Você está na página 1de 30

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

Mecânica dos Sólidos I

Carlos M. Sacchelli,
carlos.sacchelli@gmail.com
OBJETIVOS

• Relembrar diagramas de força cortante e momento fletor;

• Determinação de esforços em elementos submetidos a flexão com seção


transversal simétrica e assimétrica;
Diagramas de força cortante e momento fletor

• Elementos longos e retos que suportam cargas perpendiculares a seu eixo


longitudinal são denominados vigas.
• Vigas são classificadas de acordo com o modo como são apoiadas.
• As funções de cisalhamento e momento podem ser representadas em
gráficos denominados diagramas de força cortante e momento fletor.
• Direções positivas indicam que a carga distribuída age para baixo na viga e
a força cortante interna provoca uma rotação em sentido horário.
Exemplo:

Um diagrama de corpo livre do segmento esquerdo é mostrado abaixo. A aplicação


das equações de equilíbrio produz
P
   Fy  0; V (1)
2
P
   M  0; M x (2)
2

Segmento esquerdo da viga se estende até a distância


x na região BC.

P P
  Fy  0;  P V  0  V   (3)
2 2
 L P
M  P x    x  M   L  x 
P
 M  0; (4)
 2 2 2
O diagrama tensão representa as equações 1 e 3 

O diagrama de momento representa as equações 2 e 4 


Método gráfico para construir diagramas de força
cortante e momento fletor
Regiões de carga distribuida
• Essas duas equações proporcionam um meio
conveniente para se obter rapidamente os
diagramas de força cortante e momento fletor
para uma viga:

inclinação do –intensidade da
  wx 
diagrama de dV carga distríbuida
força cortante em dx em cada ponto
cada ponto

inclinação do
cisalhamento(forç
diagrama de dM
momento em V a cortante) em
dx cada ponto
cada ponto
• Podemos integrar essas áreas entre quaisquer dois pontos para mudar a
carga distribuída e a força cortante.

mudança na
força cortante
V   wx dx –área sob a
carga distribuída

área sob o
mudança no
momento
M   V x dx diagrama de força
cortante
4-9
4 - 10
4 - 11
4 - 12
• Forças internas em qualquer seção
transversal são equivalentes em pares.

• O Momento M consiste de 2 Momentos


iguais de forças opostas.
• A soma dos componentes é Zero.

Fx    x dA  0
M y   z x dA  0
M z    y x dA  M

4 - 13
Deformação por flexão de um elemento reto
• A seção transversal de uma viga reta permanece plana quando a viga se
deforma por flexão.
• Isso provoca uma tensão de tração de um lado da viga e uma tensão de
compressão do outro lado.
• A deformação longitudinal varia linearmente de zero no eixo neutro.
• A lei de Hooke se aplica quando o material é homogêneo.
• O eixo natural passa pelo centroide da área da seção transversal.
A fórmula da flexão
• O momento resultante na seção transversal é igual ao momento produzido
pela distribuição linear da tensão normal em torno do eixo neutro.

My
 
I
σ = tensão normal no membro
M = momento interno
I = momento de inércia
y = distância perpendicular do eixo neutro

• Pela regra da mão direita, o sinal negativo é compressivo já que age na


direção negativa de x.
Exemplo
A viga simplesmente apoiada tem a área de seção transversal mostrada na figura
abaixo. Determine a tensão de flexão máxima absoluta na viga e represente a
distribuição de tensão na seção transversal nessa localização.
Solução:

O momento máximo interno na viga é M  22,5 kNm.


Por razões de simetria, o centroide C e, portanto, o eixo neutro, passa a meia
altura da viga, e o momento de inercia é


I   I  Ad 2 
1 2 1 3
 2 0,250,02  0,250,0020,16    0,020,3 
3

12  12 
 
 301,3 10 6 m 4

Aplicando a fórmula da flexão, para c = 170 mm,

Mc 22,50,17 
 máx   máx   12,7 MPa (Resposta)
I
;

301,3 10 
6
Flexão assimétrica
Momento aplicado ao longo do eixo principal
• Podemos expressar a tensão normal resultante em qualquer ponto na seção
transversal, em termos gerais, como

Mz y M yz σ = tensão normal no ponto


   y, z = coordenadas do ponto medidas em relação a x, y, z
Iz Iy My, Mz = componentes do momento interno resultante
direcionados ao longo dos eixos y e z
Iy, Iz = momentos principais de inércia calculados
em torno dos eixos y e z
Orientação do eixo neutro
• O ângulo α do eixo neutro pode ser determinado aplicando σ = 0. Temos

Iz
tg  tg
Iy
Exemplo 6.10
Uma viga em T está sujeita a um momento fletor de 15 kNm. Determine a tensão
normal máxima na viga e a orientação do eixo neutro.
Solução:

Ambas as componentes do momento são positivas. Temos


M y  15 cos 30  12,99 kNm
M z  15sen30  7,50 kNm

Para propriedades da seção, temos

z A 0,050,10,04  0,1150,030,2
z   0,0890 m
A 0,10,04  0,030,2
Pelo teorema dos eixos paralelos, I  I  Ad , os principais momentos da inércia
2

são:
Iz 
1
12 12
 
0,10,043  1 0,030,23  20,53 106 m 4
1 2
I y   0,040,1  0,10,040,089  0,05 
3

12 
1 2
 
  0,20,03  0,20,030,115  0,089   13,92 10 6 m 4
3

12 
A maior tensão de tração ocorre em B e a maior tensão de compressão ocorre em C.
Mz y M yz
  
Iz Iy
7,5 0,1 12,990,041
B     74,8 M Pa
20,53 106
13,92 106

7,50,02 12,99 0,089
C     90,3 M Pa (Resposta)
20,53 106
 13,92 10 6
 
y deve representar o eixo para o momento principal de inércia mínimo, e z deve
representar o eixo para o momento principal de inércia máximo.

  tg60
 20,53 10 6
tg  
  
 13,92 10
6

  68,6
Lista de exercícios propostos

6.1, 6.3, 6.6, 6.10, 6.12, 6.16, 6.17, 6.20, 6.25, 6.28, 6.32,
6.39, 6,42, 6.43, 6.46, 6,49, 6.51, 6.55, 6.59, 6.72, 6.75,
6.77, 6.79, 6.81, 6.88, 6.94, 6.95, 6.105, 6.108, 6.110,
6.113.
Exercícios livro do Beer e Johnston: 4.109, 4.112, 4.116,
4.117, 4.120, 4.123, 4.128, 4.154, 4.156, 4.160.

Cap.8
8.20,8.24, 8.27, 8.34, 8.42, 8.43, 8.50, 8.57, 8.61, 8.63