ainda mais evidente se você está trabalhando com cenas
da banda tocando.
Caso tenha decidido usar cenas da banda tocando, prepare-se para disfarçar
erros. Por exemplo, se o guitarrista estava cantarolando no vídeo durante um
trecho da música na qual ele está simplesmente tocando uma nota só na
gravação, corte e foque em outro membro da banda ou use outra cena para
aquele momento.
Edite com moderação. Cortes demais podem desorientar o espectador, enquanto
tomadas que são longas demais podem parecer artificiais demais. Normalmente
é óbvio quando uma tomada não está boa - use o seu bom-senso com calma e
tempo para examinar as coisas.
5. Acrescente um título e os créditos se desejar.
Costumava-se sempre colocar o nome da música, do artista, da gravadora e do
diretor do vídeo no começo e no final da maioria dos vídeos. Hoje em dia,
alguns artistas preferem deixar essas informações de lado e imitar o estilo dos
filmes em relação a títulos e créditos. Converse com o elenco, a equipe e a banda
para ver o que eles acham da sua escolha.

Parte 5

7
Aprendendo com os Gigantes

1. Estude os clássicos.
Como qualquer forma de arte, a criação de vídeos musicais tem seus "clássicos."
Esses vídeos influenciaram artistas e diretores de gerações posteriores. Saiba que
muitos dos melhores vídeos de todos os tempos são cultuados pelos mais
diferentes motivos. Alguns são visualmente inovadores, outros trazem uma
mensagem inesquecível e outros ainda conseguem se encaixar perfeitamente à
música. Ao compreender o que tornou certos vídeos um sucesso duradouro e
uma influência para a posteridade, você terá uma perspectiva melhor de como
fazer com seu próprio vídeo seja inesquecível.
2. Conte uma história que valha a pena conhecer.
Muitos dos mais adorados vídeos de todos os tempos contam histórias que são
engraçadas, chocantes, trágicas ou triunfantes. Uma história boa de verdade fica
na memória do espectador por semanas, meses e até mesmo anos.
a. Um dos vídeos mais famosos de todos os tempos é o vídeo de John
Landis para a música "Thriller" de Michael Jackson. Ele conta uma
história clássica, além de ser muito mais comprido do que a música em
si. Funcionou, mas tenha consciência de que a combinação vídeo demais
com música de menos pode ficar chata.
b. O vídeo "Just" do Radiohead dirigido por Jamie Thraves também conta
uma boa história, mas com um tom completamente diferente. Esse vídeo
usa cenas e elenco perfeitos, além de deixar que o espectador interprete o
final para pegar a total falta de sentido da vida dos colarinhos-brancos -
uma combinação perfeita para a letra cheia de sarcasmo e ironia de Thom
Yorke.
3. Crie um estilo visual único.
Os vídeos musicais são uma vitrine e tanto para mostrar inovação e ousadia
visual. Ele pode ser uma oportunidade para empregar efeitos visuais abstratos ou
animação que complemente o áudio do vídeo. A parte visual não precisa nem
mesmo fazer sentido. Contanto que ela seja impactante e acompanhe bem a
música, ela pode deixar uma impressão duradoura no espectador.
a. "Take on Me" é o vídeo de Steve Barron para a banda A-ha que estourou
nos anos 80. Ele mostra uma história romântica em combinação com
cenas de ação e desenho animado. Essa escolha de estilo é perfeita para o
tom de fantasia e paixão da música, criando um estilo visual
inesquecível.
b. O vídeo "Seven Nation Army" do The White Stripes emprega ilusões de
ótica para dar a impressão de que a tomada é a mesma no vídeo todo.
Combinado com o jogo de luzes espetacular, tem-se um clima
deliciosamente sombrio.
c. Vale a pena também conferir os vídeos See also: "Stockholm Syndrome"
da banda Muse [1] e "Money for Nothing" da banda Dire Straits [2]
4. Brinque com paródias.
Referências culturais são bastante usadas em vídeos- às vezes, o vídeo inteiro é
uma homenagem inspirada ou uma sátira escrachada do material que serve de

8
referência para o vídeo. Com um bom senso de humor, os resultados podem ser
clássicos. Se os artistas não ligam em rir de si mesmos, melhor ainda - o público
adora músicos que são humildes o suficiente para não se levarem tão a sério
assim.
a. O vídeo "California Love" é do diretor Hype William para o 2Pac e Dr.
Dre. Ele é uma paródia da série de filmes Mad Max. [3] A paródia serve
para duas coisas - além de ser engraçada, ela insinua que a Califórnia dos
anos 90 é uma terra sem lei, onde só os fortes sobrevivem, num ambiente
parecido com o mundo pós apocalíptico retratado nos filmes do Mad
Max.
b. Uma paródia mais engraçada ainda é o vídeo "Sabotage" dirigido por
Spike Jonze para os Beastie Boys. [4] Ter os Beastie Boys retratando
caricaturas bem exageradas de policiais truculentos dos anos 70 faz com
que o vídeo de Jonze seja inesquecível e hilário, ao mesmo tempo em
que se encaixa perfeitamente com a música.
5. Seja extravagante.
Ás vezes para entreter basta torrar o máximo de dinheiro possível na tela. Filme
em uma locação bem exótica. Planeje sequências coreografadas de grande porte.
Contrate supermodelos. Vídeos musicais podem ser um puro e simples
espetáculo.
a. O vídeo "Big Pimpin'" de Hype William para o Jay Z é um exemplo
clássico de vídeo musical como espetáculo. [5] Há muito pouca narrativa
- o vídeo consiste basicamente em mostrar Jay Z se divertindo com os
amigos em um iate gigantesco, fazendo festas em um paraíso tropical,
jogando dinheiro para as multidões e sempre cercados de lindas
mulheres. Ele é muito eficiente para mostrar riqueza e arrogância.
b. Lady Gaga é outra artista famosa por seus vídeos caprichados. O vídeo
"Alejandro" de Steve Klein retrata uma distopia militar bastante
sexualizada, que chega a ser bizarra. Para completar, cenários e figurinos
muito loucos (mas apropriados para o vídeo). É uma produção
surpreendente e extravagante.
6. Só o básico.
Ao contrário das grandes produções, muitos vídeos ótimos seguem a filosofia do
“menos é mais”. Vídeos minimalistas permitem que o espectador se concentre
na ação e na narrativa (e na sua relação com a música), sem distrações. Para
quem tem um orçamento curto, essa é uma opção perfeita.
a. O vídeo "Islands" de Saam para The XX usa tomadas repetitivas de uma
dança com coreografia muito simples, mas o efeito é surpreendente.[6]
Ao acrescentar pequenas mudanças em cada tomada, podemos ver que
um romance trágico está por vir. O ritmo gradativo das mudanças faz
com que a tomada final seja ainda mais chocante.
b. Os vídeos do começo de carreira da banda OK GO usavam coreografias
que exigiam muita imaginação para criar experiências memoráveis para
os espectadores, tudo com umorçamento minúsculo. O vídeo "Here it
goes again" (dirigido por Trish Sie e a banda) é um ótimo exemplo de
um vídeo bem-feito que gastou quase nada.[7] O vídeo é feito em uma só

9
tomada estática em uma sala sem nenhuma decoração e com apenas oito
esteiras de academia de ginástica. Mas a força da coreografia e o
conceito impactante fizeram com que ovídeo fosse um grande sucesso
quando lançado em 2006.
Dicas

Uma boa estratégia para fazer o vídeo é fazer 3 vídeos completamente diferentes e
misturar clipes de cada um para uma versão mista.

Sempre coloque um aviso de direitos autorais nos créditos para proteger-se de


plágios.

Ao terminar o seu vídeo, compartilhe! Confira os artigos


http://pt.wikihow.com/Enviar-um-V%C3%ADdeo-Para-o-YouTube e
http://pt.wikihow.com/Postar-um-V%C3%ADdeo-do-YouTube-no-Facebook

Se você confia na qualidade final do seu próprio trabalho, compartilhe seu


vídeo com estações de rádio e canais de televisão especializados em vídeos
musicais. Eles podem divulgar o seu vídeo no site deles ou inclui-lo na
programação.

Para usar o You Tube para divulgar o seu vídeo, é preciso colocar os créditos em
“Detalhes Adicionais”, senão sua música será silenciada ou o seu vídeo poderá ser
removido por infringir direitos autorais!

Confira se a câmera não está de frente para o sol ou para outra câmera, pois o sol
pode prejudicar bastante a captura de imagem pelo hardware.

Materiais Necessários

Uma boa música


Atores
Câmera de Vídeo e operador da câmera
Câmera manual (pode ser um celular)
Design de iluminação e um assistente
Playback em estéreo e engenheiro de gravação
Computador
Programa de edição como o Windows Movie Maker (PC), iMovie ou Final Cut
Pro (para Macs), ou Sony Vegas para ambos SO
Dançarinos

10