Você está na página 1de 3

Espere um momento, pois tenho dois assuntos para tratar_______.

(contigo, consigo, com você)

Quem trata, trata de algo com alguém. Logo é OI. O Contigo só se usa quando for ADJ. ADV.

- A combinação da preposição "com" e alguns pronomes originou as formas especiais comigo,


contigo, consigo, conosco e convosco. Tais pronomes oblíquos tônicos frequentemente exercem a
função de adjunto adverbial de companhia.

Por exemplo: Ele carregava o documento consigo.

- As formas "conosco" e "convosco" são substituídas por "com nós" e "com vós" quando os
pronomes pessoais são reforçados por palavras como outros, mesmos, próprios, todos, ambos ou
algum numeral.

Por exemplo:
Você terá de viajar com nós todos.
Estávamos com vós outros quando chegaram as más notícias.
Ele disse que iria com nós três.

Pronome Oblíquo Tônico


Os pronomes oblíquos tônicos são sempre precedidos por preposições, em geral as
preposições a, para, de ecom. Por esse motivo, os pronomes tônicos exercem a função de objeto
indireto da oração. Possuem acentuação tônica forte.

O quadro dos pronomes oblíquos tônicos é assim configurado:

- 1ª pessoa do singular (eu): mim, comigo

- 2ª pessoa do singular (tu): ti, contigo

- 3ª pessoa do singular (ele, ela): ele, ela

- 1ª pessoa do plural (nós): nós, conosco

- 2ª pessoa do plural (vós): vós, convosco

- 3ª pessoa do plural (eles, elas): eles, elas

- Observe que as únicas formas próprias do pronome tônico são a primeira pessoa (mim) e
segunda pessoa (ti). As demais repetem a forma do pronome pessoal do caso reto.

- As preposições essenciais introduzem sempre pronomes pessoais do caso oblíquo e nunca


pronome do caso reto. Nos contextos interlocutivos que exigem o uso da língua formal, os
pronomes costumam ser usados desta forma:

Não há mais nada entre mim e ti.

Não se comprovou qualquer ligação entre ti e ela.

Não há nenhuma acusação contra mim.


Não vá sem mim.

Atenção:

Há construções em que a preposição, apesar de surgir anteposta a um pronome, serve para


introduzir uma oração cujo verbo está no infinitivo. Nesses casos, o verbo pode ter sujeito
expresso; se esse sujeito for um pronome, deverá ser do caso reto.

Por exemplo:
Trouxeram vários vestidos para eu experimentar.
Não vá sem eu mandar.

incipiente
1. adjetivo de dois gêneros
que inicia, que está no começo; inicial, iniciante, principiante.

c) Em ”nos tipos de exigências que o Mercado e o mundo em geral vêm fazendo às pessoas”, a crase
ficaria dispensada se o artigo estivesse no singular. CORRETA, QUANDO O ARTIGO ESTIVER NO
SINGULAR E O TERMO REGIDO ESTIVER NO PLURAL NÃO SE USA CRASE

Mão de obra: Palavras separaras por preposição (a, ante, perante, após, até, com...) perderam o
hífen.

hipersensível: Regra "os opostos se atraem" HipeR Sensível ---> fica hipersensível, pois são duas
consoantes diferentes que se unem. A mesma regra acontece para palavras com vogais diferentes e
palavras terminadas em vogais e iniciadas por consoantes.
coordenação: Palavras iniciadas por CO não apresentam hífen.
micro-organismo: Lembra da regra "os opostos se atraem"? Aqui não apresenta essa regra, pois são
duas palavras unidas por duas vogais iguais micrO-Organismo

a) A pessoa a quem me refiro é a mesma para a qual você pediu a caneta para preencher
os formulários obrigatórios.

Crase Facultativa, pois "me refiro" pede a preposição A, porém "pessoa" NÃO obriga o uso do artigo
"A", portanto crase FACULTATIVA
b) Fez todo o percurso a pé e dizia a quem lhe perguntasse que a fadiga não a
perturbava.
Crase REJEITADA! Dizer é VTDI, então obriga o uso da preposição "A" antes de "quem", porém "quem"
REJEITA o uso do artigo "A".
c) Fez questão de dizer a sua amiga que a joia foi paga a prazo.
Dizer pede a preposição A, porque é VTDI: Quem diz, "diz" algo A alguém, porém "Sua amiga" não
obriga o Artigo A, ele apenas a FACULTA - Crase Facultativa.

um mnemonico para gravar as palavras atrativasque uso é : CONSUL PIMPA OIE ?

CONSUL - Conjunções subordinativas


P: Pronomes (DRI) demonstrativos, relativos, indefinidos
IM: interjeições
P: preposição 'em' seguida de gerundio
A: Advérbios (em especial os de negação)
OIE: frases optativas, interrogativas, exclamativas

a) Chamamos de sujeito “coletivo partitivo” o termo no plural (pessoas, indivíduos, crianças,


condôminos, empresários, funcionários, etc.) em associação com o núcleo do sujeito no singular que
expressa quantidade (parte, maioria). Quando isso ocorre, a concordância pode ser feita tanto
com o núcleo do sujeito e, então, ficará no singular quanto com o substantivo após o
núcleo e, portanto, ficará no plural.

Assim: A MAIORIA das pessoas FALTOU à reunião ou A maioria das PESSOAS FALTARAM à
reunião.

b) Quando o sujeito for representado por uma das expressões “um ou outro”; “nem um nem
outro”, o verbo fica no singular.

Exemplo: Nem um nem outro fez o trabalho manuscrito.

c) Quando o sujeito for representado pela expressão “um e outro”, o verbo concorda ou no singular,
ou no plural.

Exemplo: Um e outro aluno fez (fizeram) o trabalho manuscrito.

Uma dica que ajuda em uns 90% dos casos, lógico que requer um conhecimento prévio da língua.

terminações verbais TER TIR, DER, DIR, MER, MIR formam substantivos com SSÃO ou SÃO.

Suspender: Suspensão,
Remeter: Remissão.

Remição também existe nos dicionários, porém este deriva-se do verbo "Remir".

a) A roupa que comprou a prazo é igual a que era vendida a menor preço no comércio local.

a prazo = não tem, pois não se usa crase antes de masculino


a que = exige crase, pois o sentido é de " que a roupa é igual a aquela que era vendida..." a+ aquela
= àquela