Você está na página 1de 19

A eterna Beleza de Florença

MaeMy29 de maio de 2014 Florença, Itália, O Blog 6 Comentários


Ah, Florença! Escrever sobre esta cidade talvez seja a mais difícil das tarefas. Este lugar nos
encantou profundamente e não sabemos por onde começar. Iniciaremos agora nosso segundo
episódio da série de posts que estamos fazendo sobre as cidades visitadas nesta última viagem… Mal
chegamos e já estamos postando-os. Ao chegar nesta cidade italiana pela estação de
trem Santa Maria della Novella, não esperávamos estar prestes a mergulhar em um
oceano de obras de arte, seja arquitetura do local, suas inimagináveis esculturas e
pinturas.

A beleza eterna da cidade mais charmosa da Itália – Florença!

Tivemos uma intensa exposição aos grandes mestres do renascimento italiano e foi difícil
conter tanta emoção, quase chegamos a desenvolver a síndrome de Florença em plena
viagem!!! Isso mesmo, a cidade tem tanta, mas tanta maravilha artística que foram
diagnosticados em várias pessoas sintomas semelhantes após se exporem à maravilhas
desta cidade, a maioria sofria de náuseas, tontura e desmaios, dentre outros sintomas.
Assim, surgiu a Síndrome de Florença ou de Sthendal, o médico que descobriu tal
comorbidade…

Até os pouco entendidos de arte são surpreendidos neste lugar. Não há como sair o
mesmo após visitar Florença. Vamos agora citar alguns lugares que não podem ficar fora
da sua lista quando for à Florença…

Duomo
Esta atração deve ser a primeira a ser citada devido a beleza dessa maravilha
arquitetônica. A basílica de Santa Maria dei Fiore apresenta uma linda fachada em
mármores verde, branco e rosa. Mas a atração principal da mesma é a gigantesca e
robusta cúpula de alvenaria feita por Brunelleschi. A construção desta enorme cúpula foi
um grande desafio, sendo considerada uma conquista arquitetônica. Ele readaptou
técnicas clássicas que estavam esquecidas, com tijolos de várias densidades e em padrão
zigue-zague. Também maravilhosa é a sua decoração interna com lindos afrescos de
Vasari representando o Juízo Final. Há a possibilidade de subir na cúpula e admirar toda a
Florença do alto, mas preferi subir no Campanário e ver a própria cúpula de pertinho.

A Basílica Santa Maria dei Fiori, ou Duomo, é famosa pela sua magnífica cúpula de alvenaria e
bela fachada.

Campanile de Giotto
Este é o campanário da Basílica de Santa Maria dei Fiori, sendo um pouco diferente de
outros campanários por focal afastado da construção da basílica. Muito lindo por fora, com
o mesmo padrão de mármore em verde, branco e rosa da igreja. Mas o espetáculo mesmo
que esta atração proporciona é visto de dentro para fora. Trata-se da vista de Florença
que você poderá ter ao subir suas escadas. Ao todo, são 414 degraus até o topo de onde
se tem uma magnífica vista em 360 graus da cidade, incluído a cúpula de Bruneleschi.
Não desanime com as centenas de exaustivos degraus. Esta atração tem quatro andares
através dos quais você já tem um linda vista, e se não aguentar ir ao topo, suba até onde
suas pernas aguentarem…

A vista dos telhados de Florença e a região de Toscana, com o maravilhoso Duomo de Florença
podem ser vistos do Campanário de Giotto.

Battistero
O Batistério de São joão é um lugar de extrema beleza em frente ao complexo igreja e
campanário que valhe muito a pena ser visitado. A começar pelas portas do mesmo, feitas
de broze e ouro, os lindos portões do Paraiso (as portas leste do edifício) foram feitos por
Ghiberti durante nada mais nada menos que trinta anos. O que a maioria vê no próprio
Battistero são cópias das verdadeiras, a fim de serem preservadas as originais, que
estão no Museu da Opera del Duomo. Dê uma passadinha nesse museu se tiver tempo!
Os ingressos para o museu, a basílica, o Campanário e o Battistério são reunidos em
apenas um.
Os portões do Paraíso de Giberthi, o mesmo durou trinta anos para concluir os originais, que
poucos sabem estar no museu Opera del Duomo. O que vocês estão vendo são cópias colocadas
após a grande enchente da década de 60. Conferimos no museu as portas originais, que são mais
belas ainda.

Agora quanto ao Battistero, se prepare para ficar boquiaberto de vez após entrar no
mesmo. Seu interior muito encantou Dante Alighieri que passava muito tempo observando-
o, e encanta a todos até hoje. Há neste lugar um dos mais belos mosaicos que já vimos
cobrindo todo o teto do octógono. Chega a doer o pescoço de tanto olhar para cima…
O imenso teto do Batistério de São João com mosaicos de ouro que encantaram Dante Alighieri e a
todos que o visitam.

Gallerie della Accademia


Esta galeria é muito famosa devido uma das obras mais importantes da cidade. O Davi de
Michelangelo. Uma imensa estátua que arranca suspiros por sua perfeição em detalhes.
Até as veias superficiais do seu corpo podem ser vistas. Dizem que o próprio Michelangelo
encantado com a perfeição da obra disse: “parla” pois o mesmo só faltava falar… (apesar
de ter sido veiculada essa informação em jornais no Brasil, alguns dias após o museu
negou a informação, vide comentários abaixo).
Galeria della Accademia, uma entrada com filas gigantescas, ainda bem que compramos
antecipadamente nossos ingressos!

Aqui vimos também o verdadeiro Rapto das Sabinas, muitas pinturas dos séculos XIII, XIV
e XV, outras obras de Michelangelo como os incríveis Quattro Priggioni – quatro estátuas
presas ao mármore bruto…
A cópia do Davi de Michelangelo na Piazza della Signoria. Infelizmente não podemos tirar fotos
dentro da Galeria della Accademia…

Piazza della República


Uma charmosa praça com um lindo carrossel que nos fez lembrar de Paris. Lugar perfeito
para comer em um dos famosos e antigos cafés locais e ver o tempo passar… Nosso
hotel, o Hotel Pendini, ficava na mesma e deixou nossa visita à cidade inesquecível – lugar
mais bem localizado não poderia haver… Tivemos agradáveis momentos ao almoçar no
Caffé Giube Rosse e jantar no Gilli, antigos cafés da cidade. A comida local perfeita e o
ambiente romântico nos fez torrar alguns euros sem qualquer peso na consciência. Valeu
cada euro!
A romântica Piazza della República vista de cima do Campanário, com seu charmoso carrossel e os
cafés ao redor.

Palazzo Vecchio
Um lugar cheio de história e de beleza. O salão dos quinhentos é o que mais impressiona
neste lugar. Trata-se de um imenso salão, um dos maiores da Itália, onde Cosme I reunia
sua corte. Ricamente decorado por Vasari, interessante foi saber que o mesmo escondeu
duas importantes obras inacabadas de dois gigantes da arte italiana (Michelangelo e
Leonardo da Vinci), salvando-as da destruição colocando seus imensos quadros sobre
eles, onde estão escondidas até os dias de hoje.
O Palazzo Vecchio com muita história e arte em seu interior. Passamos horas nele.

Vasari deixou uma pista no local, uma minúscula inscrição em um estandarte dizendo
“cerca trova“ (busque e encontrarás), na gigantesca tela que colocou sobre a Batalha de
Anghiari – obra que da Vinci não chegou a concluir… Depois de procurar por um tempão,
achamos somente através do zoom da câmera…
O imenso salão dos Quinhentos com obras de Vasari nas paredes, é de arrepiar…

Piazza della Signoria


Esta linda praça é o lar de muitas atrações especiais de Florença. Lá ficam o Palazzo
Vecchio, a Gallerie Uffizi e Loggia degli Signoria com magníficas estátuas, a citar: O rapto
das Sabinas, Perseu com a cabeça da medusa, Judith e Holofernes, Hércules e Caco, a
reprodução de Davi de Michelangelo. Lá também se encontra a fonte de Netuno, uma
linda fonte ao lado do Palazo Vecchio. A praça tem o formato atual desde 1268, quando os
guelfos vitoriosos destruíram as casas dos gibelinos. Incrível conhecer a história da
cidade, que foi muito tumultuada devido guerras entre facções da cidade. Por culpa
dessas guerras o cidadão fiorentino mais famoso foi expulso e nunca mais retornou: Dante
Alighieri, o dono da próxima atração…
A fonte de Netuno na Piazza della Signoria, uma das obras que tornam essa praça um lugar muito
especial no coração de Florença.

A Casa de Dante Alighieri


Dante Alighieri foi um poeta Fiorentino, que fez a famosa obra de três partes, A Divina
Comédia. A casa de Dante é um edifício onde tenta recriar seu lar, que não mais existe, e
abriga um museu sobre o poeta, tendo uma finalidade histórica e educacional
apresentando a figura de Dante Alighieri e a turbulenta Florença Medieval que ele viveu.
A Casa de Dante Alighieri, um museu com a história do poeta mais famoso da Itália e da Florença
medieval.

Sua história é triste, o mesmo foi injustamente expulso da cidade que tanto amava bem
como da Beatrice, sua musa inspiradora, e nunca mais retornou. Após sua morte e fama,
os florentinos tentaram trazer seu corpo de volta à cidade e construíram até um túmulo
para o mesmo. Mas foram surpreendidos após abrirem seu caixão e descobrirem que seus
restos foram roubados e escondidos por monges que deixaram um recado em um
pergaminho – que seu corpo nunca mais voltaria para a cidade que tanto o desprezou.
Dante Alighieri segurando sua obra, a Divina Comédia, quadro de Michelino, de 1465, localizado
dentro da Catedral Santa Maria dei Fiori. Após seu exílio e sua morte os florentinos os
homenageam.

Gallerie Uffizi
Aqui quase tivemos um quadro convulsivo de tantas, mas tantas (mas tantas mesmo)
obras de arte em um só lugar… Michelangelo, Leonardo da Vinci, Caravaggio, Tiziano,
Giotto. Esses são apenas alguns exemplos de artistas que você poderá conferir lá… E o
que falar de Botticelli? Ali você pode chegar perto da mais famosa obra do museu e que
encanta ainda mais de perto – o nascimento de Vênus. Digo perto, mas nem tente chegar
tão perto das obras. Há uma cerquinha a uns quarenta centímetros das telas que se
ultrapassada dispara um ruidoso alarme… Eu mesmo disparei sem querer algumas vezes
ao apontar para os quadros… Uma manhã é pouca para tanta obra para se ver!!!
A Galeria Uffizi – muitos gigantes da arte estão por lá… Pena que não podíamos tirar uma foto
sequer…

Ponte Vecchio
A ponte Vecchio é uma ponte de 1345 feita sobre o lugar onde havia uma de madeira de
origem na época do Império Romano… Foi a única ponte de Florença que, por ordem
direta de Hitler, não foi destruída na Segunda Guerra Mundial. Nela se encontravam lojas
de mercadores que permanecem até hoje, a maioria é de joalherias desde a época do
feudalismo… Aproveite para comprar um mimo lá, existem lindas peças de todos os
preços e gostos, ou apenas passeie por ela que valhe a pena…
Ponte Vecchio sobre o Rio Arno, com o corredor Vasari em cima da mesma. Tivemos que ter muito
autocontrole para não acabar com os euros da viagem com tantas peças bonitas em suas
joalheiras…

Em cima da mesma passa o corredor Vasariano, um corredor criado para ligar o Palazo
Vecchio, a Galeria Uffizi e termina no Palazzo Pitti, hoje há muitas obras pelo corredor,
mas para visitá-lo somente através de visitas guiadas. Ver a ponte sobre o rio Arno no por
do sol é muito bonito, você não se arrependerá dessa dica.

Palazzo Pitti
Este imenso palácio comporta vários museus, escolha um ou dois para sua visita pois não
dá tempo de ver tanta coisa legal. Nós escolhemos a Galeria Palatina e os Apartamentos
Reais, onde se pode admirar magníficas salas todas decoradas com toda pompa real. O
palácio foi iniciado pelo banqueiro Lucca Pitti, que foi à falência devido custos enormes da
obra. Foi comprado pelos Médici e já alojou outras famílias de grande nome, como os
Lorena, os Bourbon, os Bonaparte e os Sabóia. Foi ampliado por ordem de Leonor de
Toledo, tendo no seu quintal um imenso jardim, que falaremos a seguir…
Palazzo Pitti, não cabe na foto… Muitos museus dentro do mesmo que não dá para ver tudo em um
dia…

Giardino de Boboli
Uma imensa área de jardins nos fundos do Palazzo Pitti com muito verde muitas flores,
estátuas e fontes. O passeio requer tempo para poder andar calmamente e ir parando
quando cansar. Existe até uma ilha artificial de flores no local… Um momento de descanso
após tanta beleza no interior do palácio.
Um caminho de Ciprestes nos Jardins de Boboli, o caminho leva à ilha de flores…

Após essa pincelada de Florença somos obrigados a lembrar que isso é muito pouco do
que você encontrará neste lugar… Esta cidade com certeza nos encantou e está em
nossa lista de melhores cidades do mundo, e recomendamos dedicar o maior tempo
possível quando vier a Itália para conhecê-la melhor…
Muitas flores, estátuas, fontes, e muito verde para um passeio agradável nos Jardins de Boboli.

Os gelatos de Florença
Por último, não poderíamos deixar de incluir uma das maravilhas de Florença – os
gelados, ou sorvetes. Que a Itália tem os melhores sorvetes do mundo, isso todo mundo já
sabe, mas que os melhores são os de Florença, isso pudemos conferir pessoalmente, e
inúmeras vezes!

A justificativa para isso se dá por um fato que poucos sabem: Florença disputa com outros
a criação da sobremesa, que ainda não é bem definida. Se foi lá que teve sua origem ou
não o fato é que mesmo resfriado eu tomei muitos gelatos de lá…
Um balcão desses em cada esquina. Os sorvetes de Florença são uma atração à parte…

Não deixe de conferir o terceiro episódio que publicaremos, Veneza – um passeio de


gôndola…