Você está na página 1de 1

Atividade Pratica 01 – PARTE A - 1° Bimestre/2017 – Vibrações - Curso de Engenharia Mecânica Prof° Roberto Squarcio

TÍTULO: ASSOCIAÇÃO DE MOLAS

OBJETIVOS:
Calcular a constante de associação de molas em série e em paralelo e verificar as relações para o
cálculo das constantes em cada tipo de associação.

INTRODUÇÃO
Quando combinamos duas molas, para formar um conjunto mais rígido, podemos realizar essa
associação de duas formas diferente: em série ou em paralelo, conforme a figura abaixo.

Na figura A, a associação de molas é em paralelo e na figura B a associação é em série. Duas


molas de constantes k1 e k2 são associadas e suportam o mesmo peso P.

No caso de molas em paralelo (Fig. A) o deslocamento de cada mola é igual ao deslocamento


total x do bloco e a força total suportada pelas duas molas é o peso P. Assim, devemos ter

P  k1 .x  k 2 .x  k1  k 2 .x

A rigidez k do conjunto é:
k  k1  k 2

Na associação B, em série, as duas molas suportam o mesmo peso e, portanto o alongamento de


k1 e k2 são, respectivamente,
P P
x1  e x2 
k1 k2
O alongamento total é
P P 1 1
x  x1  x2    P  
k1 k 2  k1 k 2 

A constante k do conjunto é tal que,


1 1 1
 
k k1 k 2

RELATÓRIO: (RESULTADOS TEÓRICOS, EXPERIMENTAIS E ERRO)

1. Determine, experimentalmente, a rigidez apenas uma mola.


2. Compare a rigidez equivalente obtida experimentalmente e teórica (formulas acima)
para associações em série e em paralelo.