Você está na página 1de 10
RA O MODELO HISTORICO-CULTURAL INSPIRADO POR VYGOTSKY, A ESCOLA TEM UM PAPEL SINGULAR E INSUBSTITUIVEL NA. APROPRIACAO DA EXPERIENCIA CULTURALMENTE ACUMULADA or TeREsa CaistiNa REGO mais evidente a importancia da educagio na_ { do ensino oferecido. construgao da democracia e da modernidade Isso se agrava na medida em que boa parte das andlises Em virias partes do mundo, 0 tema tem ocupado papel de da escolarizagdo ainda sio supericiais ¢ incompletas ~ es grande destaque, mobilizando a atengio nao somente de _pecialmente aquelas que dizem respeito &s caractersticas « N as tiltimas décadas, tem se tornado cada vez_ | fatoresde ordem social, politica e econémica, daqualidade pesquisadores, especialistas e responsdveis pela definigdo _impactos wolvimento individual, Este ainda de politcas piblicas, como também dos cidadios de um ~Eum tema pouco estudado ¢ muitas pergunta relacionadas modo geral. ao assunto nfo tém sido suicientementerespondidas. final, { Tal interesse pode ser entendido como resultante das qual éefeito de uma passagem longa e sistemtica pela es-. press6cs impostas pelas novas ¢ complexas demandas do__cola no psiquismo dos sujeitos7 Que tipo de desenvolvimento indo contemporaneo, Neste novo cenaii0,a educagio, _(Cognitivo, social, emocional etc.) a escolarizagio promove particularmente aquela desenvolvida no ambito escolar, no individuo? Basta estar na escola para que os efeitos dese passa a ser compreendida como um instrumento crucial _jados ocorram? Qualquer escola promove o mesmo tipo de para o enfrentamento dos impasses ¢ incertezas do nosso desenvolvimento? De que forma 0 maior ou menor impacto tempo. smo tendo uma fungio social da escolarizagio se relaciona com as caracteristcas do con- | texto social em que o individuo se insere (condigbes socioe | (porque compartilha com as familias a educagio das sp eriangas e je conémicas tipo de educago familiar, ambiente cultural, nivel | de acesso & cultura letrada etc.) € a0 tipo de escolarizacio vivenciada (qualidade da proposta pedagéaica,possibilidade | de interagesricase vaiadas et)? O esforco em examinar essas questées pode signficar uma importante contribuiglo para o estudo das complexas jo desempenha, portanto, um papel _relagiesexistentes entre o individuo, aeducacio ea cultura i fundamental na consttuigio do individuo que vive numa OE justamente essa tarefa que se objetiva levar a cabo aqui 5 |sociedade letrada e complexa como a nossa, Sendo assim, ,& discutir qual & 0 papel (natureza, abrangéncia, dimensdes) J-|a exclusio, 0 fracasso ¢ o abandono da escola por parte /Y da escolarizacio na formacio psicolégica do sujeito, _ gy 'dos alunos sao fatores de extrema gravidade. O fato de 0 9 pecialmente, a (im)pertinéncia de alguns mitos € vis6 fm) 3 individuo nao ter acesso 3 escola significa um impedimento _recorrentes sobre a escola e de seus efeitos sobre o sujeito, YF 2 ;| da apropriagao do saber sistematizado, de instrumentos de _ partir da literatura especializada e dos resultados de uma of 27" | atuacio no meio social e de condigées para a construgio pesquisa empiric recentemente realizada sobre o papel da e [de novos conhecimentos. «scolarizacio na constituicSo de singularidades. Tal pesqui Mas muitos parecem supor, de modo ingénuo, que a 5 inspirada nas premissas da abordagem histérico-cultural, SF | freqiiéncia da crianca 3 escola sejasuficiente para que os procurou compreender o impacto da escola na formacso processos mencionadosacima ocorram. Nos debates atuais _psicolgica de sueitose resulteu na tese de doutoramento nao parece haver a clareza necesséria de que a apropria- _Lembrangas da escola: 0 papel da escolarizagio na constituigao de Gio, pelo individuo, do acervo de conhecimentos que foi __sinularidaies (defendida pela autora do presente ensaio em claborado porseu grupo cultural dependeré, dentre outros 2000, na Faculdade de Educagao da USP). 58 —_VIVER MENTE&CEREBRO ESPECIAL VYGOTSKY Ensino e constituicao DO SUJEITO © MODELO HISTORICO-CULTURAL Os estudos sobre o significado, 0 papel € 0 impacto da escolarizagio sio ainda, além de parciais relativamente cescassos. Apesar de ser uma érea ainda pouco pesquisada e no se constituir campo com identidade prépria, € possivel ‘encontrar em alguns trabalhos de autores contemporancos, particularmente os que tratam das complexas relagbes entre cultura, letramento € cognicao, valiosas contri buigGes para a anélise do tema. Essas investigagées vem WWW.VIVERMENTECEREBRO.COM.BR permitindo novas fecundas descobertas sobre as relagoes entre desenvolvimento psfquico e as marcas culturais que © constituem Os estudos seguem linhas diferentes, mas a maioria se inspira na matriz teérica elaborada por Vygotsky entre os anos 20 ¢ 30 do século XX. De um modo geral, 0s novos [AESCOLARIZAGAO desempenta papel fundamental na constituigdo do indviduo em sociedades letradas e complexas VIVER MENTE&CEREBRO 59 dados nao refutam as premissas bisicas da abordagem histérico-cultural, mas tém permitido revisar, ajustar € ampliar esses postulados ~ De acordo.com 0 modelo histérico-cultural, os tragos ‘de cada ser humano estdo intimamente relacionados 20 aprendizado, 3 apropriagao (por interm: Jy] tals experientes; da Tinguiagem ¢ outros mediadores) do_ Tegaido de seu grupo cultural (si itagio, Tomas de pensar e agiv et] O.comportamenta.e a capa: Gidade Cognitiva de um determinado individuo dependeri “de suas Expeniéncias_ de sua hist6ria educativa, que, por. sua vez, sempre terdo relacGes com as caractersticas do supe sociale da época em que ele s insere. Assim, a singularidade de cada individuo nio resulta de Tatores sola ci jveu, da classe social a que pertence e mas da multiplicidade “enldnise mocks ‘JRIEO id GuTsG-de seu desenvolvimento. As influéncias | ndo 580 nidiréCionais, nao agem de forma isolada ou independente, tampouco sio recebidas de modo passivo, ‘na medida em que o individuo internaliza de modo ativo ‘singular o repertério de seu grupo cultural. yp Nessaperspectiva,é0 aprendizado que possbilita, mo- vimenta eimpulsionao desenvolvimento, O aprendizado € yp Bortanto,o aspecto necessirio universal, uma espécie de {& sarantia do desenvolvimento das caracteristicaspsicol6gicas SD especificamente hi Embora Vygotsky refir-se 8 educagao e a0 aprendiza- do num sentido amplo, é possivel identificar, em sua obra, virias passagens em que drige a sua atengio especialmente & educagio e a0 aprendizado escolar. Ele postula que a escola, por oferecer contetidos ¢ deseavoiver modalida- ddes de pensamento bastante especificas, tem um papel diferente ¢ jnsubsttuivel na apropriacio, pelo sujeito, da ‘culturalmente acumulada, Justamente porisso, cla representa o elemento imprescindivel paraarealizagao qu plena do desenvolvimento dos individuos (que vivem . em sociedades escolarizadas), jé que promove um modo mais sofsticado d re-generalizar-os-elementos da. Tealidade- 0 pensamento.conceitual Por essa razio, estuddo dos processos de formacéo de conceitos e a diferenciagdo entre conceitos cotidianos € ‘Sp cientficos ocupam lugar de destaque em seus trabalhos. Ele chama de conceitos cotidianos (ou esponténeos) aqueles que sio adquiridos pela crianca fora do contexto escolar ou de qualquer instrugio formal e deliberada, sio \VYGOTSKY DISTINGUE 0S CONCEITOS COTIDIANOS, ‘0u espontineos, dos concetos cientficos comunicados sistematicamente a crianga durante o ensino ‘escolar. Ao lado, Aula de geografia (1874), de Car Hertel 60 ‘VIVER MENTE& CEREBRO y 15 conceitos formados no curso da atividade pritica e nas relagoes comunicativas travadas em seu dia-a-dia. Js 0s conceitos cientficos seriam aqueles desenvalvidos no processo de assimilagao de conhecimentos comunicados sistematicamente & crianga durante o ensino escolar As atividades educativas na insttuicSo escolar, diver. samente do que ocorre no cotidiano extra-escolar, sio sistematicas, tém uma intencionalidade deliberada ¢ um compromisso explicito (legitimado historicamente) em tomar acessfvelo conhecimento formalmente organizado. Em tal contexto, os estudantes sio desafiados a entender as bases dos sistemas de concepgdes cientfias, a realizar abstragBes e generalizagGes mais amplas acerca da realida- de (que, por sua vez, transformam os modos de utilizagao da linguagem) ¢ a tomar consciéncia de seus préprios processos mentas(metacognicio), A interagio com estes, conhecimentos possibilita ao sujeito novas formas de pen: em seul meio: na medida em individuo modifica sia ite sobre oe fungdes psicolégicas mais sot De acordo conta abordagem histérico-cultural, no € possivel pressupor efeitos universais ¢ homogéneos da ‘escolarizagio. Nao é qualquer escola nem qualquer pratica pedagégica que proporcionarao ao individuo a possibili- dade de desenvolver fungdes psiquicas mais elaboradas. Essa perspectiva tedricaaponta claramente que 0 impacto ESPECIAL VYGOTSKY 7 ZONA DE © da escolarizagio dependeré da qualidade do trabalho. realizado. y evidencia que o ensino 56 € efetivo e undo sadianta a desenvolvimento. a qualidade std, portanto, necesariamente associada & capacidade de promogio de avancos no desen: senvolvimento proximal, que postula a importancia da atuacdo de elementos mais experientes para que determinadas competéncias dos estudantes possam se iransformar em conquistas. ~ O propésito de buscar comprovagio ¢ sustentagdo empirica para a postulagao da natureza essencialmente sécio-histérica dos processos psicolégicos deu origem aos experimentos interculturais realizados por Luria, importante colaborador de Vygotsky, junto a camponeses de aldeias remotas € pouco desenvolvidas do Uzbe- aquistdo, na Asia Central, Seu interesse era 0 de estudar os modos de funcionamento psicolégico da populacio nativa que passava, naquele momento histérico, por profundas e répidas transformacoes sociais € culturais, decorrentes da revolucio socialista que se processava na entao Unido Sovietica. Essa era uma oportunidade tinica, pois permitiria verificar se 0 funcionamento cognitivo rmudaria sob a influéncia das reformas sociais realizadas, sobretudo sob a influéncia da escolarizagao Segundo Luria, os dados obtidos nas expedicées perm tiram confirmar que aalfabetizacio ea escolarizagao, ainda ue em niveis rudimentares, bem como as inovacdes nas préticas sociais, so fatores determinantes das diferencas nos modos de funcionamento psicolégico e que, portan- to, a estrutura dos processos cognitivos humanos guarda {Intima relagdo com as condigoes da vida social. WWW.VIVERMENTECEREBRO.COM.BR Estes resultados foram passiveis de diferentes interpre- tages por pesquisadores modernos e geraram um campo de investigagao bastante proficuo, capaz de aperfeigoar a andlise destas conclusdes. Alguns autores (como Cole) uestionam a pertinéncia da utilizacko de pesquisas in- terculturais para o estudo do desenvolvimento psiquico € interpretam de maneira mais cética os resultados das expedigées. Outros (como Wertsch), embora admitam a dificuldade para separar elementos quase sempre interli- zgzados, airmam que Luria ndo esclarece o que considerava como fator preponderante no surgimento das novas mo- dalidades de pensamento: a infuéncia da alfabetizacao, da escolarizagao formal ou as mudangas no contexto socal. Essa questio motivou as pesquisa empiicasealizadas por ‘Michael Cole e Sylvia Scribner com o grupo étnico Vai, na Libétia, Esse trabalho ¢ considerado um marco jé que, quase cinco décadas depois das primeiras expediges de Luria, foi ppossivel por prova a hipétese sobre os efeitos psicolégicos da escolarizagio e do aprendizado da linguagem escita 'Naquela populacio foi possivel, em uma rara oportunidade, isolar alfabetizacio e escolarizacSo, pois entre os grupos Vai a alfabetizagao nao ocorre somente no contexto escolar. ‘Osresultados da investigagao sugerem que os efeitos psi- colégicos tradicionalmente atribuidos 8 alfabetizacdo eram, na verdade, conseqiléncia da escolarizagao do tipo ocidenta Entre as evidénciasestava a de que apenas os sueitos mais «scolarizados demonstraram diferencassignifcativas quanto’ realizacio das tarefas que exigiam raciocinio ligico-dedutivo, ‘memorizagio, algum tipo de categorizacio ou explicagdes vverbais sobre o prdprio proceso de raciocinio. A investigagao ‘mostrou também que os propalados impactos da escolari- 2a@20 no desenvolvimento mental no eram extensivos aos individuos com pouca escolaridade, que estavam afastados da escola havia algum tempo e cuja ocupagio nio exigia habilidades relacionadas aquilo que havia sido aprendido na escola, Esse é um dado importante, pois indica que os efeitos da escolarizagio nio sio estéticos, mas estio intimamente relacionadosao tipo de atividade es demandas sociais aque «essas pessoas esto submetidas em seu contexto cultural ‘Tulviste,trthando o caminho de pesquisa inaugurado por Luria, chegoua resultados semelhantes aos de Scribner € Cole. Nos anos 70, 0 autor desenvolveu estudos com dois grupos tradicionais—um composto por camponeses da Asia e outro por criancas africanas. Seu objetivo era ‘compreenderas mudangas que ocorrem no pensamento de ‘TERESA CRISTINA REGO é professora de pscologia da educagio da Faculdade de Educagao da USP, autora de Vygotsky: uma perspectva histérco-cutural da educagdo (Vozes) € co-autora Ge nding na est Games) «Drea «recat a ‘VIVER MENTE& CEREBRO 6 sujeitos de uma cultura tradicional quando esténa escola Tulviste péde comprovar também que hi uma grande correlacdo entre os aprendizados escolares e a emergéncia de novas habilidades cognitivas. © autor confirmou, ainda, que essas habilidades po- dem se perder caso nio sejam usadas a0 longo da vida do sujeito, quando este ja estiverafastado da escola, Isso significa que @ permanéncia de determinados modos de funcionamento cognitivo no individuo, fruto do apren- dizado escolar, dependers do uso dessas habilidades no cotidiano, das atividades por ele desempenhadas, das interagGes sociais, enfim, das exigéncias impostas pelo universo sociocultural ‘Tomando estes estudos como pressuposto, os trabalhos com adultos analfabetos ou pouco escolarizados inseridos ‘em sociedades letradas, que vém sendo realizados no Brasil por Marta Kohl de Oliveira, Angela Kleiman, Vera Maria Masagao Ribeiro e Claudia Lemos Vévio, tém trazido contribuigdes fundamentais para o avanco da discussao das influéncias culturais nos modos de funcionamento cognitivo dos individuos fEssas investigagées ajudam a identificar tragos caracteristcos das modalidades de pen podem ser chamadas de"letrado" e dos diferentes modos deinsergdo dos sujeitos nas sociedades contemporaneas. Embora esses autores reconhecam que a instituigdo escolar €, nas sociedades urbanas, industraliza- das ¢ tecnolégicas, o espaco socialmente designado para a formagao intelectual das novas geracBes em outras palavras, compromissada em tornar“ltrados’ os integrantes do grupo