Você está na página 1de 18

Universidade Federal do Paraná

Setor de Tecnologia
Departamento de Engenharia Mecânica

TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO

Prof. Dr. Rudmar Serafim Matos


2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

Os sistemas de refrigeração por compressão a vapor são os


mais usados dentre todos os sistemas de refrigeração.
A refrigeração é obtida com o refrigerante evaporando a baixas
temperaturas.
O sistema opera a trabalho sob a forma de energia mecânica
necessária para movimentar o compressor (sistemas mecânicos
de refrigeração).
Disponível para atender quase todas as aplicações de refrigeração
com capacidades desde poucos watts até alguns megawatts.
2.1 CICLO DE REFRIGERAÇÃO DE CARNOT
Em 1824 Sadi Carnot, publicou um tratado denominado:
“Reflections of the Motive Power of Heat”.
• todos os processos são ideais:
• não existe atrito;
• não existe troca de calor, somente as indicadas no ciclo;
• modelo perfeito de refrigeração;
• usado como referência para comparação com o ciclo real.
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.1 CICLO DE REFRIGERAÇÃO DE CARNOT

• compressão adiabática, 1-2;


• liberação isotérmica de calor, 2-3;
• expansão adiabática, 3-4;
• admissão isotérmica de calor, 4-1.
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.1 CICLO DE REFRIGERAÇÃO DE CARNOT

∆T c = T c - T q

∆T e = T f - T e

Q = A ↑ U ↑ ∆T ↓

COP = Te/(Tc - Te)

• compressão úmida;
Dificuldades práticas: • extração de trabalho por expansão
de líquido saturado na turbina, não é
viável economicamente;
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.2 CICLO ELEMENTAR DE REFRIGERAÇÃO

O refrigerante R-22 a pressão


atmosférica (101,325 kPa) absorve
calor e evapora a –40,8oC .
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.3 CICLO SATURADO SIMPLES DE COMPRESSÃO A VAPOR


2.3.1 Componentes do ciclo de refrigeração
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO
2.3 CICLO SATURADO SIMPLES DE COMPRESSÃO A VAPOR
2.3.2 Diagrama Pressão-Entalpia, P-h

Ponto crítico
Sistema Internacional:

t
ns
h1=200 kJ/kg e

co
st
LÍQUIDO ν = con

s=
t = const
s1=1,0 kJ/kg K, T=0oC.
DO

SECO
RA
TU

ADO
SA

VAPOR ÚMIDO
DO

T UR
UI
LÍQ

A
OR S

VAPOR
SUPER AQUECIDO
V AP

2.3.3 Dados termodinâmicos: Tabelas e Cartas


2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.3 CICLO SATURADO SIMPLES DE COMPRESSÃO A VAPOR


2.3.4 Processos do ciclo de refrigeração

Qc

CD

W cp
LADO DE ALTA PRESSÃO CD
VE CP
LADO DE BAIXA PRESSÃO

EV VE CP

Qe
EV

CÂMARA FRIA

•COMPRESSÃO (1-2) •EXPANSÃO (3-4)

•CONDENSAÇÃO (2-3) •EVAPORAÇÃO (4-1)


2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.3 CICLO SATURADO SIMPLES DE COMPRESSÃO A VAPOR


2.3.5 Cálculos no Ciclo Saturado Simples:
• 1a. Lei da Termodinâmica:
•para todo o ciclo: •para cada componente:

& +W& =Q& +Q


& ±Q & & &  V22   V12 
Q e cp c cp tub
& 2  h2 +
Q+ W =m  2
+ gz 
2 - &
m  h
1  1 +
2
+ gz 
1
   

W
• ∆Ec e ∆Ep
1
(desprezadas)
m1 2
V1
& =0
Q
V2 m2 tub
z
1 E z
PLANO DE REFERÊNCIA
Q
2
& =0
Q cp
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.3 CICLO SATURADO SIMPLES DE COMPRESSÃO A VAPOR


2.3.5 Cálculos no Ciclo Saturado Simples:
ER = (h1 − h 4 ) & =m
Q e
& ( h1 - h4 ) = m
& (h1 - h3 )
CALOR TOTAL REJEITADO
L S

tc Q&
& =
m e

(h1 - h 4 )
CONDENSAÇÃO
pc

V& = m
& ν1
EXPANSÃO

te ÃO
SS
RE
MP
CO

EVAPORAÇÃO
pe
ERperda = (h 4 − h 0 )
FLASH EFEITO DE CALOR DE
GAS REFRIGERAÇÃO COMPR.
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.3 CICLO SATURADO SIMPLES DE COMPRESSÃO A VAPOR


2.3.5 Cálculos no Ciclo Saturado Simples:
CALOR TOTAL REJEITADO
L S

tc & =m
W & ( h2 - h1 )
cp

CONDENSAÇÃO
pc
&
W
& cp
W cp, real =
EXPANSÃO

ÃO
te ηisen

SS
RE
MP
CO
EVAPORAÇÃO
pe
& =m
Q & ( h 2 - h3 )
EFEITO DE
c
FLASH CALOR DE
GAS REFRIGERAÇÃO COMPR.

&
Q (h − h4 )
COP = & e = 1
Wcp (h2' − h1 )
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.3 CICLO SATURADO SIMPLES DE COMPRESSÃO A VAPOR


2.3.5 Cálculos no Ciclo Saturado Simples:

CALOR TOTAL REJEITADO


L S &
Q (h − h3 )
tc COPBC = & c = 2'
Wcp (h2' − h1 )
CONDENSAÇÃO
pc
t e = t i − ∆T t e = f (t i )
EXPANSÃO

ÃO
te
SS
t c = t bs ar externo + 10 C
RE
(ar )
MP
CO

EVAPORAÇÃO
pe
t c = t água + 5 C (água )
FLASH EFEITO DE CALOR DE
GAS REFRIGERAÇÃO COMPR.
pe = f (t e ) pc = f (t c )
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.4 CICLO REAL DE COMPRESSÃO A VAPOR


2.4.1 Superaquecimento do Vapor de Sucção:

tc

pc O Que é?
ts

te
SA = t s − t e
pe

SA
Onde ocorre?

• No final do evaporador •Na LS fora da câmara


C/ RU S/ RU
• Na LS dentro da câmara • Em um TC fora da câmara
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.4 CICLO REAL DE COMPRESSÃO A VAPOR


2.4.1 Superaquecimento do Vapor de Sucção:

Qual a importância do SA?


tc

pc • Evita chegar refrigerante


ts
no estado líquido no
te
compressor.

pe
• Porém o SA não deve ser
SA elevado pois o vapor tem a
função de resfriar o
compressor.
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO
2.4 CICLO REAL DE COMPRESSÃO A VAPOR
2.4.2 Subresfriamento do Líquido Refrigerante:

O Que é?

tl tc
SR = t l − t c
SR

pc
Onde ocorre?

te • No final do condensador
• Na Linha de líquido
pe • No Tanque de líquido
• Em um TC
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO
2.4 CICLO REAL DE COMPRESSÃO A VAPOR
2.4.2 Subresfriamento do Líquido Refrigerante:

tl tc
SR

pc

te

pe

Qual a importância do SR?


• Garante refrigerante no estado líquido chegando à VE.
• Aumenta o ER.
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO

2.4 CICLO REAL DE COMPRESSÃO A VAPOR

CICLO REAL DE UM EQUIPAMENTO DE AR CONDICIONADO

o p c = 2100 kPa p c = 400 kPa o


48 C 14 C
o o
t = 88 C t=8 C
Refrigerante
CP

p = 2100 kPa p c = 400 kPa


c CD EV
o o
t = 54,4 C t=0 C

VE
p c = 400 kPa
Ar externo p = 2100 kPa o Ar interno
c t=0 C
o o o
35 C t = 46,4 C 24 C
2. SISTEMAS DE COMPRESSÃO A VAPOR DE ÚNICO ESTÁGIO
2.4 CICLO REAL DE COMPRESSÃO A VAPOR
2.4.4 Perdas de Pressão

p
D''
p
D'
p
D
p
A'

p
p B'
B
p
C'
p
p C''
C'''