Você está na página 1de 1

Análise na Reta - Verão UFPA - 1a prova (modelo de solução)

1. (a) [4,0 pontos] Suponha, por contradição, que a + b ∈ Q. Então


b = 0 + b = (−a + a) + b = −a + (a + b) ∈ Q,
o que é absurdo. Usamos na última expressão que a soma de racionais é um número
racional, visto que Q é um corpo.
(b) Se denotarmos por x o comprimento de AC, podemos usar os dados do enun-
[4,0 pontos]
1 x
ciado para concluir que = . Resolvendo a equação e lembrando que x > 0,
x 1−x
concluı́mos que √
1 5
x=− + .
√ 2 2
Como 5/2 é irracional o resultado segue do item (a).

2. (a) [2,0 pontos] As propriedades que devem ser satisfeitas por P ⊂ F são:
(P1 ) se x, y ∈ P então x + y ∈ P e x · y ∈ P ;
(P2 ) se x ∈ F ocorre exatamente uma das opções seguintes: x = 0 ou x ∈ P ou −x ∈ P .
p p0
(b1) [2,0 pontos] Dadas frações positivas r = e r0 = 0 , temos que o produto dos termos
q q
de grau mais elevado em pq e p0 q 0 são positivos. Em r + r0 , o produto do numerador
pelo denominador é o polinômio pq(q 0 )2 + p0 q 0 (q)2 , cujo termo de mais alto grau tem
pp0
coeficiente positivo, e portanto r + r0 ∈ P . Também, como rr0 = 0 e o termo de grau
qq
mais elevado de pp0 qq 0 é positivo, temos que rr0 ∈ P . Desse modo, a propriedade (P1 ) é
satisfeita.
Dado r(t) 6= 0 como no enunciado temos que pn qm > 0 ou pn qm < 0, e portanto a
propriedade (P2 ) é satisfeita.
(b2) Vamos denotar por ≤ a ordem induzida pelo conjunto P definido no enunciado.
[4,0 pontos]
t−n
Dado n ∈ N, considere o elemento r(t) = t − n = . Como o coeficiente do termo de
1
maior grau do numerador é 1, e o mesmo ocorre para o denominador, concluı́mos que
r(t) ∈ P , de modo que r(t) ≥ n. Isso mostra que a função t é uma cota superior de N.

3. (a) Uma vez que an → a, temos que (an −a) → 0. Como toda sequência convergente
[1,0 ponto]
é limitada, obtemos K > 0 tal que |an − a| ≤ K, para todo n ∈ N.
(b) [1,0 ponto] Reduzindo a expressão de Mn − a ao mesmo denominador concluı́mos que
(a1 + · · · + an ) − na 1
Mn − a = = ((a1 − a) + (a2 − a) + · · · + (an − a)) .
n n
(c) [1,0 ponto] Para todo n > n0 ,
1 1
|Mn − a| ≤ (|a1 − a| + · · · + |an0 − a|) + (|an0 +1 − a| + · · · + |an − a|) .
n n
Para esses valores de n temos
n0 K (n − n0 )ε
|Mn − a| ≤ + .
n n
(d) [1,0 ponto] Como o lado direito da expressão acima tende para ε quando n → ∞, obtemos
n1 ∈ N tal que |Mn − a| < 2ε, se n ≥ n1 , e portanto Mn → a.