Você está na página 1de 25

TRIBUNAIS DE CONTAS

Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

AUDITORIA GOVERNAMENTAL III - exercer o controle das operações de


TCU – 2015 crédito, avais e garantias, bem como dos
direitos e haveres da União;
Prof. Rodrigo Fontenelle, CGAP
IV - apoiar o controle externo no exercício
de sua missão institucional.
AULA 02

IN SFC/MF Nº 01/2001 – SISTEMA DE


CONTROLE INTERNO DO PODER
EXECUTIVO FEDERAL

Atividades Precípuas

a) a avaliação do cumprimento das metas do


Plano Plurianual que visa a comprovar a
conformidade da sua execução;

b) a avaliação da execução dos programas de


Finalidades governo que visa a comprovar o nível de
execução das metas, o alcance dos
O Sistema de Controle Interno do Poder objetivos e a adequação do
Executivo Federal visa à avaliação da ação gerenciamento;
governamental e da gestão dos
administradores públicos federais, por c) a avaliação da execução dos orçamentos
intermédio da fiscalização contábil, financeira, da União que visa a comprovar a
orçamentária, operacional e patrimonial, e a conformidade da execução com os limites
apoiar o controle externo no exercício de sua e as destinações estabelecidas na
missão institucional. legislação pertinente;
O SCI-PEF tem as seguintes finalidades: d) a avaliação da gestão dos administradores
públicos federais que visa a comprovar a
I - avaliar o cumprimento das metas previstas legalidade e a legitimidade dos atos e
no plano plurianual, a execução dos examinar os resultados quanto à
programas de governo e dos orçamentos da economicidade, eficiência e eficácia da
União; gestão orçamentária, financeira, patrimonial,
de pessoal e demais sistemas administrativos
II - comprovar a legalidade e avaliar os e operacionais;
resultados, quanto à eficácia e eficiência, da
gestão orçamentária, financeira e e) o controle das operações de crédito, avais,
patrimonial nos órgãos e nas entidades da garantias, direitos e haveres da União que
Administração Pública Federal, bem como da visa a aferir a sua consistência e a
aplicação de recursos públicos por entidades adequação;
de direito privado;

1
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

f) a avaliação da aplicação de recursos


públicos por entidades de Direito Privado que
visa a verificação do cumprimento do
objeto avençado;

g) a avaliação das aplicações das


subvenções que visa avaliar o resultado da
aplicação das transferências de recursos
concedidas pela União às entidades,
públicas e privadas, destinadas a cobrir
despesas com a manutenção dessas
entidades, de natureza autárquica ou não, e
das entidades sem fins lucrativos;

h) a avaliação das renúncias de receitas que


visa avaliar o resultado da efetiva política
de anistia, remissão, subsídio, crédito
presumido, concessão de isenção em
caráter não geral, alteração de alíquota ou
modificação de base de cálculo que implique
redução discriminada de tributos ou
contribuições, e outros benefícios que
correspondam a tratamento diferenciado.

Atividades Complementares

 Elaboração da PCPR
 Controle Social
 Auditoria de Tomada de Contas Especial
 Análise de Processos de Pessoal
 Avaliação das Unidades de Auditoria Interna
 Diligências

Organização e Estrutura

Integram o Sistema de Controle Interno do


Poder Executivo Federal:

Áreas de Atuação

A área de atuação da CGU, além das funções


de órgão central, abrange todos os órgãos e
unidades do Poder Executivo Federal,
excetuados aqueles jurisdicionados pelos
órgãos setoriais.

A Secretaria de Controle Interno da Casa


Civil tem como área de atuação todos os
órgãos integrantes da Presidência da
República, além de outros determinados em

2
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

legislação específica, sendo, ainda, XI. planejar, coordenar, controlar e avaliar as


responsável pelas atividades de Controle atividades de controle interno de suas
Interno da Advocacia-Geral da União até a unidades administrativas;
criação do seu órgão próprio.
XII. verificar a observância dos limites e das
Principais Competências – Órgão Central condições para realização de operações de
crédito e inscrição em Restos a Pagar;
I. normatizar, sistematizar e padronizar os
procedimentos operacionais dos órgãos e das XIII. verificar e avaliar a adoção de medidas
unidades do SCI-PEF; para o retorno da despesa total com
pessoal ao limite de que tratam os arts. 22 e
II. coordenar as atividades que exijam ações 23 da Lei Complementar n.º 101/2000;
integradas dos órgãos e das unidades do
SCI-PEF, com vistas à efetividade das XIV. verificar a adoção de providências para
competências que lhe são comuns; recondução dos montantes das dívidas
consolidada e mobiliária aos limites de que
III. exercer a supervisão técnica das trata o art. 31 da LRF;
atividades desempenhadas pelos órgãos e
pelas unidades integrantes do SCI-PEF; XV. verificar a destinação de recursos
obtidos com a alienação de ativos, tendo em
IV. consolidar os planos de trabalho das vista as restrições constitucionais e as da
unidades de auditoria interna das entidades LRF;
da Administração Pública Federal Indireta;
XVI. avaliar o cumprimento das metas
V. instituir e manter sistema de informações estabelecidas no PPA e LDO;
para o exercício das atividades finalísticas do
SCI-PEF; XVII. avaliar a execução dos Orçamentos da
União;
VI. avaliar, no seu âmbito, o desempenho dos
dirigentes e acompanhar a conduta funcional XVIII. fiscalizar e avaliar a execução dos
dos servidores da carreira Finanças e programas de governo, inclusive ações
Controle; descentralizadas realizadas à conta de
recursos oriundos dos orçamentos da União,
VII. verificar a consistência dos dados quanto ao nível de execução das metas e dos
contidos no Relatório de Gestão Fiscal, objetivos estabelecidos e à qualidade do
conforme estabelecido no art. 54 da Lei gerenciamento;
Complementar n.º 101, de 04 de maio de
2000; XIX. fornecer informações sobre a situação
físico-financeira dos projetos e das atividades
VIII. elaborar a prestação de contas anual constantes dos orçamentos da União;
do Presidente da República a ser
encaminhada ao Congresso Nacional, nos XX. criar condições para o exercício do
termos do art. 84, inciso XXIV, da controle social sobre os programas
Constituição Federal; contemplados com recursos oriundos dos
orçamentos da União;
IX. exercer o controle das operações de
crédito, avais, garantias, direitos e haveres XXI. aferir a adequação dos mecanismos de
da União; controle social sobre os programas
contemplados com recursos oriundos dos
X. avaliar o desempenho das auditorias orçamentos da União;
internas das entidades da Administração
Pública Federal Indireta; XXII. realizar auditorias sobre a gestão dos
recursos públicos federais sob a

3
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

responsabilidade de órgãos e entidades III. encaminhar ao órgão central os planos de


públicos e privados, bem como sobre a trabalho das unidades de auditoria interna das
aplicação de subvenções e renúncia de entidades vinculadas;
receitas;
IV. apoiar a supervisão ministerial e o
XXIII. realizar auditorias e fiscalizações nos Controle Externo nos assuntos de sua missão
sistemas contábil, financeiro, orçamentário, institucional;
de pessoal e demais sistemas administrativos
e operacionais; V. subsidiar a verificação da consistência do
Relatório de Gestão Fiscal, conforme
XXIV. manter atualizado o cadastro com a estabelecido no art. 54 da LRF.
tipificação dos gestores públicos federais, a
fim de subsidiar a composição do rol de As auditorias e as fiscalizações a cargo dos
responsáveis; órgãos setoriais que necessitem ser
executadas de forma descentralizada nos
XXV. apurar os atos ou fatos inquinados de Estados, inclusive na fiscalização da
ilegais ou irregulares, praticados por agentes execução de convênios, acordos, contratos e
públicos ou privados, na utilização de outros instrumentos similares, poderão ser
recursos públicos federais, dando ciência ao realizadas pela Secretaria Federal de
controle externo e ao Ministério Público Controle Interno da CGU, observada a
Federal e, quando for o caso, comunicar à solicitação da correspondente Secretaria de
unidade responsável pela contabilidade, para Controle Interno.
as providências cabíveis;
Principais Competências – AECI
XXVI. orientar os administradores de bens e
recursos públicos nos assuntos pertinentes à A Secretaria Federal de Controle Interno da
área de competência do SCI-PEF, inclusive CGU contará com o apoio dos Assessores
sobre a forma de prestar contas, conforme Especiais de Controle Interno, incumbidos de:
disposto no parágrafo único do art. 70 da
Constituição. I. assessorar o Ministro de Estado nos
assuntos de competência do Sistema de
Principais Competências – Órgãos Controle Interno;
Setoriais
II. orientar os administradores de bens e
Compete às Secretarias de Controle Interno - recursos públicos nos assuntos pertinentes à
CISET, no âmbito de sua jurisdição, além do área de competência do Sistema de Controle
estabelecido nos incisos IX a XXVI do item Interno, inclusive sobre a forma de prestar
anterior: contas;

I. assessorar o Vice-Presidente da III. submeter à apreciação do Ministro de


República, os Ministros de Estado das Estado os processos de tomada e de
Relações Exteriores e da Defesa, o prestação de contas;
Advogado-Geral da União e os titulares dos
órgãos da Presidência da República nos IV. auxiliar nos trabalhos de elaboração da
assuntos de competência do SCI-PEF; prestação de contas anual do Presidente da
República;
II. apoiar o órgão central do SCI-PEF na
elaboração da prestação de contas anual do V. acompanhar a implementação, pelos
Presidente da República, a ser encaminhada órgãos e pelas unidades, das
ao Congresso Nacional; recomendações do SCI-PEF e do TCU;

VI. coletar informações dos órgãos da sua


jurisdição, para inclusão de ações de controle

4
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

nos planos e programas do órgão central do Conceituação de Auditoria


Sistema de Controle Interno, com vistas a
atender às demandas dos Ministérios. A auditoria tem por objetivo primordial o de
garantir resultados operacionais na gerência
Decreto nº 6.692/08 da coisa pública.

Os Assessores Especiais de Controle Interno, A finalidade básica da auditoria é comprovar


ao tomar conhecimento da ocorrência de a legalidade e legitimidade dos atos e fatos
irregularidades que impliquem lesão ou administrativos e avaliar os resultados
risco de lesão ao patrimônio público, darão alcançados, quanto aos aspectos de
ciência ao respectivo Ministro de Estado e à eficiência, eficácia e economicidade da
Controladoria-Geral da União, em prazo não gestão orçamentária, financeira, patrimonial,
superior a quinze dias úteis, contados da operacional, contábil e finalística das
data do conhecimento do fato, sob pena de unidades e das entidades da administração
responsabilidade solidária. pública, em todas as suas esferas de governo
e níveis de poder, bem como a aplicação de
Abrangência de atuação do SCI-PEF recursos públicos por entidades de direito
privado, quando legalmente autorizadas
A abrangência de atuação do SCI-PEF inclui nesse sentido.
as atividades de gestão das unidades da
administração direta, entidades da
Administração Indireta Federal, programas Exercícios
de trabalho, recursos e sistemas de controles
administrativo, operacional e contábil, projetos 1 - (CESPE/Câmara dos Deputados/2014) -
financiados por recursos externos, projetos Em relação aos sistemas de controle
de cooperação junto a organismos exercidos no âmbito da administração
internacionais, a aplicação de quaisquer pública brasileira e da competência, da
recursos repassados pela União mediante jurisdição e do exame de contas por parte
contratos de gestão, transferências a do TCU, julgue os itens subsecutivos.
fundo, convênio, acordo, ajuste ou outro Compete aos sistemas de controle
instrumento congênere. internos mantidos pelos Poderes
Legislativo, Executivo e Judiciário do
Estão sujeitos à atuação do SCI-PEF governo federal exercer o controle das
quaisquer pessoas física ou jurídica, pública operações de crédito e dos direitos e
ou privada, que utilize, arrecade, guarde, haveres da União.
gerencie ou administre dinheiros, bens e
valores públicos ou pelos quais a União
responda, ou que, em nome desta, assuma 2 - (CESPE/TCU/2013) - São
obrigações de natureza pecuniária. responsabilidades da entidade fiscalizada
implantar e manter em funcionamento
efetivo sistemas de controles internos que
assegurem o cumprimento das normas
legais e a consecução dos objetivos
traçados, o que não isenta o auditor de
fazer propostas e recomendações em face
da inexistência ou inadequação desses
controles.

3 - (CESPE / TCE-ES / 2012) - A


autorização, a execução, o controle e a
contabilização das compras
governamentais devem ser realizados

5
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

preferencialmente por um mesmo setor, controle do Estado para melhor aplicação


com o objetivo de aprimorar os resultados de seus recursos. Com relação a esse
do controle interno da entidade. tema, julgue os itens que se seguem.
A aplicação dos recursos transferidos pelo
Tesouro Nacional a entidades privadas é
4 - (CESPE / TCE-ES-ACE / 2012) - A um dos objetos dos exames de auditoria,
Secretaria Federal de Controle, órgão cuja finalidade primordial é garantir
central do sistema de controle interno do resultados operacionais na gerência da
Poder Executivo federal, abrange, em sua coisa pública.
área de atuação, todos os órgãos do Poder
Executivo federal, realizando auditorias e
fiscalizações. 9 - (CESPE / MPS / 2006) – No tocante à
abrangência na atuação do controle
interno do Poder Executivo federal,
5 - (CESPE / FUB / 2011) – Com relação aos somente estão sujeitas à sua atuação as
aspectos que envolvem os sistemas de pessoas jurídicas públicas ou privadas,
controle interno, julgue o item as seguir. que utilizem, arrecadem, guardem,
O controle sobre as operações de crédito, gerenciem ou administrem dinheiros, bens
avais e garantias é competência do e valores públicos.
controle interno, mas o cumprimento das
metas previstas no plano plurianual (PPA)
e nos orçamentos da União deve ser 10 - (ESAF / DNIT / 2013) - Entre as
acompanhado exclusivamente pelo competências dos órgãos e unidades do
sistema de planejamento de orçamento. Sistema de Controle Interno do Poder
Executivo Federal, menciona-se:

6 - (CESPE/PREVIC/2011) - A finalidade a) estabelecer as metas a serem atingidas


básica da auditoria é encontrar erros e pelo PPA.
fraudes nos demonstrativos contábeis b) participar da elaboração dos orçamentos
examinados. da União.
c) aprovar as operações que envolvam avais
e garantias.
7 - (CESPE / MPU / 2010) – Com respeito ao d) monitorar a atuação das auditorias
controle interno e ao externo e à prestação externas das entidades estatais.
de contas no âmbito da União, julgue o e) apurar atos inquinados de irregulares,
item subsequente. praticados por agentes privados com recursos
A fiscalização contábil, financeira, públicos.
orçamentária, operacional e patrimonial
dos órgãos federais é da competência do
Congresso Nacional, e é realizada 11 - (ESAF / CGU / 2012) - Constitui uma
mediante controle externo. Não cabe à atividade complementar do Sistema de
Controladoria-Geral da União (CGU), por Controle Interno do Poder Executivo
ser órgão de controle interno, realizar o Federal avaliar:
mesmo tipo de fiscalização em um mesmo
órgão quando esse trabalho estiver sendo a) a execução dos programas de governo.
feito pelo Tribunal de Contas da União b) o cumprimento das metas do Plano
(TCU). Plurianual.
c) a gestão dos administradores públicos
federais.
8 - (CESPE/TCU/2007) - A auditoria no d) a aplicação de recursos públicos por
setor público federal, conceituada como o entidades de Direito Privado.
conjunto de técnicas utilizado na avaliação e) as unidades de auditoria interna das
da gestão pública, é ferramenta de entidades da Administração Indireta Federal.

6
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

12 - (ESAF / CGU / 2006) - O Sistema de 14 - (ESAF / CGU / 2004) - O Sistema de


Controle Interno do Poder Executivo Controle Interno do Poder Executivo
Federal tem as seguintes finalidades, Federal tem as seguintes finalidades:
exceto: ( ) Avaliar o cumprimento das metas
previstas no Plano Plurianual, a execução
a) avaliar o cumprimento das metas previstas dos programas de governo e dos
no Plano Plurianual, a execução dos orçamentos da União.
programas de governo e dos orçamentos da ( ) Comprovar a legalidade e avaliar os
União. resultados, quanto à eficácia e à eficiência
b) apreciar as contas prestadas anualmente da gestão orçamentária, financeira e
pelo Presidente da República. patrimonial dos órgãos e das entidades da
c) comprovar a legalidade e avaliar os Administração Pública Federal, bem como
resultados, quanto à eficácia e à eficiência da da aplicação de recursos públicos por
gestão orçamentária, financeira e patrimonial entidades de direito privado.
nos órgãos e nas entidades da Administração ( ) Exercer o controle das operações de
Pública Federal, bem como da aplicação de crédito, avais e garantias, bem como dos
recursos públicos por entidades de direito direitos e haveres da União.
privado. Com relação às sentenças acima, assinale
d) exercer o controle das operações de com V as verdadeiras e com F as falsas e
crédito, avais e garantias, bem como dos indique a opção correta.
direitos e haveres da União.
e) apoiar o controle externo no exercício de a) V, V, V
sua missão institucional. b) V, V, F
c) F, F, V
d) F, F, F
13 - (ESAF / CGU / 2004) - É função do e) V, F, F
sistema de Controle Interno do Poder
Executivo Federal prestar:
15 - (ESAF / MPU / 2004) - São finalidades
a) consultoria aos administradores de bens e do sistema de controle interno do Poder
recursos públicos nos assuntos pertinentes à Executivo federal, exceto:
área de competência do Sistema de Controle
Interno. a) avaliar o cumprimento das metas previstas
b) orientação aos administradores de bens e no Plano Plurianual, a execução dos
recursos públicos nos assuntos pertinentes à programas de governo e dos orçamentos da
área de competência do Sistema de Controle União.
Interno. b) comprovar a legalidade e avaliar os
c) serviços de elaboração de relatórios resultados, quanto à eficácia e à eficiência da
contábeis aos administradores de bens e gestão orçamentária, financeira e patrimonial
recursos públicos nos assuntos pertinentes à nos órgãos e entidades da administração
área de competência do Sistema de Controle pública federal, bem como da aplicação de
Interno. recursos públicos por entidades de direito
d) serviços advocatícios aos administradores privado.
de bens e recursos públicos nos assuntos c) prestar orientação aos administradores de
pertinentes à área de competência do bens e recursos públicos nos assuntos
Sistema de Controle Interno. pertinentes à área de competência do sistema
e) assessoramento jurídico aos de controle interno, inclusive sobre a forma de
administradores de bens e recursos públicos prestar contas.
nos assuntos pertinentes à área de d) exercer o controle das operações de
competência do Sistema de Controle Interno. crédito, avais e garantias, bem como dos
direitos e haveres da União.
e) apoiar o controle externo no exercício de
sua missão institucional.

7
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

16 - (FCC/TCE-PI/2014) - Considerando que Tipos de Auditoria - CGU


cabe ao Estado promover a justiça, a
segurança e o bem-estar social, o objetivo
prioritário da Auditoria Governamental é:

(A) atestar a fidedignidade dos registros


contábeis mantidos nos entes públicos.
(B) avaliar o resultado real obtido na
execução das ações governamentais.
(C) garantir o cumprimento dos percentuais
mínimos para os gastos com ensino e saúde.
(D) atestar o cumprimento dos limites
impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.
(E) zelar pela obediência ao princípio da
competitividade nas licitações públicas.

17 - (FCC / DEFENSORIA / 2013) - Com


relação ao Sistema de Controle Interno do
Poder Executivo Federal, a abrangência de
sua atuação, dentre outros, inclui: Auditoria de Avaliação da Gestão

(A) realização, por iniciativa própria, da Esse tipo de auditoria objetiva emitir opinião
Câmara dos Deputados, do Senado Federal, com vistas a certificar a regularidade das
inspeções e auditoria de natureza contábil, contas, verificar a execução de contratos,
financeira, orçamentária, operacional e acordos, convênios ou ajustes, a probidade
patrimonial, nos órgãos e entidades da na aplicação dos dinheiros públicos e na
administração pública federal. guarda ou administração de valores e outros
(B) projetos financiados por recursos externos bens da União ou a ela confiados,
e projetos de cooperação junto a organismos compreendendo, entre outros, os seguintes
internacionais. aspectos: exame das peças que instruem os
(C) avaliação do cumprimento, em cada processos de tomada ou prestação de contas;
exercício financeiro, dos limites de gastos exame da documentação comprobatória dos
com pessoal, com a amortização da dívida, atos e fatos administrativos; verificação da
de cada ente da federação, para efeito de eficiência dos sistemas de controles
autorização de operações de crédito. administrativo e contábil; verificação do
(D) aplicação aos responsáveis, em caso de cumprimento da legislação pertinente; e
ilegalidade de despesa, multa proporcional ao avaliação dos resultados operacionais e da
dano causado ao erário, comunicando a execução dos programas de governo quanto
decisão ao Ministério Público. à economicidade, eficiência e eficácia dos
(E) exame da regularidade e a avaliação da mesmos.
eficiência e a eficácia da gestão
administrativa e dos resultados alcançados Auditoria de Acompanhamento da Gestão
pelas empresas prestadoras de serviços
públicos. Realizada ao longo dos processos de
gestão, com o objetivo de se atuar em tempo
real sobre os atos efetivos e os efeitos
potenciais positivos e negativos de uma
unidade ou entidade federal, evidenciando
melhorias e economias existentes no
processo ou prevenindo gargalos ao
desempenho da sua missão institucional.

8
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

Auditoria Operacional vistas a emitir opinião sobre a adequação e


fidedignidade das demonstrações
Consiste em avaliar as ações gerenciais e os financeiras.
procedimentos relacionados ao processo
operacional, ou parte dele, das unidades ou Auditoria Especial
entidades da administração pública federal,
programas de governo, projetos, Objetiva o exame de fatos ou situações
atividades, ou segmentos destes, com a consideradas relevantes, de natureza
finalidade de emitir uma opinião sobre a incomum ou extraordinária, sendo
gestão quanto aos aspectos da eficiência, realizadas para atender determinação
eficácia e economicidade, procurando expressa de autoridade competente.
auxiliar a administração na gerência e nos Classifica-se nesse tipo os demais trabalhos
resultados, por meio de recomendações, que auditoriais não inseridos em outras classes de
visem aprimorar os procedimentos, melhorar atividades.
os controles e aumentar a responsabilidade
gerencial. Formas de Execução

Este tipo de procedimento auditorial, consiste


numa atividade de assessoramento ao
gestor público, com vistas a aprimorar as
práticas dos atos e fatos administrativos,
sendo desenvolvida de forma tempestiva no
contexto do setor público, atuando sobre a
gestão, seus programas governamentais e
sistemas informatizados.

Auditoria Contábil
Direta
Compreende o exame dos registros e
documentos e na coleta de informações e Trata-se das atividades de auditoria
confirmações, mediante procedimentos executadas diretamente por servidores em
específicos, pertinentes ao controle do exercício nos órgãos e unidades do SCI-
patrimônio de uma unidade, entidade ou PEF, sendo subdividas em:
projeto.

Objetivam obter elementos comprobatórios


suficientes que permitam opinar se os
registros contábeis foram efetuados de
acordo com os princípios fundamentais de
contabilidade e se as demonstrações deles
originárias refletem, adequadamente, em
seus aspectos mais relevantes, a situação
econômico-financeira do patrimônio, os
resultados do período administrativo
examinado e as demais situações nelas
demonstradas. Indireta

Tem por objeto, também, verificar a Trata-se das atividades de auditoria


efetividade e a aplicação de recursos executadas com a participação de
externos, oriundos de agentes financeiros e servidores não lotados nos órgãos e
organismos internacionais, por unidades ou unidades do SCI-PEF, que desempenham
entidades públicas executoras de projetos atividades de auditoria em quaisquer
celebrados com aqueles organismos com

9
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

instituições da Administração Pública Federal vez que se atua em tempo real sobre os
ou entidade privada. atos efetivos da entidade.

20 - (CESPE/AFT/2013) - O relatório de
auditoria de recursos externos deve ser
elaborado pelo organismo internacional
contratante e encaminhado à
Controladoria-Geral da União e às
unidades setoriais e regionais do Sistema
de Controle Interno.

Simplificada
21 - (CESPE / ANP / 2013) - A auditoria de
Trata-se das atividades de auditoria acompanhamento de gestão é realizada ao
realizadas, por servidores em exercício nos longo do exercício financeiro em curso,
Órgãos Central, setoriais, unidades regionais com o objetivo de atuar em tempo real
ou setoriais do SCI-PEF, sobre informações sobre os atos efetivos e os efeitos
obtidas por meio de exame de processos e potenciais positivos e negativos, com
por meio eletrônico, específico das unidades vistas a certificar a regularidade das
ou entidades federais, cujo custo-benefício contas.
não justifica o deslocamento de uma equipe
para o órgão. Essa forma de execução de
auditoria pressupõe a utilização de 22 - (CESPE / CNJ / 2013) - A auditoria que
indicadores de desempenho que tem como objetivo específico o
fundamentam a opinião do agente executor melhoramento das operações examinadas,
das ações de controle. consubstanciada na análise da eficiência,
eficácia e economicidade da ação
administrativa, é denominada auditoria de
Exercícios gestão.

18 - (CESPE/Câmara dos Deputados/2014) 23 - (CESPE / TCE-ES-Auditor / 2012) -


- A respeito dos tipos e modalidades de Com base nas normas de controle interno
auditoria no setor público, julgue os itens do Poder Executivo federal, julgue o item
a seguir. seguinte.
Um dos objetivos da auditoria contábil é Classifica-se como indireta e simplificada
emitir opinião acerca da adequação e da a auditoria executada em órgãos públicos
fidedignidade das demonstrações pelas denominadas empresas de auditoria
financeiras quanto à aplicação, por parte externa, contratadas quando o
das entidades públicas executoras, de deslocamento de servidores em exercício
recursos externos oriundos de projetos no órgão central é considerado inviável.
celebrados com organismos
internacionais.
24 - (CESPE / TCE-ES-ACE / 2012) - A
auditoria coordenada pelo sistema de
19 - (CESPE/Câmara dos Deputados/2014) controle interno do Poder Executivo
- A respeito dos tipos e modalidades de federal e, de forma auxiliar, pelos órgãos
auditoria no setor público, julgue os itens e(ou) instituições publicas ou privadas e
a seguir. classificada, quanto a forma de execução,
Por meio da auditoria operacional como indireta e compartilhada.
preveem-se os obstáculos ao desempenho
da missão institucional da entidade, uma

10
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

25 - (CESPE/PREVIC/2011) - Para que uma externa é classificada como indireta e


auditoria seja classificada como do tipo terceirizada.
especial, não basta que trate de fatos ou
situações relevantes e tenha sido
determinada pela autoridade competente. 32 - (CESPE / TCE-AC / 2008) - Assinale a
opção correta acerca dos tipos de
auditoria e de suas funções e objetivos.
26 - (CESPE/PREVIC/2011) - A auditoria
indireta, realizada com a participação de A) A auditoria de avaliação de gestão é
servidores não lotados nos órgãos e responsável por certificar a regularidade das
unidades do sistema de controle interno, contas e verificar os contratos, com o objetivo
pode também ser feita de forma integrada. de controlar e emitir opinião sobre as
transações no que diz respeito à sua
economicidade e eficiência.
27 - (MPU/2010/CESPE) - Com respeito ao B) A auditoria de acompanhamento da gestão
controle interno e ao externo e à prestação é responsável por avaliar a gestão do ano
de contas no âmbito da União, julgue os imediatamente anterior quanto aos atos
itens subsequentes. efetivos e os potenciais efeitos positivos e
Após o término de cada exercício, o órgão negativos de uma entidade, com o objetivo de
público organiza seu processo de subsidiar a gestão subseqüente.
prestação de contas, que é auditado pelo C) A auditoria operacional é responsável por
controle interno mediante auditoria de verificar o processo de gestão com o objetivo
programas. de evidenciar as melhorias existentes e
prevenir gargalos no desempenho da missão
institucional.
28 - (CESPE / DETRAN-ES / 2010) - A D) A auditoria contábil é responsável por
auditoria de acompanhamento da gestão verificar a efetiva aplicação de recursos
compreende o exame dos registros e externos oriundos de agentes financeiros por
documentos e tem a finalidade de obter entidades públicas executoras de projetos
elementos comprobatórios suficientes celebrados com esses agentes, com a
para opinar se os demonstrativos refletem finalidade de emitir opinião sobre a
a situação econômica da entidade. adequação e fidedignidade das
demonstrações financeiras.
E) A auditoria especial é responsável por
29 - (CESPE / IBRAM / 2009) - A auditoria examinar somente fatos relevantes, com o
realizada ao longo dos processos de objetivo de atender determinação expressa de
gestão, com o objetivo de atuar em tempo autoridade competente.
real sobre os atos efetivos e os efeitos
potenciais, é classificada como auditoria
operacional. 33 - (CESPE/TCU/2007) - Acerca da
auditoria no setor público federal, bem
como à administração da função de
30 - (CESPE / IBRAM / 2009) - A auditoria auditoria, julgue os itens que se seguem.
contábil governamental compreende a Considere que a União tenha repassado
avaliação dos resultados operacionais e vultosa quantia a um estado da Federação,
da execução dos programas de governo com objetivo de aquisição de maquinário
quanto à economicidade, eficiência e para uma corporação militar daquele
eficácia. estado, e que, após determinação do
Ministro do Planejamento, Orçamento e
Gestão, foi realizada uma auditoria que
31 - (CESPE / IBRAM / 2009) - A auditoria constatou irregularidades na aplicação
executada pelas empresas de auditoria desses recursos federais da ordem de R$
49 milhões.

11
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

Foram detectados tanto vícios na dispensa convênio, tenha sido executada


de licitação quanto inadequação dos bens exclusivamente por servidores lotados nos
adquiridos. Nessa situação hipotética, a órgãos setoriais do sistema de controle
auditoria realizada é classificada como interno, os quais, após terem utilizado os
especial, de forma indireta compartilhada. procedimentos e as técnicas de controle,
elaboraram uma forma de comunicação
com o seguinte conteúdo:
34 - (CESPE/TCU/2007) - Acerca da I) introdução, que fazia remissão ao
auditoria no setor público federal, bem processo de tomada de contas, período
como à administração da função de examinado e à unidade examinada; II)
auditoria, julgue os itens que se seguem. controles internos; III) exames das peças
Em cada auditoria realizada, o auditor que orientavam o processo, IV) legalidade,
governamental deverá elaborar relatório legitimidade e economicidade na
que refletirá os resultados dos exames realização das despesas; V)
efetuados. Entretanto, nos relatórios de recomendações; VI) conclusão. Nessa
auditorias realizadas com base no situação, considerando-se os tópicos do
processo de tomada e prestação de documento descrito, é correto afirmar que
contas, nas quais se detectar desvio de foi elaborado relatório de auditoria de
bens públicos, a autoridade administrativa acompanhamento de gestão, cuja forma de
competente deverá comunicar execução foi a direta descentralizada.
imediatamente o resultado ao TCU, para
que este instaure processo de tomada de
contas especiais. 37 - (CESPE/TCU/2007) - Considerando as
práticas de auditoria governamental,
julgue os itens subsequentes.
35 - (CESPE/TCU/2007) - Acerca da Considere-se que o Ministério da Saúde,
auditoria no setor público federal, bem com o aval da União, tenha firmado
como à administração da função de contrato com o Banco Mundial (BIRD),
auditoria, julgue os itens que se seguem. para obtenção de recursos para compra de
Suponha que uma auditoria, realizada em vacinas. Considere-se, também, que,
uma escola agrícola federal subordinada conforme o acordo de cooperação, a
ao Ministério da Educação, tenha competência para a auditoria desse
constatado falhas e deficiências na área contrato estava a cargo da Controladoria-
orçamentário-financeira, no sistema Geral da União (CGU) e que tenham sido
escola-fazenda e na área de recursos constatadas, na realização da auditoria
humanos. Nessa situação hipotética, a interna para fiscalização da aplicação dos
auditoria descrita é um exemplo de recursos, incompatibilidades entre os
auditoria de natureza operacional, que desembolsos efetuados pelo órgão
abrange, inclusive, avaliação de beneficiado e os extratos fornecidos pelo
programas, o que permite à equipe de Banco Mundial. Nessa situação, compete
auditoria pronunciar-se sobre o aumento ao auditor da CGU opinar sobre as contas
da evasão escolar em virtude da situação. do projeto, por meio de parecer,
destacando o ocorrido, e encaminhá-lo ao
banco financiador, junto com a
36 - (CESPE/TCU/2007) - A auditoria no movimentação financeira dos recursos
setor público federal, conceituada como o oriundos do contrato referente ao
conjunto de técnicas utilizado na avaliação exercício anterior à auditoria realizada.
da gestão pública, é ferramenta de
controle do Estado para melhor aplicação
de seus recursos. Com relação a esse 38 - (FCC/TCE-PI/2014) - Avaliar a
tema, julgue os itens que se seguem. execução das decisões tomadas, sob o
Suponha-se que determinada auditoria, ponto de vista da eficiência e eficácia,
com o objetivo de verificar a execução de enquadra-se no escopo da auditoria:

12
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

(A) operacional. 41 - (FCC / MPE PE / 2012) – O tipo de


(B) de planejamento estratégico. auditoria do setor governamental que tem
(C) contábil. por objetivo emitir opinião com vistas a
(D) administrativa. certificar a regularidade das contas,
(E) de regularidade. verificar a execução de contratos, acordos,
convênios ou ajustes, a probidade na
aplicação do dinheiro público e na guarda
39 - (FCC / DEFENSORIA / 2013) - A ou administração de valores e outros bens
auditoria, no âmbito do sistema de da União ou a ela confiados, é denominada
controle interno do setor público federal, auditoria:
que objetiva o exame de fatos ou
situações consideradas relevantes, de (A) operacional.
natureza incomum ou extraordinária, (B) especial.
sendo realizada para atender determinação (C) descentralizada.
expressa de autoridade competente, é (D) de avaliação de gestão.
classificada como (E) plena.

(A) contábil.
(B) extraordinária. 42 - (FCC / TCE-AL / 2008) - É característica
(C) extraplano. da auditoria operacional no setor público:
(D) inspeção.
(E) especial. (A) Exame de fatos ou situações
consideradas relevantes, de natureza
incomum ou extraordinária.
40 - (FCC / TCE-SP / 2013) - Para que os (B) Obter elementos comprobatórios
objetivos da auditoria governamental suficientes para fundamentar a opinião sobre
sejam atingidos, utilizam-se diversos tipos os registros contábeis.
de auditoria no setor público. A auditoria: (C) Emissão de opinião sobre a gestão
quanto aos aspectos de eficiência, eficácia e
(A) de gestão tem por objetivo verificar a economicidade.
eficácia e a eficiência das ações gerenciais e (D) Atuação em tempo real sobre os atos
procedimentos operacionais das unidades efetivos e os efeitos potenciais positivos e
auditadas. negativos de um órgão público.
(B) indireta é executada por servidores em (E) Certificação da regularidade das contas e
exercício nos órgãos e unidades do Sistema a probidade na aplicação dos recursos
de Controle Interno da entidade auditada. públicos.
(C) de acompanhamento de gestão tem por
objetivo antecipar 43 - (FCC / TCE-AL / 2008) - A atividade de
os trabalhos da auditoria de gestão, sendo auditoria executada com a participação de
realizada em tempo real ao longo do servidores não lotados nos órgãos e
exercício. unidades do Sistema de Controle Interno é
(D) compartilhada não deve contar com o denominada forma de execução:
auxílio de órgãos e instituições privadas, de
modo a garantir a lisura, o sigilo e a (A) centralizada.
idoneidade das informações obtidas nos (B) descentralizada.
trabalhos. (C) integrada.
(E) de desempenho tem por objetivo (D) indireta.
confirmar os valores apresentados pelas (E) simplificada.
demonstrações contábeis da entidade
auditada.
44 - (ESAF / CGU / 2012) - Uma auditoria
qualquer, coordenada pelo Sistema de
Controle Interno do Poder Executivo

13
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

Federal com o auxílio de uma empresa 48 - (ESAF / MPU / 2004) - As auditorias


privada de auditoria, deve ter sua forma de podem ser realizadas de forma direta,
execução classificada como: indireta ou simplificada. De acordo com tal
classificação, pode-se dizer que são
a) Centralizada. auditorias diretas:
b) Descentralizada.
c) Integrada. 1- compartilhadas.
d) Compartilhada. 2- centralizadas.
e) Terceirizada. 3- descentralizadas.
4- integradas.
5- terceirizadas.
45 - (ESAF / SEFAZ-PI/2009) - O tipo de
auditoria que tem por objetivo emitir Considerando os itens apresentados,
opinião com vistas a certificar a assinale a opção correta.
regularidade das contas das unidades e
das entidades da administração pública, a) 1 – 5
verificar a execução de contratos, acordos, b) 1 – 2 – 5
convênios ou ajustes, bem como a c) 2 – 3 – 4
probidade na aplicação dos dinheiros d) 2 – 3 – 4 – 5
públicos, é denominada, de acordo com as e) 1 – 2 – 3 – 4 – 5
normas de auditoria governamental:

a) Auditoria de Avaliação da Gestão 49 - (FGV/CGE-MA/2014) - Assinale a


b) Auditoria de Acompanhamento da Gestão alternativa que indica a auditoria que, com
c) Auditoria Contábil a finalidade de aperfeiçoar a gestão
d) Auditoria Operacional pública, promove o exame independente e
e) Auditoria Especial objetivo da economicidade, eficiência,
eficácia e efetividade de organizações,
programas e atividades governamentais.
46 - (ESAF / CGU / 2006) - Nos termos da
Instrução Normativa n. 001/2001, da (A) Auditoria Funcional Programática.
Secretaria Federal de Controle, a Auditoria (B) Auditoria de Regularidade.
Governamental direta pode assumir as (C) Auditoria Operacional.
seguintes formas: (D) Auditoria de Gestão.
(E) Auditoria Financeira.
a) centralizada, descentralizada e integrada.
b) simplificada, compartilhada e terceirizada.
c) concentrada, simplificada e difusa. 50 - (FGV/SUDENE/2013) - O tipo de
d) concentrada, desconcentrada e delegada. auditoria governamental que “atua nas
e) simplificada, compartilhada e áreas inter-relacionadas do
desconcentrada. órgão/entidade, avaliando a eficácia dos
seus resultados em relação aos recursos
materiais, humanos e tecnológicos
47 - (ESAF / CGU / 2006) - De acordo com a disponíveis, bem como a economicidade e
IN SFC/MF n. 01/2001, assinale a opção eficiência dos controles internos
que apresenta uma classificação de existentes para a gestão dos recursos
auditoria incorreta. públicos” é denominada:

a) Auditoria contábil. (A) Burocrática.


b) Auditoria de avaliação da gestão. (B) Programátiva.
c) Auditoria de acompanhamento da gestão. (C) Operacional.
d) Auditoria financeira. (D) Sistêmica.
e) Auditoria especial. (E) Contábil.

14
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

Normas relativas à execução dos trabalhos na obtenção de uma ou várias provas, o


no SCI-PEF servidor do SCI-PEF é levado a um grau
razoável de convencimento a respeito da
O servidor do SCI-PEF, no exercício de realidade ou veracidade dos fatos
suas funções, terá livre acesso a todas as examinados.
dependências do órgão ou entidade
examinado, assim como a documentos, b) Adequação da evidência - entende-se
valores e livros considerados indispensáveis como tal, quando os testes ou exames
ao cumprimento de suas atribuições, não lhe realizados são apropriados à natureza e
podendo ser sonegado, sob qualquer características dos fatos examinados.
pretexto, nenhum processo, documento ou
informação, devendo o servidor guardar o c) Pertinência da evidência - a evidência é
sigilo das informações caso elas estejam pertinente quando há coerência com as
protegidas legalmente. observações, conclusões e recomendações
eventualmente formuladas.
Quando houver limitação da ação, o fato
deverá ser comunicado, de imediato, por II. Critérios para obtenção da evidência -
escrito, ao dirigente do órgão ou entidade na obtenção da evidência, o servidor do SCI-
examinada, solicitando as providências PEF deve guiar-se pelos critérios de
necessárias. importância relativa e de níveis de riscos
prováveis. A importância relativa refere-se ao
Supervisão das atividades do SCI-PEF – significado da evidência no conjunto de
toda atividade do SCI-PEF deve ser informações e os níveis de riscos prováveis,
supervisionada pela chefia ou por servidor a às probabilidades de erro na obtenção e
quem a função for formalmente delegada. comprovação da evidência.

Obtenção de evidências - em atendimento Impropriedades e irregularidades - o


aos objetivos da atividade, o servidor do SCI- servidor do SCI-PEF, no decorrer de qualquer
PEF, deve realizar, na extensão indicada na atividade, deve prestar especial atenção
ordem de serviço, os testes ou provas àquelas transações ou situações que
adequados nas circunstâncias, para obter denotem indícios de irregularidades e, quando
evidências qualitativamente aceitáveis que sejam obtidas evidências das mesmas,
fundamentem, de forma objetiva, seu deverá ser dado o devido tratamento, com
trabalho. vistas a permitir que os dirigentes possam
adotar as providências corretivas pertinentes,
I. Finalidade da evidência - consiste na quando couber.
obtenção suficiente de elementos para
sustentar a emissão de sua opinião, I. Caracterização de impropriedade e
permitindo chegar a um grau razoável de irregularidade – impropriedade consiste em
convencimento da realidade dos fatos e falhas de natureza formal de que não resulte
situações observadas, da veracidade da dano ao erário, porém evidencia-se a não
documentação examinada, da consistência da observância aos princípios de legalidade,
contabilização dos fatos e fidedignidade das legitimidade, eficiência, eficácia e
informações e registros gerenciais para economicidade. A irregularidade é
fundamentar, solidamente, seu trabalho. A caracterizada pela não observância desses
validade do seu trabalho depende princípios, constatando a existência de
diretamente da qualidade das evidências que desfalque, alcance, desvio de bens ou outra
é considerada satisfatória quando reúne as irregularidade de que resulte prejuízo
características de suficiência, adequação e quantificável para o Erário.
pertinência.
Apuração de impropriedades e irregularidades
a) Suficiência da evidência – ocorre quando, - exige do servidor do Sistema de Controle
mediante a aplicação de testes que resultem Interno do Poder Executivo Federal extrema

15
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

prudência e profissionalismo. Ao verificar a e) a outras autoridades interessadas,


ocorrência de irregularidades, o servidor dependendo do tipo ou forma de
deve levar o assunto, por escrito, ao auditoria/fiscalização realizada.
conhecimento do dirigente da unidade ou
entidade examinada, solicitando os Certificado
esclarecimentos e justificativas
pertinentes, quando isso não implicar risco O Certificado é o documento que representa
pessoal. Na hipótese de risco pessoal a opinião do Sistema de Controle Interno
informar a ocorrência ao seu dirigente que o sobre a exatidão e regularidade, ou não, da
orientará e adotará as providências gestão e a adequacidade, ou não, das peças
necessárias. examinadas, devendo ser assinado pelo
Coordenador-Geral ou Gerente Regional
Documentos de Auditoria de Controle Interno, ou ainda, autoridades
de nível hierárquico equivalentes nos órgãos
Solicitação de Auditoria e unidades setoriais do Sistema de Controle
Interno do Poder Executivo Federal.
Documento utilizado para formalizar pedido
de documentos, informações, justificativas e Parecer do Dirigente do Órgão de Controle
outros assuntos relevantes, emitido antes ou Interno
durante o desenvolvimento dos trabalhos de
campo. É peça compulsória a ser inserida nos
processos de tomada e prestação de contas,
Nota que serão remetidos ao Tribunal de Contas
da União.
Nota é o documento destinado a dar ciência
ao gestor/administrador da área examinada, O parecer constitui-se na peça documental
no decorrer dos exames, das que externaliza a avaliação conclusiva do
impropriedades ou irregularidades Sistema de Controle Interno sobre a gestão
constatadas ou apuradas no desenvolvimento examinada, para que os autos sejam
dos trabalhos. Tem a finalidade de obter a submetidos à autoridade ministerial que se
manifestação dos agentes sobre fatos que pronunciará na forma prevista no artigo 52, da
resultaram em prejuízo à Fazenda Nacional Lei n.º 8.443/92.
ou de outras situações que necessitem de
esclarecimentos formais. O parecer consignará qualquer irregularidade
ou ilegalidade constatada, indicando as
Relatório medidas adotadas para corrigir as falhas
identificadas, bem como avaliará a eficiência
Os Relatórios constituem-se na forma pela e a eficácia da gestão, inclusive quanto à
qual os resultados dos trabalhos realizados economia na utilização dos recursos públicos.
são levados ao conhecimento das
autoridades competentes, com as seguintes
finalidades:
a) à direção, fornecendo dados para tomada
de decisões sobre a política de área
supervisionada;
b) às gerências executivas, com vistas ao
atendimento das recomendações sobre as
operações de sua responsabilidade;
c) aos responsáveis pela execução das
tarefas, para correção de erros detectados;
d) ao Tribunal de Contas da União, como
resultado dos exames efetuados; e

16
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

A criticidade, é ainda, a condição imprópria,


por ilegalidade, por ineficácia ou por
ineficiência, de uma situação gestional.
Expressa a não-aderência normativa e os
riscos potenciais a que estão sujeitos os
recursos utilizados. Representa o perfil
organizado, por área, dos pontos fracos de
uma organização.

Normas relativas aos servidores do SCI

No desempenho de suas funções, deve,


ainda, observar os seguintes aspectos:
Materialidade, Relevância e Criticidade
I. Comportamento ético - deve ter sempre
As variáveis básicas utilizadas em todas as presente que, como servidor público, se
fases do processo de planificação dos obriga a proteger os interesses da sociedade
trabalhos de controle são fundamentais, e respeitar as normas de conduta que regem
sendo que, determinadas variáveis os servidores públicos, não podendo valer-se
apresentam-se com maior destaque ou da função em benefício próprio ou de
contribuição para o processo. Essas variáveis terceiros, ficando, ainda, obrigado a guardar
são: confidencialidade das informações obtidas,
a) Materialidade; não devendo revelá-las a terceiros, sem
b) Relevância; e autorização específica, salvo se houver
c) Criticidade. obrigação legal ou profissional de assim
proceder.
A materialidade refere-se ao montante de
recursos orçamentários ou financeiros II. Cautela e zelo profissional - agir com
alocados por uma gestão, em um específico prudência, habilidade e atenção de modo a
ponto de controle (unidade, sistema, área, reduzir ao mínimo a margem de erro e acatar
processo, programa ou ação) objeto dos as normas de ética profissional, o bom senso
exames de auditoria ou fiscalização. Essa em seus atos e recomendações, o
abordagem leva em consideração o caráter cumprimento das normas gerais de controle
relativo dos valores envolvidos. interno e o adequado emprego dos
procedimentos de aplicação geral ou
A relevância significa a importância relativa específica.
ou papel desempenhado por uma
determinada questão, situação ou unidade, III. Independência - manter uma atitude de
existentes em um dado contexto. independência com relação ao agente
controlado, de modo a assegurar
A criticidade representa o quadro de imparcialidade no seu trabalho, bem assim
situações críticas efetivas ou potenciais a nos demais aspectos relacionados com sua
auditar ou fiscalizar, identificadas em uma atividade profissional.
determinada unidade ou programa. Trata-se
da composição dos elementos referenciais de IV. Soberania - possuir o domínio do
vulnerabilidade, das fraquezas, dos pontos julgamento profissional, pautando-se no
de controle com riscos latentes, das trilhas de planejamento dos exames de acordo com o
auditoria ou fiscalização. Deve-se levar em estabelecido na ordem de serviço, na seleção
consideração o valor relativo de cada situação e aplicação de procedimentos técnicos e
indesejada. testes necessários, e na elaboração de seus
relatórios.

17
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

V. Imparcialidade - abster-se de intervir em valores, bens e materiais de propriedade ou


casos onde haja conflito de interesses que responsabilidade da União.
possam influenciar a imparcialidade do seu
trabalho, devendo comunicar o fato aos seus Os tipos de Certificado são:
superiores.
I. Certificado de Regularidade - será emitido
VI. Objetividade – procurar apoiar-se em quando o Órgão ou Unidade de Controle
documentos e evidências que permitam Interno formar a opinião de que na gestão dos
convicção da realidade ou a veracidade dos recursos públicos foram adequadamente
fatos ou situações examinadas. observados os princípios da legalidade,
legitimidade e economicidade.
VII. Conhecimento técnico e capacidade
profissional - em função de sua atuação II. Certificado de Regularidade com
multidisciplinar, deve possuir um conjunto de Ressalvas - será emitido quando o Órgão ou
conhecimentos técnicos, experiência e Unidade de Controle Interno constatar falhas,
capacidade para as tarefas que executa, omissões ou impropriedades de natureza
conhecimentos contábeis, econômicos, formal no cumprimento das normas e
financeiros e de outras disciplinas para o diretrizes governamentais, quanto à
adequado cumprimento do objetivo do legalidade, legitimidade e economicidade e
trabalho. que, pela sua irrelevância ou
imaterialidade, não caracterizem
VIII. Atualização dos conhecimentos irregularidade de atuação dos agentes
técnicos - manter atualizado seus responsáveis.
conhecimentos técnicos, acompanhando a
evolução das normas, procedimentos e III. Certificado de Irregularidade - será
técnicas aplicáveis ao Sistema de Controle emitido quando o Órgão ou Unidade de
Interno do Poder Executivo Federal. Controle Interno verificar a não observância
da aplicação dos princípios de legalidade,
IX. Uso de informações de terceiros – legitimidade e economicidade, constatando a
valer-se de informações anteriormente existência de desfalque, alcance, desvio
produzidas pelos profissionais do Sistema de de bens ou outra irregularidade de que
Controle Interno do Poder Executivo Federal, resulte prejuízo quantificável para a
não necessitando reconfirmá-las ou retestá- Fazenda Nacional e/ou comprometam,
las, haja vista a utilização das mesmas substancialmente, as demonstrações
técnicas e observação das mesmas normas financeiras e a respectiva gestão dos agentes
no âmbito do Sistema. responsáveis, no período ou exercício
examinado.
X – Cortesia – ter habilidades no trato, verbal
e escrito, com pessoas e instituições, Quando o Órgão ou Unidade de Controle
respeitando superiores, subordinados e Interno do Poder Executivo Federal não
pares, bem como, aqueles com os quais se obtiver elementos comprobatórios suficientes
relaciona profissionalmente. e adequados, de tal modo que impeça-o de
formar opinião quanto à regularidade da
A opinião do Órgão ou Unidade de Controle gestão, a opinião decorrente dos exames
Interno do Poder Executivo Federal deve ser fica sobrestada, por prazo previamente
expressa por meio de Relatório, Parecer, fixado para o cumprimento de diligência pelo
Certificado ou Nota. órgão ou entidade examinado, quando então,
mediante novos exames, o SCI-PEF emitirá o
O Certificado de Auditoria será emitido na competente Certificado. Nesse caso o órgão
verificação das contas dos responsáveis pela do SCI-PEF deve dar ciência da ocorrência
aplicação, utilização ou guarda de bens e ao Tribunal de Contas da União.
valores públicos, e de todo aquele que der
causa à perda, subtração ou estrago de

18
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

Na ocorrência de eventos ou transações VIII. Apresentação – assegurar que os


subsequentes ao período examinado que, assuntos sejam apresentados numa
pela sua relevância, possam influir seqüência estruturada, isenta de erros ou
substancialmente na posição financeira e rasuras que possam prejudicar o correto
patrimonial da unidade ou entidade entendimento, segundo os objetivos do
examinada, é indispensável que esses fatos trabalho, de forma adequada, com uma
sejam considerados em seu Certificado. linguagem que atenda, também, aos atributos
de qualidade mencionados; e
Normas relativas à forma de comunicação
IX. Conclusivo – permitir a formação de
As informações que proporcionem a opinião sobre as atividades realizadas. Em
abordagem da atividade, quanto aos atos de situações identificadas na ordem de serviço,
gestão, fatos ou situações observados, poderá ficar especificado que não cabe uma
devem reunir principalmente os seguintes manifestação conclusiva principalmente nos
atributos de qualidade: casos em que os exames forem de caráter
intermediário.
I. Concisão - utilizar linguagem sucinta e
resumida, transmitindo o máximo de As comunicações devem seguir os padrões
informações de forma breve. É característica usualmente adotados no Sistema de Controle
dessa linguagem a precisão e a exatidão; Interno do Poder Executivo Federal,
admitindo-se, em determinadas
II. Objetividade – expressar linguagem circunstâncias, as adaptações necessárias à
prática e positiva, demonstrando a existência melhor interpretação e avaliação dos
real e material da informação; resultados dos trabalhos.

IV. Clareza – expressar linguagem inteligível


e nítida de modo a assegurar que a estrutura Exercícios
da comunicação e a terminologia empregada
permitam que o entendimento das
informações sejam evidentes e transparentes; 51 - (CESPE/TCDF/2014) - Situações de
não conformidade, que podem ocorrer sob
V. Integridade – registrar a totalidade das a forma de impropriedade — quando não
informações de forma exata e imparcial, há transgressão a normas legais — ou
devendo ser incluídos na comunicação todos irregularidade — caso em que além de
os fatos observados, sem nenhuma omissão, haver transgressão a normas legais, há
proporcionando uma visão completa das perdas quantificáveis, configuradoras de
impropriedades/irregularidades apontadas, dolo ou má-fé —, devem ser evidenciadas
recomendações efetuadas e conclusão; em relatório de auditoria governamental.

VI. Oportunidade – transmitir a informação,


simultaneamente, com tempestividade e 52 - (CESPE/TCU/2013) - O sistema de
integridade de modo que as comunicações controle interno do Poder Executivo
sejam emitidas de imediato, com a extensão federal, ao realizar o controle de qualidade
correta, a fim de que os assuntos neles das atividades que desempenha, executa
abordados possam ser objeto de oportunas monitoramento que consiste na revisão
providências; dos trabalhos por ele realizados, com base
nas normas e objetivos previamente
VII. Coerência – assegurar que a linguagem estabelecidos. Nessa atividade, esse
seja harmônica e concordante, de forma que sistema avalia continuamente o
a comunicação seja lógica, correspondendo planejamento, a execução e a
aos objetivos determinados; comunicação dos resultados de seu
trabalho, contribuindo para com as
funções do controle externo.

19
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

56 - (MPU/Analista/2010/CESPE) - Um
53 - (CESPE/TCU/2013) - O órgão ou auditor identificou falhas de natureza
unidade de controle interno do Poder formal nos demonstrativos contábeis, que
Executivo federal, ao emitir um relatório não representaram prejuízo ao erário.
sobre os resultados dos trabalhos Nessa situação, a opinião do auditor sobre
realizados, faz uma comunicação que se as contas deve ser regular com ressalvas.
destina não somente aos responsáveis e Julgue CERTO ou ERRADO.
órgãos internos do ente auditado, mas
também ao TCU e a outras autoridades
interessadas e competentes. 57 - (CESPE/TJDFT/2008) - A diferença
entre o certificado de regularidade com
ressalva e o de irregularidade, no setor
54 - (CESPE/TCU/2011) - No âmbito do público, a exemplo do que ocorre no setor
sistema de controle interno do Poder privado, entre pareceres com ressalva e
Executivo, se o órgão auditado for adverso, depende não só da natureza, mas
beneficiário de recursos externos e não também da materialidade das
fornecer elementos comprobatórios circunstâncias. É o caso, por exemplo, de
suficientes e adequados que permitam ao registros e demonstrações contábeis
auditor formar opinião sobre a inadequados ou incorretos.
regularidade de sua utilização, o exame
das contas ficará sobrestado por prazo
indeterminado, com emissão de certificado 58 - (ESAF / CGU / 2012) - Se compararmos
de irregularidade pelo sistema de controle as normas aplicáveis à auditoria
interno. independente com as normas aplicáveis à
auditoria no setor público, no que tange à
emissão de opinião, é correto afirmar que:
55 - (CESPE/SECGEPE/2010) - A opinião
do órgão ou da unidade do sistema de a) na auditoria independente, uma opinião
controle interno do Poder Executivo deve ser sempre emitida.
federal é expressa de diversas maneiras. b) grosso modo, uma opinião adversa
Com respeito a esse tema, assinale a equivale a um Certificado de Regularidade.
opção correta. c) o auditor independente pode emitir sua
opinião ou abster-se de fazê-lo.
A) Parecer é um conjunto de sugestões ao d) ao lidar com fraudes contábeis, o auditor
gestor auditado, para melhorar o desempenho independente deve opinar pela irregularidade.
de órgão/entidade auditado(a). e) apenas no setor público é possível a
B) Certificado de regularidade com ressalvas abstenção de opinião.
é expedido quando as irregularidades são
consideradas de pequena monta para as
dimensões de órgão/entidade auditado(a). 59 - (ESAF/ CGU / 2012) - O documento
C) Independentemente do fato de a opinião destinado a dar ciência ao
ser emitida por um órgão ou unidade, a gestor/administrador da área examinada,
auditoria contábil é prerrogativa de no decorrer dos exames, das
profissional da área, registrado em CRC. impropriedades ou irregularidades
D) A nota é uma comunicação ao auditado, constatadas no desenvolvimento dos
ao final dos exames, das impropriedades e trabalhos, é denominado:
irregularidades constatadas.
E) Relatório é a comunicação dos resultados a) Certificado.
dos trabalhos realizados, em que o Tribunal b) Parecer de Auditoria.
de Contas da União (TCU) determina as c) Nota.
providências a serem adotadas. d) Registro das Constatações.
e) Solicitação de Auditoria.

20
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

60 - (ESAF / SEFAZ-PI/2009) - Na situação 63 - (ESAF / CGU / 2008) - De acordo com a


em que verificar a não observância do IN SFC/MF n. 001/2001, a opinião do Órgão
princípio da economicidade na gestão ou Unidade de Controle Interno do Poder
financeira dos agentes responsáveis pela Executivo Federal deve ser expressa por
unidade auditada, constando desfalque meio dos seguintes instrumentos, exceto:
que comprometa significativamente as
demonstrações financeiras do período a) Certificado.
examinado, a auditoria governamental b) Auto de Infração.
deverá emitir: c) Nota.
d) Parecer.
a) Certificado de Regularidade com e) Relatório.
Ressalvas
b) Certificado de Irregularidade
c) Relatório de Abstenção de Opinião 64 - (ESAF / CGU / 2008) - Para a IN
d) Parecer Adverso SFC/MF n. 001/2001, no decorrer do
e) Parecer de Ilegalidade processo de planificação dos trabalhos de
controle, o conceito de materialidade
refere-se:
61 - (ESAF / SEFAZ-PI/2009) - A exigência
de emissão tempestiva dos relatórios de a) à importância relativa ou papel
auditoria faz parte de qual dos atributos de desempenhado por uma determinada
qualidade preconizados pelas normas de questão, situação ou unidade, existentes em
auditoria governamental. um dado contexto.
b) à obrigatoriedade de, em uma Amostra
a) Oportunidade Aleatória Simples, cada elemento da
b) Objetividade população ter a mesma chance de pertencer
c) Integridade à amostra.
d) Concisão c) ao quadro de situações críticas efetivas ou
e) Convicção potenciais a auditar ou fiscalizar, identificadas
em uma determinada unidade ou programa.
Trata-se, portanto, da composição dos
62 - (ESAF / CGU / 2008) - Segundo a IN elementos referenciais de vulnerabilidade,
SFC/MF n. 001/2001, o documento que das fraquezas, dos pontos de controle com
representa a opinião do Sistema de riscos latentes, das trilhas de auditoria ou
Controle Interno sobre a exatidão e fiscalização.
regularidade, ou não, da gestão e a d) ao montante de recursos orçamentários ou
adequacidade, ou não, das peças financeiros alocados por uma gestão, em um
examinadas, devendo ser assinado pelo específico ponto de controle (unidade,
Coordenador-Geral ou Gerente Regional sistema, área, processo, programa ou ação),
de Controle Interno, ou ainda, por objeto dos exames de auditoria ou
autoridades de nível hierárquico fiscalização.
equivalentes nos órgãos e unidades e) à obrigatoriedade de, face a uma
setoriais do Sistema de Controle Interno população pequena, o auditor lançar mão de
do Poder Executivo Federal, denomina-se: uma abordagem censitária e não por
amostragem.
a) Certificado.
b) Relatório.
c) Parecer do Dirigente do Órgão de Controle 65 - (ESAF / CGU / 2008) - O servidor do
Interno. Sistema de Controle Interno do Poder
d) Registro das Constatações. Executivo Federal, no decorrer de
e) Solicitação de Auditoria. qualquer atividade, deve prestar especial

21
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

atenção àquelas transações ou situações e) Parecer.


que denotem indícios de irregularidades.
Acerca do tema ‘impropriedades e
irregularidades’, nos termos da IN SFC/MF 67 - (ESAF / CGU / 2004) - As variáveis
n. 001/2001, é correto afirmar que: básicas utilizadas em todas as fases do
processo de planificação dos trabalhos de
a) a irregularidade consiste em falhas de controle são fundamentais. Determinadas
natureza formal de que não resulte dano ao variáveis apresentam-se com maior
erário, porém evidencia-se a não-observância destaque ou contribuição para o processo.
aos princípios de legalidade, legitimidade, Essas variáveis são:
eficiência, eficácia e economicidade.
b) o objetivo primordial das atividades do a) Relevância - Criticidade - Continuidade
Sistema de Controle Interno do Poder b) Criticidade - Uniformidade - Irrelevância
Executivo Federal não é a busca de c) Descontinuidade - Relevância -
impropriedades ou de irregularidades. Materialidade
c) ao verificar a ocorrência de d) Materialidade - Relevância - Criticidade
impropriedades, o servidor deve registrar o e) Uniformidade - Materialidade -
assunto e aguardar pela finalização dos Continuidade
trabalhos de campo, quando só então será
solicitado ao dirigente da unidade ou entidade
examinada prestar os esclarecimentos e QUESTÕES EXTRAS
justificativas pertinentes.
d) a impropriedade é caracterizada pela não-
observância aos princípios de legalidade, 68 - (FCC/TCE-AM/2013) - A verificação
legitimidade, eficiência, eficácia e realizada em entidades da Administração
economicidade, constatando a existência de Direta e Indireta em função, subfunção,
desfalque, alcance, desvio de bens ou outra programas e ações é denominada
irregularidade de que resulte prejuízo auditoria:
quantificável para o Erário.
e) ao verificar a ocorrência de irregularidades, (A) de controle oficial.
o servidor deve registrar o assunto e aguardar (B) pública.
pela finalização dos trabalhos de campo, (C) governamental.
quando só então será solicitado ao dirigente (D) de Estado.
da unidade ou entidade examinada prestar os (E) oficial.
esclarecimentos e justificativas pertinentes.

69 - (FCC / TJ-RJ / 2012) – De acordo com a


66 - (ESAF / CGU / 2006) - No decorrer dos Constituição Federal de 1988, NÃO
exames, o documento destinado a dar constitui finalidade do sistema de controle
ciência ao gestor/administrador da área interno integrado entre os Poderes
examinada, das impropriedades ou Legislativo, Executivo e Judiciário:
irregularidades constatadas ou apuradas
no desenvolvimento dos trabalhos, com a (A) avaliar o cumprimento das metas
finalidade de obter a manifestação dos previstas no plano plurianual, a execução dos
agentes sobre fatos que resultaram em programas de governo e dos orçamentos da
prejuízo à Fazenda Nacional ou de outras União.
situações que necessitem de (B) apoiar o controle externo no exercício de
esclarecimentos formais chama-se: sua missão institucional.
(C) exercer o controle das operações de
a) Nota. crédito, avais e garantias, bem como dos
b) Solicitação de Auditoria. direitos e haveres da União.
c) Relatório. (D) comprovar a legalidade e avaliar os
d) Certificado. resultados, quanto à eficácia e eficiência, da

22
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

gestão orçamentária, financeira e patrimonial gestão orçamentária, financeira e patrimonial


nos órgãos e entidades da administração de órgãos públicos.
federal.
(E) julgar as contas dos administradores e
demais responsáveis por dinheiros, bens e 72 - (ESAF / SEFAZ-PI/2009) - Os trabalhos
valores públicos da administração direta e de auditoria coordenados pelo órgão de
indireta. auditoria governamental, com o auxílio de
órgãos ou instituições públicas ou
privadas de auditoria ou fiscalização, são
70 - (FGV/CGE-MA/2014) - Assinale a uma forma de auditoria governamental
alternativa que apresenta uma finalidade denominada:
do controle interno.
a) Direta - Centralizada
(A) Planejar o cumprimento das metas b) Indireta - Compartilhada
estabelecidas no plano plurianual, a execução c) Direta - Descentralizada
dos programas de governo e dos orçamentos d) Indireta - Terceirizada
do Estado. e) Direta - Integrada
(B) Estabelecer a legalidade e cumprir os
resultados quanto à eficácia e à eficiência da
gestão orçamentária, financeira e patrimonial, 73 - (ESAF / ANA / 2009) - Assinale a opção
nos órgãos e entidades da administração verdadeira a respeito de auditoria, no
estadual, bem como da aplicação de recursos Setor Público Federal, cuja execução é
públicos por entidades de direito privado. realizada de forma direta.
(C) Executar ações para obtenção das
operações de crédito, avais e garantias, bem a) São todos os trabalhos de fiscalização
como dos direitos e haveres do Estado. executados pelo Sistema de Auditoria Interna,
(D) Apoiar o controle externo no exercício de no âmbito da administração federal, que
sua missão institucional. avalia a correta aplicação dos recursos
(E) Emitir parecer prévio sobre as prestações públicos.
de contas consolidadas da gestão. b) São aquelas realizadas na administração
direta e indireta integrantes do Orçamento
Geral da União visando avaliar o cumprimento
71 - (CESGRANRIO / SEPLAG-SSA / 2011) - das políticas públicas.
Constituem objeto do exame de auditoria c) É aquela realizada pelos servidores em
governamental, EXCETO: exercício no Sistema de Controle Interno do
Poder Executivo Federal e está subdividida
(A) a execução dos planos, programas, em centralizada, descentralizada e integrada.
projetos e atividades que envolvem recursos d) São fiscalizações e avaliações realizadas
públicos. diretamente pelos órgãos envolvidos na
(B) os contratos firmados por gestores execução das políticas públicas.
públicos com entidades privadas para e) São trabalhos executados diretamente
prestação de serviços, execução de obras e pelas auditorias internas das instituições
fornecimento de materiais. federais diretas e indiretas, para avaliar o
(C) os contratos firmados entre entidades cumprimento da lei fiscal.
privadas em negócios em que não há
participação de entes públicos.
(D) os instrumentos e sistemas de guarda e 74 - (ESAF / CGU / 2008) - Segundo a IN
conservação dos bens e do patrimônio sob SFC/MF n. 001/2001, o procedimento que
responsabilidade das unidades da tem por objetivo avaliar as ações
administração direta e entidades gerenciais e os procedimentos
supervisionadas. relacionados ao processo operacional, ou
(E) os sistemas administrativos e parte dele, das unidades ou entidades da
operacionais de controle interno utilizados na administração pública federal, programas

23
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

de governo, projetos, atividades, ou 77 - (FCC / TRE-SP / 2012) – Em auditoria


segmentos destes, com a finalidade de governamental, o documento que
emitir uma opinião sobre a gestão quanto representa a opinião do Sistema de
aos aspectos da eficiência, eficácia e Controle Interno sobre a exatidão e
economicidade, procurando auxiliar a regularidade, ou não, da gestão e a
administração na gerência e nos adequação, ou não, das peças
resultados, por meio de recomendações examinadas, devendo ser assinado pela
que visem aprimorar os procedimentos, autoridade competente para tal fim é
melhorar os controles e aumentar a denominado:
responsabilidade gerencial, classifica-se
como: (A) Relatório.
(B) Certificado.
a) Auditoria de Avaliação da Gestão. (C) Nota.
b) Auditoria Contábil. (D) Parecer.
c) Auditoria de Acompanhamento da Gestão. (E) Solicitação de auditoria.
d) Auditoria Operacional.
e) Auditoria Especial.

75 - (FGV/ Consultor Legislativo - MA/


2013) - A auditoria no setor público que
objetiva “emitir opinião com vistas a
certificar a regularidade das contas,
verificar a execução de contratos, acordos,
convênios ou ajustes, a probidade na
aplicação dos dinheiros públicos e na
guarda ou administração de valores e
outros bens” é classificada como:

(A) avaliação de gestão.


(B) acompanhamento de gestão.
(C) contábil.
(D) operacional.
(E) especial.

76 - (ESAF / CGU / 2002) - A variável básica


utilizada em todas as fases do processo de
planificação dos trabalhos de controle da
composição de elementos referenciais de
vulnerabilidade, das fraquezas, dos pontos
de controle com riscos latentes e das
trilhas de auditoria ou de fiscalização é
denominada:

a) relevância
b) materialidade
c) controle interno
d) criticidade
e) ressalva

24
www.cers.com.br
TRIBUNAIS DE CONTAS
Auditoria Governamental
Rodrigo Fontenelle

35 - C
36 - E
37 - E
38 - A
39 - E
40 - C
41 - D
42 - C
43 - D
44 - D
45 - A
46 - A
47 - D
48 - C
49 - C
50 - C
GABARITO 51 - E
52 - C
53 - C
1-C 54 - E
2-C 55 - C
3-E 56 - C
4-E 57 - C
5-E 58 - C
6-E 59 - C
7-E 60 - B
8-E 61 - A
9-E 62 - A
10 - E 63 - B
11 - E 64 - D
12 - B 65 - B
13 - B 66 - A
14 - A 67 - D
15 - C 68 - C
16 - B 69 - E
17 - B 70 - D
18 - C 71 - C
19 - E 72 - B
20 - E 73 - C
21 - E 74 - D
22 - E 75 - A
23 - E 76 - D
24 - C 77 - B
25 - C
26 - E
27 - E
28 - E
29 - E
30 - E
31 - C
32 - D
33 - E
34 - E

25
www.cers.com.br